CBF sorteou os confrontos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019

CBF realizou o sorteio dos confrontos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou na tarde desta quinta-feira (2), o sorteio dos confrontos e mandos de campo das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019. O evento aconteceu em sua sede, no Rio de Janeiro. Os duelos pela quinta fase do certame estão previstos para acontecer entre os dias 15 de maio e 5 de junho.

O sorteio, que está previsto no artigo 14º do Regulamento Específico da Competição, tem as presenças de cinco clubes que passaram a fase anterior (Corinthians, Santos, Fluminense, Vila Nova ou Juventude e Bahia) e os 11 pré-classificados para essa fase (os brasileiros participantes da atual edição da Copa Libertadores da América, além dos campeões do Brasileiro da Série B, Copa do Nordeste e Copa Verde do ano passado).

Antes do sorteio, o Diretor de Competições da CBF, Manoel Flores, foi convidado ao palco para ler o trecho do regulamento da competição que prevê o sorteio e a composição dos participantes e dos potes. A cerimônia seguiu com o narrador do Grupo Globo, Luís Roberto, como cerimonialista, e, no sorteio das bolinhas, participaram o comentarista Caio Ribeiro e o ex-jogador Juninho Paulista.

As equipes foram divididas em dois potes: em um com clubes que disputam a Copa Libertadores 2019 e no outro estão os demais. E, conforme a sequência do evento, o primeiro nome a ser sorteado foi o Internacional, que enfrentará o Paysandu. Depois, foi decretado que Flamengo e Corinthians medirão forças na continuidade do torneio. O terceiro confronto terá pela frente Atlético Mineiro e Santos. O quarto duelo do sorteio será realizado entre Grêmio e o ganhador do duelo entre Juventude e Vila Nova, que já fizeram o primeiro jogo da quarta fase e empataram em 0 a 0 em Caxias do Sul. O Palmeiras terá como adversário o Sampaio Corrêa, de acordo com o quinto embate a ser sorteado. O sexto embate será disputado entre Athletico Paranaense e Fortaleza. O penúltimo confronto a ser definido será entre Cruzeiro e Fluminense. E, finalmente, São Paulo e Bahia fazem o duelo de tricolores nas oitavas-de-final.

Após uma pausa, o sorteio para definir os mandos de campo das oitavas-de-final. O mestre de cerimônia Luiz Roberto explicou os motivos pelos quais se fez necessário a pausa para analisar os duelos para que evitem uma conflito de datas entre duas equipes da mesma cidade jogarem no mesmo dia.

De acordo com a definição do sorteio, os mandantes dos jogos de ida serão: Corinthians, Internacional, Atlético Mineiro, Juventude ou Vila Nova, Sampaio Corrêa, Fortaleza, Fluminense e São Paulo. Enquanto, Flamengo, Paysandu, Santos, Grêmio, Palmeiras, Athletico Paranaense, Cruzeiro e Bahia receberão as partidas de volta das oitavas-de-final.

Reforçando que, em caso de empate no placar agregado, o vencedor será definido através da disputa de pênaltis. As data-base dessa fase da competição serão os dias 15, 22 e 29 de maio e 5 de junho.

A seguir, a relação dos confrontos dos duelos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019.

Corinthians (SP) x Flamengo (RJ)
Flamengo (RJ) x Corinthians (SP)

Internacional (RS) x Paysandu (PA)
Paysandu (PA) x Internacional (RS)

Vila Nova (GO) ou Juventude (RS) x Grêmio (RS)
Grêmio (RS) x Vila Nova (GO) ou Juventude (RS)

Atlético Mineiro (MG) x Santos (SP)
Santos (SP) x Atlético Mineiro (MG)

Sampaio Corrêa (MA) x Palmeiras (SP)
Palmeiras (SP) x Sampaio Corrêa (MA)

Fluminense (RJ) x Cruzeiro (MG)
Cruzeiro (MG) x Fluminense (RJ)

São Paulo (SP) x Bahia (BA)
Bahia (BA) x São Paulo (SP)

Fortaleza (CE) x Athletico Paranaense (PR)
Athletico Paranaense (PR) x Fortaleza (CE)

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Copa do Brasil 2019: confrontos da quarta fase definidos

Auditório da CBF, no Rio de Janeiro, local do sorteio dos confrontos da quarta fase da Copa do Brasil 2019. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou em sua sede, no Rio de Janeiro, na manhã desta sexta-feira (12), o sorteio que definiu os confrontos válidos pela quarta fase da Copa do Brasil 2019. Ao todo, dez clubes disputarão cinco vagas para dar continuidade no certame.

Com a presença de Manoel Flores, diretor de competições da entidade, como cerimonialista, o evento se deu início com ele explicando que, de acordo com o regulamento da competição (artigo nono, parágrafo quarto), que prevê a realização do sorteio para os duelos da quarta, assim como para a quinta e sexta fase, posteriormente. O diretor reforçou que o Bragantino, do Pará, e o Vila Nova, de Goiás, farão duas partidas que serão válidas pela terceira fase.

O sorteio deu início com as duas assistentes auxiliando Flores no sorteio das bolinhas, que tiveram a seguinte sequência: Juventude, Fluminense, Corinthians, Santos e Londrina e seus respectivos adversários: o vencedor do duelo entre Bragantino (PA) e Vila Nova, Santa Cruz, Chapecoense, Vasco e Bahia.

Após a definição dos duelos, o evento teve uma pausa de cerca de 20 minutos e, na volta, Manoel Flores justificou o motivo da pausa e destacou que é devido ao artigo 14 do regulamento do torneio que trata justamente sobre o mando de todos os jogos da quarta fase.

Conforme o sorteio que definiu os mandos de campo, ficou acertado de que Santos, Fluminense, Chapecoense, Bahia e Juventude abrem a série dos confrontos jogando em casa. Com isso, Vasco, Santa Cruz, Corinthians, Londrina e Bragantino (PA) ou Vila Nova decidirão os embates diante de suas torcidas.

Lembrando que os vencedores desta fase, seguirão para as oitavas-de-final e se juntarão às equipes que se classificaram para a Taça Libertadores da América (Grêmio, Internacional, Flamengo, Cruzeiro, Atlético Mineiro, Athletico Paranaense, Palmeiras e São Paulo), ao campeão brasileiro da Série B de 2018 (Fortaleza), ao vencedor da Copa do Nordeste do ano passado (Sampaio Corrêa) e ao último ganhador da Copa Verde (Paysandu).

A seguir, a relação dos confrontos válidos pela quarta fase da Copa do Brasil 2019.

Ida: Juventude (RS) x Bragantino (PA) ou Vila Nova (GO)
Volta: Bragantino (PA) ou Vila Nova (GO) x Juventude (RS)

Ida: Fluminense (RJ) x Santa Cruz (PE)
Volta: Santa Cruz (PE) x Fluminense (RJ)

Ida: Chapecoense (SC) x Corinthians (SP)
Volta: Corinthians (SP) x Chapecoense (SC)

Ida: Santos (SP) x Vasco (RJ)
Volta: Vasco (RJ) x Santos (SP)

Ida: Bahia (BA) x Londrina (PR)
Volta: Londrina (PR) x Bahia (BA)

Por Jorge Almeida

Encerrada a primeira fase do Campeonato Paulista: grandes se classificaram

Paulistão 2019: quartas-de-final já começa no próximo final de semana. Foto: Emílio Botta

O Campeonato Paulista 2019 teve a sua primeira fase encerrada com a realização da recheada 12ª rodada com os oito jogos sendo realizados simultaneamente na noite desta quarta-feira (20). Com isso, a rodada ajudou a definir o último classificado para as quartas-de-final* e quem se juntaria ao São Bento na queda para a Série A2. Destaque para o Red Bull Brasil, dono da melhor campanha no geral com 27 pontos e apenas uma derrota.

Dentre os jogos da rodada, possivelmente, o duelo entre São Caetano e São Paulo, realizado no Anacleto Campanella, foi o mais relevante, uma vez que os dois times tinham objetivos opostos no Paulistão: o Tricolor queria o resultado positivo e se classificar, enquanto o Azulão não poderia pensar em outro placar que não fosse a vitória para escapar da degola. Mesmo jogando mal, a equipe do Morumbi abriu o placar com o jovem Antony, mas o time do ABC Paulista chegou ao empate com Pablo. Ambos os gols saíram no segundo tempo. Com o empate em 1 a 1, o clube da capital chegou aos 15 pontos no grupo D, dois a menos que o Ituano, que será o seu adversário na sequência da competição. Possivelmente, o São Paulo fará o primeiro jogo no Morumbi e depois irá até Itu. Já para o São Caetano, com o empate, terminou sua participação no Estadual com apenas oito pontos, na penúltima colocação na classificação geral e disputará a Série A2 em 2020 junto com o já rebaixado São Bento.

Com chances, embora remotas, de conseguir o segundo lugar do grupo D, o Oeste recebeu o Mirassol na Arena Barueri e, assim como o seu concorrente pela vaga – o São Paulo -, empatou em 1 a 1, sendo que os tentos também saíram na etapa final. Fábio abriu o placar para os mandantes e Riccieli, por sua vez, igualou o marcador, frustrou com as pretensões do rubronegro de Barueri e ainda fez o suficiente para livrar o Leão mirassolense do rebaixamento ao voltar com esse pontinho precioso. Mesmo se vencesse a partida, o Oeste precisaria ter feito pelo menos quatro gols de diferença para ultrapassar o São Paulo nos critérios de desempate. O prêmio de consolação do Rubrão foi seguir na disputa pelo Troféu do Interior.

Maior campeão paulista dentre as equipes do interior, com dois títulos, o Ituano fez mais uma boa campanha e, mesmo derrotado pelo Corinthians no Novelli Júnior por 1 a 0, terminou na liderança do grupo D com 17 pontos. Com o gol marcado pelo “nunca criticado” Danilo Avelar, aos 33 minutos do segundo tempo, o Timão confirmou a liderança do grupo C, com 21 pontos. O adversário do atual bicampeão paulista nas quartas-de-final será a Ferroviária, que será a mandante do jogo de ida, em Araraquara.
O rival dos comandados de Fábio Carille na continuidade do Campeonato Paulista não passou de um empate em 1 a 1 diante do também classificado Grêmio Novorizontino. no Jorge Ismael de Biasi. Aliás, os dois times jogaram com suas equipes reservas e ambos decidirão fora de casa as quartas-de-final. A Locomotiva foi aos 18 pontos enquanto o Tigre do Vale terminou na vice-liderança do grupo B com 20 pontos, atrás do Palmeiras, que ficou com 25.

Dono da segunda melhor campanha da primeira fase, o Palmeiras jogou pro gasto e, com o time reserva, derrotou a Ponte Preta por 1 a 0, no Allianz Parque, com gol de Raphael Veiga, aos 35 minutos do segundo tempo. A Macaca, por sua vez, se manteve com 19 pontos e terminou sua participação no Paulistão no terceiro lugar do grupo A, atrás de Red Bull Brasil e Santos. Aliás, a situação peculiar da Ponte Preta na classificação deixa evidente a esdrúxula, para não falar outra coisa, forma de disputa dessa fase. A equipe de Campinas fez mais pontos, no geral, do que três equipes que estarão nas quartas-de-final: São Paulo (15 pontos), Ituano (com 17) e Ferroviária (com 18).

No Moisés Lucarelli, o Red Bull Brasil se deu ao luxo de jogar com o time reserva e, mesmo assim, ainda ganhou do Guarani por 2 a 1 e aumentou ainda mais a crise no Bugre. Os gols do Toro Loko foram anotados por Pio e Deivid, e Rondinelly descontou para o Guarani. O resultado positivo fez com que o Red Bull Brasil chegasse aos 27 pontos e ser o responsável pela melhor campanha da primeira fase do Campeonato Paulista, o que lhe dará a vantagem de ser o mandante no jogo de volta da próxima fase.

Assim como fez o seu adversário na sequência do Estadual, o Santos entrou em campo com o time reserva diante do Botafogo, no Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto. A Pantera, que precisava de um resultado positivo para fugir do rebaixamento, tirou proveito da situação e aplicou impiedosos 4 a 0, com três gols do inspirado Rafael Costa e outro de Erick, e botou para escanteio o fantasma da A2. Com o resultado, o Peixe perdeu a oportunidade de fazer a segunda melhor campanha do campeonato e se manteve com 23 pontos e receberá o Red Bull Brasil no Pacaembu na primeira partida das quartas-de-final.

Neste Paulistão, o São Bento foi o “saco de pancadas” e, antes da rodada derradeira, ainda não havia vencido no certame, mas foi justamente em sua despedida da Série A1 (entrou em campo já rebaixado) que o Bentão resolveu triunfar e, com gol de Fábio Bahia, chegou aos míseros sete pontos e, por pouco, não levou o Bragantino junto para a Série A2 ao derrotá-lo no Walter Ribeiro. O Braga só livrou-se da degola porque o São Caetano não venceu o São Paulo. Com 10 pontos, o Bragantino terminou na lanterna do grupo C e, mesmo assim, vai disputar o Troféu do Interior.

Com o encerramento da primeira fase, os classificados para as quartas-de-final do Campeonato Paulista 2019 foram (por ordem de grupos): Red Bull Brasil e Santos; Palmeiras e Novorizontino; Corinthians e Ferroviária; e Ituano e São Paulo. Disputarão o título do Troféu do Interior: Ponte Preta, Guarani, Mirassol, Bragantino, Oeste e Botafogo. E foram rebaixados as equipes do São Caetano e do São Bento.

A seguir, os resultados da 12ª rodada do Campeonato Paulista, a classificação final da primeira fase (por grupo) e os jogos das quartas-de-final.

Data – Horário – Jogo – Local:
20/03 – 21h30 – Ituano 0x1 Corinthians – Novelli Júnior, Itu
20/03 – 21h30 – Palmeiras 1×0 Ponte Preta – Allianz Parque, São Paulo
20/03 – 21h30 – São Caetano 1×1 São Paulo – Anacleto Campanella, São Caetano do Sul
20/03 – 21h30 – Botafogo 4×0 Santos – Santa Cruz, Ribeirão Preto
20/03 – 21h30 – São Bento 1×0 Bragantino – Walter Ribeiro, Sorocaba
20/03 – 21h30 – Oeste 1×1 Mirassol – Arena Barueri, Barueri
20/03 – 21h30 – Grêmio Novorizontino 1×1 Ferroviária – Jorge Ismael de Biasi, Novo Horizonte
20/03 – 21h30 – Guarani 1×2 Red Bull Brasil – Brinco de Ouro, Campinas

Classificação:
Pos. / Equipe / Pontos:
Grupo A:
1. Red Bull Brasil – 27 pontos
2. Santos = 23
3. Ponte Preta – 19
4. São Caetano – 8
Grupo B:
1. Palmeiras – 25
2. Novorizontino – 20
3. Guarani = 14
4. São Bento – 7
Grupo C:
1. Corinthians – 21
2. Ferroviária – 18
3. Mirassol – 11
4. Bragantino – 10
Grupo D:
1. Ituano – 17
2. São Paulo – 15
3. Oeste – 13
4. Botafogo – 11

Data – Horário – Jogo – Local:
23/03 – 17h – Novorizontino x Palmeiras – Jorge Ismael de Biasi, Novorizonte
23/03 – 19h30 – Santos x Red Bull Brasil – Pacaembu, São Paulo
24/03 – 16h – São Paulo x Ituano – Morumbi, São Paulo
24/03 – 19h – Ferroviária x Corinthians – Fonte Luminosa, Araraquara
26/03 – 20h – Red Bull Brasil x Santos – Moisés Lucarelli, Campinas
26/03 – 21h – Palmeiras x Novorizontino – Pacaembu, São Paulo
26/03 – 19h15 – Ituano x São Paulo – Novelli Júnior, Itu
26/03 – 21h30 – Corinthians x Ferroviária – Arena Corinthians, São Paulo

Boa sorte aos classificados.

* Texto atualizado às 12h de 21/03/2019.

Por Jorge Almeida

 

Corinthians: campeão do Troféu Gylmar dos Santos Neves 2019

Jogadores do Corinthians posam para a foto na Arena Corinthians. Foto: Marcos Ribolli

O Corinthians empatou com o Santos em 1 a 1 em amistoso realizado na Arena Corinthians na tarde deste domingo (13). Os gols da partida foram marcados no primeiro tempo por Gustavo, a favor do Timão, e Pedro Henrique (contra) empatou para o Peixe. Apesar da igualdade, o time da casa ficou com o Troféu Gylmar dos Santos Neves devido ao critério de desempate: um cartão amarelo a menos que o rival (4 a 3).

O jogo começou com o Corinthians mais disposto. E, logo aos quatro minutos, Gustavo, o Gustagol, abriu o placar. André Luís, um dos novos reforços do alvinegro de Parque São Jorge para a temporada, cruzou da direita na medida para o centroavante, que contou com o vacilo do zagueiro santista, que ficou a marcar a bola e o deixou livre para mergulhar e mandar a bola para as redes.

Três minutos depois do gol, Jadson deixou Gustavo em ótimas condições, Vítor Ferraz tentou fazer a falta, o camisa 19 seguiu no lance e chutou para defesa de Vanderlei.

Depois de sofrer um pouco com a pressão do rival, o time de Vila Belmiro foi equilibrando as ações e passou a incomodar mais o adversário. A primeira oportunidade santista veio aos 14 minutos. Jean Mota cruzou e Gustavo Henrique cabeceou para defesa de Cássio.

Aos 21, Vanderlei salvou o Santos de forma incrível. André Luís foi até a linha de fundo e cruzou com perfeição para Gustavo, que apareceu nas costas de Luiz Felipe para cabecear firme para baixo, como manda o figurino, mas Vanderlei fez uma defesaça e, no rebote, o arqueiro do Santos, de soco, tirou a bola e evitou o segundo gol do Corinthians.

Contudo, aos 24, Jean Mota cobrou falta da direita, alçou a bola na área, e, na disputa entre Gustavo Henrique e Pedro Henrique, o corinthiano desviou para as próprias redes. Empate santista.

A igualdade empolgou os comandados de Sampaoli, que passou a ficar mais com a bola e a investir pelo lado esquerdo da cancha, enquanto o Corinthians ficou mais recuado para sair em contragolpes.

O jogo seguiu com o alvinegro praiano tocando a bola visando passar pela defesa do Timão. Aos 41, foi a vez de outro reforço corinthiano, Ramiro, receber na área e arriscar um chute cruzado e mandar à direita da meta de Vanderlei. No entanto, o clássico terminou o primeiro tempo empatado em 1 a 1.

A etapa final começou um pouco sonolento, com os times não levando perigo às metas adversárias. Então, por volta dos 15 minutos, Fábio Carille resolveu fazer tirar todos os titulares para a entrada dos reservas.

Depois das substituições em massa, o jogo seguiu com as duas equipes tentando timidamente chegar ao gol. Walter e Vanderlei praticamente não foram mais exigidos. Aos 27, Gustavo Henrique travou no momento certo a finalização de Gustavo Silva (o ex-Mosquito, do Coritiba), em lance que poderia resultar em gol corinthiano.

Na altura dos 29 minutos foi a vez de Jorge Samapaoli fazer as substituições em massa. Com as duas equipes totalmente modificadas, o Santos ainda chegou a fazer o segundo gol aos 31 minutos, Noguera pegou o rebote da cabeçada de Gustavo Henrique na trave, mas a arbitragem já havia marcado impedimento na origem da jogada.

O time da Vila Belmiro pressionou, mas não conseguiu levar perigo à Walter, porém, antes do final do jogo, o Peixe teve três jogadores amarelados, o que permitiu que o Corinthians ficasse à frente nos critérios de desempate. Assim, o clássico foi até os 47 minutos e o empate persistiu. Final de jogo na Arena Corinthians: Corinthians 1, Santos 1. Com uma advertência a menos, o Timão ficou com o Troféu Gylmar dos Santos Neves de 2019.

O argentino Jorge Sampaoli colocou em prática mais uma vez o esquema tático que deu certo na seleção chilena: adiantou a equipe e valorização da posse de bola. No entanto, faltou qualidade na criação, o que culmina com a insistência do treinador em pedir reforços para a diretoria do Santos. Apesar de manter mais a posse da bola, o Peixe não conseguiu superar o ferrolho da defesa corinthiana que, por sua vez, mesmo jogando em casa, jogou mais recuado para apostar em contra-ataques. No entanto, já era de se esperar por parte do time de Carille. Pois, assim como na primeira passagem vitoriosa, o treinador vai trabalhar firme para ajustar o sistema defensivo do Corinthians. O Timão encontrou uma certa dificuldade nas ações de ataque, pois não conseguia segurar a bola na frente e, mais uma vez, como foi no segundo semestre de 2018, a defesa voltou a falhar e permitiu o empate santista. E, com o bom desempenho de Gustagol, mais a presença de Boselli, que não jogou hoje para resolver questões particulares no México, e uma possível vinda de Vagner Love, Fábio Carille terá que quebrar a cabeça para definir o ataque do Corinthians.

As duas equipes voltam a campo no final de semana na estreia do Campeonato Paulista 2019. O Santos receberá a Ferroviária no sábado (19), às 17h, na Vila Belmiro. No mesmo horário, mas no domingo (20), o Corinthians medirá forças contra o São Caetano em sua arena, em Itaquera.

E sobre o Troféu Gylmar dos Santos Neves. Trata-se de uma homenagem a um dos maiores goleiros do futebol mundial de todos os tempos e que deixou seu nome na história dos dois clubes – não à toa que o troféu tem o formato de uma luva de goleiro. Pelo Timão, o goleiro, nascido em Santos, conquistou três campeonatos paulistas e dois torneios Rio-São Paulo na década de 1950, e, pelo Santos, foram cinco Paulistas, quatro Taças Brasil, um Roberto Gomes Pedrosa, três torneios Rio-São Paulo, duas Libertadores e duas Copas Intercontinentais. Além disso, pela Seleção Brasileira, Gylmar tem duas Copas do Mundo no currículo – 1958 e 1962.

A seguir, a ficha técnica do amistoso.

FICHA TÉCNICA: CORINTHIANS 1×1 SANTOS
Competição/Fase:
Troféu Gylmar dos Santos Neves – jogo único (amistoso)
Local: Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Data: 13 de janeiro de 2019, domingo – 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Vinícius Furlan
Auxiliares: Marco Antônio Motta e Evandro Lima
Cartões Amarelos: Ramiro, Thiaguinho e Araos (Corinthians); Victor Ferraz, Daniel Guedes, Guilherme Nunes e Yuri Alberto (Santos)
Gols: Gustavo, aos 4 min (1-0); e Pedro Henrique (contra), aos 24 min do 1º tempo (1-1)
CORINTHIANS: 12.Cássio (27.Walter); 23.Fagner (2.Michel Macedo), 3.Henrique (13.Marllon), 34.Pedro Henrique (14.Léo Santos) e 35.Danilo Avelar (22.Mateus Vital); 28.Ramiro (20.Thiaguinho), 26.Richard (30.Douglas), 18.Sornoza (13.Marquinhos) e 10.Jadson (16.Araos); 29.André Luís (32.Gustavo Silva) e 19.Gustavo (9.Roger). Técnico: Fábio Carille
SANTOS: 1.Vanderlei; 4.Vítor Ferraz (38.Daniel Guedes), 2.Luís Felipe (30.Fabián Nogueira), 6.Gustavo Henrique e 15.Orinho (25.Yuri Lima); 5.Alison (18.Guilherme Nunes), 3.Jean Mota (23.Artur Gomes) e 21.Diego Pituca (36.Copete); 17.Derli Gonzalez (7.Carlos Sánchez), 11.Bruno Henrique (29.Yuri Alberto) e 9.Felipe Cardoso (27.Eduardo Sacha). Técnico: Jorge Sampaoli

Por Jorge Almeida

Atlético Huila: campeão da Copa Libertadores da América Feminina de 2018

As jogadores do Atlético Huila comemoram o título inédito da Libertadores Feminina conquistado diante do Santos. Foto: Mauro Neto/Sejel

Em uma disputa de pênaltis, as meninas do Atlético Hulia, da Colômbia, derrotaram as sereias do Santos por 5 a 3 na final da Copa Libertadores de América Feminina 2018, após empate em 1 a 1 no tempo normal, na noite deste domingo (2), na Arena da Amazônia, em Manaus. Os gols da partida foram marcados por Brena, para as santistas, enquanto Santos anotou para as auriverdes. Nos pênaltis, Angelina parou em Solera e as colombianas converteram todos os seus tiros penais na série de cinco. Foi o primeiro título da competição conquistado pelo futebol colombiano na categoria.

Na Arena da Amazônia, parte dos torcedores ainda estavam a se acomodar em suas dependências quando o primeiro gol da partida saiu. Com menos de dois minutos, a meia Brena recebeu da entrada da área, arriscou o chute e abriu o placar na decisão a favor do Santos.

Mesmo com a vantagem adquirida logo de cara, as Sereias seguiram no ataque e criaram mais oportunidades. Aos 13, Maurine cobrou escanteio para a cabeçada de Carol Arruda ir por cima do gol. Quatro minutos depois, foi a vez de Alanna atacar e bater rasteiro para a defesa da goleira Solera, que deu rebote e, na sobra, Ketlen foi flagrada em impedimento. Em seguida, aos 18, foi a vez de Maria arriscar de primeira e mandar perto do gol. O Santos seguiu sufocando o Atlético Huila. Aos 21, Maurine cobrou falta de longe e a redonda caprichosamente acertou o travessão.

Depois do predomínio do time paulista, as colombianas tiveram uma ótima oportunidade aos 29. Salavar cobrou falta em direção a área e Peñaloza mandou para fora. Em seguida, o time praiano pressionou, mas parou na marcação da defesa auriverde colombiana.

Antes do final do primeiro tempo, o Santos ainda criou mais três chances.  Aos 37, Brena, sem marcação, arriscou de longe, mas Solera fez a defesa. Depois, aos 40, Angelina tentou da entrada da área e mandou para fora. E, aos 43, Maurine cobrou falta, que foi para fora. Então, de forma superior e incontestável, o clube brasileiro foi para o intervalo com a vantagem mínima, mas que poderia ter sido maior.

Na volta para o segundo tempo, o técnico Albeiro Erazo, de Las Opitas, promoveu duas alterações logo de cara: saíram Quintero e Peñaolza e entraram Stabile e Córdoba. As trocas surtiram efeito de imediato. Assim como o gol-relâmpago santista no primeiro tempo, o Atlético Huila chegou ao empate com menos de dois minutos. Após cruzamento na área, Gavy Santos levou a melhor sobre a goleira Nicole, que “caçou borboleta” no lance, e empatou a partida: 1 a 1.

A igualdade motivaram as colombianas que, logo depois, aos quatro, assustaram por meio do chute de Rincón, mas a arqueira santista fez a defesa em dois tempos. E, mais tarde, aos oito, o clube de Neiva acertou o travessão do Santos com Caracas após pegar o rebote e arriscar.

Depois de ter sentido o gol, as Sereias chegaram bem ao ataque aos 13 minutos com Alanna, que avançou pela direita e cruzou para a defesa da goleira. A partir de então, as duas equipes se alternaram nas oportunidades de gol. Aos 17, Nicole falhou na saída na disputada na pequena área, mas se redimiu ao pegar a bola no rebote. Na sequência, aos 20, Maurine cobrou falta, a redonda passou por todo mundo, e Camila, sozinha, não conseguiu mandar para as redes.

O Atlético Huila também perdeu um gol feito. Aos 25, Córdoba recebeu em velocidade e, na tentativa de encobrir Nicole, mandou por cima do gol. Cinco minutos depois, Rincón cobrou falta e a camisa 12 santista defendeu.

E, de fato, a decisão da Libertadores Feminina estava indo para os pênaltis e a peleja chegou naquela parte em que ninguém quer se arriscar mais para não correr riscos. Contudo, o Santos tentou pressionar para, quem sabe, chegar ao gol da vitória e conquistar o tricampeonato. Aos 38, Maria partiu pela direita, tentou cruzar e, meio sem querer, mandou a bola na direção do gol e quase surpreendeu Solera. Três minutos depois, Sandrinha acionou Rosana, que não conseguiu alcançar. Aos 43, a camisa 9 alvinegra tentou levar a melhor com a goleira em cruzamento feito por Maria, mas Solera soltou a bola e a recuperou rapidamente.

Nos momentos finais, aos 45, Alanna desperdiçou outra ótima oportunidade. Maurine cruzou, a esférica passou por todo mundo e a camisa 10, desmarcada, mandou por cima do gol. No entanto, a partida foi até os 49 minutos e ficou mesmo em 1 a 1 e, consequentemente, para a disputa de pênaltis.

Nas cobranças, as colombianas foram mais eficientes e converteram todas as cobranças, com Rodallega, Stabile, Vallejos, Cometti e Rincón, enquanto as brasileiras acertaram os três primeiros penais com Maurine, Camila e Juliete. Porém, Solera defendeu a cobrança de Angelina e impediu que as meninas da Vila faturasse o tricampeonato. Final de jogo na Arena da Amazônia: Santos 1, Atlético Huila 1, com vitória das auriverdes nos pênaltis por 5 a 3. Esse foi o primeiro título do futebol colombiano na competição em dez edições realizadas.

O Santos havia feito uma campanha impecável nessa Libertadores. Em quatro partidas, a equipe brasileira estava com 100% de aproveitamento e 16 gols feitos em quatro partidas. Na decisão do certame, diante das aguerridas colombianas do Atlético Hulia, as Sereias pareciam consolidar o favoritismo ao abrir o placar logo no início do jogo e, tecnicamente superiores à adversária, as garotas santistas não souberam reverter isso no placar que poderia ter terminado com um resultado mais delatado. No entanto, no segundo tempo, o Atlético Huila chegou ao empate da mesma forma e, na base da superação e da raça conseguiu surpreender as Sereias e, se tivesse caprichado um pouquinho mais, poderia ter ficado com o título no tempo normal, mas foi recompensada nos pênaltis graças a goleira Solera, que pegou a cobrança de Angelina, enquanto as suas colegas se encarregaram de marcarem suas cobranças. E o título não veio de graça para o clube colombiano. Se classificaram para as semifinais pelo grupo A que tinha a participação do Audax, último campeão do torneio, e, na semifinal, eliminou a equipe anfitriã da competição, o Iranduba nos pênaltis.

A seguir, o resumo da campanha das campeãs e a ficha técnica da decisão.

Primeira Fase (Grupo A);
19/11 – Atlético Huila (COL) 3×0 Peñarol (URU) – Arena da Amazônia, Manaus (AM)
22/11 – Audax (BRA) 1×0 Atlético Huila (COL) – Arena da Amazônia, Manaus (AM)
25/11 – Unión Española (VEN) 1×3 Atlético Huila (COL) – Estádio Roberto Simonsen, Manaus (AM)
Semifinal:
29/11 – Iranduba (BRA) (1)1×1(3) Atlético Huila (COL) – Arena da Amazônia, Manaus (AM)
Final:
02/12 – Santos (BRA) (3)1×1(5) Atlético Huila (COL) – Arana da Amazônia, Manaus (AM)

FICHA TÉCNICA: SANTOS (BRA) (3)1×1(5) ATLÉTICO HUILA (COL)
Competição/Fase: Copa Libertadores Feminina 2018 – final (jogo único)
Data: 2 de dezembro de 2018, domingo – 21h30 (horário de Brasília)
Local: Arena da Amazônia, Manaus (AM)
Árbitro: Zulma Quiñónez (PAR)
Auxiliares: Laura Miranda (PAR) e Nadia Weiler (PAR)
Cartões Amarelos: Rosana (Santos); Cometti e Salazar (Atlético Huila)
Gols: Brena, aos 2 min do 1º tempo (1-0); e Santos, aos 2 min do 2º tempo (1-1)
Pênaltis convertidos: Maurine, Camila e Juliete (Santos); Rodallega, Stabile, Vallejos, Cometti e Rincón (Atlético Huila)
Pênalti desperdiçado: Angelina (Santos)
SANTOS (BRA): 12.Nicole; 4.Maurine, 2.Carol Arruda, 6.Camila e 3.Juliete; 5.Brena (7.Chú), 8.Sandrinha, 17.Angelina e 10.Alanna; 11.Ketlen (9.Rosana) e 20.Maria. Técnica: Emily Lima
ATLÉTICO HUILA (COL): 22.Solera; 5.Rodallega, 13.Gavy Santos, 20.Cometti e 15.Caracas; 16.Peñazola (11.Córdoba), 19.Vallejos, 8.Salazar e 14.Quintero (3.Stabile); 10.Rincón e 9.Viso. Técnico: Albeiro Erazo

Parabéns ao Club Desportivo Atlético Huila pelo título.

Por Jorge Almeida

CBF define os confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil 2018

CBF realizou sorteio dos confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil em sua sede. Créditos: CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou nesta quarta-feira (30), em sua sede, no Rio de Janeiro, o sorteio dos confrontos pelas quartas-de-final da Copa do Brasil 2018, assim como os mandos dos jogos de ida da próxima fase. Contudo, dois duelos das oitavas-de-final seguem indefinidos – Vasco x Bahia e Cruzeiro x Atlético Paranaense, embora baianos e mineiros estão em vantagem devido aos triunfos conquistados na partida de ida.

O adversário do Palmeiras nas quartas-de-final, na teoria, tem tudo para ser o Bahia, pois o Tricolor da Boa Terra superou o Vasco na primeira partida por 3 a 0, na Fonte Nova, em Salvador, e só disputará o jogo de volta no dia 16 de julho, um dia após a decisão da Copa do Mundo. Quem passar desse embate será o mandante do primeiro jogo das quartas-de-final diante do alviverde paulista, que deixou o América Mineiro pelo caminho.

Outro duelo das oitavas-de-final que ainda está em aberto é Cruzeiro x Atlético Paranaense. A Raposa venceu o Furacão por 2 a 1, na Arena da Baixada, em Curitiba, e joga pelo empate no compromisso de volta, no dia 16 de julho, no Mineirão. Quem avançar dos dois terá o Santos pela frente nas quartas-de-final. O Peixe, que passou pelo Luverdense na fase anterior, mandará o primeiro jogo.

Enquanto isso, do outro lado da chave, a situação dos confrontos está tudo definido. O Corinthians fará um duelo inédito na Copa do Brasil diante da Chapecoense. O Timão, que eliminou o Vitória do torneio, será o mandante do jogo de ida, possivelmente na Arena Corinthians, e decidirá a vaga para as semifinais na Arena Condá, casa da Chape, que superou o Atlético Mineiro nos pênaltis nas oitavas-de-final.

Flamengo e Grêmio já é um velho confronto conhecido da história da Copa do Brasil. As duas equipes já fizeram uma final da competição, em 1997, que culminou com o terceiro título gremista. Em 2018, pelas quartas-de-final, tricolores e rubronegros medirão forças em 180 minutos, cuja metade terá início na Arena do Grêmio e depois, provavelmente, no Maracanã.

Assim, dependendo das combinações dos resultados, nas semifinais e na final, a Copa do Brasil 2018 poderá ter reedições de decisões do certame. Eis algumas delas: Corinthians x Grêmio nas semifinais (os dois já fizeram duas decisões: em 1995 e em 2001, com um vencedor para cada lado); Palmeiras x Santos – os dois foram os finalistas em 2015, quando o Verdão ficou com a taça; Palmeiras x Cruzeiro – ambos foram protagonistas das decisões de 1996 e 1998, com um título para cada; em caso de final, a CB-18 poderá reeditar Flamengo x Vasco, que decidiram o torneio em 2006; Flamengo x Cruzeiro, finalistas em 2003 e 2017; ou, ainda, Grêmio x Cruzeiro, que duelaram a final de 1993.

A Copa do Brasil ainda poderá reservar possíveis clássicos estaduais nas próximas fases. Mas só há quatro possíveis combinações: nas semifinais com Palmeiras e Santos desde que, claro, ambos passem; ou na final com Corinthians x Palmeiras ou Corinthians x Santos e também Flamengo x Vasco. Reforçando: desde que essas equipes cheguem até lá. Na história da Copa do Brasil, em 30 edições (contando com a vigente), somente em três finais que duas equipes do mesmo Estado disputaram o título. Em 2006, com Flamengo e Vasco, com o rubronegro vitorioso; em 2014, entre Atlético Mineiro e Cruzeiro, cuja taça ficou com o Galo; e em 2015, envolvendo Palmeiras e Santos, sendo o alviverde o campeão na ocasião.

Com o chaveamento fixado, já dá para saber os possíveis embates até a final do torneio. Por exemplo, quem passar do duelo entre Corinthians x Chapecoense enfrentará nas semifinais o ganhador de Grêmio x Flamengo. Enquanto isso, do outro lado, quem vencer do confronto entre Bahia ou Vasco e Palmeiras fará a outra semifinal do vitorioso do embate entre Cruzeiro ou Atlético Paranaense x Santos.

Curiosamente, os maiores campeões da Copa do Brasil seguem no páreo: os pentacampeões Cruzeiro e Grêmio, juntamente com os tricampeões Corinthians, Flamengo e Palmeiras, além de Santos e Vasco, donos de um título cada. Enquanto isso, Bahia, Chapecoense e Atlético Paranaense buscam pela conquista inédita.

As datas previstas para a disputa dos jogos das quartas-de-final são: 1º, 8, 15 e 29 de agosto. Antes, no dia 16 de julho, as últimas duas vagas serão preenchidas.

Confira os duelos de ida:

Corinthians (SP) x Chapecoense (SC)
Grêmio (RS) x Flamengo (RJ)
Bahia (BA) ou Vasco (RJ) x Palmeiras (SP)
Santos (SP) x Atlético (PR) ou Cruzeiro (MG)

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

Encerrada a fase de grupos da Copa Libertadores da América 2018

16 equipes seguem na busca do troféu mais cobiçado da América do Sul

Com a realização de seis partidas válidas pelos grupos dois, seis e sete pela sexta rodada disputada nesta quinta-feira (24), a fase de grupos da Copa Libertadores da América 2018 foi encerrada. Ao todo, dezesseis equipes seguem no torneio em busca do troféu mais cobiçado do continente. Brasileiros e argentinos dominam o torneio (12 dos classificados são dos dois países).

Dos representantes brasileiros, só o Vasco não se classificou (a Chape havia ficado na fase preliminar), porém, por ter ficado em terceiro de seu grupo, foi contemplado para disputar a Copa Sulamericana. E, dentre os clubes do Brasil, que seguem no torneio, apenas o Flamengo que não terminou na liderança de seu grupo. Porém, o rubronegro carioca juntamente com Palmeiras, River Plate e Grêmio seguem como únicos invictos do certame. Em meio aos 16 classificados, somente Cerro Porteño, Libertad e Atlético Tucumán não sentiram o gostinho de conquistar a América. Por outro lado, os tradicionais Peñarol, Nacional e Vasco são os que tiveram o oportunidade de ganhar o torneio, mas que ficaram pelo caminho em 2018.

No grupo A, o atual campeão Grêmio confirmou o favoritismo e terminou na liderança com 14 pontos. Na quarta-feira (23), a equipe de Renato Gaúcho bateu o Defensor em sua arena por 1 a 0. Além dele, o Cerro Porteño derrotou o Monagas por 3 a 2, em Assunção, e chegou aos 13 pontos. O terceiro lugar ficou com o Defensor que, com quatro pontos, vai disputar a Copa Sulamericana.

O disputado grupo 2 terminou com o Atlético Nacional, da Colômbia, e os chilenos do Colo-Colo classificados. No Atanasio Girardot, em Medelín, as duas equipes se enfrentaram e o empate em 0 a 0 serviu para ambos. Com dez pontos, os Verdolagas ficou à frente do time cacique, que foi a oito e, se avançou, graças ao saldo de gols em relação ao terceiro colocado, o Bolívar. Com a mesma pontuação do Colo-Colo, os bolivianos bateu o Delfín em La Paz por 2 a 1 e chegou aos mesmos oito pontos, mas o saldo negativo em três gols fez com que o clube mais popular da Bolívia encerrasse a fase em terceiro.

A situação do grupo 3 foi resolvida na semana passada. No dia 17, o Libertad e o Atlético Tucumán empataram em 0 a 0 e se classificaram. Os paraguaios encerraram na liderança, com 13 pontos, e os argentinos em segundo, com dez, Na outra partida do grupo, o tradicionalíssimo Peñarol derrotou o The Strongest por 2 a 0 em Montevidéu e atingiu os nove pontos, contudo, o “pontinho precioso” conquistado pelo Tucumán em Assunção foi primordial para tirar os detentores de cinco Libertadores do páreo.

River Plate e Flamengo confirmaram o favoritismo e seguem na competição. As duas equipes mediram forças na quarta-feira (23) e o empate sem gols no Monumental de Núñez deixou os Millonarios na ponta do grupo 4 com 12 pontos, seguido do rubronegro com dez. Restou ao Santa Fé, que derrotou o Emelec fora de casa por 3 a 0 e foi a sete pontos, a vaga para a Sulamericana. Aliás, o clube equatoriano foi o verdadeiro saco de pancadas do grupo, pois, em seis jogos foram cinco derrotas e apenas um ponto ganho.

O grupo 5, que já tinha Cruzeiro e Racing classificados antecipadamente, teve a rodada derradeira disputada na terça-feira (22). O que entrou em disputa nos dois jogos foi a liderança e quem iria disputar a Copa Sulamericana. No Mineirão, o Cruzeiro engatou uma sequência de três vitórias consecutivas ao ganhar do Racing por 2 a 1. Os dois times terminaram com 11 pontos na liderança do grupo, mas a Raposa, por ter um saldo de gols maior, ficou em primeiro. O Vasco foi até o Estádio Nacional, em Santiago, e triunfou a Universidad de Chile por 2 a 0. O resultado levou os cruzmaltinos aos cinco pontos, a mesma pontuação do adversário, mas o saldo de gols, apesar de negativo, ainda foi melhor que o dos chilenos e, por isso, o terceiro lugar (agradeça os 7 a 0 que o Cruzeiro fez na LaU na quarta rodada, Vasco!).

Apesar de ter sido o único a começar a rodada já classificado pelo grupo 6, o Santos teve uma atuação sofrível diante do fraco Real Garcilaso, na Vila Belmiro nesta quinta-feira (24). O Peixe empatou em 0 a 0 contra o Raza Celeste, mas o resultado não lhe tirou a liderança. Com dez pontos, o clube praiano não foi alcançado pelo segundo colocado, que ficou com o Estudiantes de La Plata. Os Pincharratas, que fizeram um confronto direto contra o Nacional, do Uruguai, derrotaram o seu concorrente por 3 a 1 em casa e fez oito pontos, a mesma pontuação dos uruguaios, mas por um gol a mais no saldo ficou na vice-liderança. Para consolo dos Decanos, restou a Copa Sulamericana.

Assim como o Santos, o seu rival paulista Corinthians jogou na quinta e também já classificado no grupo 7. Mas, diferentemente do alvinegro praiano, o Timão foi derrotado na Arena Corinthians por 1 a 0 para o Millonarios, da Colômbia, na primeira partida de Osmar Loss, após a saída de Fábio Carille para o futebol árabe. Mesmo com o revés, o Coringão, com dez pontos, dividiu a liderança do grupo com o Independiente, que faturou o Deportivo Lara em casa por 2 a 0. E, nos mesmos moldes que alguns grupos, o saldo de gols foi favorável ao Corinthians (6 a 2). A vitória dos Embaixadores em Itaquera ajudou a levar a equipe para a Sulamericana, uma vez que, se o Timão tivesse ganhado, quem iria para a outra competição do continente seria o representante venezuelano.

E, finalmente, o grupo 8, que, na verdade foi o primeiro a ser definido, no dia 16, teve o Palmeiras e Boca Juniors classificados. Dono da melhor campanha do torneio, o alviverde derrotou o Junior Barranquilla por 3 a 1 no Allianz Parque e, com cinco vitórias e um empate, a equipe paulista deu uma “mãozinha” para os Xeneizes que, em La Bombonera, meteram 5 a 0 no Alianza Lima. A ajuda palmeirense garantiu o segundo lugar ao seu algoz das Libertadores de 2000 e 2001, que foi a nove pontos e deixou os Tiburones, com sete, em terceiro.

Dessa forma, a Copa Libertadores seguirá após a Copa do Mundo com a realização dos jogos das oitavas-de-final e, convenhamos, as chances de um confronto entre brasileiros e argentinos já na primeira parte do “mata-mata” são grandes. Porém, com a conclusão da fase de grupos, a Conmebol fará o sorteio para definir o chaveamento dos classificados no próximo dia 4 de junho em sua sede, em Luque, no Paraguai e, conforme o regulamento, a pontuação obtida na fase de grupos serve para a definição dos mandos de campo até a final, com as equipes melhores posicionadas sempre realizando o jogo de volta como local. Por exemplo, se o Palmeiras, dono da melhor campanha da fase de grupos, chegar à decisão, independentemente da trajetória de seu adversário na final, mandará o “jogo da taça” em sua casa.

A seguir, a relação dos classificados para as oitavas-de-final da Copa Libertadores, os contemplados para a Copa Sulamericana, os resultados da sexta rodada e a classificação final de cada grupo.
Primeiros colocados (por ordem de grupo): Grêmio (BRA), Atlético Nacional (COL), Libertad (PAR), River Plate (ARG), Cruzeiro (BRA), Santos (BRA), Corinthians (BRA) e Palmeiras (BRA).
Segundos colocados (por ordem de grupo): Cerro Porteño (PAR), Colo-Colo (CHI), Atlético Tucumán (ARG), Flamengo (BRA), Racing (ARG), Estudiantes (ARG), Independiente (ARG) e Boca Juniors (ARG).
Classificados para a Copa Sulamericana (por ordem de grupo): Defensor (URU), Bolívar (BOL), Peñarol (URU), Santa Fé (COL), Vasco (BRA), Nacional (URU), Millonarios (COL) e Junior Barranquilla (COL).

Data – Jogo – Local:
16/05 – Palmeiras (BRA) 3×1 Junior Barranquilla (COL) – Allianz Parque, São Paulo (BRA)
16/05 – Boca Juniors (ARG) 5×0 Alianza Lima (PER) – La Bombonera, Buenos Aires (ARG)
17/05 – Libertad (PAR) 0x0 Atlético Tucumán (ARG) – Dr. Nicolás Leoz, Assunção (PAR)
17/05 – Peñarol (URU) 2×0 The Strongest (BOL) – Campeón del Siglo, Montevidéu (URU)
22/05 – Universidad de Chile (CHI) 0x2 Vasco (BRA) – Nacional, Santiago (CHI)
22/05 – Cruzeiro (BRA) 2×1 Racing (ARG) – Mineirão, Belo Horizonte (BRA)
23/05 – Grêmio (BRA) 1×0 Defensor (URU) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (BRA)
23/05 – Cerro Porteño (PAR) 3×2 Monagas (VEN) – General Pablo Rojas, Assunção (PAR)
23/05 – River Plate (ARG) 0x0 Flamengo (BRA) – Monumental de Núñez, Buenos Aires (ARG)
23/05 – Emelec (EQU) 0x3 Santa Fé (COL) – George Capwell, Guaiaquil (EQU)
24/05 – Atlético Nacional (COL) 0x0 Colo-Colo – Atanasio Girardot, Medelín (COL)
24/05 – Bolívar (BOL) 2×1 Delfín (EQU) – Hernando Siles, La Paz (BOL)
24/05 – Estudiantes de La Plata (ARG) 3×1 Nacional (URU) – Ciudad de La Plata, La Plata (ARG)
24/05 – Santos (BRA) 0x0 Real Garcilaso (PER) – Vila Belmiro, Santos (BRA)
24/05 – Independiente (ARG) 2×0 Deportivo Lara (VEN) – Libertadores da América, Avellaneda (ARG)
24/05 – Corinthians (BRA) 0x1 Millonarios (COL) – Arena Corinthians, São Paulo (BRA)

Classificação:
Equipe / Pontos:
Grupo A:
1. Grêmio (BRA) – 14 pontos
2. Cerro Porteño (PAR) – 13
3. Defensor (URU) – 4
4. Monagas (VEN) – 3

Grupo 2:
1. Atlético Nacional (COL) – 10
2. Colo-Colo (CHI) – 8
3. Bolívar (BOL) – 8
4. Delfín (VEN) – 7

Grupo 3:
1. Libertad (PAR) – 13
2. Atlético Tucumán (ARG) – 10
3. Peñarol (URU) – 9
4. The Strongest (BOL) – 3

Grupo 4:
1. River Plate (ARG) – 12
2. Flamengo (BRA)- 10
3. Santa Fé (COL) – 7
4. Emelec (EQU) – 1

Grupo 5:
1. Cruzeiro (BRA) – 11
2. Racing (ARG) – 11
3. Vasco (BRA) – 5
4. Universidad de Chile (CHI) – 5

Grupo 6:
1. Santos (BRA) – 10
2. Estudiantes (ARG) – 8
3. Nacional (URU) – 8
4. Real Garcilaso (PER) – 6

Grupo 7:
1. Corinthians (BRA) – 10
2. Independiente (ARG) – 10
3. Millonarios (COL) – 8
4. Deportivo Lara (VEN) – 6

Grupo 8:
1. Palmeiras (BRA) – 16
2. Boca Juniors (ARG) – 9
3. Junior Barranquilla (COL) – 7
4. Alianza Lima (PER) – 1

Parabéns aos classificados.

Por Jorge Almeida