Bahia: campeão da Copa do Nordeste 2017

Edigar Junio comemora o gol que deu o título ao Bahia. Créditos: Divulgação/ECB/Felipe Oliveira

Depois de 15 anos, o Bahia volta a ser campeão da Copa do Nordeste. O Tricolor de Aço pôs fim ao tabu de uma década e meia sem títulos da principal competição regional do país ao bater o Sport Recife por 1 a 0 na noite desta quarta-feira (24) pela segunda e decisiva partida do certame. O autor do gol do título foi Edigar Junio. Como havia empatado o primeiro duelo na quarta passada em 1 a 1, a equipe de Guto Ferreira fez 2 a 1 no placar agregado e conquistou a sua terceira Lampions League da história.

Os anfitriões chegaram com perigo logo aos 4 minutos. Edigar Junio recebeu na área, disputou com a defesa, saiu da área pela direita, foi ao fundo e cruzou para o meio da área para Régis, com liberdade, cabecear por cima do gol de Magrão. E o Tricolor de Aço continuou a pressionar o Sport, e não demorou muito para tirar o zero do placar. Aos 12 minutos, Edigar Junio recebeu passe de Armero, girou, fintou Durval e, com categoria, deu um leve toque na saída de Magrão. Um belo gol.

O Leão da Ilha tentou dar o troco no minuto seguinte com Rogério que, ao receber no meio, dominou, deixou a redonda quicar e para pegar firme e mandar para fora.

O time recifense tentou se recuperar do prejuízo e quase teve outro maior aos 18. Régis recebeu lançamento, não conseguiu dominar, mas contou com a falha de Matheus Ferraz para ficar com a sobra, porém, o camisa 20 tricolor, com a canhota, mandou para as redes, mas do lado de fora.

O Sport ainda tentava se encontrar em campo, contudo, o time de Guto Ferreira estava melhor no jogo e, aos 30, chegou a acertar a bola na trave. Allione levantou na área e, depois do desvio, Edigar Junior, no segundo pau, cabeceou e acertou a trave de Magrão. E, dois minutos depois, a situação do já complicado Sport piorou de vez. Rogério simulou falta dentro da área e a arbitragem deu o segundo amarelo e, consequentemente, o vermelho e o expulsou.

Com um a menos, o rubronegro do Recife não deu sinais de qualquer indício de reação e, com isso, só restou segurar o resultado até o intervalo para o pressionado Ney Franco mudar o time.

Na volta do intervalo, o Sport voltou com Marquinhos no lugar de Raul Prata. E, aos três minutos, Eduardo fez jogada pela linha de fundo, cruzou rasteiro para Edigar Junio, que chutou prensado por conta da marcação e a bola ficou com Magrão, que foi protagonista em outro lance aos dez minutos. Jean deu um chutão e a redonda sobrou para Régis que, já na área do Sport, pegou de primeira e o camisa 1 espalmou para escanteio. Dois minutos depois, o Bahia chegou mais uma vez na área do Leão. Allione tentou tocar por baixo para o meio da área, foi travado, ficou com a sobra, tocou para a pequena área para Zé Rafael, que chutou, Magrão fez uma defesaça e Marquinhos desviou para escanteio antes da chegada de um jogador do time baiano. Aos 15, Armero fez boa jogada pela esquerda e tocou na área para Edigar Junior, que foi travado na hora do chute e conseguiu um escanteio.

Com a vantagem de ter um homem a mais, os comandados de Guto Ferreira continuaram a pressionar o time de Ney Franco e, aos 21, em um contra-ataque Allione deu excelente passe para Zé Rafael, que avançou com liberdade e, da entrada da área, finalizou para ótima defesa do goleiro do Sport. Pouco tempo depois, aos 25, o Bahia foi com muito perigo ao gol, mas Matheus Ferraz salvou praticamente em cima da linha e impediu o segundo tento dos soteropolitanos. No lance seguinte, o Sport chegou com perigo pela primeira vez no segundo tempo. Everton Felipe tabelou com André em pela direita, chutou ao alvo, mas Jean defendeu com tranquilidade.

Essa chance do Sport deixou claro que o Bahia diminuiu o ímpeto ofensivo e, consequentemente, começou a permitir algumas investidas do Leão para poder apostar nos contra-ataques, que até vieram, mas que não souberam tirar proveito. Como um lance ocorrido já aos 44 minutos em que o Bahia partiu no contragolpe e, mais uma vez, Magrão salvou a pele do Sport de levar o segundo jogo e sepultar de vez as chances de levar a disputa para os pênaltis. Aliás, vale registrar que os ânimos ficaram exaltados no banco de reservas do time pernambucano que teve dois jogadores – Ronaldo e Lenis – expulsos.

O Bahia optou em começar o jogo com um ataque leve, de jogadores rápidos e que se movimentam bastante e isso surtiu efeito ainda no começo do jogo quando Edigar Junio, em lance “à lá Romário”, fintou Durval com a bola “presa” no pé e deu um leve toque por cima de Magrão. O Sport até tentou um esquema com três zagueiros, mas os atacantes do tricolor baiano levaram vantagem na maioria das disputas e, além disso, o clube de Recife não conseguiu criar absolutamente nada nos primeiros 45 minutos e, para complicar de vez, perdeu Rogério, que foi expulso justamente pelo árbitro Francisco Carlos do Nascimento. Na etapa final, o Bahia pressionou até a metade do segundo tempo, mas não conseguiu ampliar a vantagem por conta das boas intervenções de Magrão. O Leão da Ilha só levou perigo à meta de Jean somente aos 26 minutos da etapa final. Embora tivesse ganhado mais terreno para atacar, mas isso foi possível porque o Bahia ficou à espera para contragolpear. A ideia até deu certo, todavia, o poder ofensivo do tricolor não estava com os pés calibrados e não conseguiram superar o goleiro rubronegro. E, dessa forma, o Bahia venceu o Sport pelo placar mínimo e pôs fim ao tabu de títulos da Lampions League que já perdurava por 15 anos.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da final.

Fase de grupos (Grupo B):
26/01/2017 – Fortaleza (CE) 0x0 Bahia (BA) – Castelão, Fortaleza (CE)
04/02/2017 – Bahia (BA) 2×0 Moto Club (MA) – Pituaçu, Salvador (BA)
12/02/2017 – Altos (PI) 0x0 Bahia (BA) – Lindolfo Monteiro, Teresina (PI)
02/03/2017 – Bahia (BA) 3×0 Altos (PI) – Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
12/03/2017 – Moto Club (MA) 0x4 Bahia (BA) – Castelão, São Luís (MA)
22/03/2017 – Bahia (BA) 2×0 Fortaleza (CE) – Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
Quartas-de-final:
20/03/2017 – Sergipe (SE) 0x4 Bahia (BA) – Batistão, Aracaju
02/04/2017 – Bahia (BA) 3×0 Sergipe (SE) – Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
Semifinais:
27/04/2017 – Vitória (BA) 2×1 Bahia (BA) – Barradão, Salvador (BA)
30/04/2017 – Bahia (BA) 2×0 Vitória (BA) – Arena Fonte Nova, Salvador
Final:
17/05/2017 – Sport (PE) 1×1 Bahia (BA) – Ilha do Retiro, Recife (PE)
24/05/2017 – Bahia (BA) 1×0 Sport (PE) – Arena Fonte Nova, Salvador (BA)

FICHA TÉCNICA: BAHIA (BA) 1×0 SPORT (PE)
Competição/fase:
Copa do Nordeste 2017 – final (segundo jogo)
Local: Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
Data: 24 de maio de 2017, quarta-feira – 21h50 (horário de Brasília)
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)
Auxiliares: Esdras Mariano de Lima Albuquerque e Rondinelle dos Santos Tavares, ambos de Alagoas
Cartões Amarelos: Régis, Edson, Renê Junior, Allione, Thiago, Matheus Sales e Zé Rafael (Bahia); Rogério (2), Ronaldo, Leandro Pereira, Marquinhos e Mina (Sport)
Cartões Vermelhos: Rogério, Ronaldo e Lenis (Sport)
Gol: Edigar Junio, aos 12 min do 1º tempo (1-0)
BAHIA (BA): 1.Jean; 22.Eduardo, 3.Tiago, 28.Lucas Fonseca e 7.Armero; 23.Renê Júnior (5.Juninho), 19.Edson, 20.Régis (13.Matheus Sales) e Zé Rafael  (21.Gustavo); 11.Edigar Junio e 8.Allione. Técnico: Guto Ferreira
SPORT (PE): 1.Magrão; 13.Matheus Ferraz, 2.Henríquez e 4.Durval; 23.Raul Prata (11.Marquinhos),  36.Fabrício (97.Everton Felipe), 29.Ronaldo (9.Leandro Pereira), 87.Diego Souza e 6.Mena; 90.André. Técnico: Ney Franco

Parabéns ao Esporte Clube Bahia pelo título.

Por Jorge Almeida

Manchester United: campeão da Liga Europa 2016/2017

Jogadores do Manchester United comemoram o título inédito da UEFA Europa League. Créditos: Reuters

O Manchester United derrotou o Ajax na final da UEFA Europa League 2016/2017 por 2 a 0 na Friends Arena, em Estocolmo, na Suécia, nesta quarta-feira (24), com gols de Pogba e Mkhitaryan. Além do título inédito, os Reds Devils garantiram uma vaga para a próxima UEFA Champions League e ainda disputar a decisão da Supercopa da Europa contra Real Madrid ou Juventus. Esse foi o quarto título continental conquistado por José Mourinho – duas Liga Europa (Copa da UEFA) e duas Liga dos Campeões, o que faz dele o único a conseguir tal façanha.

O jogo começou com o Manchester United pressionando e criando a primeira chance de gol logo aos 25 segundos de partida. Em jogada pela direita, os Reds Devils alçaram a bola na área, o goleiro Onana se chocou com o companheiro e a bola sobrou para Pogba, próximo à meia-lua, e o camisa 6 dominou no peito e emendou de primeira, mas a bola saiu à direita da meta.

Nos minutos iniciais da partida, o time de José Mourinho estava melhor em campo. Tanto que o Ajax só levou perigo aos 14 minutos. Em jogada individual pela esquerda, Younes tocou para Traoré que, de dentro da área, soltou a bomba para Romero fazer a defesa em dois tempos.

O United deu o troco três minutos depois. Em uma troca de passes pela direita no ataque, Fellaini serviu Pogba para o francês finalizar e a bola desviar em Sánchez e tirar completamente do alcance de Onana. O placar foi aberto na Friends Arena.

E, seis minutos depois do gol, o Manchester quase fez o segundo com Valencia. O lateral-direito atacou pelo setor, invadiu a área e chutou forte para Onana espalmar. Essa foi praticamente a última finalização a gol no primeiro tempo.

A partida ficou equilibrada e, aos poucos, o Ajax foi ganhando terreno no campo de defesa do clube inglês que, no banho-maria, conseguiu segurar os ímpetos dos holandeses. E, dessa maneira, a etapa inicial terminou com vitória parcial dos Reds Devils.

A etapa complementar mal começara e, aos dois minutos, o Manchester United fez o segundo gol. Após escanteio cobrado pela direita, Smalling desviou de cabeça e Mkhitaryan, que se adiantou do marcador e desviou para ampliar a vantagem.

Com o resultado favorável, os Diabos Vermelhos praticamente jogaram para administrar o resultado e, mesmo assim, não deram chances para a agremiação dos Países Baixos chegarem à meta de Romero. Aos 19, Pogba cruzou da direita na medida para Fellaini, que cabeceou para defesa de Onana.

O Manchester United continuou com a sua efetiva marcação e não permitiu que a rápida e jovem equipe do Ajax chegasse em sua área. A tática deu tão certo que as principais chances dos Godenzonen aconteceram apenas com chutes de fora da área, aos 20 com Ziyech, aos 35 com De Ligt e aos 38 com Sánchez, mas todas as finalizações passaram por cima do gol defendido pelo camisa 20.

E, quando a decisão estava em seus momentos finais, aos 40 minutos, os Reds Devils tiveram uma excelente chance de fazer o terceiro gol. Lingard recebeu em seu campo de defesa, conduziu a bola por todo o campo de defesa do Ajax, invadiu a área e, na hora de finalizar, foi desarmado por Sánchez. No lance seguinte, Van de Beek, que entrou no lugar de Schöne, cortou o marcador e finalizou para defesa tranquila de Romero.

E, nos acréscimos, aos 49, David Neres, o único brasileiro em campo e que substituiu Douberg, recebeu e ficou cara a cara com o goleiro argentino, tentou encobri-lo, mas Valencia chegou a tempo para evitar o gol de honra do time holandês. E, fim de jogo na Friends Arena: Ajax 0, Manchester United 2.

Manchester United e Ajax entraram em campo pela final da UEFA Europa League para salvar a temporada de ambos depois de fracassarem em seus respectivos campeonatos nacionais. O Ajax perdeu o título holandês na última rodada, enquanto os Diabos Vermelhos focaram suas atenções nessa disputa porque era a única forma do time de Old Trafford disputar uma competição europeia na próxima temporada. Assim, na Friends Arena, José Mourinho pôs para marcar os meias habilidosos da equipe holandesa e, dessa forma, anulou o setor criativo do adversário, que tinha como uma de suas principais armas para escapar dos marcadores do treinador português o drible, principalmente os de Touré. No entanto, a marcação avançada para as roubadas de bola do United foram eficientes no primeiro tempo. No segundo tempo, o gol marcado logo no início, deu ainda mais tranquilidade para os comandados de José Mourinho que praticamente levaram o jogo no banho-maria até o final e, com um excelente esquema de marcação, o Ajax praticamente não assustou Romero que, ao longo de todo o segundo tempo, só pegou na redonda duas vezes, pois as outras finalizações da equipe alvirrubra holandesa foram de fora da área e por cima da meta. E, assim, da mesma forma que começou a temporada, o United termina: campeão.

A seguir, o resumo da campanha e a ficha técnica da final.

Fase de grupos (Grupo A):
15/09/2016 – Feyenoord (HOL) 1×0 Manchester United (ING) – De Kuip, Roterdã
29/09/2016 – Manchester United (ING) 1×0 Zorya Luhansk (UCR) – Old Trafford, Trafford
20/10/2016 – Manchester United (ING) 4×1 Fenerbahçe (TUR) – Old Trafford, Trafford
03/11/2016 – Fenerbahçe (TUR) 2×1 Manchester United (ING) – Şükrü Saracoğlu Stadium, Istambul
24/11/2016 – Manchester United (ING) 4×1 Feyenoord (HOL) – Old Trafford, Trafford
08/12/2016 – Zorya Luhansk (UCR) 0x2 Manchester United (ING) – Chornomorets Stadium, Odessa
Segunda fase:
16/02/2017 – Manchester United (ING) 3×0 Saint-Étienne (FRA) – Old Trafford, Trafford
22/02/2017 – Saint-Étienne (FRA) 0x1 MAnchester United (ING) – Stade Geoffroy-Guichard, Saint-Étienne
Oitavas-de-final:
09/03/2017 – Rostov (RUS) 1×1 Manchester United (ING) – Olimp-2, Rostov
16/03/2017 – Manchester United (ING) 1×0 Rostov (RUS) – Old Trafford, Trafford
Quartas-de-final:
13/04/2017 – Anderlecht (BÉL) 1×1 Manchester United (ING) – Constant Vanden Stock Stadium, Anderlecht
20/04/2017 – Manchester United (ING) 2×1 Anderlecht (BÉL) – Old Trafford, Trafford
Semifinais:
04/05/2017 – Celta de Vigo (ESP) 0x1 Manchester United (ING) – Balaídos, Vigo
11/05/2017 – Manchester United (ING) 1×1 Celta de Vigo (ESP) – Old Trafford, Trafford
Final:
24/05/2017 – Ajax (HOL) 0x2 Manchester United (ING) – Friends Arena, Estocolmo

FICHA TÉCNICA: AJAX (HOL) 0x2 MANCHESTER UNITED (ING)
Competição/fase:
UEFA Europe Ligue 2016/2017 – final (jogo único)
Local: Friends Arena, Estocolmo, Suécia
Data: 24 de maio de 2017, quarta-feira – 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Damir Skomina (ESL)
Assistentes: Jure Praprotnik (ESL) e Robert Vukan (ESL)
Cartões Amarelos: Mkhitaryan, Fellaini e Mata (Manchester United); Veltman, Younes e Riedewald
Gols: Pogba, aos 17 min do 1º tempo (0-1); e Mkhitaryan, aos 2 min do 2º tempo (0-2)
AJAX (HOL): 24.Onana; 3.Veltman, 5.Sánchez, 36.De Ligt e 4.Riedewald (21.De Jong); 20.Schöne (30.Van de Beek), 10.Klaassen e 22.Zlyech; 11.Younes, 9.Traroé e 25.Dolberg (77.David Neres). Técnico: Peter Bosz
MANCHESTER UNITED (ING): 20.Romero; 25.Valencia, 12.Smalling, 17.Blind e 36.Darmian; 21.Herrera, 8.Mata (10.Rooney), 22.Mkhitaryan (14.Lingard), 27.Fellaini e 6.Pogba; 19.Rashford (11.Martial). Técnico: José Mourinho

Parabéns ao Manchester United Football Club pela conquista.

Por Jorge Almeida

Juventus: hexacampeã italiana

Jogadores da Juventus comemoram a conquista do hexacampeonato italiano do clube de Turim. Créditos: Reuters

Com uma vitória por 3 a 0 diante do Crotone no Juventus Stadium, neste domingo (21), pela 37ª rodada do Campeonato Italiano 2016/2017, a Juventus sagrou-se hexacampeã italiana com uma rodada de antecedência. Os gols da partida foram anotados por Mandžukić, Dybala e Alex Sandro. O triunfo bianconero acabou com os sonhos de Roma e Napoli, que tinham chances matemáticas, de conquistar o scudetto. A sequência de seis títulos nacionais é um feito inédito na história do futebol na terra da bota.

Precisando de apenas uma vitória para conquistar o título, a Juventus foi para cima do Crotone e não demorou muito para abrir o placar. Aos 11 minutos, Cuadrado avançou pela direita, cruzou rasteiro, Higuaín passou pela bola, mas Mandžukić surgiu para chutar e fazer 1 a 0 para os anfitriões.

Com a vantagem no placar, os bianconeros dominaram completamente o jogo e, inclusive, chegaram quatro vezes à meta adversária ainda na metade do primeiro tempo, enquanto os visitantes não fizeram nenhuma investida à meta da Juve.

Dessa forma, com ampla soberania no gramado, não demorou para a Vecchia Signora chegar ao segundo gol. Aos 37, Dybala cobrou falta com maestria e acertou o canto de Cordaz, sem dar chances de defesa para o arqueiro.

Assim, a primeira etapa terminou com a festa bem encaminhada para o inédito hexa da Juventus.

Nos primeiros minutos da etapa final, os mandantes balançaram as redes, mas o tento de Dybala foi anulado, aos 9 minutos, pois a arbitragem flagrou o atacante argentino em posição irregular.

Em virtude da situação confortável construída no primeiro tempo, a Juve apenas controlou o jogo enquanto os visitantes praticamente não a ameaçavam.

Embora o ímpeto da Juventus na segunda etapa não tenha sido como na primeira, houve tempo para comemorar o terceiro gol e sacramentar a conquista. Depois da cobrança de escanteio, aos 37, o brasileiro Alex Sandro aproveitou a cobrança do córner e deu firme cabeçada. Cardaz defendeu, a redonda tocou no travessão e cruzou a linha por centímetros antes de sair. A arbitragem precisou do auxílio tecnológico para validar o gol.

A equipe rubro-azulina só fez Buffon trabalhar aos 46 minutos do segundo tempo. Nalini saiu cara a cara com o goleiro, que impediu a finalização do camisa 9.

E ainda deu tempo de Mandžukić, aos 47, quase fazer um golaço no Juventus Stadium. Da linha do meio de campo, o croata arriscou para gol e só não balançou as redes porque Cordaz voltou a tempo e impediu o quarto tento da Vecchia Signora.

E depois de três tropeços consecutivo no Calcio, a Juve finalmente chegou aos 88 pontos e abocanhou o hexacampeonato. A Juventus dominou o jogo diante do Crotone do começo ao fim. Depois de um primeiro tempo empolgante, quando fez 2 a 0, a equipe bianconera atuou o segundo tempo “só para o gasto”. A soberania diante dos Tubarões foi tanta que o roupeiro da equipe de Turim nem vai precisar gastar sabão em pó para lavar o uniforme de Buffon, que praticamente viu a partida de um lugar privilegiado. E, assim, merecidamente, a Velha Senhora conquista o 33º scudetto, ampliando ainda mais a hegemonia na Itália, e se distanciando em números de Calcio em relação à dupla de Milão – Internazionale e Milan – que têm 18 campeonatos italianos cada. Além disso, a Juve fez uma temporada perfeita em casa, sem perder em sua arena – desde 23 de agosto de 2015 já são 53 jogos de invencibilidade. Nesse período, apenas um empate em 1 a 1 com o Milan pela Supercopa da Itália, que foi vencida pelos rossoneros nos pênaltis.

Aliás, depois da conquista da Copa da Itália na última quarta e agora com o título do Calcio, o lateral-direito Daniel Alves comemorou a impressionante marca de 34 taças em sua trajetória, empatando com o também brasileiro Maxwell. Porém, caso consiga levar a Juve ao título da Champions, o camisa 23 alcançará o recorde de Giggs como dono da maior quantidade de títulos oficiais conquistados.

Além do título da Juventus, a 37ª rodada também serviu para definir as situações de algumas equipes no campeonato com relação à disputa das competições europeias na próxima temporada.

Com 88 pontos, a Juventus já está na fase de grupos da próxima UEFA Champions League. Na vice-liderança, com 84 pontos, está a Roma, seguida do Napoli com 83. No caso de ambos, quem terminar à frente na última rodada irá também para a fase de grupos da competição continental, enquanto o terceiro colocado disputará os play-offs do torneio. Enquanto isso, Lazio e Atalanta, com 70 e 69 pontos, se classificaram para a fase de grupos da Liga Europa, e o Milan, com 63 pontos, foi qualificado para a disputa dos play-offs da mesma competição.

Na parte debaixo da tabela, Pescara e Palermo já estão rebaixados. Enquanto isso, Crotone, com 31 pontos, e Empoli, com 32, lutarão pela permanência na última rodada.

O próximo compromisso da Juve, válido pela 38ª (e última) rodada do Campeonato Italiano será diante do Bologna fora de casa. E o Crotone tentará ficar na primeira divisão e, para isso, terá a ingrata missão de pegar a Lazio. O seu concorrente direto, o Empoli, encara o Palermo no Renzo Barbera. Todas as partidas acontecerão no próximo domingo (28).

A seguir, as partidas da última rodada do Campeonato Italiano, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica do jogo do título.

Data/horário –Jogo – Local:
28/05 – 15h45 – Atalanta x Chievo Verona – Atleti Azzurri D’Italia, Bérgamo
28/05 – 15h45 – Parma x Empoli – Renzo Barbera
28/05 – 15h45 – Bologna x Juventus – Renato Dall’Ara, Bolonha
28/05 – 15h45 – Roma x Genoa – Olímpico, Roma
28/05 – 15h45 – Crotone x Lazio – Ezio Scida, Crotone
28/05 – 15h45 – Sampdoria x Napoli – Luigi Ferraris, Gênova
28/05 – 15h45 – Cagliari x Milan – Nereo Rocco, Cagliari
28/05 – 15h45 – Fiorentina x Pescara – Artemio Frenchi, Florença
28/05 – 15h45 – Internazionale x Udinese – Giuseppe Meazza – Milão
28/05 – 15h45 – Torino x Sassuolo – Olímpico, Turim

Data – Jogo – Local:
20/08/2016 – Juventus 2×1 Fiorentina – Juventus Stadium, Turim
27/08/2016 – Lazio 0x1 Juventus – Olímpico de Roma, Roma
10/09/2016 – Juventus 3×1 Sassuolo – Juventus Stadium, Turim
18/09/2016 – Internazionale 2×1 Juventus – Giuseppe Meazza, Milão
21/09/2016 – Juventus 4×0 Cagliari – Juventus Stadium, Turim
24/09/2016 – Palermo 0x1 Juventus – Renzo Barbera, Palermo
02/10/2016 – Empoli 0x3 Juventus – Carlo Castellani, Empoli
15/10/2016 – Juventus 2×1 Udinese – Juventus Stadium, Turim
23/10/2016 – Milan 1×0 Juventus – San Siro, Milão
26/10/2016 – Juventus 4×1 Sampdoria – Juventus Stadium, Turim
29/10/2016 – Juventus 2×1 Napoli – Juventus Stadium, Turim
06/11/2016 – Chievo 1×2 Juventus – Marc’Antonio Bentegodi, Verona
19/11/2016 – Juventus 3×0 Pescara – Juventus Stadium, Turim
27/11/2016 – Genoa 3×1 Juventus – Luigi Ferraris, Gênova
03/12/2016 – Juventus 3×1 Atalanta – Juventus Stadium, Turim
11/12/2016 – Torino 1×3 Juventus – Olímpico de Turim, Turim
17/12/2016 – Juventus 1×0 Roma – Juventus Stadium, Turim
08/02/2017* – Crotone 0x2 Juventus – Ezio Scida, Crotone
08/01/2017 – Juventus 3×0 Bologna – Juventus Stadium, Turim
15/01/2017 – Fiorentina 2×1 Juventus – Artemio Franchi, Florença
22/01/2017 – Juventus 2×0 Lazio – Juventus Stadium, Turim
29/01/2017 – Sassuolo 0x2 Juventus – Città del Tricolore, Sassuolo
05/02/2017 – Juventus 1×0 Internazionale – Juventus Stadium, Turim
12/02/2017 – Cagliari 0x2 Juventus – Nereo Rocco, Cagliari
17/02/2017 – Juventus 4×1 Palermo – Juventus Stadium, Turim
25/02/2017 – Juventus 2×0 Empoli – Juventus Stadium, Turim
05/03/2017 – Udinese 1×1 Juventus – Friulli, Údine
10/03/2017 – Juventus 2×1 Milan – Juventus Stadium, Turim
19/03/2017 – Sampdoria 0x1 Juventus – Luigi Ferraris, Gênova
02/04/2017 – Napoli 1×1 Juventus – San Paolo, Nápoles
08/04/2017 – Juventus 2×0 Chievo – Juventus Stadium, Turim
15/04/2017 – Pescara 0x2 Juventus – Adriático, Pescara
23/04/2017 – Juventus 4×0 Genoa – Juventus Stadium, Turim
28/04/2017 – Atalanta 2×2 Juventus – Atleti Azzurri D’Italia, Bérgamo
06/05/2017 – Juventus 1×1 Torino – Juventus Stadium, Turim
14/05/2017 – Roma 3×1 Juventus – Olímpico de Roma, Roma
21/05/2017 – Juventus 3×0 Crotone – Juventus Stadium, Turim
28/05/2017 – Bologna x Juventus – Renato Dall’Ara, Bolonha**

* Jogo adiado / ** Jogo a ser realizado.

FICHA TÉCNICA: JUVENTUS 3×0 CROTONE
Competição/fase: Campeonato Italiano Série A 2016/2017 – 37ª rodada
Local: Juventus Stadium, Turim, Itália
Data: 21 de maio de 2017, domingo – 10h (horário de Brasília)
Árbitro: Paolo Silvio Mazzoleni
Cartões Amarelos: Daniel Alves (Juventus); Martella (Crotone)
Gols: Mandžukić, aos 12 min do 1º tempo (1-0), Dybala, aos 39 do 1º tempo (2-0); e Alex Sandro, aos 37 min do 2º tempo (3-0)
JUVENTUS: 1.Buffon; 23.Daniel Alves, 19.Bonucci, 4.Benatia e 12.Alex Sandro; 5.Pjanić (28.Rincón), 8.Marchisio (18.Lemina), 17.Mandžukić, 7.Cuadrado (15.Barzagli) e 21.Dybala; 9.Higuaín. Técnico: Massimiliano Allegri
CROTONE: 1.Cordaz, 22.Rosi (31.Sampirisi), 13.Ferrari, 17.Ceccherini e 87.Martella; 8.Crisetig, 18.Barberis, 6.Rohdén (27.Acosty) e 24.Tonev (99.Nwankwo); 11.Falcinelli e 9.Nalini. Técnico: Davide Nicola

Parabéns à Juventus Football Club pela conquista.

Por Jorge Almeida

Juventus: campeã da Copa Itália 2016/2017

Jogadores da Juventus comemoram o título da Copa da Itália. Créditos: juventus.com

A Juventus conquistou o tricampeonato da Copa da Itália ao derrotar a Lazio na final da Copa da Itália 2016/2017 por 2 a 0, com gols de Daniel Alves e Bonucci, ambos no primeiro tempo, no Estádio Olímpico de Roma nesta quarta-feira (17). Com o título, os bianconeros aumentaram a sua hegemonia no torneio com 12 títulos, distanciando ainda mais da Roma, segunda maior detentora de canecos do certame, nove troféus.

A partida começou com a Juventus tendo a iniciativa e criando a primeira oportunidade logo aos 3 minutos com Chiellini chutando de fora da área para defesa de Strakosha. A Lazio respondeu no lance seguinte com Keita, que recebeu pela esquerda, encarou a marcação dentro da área e chutou, mas a bola acerta a trave do goleiro Neto. Em seguida, aos 6, Higuaín soltou a bomba para bela defesa do arqueiro do time da capital da Bota.

Aos 11 minutos, Alex Sandro cruzou da esquerda para Daniel Alves pegar de primeira e abrir o placar da partida e começar a festa bianconera no Estádio Olímpico de Roma.

Depois do gol sofrido, a Lazio ainda não voltou para o jogo e, aos 14, quase levou o segundo com Dybala arriscando da entrada da área e Strakosha trabalhando novamente. E, quatro minutos depois, o arqueiro albanês fez duas defesas em sequência. Primeiro pegou a bomba de Dybala, no rebote, Daniel Alvez cruzou para Higuaín desviar e o goleiro fazer nova defesa.

A Vecchia Signora continuava a dominar as ações do jogo e, aos 23, Bonucci ampliou o marcador. Alex Sandro cobrou escanteio pela esquerda e o defensor, livre de marcação, aproveitou para desviar com o pé esquerdo.

A Juve dominou completamente a partida. Enquanto isso, os Biancocelesti só levaram perigo aos 31 com Immobile que, sozinho, desperdiçou uma ótima oportunidade ao cabecear para fora.

Depois de um começo avassalador, a Juventus deu uma “relaxada” e permitiu que a equipe de Roma equilibrasse mais as ações. E, antes do término da etapa inicial, a Lazio assustou. Aos 46, o argentino Biglia cobrou falta com perigo, a defesa mandou para escanteio. Na cobrança do córner, o mesmo Biglia cruzou para a cabeçada de Savić, mas Neto bem colocado fez a defesa.

No começo do segundo tempo, o técnico Simone Inzaghi colocou Felipe Anderson no lugar do angolano Bastos. E, em sua primeira jogada, aos 8, o brasileiro arriscou um chute cruzado do lado direito da área para Neto espalmar. Três minutos depois, Felipe Anderson cruzou na área para Immobili desviar, mas o goleiro bianconero mostrou reflexo de fez uma defesaça.

Diferentemente do que apresentou nos primeiros minutos da etapa inicial, a Lazio permaneceu com mais posse de bola até os 15 minutos do segundo tempo e criou duas boas chances e a Juve, depois da tentativa de reação do adversário, passou a rodar a bola no campo ofensivo. Mas os comandados de Simone Inzaghi tentou mais uma vez aos 21. Após o cruzamento na área, a defesa da Juve afastou e, na sobra, Basta arriscou, porém, pegou muito forte na redonda. A Juventus tentou aos 25. Daniel Alves deu uma caneta em Lulić e tocou rasteiro para Higuaín, que dominou na entrada da área, mas foi travado pela marcação na hora do chute. O clube romano tentou mais uma vez aos 28 com Luis Alberto. Depois da bola alçada na área, a zaga afastou parcialmente e o espanhol da camisa 18 pegou de primeira para defesa de Neto. Cinco minutos depois, foi a vez de Immobile aparecer sozinho e cabecear por cima.

E, depois de passar praticamente como mero expectador do jogo, Strakosha voltou a trabalhar aos 43. Daniel Alves tocou para Higuaín, o argentino recebeu cara a cara e chutou para o goleiro fazer excelente defesa.

Com a proximidade do término da decisão, a Juventus só ficou à espera do término da partida para comemorar o tricampeonato da Copa da Itália, que veio aos 48 minutos. Fim de jogo no Estádio Olímpico de Roma, Juventus 2, Lazio 0.

Depois de ter a festa do título italiano adiado em virtude da derrota para a Roma no último domingo por 3 a 1, a Juventus entrou em campo diante do arquirrival de seu algoz do campeonato nacional, a Lazio, mas dessa vez pela final da Copa da Itália. A decisão, que seria disputada inicialmente no próximo dia 2 de junho, teve de ser antecipada para esta quarta-feira (17) em virtude de a equipe de Turim estar na final da UEFA Champions League, que será disputada no dia 3, em Cardiff, no País de Gales, contra o Real Madrid.

O time de Massimiliano Allegri começou o jogo massacrando o rival e, na metade do primeiro tempo, já estava à frente do placar em 2 a 0. E o resultado só não ficou mais elástico graças às excelentes defesas do goleiro Strakosha. A Juve chegou bastante ao ataque, principalmente pela direita com Daniel Alves e com as finalizações do argentino Higuaín. O clube de Roma só conseguiu esboçar uma reação a partir dos 30 minutos e chegou a ter suas oportunidades, mas a reação parou em Neto, que substituiu Buffon, que foi poupado. No segundo tempo, a Lazio ditou o ritmo da partida e criou mais chances do que o seu oponente. Porém, o goleiro brasileiro continuou firme e manteve o bom rendimento ao longo do jogo, além de a Juve ter cadenciado a partida para, em um eventual descuido da Lazio, tentar o terceiro gol, que não veio.

E esse foi o primeiro dos três passos da tão sonhada tríplice coroa que a Juventus sonha – só faltam agora o Campeonato Italiano, que poderá vir já no próximo domingo diante do Crotone, e a UEFA Champions League.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da final.

Oitavas-de-final:
11/01/2017 – Juventus 3×2 Atalanta – Juventus Stadium, Turim
Quartas-de-final:
25/01/2017 – Juventus 2×1 Milan – Juventus Stadium, Turim
Semifinais:
28/02/2017 – Juventus 3×1 Napoli – Juventus Stadium, Turim
05/04/2017 – Napoli 3×2 Juventus – San Paolo, Nápoles
Final:
17/05/2017 – Juventus 2×0 Lazio – Estádio Olímpico, Roma

FICHA TÉCNICA: JUVENTUS 2×0 LAZIO
Competição/fase: Copa da Itália 2016/2017 – final (jogo único)
Local: Estádio Olímpico de Roma, Roma, Itália
Data: 17 de maio de 2017, quarta-feira, 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Paolo Tagliavento
Cartão Amarelo: Daniel Alves (Juventus)
Gols: Daniel Alves, aos 11 min do 1º tempo (1-0); e Bonucci, aos 23 min do 1º tempo (2-0)
JUVENTUS: 25.Neto; 23.Daniel Alves, 3.Chiellini, 15.Barzagli e 19.Bonucci; 12.Alex Sandro, 28.Rincón e 8.Marchisio; 9.Higuaín, 17.Mandžukić e 21.Dybala (18.Lemina). Técnico: Massimiliano Allegri
LAZIO: 1.Strakosha; 8.Basta, 3.De Vrij (18.Luis Alberto), 13.Wallace e 15.Bastos (10.Felipe Anderson); 20.Biglia, 16.Paroto (26.Radu), 21.Milinković-Savić e 19.Lulić; 17.Immobile e 14.Keita. Técnico: Simone Inzaghi

Parabéns ao Juventus Football Club pelo título.

Por Jorge Almeida

Luverdense: campeão da Copa Verde 2017

Os jogadores do Luverdense erguem a taça da inédita Copa Verde. Créditos: Fernando Torres/Paysandu

O Luverdense empatou em 1 a 1 com o Paysandu no Mangueirão, em Belém, na noite desta terça-feira (16) e é o mais novo campeão da Copa Verde. Como havia vencido o jogo de ida, em Lucas do Rio Verde (MT), por 3 a 1, o LEC fez 4 a 2 no placar agregado e ficou com a taça. Os gols da partida foram marcados por Leandro Carvalho para o time da casa no primeiro tempo e por Rafael Silva, cobrando pênalti, na etapa final. Essa foi a primeira conquista do Verdão do Oeste fora da esfera estadual em 13 anos de existência, e de forma invicta.

Com o apoio da torcida, o Paysandu começou o jogo disposto a reverter a (boa) vantagem do Luverdense. Assim, logo, aos três minutos, após cobrança de falta pela direita, em jogada ensaiada, Diogo Oliveira cruzou rasteiro, a zaga do LEC afastou mal e Leandro Carvalho emendou de primeira e colocou no canto de Diogo Silva e colocar o bicolor paraense na frente.

Depois do gol sofrido, o Verdão do Norte tentou se encontrar em campo para não deixar a vantagem que, aquele momento, mesmo com a derrota parcial, lhe era favorável. No entanto, a equipe da casa sempre levava perigo pelas jogadas rápidas nas laterais. Embora precisasse fazer mais um gol, o time paraense apostou em contra-ataques na etapa inicial. Assim, o LEC passou a ter mais o controle da bola e de criar mais algumas oportunidades, mas parava em Emerson e na falta de capricho nas finalizações.

Aos 29 minutos, Ayrton passou pela marcação, avançou pela direita e cruzou na área, mas a bola passou por Bérgson e saiu pela linha de fundo. Quatro minutos depois, o Luverdense chegou com Douglas Baggio. Em jogada pela esquerda, Macena cruzou rasteiro e o camisa 7, da altura da meia-lua, pegou de primeira e  mandou para longe. No minuto seguinte, o clube matogrossense, em um contragolpe fulminante, Rafael Silva recebeu pela esquerda e finalizou forte para Emerson fazer a defesa. Aos 36, Marcos Aurélio avançou e chutou da entrada da área para o camisa 1 bicolor fazer a defesa no meio do gol. Dessa forma, com vitória parcial do Paysandu, o título estava a caminho de Lucas do Rio Verde.

Na volta do intervalo, o goleiro Emerson sentiu uma lesão na coxa e foi substituído por Marcão. E, assim como foi no primeiro tempo, a etapa final começou com o Papão pressionando e, a um minuto, Alfredo disparou em velocidade pela esquerda, entrou na área e chutou cruzado para Diego Silva segurar a bola.

Aos 7, Rodrigo Andrade saiu driblando na defesa e foi desarmado e Marcos Aurélio puxou contra-ataque e foi derrubado na meia-lua. Falta perigosa. Na cobrança, o próprio Marcos Aurélio chutou forte no canto e a redonda acertou a trave direita e, na sobra, Erik não dominou a bola. O Paysandu trocou passes no campo de ataque, aos 12, até que Ayrton, lançado na área e sem ângulo, tentou bater no canto e a bola saiu pela linha de fundo.

E, aos 19, o Paysandu quase fez o gol que lhe daria o bicampeonato. Ayrton cobrou falta pela direita, Wesley desviou no primeiro pau, Wikerson e Diogo não alcançaram na segunda trave e a bola saiu. Nos oito minutos seguintes, as duas equipes caíram de rendimento e o jogo ficou “feio”, com muitos passes errados. Até que, aos 27, o camisa 10 do LEC pegou a sobra da entrada da área e a esférica passou rente à trave e saiu pela linha de fundo.

A partida seguia monótona até que, aos 31 minutos, o lance capital da decisão. Marcão derrubou Rodrigo Fumaça (substituto de Raphael Macena) na área. O árbitro Rodrigo Batista Raposo marcou pênalti. Na cobrança, Rafael Silva bateu colocado no canto direito, Marcão acertou o lado, mas não alcançou. É o empate do Verdão do Norte.

E, depois do gol sofrido, o Paysandu foi para o abafa, mas o Luverdense conseguiu se segurar e se fechar na defensa, enquanto isso, o Papão tentou furar a bem postada defesa do LEC. E a última oportunidade dos anfitriões veio aos 46. A bola foi alçada na área, Diogo Silva não alcançou e Gilvan desviou para fora. Fim de jogo no Mangueirão: Paysandu 1, Luverdense 1. Dessa forma, o LEC é o mais novo campeão da Copa Verde.

Em um genuíno clima de decisão no Mangueirão, o Paysandu, como já era de se esperar, partiu para cima do Luverdense para diminuir a vantagem do rival e, logo aos três minutos, conseguiu abrir o placar com Leandro Carvalho. Início fulminante para o bicolor, que pressionou os visitantes nos 20 minutos iniciais, até que a equipe de Lucas do Rio Verde conseguiu sair para o jogo e equilibrar o jogo e, inclusive, conseguiu criar algumas oportunidades, sendo apenas uma que, de fato, levou perigo à meta do Papão. A vitória parcial no primeiro tempo, no entanto, não era suficiente para o Paysandu, que precisava de mais um gol para levar o bicampeonato do torneio. Os primeiros minutos do segundo tempo foram semelhantes aos da etapa inicial, com o time da casa pressionando, mas o LEC voltou com mais determinação e, aos 9, acertou a trave. E, depois de uma oportunidade desperdiçada pelo Papão aos 19, o jogo ficou nervoso e as duas equipes mostravam mais disposição do que técnica e, com isso, o número erros de passe aumentou. Depois os minutos de péssimo futebol, o Luverdense melhorou na partida e chegou ao empate. Aos 31, Rodrigo Fumaça foi derrubado na área e sofreu a penalidade máxima. Rafael Silva cobrou e empatou a peleja. O Paysandu foi para cima nos momentos finais, mas não obteve forças o suficiente para conseguir os dois gols que poderiam levar a decisão para os pênaltis.

Com o título, conquistado de forma invicta, o Luverdense, com apenas 13 anos de existência e três estaduais no currículo, ergueu o primeiro título fora do âmbito estadual para o Mato Grosso e, em 2018, terá o direito assegurado de disputar a Copa do Brasil a partir das oitavas-de-final. Enquanto isso, o trabalho de Marcelo Chamusca está sendo contestado pelo torcedor bicolor, uma vez que o Paysandu, além dessa perda, embora tenha conquistado o Campeonato Paraense, fora eliminado recentemente pelo Santos na Copa do Brasil.

O troféu do Luverdense faz do Mato Grosso o Estado mais vencedor da Copa Verde, com duas conquistas (o outro campeão é o Cuiabá, em 2015). Já o Pará se manteve presente nas quatro finais do torneio, com um título (com Paysandu em 2016) e três vices – Paysandu em 2014 e 2017 e Remo, em 2015.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da final.

Data – Jogo – Local:
Primeira Fase:
04/03/2017 – Ceilândia (DF) 0x1 Luverdense (MT) – Maria Abadia, Ceilândia (DF)
19/03/2017 – Luverdense (MT) 3×1 Ceilândia (DF) – Passos das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
Segunda fase:
29/03/2017 – Luverdense (MT) 5×0 Rio Branco (ES) – Passos das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
1º/04/2017 – Rio Branco (ES) 2×2 Luverdense (MT) – Kléber Andrade, Cariacica (ES)
Semifinais:
15/04/2017 – Rondoniense (RO) 1×2 Luverdense (MT) – Arena da Floresta, Rio Branco (AC)
20/04/2017 – Luverdense (MT) 3×1 Rondoniense (RO) – Passo das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
Final:
04/05/2017 – Luverdense (MT) 3×1 Paysandu (PA) – Arena Pantanal, Cuiabá (MT)
16/05/2017 – Paysandu (PA) 1×1 Luverdense (MT) – Mangueirão, Belém (PA)

FICHA TÉCNICA: PAYSANDU (PA) 1×1 LUVERDENSE (MT)
Competição/fase: Copa Verde 2017 – final (2º jogo)
Local: Estádio Mangueirão, Belém (PA)
Data: 16 de maio de 2017, terça-feira – 20h (horário de Brasília)
Público total: 28.553 torcedores
Renda: R$ 668.225,00
Público pagante: 26.653 pessoas
Público não pagante: 1.900 pessoas
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Assistentes: Daniel Henrique da Silva Andrade e Ciro Chaban Junqueira, ambos do DF
Cartões Amarelos: Daniel Sobralense, Leandro Carvalho e Wesley (Paysandu); Diogo Silva, Ricardo, Erik e Rodrigo Fumaça (Luverdense)
Gols: Leandro Carvalho, aos 3 min do 1º tempo (1-0); Rafael Silva (pênalti), aos 33 min do 2º tempo (1-1)
PAYSANDU (PA): 1.Emerson (12.Marcão); 2.Ayrton, 26.Perema, 4.Gilvan e 6.Willian Simões (20.Daniel Sobralense); 32.Rodrigo Andrade, 15.Wesley e 10.Diogo Oliveira; 36.Leandro Carvalho, 30.Bérgson (21.Will) e 28.Alfredo. Técnico: Marcelo Chamusca
LUVERDENSE (MT): 1.Diogo Silva; 2.Aderlan, 3.Pierre, 4.Dalton (13.Negrete) e 6.Paulinho; 5.Erik, 10.Marcos Aurélio (Alaor Júnior) e 8.Ricardo; 7.Douglas Baggio e 9.Raphael Macena (Rodrigo Fumaça). Técnico: Júnior Rocha

Parabéns ao Luverdense Esporte Clube pela conquista.

Por Jorge Almeida

Começa hoje o Campeonato Brasileiro 2017

Campeonato Brasileiro Série A começa neste sábado (13)

Depois da festa com os campeões dos principais estaduais pelo Brasil no final de semana passado, neste sábado (13) começa a principal competição do futebol pentacampeão do mundo, o Campeonato Brasileiro. De hoje até o início de dezembro, 20 equipes de nove Estados buscam o título mais disputado do país ao longo de 38 rodadas. A rodada inaugural começa hoje com dois jogos: Corinthians e Chapecoense, na Arena Corinthians, e Flamengo e Atlético Mineiro, no Maracanã.

A novidade desta edição é a ausência do Internacional na Série A. Tricampeão do certame, o Colorado que até 2016 era uma das cinco equipes do Brasil que nunca havia disputado as divisões inferiores do futebol brasileiro, tentará voltar à elite pela Série B, que teve início ontem. O Estado de São Paulo é o que tem mais representantes: cinco equipes, enquanto o Nordeste é representado por três clubes e o Atlético Goianiense é o único participante da região Centro-Oeste.

Dos times participantes, 15 deles já sentiram o gostinho de ter sido campeão brasileiro na história. E, dentre os campeões, o Atlético Mineiro é o dono da maior fila de espera: 46 anos – a última (e única) conquista atleticana foi no longínquo ano de 1971.

Atual campeão brasileiro, o Palmeiras receberá o Vasco no Allianz Parque neste domingo (14). O destaque da equipe alviverde é o retorno do técnico Cuca. Enquanto isso, a equipe cruzmaltina, que retornou a elite este ano, tentará não decepcionar os seus torcedores neste Brasileiro e fazer uma campanha digna de sua grandeza.

Vencedor do último Campeonato Paulista, o Corinthians receberá em casa neste sábado (13) a Chapecoense. A equipe de Fábio Carille quer consolidar no certame que não é a “quarta força” do futebol paulista. Já a Chape, por sua vez, disputará o campeonato para se reerguer e pela honra e memória das vítimas do voo da Lamia, embora, o seu desempenho no Brasileirão será uma incógnita.

São Paulo e Cruzeiro farão o duelo dos dois maiores campeões brasileiros da era dos pontos corridos, mas que nesta temporada ambos decepcionaram seus torcedores com eliminações recentes em mata-mata. A partida acontecerá neste domingo, no Mineirão, em Belo Horizonte, e, apesar de a Raposa ter eliminado o Tricolor na Copa do Brasil recentemente, o hexacampeão brasileiro tem um vasto retrospecto favorável diante dos mineiros: 30 vitórias, 9 derrotas e 15 empates.

O Maracanã será o palco das estreias de Fluminense e Santos neste domingo às 11h. O Tricolor carioca e o Peixe não querem ser meros coadjuvantes no Brasileirão e ambos têm como triunfo a experiência de seus treinadores: Abel Braga, pelo Flu, e Dorival Jr., pela equipe da Baixada Santista.

Vice-campeã paulista, a Ponte Preta receberá o Sport Recife no Moisés Lucarelli no domingo. A Macaca campineira perdeu o seu principal jogador para o Internacional e acredita no bom trabalho de Gilson Kleina para figurar em uma boa colocação. Já o Leão da Ilha, campeão brasileiro de 1987, inicia a sua quinta competição simultânea e precisará de perna para fazer uma boa campanha. Além do campeonato nacional, o Sport está nas finais do Campeonato Pernambucano e da Copa do Nordeste, ainda disputa a Copa do Brasil e se classificou recentemente para as oitavas-de-final da Copa Sulamericana.

Flamengo e Atlético Mineiro farão o confronto dos campeões estaduais na estreia do Brasileiro. Finalistas da edição de 1980, as duas equipes são apontadas como favoritas a levar o caneco deste ano. O jogo acontecerá no Maracanã neste sábado. Enquanto o Fla conta com os talentos de Diego e do artilheiro Paolo Guerrero, o Galo tem como arma a dupla Robinho e Fred.

Único representante gaúcho no Brasileirão, o Grêmio receberá em casa o Botafogo. Com as atenções voltadas para a Copa Libertadores, as duas equipes poderão sofrer com os altos e baixos da tabela à medida em que a competição sulamericana for afunilando. A partida entre bicampeões brasileiros será às 19h de domingo.

Detentores de um título brasileiro cada, Bahia e Atlético Paranaense estreiam na competição na Arena Fonte Nova, em Salvador, às 16h. Além do Brasileirão, os dois clubes estão com as atenções voltadas para outras competições paralelamente: a Copa do Brasil e Libertadores, caso do Furacão, e a Copa do Nordeste, no caso do Tricolor de Aço.

Avaí e Vitória fazem o único duelo que não envolve campeão brasileiro na rodada. As duas equipes se enfrentam na Ressacada, em Florianópolis, às 16h. Os dois times são cotados como candidatos a lutarem contra o rebaixamento.

E, finalmente, o Coritiba recebe no Couto Pereira o campeão da Série B de 2016, o Atlético Goianiense na única partida da rodada que será realizada na segunda-feira (15). O Coxa, motivado pelo título paranaense, espera não lutar contra o rebaixamento, como tem sido de praxe nos últimos anos. E o Dragão espera não disputar novamente a segunda divisão em 2018.

Lembrando que os seis primeiros colocados do Campeonato Brasileiro garantem vaga na próxima Copa Libertadores da América – o número de classificados para competição sulamericana pode variar dependendo do desempenho dos clubes brasileiros na Libertadores e na Copa Sulamericana de 2017. E os quatro últimos colocados disputarão a Série B em 2018.

A seguir, as datas e os duelos da primeira rodada do Campeonato Brasileiro de 2017.

Sábado (13/05):
16h: Flamengo x Atlético Mineiro – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
19h: Corinthians x Chapecoense – Arena Corinthians, São Paulo (SP)

Domingo (14/05):
11h: Fluminense x Santos – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
16h: Palmeiras x Vasco – Allianz Parque, São Paulo (SP)
16h: Cruzeiro x São Paulo – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
16h: Ponte Preta x Sport – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
16h: Bahia x Atlético Paranaense – Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
16h: Avaí x Vitória – Ressacada, Florianópolis (SC)
19h: Grêmio x Botafogo – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)

Segunda-feira (15/05):
20h: Coritiba x Atlético Goianiense – Couto Pereira, Curitiba (PR)

E que vença o melhor.

Por Jorge Almeida

Chelsea: campeão inglês 2016/2017

Jogadores e comissão técnica do Chelsea enaltecem Antonio Conte pelo título. Foto: premierleague.com

Em jogo realizado na abertura da 37ª rodada da Premiere League disputado nesta sexta-feira (12), o Chelsea foi até o The Hawthorns e venceu o West Bromwich por 1 a 0, com gol do belga Batshuayi no final da partida, e conquistou o sexto título de sua história no Campeonato Inglês. Com o triunfo, os Blues, que chegaram aos 87 pontos, abriram 10 pontos de vantagem sobre o vice-líder Tottenham, que só disputará mais três partidas. Esse foi o quinto título da equipe londrina da era Abramovich, ou seja, desde 2003. Além disso, foi o último caneco do campeonato inglês a ser erguido pelo eterno capitão John Terry que, aos 36 anos, fez a sua temporada de despedida dos Blues depois de 19 anos defendendo o time de Stanford Bridge.

A equipe da casa começou a assustar os visitantes logo aos 25 segundo com Rondón, que deu trabalho a Courtois ao ganhar de David Luiz por cima e cabecear para defesa do goleiro belga. O Chelsea respondeu com Cahill, aos 7, que se esticou e desviou a bola para fora depois de falta cobrada por Fàbregas. Dois minutos depois, foi a vez de Pedro arriscar de esquerda de fora da área, mas mandou para fora. Aos 12, o time londrino pediu pênalti quando, depois de um cruzamento de Pedro, a bola bateu no braço de Brunt e foi para escanteio. Em seguida, aos 15, em cobrança de falta ensaiada, Fàbregas rolou para o meio para Pedro, que chegou batendo e, por conta de um desvio, saiu com perigo. No mesmo minuto, Azpilicueta chutou e, em outro desvio, conquistou outro escanteio.

O Chelsea continuava a pressionar o Bromwich e desperdiçava muitas chances. Aos 17, Diego Costa chutou, a bola desviou, ficou viva na área, porém, Fàbregas não chegou antes dos marcadores. Três minutos depois, a equipe de Antonio Conte chegou novamente com Cahill, que dominou no peito e finalizou com desvio. A partida seguiu com os Baggies se defendendo bem e segurando o ímpeto dos Pensioners.  Aos 32, Fàbregas chutou cruzado depois de receber na entrada da área e a redonda passou muito perto. E, antes  do término da etapa inicial, o Chelsea levou perigo mais duas vezes. Aos 36 com Pedro, que chutou à direita de Foster, e Diego Costa, aos 43, que recebeu de costas para a marcação, girou e bateu, mas não levou perigo. O time da casa só chegou perto aos 44, quando David Luiz se esticou e cortou o cruzamento de McClean para Brunt.

E, assim como foi no primeiro tempo, o Chelsea continuou a dominar o andamento do jogo e criou mais algumas oportunidades no começo da etapa final. Em menos de três minutos, foram duas oportunidades: primeiro com Moses, a um minuto, que chutou cruzado após dividida com McClean e exigiu Forster a fazer uma grande de defesa. No minuto seguinte, Pedro cruzou e Diego Costa tentou de voleio, mas a finalização saiu fraca e o goleiro defendeu. Aos 5, Diego Costa foi desarmado e a bola sobrou para Fàbregas, que soltou uma bomba que tirou tinta da trave esquerda. Pouco tempo depois, Dawson quase fez um gol contra depois de cruzamento de Hazard, mas Yacob salvou o erro do companheiro.

O jogo seguiu com o Chelsea pressionando e o West Bromwich se segurando como pode. Mas a equipe da casa, aos 25, teve um contragolpe perigoso com Rondón. O venezuelano recebeu no círculo central, deu um belo drible em David Luiz, disparou, chutou prensado e conseguiu um escanteio. Dois minutos depois, Rondón abriu para Livermore, que tocou para Cadli que, pela direita, bateu cruzado para fora. Aos 29, os Blues chegaram novamente com Azpilicueta que, da entrada da área, mandou para fora. Um minuto depois, Antonio Conte realizou duas alterações: Willian e Batshuayi nos lugares de Hazard e Pedro, respectivamente.

E na primeira jogada de Batshuayi, aos 37, veio o gol do título. Alonso ajeitou de cabeça, Cahill tentou e, na sobra, Azpilicueta cruzou rasteiro pela direita e o belga desviou para a bola para as redes: 1 a 0. Depois do tento, o Chelsea administrou o resultado e ficou à espera do apito do árbitro para soltar o grito de campeão. E, aos 50 minutos, a partida foi encerrada com vitória dos Blues pelo placar mínimo.

O Chelsea encarou o West Bromwich com a certeza de que só dependia de suas próprias forças para conquistar o título inglês com uma rodada de antecedência. Então, os comandados de Antonio Conte foram para cima dos anfitriões, que montaram um bom esquema defensivo e conseguiram com êxito até os minutos finais da partida. A superioridade dos Blues foi tanta que, em número de finalizações, foram 24 contra sete do adversário, além de manter a posse de bola 68% do tempo. Contudo, a retranca montada por Tony Pulis foi vazada aos 37 minutos pelo belga dono da camisa 23.

Depois da goleada sofrida para o arquirrival Arsenal por 3 a 0 pela sexta rodada, Antonio Conte largou a formação 4-2-3-1 e voltou ao esquema com três zagueiros que implantara com êxito na Juventus e na Squadra Azzurra. Com a nova formação tática, o Chelsea sobrou no campeonato e conseguiu uma incrível sequência de 13 vitórias consecutivas na Premier League, com raros tropeços. Assim, os Blues têm o melhor ataque da competição, com 76 tentos marcados até então, e a terceira melhor defesa, com 29 gols sofridos e aproveitamento de 80,6%.

A equipe de Londres seguirá em festa durante todo o fim de semana e, na segunda-feira (15), fará o “jogo da entrega da taça” no Stamford Bridge. O troféu da Premier League será erguido pelos jogadores e comissão técnica após o jogo contra o Waltford, às 16h (horário de Brasília), em partida adiada da 28ª rodada. No domingo seguinte (21), o Chelsea encerra o campeonato nacional diante do Sunderland em casa. Além disso, a temporada para os Blues poderá terminará com outro título: a da Copa da Inglaterra, cuja final será disputada contra o Arsenal no dia 27 de maio no Estádio de Wembley.

Com o sexto campeonato inglês conquistado, o Chelsea se iguala ao Sunderland, mas fica atrás de Aston Villa (7), Everton (9), Arsenal (13), Liverpool (18) e Manchester United (20).

Apesar de a Premier League ter o seu campeão proclamado antecipadamente, o campeonato ainda segue para definir os classificados para a próxima UEFA Champions League, Liga Europa e pela fuga do rebaixamento. Pela principal competição europeia, além do campeão Chelsea e do vice-líder Tottenham que, matematicamente, não podem sair das quatro primeiras posições e, portanto, estão garantidos, brigam Manchester City, com 72 pontos, Liverpool (70), que completam o G4, mas Arsenal, com 69, e Manchester United com 65 pontos ainda têm chances. Embora os Diabos Vermelhos ainda têm a oportunidade de conseguirem ir à Champions via Liga Europa, uma vez que fará a final do torneio contra o Ajax no próximo dia 24 de maio. Na parte debaixo da tabela, o Sunderland e o Middlesbrough começaram a rodada matematicamente rebaixados, Enquanto isso, o Hull City, com 34 pontos, e duas partidas para realizar, tenta o milagre e depende de uma série de combinações de resultados para escapar da degola. Dificilmente, mas não é impossível, Crystal Palace e Swansea City, ambos com 38 pontos, correm riscos.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica do jogo do título.

Data – Jogo – Local:
15/08/2016 – Chelsea 2×1 West Ham – Stamford Bridge, Londres
20/08/2016 – Watford 1×2 Chelsea – Vicarage Road, Watford
27/08/2016 – Chelsea 3×0 Burnley – Stamford Bridge, Londres
11/09/2016 – Swansea 2×2 Chelsea – Liberty Stadium, Swansea
16/09/2016 – Chelsea 1×2 Liverpool – Stamford Bridge, Londres
24/09/2016 – Arsenal 3×0 Chelsea – Emirates Stadium, Londres
1º/10/2016 – Hull City 0x2 Chelsea – KC Stadium, Kingston upon Hill
15/10/2016 – Chelsea 3×0 Leicester City – Stamford Bridge, Londres
23/10/2016 – Chelsea 4×0 Manchester United – Stamford Bridge, Londres
30/10/2016 – Southampton 0x2 Chelsea – St. Mary’s Stadium, Southampton
05/11/2016 – Chelsea 5×0 Everton – Stamford Bridge, Londres
20/11/2016 – Middlesbrough 0x1 Chelsea – Riverside Stadium, Middlesbrough
26/11/2016 – Chelsea 2×1 Tottenham – Stamford Bridge
03/12/2016 – Manchester City 1×3 Chelsea – Etihad Stadium, Manchester
11/12/2016 – Chelsea 1×0 West Bromwich – Stamford Bridge, Londres
14/12/2016 – Sunderland 0x1 Chelsea – Stadium Of Light, Sunderland
17/12/2016 – Crystal Palace 0x1 Chelsea – Selhurst Park, Londres
26/12/2016 – Chelsea 3×0 Bournemouth – Stamford Bridge, Londres
31/12/2016 – Chelsea 4×2 Stoke City – Stamford Bridge, Londres
04/01/2017 – Tottenham 2×0 Chelsea – White Hart Lane, Londres
14/01/2017 – Leicester 0x3 Chelsea – King Power Stadium, Leicester
23/01/2017 – Chelsea 2×0 Hull City – Stamford Bridge, Londres
31/01/2017 – Liverpool 1×1 Chelsea – Anfield Road, Liverpool
04/02/2017 – Chelsea 3×1 Arsenal – Stamford Bridge, Londres
12/02/2017 – Burnley 1×1 Chelsea – Turf Moor, Burnley
25/02/2017 – Chesea 3×1 Swansea – Stamford Bridge, Londres
06/03/2017 – West Ham 1×2 Chelsea – Olímpico de Londres, Londres
15/05/2017 – Chelsea x Watford – Stamford Bridge, Londres (partida adiada)*
18/03/2017 – Stoke City 1×2 Chelsea – Britannia Stadium,  Stoke City
1º/04/2017 – Chelsea 1×2 Crystal Palace – Stamford Bridge, Londres
05/04/2017 – Chelsea 2×1 Manchester City – Stamford Bridge, Londres
08/04/2017 – Bournemouth 1×3 Chelsea – The Goldsands Stadium, Bournemouth
16/04/2017 – Manchester United 2×0 Chelsea – Old Trafford, Trafford
25/04/2017 – Chelsea 4×2 Southampton – Stamford Bridge, Londres
30/04/2017 – Everton 0x3 Chelsea – Goodison Park, Liverpool
08/05/2017 – Chelsea 3×0 Middelsbrough – Stamford Bridge, Londres
12/05/2017 – West Bromwich 0x1 Chelsea – The Hawthorns, West Bromwish
21/05/2017 – Chelsea x Sunderland – Stamford Bridge*

* Partidas a serem realizadas.

FICHA TÉCNICA: WEST BROMWICH 0x1 CHELSEA
Competição/fase: Premier League (Campeonato Inglês) 2016/2017 – 37ª rodada
Local: The Hawthorns, West Bromwish, Inglaterra
Data: 12 de maio de 2017, sexta-feira, 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Michael Oliver
Cartões Amarelos: McClean, Field,  Marc Wilson, (West Bromwich)
Gol: Batshuayi, aos 37 min do 2º tempo (0-1)
WEST BROMWICH: 1.Foster; 25.Dawson, 23.McAuley (12.Marc Wilson),6.Evans e 2.Nyom; 24.Fletcher, 8.Livermore, 47.Field (5.Yacob), 11.Brunt e 14.McClean (22.Chandli); 9.Rondón. Técnico: Tony Pulis
CHELSEA: 13.Courtois; 28.Azpilicueta, 30.David Luiz e 24.Cahil; 4.Fàbregas, 21. Matić, 15.Moses (5.Zouma) e 3.Marcos Alonso; 11.Pedro (23.Batshuayi), 19.Diego Costa e 10.Hazard (22.Willian). Técnico: Antonio Conte

Parabéns ao Chelsea Football Club pelo título.

Por Jorge Almeida