Santos: campeão brasileiro feminino de futebol 2017

Jogadoras do Santos comemoram o único gol da partida na Arena Barueri. Créditos: Agência Estado

O Santos é o mais novo campeão brasileiro de futebol feminino. A equipe da Baixada Santista derrotou o Corinthians no segundo e decisivo jogo da final do Campeonato Brasileiro Feminino A1 por 1 a 0 na noite desta quinta-feira (20), na Arena Barueri, na Grande São Paulo. O gol do título foi marcado pela artilheira da competição, a argentina Sole Jaimes. E, como havia triunfado no primeiro jogo na Vila Belmiro por 2 a 0, o alvinegro praiano fez 3 a 0 no placar agregado e ficou com a taça.

Precisando reverter a desvantagem de dois gols do jogo de ida, o Corinthians começou pressionando. No primeiro minuto de jogo, já ganhou um escanteio, que na cobrança, Mimi desviou pela linha de fundo. Um minuto depois, Fabi Simões cruzou para Gabi, que escorou para Nenê, sem marcação dentro da área, mas ela pegou de primeira e mandou por cima da meta santista.

As corinthianas continuaram a pressão e, aos 8, levaram perigo com outro escanteio. Na cobrança do córner, Mimi desviou para a goleira Dani Neuhaus defender.  A partida seguiu com a equipe mosqueteira com maior domínio até por conta da necessidade de marcar.

Contudo, aos 16, em sua primeira investida no ataque, as Sereias foram certeiras. Maria partiu pela esquerda e cruzou na medida para a argentina Sole Jaimes cabecear com estilo, sem chance de defesa, para abrir o placar e aumentar a já confortável vantagem santista.

Para o Corinthians não restava outra opção a não ser atacar, uma vez que, com a vitória parcial do time praiano, a equipe de Parque São Jorge precisaria fazer quatro gols para levar o caneco. Então, aos 19, o Timão foi para cima e Juci soltou uma bomba para ótima defesa da goleira Dani, que evitou o empate.

Como os mandantes pressionaram, as Sereias fecharam bem os espaços e impediram que as corinthianas continuassem com a pressão e, dessa forma, o jogo seguiu truncado no meio-de-campo com as chances de gols diminuindo drasticamente.

Depois do tento santista, a estratégia do time de Caio Couto era clara: aproveitar os contra-ataques. A tática quase deu certo no final do primeiro tempo. Aos 45, a artilheira do campeonato Sole Jaimes avançou pela direita, sem marcação e, na entrada da área, finalizou e mandou por cima do gol.

Na volta do intervalo, o técnico corinthiano Arthur Elias colocou Amanda no lugar de Paulinha e, assim, deslocou Fabi da lateral-direita para o meio-de-campo.

Assim como foi na etapa inicial, o Corinthians tentou pressionar o Santos nos primeiros minutos, mas estava sujeito aos contragolpes santistas. Como o que aconteceu aos sete minutos. Sole Jaimes arrancou do meio campo e da intermediária arriscou e a arqueira Letícia fez ótima defesa e evitou o segundo gol santista.

O Corinthians até tentou pressionar, mas a zaga santista não deu moleza e a cada ameaça era no melhor estilo “bola para o mato, que o jogo vale campeonato!”, sem contar a marcação implacável do meio-campo do time praiano.

O Santos deu espaço para o rival, mas controlou com segurança o seu sistema defensivo e tentou liquidar a fatura nos contra-ataques. Aos 22, por exemplo, Patrícia Sochor disparou pela direita, invadiu a área e bateu cruzado, mas a redonda saiu próximo à meta corinthiana.

Aos 28, um lance polêmico. Depois de um escanteio, Mimi cabeceou e a goleira Dani fez a defesa em cima da linha. As corinthianas disseram que a bola ultrapassou a linha, mas a árbitra Edna Alves Batista mandou o jogo seguir. Seis minutos mais tarde, Nenê foi lançada e, dentro da área santista, cruzou rasteiro para Gabi, mas a esférica atravessou toda a pequena área e ninguém chegou para finalizar.

A partida seguiu com o Corinthians todo no campo de ataque, enquanto o Peixe permaneceu com suas sereias no campo de defesa com a notória estratégia de puxar contra-ataques. E, quando tinha a bola, valorizava a posse de bola.

O jogo seguiu até os 48 minutos, mas o placar do primeiro tempo foi mantido: Corinthians 0, Santos 1 e, assim, o alvinegro praiano conquista pela primeira vez o Campeonato Brasileiro Feminino, assim como foi com o time masculino em 2002 (antes de a CBF reconhecer os títulos nacionais da década de 1960 como Brasileiro): o primeiro e em cima do Corinthians.

Sabendo que precisava reverter a desvantagem do primeiro jogo, o Corinthians foi para cima do Santos e teve suas oportunidades, mas a equipe praiana conseguiu fechar bem os espaços, não se sentiu intimidada com a pressão corinthiana e, na primeira investida ao ataque, tratou de aumentar a vantagem com o gol da artilheira do campeonato, a argentina Sole Jaimes (18 gols em 19 jogos). Com o apoio da torcida (que foi única, conforme determinação do Ministério Público), o Corinthians dominou o jogo, manteve mais posse de bola, porém, encontrou dificuldades de infiltrar na bem postada defesa santista. Já as Sereias aproveitaram do nervosismo do rival e, embora permanecesse menor tempo com a bola nos pés, levavam mais perigo nas investidas ao ataque. Enfim, o Santos soube muito bem administrar os dois jogos da final e levou o título de forma merecida.

A seguir, o resumo da campanha e a ficha técnica da final.

Primeira Fase (Grupo 2):
13/03/2017 – Santos 3×0 Foz Cataratas – Vila Belmiro, Santos (SP)
19/03/2017 – Rio Preto 1×0 Santos – Anísio Haddad, São José do Rio Preto (SP)
28/03/2017 – Santos 3×0 Ponte Preta – Vila Belmiro, Santos (SP)
30/03/2017 – Flamengo 1×2 Santos – Estádio da Gávea, Rio de Janeiro (RJ)
02/04/2017 – Santos 3×1 Vitória – Vila Belmiro, Santos (SP)
05/04/2017 – São José (SP) 1×2 Santos – Marins Pereira, São José dos Campos (SP)
12/04/2017 – Ferroviária (SP) 1×1 Santos – Fonte Luminosa, Araraquara (SP)
19/04/2017 – Santos 2×1 Ferroviária – Vila Belmiro, Santos (SP)
25/04/2017 – Santos 4×1 São José (SP) – Ulrico Mursa, Santos (SP)
03/05/2017 – Vitória 1×3 Santos – Barradão, Salvador (BA)
09/05/2017 – Santos 2×1 Flamengo – Vila Belmiro, Santos (SP)
17/05/2017 – Ponte Preta 0x2 Santos – Eugênio Fraceschini, Valinhos (SP)
24/05/2017 – Santos 1×0 Rio Preto – Vila Belmiro, Santos (SP)
31/05/2017 – Foz Cataratas 1×0 Santos – Pedro Basso, Foz do Iguaçu (PR)
Segunda Fase:
15/06/2017 – Audax (SP) 0x3 Santos – Arena Barueri, Barueri (SP)
21/06/2017 – Santos 0x0 Audax (SP) – Vila Belmiro, Santos (SP)
Semifinais:
29/06/2017 – Iranduba (AM) 1×2 Santos – Arena da Amazônia, Manaus (AM)
08/07/2017 – Santos 3×2 Iranduba (AM) – Vila Belmiro, Santos (SP)
Final:
13/07/2017 – Santos 2×0 Corinthians – Vila Belmiro, Santos (SP)
20/07/2017 – Corinthians 0x1 Santos – Arena Barueri, Barueri (SP)

FICHA TÉCNICA: CORINTHIANS 0x1 SANTOS
Competição/fase: Campeonato Brasileiro Feminino A-1 2017 – final (2º jogo)
Local: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data: 20 de julho de 2017 – 18h (horário de Brasília)
Árbitra: Edna Alves Batista (PR)
Auxiliares: Tatiane Camargo (SP) e Neusa Inês Back (SC)
Cartões Amarelos; Gabriela (Corinthians); Katiuscia, Dani, Kelly e Brena (Santos)
Gol: Sole Jaimes, aos 16 min do 1º tempo (0-1)
CORINTHIANS: 12.Lelê; 10.Fabi Simões, 30.Mimi, 3.Pardal (7.Yasmin) e 6.Juci; 7.Grazi, 19.Ana Vitória (99.Alana), 11.Babi Nunes e 14.Amanda Brunner (21.Paulinha); 90.Nenê e 9.Byanca Brasil. Técnico: Arthur Elias
SANTOS: 1.Dani; 21.Katiuscia, 22.Camila, 23.Carol Arruda e 20.Dani Silva; 5.Maria, 35.Brena (27.Cida), 29.Patrícia Sochor e 34.Maurine (36.Tayla); 7.Ketlen (4.Giovana) e 9.Sole Jaimes. Técnico: Caio Couto

Parabéns ao Santos Futebol Clube pela conquista.

Por Jorge Almeida

*Ofereço esse texto à minha inesquecível amiga Carla de Deus, santista, que nos deixou recentemente

Encerrada a fase de grupos da Copa Libertadores da América 2017

16 equipes seguem na busca do troféu mais cobiçado da América do Sul

Com as seis partidas realizadas nesta quinta-feira (25), válidas pelos grupos 1, 3 e 8, a fase de grupos da Copa Libertadores da América 2017 foi encerrada. A partir de agora, 16 equipes seguem no certame e, como prevê o regulamento, os campeões de cada grupo enfrentarão os segundos colocados dentre os classificados mediante sorteio. A definição dos duelos das oitavas-de-final acontecerá no próximo dia 14 de junho, na sede da Conmebol, em Luque, no Paraguai. Os terceiros colocados irão disputar a Copa Sulamericana.

Pelo grupo 1, o já classificado Botafogo foi até La Plata enfrentar o Estudiantes nesta quinta-feira. Apesar de sair derrotado por 1 a 0, o time da Estrela Solitária terminou na liderança do grupo com dez pontos, a mesma pontuação do Barcelona, do Equador, que perdeu para o Atlético Nacional no Atanásio Gerardot por 3 a 1. A equipe brasileira ficou à frente por conta do saldo de gols (saldo 1 contra saldo 0).

A última rodada do grupo 2 foi disputada na terça-feira (23). O invicto Santos foi o campeão do grupo com 12 pontos. A equipe praiana goleou o frágil Sporting Cristal por 4 a 0 na Vila Belmiro. Os bolivianos do The Strongest arrancaram um precioso empate em 1 a 1 diante do Santa Fé no El Campín, em Bogotá. O resultado foi primordial para o clube aurinegro que, com 9 pontos, ficou com um ponto a mais em relação aos colombianos.

Outro grupo que definiu seus classificados na quinta-feira foi o 3. O River Plate, que começou a rodada já classificado, perdeu em casa para o Independiente de Medellín por 2 a 1 e, mesmo assim, ficou na liderança com 13 pontos. Apesar da vitória, a equipe colombiana foi eliminada por conta da vitória do Emelec por 3 a 0 contra o fraco Melgar. Dessa forma, os equatorianos terminaram na segunda colocação do grupo com 10 pontos.

O concorrido grupo 4 foi definido na semana passada, no dia 17. O San Lorenzo bateu o Flamengo, de virada, com um gol nos acréscimos, por 2 a 1 no Nuevo Gasómetro e garantiu o primeiro lugar. O rubronegro, mesmo com a derrota, estaria se classificando em segundo, mas o gol feito por Carlos Alberto no Chile contra a Universidad Católica, aos 41 minutos do segundo tempo, classificou o Atlético Paranaense que, também de virada, derrotou os chilenos por 3 a 2 e deixou o Furacão com 9 pontos e a vice-lderança do grupo.

O Palmeiras confirmou o seu favoritismo e terminou na ponta do grupo 5 com 13 pontos, seguido do Jorge Wilstermann, com 9. O alviverde fez prevalecer o mando de campo e venceu o Atlético Tucumán, da Argentina, por 3 a 1 no Allianz Parque no dia 24 (quarta-feira). O triunfo do time brasileiro favoreceu a equipe boliviana, que perdeu por 2 a 0 para o Peñarol fora de casa. Caso a equipe Decana tivesse ganhado dos palestrinos teria se classificado no lugar do clube de Cochabamba.

O grupo 6 terminou com o Atlético Mineiro no topo com 13 pontos, dois a mais que o Godoy Cruz. Na semana passada, no dia 16, as duas equipes se enfrentaram no Independência para a definição da liderança. Assim, o Galo goleou o time argentino por 4 a 1 no Independência e, não só ficou à frente do rival, como encerrou a fase de grupos na liderança geral. Na outra partida do grupo, jogada no mesmo dia, o Libertad não passou de um empate com os bolivianos do Sport Boys Warnes em casa por 1 a 1.

O equilibrado grupo 7 teve o Lanús, da Argentina, como o seu campeão, com 13 pontos. Os granates foram até o místico Estádio Centenário, em Montevidéu, e venceram o Nacional por 1 a 0. Enquanto isso, na Arena Condá, a Chapecoense superou o Zulia, da Venezuela, de virada, por 2 a 1. As duas partidas ocorreram no dia 23, terça-feira. Contudo, em virtude da escalação irregular do zagueiro Luiz Otávio contra o Lanús, na penúltima rodada, a Chape perdeu os pontos dessa partida que, curiosamente, foi vencida, dentro de campo, pelo Verdão do Oeste por 1 a 0 com gol justamente de Luiz Otávio, mas o time catarinense vai recorrer da decisão.

E o grupo 8, que foi definido apenas na última rodada, realizada nesta quinta-feira (25), terminou com o Grêmio na liderança, seguido do Guaraní, do Paraguai. O Tricolor dos Pampas não tomou conhecimento do Zamora, da Venezuela, que não marcou um ponto sequer nesta Libertadores, e goleou a equipe boliviana por 4 a 0 em sua arena e chegou aos 13 pontos. O time dirigido por Renato Gaúcho só dependia de si para conseguir a classificação. O outro jogo do grupo, entre Guaraní e Iquique, foi um confronto direto, pois apenas um deles poderia seguir, já que, quem vencesse tiraria o outro do páreo. No entanto, o clube paraguaio poderia jogar pelo empate, já que terminaria à frente dos chilenos e foi justamente um 0 a 0 em Assunção que o Guaraní, com 11 pontos, deixou o Iquique, que foi a 10 pontos, para trás.

Lembrando que Estudiantes, Santa Fé, Independiente de Medellín, Flamengo, Atlético Tucumán, Libertad, Chapecoense (se não conseguir reverter a perda dos pontos) e Iquique – terceiros colocados de seus grupos – disputarão as oitavas-de-final da Copa Sulamericana.

Os classificados que ficarão no pote 1 serão: 1.Atlético Mineiro, 2.Lanús, 3.Grêmio, 4.River Plate, 5.Palmeiras, 6.Santos, 7.Botafogo e 8.San Lorenzo. E o pote dois será formado por: 9.Godoy Cruz, 10.Guaraní, 11.Emelec, 12.Barcelona, 13.Atlético Paranaense, 14.The Strongest, 15.Jorge Wilstermann e 16.Nacional.

Os confrontos das quartas-de-final acontecerão nos dias 4, 5 e 6 de julho, os jogos de ida, e dias 8, 9 e 10 de agosto, as partidas de volta.

Na teoria, o regulamento da Conmebol parece justo. Pois, os clubes que estarão no pote 1 (os primeiros colocados e numerados de 1 a 8) enfrentarão os do pote 2 (os segundos colocados e numerados de 9 a 16). Assim, o campeão de um determinado grupo poderá enfrentar já nas oitavas o vice-campeão de sua chave na fase anterior. Por exemplo, suponhamos que, no sorteio, a bolinha com número 3 do pote 1, no caso Grêmio, vai enfrentar o time da bolinha número 10 do pote 2, que é o mesmo Guaraní, do Paraguai. Logo, as duas equipes que se classificaram no grupo 8 vão se enfrentar mais duas vezes. Ou, ainda, poderá acontecer um embate entre equipes do mesmo país. Lembrando que o gol fora de casa será utilizado como critério de desempate, exceto na final.

Contudo, em se tratando de Conmebol, não ficaremos surpresos que, de acordo com o chaveamento até a final, a entidade não altere alguma coisa até lá para evitar que a sua principal competição interclubes tenha uma       “final caseira”.

A seguir, a classificação final da fase de grupos e os resultados da última rodada.

Grupo 1:
1. Botafogo (BRA) – 10
2. Barcelona (EQU) – 10
3. Estudiantes (ARG) – 9
4. Atlético Nacional (COL) – 6
Data – Jogo – Local:
25/05/2017 – Estudiantes (ARG) 1×0 Botafogo (BRA) – Ciudad de La Plata, La Plata
25/05/2017 – Atlético Nacional (COL) 3×1 Barcelona (EQU) – Atanásio Girardot, Medellín

Grupo 2:
1. Santos (BRA) – 12
2. The Strongest (BOL) – 9
3. Santa Fé (COL) – 8
4. Sporting Cristal (PER) – 2
Data – Jogo – Local:
23/05/2017 – Santa Fé (COL) 1×1 The Strongest (BOL) – El Campín, Bogotá
23/05/2017 – Santos (BRA) 4×0 Sporting Cristal (PER) – Vila Belmiro, Santos

Grupo 3:
1. River Plate (ARG) – 13
2. Emelec (EQU) – 10
3. Independiente de Medellín (COL) – 9
4. Melgar (PER) – 3
Data – Jogo – Local:
25/05/2017 – Emelec (EQU) 3×0 Melgar (PER) – George Capwell, Guayaquil
25/05/2017 – River Plate (ARG) 1×2 Independiente de Medellín (COL) – Monumental de Núñez

Grupo 4:
1. San Lorenzo (ARG) – 10
2. Atlético Paranaense (BRA) – 10
3. Flamengo (BRA) – 9
4. Universidad Católica (CHI) – 5
Data – Jogo – Local:
17/05/2017 – Universidad Católica (CHI) 2×3 Atlético Paranaense (BRA) – San Carlos de Apoquindo, Las Condes
17/05/2017 – San Lorenzo (ARG) 2×1 Flamengo (BRA) – Nuevo Gasómetro, Buenos Aires

Grupo 5:
1. Palmeiras (BRA) – 13
2. Jorge Wilstermann (BOL) – 9
3. Atlético Tucumán (ARG) – 7
4. Peñarol (URU) – 6
Data – Jogo – Local:
24/05/2017 – Peñarol (URU) 2×0 Jorge Wilstermann (BOL) – Campeón del Sigio, Montevidéu
24/05/2017 – Palmeiras (BRA) 3×1 Atlético Tucumán (ARG) – Allianz Parque, São Paulo

Grupo 6:
1. Atlético Mineiro (BRA) – 13
2. Godoy Cruz (ARG) – 11
3. Libertad (PAR) – 6
4. Sport Boys Warnes (BOL) – 2
Data – Jogo – Local
16/05/2017 – Libertad (PAR) 1×1 Sport Boys Warnes (BOL) – Centenário, Assunção
16/05/2017 – Atlético Mineiro (BRA) 4×1 Godoy Cruz (ARG) – Independência, Belo Horizonte

Grupo 7:
1. Lanús (ARG) – 13
2. Nacional (URU) – 8
3. Chapecoense (BRA) – 7
4. Zulia (VEN) – 5
Data – Jogo – Local:
23/05/2017 – Nacional (URU) 0x1 Lanús (ARG) – Centenário, Montevidéu
23/05/2017 – Chapecoense (BRA) 2×1 Zulia (VEN) – Arena Condá, Chapecó

Grupo 8:
1. Grêmio (BRA) – 13
2. Guaraní (PAR) – 11
3. Iquique (CHI) – 10
4. Zamora (VEN) – 0
Data – Jogo – Local:
25/05/2017 – Guaraní (PAR) 0x0 Iquique – Rogelio Livieres, Assunção
25/05/2017 – Grêmio (BRA) 4×0 Zulia – Arena do Grêmio, Porto Alegre

Parabéns aos classificados.

Por Jorge Almeida

Palmeiras: campeão da Copa do Brasil 2015

Zé Roberto ergue o troféu da Copa do Brasil, conquistado pela terceira vez pelo Palmeiras. Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press
Zé Roberto ergue o troféu da Copa do Brasil, conquistado pela terceira vez pelo Palmeiras. Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

O Palmeiras derrotou o Santos na decisão por pênaltis da Copa do Brasil por 4 a 3 após vitória no tempo regulamentar por 2 a 1 em confronto realizado no Allianz Parque na noite desta quarta-feira (02) e, assim, conquistou o seu terceiro título da competição e, evidentemente, assegurou a sua vaga para a Taça Libertadores da América de 2016. Com dois gols de Dudu para o alviverde e de Ricardo Oliveira para o alvinegro, o campeão precisou ser definido nos pênaltis. Com Fernando Prass defendendo um e anotando a quinta cobrança, o Palmeiras superou o Santos por 4 a 3 e ficou com a taça, a primeira conquistada dentro de sua nova arena.

O alviverde vingou-se da perda do título estadual nesta temporada para o mesmo Santos na Vila Belmiro e, de quebra, chegou ao seu 12° título nacional do primeiro escalão (8 Brasileiros – incluindo as duas Taças Brasil e dois Robertões conquistados na década de 1960, 3 Copas do Brasil e uma Copa dos Campeões), o que faz dele o maior campeão nacional.

Como poderia de se esperar, o jogo começou “quente” logo nos primeiros segundos. O Santos deu a saída, o Palmeiras recuperou a posse em seguida e, aos 10 segundos, Arouca tocou, Barrios deu um leve desvio e colocou Gabriel em boas condições de fazer o gol, mas Vanderlei salvou com os pés e desviou a bola para escanteio. O alvinegro praiano respondeu aos sete. Zeca fez grande jogada individual pela esquerda, tocou para Marquinhos Gabriel, que chutou forte, Prass defendeu parcialmente e, no rebote, Victor Ferraz tentou tirar do alcance do arqueiro alviverde e a esférica bateu na trave.

Precisando de pelo menos um gol, o time da casa tentou pressionar mais enquanto os visitantes encontravam dificuldades em manter a bola no campo de ataque. Mas, aos poucos, o Santos foi neutralizando o jogo. A decisão seguiu equilibrada, mas com o Verdão buscava sufocar o Peixe. Aos 27, Robinho cruzou da direita, Barrios desviou levemente de cabeça e o camisa 1 santista executou uma bela defesa.

Com o Palmeiras ditando o ritmo do jogo, o Santos só conseguiu levar perigo aos 41 com uma finalização que passou próximo ao ângulo de Fernando Prass. Mas o time praiano conseguiu manter até o final do primeiro tempo o resultado que, até aquele momento, lhe assegurava o título.

No segundo tempo, o Santos melhorou a marcação e a equipe alviverde encontrou dificuldades em sair com a bola e passou a abusar dos chutões. Mas aos 11 minutos, Lucas Barrios fez a parede e passou para Robinho na área, que tocou para Dudu, em condição legal, para tocar para o gol vazio e abrir o placar no Allianz Parque.

Após o tento inaugural da final, a partida seguiu com o alviverde ligeiramente superior ao rival, mas sem muitas chances de gol. Barrios, lesionado, foi substituído por Cristaldo. Posteriormente, o treinador Marcelo Oliveira colcou Lucas Taylor no lugar de João Pedro. Já Dorival Júnior, sacou Thiago Maia e Gabriel para colocar Paulo Ricardo e Geuvânio.

O Palmeiras anotou o segundo gol aos 39 minutos. Em cobrança de falta ensaiada, Robinho levantou na área, Vitor Hugo desviou de cabeça e Dudu acompanhou a jogada para colocar no fundo das redes santista: 2 a 0 para o Palmeiras.

Mas, o Santos diminuiu no lance seguinte. Após a cobrança de escanteio do lado esquerdo do ataque, Werley desviou de calcanhar e a esférica sobrou para o artilheiro Ricardo Oliveira descontar para o time de Vila Belmiro e levar a disputa para os tiros penais.

E, para infelicidade santista, justamente na edição desse ano o gol fora de casa deixou de ser critério de desempate na final do torneio, caso contrário, mesmo com a derrota por 2 a 1, o título iria para a Vila Belmiro sem a necessidade da disputa por pênaltis.

Contudo, conforme a alteração no regulamento, os “180 minutos” da decisão terminou empatado em 2 a 2 no placar agregado. Ou seja, disputa por pênaltis. O Santos desperdiçou suas duas primeiras cobranças com Marquinhos Gabriel e Gustavo Henrique, enquanto Geuvânio, Lucas Lima e Ricardo Oliveira marcaram. Pelo lado palmeirense, Zé Roberto, Jackson, Cristaldo e Fernando Prass converteram, e Rafael Marques parou em Vanderlei. Final da disputa por pênaltis: Palmeiras 4, Santos 3.

Palmeiras e Santos fizeram a primeira final paulista da história da Copa do Brasil e a primeira a ter o seu campeão definido na disputa por pênaltis. Os dois times fizeram dois jogos extremamente equilibrados, sendo que os mandantes, nas duas partidas, foram um pouco superiores ao oponente. Para o Verdão, a Copa do Brasil passou a ser prioridade a partir do momento em que praticamente abdicou do Campeonato Brasileiro lá na 31ª rodada, uma vez que os outros postulantes a ocupar a última vaga do G4 estavam em situações mais confortáveis. O Leão do Mar, por sua vez, de privilegiado por ter tido a oportunidade de ir à próxima Libertadores via G4 do BR-15 ou com o título da Copa do Brasil, correrá risco de ver os seus rivais – Corinthians, Palmeiras e São Paulo – disputarem a principal competição interclubes do continente pela TV. Coisas do futebol.

E, veja como são as coisas: há quase um ano, o Santos salvara o Palmeiras do rebaixamento no Campeonato Brasileiro ao bater o Vitória fora de casa por 1 a 0, resultado que manteve o rival da final de hoje na elite do futebol brasileiro e, agora, o mesmo adversário praticamente tira-lhe a vaga da Libertadores. Como diria o Kiko, do seriado Chaves: “Que coisa, não?”.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão.

Primeira fase:
04/03/2015 – Vitória da Conquista (BA) 1×4 Palmeiras (SP) – Estádio Lomantão, Vitória da Conquista (BA)
Segunda fase:
29/04/2015 – Sampaio Corrêa (MA) 1×1 Palmeiras (SP) – Estádio Castelão, São Luís (MA)
12/05/2015 – Palmeiras (SP) 5×1 Sampaio Corrêa (MA) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
Terceira fase:
27/05/2015 – Palmeiras (SP) 0x0 ASA de Arapiraca (AL) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
15/07/2015 – Asa de Arapiraca (AL) 0x1 Palmeiras (SP) – Estádio do Café, Londrina (PR)
Oitavas-de-final:
19/08/2015 – Palmeiras (SP) 2×1 Cruzeiro (MG) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
26/08/2015 – Curzeiro (MG) 2×3 Palmeiras (SP) – Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Quartas-de-final:
23/09/2015 – Internacional (RS) 1×1 Palmeiras (SP) – Estádio Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
30/09/2015 – Palmeiras (SP) 3×2 Internacional (RS) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
Semifinais:
21/10/2015 – Fluminense (RJ) 2×1 Palmeiras (SP) – Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
28/10/2015 – Palmeiras (SP) (4)2×1(1) Fluminense – Allianz Parque, São Paulo (SP)
Final:
25/11/2015 – Santos (SP) 1×0 Palmeiras (SP) – Vila Belmiro, Santos (SP)
02/12/2015 – Palmeiras (SP) (4)2×1(3) Santos (SP) – Allianz Parque, São Paulo (SP)

FICHA TÉCNICA: PALMEIRAS (SP) (4)2×1(3) SANTOS (SP)
Competição/fase: Copa do Brasil 2015 – final (2º jogo)
Data: 2 de dezembro de 2015 (quarta-feira) – 22h (horário de Brasília)
Local: Estádio Allianz Parque – São Paulo (SP)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Marcelo Carvalho van Gasse (SP)
Cartões Amarelos: Matheus Sales, João Pedro e Dudu (Palmeiras); Gabriel (Santos)
Gols: Dudu, aos 11 e aos 39 min do 2º tempo para o Palmeiras; Ricardo Oliveira, aos 41 min do 2º tempo para o Santos
Pênaltis: Zé Roberto, Jackson, Cristaldo e Fernando Prass – converteram; Rafael Marques – desperdiçou para o Palmeiras; Geuvânio, Lucas Lima e Ricardo Oliveira – converteram; Marquinhos Gabriel e Gustavo Henrique – desperdiçaram para o Santos
PALMEIRAS (SP): 1.Fernando Prass; 22.João Pedro, 26.Jackson, 31.Vítor Hugo e 11.Zé Roberto; 5.Arouca, 36.Matheus Sales (42.Lucas Taylor), 7.Dudu, 33.Gabriel Jesus (19.Rafael Marques) e 27.Robinho; 8.Barrios (9.Cristaldo). Técnico: Marcelo Oliveira
SANTOS (SP): 1.Vanderlei; 4.Victor Ferraz, 14.David Braz (2.Werley), 6.Gustavo Henrique e 37.Zeca; 8.Renato, 29.Thiago Maia (32.Paulo Ricardo), 10.Gabriel (11.Geovânio), 31.Marquinhos Gabriel e 20.Lucas Lima; 9.Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior

Parabéns à Sociedade Esportiva Palmeiras pelo título.

Por Jorge Almeida

CBF define os confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil

Copa do Brasil: de 86 equipes apenas oito seguem na competição. Foto: Rafael Ribeiro/CBF
Copa do Brasil: de 86 equipes apenas oito seguem na competição. Foto: Rafael Ribeiro/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou em sua sede nesta segunda-feira (31) o sorteio que definiram os confrontos pelas quartas-de-final da Copa do Brasil 2015. Além dos duelos, a entidade definiu também a ordem dos mandos e ainda divulgou o chaveamento da competição até a final.

O chaveamento das quartas de final já define os adversários até a grande decisão ficou assim: o vencedor da chave 1 enfrentará o vencedor da chave 2 e o vencedor da chave 3 jogará contra o vencedor da chave 4.

Na chave 1, o São Paulo enfrentará o Vasco. A primeira partida será realizada no Morumbi e a segunda no Rio de Janeiro, possivelmente no Maracanã. Quem vencer pegará o ganhador do duelo entre Figueirense e Santos (chave 2), que farão o jogo de ida no Orlando Scarpelli e decidirão a vaga para as semifinais provavelmente na Vila Belmiro. Ou seja, há possibilidade de termos um “SanSão” nas semifinais do certame.

Do outro lado do chaveamento, o Internacional medirá forças com o Palmeiras. O compromisso de ida será realizado no Beira-Rio e a definição do terceiro semifinalista será no Allianz Parque, em São Paulo. E, finalmente, o duelo de tricolores encerra a lista de confrontos das quartas-de-final. Pela chave 4, o Fluminense encara o Grêmio no Maracanã e depois vai a Porto Alegre decidir a vaga para a fase seguinte na casa do rival. Assim como há possibilidade da realização do clássico paulista nas semifinais, pode ser possível que tenhamos um Grenal na sequência.

Só há duas possibilidades da Copa do Brasil ter uma decisão estadual: se o Palmeiras chegar até a decisão para pegar Santos ou São Paulo. Ou se Vasco e Fluminense superarem os seus respectivos adversários para chegarem até a decisão para, então, fazerem a final carioca da competição. E, só uma curiosidade: dos oito participantes que restam do certame, apenas São Paulo e Figueirense não conquistaram a Copa do Brasil ainda.

A Diretoria de Competições da CBF está para divulgar as datas, os horários e os locais (possivelmente os citados acima) da realização das partidas.

Dessa forma, os confrontos da Copa do Brasil 2015 ficaram assim:

São Paulo* x Vasco
Figueirense* x Santos
Internacional* x Palmeiras
Fluminense* x Grêmio

* Equipes mandantes do jogo de ida.

Por Jorge Almeida

Copa do Brasil terá clássicos locais e repetecos de decisões nas oitavas

Copa do Brasil: das 16 equipes que restaram, 10 já conquistaram a competição. Foto: Rafael Ribeiro/CBF
Copa do Brasil: das 16 equipes que restaram, 10 já conquistaram a competição. Foto: Rafael Ribeiro/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou nesta terça-feira (4) em sua sede o sorteio dos confrontos para as oitavas-de-final da Copa do Brasil 2015. A partir dessa fase, o torneio conta com a presença dos representantes brasileiros que disputaram a Libertadores – Cruzeiro, Atlético Mineiro, São Paulo, Corinthians e Internacional. As definições dos mandantes e das datas dos confrontos foram decididos no mesmo dia. Dentre os duelos, destaques para os clássicos estaduais entre Flamengo x Vasco; Corinthians x Santos, além do confronto entre os ex-Palestras: Palmeiras x Cruzeiro. As partidas dessa fase acontecerão nos dias 19 e 20 de agosto (os de ida) e 26 e 27 do mesmo mês, os da volta, evidentemente.

No pote 1, estavam os times que participaram da Copa Libertadores da América de 2015 mais o Fluminense (melhor classificado no Brasileirão 2014 que não disputou a competição sulamericana), além dos dois melhores times no ranking da CBF (Flamengo e Grêmio) que se classificaram da terceira fase. No pote 2, ficaram os outros oito times que classificaram da terceira fase. Para os jogos das oitavas, o sorteio determina os confrontos dos times do pote 1 contra o pote 2 e quais times decidirão o confronto em casa.

Antes do início do sorteio, o diretor de Competições da entidade, Manoel Flores, anunciou duas novidades para a atual edição do certame: os confrontos das quartas-de-final também serão definidos por sorteio e o gol fora de casa não será adotado no critério de desempate na decisão.

De acordo com o sorteio, Santos e Corinthians farão o clássico paulista das oitavas-de-final da Copa do Brasil. O duelo de alvinegros promete. O time da Vila Belmiro vai em busca da revanche pela eliminação da Libertadores 2012 diante do rival que, por sua vez, quer descontar a goleada sofrida pelo clube praiano no ano passado pelo Campeonato Paulista. O mando do primeiro jogo é do Santos, que não descarta a possibilidade de atuar no Pacaembu. Possivelmente, o Timão não abrirá mão de sua arena, em Itaquera, para o confronto decisivo.

Outro clássico estadual que acontecerá nessa fase da Copa do Brasil será realizado entre Flamengo e Vasco, que já decidiram a edição 2006 da competição – vencida pelo rubronegro. Mandante do primeiro jogo, a equipe da Gávea espera ter a mesma sorte que tivera na finalíssima disputada há nove anos. Já os cruzmaltinos, apesar de estarem em uma situação complicada na tabela do Brasileirão, acreditam que poderão repetir o desempenho que tiveram no “Clássico dos Milhões” realizado pela nona rodada do campeonato nacional.

Palmeiras e Cruzeiro fazem o “clássico dos Palestras”. As duas equipes já decidiram a mesma Copa do Brasil duas ocasiões (1996 e 1998) com um título para cada lado. A Raposa, que não está na mesma situação em relação ao ano passado quando liderava o Brasileiro a passos largos, está se reestruturando após um primeiro semestre desastroso para as suas pretensões terá páreo duro pela frente diante do alviverde que, apesar do tropeço da última rodada, está em formação e tem a seu favor uma pessoa que conhece como ninguém o time Celeste: o técnico Marcelo Oliveira, bicampeão brasileiro pelo Cruzeiro. O Palmeiras será o mandante do compromisso de ida, que, possivelmente, será realizado em sua nova arena.

O confronto entre Coritiba e Grêmio é o duelo dos opostos. Enquanto o Coxa luta para fugir do rebaixamento, o Tricolor dos Pampas, por sua vez, está em ascensão. Se histórico na competição fosse levado em conta no embate, o Grêmio levaria ampla vantagem, pois é detentor de quatro títulos enquanto o time paranaense acumula dois vice-campeonatos (2011 e 2012). O primeiro jogo, provavelmente, será realizado na Arena do Grêmio, na capital gaúcha.

São Paulo e Ceará será o único confronto das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2015 que não terá uma equipe que tenha conquistado o torneio. No entanto, as duas equipes já “bateram na trave” ao amargarem um vice-campeonato: o Tricolor perdeu a decisão de 2000 para o Cruzeiro e o Vozão foi superado pelo Grêmio em 1994. Pela camisa e pelo momento que ambas equipes vivem na temporada, o São Paulo, mandante do jogo de ida, é o amplo favorito no duelo. Mas o Ceará tem a seu favor a história das “zebras” que sempre apareceu ao longo dos 26 anos da competição e, talvez, por fazer a segunda partida em casa, um bom resultado no Morumbi poderá fazer o time acreditar que é possível.

Atual campeão da competição, o Atlético Mineiro enfrentará o Figueirense. Líder do Campeonato Brasileiro no momento, o Galo vem forte no torneio e, apesar de deixar claro que o foco é conquistar o bicampeonato brasileiro, os comandados de Levir Culpi não descarta a possibilidade de abocanhar a Copa do Brasil também e, de quebra, repetir o feito do arquirrival Cruzeiro em 2003 quando esse faturou o torneio, mais o Brasileirão e o Campeonato Mineiro. Por outro lado, o Figueira vem como “franco atirador” e quer surpreender para, quem sabe, fazer o mesmo em 2007: chegar à decisão. O primeiro jogo terá mando do Atlético, logo, a possibilidade de ser no Independência é grande.

Campeão da Copa do Brasil de 2007, o Fluminense terá pela frente nessas oitavas-de-final o Paysandu. Terceiro colocado do BR-15, o Tricolor das Laranjeiras quer reviver os bons tempos e aposta na dupla Fred e Ronaldinho Gaúcho para chegar à Libertadores, seja via Brasileirão ou Copa do Brasil. Enquanto isso, o Papão espera surpreender o Brasil novamente como fizera em 2003 quando bateu o Boca Juniors em plena La Bombonera. Mas, os tempos são outros, e o Fluminense, que fará o primeiro duelo em casa, é o amplo favorito.

E, finalmente, Internacional e Ituano. O Colorado, que não conquista um título nacional há mais de 20 anos, encara a equipe de Itu, que entrou na competição credenciada pelo título paulista do ano passado. Considerado favorito para o duelo, O Inter será o mandante do primeiro jogo. O Galo acredita que pode surpreender o tricampeão brasileiro e crê também no histórico de zebras que a Copa do Brasil proporciona a cada ano.

Um fato que chamou atenção no evento realizado na sede da CBF foi quando uma das modelos que fazia o sorteio soltou a bolinha no momento em que seria definido o adversário do Flamengo. Segundo relatos, a moça pegou a bolinha, levou um susto ao ouvir um grito “cuidado, hein!” de um dos jornalistas que acompanhava o evento. Assim, ela teria se assustado e colocado a esfera no pote e pegou outra bolinha depois. O fato gerou controvérsias nas redes sociais.

Com os duelos determinados, as oito equipes que seguirem na competição participarão de um novo sorteio para definir o alinhamento do torneio até a decisão.

A seguir, como ficaram os jogos de ida e volta da Copa do Brasil, os mandantes estão do lado esquerdo.

Jogos de ida – dias 19 ou 20 de agosto:
Santos (SP) x Corinthians (SP)
Flamengo (RJ) x Vasco (RJ)
Palmeiras (SP) x Cruzeiro (MG)
Grêmio (RS) x Coritiba (PR)
São Paulo (SP) x Ceará (CE)
Atlético (MG) x Figueirense (SC)
Fluminense (RJ) X Paysandu (PA)
Internacional (RS) x Ituano (SP)

Jogos de volta – dias 26 ou 27 de agosto:
Corinthians (SP) x Santos (SP)
Vasco (RJ) x Flamengo (RJ)
Cruzeiro (MG) x Palmeiras (SP)
Coritiba (PR) x Grêmio (RS)
Ceará (CE) x São Paulo (SP)
Figueirense (SC) x Atlético (MG)
Paysandu (PA) x Fluminense (RJ)
Ituano (SP) x Internacional (RS)

É esperar para ver.

Por Jorge Almeida

Pela terceira vez no século, grandes farão as semifinais do Paulistão

"Paulistão 2015": assim como em 2009 e 2011, semifinais terão os considerados times grandes. Imagem: divulgação/FPF
“Paulistão 2015”: assim como em 2009 e 2011, semifinais terão os considerados times grandes. Imagem: divulgação/FPF

O Campeonato Paulista 2015 já tem os seus semifinalistas definidos. Pela terceira vez no século XXI, os quatro melhores da competição são os considerados “grandes”: Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo. As outras semifinais envolvendo as quatro equipes ocorreram em 2009 e 2011. Os duelos serão realizados no próximo final de semana: de um lado, Corinthians e Palmeiras farão o derby na Arena Corinthians, em Itaquera; e do outro, Santos e São Paulo disputarão o “SanSão” possivelmente na Vila Belmiro.

Dono da melhor campanha da primeira fase, o Corinthians sofreu para eliminar a Ponte Preta nas quartas-de-final. A equipe de Tite manteve a invencibilidade na competição e com o gol de Renato Augusto na etapa complementar, o Timão despachou a equipe de Campinas por 1 a 0 no sábado (11). Porém, a arbitragem errou grotescamente ao anular um gol legítimo da Macaca no primeiro tempo, o que poderia mudar os rumos da partida.

No mesmo dia, no Morumbi, o São Paulo não tomou conhecimento do Red Bull Brasil e goleou outro time de Campinas por 3 a 0, com gols de Rogério Ceni, de falta na etapa inicial, enquanto Alexandre Pato e Ganso completaram o placar no segundo tempo.

No Allianz Parque, o Palmeiras mediu forças contra o Botafogo de Ribeirão Preto na manhã deste domingo (12). O alviverde triunfou a Pantera da Mogiana por 1 a 0, gol de Leandro Banana, aos 26 minutos do segundo tempo.

E, finalmente, no mesmo dia do jogo do Palmeiras à tarde, na Vila Belmiro, o Santos goleou o XV de Piracicaba por 3 a 0, com gols de Robinho e Ricardo Oliveira, ambos de pênalti, e Lucas Lima, aos 44 do segundo tempo, sacramentaram a vaga santista. O alvinegro praiano chega a sua sétima semifinal consecutiva do Paulistão.

Nesta segunda-feira acontecerá o Conselho Técnico da semifinal na sede da Federação Paulista de Futebol. Os representantes dos quatro clubes classificados devem comparecer à sede da entidade, onde haverá a definição sobre datas, horários e locais das partidas.

Por Jorge Almeida

Corinthians, campeão paulista de 2013

Empate na Vila Belmiro garantiu ao Timão o 27º título estadual e impediu o inédito tetra santista. Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press
Empate na Vila Belmiro garantiu ao Timão o 27º título estadual e impediu o inédito tetra santista. Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

O Corinthians voltou a ser campeão paulista depois de quatro anos ao empatar com o Santos na Vila Belmiro em 1 a 1 na tarde deste domingo (19) na segunda e decisiva partida da final do Campeonato Paulista 2013. O Peixe saiu na frente com o ex-sãopaulino Cícero, enquanto outro ex-atleta do São Paulo empatou a peleja, Danilo. Como o Timão havia vencido o primeiro jogo por 2 a 1, o empate foi o suficiente para o clube conquistar pela 27ª vez o Estadual. A conquista serviu de consolo para os corinthianos por conta da eliminação injusta para o Boca Juniors da Libertadores na última quarta-feira e também evitou o inédito tetracampeonato consecutivo santista, o primeiro da era profissional. E, assim, até 24 de julho, quando acontecerá o segundo confronto da decisão da Libertadores 2013, o Timão ostentará o status de atual campeão paulista, continental e mundial.

Depois de ter sido mero espectador no primeiro jogo da final do Paulistão, o técnico Muricy Ramalho resolveu colocar o Santos mais ofensivo e, consequentemente, repetiu a mesma formação que encarou o Corinthians no segundo tempo na partida do domingo passado, um 4-3-3. Assim, os dois times demonstraram um confronto equilibrado com o Peixe levando perigo com o seu trio de atacantes (Felipe Anderson, Neymar e André), enquanto o Timão respondia com a ótima movimentação de seus armadores, principalmente com Danilo e Emerson pela esquerda, com o auxílio do lateral Fábio Santos.

Durante o primeiro tempo, os jogadores das duas equipes reclamaram da arbitragem de Guilherme Ceretta: os santistas protestaram contra duas bolas na mão por parte dos corinthianos dentro da área, além de uma falta de Paulo André que foi ignorada pelo árbitro; já os corinthianos chiaram quando o juiz ignorou um possível pênalti em cima de Fábio Santos.

Aos 26 minutos da primeira etapa, o Santos abriu o placar com Cícero, quando o árbitro Guilherme Ceretta Lima anotou uma falta de Emerson em Neymar. Na cobrança, Felipe Anderson lançou na área, Durval ganhou de Alessandro pelo alto e o ex-sãopaulino pegou de primeira e acertou o ângulo de Cássio, que chegou a tocar na bola. E, enquanto a torcida santista ainda comemorava o gol, os visitantes chegaram ao empate: Paulinho tocou para Guerrero, que fez o pivô, a bola sobrou para Romarinho, que foi travado, na sobra, o camisa 8 chutou, Rafael defendeu parcialmente e Danilo pegou o rebote para empatar o clássico na Vila.

A igualdade do Corinthians no marcador veio como uma ducha de água fria aos anfitriões e, consequentemente, favoreceu os visitantes. Pois, antes do intervalo, o Timão acertou duas vezes a trave de Rafael, com Paulinho e Danilo.

No segundo tempo, o time de Muricy Ramalho partiu para cima do rival em busca do segundo gol para levar a decisão para os pênaltis. Aos 6, André perdeu um gol feito ao mandar a bola à esquerda da meta defendida por Cássio. Minutos depois, o camisa 9 santista foi substituído por Miralles. O Santos buscava o gol a qualquer custo, então, usou e abusou dos cruzamentos à área corinthiana, já que por baixo Ralf e Gil não davam moleza para o ataque do time da casa, especialmente a Neymar.

Enquanto isso, Tite trocou Emerson por Edenílson e, com a alteração, o clube da capital ficou mais veloz no meio-campo e criou boas oportunidades, uma com o próprio Edenílson, que não conseguiu dominar a redonda na frente de Rafael, e outra com Romarinho que, desmarcado, acertou a trave do arqueiro santista.

O Corinthians segurou o alvinegro praiano, que não criou grandes oportunidades de gol, até o fim. E ainda deu tempo para a entrada de Pato e Douglas, mas não acrescentaram nada no jogo. Aliás, o ex-milanista desperdiçou uma chance clara nos acréscimos. A finalização desperdiçada pelo namorado de Barbara Berlusconi não fez falta. E, assim, o Corinthians volta a conquistar o Campeonato Paulista na Vila Belmiro, o que não acontecia desde 1941.

O Coringão está de parabéns pela conquista. Uma vez que encarou o Santos de igual para igual na Vila Belmiro, com Neymar e tudo, e, somando o desempenho das duas partidas, foi superior ao adversário. Além disso, o embate diante dos santistas, que tecnicamente são superiores aos xeneizes argentinos, serviu para comprovar que a eliminação da competição sulamericana foi um acidente. Aliás, um acidente “grave”, já que o Corinthians foi “operado”. Já o Santos demonstrou que ainda está à mercê da “Neymardependência”, ou seja, com a “Joia” é um excelente time, sem ele, é apenas um time comum. Vale destacar também que, enquanto a Libertadores era a prioridade para o alvinegro, o Corinthians fez uma campanha razoável na primeira fase do Paulistão, tanto que se classificou em quinto. Em contrapartida, o Timão não dependeu do fator “casa” para chegar ao título, uma vez que nas fases anteriores da final (quartas e semifinal), a disputa foi feita em campo rival, além de ter feito a partida decisiva como visitante.

Assim, Tite conquistou em três anos de trabalho o seu quarto título: Campeonato Brasileiro 2011, Libertadores e Mundial de Clubes da FIFA, ambos em 2012, e agora o Campeonato Paulista 2013.

Particularmente, o grande destaque dessa decisão foi Danilo. É impressionante como ele desequilibra nas grandes decisões. Se refrescarmos a nossa memória nos últimos títulos do Corinthians, o camisa 20 teve participação direta nos gols que fizeram o clube de Parque São Jorge dar a volta olímpica com a taça: foi ele que deu o toque de calcanhar para Emerson fazer o primeiro dos dois gols na final da Libertadores do ano passado e também foi ele que fez toda a jogada no gol de Paolo Guerrero na decisão do Mundial contra o Chelsea. E sem contar os tentos feitos pelo meia nos Majestosos e também na semifinal da Libertadores contra o Santos e agora na final do Paulistão.

E só um adendo: a Ponte Preta é a campeã do Troféu do Interior ao derrotar a Penapolense por 4 a 2 neste sábado e a artilharia do Estadual ficou com William, atacante da Macaca, com 13 gols.

A seguir a campanha do campeão e a ficha técnica da segunda e decisiva partida.

Data – Jogo – Local:
Primeira fase:
20/01/2013 – Paulista 1×1 Corinthians – Jayme Cintra (Jundiaí)
23/01/2013 – Corinthians 0x1 Ponte Preta – Pacaembu (São Paulo)
27/01/2013 – Mirassol 0x1 Corinthians – José Maia (Mirassol)
30/01/2013 – Corinthians 2×1 Mogi Mirim – Pacaembu (São Paulo)
03/02/2013 – Corinthians 5×0 Oeste – Pacaembu (São Paulo)
06/02/2013 – Botafogo (SP) 0x0 Corinthians – Santa Cruz (Ribeirão Preto)
09/02/2013 – Corinthians 2×2 São Caetano – Pacaembu (São Paulo)
17/02/2013 – Corinthians 2×2 Palmeiras – Pacaembu (São Paulo)
24/02/2013 – Bragantino 2×2 Corinthians – Nabi Abi Chedid (Bragança Paulista)
03/03/2013 – Santos 0x0 Corinthians – Morumbi (São Paulo)
09/03/2013 – Corinthians 3×2 Ituano – Pacaembu (São Paulo)
16/03/2013 – Corinthians 3×0 União Barbarense – Pacaembu (São Paulo)
20/03/2013 – XV de Piracicaba 1×1 Corinthians – Barão de Serra Negra (Piracicaba)
24/03/2013 – Guarani 0x1 Corinthians – Brinco de Ouro da Princesa (Campinas)
27/03/2013 – Corinthians 1×1 Penapolense – Pacaembu (São Paulo)
31/03/2013 – São Paulo 1×2 Corinthians – Morumbi (São Paulo)
07/04/2013 – Corinthians 2×0 São Bernardo – Pacaembu (São Paulo)
14/04/2013 – Linense 2×1 Corinthians – Gilberto Siqueira Lopes (Lins)
20/04/2013 – Corinthians 2×0 Atlético Sorocaba – Pacaembu (São Paulo)
Quartas-de-final:
28/04/2013 – Ponte Preta 0x4 Corinthians – Moisés Lucarelli (Campinas)
Semifinal:
05/05/2013 – São Paulo (3)0x0(4) Corinthians – Morumbi (São Paulo)
Finais:
12/05/2013 – Corinthians 2×1 Santos – Pacaembu (São Paulo)
19/05/2013 – Santos 1×1 Corinthians – Vila Belmiro (Santos)

FICHA TÉCNICA: SANTOS 1X1 CORINTHIANS
Competição/fase: segundo jogo da final do Campeonato Paulista 2013
Local: Estádio Urbano Caldeira (Vila Belmiro) – Santos (SP)
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Danilo Ricardo Simon Manis
Cartões Amarelos: Renê Júnior e Arouca (Santos); Fábio Santos, Edenílson e Cássio (Corinthians)
Gols: Cícero, aos 26 minutos do primeiro tempo para o Santos; Danilo, aos 28 minutos do primeiro tempo para o Corinthians
SANTOS: 1.Rafael; 4.Edu Peres, 2.Edu Dracena, 6.Durval e 3.Léo; 5.Arouca, 8.Cícero e 7.Renê Junior (16.Patito Rodríguez); 10.Felipe Anderson, 11.Neymar e 9.André (18.Miralles). Técnico: Muricy Ramalho
CORINTHIANS:12.Cássio; 2.Alessandro, 4.Gil, 13.Paulo André e 6.Fábio Santos; 5.Ralf, 8.Paulinho, 20.Danilo, 31.Romarinho (7.Alexandre Pato) e 11.Emerson (21.Edenílson); 9.Guerrero (10.Douglas). Técnico: Tite

Parabéns ao SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA pela conquista.

Por Jorge Almeida