Operário: campeão brasileiro da Série D 2017

Jogadores do Operário Ferroviário comemoram o título do Campeonato Brasileiro da Série D. Foto: Foto: Hugo Harada/Gazeta do Povo

O Operário Ferroviário sagrou-se campeão do Campeonato Brasileiro da Série D 2017 na noite deste domingo (10) ao ser derrotado no Estádio Germano Küger, em Ponta Grossa (PR), por 1 a 0 para o Globo, de Ceará-Mirim (RN), com gol de Tiago Lima. Apesar do revés, o Fantasma ficou com a taça em virtude do placar agregado de 5 a 1, uma vez que o clube paranaense fez impiedosos 5 a 0 no compromisso de ida válido pela final do certame. As duas equipes, além de Atlético (AC) e Juazeirense (BA), estão com vagas asseguradas para a Série C em 2018.

Antes de a bola rolar no Germano Krüger, uma bela homenagem a Danilo, goleiro da Chapecoense morto no acidente aéreo na Colômbia em novembro do ano passado. Dona Ilaídes, mãe do arqueiro, esteve presente. Muitos aplausos. A homenagem foi feita pelo clube paranaense porque Danilo atuou pelo Fantasma e esteve no elenco que levou o clube à primeira divisão do futebol paranaense em 2009.

Precisando fazer o impossível – reverter a desvantagem de cinco gols sofridos -, o Globo até buscou jogo e teve a iniciativa nos primeiros minutos, conseguindo alguns arremates, mas sem levar perigo a Simão. Aos 18, o time da casa foi quem chegou de forma mais aguda. Quirino foi lançado, ficou na frente dos marcadores, chegou à linha de fundo e chutou forte para defesa de Dasaev.

O tricolor de Ceará-Mirim ficou na cautela e, aos 24 minutos, saiu à frente do placar. Renatinho Carioca cobrou escanteio, Gravetá escorou de cabeça e Tiago Lima emendou de primeira: 1 a 0, mas no agregado, 5 a 1 para o Fantasma.

O Operário tentou dar a responda minutos depois. Aos 27, Lucas Batatinha entrou na área e chutou firme para ótima defesa de Dasaev, que evitou o empate. Dois minutos mais tarde,o Fantasma chegou novamente com Jean Carlo, que tirou do marcador e chutou forte para o goleiro do Globo defender mais uma vez.

A equipe alvinegra passou a dominar as ações, mas o esquema defensivo do clube potiguar mostrou-se eficiente e conseguiu ir para o intervalo com a vitória parcial.

Na etapa final, o time alvinegro voltou mais disposto em buscar o empate do que os visitantes a tentarem diminuir a diferença do placar agregado. Aos oito, Lucas Batatinha cruzou para dentro da área com a intenção de acionar Quirino, mas a bola passou muito forte pelo camisa 7. Dois minutos depois, o camisa 9 do Operário recebeu na intermediária, avançou e, proximo da grande área arriscou, mas o arqueiro da Águia fez mais uma boa defesa. Aos 16, Robinho bateu falta próxima da grande área, tentou um chute colocado à direita da meta, e mandou por cima, passando perto do travessão.

O Globo seguiu recuado, sem chances de conseguir criar algo produtivo. Enquanto isso, o Fantasma pressionou para buscar o empate, chegando até a balançar as redes aos 31 minutos, mas o árbitro Rodrigo Alonso Ferreira marcou falta de Sosa em Dasaev.

Depois, foi só o time da casa administrar o resultado, uma vez que, mesmo com a derrota, estava a ficar com a taça. E, depois de uma queda de produtividade dos dois times, a partida foi até os 45 minutos. A arbitragem nem precisou dar os tradicionais três minutos de acréscimos. Fim de jogo no Germano Krüger, Globo 1, Operário 0. O Fantasma é o mais novo campeão brasileiro da Série D. É o primeiro time a erguer um título nacional em 2017.

O Operário entrou em campo praticamente com uma mão inteira e quatro dedos da outra na taça. Depois de fazer impressionantes 5 a 0 no primeiro jogo da final na casa do adversário, o Fantasma tinha como objetivo manter os 100% de aproveitamento em sua casa na competição e, se possível, levantar o troféu com outra vitória. O clube de Ponta Grossa até tentou, dominou boa parte do jogo e, no primeiro tempo, abusou muito das investidas pelo lado direito, com Danilo Baia, Quirino e Lucas Batatinha. O Globo, por sua vez, sabendo da missão considerada praticamente impossível, jogou cauteloso e fez de tudo para errar o menos possível e evitar os mesmos erros da partida de ida, quis fazer uma partida digna, e assim fez e foi eficiente em sua principal oportunidade da etapa inicial com Tiago Lima, que marcou o único tento da partida, aos 24 minutos do primeiro tempo. Na segunda etapa, parece que faltou “perna” para o clube de Ceará-Mirim que, recuado, aceitou a pressão do Operário, que só não conseguiu o empate graças à excelente participação do goleiro Dasaev. O Globo perdeu o título, mas perdeu de pé, pois, ciente das circunstâncias desfavoráveis, a Águia foi cautelosa e cirúrgico chegou ao seu gol. Curiosamente, as duas equipes chegaram à decisão da competição com 100% de aproveitamento em suas respectivas casas, porém, o Fantasma quebrou a marca da Águia no jogo de ida, e o Globo devolveu o feito na partida derradeira da Série D. Esse foi o primeiro título de relevância nacional conquistado pelo Operário em seus 105 anos de existência.

A seguir, o resumo da campanha e a ficha técnica da decisão.

Primeira Fase (Grupo A15):
21/05/2017 – Operário (PR) 1×0 Brusque (SC) – Germano Krüger (PR), Ponta Grossa (PR)
28/05/2017 – São Paulo (RS) 1×0 Operário (PR) – Aldo Dapuzzo, Rio Grande (RS)
04/06/2017 – Operário (PR) 1×0 XV de Piracicaba (SP) – Germano Krüger, Ponta Grossa (PR)
09/06/2017 – XV de Piracicaba (SP) 0x1 Operário (PR) – Barão de Serra Negra, Piracicaba (SP)
18/06/2017 – Operário (PR) 3×1 São Paulo (RS) – Germano Krüger, Ponta Grossa (PR)
25/06/2017 – Brusque (SC) 1×0 Operário (PR) – Augusto Bauer, Brusque (SC)
Segunda Fase:
08/07/2017 – Desportiva Ferroviária (ES) 0x2 Operário (PR) – Engenheiro Araripe, Cariacica (ES)
16/07/2017 – Operário (PR) 2×1 Desportiva Capixaba (ES) – Germano Krüger, Ponta Grossa (PR)
Oitavas-de-final:
22/07/2017 – Espírito Santo (ES) 1×0 Operário (PR) – Kleber Andrade, Cariacica (ES)
30/07/2017 – Operário (PR) (4)1×0(2) Espírito Santo (ES) – Germano Krüger, Ponta Grossa (PR)
Quartas-de-final:
06/08/2017 – Maranhão (MA) 1×3 Operário (PR) – Castelão, São Luís (MA)
14/08/2017 – Operário (PR) 2×1 Maranhão (MA) – Germano Krüger, Ponta Grossa (PR)
Semifinais:
20/08/2017 – Atlético (AC) 0x0 Operário (PR) – Arena da Floresta, Rio Branco (AC)
28/08/2017 – Operário (PR) 2×0 Atlético (AC) – Germano Krüger, Ponta Grossa (PR)
Final:
03/09/2017 – Globo (RN) 0x5 Operário (PR) – Barretão, Ceará-Mirim (RN)
10/09/2017 – Operário (PR) 0x1 Globo (RN) – Germano Krüger, Ponta Grossa

FICHA TÉCNICA: OPERÁRIO (PR) 0x1 GLOBO (RN)
Competição/fase: Campeonato Brasileiro Série D 2017 – final (2º jogo)
Local: Estádio Germano Krüger, Ponta Grossa (PR)
Data: 10 de setembro de 2017 – domingo, 19h (horário de Brasília)
Público: 8.830 pessoas
Renda: R$ 247.480,00
Árbitro: Rodrigo Alonso Ferreira (SC)
Assistentes: Alex dos Santos e Eder Alexandre, ambos de SC
Cartões Amarelos: Serginho Paulista e Quirino (Operário); Ângelo, Cosme, Renatinho Carioca e Erick (Globo)
Gol: Tiago Lima, aos 24 min do 1º tempo (0-1)
OPERÁRIO (PR): 1.Simão; 2.Danilo Baia, 3.Alisson, 4.Sosa e 6.Peixoto; 5.Serginho Paulista, 8.Índio, 11.Jean Carlo e 10.Robinho (18.Athos); 7.Quirino (21.Dione) e 9.Lucas Batatinha (20.Schumacher). Técnico: Gerson Luiz Gusmão
GLOBO (RN): 1.Dasaev; 2.Angelo, 3.Negretti, 4.Gravatá (22.Geovane) e 6.Renatinho Carioca; 5.Reinaldo, 8.Erick, 7.Tiago Lima e 23.Eduardo (16.Pablo Franklyn); 11.Cosme e 9.Glaucio. Técnico: Luiz Junior de Souza Lopes

Parabéns ao Operário Ferroviário Esporte Clube pelo título.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Definidos os classificados (e rebaixados) do Campeonato Brasileiro da Série C 2017

Primeira fase da Série C encerrou-se neste sábado (9). Créditos: CBF

O Campeonato Brasileiro da Série C 2017 teve a sua primeira fase encerrada neste sábado (9), com a realização de dez jogos válidos pela 18ª rodada. Os duelos na rodada derradeira serviram para definir os classificados para as quartas-de-final e os rebaixados para a Série D em 2018. Antes de a bola rolar, apenas Sampaio Corrêa, CSA e São Bento já estavam classificados para a próxima etapa do certame. Enquanto isso, Mogi Mirim e ASA de Arapiraca já entraram em campo rebaixados.

Primeiro foram disputados as cinco partidas da última rodada do grupo B, ou seja, com os clubes das regiões Sul e Sudeste do Brasil. Em Sorocaba, o São Bento derrotou o Volta Redonda por 1 a 0, com gol do volante Eder. Com 31 pontos, o clube paulista terminou na liderança do grupo. Apesar do revés, o Voltaço também avançou na quarta colocação por conta dos critérios de desempate com 25 pontos.

No Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, Botafogo e Ypiranga fizeram um jogo com bastante gols. No entanto, apesar da vitória por 5 a 3 – com direito a dependência de apenas um gol para se classificar, a Pantera não fez saldo suficiente para conseguir a vaga e, com 25 pontos, ficou em quinto. Se tivesse feito, por exemplo, 7 a 3 teria passado o Volta Redonda no critério de gols marcados e o Joinville no saldo de gols. O time de Erechim, que também tinha chances de avançar, encerrou a sua participação no certame com 23 pontos na sétima posição.

Na Arena Joinville, a equipe da casa tinha chances de classificação, mas não bastava apenas uma simples vitória contra o já rebaixado Mogi Mirim, o JEC teria de fazer um bom saldo. Com quatro gols em cada etapa, o Joinville fez impiedosos 8 a 1, contudo, a combinação de resultados de seus concorrentes diretos impediu do clube catarinense de seguir no certame e terminar a primeira fase dividindo a quinta colocação com o Botafogo com 25 pontos. Já o Sapão encerrou o campeonato de forma melancólica na lanterna do grupo com míseros 13 pontos em 18 jogos.

O Bragantino brigou até o fim contra o Macaé pela permanência na Série C. E o clube de Bragança Paulista levou a melhor. No Estádio Municipal de Juiz de Fora, o Braga derrotou o já classificado Tupi por 3 a 2. O Massa Bruta começou mal o jogo e sofreu o gol do time “alternativo” dos mineiros aos dois minutos. Mas, a virada veio e com o gol de Helder, aos 23 do segundo tempo, livrou o Bragantino da segunda queda consecutiva e, com 21 pontos, disputará a Série C em 2018. Além da necessidade da vitória, o Braga precisava torcer por um tropeço do Macaé.

Já no Moacyrzão, em Macaé, o alvianil praiano precisava da vitória e também secar o Bragantino contra o Tupi. No entanto, o empate sem gols contra o Tombense fizeram com que o Macaé se juntasse ao Mogi Mirim na queda para a quarta divisão do futebol nacional. E o resultado salvou o Gavião-Carcará, pois com 26 pontos, conseguiu assegurar o terceiro lugar do grupo A. Caso tivesse sido derrotado teria perdido a vaga para o Joinville no saldo de gols.

As partidas do grupo A começaram às 19h. No Estádio Castelão, em São Luís, o já classificado Sampaio Corrêa perdeu para o Botafogo, da Paraíba, por 3 a 2. Para a Bolívia Querida, a derrota não afetou em nada a sua situação na tabela, o único risco seria o de perder a liderança para o CSA. No entanto, a vitória do Belo trouxe uma consequência nada boa para o arquirrival do time maranhense, o Moto Club, que dependia justamente de uma vitória do rival local para conseguir se manter na Série C, além de precisar fazer a sua parte. O triunfo dos paraibanos, fez com que o clube de João Pessoa chegasse aos 21 pontos e terminasse em oitavo lugar.

Enquanto isso, em Fortaleza, na Arena Castelão, o Tricolor do Pici dependia apenas de si para se classificar e, com o gol de Ronny, no segundo tempo, a equipe comandada por Antônio Carlos Zago bateu o Moto Club por 1 a 0, chegou aos 27 pontos, o que lhe garantiu o terceiro lugar e rebaixou a equipe maranhense, que estacionou nos 20 pontos e viu o Botafogo paraibano lhe ultrapassar na tabela.

No Cornélio de Barros, Salgueiro e Remo fizeram um confronto direto para buscar uma das vagas para as quartas-de-final. Mas, ambos sabiam que, além da vitória, dependeriam de uma combinação de resultados para obter o êxito. A equipe da casa bateu o Leão Azul por 2 a 1 e, mesmo assim, os dois times “morreram abraçados”, pois com 24 pontos, o Salgueiro terminou com um ponto a menos que o Confiança. E o Remo encerrou a sua participação no campeonato na sétima colocação com 22 pontos.

O Confiança conseguiu um importante resultado ao bater o ASA de Arapiraca fora de casa por 2 a 1. Com a vitória, o clube sergipano chegou aos 25 pontos, ficou com a quarta e última vaga do grupo para a continuidade do campeonato e deixou Salgueiro, Cuiabá e Remo para trás.

A última partida que encerrou a décima oitava rodada foi entre Cuiabá e Remo, na Arena Pantanal. Enquanto o jogo estava empatado em 0 a 0, a partida precisou ser interrompida porque o zagueiro do Azulão, Rodrigo Lobão, caiu no gramado, foi atendido e saiu do estádio de ambulância. Assim, o árbitro paralisou a partida por 37 minutos até o retorno da ambulância. Evidentemente que essa partida terminaria mais tarde que as demais por conta do episódio. Aos 12 minutos, o Dourado saiu na frente, mas a vitória parcial era inútil, pois, com o término dos demais jogos àquela altura, inclusive o do Confiança, a situação do grupo A estava praticamente resolvida e esse duelo só serviria para definir a primeira colocação do grupo. E, mesmo com o empate conquistado pelo CSA, que deixou o resultado final em 1 a 1, a liderança ficou com o Sampaio Corrêa, com 32 pontos, a mesma pontuação do time azulino, contudo, o tricolor maranhense tem uma vitória a mais.

Com o encerramento da rodada, pelo grupo A, classificaram para as quartas-de-final do Brasileiro da Série C: Sampaio Corrêa, CSA, Fortaleza e Confiança. Enquanto isso, os representes do grupo B no mata-mata do certame serão: São Bento, Tupi, Tombense e Volta Redonda. E foram rebaixados para a Série D em 2018: Moto Club, ASA de Arapiraca, Macaé e Mogi Mirim.

E, como prevê o regulamento, os confrontos das quartas-de-final preveem a seguinte combinação: 1º do grupo A x 4º do grupo B, 2º do grupo A x 3º do grupo B, 1º do grupo B x 4º do grupo A e 2º do grupo B x 3º do grupo A, ou seja, Sampaio Corrêa x Volta Redonda, CSA x Tombense, São Bento x Confiança e Tupi x Fortaleza. Sendo que os campeões e os vices dos dois grupos terão o direito de fazer o segundo jogo em seus domínios nesta fase. E, para reforçar: quem avançar para as semifinais, garantirá o acesso para a Série B em 2018, uma vez que quatro equipes sobem e ficarão nos lugares dos quatro últimos colocados da Série B de 2017.

Na segunda-feira (11), a CBF confirmará as datas e os horários dos jogos das quarta-de-final.

A seguir, a classificação final da primeira fase e os resultados da 18ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série C 2017.

Grupo A:
Posição – Equipe – Pontos
1º Sampaio Corrêa (MA) – 32 pontos
2º CSA (AL) – 32
3º Fortaleza (CE) – 27
4º Confiança (SE) – 25
5º Salgueiro (PE) – 24
6º Cuiabá (MT) – 23
7º Remo (PA) – 22
8º Botafogo (PB) – 21
9º Moto Club (MA) – 20
10º ASA de Arapiraca (AL) – 13

Grupo B:
Posição – Equipe – Pontos
1º São Bento (SP) – 31 pontos
2º Tupi (MG) – 28
3º Tomense (MG) – 26
4º Volta Redonda (RJ) – 25
5º Joinville (SC) – 25
6º Botafogo (SP) – 25
7º  Ypiranga (RS) – 23
8º Bragantino (SP) – 21
9º Macaé (RJ) – 19
10º Mogi Mirim (SP) – 13

Data – Partida – Local:
09/09/2017 – Sampaio Corrêa (MA) 2×3 Botafogo (PB) – Castelão, São Luís (MA)
09/09/2017 – ASA de Arapiraca (AL) 1×2 Confiança (SE) – Coroacy da Mata Fonseca, Arapiraca (AL)
09/09/2017 – Fortaleza (CE) 1×0 Moto Club (MA) – Arena Castelão, Fortaleza (CE)
09/09/2017 – Salgueiro (PE) 2×1 Remo (PA) – Cornélio de Barros, Salgueiro (PE)
09/09/2017 – Cuiabá (MT) 1×1 CSA (AL) – Arena Pantanal, Cuiabá (MT)
09/09/2017 – Joinville (SC) 8×1 Mogi Mirim (SP) – Arena Joinville, Joinville (SC)
09/09/2017 – São Bento (SP) 1×0 Volta Redonda (RJ) – Walter Ribeiro, Sorocaba (SP)
09/09/2017 – Macaé (RJ) 0x0 Tombense (MG) – Moacyrzão, Macaé (RJ)
09/09/2017 – Tupi (MG) 2×3 Bragantino (SP) – Estádio Municipal de Juiz de Fora, Juiz de Fora (MG)
09/09/2017 – Botafogo (SP) 5×3 Ypiranga (RS) – Santa Cruz, Ribeirão Preto (SP)

Parabéns aos classificados.

Por Jorge Almeida

Flamengo e Cruzeiro decidirão a Copa do Brasil 2017

Flamengo e Cruzeiro farão a final da Copa do Brasil 2017. Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Com a realização do segundo jogo das duas semifinais da Copa do Brasil 2017 disputado nesta quarta-feira (24), Flamengo e Cruzeiro decidirão o certame em duas partidas. O rubronegro derrotou o Botafogo no Maracanã por 1 a 0. Pelo mesmo placar, o Cruzeiro superou o Grêmio no Mineirão e, no caso, levou à disputa para os pênaltis, que terminou com vitória do time celeste por 3 a 2.

No clássico realizado no Maracanã, o Flamengo, que atuou como mandante e teve o apoio de sua torcida, levou a melhor contra o Botafogo ao vencer o rival por 1 a 0, gol de Diego, aos 25 minutos do segundo tempo. E, devido à soma do placar agregado, o Mengão avançou porque havia empatado em 0 a 0 no primeiro jogo, disputado no Nilton Santos na semana anterior (16).

Na outra semifinal, o Cruzeiro devolveu o resultado do primeiro jogo e derrotou o Grêmio por 1 a 0, no Mineirão. O gol da partida foi marcado por Hudson, de cabeça, aos sete minutos da etapa complementar. O placar levou a disputa para os pênaltis.  Nas cobranças, Fernandinho e Rafael Sóbis converteram. Na sequência, Edílson acertou a trave e Robinho parou em Marcelo Grohe. Em seguida, Everton mandou no travessão e o goleiro do Tricolor dos Pampas defendeu a batida de Murilo. Artur e Raniel não desperdiçaram e mantiveram o empate em 2 a 2. Mas, na quinta e decisiva, Fábio defendeu a cobrança de Luan e Thiago Neves marcou o terceiro gol cruzeirense na série e levou a Raposa para a final e, consequentemente, vingando-se da eliminação que a equipe celeste sofrera para o rival na edição do ano passado da mesma competição.

Os finalistas já disputaram uma decisão da Copa do Brasil, em 2003. Naquela ocasião, o Cruzeiro venceu o Flamengo por 3 a 1 no segundo jogo, disputado no Mineirão, depois de um empate em 1 a 1 no compromisso de ida no Maracanã. Naquela temporada, os mineiros conquistaram a chamada Tríplice Coroa – Campeonato Mineiro, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro. E esse será o quinto embate entre os dois pela Copa do Brasil. Na história, o rubronegro eliminou os cruzeirenses nas edições de 1995 e 2013, em ambos nas oitavas-de-final, sempre com o gol fora de casa como critério de desempate a favor do clube carioca. Já a Raposa, por sua vez, deu o troco nas edições de 1996 (semifinais) e a já citada final de 2003. No quesito número de títulos, o Cruzeiro leva a melhor: 4 (1993, 1996, 2000 e 2003) a 3 (1990, 2006 e 2013).

As datas da decisão foram definidas para os dias 7 e 27 de setembro, sendo que os mandos de campo serão sorteados nesta quinta-feira (24), às 15h, na sede da CBF, no Rio, e terá a presença dos representantes dos clubes finalistas.

Parabéns a Flamengo e Cruzeiro pela chagada à final, que ambos façam uma ótima decisão e que vença o melhor.

Por Jorge Almeida

Real Madrid: campeão da Supercopa da Espanha 2017

Jogadores do Real Madrid comemoram a Supercopa da Espanha 2017. Créditos: Juan Medina/Reuters

O Real Madrid derrotou novamente o Barcelona na segunda e decisiva partida da Supercopa da Espanha 2018 por 2 a 0 no Estádio Santiago Bérnabeu, em Madri, nesta quarta-feira (16). Com os gols de Asensio e Benzema, os Merengues fizeram 5 a 1 no placar agregado e faturou pela décima vez o torneio, sendo a sexta em cima do Barça.

Mesmo sem o seu principal jogador, o Real Madrid não tomou conhecimento do Barcelona e, praticamente esqueceu a larga vantagem adquirida no jogo de ida da Supercopa da Espanha, e partiu para cima. A um minuto de jogo, Asensio avançou pela esquerda, cruzou para o  meio da área para Modrić, da meia-lua, arrematou de primeira, mas a bola bateu em Umtiti e impediu o primeiro gol do jogo. Aliás, a bola na rede não demorou muito depois desse lance. Aos 3, Asensio recebeu na intermediária e, com a canhota, soltou a bomba por cobertura e Ter Stegen só observou a redonda balançar as redes. Um a zero para o Real.

O tento veio como um baque para o Barça, que até tentou assimilar o golpe e tentou, aos 11, com Suárez, que recebeu lançamento de Mascherano, e pegou de primeira e mandou para fora. Aos 15, foi a vez de Messi tentar. O argentino recebeu em velocidade pela direita, tentou driblas Navas, porém, o arqueiro costarriquenho ficou com a bola. Os Merengues responderam quatro minutos mais tarde. Marcelo partiu pela esquerda, entrou na área e cruzou rasteiro, mas Benzema não alcançou a redonda. Aos 24, a equipe madridista atacou novamente com Asensio, que recebeu cruzamento pelo meio de Benzema, o camisa 20 dominou e chutou, mas a bola foi desviada para fora.

Os comandados de Zinédine Zidane mantiveram o pique e, aos 32, acertaram a trave. Benzema tocou para Lucas Vázquez na meia-lua, ele dominou e arriscou com a esquerda, e a bola acertou a trave de Ter Stegen. E, com tamanha superioridade em campo, não demorou muito para vir o segundo gol. Aos 38, Busquets vacilou e perdeu a bola, Marcelo cruzou na área, Benzema se antecipou a Umtiti, ajeitou e bateu com a esquerda: 2 a 0. Na sequência, Lucas Vázquez chutou cruzado e rasteiro, mas Ter Stegen fez a defesa.

E, com muito espaço para jogar, o Real Madrid chegava fácil ao ataque. Aos 43, Benzema recebeu na intermediária, puxou para a perna esquerda e chutou da entrada da área, mas mandou para fora.

No segundo tempo, o Barça saiu mais para o jogo e se esforçou para amenizar o prejuízo. Primeiro com Suárez que, aos dois minutos, recebeu pela direita, cruzou rasteiro para Navas ficar com a esférica. Quatro minutos depois, foi a vez de Messi. O camisa 10 recebeu em velocidade pela esquerda e finalizou, contudo, a bola explodiu no travessão de Navas. Na sequência, Benzema tabelou com Asensio pela esquerda, entrou na área, bateu cruzado para Ter Stegen fazer a defesa.

À medida que a etapa complementar rolava, os ânimos ficavam mais acirrados, como aos 17, quando Messi pediu a bola para Sergio Ramos para cobrar uma falta e o zagueiro a jogou para o alto, o que motivou o argentino a soltar uns palavrões ao adversário.

Aos 20, Messi cobrou falta pela direita, Navas errou na saída, no entanto, Suárez errou a cabeçada na segunda trave e mandou para fora.  Cinco minutos depois, Suárez fez grande jogada, acionou Sergi Roberto dentro da área, que deu um leve toque, Navas salvou, no rebote, Messi chutou, o goleiro defendeu novamente e Suárez tentou de ‘peixinho’ para acertar a bola na trave. Incrível. Quando a fase não é boa, não tem jeito. Aos 28, Deulofeu girou pela esquerda, passou para Messi, que limpou para a perna direita, mas mandou para fora. Oito minutos mais tarde, o camisa 16 azul-grená tentou novamente, mas o arremate saiu mascado.

Depois disso, os Merengues só administraram o resultado enquanto a sua torcida entoava pelo Santiago Bérnabeu o grito de campeão. O que veio quando o árbitro decretou aos 48 minutos o fim de jogo. Vitória do Real Madrid por 2 a 0 e, consequentemente, fazendo 5 a 1 no placar agregado.

O segundo jogo da decisão da Supercopa da Espanha começou praticamente com o Real Madrid com 75% com a taça. Isso porque o time merengue havia levado a melhor no primeiro jogo em pleno Camp Nou ao faturar o rival por 3 a 1. E, mesmo desfalcado de Cristiano Ronaldo, Bale, Isco e Casemiro (esse último entrou durante o jogo), a equipe de Zidane não tomou conhecimento do adversário e, com ritmo impressionante, se impôs diante dos catalães, envolveu o adversário, fez o primeiro gol logo de cara, o que o deixou em uma situação ainda mais confortável. Enquanto o Barça, por incrível que pareça, não fez uma finalização certa em direção à meta de Navas e, além disso, depois de muitos anos, pela primeira vez, ficou com menos posse de bola em relação ao rival. Diante desses dois duelos contra o Real, o torcedor blaugrana começará a temporada 2017/2018 com uma incógnita de como sua equipe irá se comportar ao longo desse período. Certamente que reforços virão (Paulinho, ex-Corinthians, já é um deles), especialmente com o montante do dinheiro que recebeu com a venda de Neymar ao PSG. Logo, o Barça passará por um processo de renovação de parte de seu elenco e, além disso, o trabalho de Valverde ainda está no começo, assim, a tendência é não conseguir superar o arquirrival na temporada. Enquanto isso, o Real Madrid já tem um time ajustado e elenco forte. Sem contar que a preparação foi muito bem feita. Não foi à toa que os Merengues já conquistaram, com esse título de hoje, duas conquistas no começo da temporada.

A seguir, o resumo da campanha e a ficha técnica da decisão.

1º jogo:
13/08/2017 – Barcelona 1×3 Real Madrid – Camp Nou, Barcelona
2º jogo:
16/08/2017 – Real Madrid 2×0 Barcelona – Santiago Bernabéu, Madri

FICHA TÉCNICA: REAL MADRID 2×0 BARCELONA
Competição/fase:
Supercopa da Espanha 2017 – final (2º jogo)
Local: Estádio Santiago Bernabéu, Madri, Espanha
Data: 16 de agosto de 2017, quarta-feira – 18h (horário de Brasília)
Árbitro: José María Sánchez Martínez (Espanha)
Assistentes: Raúl Cabañero Martínez e José Gallego García
Cartões Amarelos: Mascherano e Suárez (Barcelona)
Gols: Asensio, aos 4 min (1-0), e Benzema, aos 39 min do 2º tempo (2-0)
REAL MADRID: 1.Navas; 2.Carvajal, 4.Sergio Ramos, 5.Varane e 12.Marcelo; 10.Modrić, 23.Kovačić (14.Casemiro),  8.Kroos (24.Caballos) e 17.Lucas Vázquez; 20.Asensio (15.Théo Hernández) e 9.Benzema. Técnico: Zinédine Zidane
BARCELONA: 1.Ter Stegen; 14.Mascherano, 3.Piqué (2.Nélson Semedo) e 23.Umtiti; 4.Rakitić, 5.Busquets, 21.André Gomes (16.Deulofeu), 20.Sergi Roberto e 18.Jordi Alba (19.Digne); 10.Messi e 9.Suárez. Técnico: Ernesto Valverde

Parabéns ao Real Madrid Club de Fútbol pelo título.

Por Jorge Almeida

Urawa Red Diamonds: campeão da Copa Suruga Bank 2017

Urawa Red Diamond: campeão da Copa Suruga Bank pela primeira vez

Com o gol de pênalti convertido pelo capitão Abe, aos 48 minutos do segundo tempo, o Urawa Red Diamonds derrotou a Chapecoense por 1 a 0 na decisão da Copa Suruga Bank 2017, no Saitama Stadium 2002, em Saitama, no Japão. O campeão japonês conquistou pela primeira vez a competição que põe frente à frente o campeão nacional do Japão e o ganhador da última edição da Copa Sulamericana.

A decisão começou com muitos passes errados nos momentos iniciais, mas o Urawa adiantou as linhas de passe e passou a trabalhar no campo da Chapecoense.

A primeira oportunidade de gol surgiu aos 11 minutos. Rafael Silva lançou muito, que bateu de primeira por cima do gol de Jandrei.

O jogo seguiu com um baixo nível técnico, com raras chances de gol e a Chape não conseguir ter a posse da bola. A partida seguiu monótona e com pouca inspiração. Aos 41, Kashiwagi cobrou falta na medida para Ljubijankič cabecear para o meio do gol.

A etapa final seguiu o mesmo panorama da primeira: pouca técnica com muita pegada e muita faltas duras também. Aos 4, Kashiwigi cobrou falta na área, a bola passou por todo mundo e saiu, Rafael  Silva não conseguiu chegar.

Após passar o primeiro tempo sem finalizar a gol, o Verdão do Oeste teve duas chances seguidas aos 13. Arthur foi lançado, arriscou com a esquerda, Enomoto defendeu parcialmente e. no rebote, o atacante mandou para fora. Foi o melhor momento da Chape até então. Cinco minutos mais tarde, a equipe brasileira tentou novamente com Grolli. Reinaldo cobou lateral na direção do zagueiro que, sozinho, testou sobre a meta do Urawa Reds.

O clube catarinense melhorou consideravelmente o seu desempenho no segundo tempo, conseguiu ter mais a posse de bola, afastou o campeão japonês de seu gol e chegou três vezes ao ataque depois que o ataque passou despercebido na etapa inicial.

E, quando tudo se encaminhava para uma disputa por pênaltis, Ljubijankič foi derrubado na área por Grolli, Pênalti. A marcação da penalidade pelo árbitro Kim Jong-hyeok, da Coreia do Sul, causou revolta nos jogadores da Chapecoense, que passaram cerca de cinco minutos reclamando da marcação, inclusive, chegaram a a pontar que o próprio Ljubijankič havia afirmado não ter sofrido a penalidade. Mas não teve jeito: o pênalti foi mantido. Na cobrança, o capitão Abe bateu no canto esquerdo de Jandrei, que saltou, mas não alcançou e fez o gol do título.

Com o tento, que saiu aos 48 minutos, a decisão foi até os 54 minutos, contando os tradicionais “três minutos de acréscimos” e o tempo em que o jogo foi interrompido por causa da marcação do pênalti. A Chape tentou pressionar nas bolas aéreas, mas não obteve êxito e não conseguiu chegar ao empate. Fim de jogo no Saitama Stadium 2002: Urawa Red Diamond 1, Chapecoense 0.

A final da Copa Suruga Bank entre Urawa Red Diamonds e Chapecoense não foi uma das coisas mais deslumbrante do futebol, muito pelo contrário. Em um jogo de baixo nível técnico e raras oportunidades de gol, a partida estava fadada para a disputa por pênaltis, mas o pênalti cometido por Grolli a poucos minutos do fim do tempo regulamentar tratou de evitar isso. Abe cobrou e deu a vitória para os anfitriões. O primeiro tempo da Chape foi deprimente e só conseguiu segurar o zero a zero porque o adversário carecia de técnica e criatividade, embora tenha dominado totalmente o clube brasileiro e mantido a tranquilidade. No segundo tempo, o campeão da Sulamericana voltou melhor e equilibrou a partida, manteve mais posse de bola, mas abusou nos cruzamentos para a área de Enomoto. A Chape tinha o jogo sob controle quando veio o pênalti, aos 42 minutos.

O título do Urawa Red Diamonds manteve a hegemonia dos clubes japoneses na Copa Suruga Bank. Em dez edições, foram quatro títulos para os sulamericanos e seis para os asiáticos. Enquanto isso, os brasileiros acumulam uma conquista (com Internacional, em 2008) e dois vices (São Paulo, em 2013, e, agora, a Chapecoense, em 2017).

A seguir, a ficha técnica da decisão.

FICHA TÉCNICA: URAWA RED DIAMONDS (JAP) 1×0 CHAPECOENSE (BRA)
Competição/fase: Copa Suruga Bank 2017 – final (jogo único)
Local: Saitama Stadium 2002, Saitama, Japão
Data: 15 de agosto de 2017, terça-feira – 7h (horário de Brasília)
Árbitro: Kim Jong-hyeok (Coreia do Sul)
Assistentes: Yoon Kwang-yeol e Kim Young-há, ambos da Coreia do Sul
Cartões Amarelos: Rafael Silva (Urawa) Douglas Grolli e Luiz Antônio (Chapecoense)
Gol: Abe, de pênalti, aos 48 min do 2º tempo (1-0)
URAWA RED DIAMOND (JAP): 25.Enomoto; 46.Moriwaki (6.Endo), 2.Maurício Antônio e 5.Makino; 18.Komai (38.Kikuchi), 22.Abe, 10.Kashiwagi e 3.Ugajin (14.Hirakawa); 9.Muto (19.Onaiwu), 21.Ljubijankič (15.Nagasawa) e 8.Rafael Silva. Técnico: Takafumi Hori
CHAPECOENSE (BRA): 93.Jandrei; 22.Apodi, 3.Douglas Grolli, 14.Fabrício Bruno e 6.Reginaldo; 5.Moisés Ribeiro (33.Lucas Marques), 25.Lucas Mineiro e 11.Luiz Antônio (21.Luis Otávio); 7.Penila (9.Wellington Paulista), 10.Tulio de Melo e 17.Arthur. Técnico: Vinícius Eutrópio

Parabéns ao Urawa Red Diamond pelo título.

Por Jorge Almeida

Definidos os semifinalistas do Campeonato Brasileiro da Série D 2017

O Campeonato Brasileiro da Série D teve o seu último classificado para as semifinais nesta segunda-feira. Créditos: CBF

Com a realização da partida entre Operário (PR) e Maranhão na noite desta segunda-feira (14), no Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa, que terminou com vitória do mandante por 2 a 1, o Campeonato Brasileiro da Série D 2017 já tem os seus semifinalistas definidos. São eles: Globo, Juazeirense, Atlético Acriano e Operário (PR).

O primeiro classificado para as semifinais foi o Globo, de Ceará-Mirim. A equipe potiguar avançou na sexta-feira (11) quando levou a melhor diante do URT na disputa por pênaltis. Como havia perdido o primeiro jogo por 1 a 0, o time potiguar devolveu o resultado no Barretão e levou a decisão para os tiros penais. Nas cobranças, Romarinho, Reinaldo e Dênis marcaram para a Águia de Ceará-Mirim, enquanto Renatinho Carioca acertou a trave e Renatinho Potiguar teve a sua cobrança defendida por Juninho. Pelos lados do Trovão Azul, Thiago Brito e Rafael Oller converteram seus tiros, mas Felipe Alves, Fábio Alves e Marques desperdiçaram e, assim, a disputa terminou em 3 a 2 para o clube do Rio Grande do Norte.

No domingo (13), outra equipe potiguar também entrou em campo buscando a vaga para as semifinais. O América de Natal tinha a ingrata missão de reverter a desvantagem adquirida no primeiro jogo diante do Juazeirense de 3 a 0. Na Arena das Dunas, o Mecão não passou de um empate em 1 a 1, com gols de Salatiel para os visitantes e Cascata para a equipe rubra. Os tentos saíram no primeiro tempo.

No mesmo dia, o Atlético Acriano chegou às semifinais depois de um empate 1 a 1 contra os gaúchos do São José na Arena da Floresta, em Rio Branco. Como fora vencedor no primeiro embate, fora de casa, o time acriano fez 2 a 1 no agregado. Os gols da partida foram marcados por Rafael Barros, para o Atlético, e Flávio Torres para os visitantes.

E, finalmente, hoje (14), ficou definido o último classificado. O Operário derrotou novamente o Maranhão em seus domínios. Dessa vez, o placar terminou em 2 a 1 para o Fantasma. A partida de ida entre as duas equipes teve vitória do Operário (PR) contra o Maranhão por 3 a 1 fora de casa.

Além da classificação para as semifinais, Globo, Juazeirense, Atlético Acriano e Operário já garantiram suas vagas para o Campeonato Brasileiro da Série C em 2018. Os duelos na fase seguinte serão entre Juazeirense e Globo em uma semifinal e a outra será disputada entre Atlético Acriano e Operário.

Parabéns aos clubes classificados.

Por Jorge Almeida

Lazio: campeã da Supercopa da Itália 2017

Jogadores da Lazio erguem a taça da Supercopa da Itália em Roma. Foto: sslazio.it

Com dois gols de Immobile e um de Murgia, a Lazio derrotou a Juventus por 3 a 2 (Dybala descontou para os bianconeros com dois gols), no Estádio Olímpico de Roma, neste domingo (13), e conquistou pela quarta vez em sua história a Supercopa da Itália. Enquanto isso, a Juventus acumulou o segundo vice-campeonato consecutivo do certame.

O jogo começou com a Lazio trocando passes enquanto a Juventus só observou. Porém, as primeiras oportunidades foram da Vecchia Signora. Aos 2, Alex Sandro recebeu pela esquerda, entrou na área e tocou para Cuadrado na pequena área. O colombiano bateu e o goleiro Strakosha defendeu. Dois minutos depois foi a vez de Higuaín chutar mascado da meia-lua e o arqueiro se esticar e fazer mais uma bela defesa.

Depois da pressão da Juve nos momentos iniciais, os biancocelestis chegaram pela primeira vez aos dez minutos. A Juventus errou na saída de bola, Luis Alberto ficou com a sobra e mandou por cima da meta de Buffon. A equipe da capital da Bota conseguiu equilibrar as ações e passou a marcar o time de Turim em seu campo de defesa e, consequentemente, as chances voltaram a aparecer. Aos 27, a Lazio assustou na cobrança de escanteio, mas Buffon estava atento e evitou o que seria um gol olímpico. No lance seguinte, outro vacilo do sistema defensivo bianconero na entrada da área, Milinković-Savić roubou a bola e mandou por cima do gol. Em seguida, aos 30, Immobile recebeu entre os zagueiros, invadiu a área e caiu na dividida com Buffon. A arbitragem marcou penalidade. Na cobrança, Immobile bateu forte e rasteiro no canto esquerdo do goleiro, que acertou o lado, mas não alcançou a bola. É o clube biancazzurri na frente.

Com o placar favorável, a Lazio mostrou uma melhor postura diante da Juventus e esteve mais perto do segundo gol. Aos 33, a equipe romana fez boa trama pela direita, Basta chutou à queima-roupa, Buffon defendeu e, na sobra, Lucas Leiva arriscou e o arqueiro mandou para escanteio. O time de Massimiliano Allegri se lançou ao ataque em busca do empate ainda no primeiro tempo, mas sem sucesso.

Na volta para o segundo tempo, a Juventus pressionou o rival em busca do empate. Porém, aos 8 minutos, foi surpreendida. Parolo cruzou da direita na medida para Immobile, que no meio dos zagueiros, cabeceou no contrapé de Buffon, que nada pode fazer para evitar o segundo gol.

A vitória parcial da Lazio fez com que Allegri tomasse providências de imediato para amenizar o prejuízo. Assim, o treinador colocou De Sciglio e Douglas Costa nos lugares de Benatia e Cuadrado, respectivamente. Aos 14, a Lazio assustou novamente, mas Buffon saiu bem nos és de Immobile. A Juventus voltou a levar perigo aos 19 com Pjanić, que tentou de falta, mas mandou por cima. Quatro minutos mais tarde, Douglas Costa recebeu na direita, puxou para dentro e chutou forte para Strakosha defender em dois tempos. A Vecchia Signora levou perigo aos 25 com Douglas Costa. O brasileiro levantou na área, Higuaín, por centímetros, não alcançou a bola, que sau pela linha de fundo. Depois de um ligeiro sufoco da Juve, a Lazio tentou aos 30 com Luis Alberto, que arriscou da intermediária para Buffon espalmar.

Aos 40, Dybala botou fogo no jogo. O camisa 10 cobrou falta com perfeição e colocou a redonda no canto direito do goleiro. O tento motivou os bianconeros para buscar o empate, que veio aos 45. Alex Sandro tentou jogada dentro da área e foi derrubado com falta. Pênalti. Na cobrança, Dybala converteu o seu tiro e empatou o jogo.

E, quando tudo levava a crer que a decisão iria para a prorrogação, Lukaku partiu pela esquerda, entrou na área e tocou para trás para Murgia fazer o terceiro gol no “apagar das luzes”. É o tento que rendeu o terceiro título da Supercopa da Itália para a Lazio. Fim de jogo no Estádio Olímpico de Roma: Juventus 2, Lazio 3.

Juventus e Lazio entraram em campo para abrir a temporada 2017/2018 do futebol italiano com a decisão da Supercopa da Itália. Os bianconeros, campeões italianos e da Copa da Itália, entraram em campo com ligeiro favoritismo por conta do entrosamento do time de Massimiliano Allegri. A pressão inicial da Juve poderia consolidar esse favoritismo, mas a Lazio acertou a marcação e se ajustou em campo, conseguiu superar o adversário e terminou o primeiro tempo com a vantagem. No começo da etapa complementar, Immobile ampliou o placar para o time da capital italiana. Com dois a zero contra, o treinador da Juve tratou de colocar Douglas Costa e De Sciglio e, com isso, a Velha Senhora pressionou enquanto o time biancazzurri recuou demais. Dessa forma, o empate veio através de Dybala em lances de bola parada: uma excelente cobrança de falta e um pênalti indefensável. E, quando se imaginava uma prorrogação, Murgia fez o gol do título a um minuto do término do tempo regulamentar.

A seguir, a ficha técnica da decisão.

FICHA TÉCNICA: JUVENTUS 2×3 LAZIO
Competição/fase: Supercopa da Itália 2017 – final (jogo único)
Local: Estádio Olímpico de Roma, Itália
Data: 13 de agosto de 2017, domingo – 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Davide Massa (ITA)
Assistentes: Filippo Meli (ITA) e Andrea Crispo (ITA)
Cartões Amarelos: Buffon, Mandžukić, Pjanić (Juventus); Lucas Leiva, Lulić, Parolo e Immobile (Lazio)
Gols: Immobile (de pênalti), aos 32 min do 1º tempo (0-1); Immobile, aos 8 min (0-2), Dybala, aos 40 (1-2) e aos 45 min (2-2); e Murgia, aos 48 min do 2º tempo (2-3)
JUVENTUS: 1.Buffon; 15.Barzagli, 3.Chiellini, 4.Benatia (2.De Sciglia) e 12.Alex Sandro; 5.Pjanić, 6.Khedira, 7.Cuadrado (11.Douglas Costa), 17.Mandžukić (33.Bernardeschi) e 10.Dybala; 9.Higuaín. Técnico: Massimiliano Allegri
LAZIO: 1.Strakosha; 13.Wallace, 3.De Vrij e 26.Radu; 6.Lucas Leiva (96.Murgia), 16.Parolo, 21.Milinković-Savić, 8.Basta (77. Marušić), 19.Lulić (5.Lukaku) e 18.Luis Alberto; 17.Immobile. Técnico: Simone Inzaghi

Parabéns à Società Sportiva Lazio pelo título.

Por Jorge Almeida