Exposição “Correspondência” no Conjunto Nacional

“Sant’ana e Iemanjá, Rio Vermelha, BA”, obra de João Galera em exibição no Conjunto Nacional. Foto: Jorge Almeida

O Espaço Cultural do Conjunto Nacional promove até o próximo domingo, 30 de julho, a exposição “Correspondência”, que traz cerca de 30 obras, entre desenhos, aquarelas e cartas dos artistas João Galera e Julia Malta, que são expostos em um formato de troca poética de contrapartidas, que procedem em relatos visuais de viagens, apresentando lugares em locais afastados ou dentro de si próprios.

João Galera é formado em agronomia e cursou doutorado em atropologia na Espanha e elaborou a tese em uma comunidade indígena no México. Suas atribuições são múltiplas: desenho, costura, colagem e pintura.

Enquanto Julio Malta aplica-se à construção de narrativas visuais autobiográficas, lançado textos, desenhos, pequenos objetos e esculturas. Para esta exposição, exibe aquarelas sobre papel que, definida pela própria, como correspondências poéticas.

Entre os destaques estão “Sant’Ana e Iemanjá, Rio Vermelho, Salvador” (foto), de João Galera, obra feita em caneta nanquim sobre papel em 2017; “Burrico da Ilha de Boipeba, Bahia” (2017), outra obra de João composta por nanquim e aquarela sobre papel; e “Primavera” (2017), de Julia Malta, constituída por caneta/pincel sobre Canson.

SERVIÇO:
Exposição:
Correspondências
Onde: Espaço Cultural do Conjunto Nacional – Avenida Paulista, 2073
Quando: até 30/07/2017; de segunda a sábado, das 7h às 22h; domingos e feriados, das 10h às 22h
Quanto: entrada gratuita

Anúncios

Exposição “Piauí – A Mão Livre Que Elabora” no Conjunto Nacional

Vista parcial da exposição no Espaço Cultural do Conjunto Nacional. Foto: Jorge Almeida

A mostra “Piauí – A Mão Livre Que Elabora” está em cartaz até o próximo sábado, 1º de julho, e reúne cerca de 20 esculturas de madeira. A exposição é organizada pela CAMEDE (Cooperativa de Artesanato Mestre Dezinho).

As esculturas propõem um olhar de maneira histórica para os grandes criadores, os geniais que o tempo coube de se consagrar, paralelamente em que apresenta novos artistas, cuja produção dirige para a esperança de futuros criadores, hoje evoluindo com a mesma engenhosidade dos que os ensinaram a operar. A arte piauiense reinventa-se no tempo, surpreendendo o olhar apurado de críticos, colecionadores e entusiastas da expressão popular pura.

Os artistas do Nordeste não se suprimem em criatividade e rigor técnico. Transitam pela arte popular com excelência e habilidade, com uma pulsão de formosura nobre, em representações só plausíveis quando saídas de mãos excepcionais como a do Mestre Dezinho, Mestre Expedito e Mestre Cornélio, para citar apenas três expoentes que abriram caminho para outros artistas.

SERVIÇO:
Exposição:
Piauí – A Mão Livre Que Elabora
Onde: Espaço Cultural do Conjunto Nacional – Avenida Paulista, 2073
Quando: até 30/06/2017; de segunda a sábado, das 7h às 22; domingo, das 10h às 22h
Quanto: entrada gratuita

Exposição “Ser Urbano” no Conjunto Nacional

Foto de Fernanda Borges em exibição no Conjunto Nacional. Créditos: divulgação

O Espaço Cultural do Conjunto Nacional apresenta até a próxima sexta-feira, 30 de junho, a mostra “Ser Urbano”, que traz cerca de 40 fotografias da cidade de São Paulo elaboradas por diversos fotógrafos.

De acordo com o curador Marcos Varanda, “em São Paulo, na Avenida Paulista, dentro do Conjunto Nacional, a diversidade das imagens busca dialogar com milhares de pessoas que transitam no edifício diariamente, evidenciando toda a dinâmica do que é Ser Urbano”.

Entre os participantes da exposição estão os fotógrafos Daniel Schneider, Walter Firmo, Fernanda Burgos, Victor Dragonetti (Drago), Gal Oppido, Marcia Ulls, Mariana Seber, Marcos Monteiro, entre outros.

Em meio aos destaques estão os registros de Fernanda Borges (foto), do lisboeta Luis Pereira e Ricardo Rojas, que captou imagens do Metrô de São Paulo.

SERVIÇO:
Exposição:
Ser Urbano
Onde: Espaço Cultural do Conjunto Nacional – Avenida Paulista, 2073
Quando: até 30/06/2017; de segunda a sábado, das 7h às 22; domingo, das 10h às 22h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

Exposição “Viver, Conviver & Reviver” no Conjunto Nacional

Painéis com fotos do projeto Itaú Viver Mais no Conjunto Nacional. Foto: Jorge Almeida

O Espaço Cultural do Conjunto Nacional realiza até o próximo sábado, 17 de junho, a exposição “Viver, Conviver & Reviver”, que traz 112 imagens feitas pelo fotógrafo Thomas Baccaro. Os registros são de pessoas acima dos 55 anos, que buscam apresentar o envelhecimento saudável, entre vários aspectos da vida na melhor idade. A mostra é promovida pelo Itaú Viver Mais.

O programa, criado em 2004, foi desenvolvido especialmente para pessoas com 55 anos ou mais, com o intuito de promover o convívio, diversão e aprendizado por meio de atividades físicas e socioculturais, tendo sempre em mente as necessidades e pretensões próprias de um público maduro e com muita personalidade.

O projeto tem como base três pilares, viver, conviver e reviver – daí o nome da mostra – que representam o que possa ser fundamental para uma vida mais plena. Partindo desses pilares, foram estabelecidas parcerias para desenvolver ações voltadas ao público com a melhor idade, que vão desde atividades físicas e oficinas culturais até descontos e sessões gratuitas de cinema, seguida de debates com especialistas e grandes nomes do cinema nacional.

Assim, o projeto estimula integração entre os participantes e uma consciência mais aberta relacionada aos cuidados com o corpo e com a mente.

SERVIÇO:
Exposição:
Viver, Conviver & Reviver
Onde: Espaço Cultural do Conjunto Nacional – Avenida Paulista, 2073
Quando: até 17/06/2017; de segunda a sábado, das 7h às 23h; domingos, das 10h às 23h
Quanto: entrada gratuita

Exposição “Corte & Recorte” no Conjunto Nacional

Vista parcial da exposição “Corte & Recorte” no Conjunto Nacional. Foto: Jorge Almeida

O Espaço Cultural do Conjunto Nacional apresenta até o próximo dia 22 de abril, domingo, a exposição “Corte & Recorte – Olhar Empreendedor”, que traz cerca de 30 fotografias que mistura arte e entretenimento. A mostra traz imagens de jovens formados em 2016 do Instituto Reciclar, ONG que atua no desenvolvimento de adolescentes de comunidade na Zona Oeste de São Paulo.

Atendidos pelo Reciclar no ano passado, cerca de 30 jovens fizeram parte do projeto, que iniciou em novembro. Ao longo de dois meses, os participantes marcaram presenças em palestras, visitaram exposições e discutiram sobre assuntos relacionados ao eixo central da exposição: empreendedorismo.

A formação dos jovens foi realizada na Foto Conceito – Escola de Fotografia. Divididos em cinco grupos, eles buscaram histórias de empreendedores de sucesso, estudaram os casos e os transformaram nas fotografias da exposição, com acompanhamento do fotógrafo Arthur Rampazzo Roessle e direção de fotografia de Carina Zaratin.

A exposição é contemplada com seis esculturas da artista Liria Varne, que produziu em papel esculturas que ‘lincam’ arte e empreendedorismo, por exemplo, em obras como “A Conquista da Liberdade” (2016), confeccionada em papel, cola, madeira, fibra de vidro, tinta acrílica e aço.

Sobre o Instiuto Reciclar

O Instituto Reciclar é uma organização sem fins lucrativos que atua há 21 anos na formação socioenomocional dos jovens da zona Oeste de São Paulo. Com o propósito de “Desenvolver potenciais. Inspirar transformações sociais” e um modelo de atuação inovador, baseado no aprendizado na prática, o Reciclar já beneficiou mais de 500 jovens, tendo inserido 80% deles no mercado de trabalho.

SERVIÇO:
Exposição:
Corte & Reciclar
Onde: Espaço Cultural do Conjunto Nacional – Avenida Paulista, 2073
Quando: até 22/04/2017; de segunda a sábado, das 7h às 22h; domingos e feriados, das 10h às 22h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

Exposição “Velocult 2017 – 8ª edição” no Centro Cultural

Maverick, um dos destaques da Velocult 2017 no Conjunto Nacional. Foto: Jorge Almeida

O Espaço Cultural do Conjunto Nacional promove até o próximo dia 1º de abril, sábado, a exposição “Velocult 2017 – 8ª edição”, que apresenta dez modelos de veículos que fizeram história do automobilismo nacional. Além dos carros, a mostra é complementada com dez painéis que contam a história do Autódromo de Interlagos.

A exposição, que já faz parte do calendário oficial de eventos da Cidade de São Paulo, apresenta como novidade neste ano, os fabulosos Opalas que originaram a Stock Car nas décadas de 1970 e 1980, agora com avanços em segurança e potência, associada a nostalgia dos clássicos motores seis cilindros da Old Stock Race.

A mostra reúne os carros que disputaram a temporada de estreia em 2016 e que já estão prontos para o início da temporada 2017, que deve contar com mais de 30 carros e 60 pilotos no grid. “Nesta edição, com a presença dos opalas da Old Stock Race, esperamos que a nação opaleira, que esteve em todas as etapas lotando as arquibancadas de Interlagos, prestigie a exposição, única no Brasil e que resgata a memória dos anos dourados do automobilismo nacional”, afirma Paulo Soláriz, idealizador e curador da Velocult e também um dos criadores da Old Stock Race.

Um dos destaques da mostra é o clássico Maverick (foto).

SERVIÇO:
Exposição: Velocult 2017 – 8ª edição
Onde: Espaço Cultural Conjunto Nacional – Avenida Paulista, 2073 – Cerqueira Cesar
Quando: até 1º/04/2017; de segunda a sábado, das 7h às 22h; domingos e feriados, das 10h às 22h
Quanto: entrada gratuita

Exposição “Acontecimentos” no Conjunto Nacional

Uma das obras de Giulia Messina em exibição no Conjunto Nacional. Foto: Jorge Almeida
Uma das obras de Giulia Messina em exibição no Conjunto Nacional. Foto: Jorge Almeida

O Espaço Cultural do Conjunto Nacional exibe até o próximo dia 30 de janeiro a exposição “Acontecimentos”, que traz 25 pinturas da artista Giulia Messina, que podem ser definida como um diário pessoal.

Em sua produção, Giulia elabora temática cujos fatos são narrados pelas cores que invadem suas telas. As lembranças e as experiências da artista formam esse conjunto de obras.

A mostra tem esse título porque, de acordo com a artista, os quadros “refletem situações marcantes que, mesmo depois de muito tempo continuam na memória”.

Segundo a curadora Vakiria Iacocca, “o resultado é uma obra que revela uma artista com grande domínio de sua temática que estabelece uma relação intimista com as cores, de maneira associativa, criando um interessante diálogo entre a obra e a artista”.

SERVIÇO:
Exposição:
Acontecimentos
Onde: Espaço Cultural do Conjunto Nacional – Avenida Paulista, 2073
Quando: até 30/01/2017; de segunda a sábado, das 7h às 22h; domingos e feriados, das 10h às 22h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida