CBF sorteou os confrontos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019

CBF realizou o sorteio dos confrontos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou na tarde desta quinta-feira (2), o sorteio dos confrontos e mandos de campo das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019. O evento aconteceu em sua sede, no Rio de Janeiro. Os duelos pela quinta fase do certame estão previstos para acontecer entre os dias 15 de maio e 5 de junho.

O sorteio, que está previsto no artigo 14º do Regulamento Específico da Competição, tem as presenças de cinco clubes que passaram a fase anterior (Corinthians, Santos, Fluminense, Vila Nova ou Juventude e Bahia) e os 11 pré-classificados para essa fase (os brasileiros participantes da atual edição da Copa Libertadores da América, além dos campeões do Brasileiro da Série B, Copa do Nordeste e Copa Verde do ano passado).

Antes do sorteio, o Diretor de Competições da CBF, Manoel Flores, foi convidado ao palco para ler o trecho do regulamento da competição que prevê o sorteio e a composição dos participantes e dos potes. A cerimônia seguiu com o narrador do Grupo Globo, Luís Roberto, como cerimonialista, e, no sorteio das bolinhas, participaram o comentarista Caio Ribeiro e o ex-jogador Juninho Paulista.

As equipes foram divididas em dois potes: em um com clubes que disputam a Copa Libertadores 2019 e no outro estão os demais. E, conforme a sequência do evento, o primeiro nome a ser sorteado foi o Internacional, que enfrentará o Paysandu. Depois, foi decretado que Flamengo e Corinthians medirão forças na continuidade do torneio. O terceiro confronto terá pela frente Atlético Mineiro e Santos. O quarto duelo do sorteio será realizado entre Grêmio e o ganhador do duelo entre Juventude e Vila Nova, que já fizeram o primeiro jogo da quarta fase e empataram em 0 a 0 em Caxias do Sul. O Palmeiras terá como adversário o Sampaio Corrêa, de acordo com o quinto embate a ser sorteado. O sexto embate será disputado entre Athletico Paranaense e Fortaleza. O penúltimo confronto a ser definido será entre Cruzeiro e Fluminense. E, finalmente, São Paulo e Bahia fazem o duelo de tricolores nas oitavas-de-final.

Após uma pausa, o sorteio para definir os mandos de campo das oitavas-de-final. O mestre de cerimônia Luiz Roberto explicou os motivos pelos quais se fez necessário a pausa para analisar os duelos para que evitem uma conflito de datas entre duas equipes da mesma cidade jogarem no mesmo dia.

De acordo com a definição do sorteio, os mandantes dos jogos de ida serão: Corinthians, Internacional, Atlético Mineiro, Juventude ou Vila Nova, Sampaio Corrêa, Fortaleza, Fluminense e São Paulo. Enquanto, Flamengo, Paysandu, Santos, Grêmio, Palmeiras, Athletico Paranaense, Cruzeiro e Bahia receberão as partidas de volta das oitavas-de-final.

Reforçando que, em caso de empate no placar agregado, o vencedor será definido através da disputa de pênaltis. As data-base dessa fase da competição serão os dias 15, 22 e 29 de maio e 5 de junho.

A seguir, a relação dos confrontos dos duelos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019.

Corinthians (SP) x Flamengo (RJ)
Flamengo (RJ) x Corinthians (SP)

Internacional (RS) x Paysandu (PA)
Paysandu (PA) x Internacional (RS)

Vila Nova (GO) ou Juventude (RS) x Grêmio (RS)
Grêmio (RS) x Vila Nova (GO) ou Juventude (RS)

Atlético Mineiro (MG) x Santos (SP)
Santos (SP) x Atlético Mineiro (MG)

Sampaio Corrêa (MA) x Palmeiras (SP)
Palmeiras (SP) x Sampaio Corrêa (MA)

Fluminense (RJ) x Cruzeiro (MG)
Cruzeiro (MG) x Fluminense (RJ)

São Paulo (SP) x Bahia (BA)
Bahia (BA) x São Paulo (SP)

Fortaleza (CE) x Athletico Paranaense (PR)
Athletico Paranaense (PR) x Fortaleza (CE)

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Corinthians: campeão paulista de 2019

Jogadores do Corinthians comemoram o tricampeonato paulista cercados por filhos e integrantes da comissão técnica. Foto: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

Com gol de Vagner Love nos momentos finais do segundo tempo, o Corinthians derrotou o São Paulo por 2 a 1 na segunda partida da final do Campeonato Paulista 2019 na tarde deste domingo (21), na Arena Corinthians, em São Paulo. O Timão saiu na frente com Danilo Avelar, mas o Tricolor empatou com Anthony ainda no primeiro tempo. O resultado culminou com o tricampeonato consecutivo da equipe de Parque São Jorge, feito que o clube havia conseguido há 80 anos.

O Majestoso começou disputado, truncado e com muitos passes errados. A primeira investiga ao ataque foi do São Paulo com Jucilei aos 10 minutos, que pegou o rebote, mas isolou. A partida deu uma esfriada, com os dois times encontrando problemas na criação de jogadas. O Corinthians, no entanto, diferentemente da postura dos últimos jogos, ficou mais com a bola e tentou investir em triangulações entre Fagner e Pedrinho.

No entanto, aos 23, a defesa tricolor deu mole, Gustavo ficou com a bola, que sobrou para Clayson, que por pouco não concluiu. A equipe do Morumbi deu o troco aos 27. Reinaldo roubou a bola de Pedrinho e Everton partiu no contragolpe pela esquerda, entrou na área e chutou cruzado pelas redes do lado de fora. Três minutos depois, o alvinegro levou perigo com Henrique. Ramiro cruzou,

Hudson afastou e, na sobra, o zagueiro arrematou, mas a bola desviou em Bruno Alves e saiu.
Na sequência, Sornoza cobrou o escanteio da direita, bem aberto, Ralf ganhou no alto de cabeça e ajeitou para Danilo Avelar dentro da pequena área e o lateral-esquerdo (nunca criticado) para desviar, também de cabeça, para o gol. Delírio do bando de loucos em Itaquera: 1 a 0 para o Corinthians.

Após o gol, os comandados de Fábio Carille tentou manter o ímpeto e administrar o resultado parcial para o intervalo e esteve perto de ampliar o score aos 42. Pedrinho se deslocou e notou a infiltração de Fagner, que recebeu, ajeitou o corpo e bateu no canto, mas Tiago Volpi fez grande defesa. Todavia, apesar de ter encontrado muitas dificuldades na criação de jogadas, o São Paulo conseguiu chegar ao empate ainda no primeiro tempo. Aos 47, Everton tentou o meio para Igor Gomes, a bola desviou em Ralf e sobrou para Antony, que ajeitou para a canhota e, com um chute preciso, colocou a redonda no cantinho, fora do alcance de Cássio, igualando o placar: 1 a 1. E, assim, o clássico terminou empatado na etapa inicial.

Para o segundo tempo, Cuca colocou Hernanes no lugar de Everton Felipe para suprir o problema na criação e também para atuar mais adiantado, como um “falso 9”. E, com o Profeta em campo, o Tricolor passou a superar ligeiramente o rival na posse de bola nos momentos iniciais da etapa final. Já o Corinthians, aos poucos, foi recuperando terreno e compactando as investidas sãopaulinas. E, aos 19, Gustagol arriscou de fora da área para defesa firme de Volpi.

O jogo deu uma esfriada depois das entradas de Vágner Love, pelo Corinthians, e do lateral-esquerdo Léo, pelo São Paulo (com a alteração, Reinaldo foi deslocado para o meio-de-campo no lugar do substituído Jucilei). Aos 26, Everton levou a melhor sobre Manoel, a bola sobrou para Léo, que avançou e mandou para as redes do lado de fora. Depois desse lance, o clássico seguiu truncado, sem chances para os dois lados, tudo levando a acreditar de que o título seria decidido nos pênaltis, até que o “artilheiro do amor” apareceu na partida nos minutos finais.

Aos 43, Boselli matou no peito, passou para Sornoza, que fez um belo lançamento para Vagner Love, que pegou de primeira, com o pé direito, e mandou no canto de Tiago Volpi – a bola chegou a tocar na trave – para colocar o Timão na frente novamente e a poucos minutos do título. Aliás, o tento do camisa 9 foi muito semelhante ao gol que Elias fez contra o próprio São Paulo na Libertadores de 2015, porém, o “lançador” daquela partida foi Jadson. Incrível semelhança.

Com o resultado, a torcida corinthiana já estava soltando os gritos de “tricampeão” pela Arena. Aos 46, a bola ficou viva na área do Timão após cobrança de Reinaldo, ninguém aproveitou e, na sequência, Boselli puxou um contra-ataque, com chances de matar o jogo, mas não conseguiu a finalização. O Majestoso foi até os 50 minutos, mas o placar terminou com vitória corinthiana em Itaquera. Fim de jogo na Arena Corinthians: Corinthians 2, São Paulo 1. O Timão conquista o tricampeonato paulista, o 30º caneco do Estadual de sua história.

Corinthians e São Paulo fizeram um jogo bem equilibrado, bem truculento, com muita marcação e poucas finalizações a gol. O alvinegro, ao contrário dos últimos jogos, não ficou tão recuado e tratou de atacar mais e, consequentemente, conseguiu abrir o placar com aquele que nunca foi criticado: Danilo Avelar. A molecada de Cotia não se abateu e conseguiu o empatar no último lance da etapa inicial. No segundo tempo, Cuca colocou Hernanes mais à frente, pois o Tricolor estava sem um centroavante de ofício. Já Fábio Carille acreditou na estrela e experiência de Vagner Love e deu certo: quando tudo levava a crer que haveria mais uma disputa por pênaltis na trajetória do alvinegro, o camisa 9 fez um belo gol nos minutos finais da partida e levou o Timão á vitória. Mas um fato precisa ser dito: embora tenha travado bons duelos pelo alto com Gustagol, Arboleda falhou nos dois gols do Corinthians: no primeiro, deixou Avelar em condição legal e sozinho para cabecear para o gol e, no segundo tento corinthiano, permitiu que Vagner Love passasse às suas costas.

Apesar da conquista, o Corinthians ainda terá uma nova decisão pela frente já na próxima quarta-feira (24), às 21h30: receberá a Chapecoense pelo segundo jogo da quarta fase da Copa do Brasil e precisará reverter a vantagem da equipe catarinense, que venceu o jogo de ida por 1 a 0. O São Paulo, por sua vez, estreará no Campeonato Brasileiro no próximo sábado (27), contra o Botafogo, às 16h, no Morumbi.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da final.

Data – Jogo – Local:
Primeira Fase (Grupo C):
20/01 – Corinthians 1×1 São Caetano – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
23/01 – Guarani 2×1 Corinthians – Brinco de Ouro, Campinas (SP)
26/01 – Corinthians 1×0 Ponte Preta – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
30/01 – Corinthians 0x2 Red Bull Brasil – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
02/02 – Palmeiras 0x1 Corinthians – Allianz Parque, São Paulo (SP)
10/02 – Novorizontino 1×0 Corinthians – Jorge Ismael de Biasi, Novo Horizonte (SP)
17/02 – Corinthians 2×1 São Paulo – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
24/02 – Botafogo (SP) 0x1 Corinthians – Santa Cruz, Ribeirão Preto (SP)
02/03 – São Bento 1×1 Corinthians – Walter Ribeiro, Sorocaba (SP)
10/03 – Corinthians 0x0 Santos – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
17/03 – Corinthians 1×0 Oeste – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
20/03 – Ituano 0x1 Corinthians – Novelli Júnior, Itu (SP)
Quartas-de-final:
24/03 – Ferroviária 1×1 Corinthians – Arena Fonte Luminosa, Araraquara (SP)
27/03 – Corinthians (4)1×1(3) Ferroviária – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Semifinais:
31/03 – Corinthians 2×1 Santos – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
08/04 – Santos (6)1×0(7) Corinthians – Pacaembu, São Paulo (SP)
Final:
14/04 – São Paulo 0x0 Corinthians – Morumbi, São Paulo (SP)
21/04 – Corinthians 2×1 São Paulo – Arena Corinthians, São Paulo (SP)

FICHA TÉCNICA: CORINTHIANS 2×1 SÃO PAULO
Competição/Fase: Campeonato Paulista Série A1 2019 – final (2º jogo)
Local: Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Data: 21 de abril de 2019, domingo – 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Rafael Claus
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis e Marcelo Carvalho Van Gasse
Cartões Amarelos: Fagner e Clayson (Corinthians); Reinaldo (São Paulo)
Gols: Danilo Avelar, aos 31 min (1-0) e Antony, aos 47 min do 1º tempo (1-1); e Vagner Love, aos 43 min do 2º tempo (2-1)
CORINTHIANS: 12.Cássio; 23.Fagner, 3.Manoel, 4.Henrique (34.Pedro Henrique) e 35.Danilo Avelar; 15.Ralf, 28.Ramiro e 7.Sornoza; 38.Pedrinho (9.Vagner Love) 25.Cleyson e 19.Gustavo (17.Boselli). Técnico: Fábio Carille
SÃO PAULO: 23.Thiago Volpi; 25.Hudson, 3.B. alves, 5.Arboleda e 6.Reinaldo; 13.Luan, 8.Jucilei (16.Léo), 39.Antony e 26.Igor Gomes; 18.Everton Felipe (15.Hernanes) e 22.Everton (17.Willian Farias). Técnico: Cuca

Parabéns ao Sport Club Corinthians Paulista pelo tricampeonato.

Por Jorge Almeida

Copa do Brasil 2019: confrontos da quarta fase definidos

Auditório da CBF, no Rio de Janeiro, local do sorteio dos confrontos da quarta fase da Copa do Brasil 2019. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou em sua sede, no Rio de Janeiro, na manhã desta sexta-feira (12), o sorteio que definiu os confrontos válidos pela quarta fase da Copa do Brasil 2019. Ao todo, dez clubes disputarão cinco vagas para dar continuidade no certame.

Com a presença de Manoel Flores, diretor de competições da entidade, como cerimonialista, o evento se deu início com ele explicando que, de acordo com o regulamento da competição (artigo nono, parágrafo quarto), que prevê a realização do sorteio para os duelos da quarta, assim como para a quinta e sexta fase, posteriormente. O diretor reforçou que o Bragantino, do Pará, e o Vila Nova, de Goiás, farão duas partidas que serão válidas pela terceira fase.

O sorteio deu início com as duas assistentes auxiliando Flores no sorteio das bolinhas, que tiveram a seguinte sequência: Juventude, Fluminense, Corinthians, Santos e Londrina e seus respectivos adversários: o vencedor do duelo entre Bragantino (PA) e Vila Nova, Santa Cruz, Chapecoense, Vasco e Bahia.

Após a definição dos duelos, o evento teve uma pausa de cerca de 20 minutos e, na volta, Manoel Flores justificou o motivo da pausa e destacou que é devido ao artigo 14 do regulamento do torneio que trata justamente sobre o mando de todos os jogos da quarta fase.

Conforme o sorteio que definiu os mandos de campo, ficou acertado de que Santos, Fluminense, Chapecoense, Bahia e Juventude abrem a série dos confrontos jogando em casa. Com isso, Vasco, Santa Cruz, Corinthians, Londrina e Bragantino (PA) ou Vila Nova decidirão os embates diante de suas torcidas.

Lembrando que os vencedores desta fase, seguirão para as oitavas-de-final e se juntarão às equipes que se classificaram para a Taça Libertadores da América (Grêmio, Internacional, Flamengo, Cruzeiro, Atlético Mineiro, Athletico Paranaense, Palmeiras e São Paulo), ao campeão brasileiro da Série B de 2018 (Fortaleza), ao vencedor da Copa do Nordeste do ano passado (Sampaio Corrêa) e ao último ganhador da Copa Verde (Paysandu).

A seguir, a relação dos confrontos válidos pela quarta fase da Copa do Brasil 2019.

Ida: Juventude (RS) x Bragantino (PA) ou Vila Nova (GO)
Volta: Bragantino (PA) ou Vila Nova (GO) x Juventude (RS)

Ida: Fluminense (RJ) x Santa Cruz (PE)
Volta: Santa Cruz (PE) x Fluminense (RJ)

Ida: Chapecoense (SC) x Corinthians (SP)
Volta: Corinthians (SP) x Chapecoense (SC)

Ida: Santos (SP) x Vasco (RJ)
Volta: Vasco (RJ) x Santos (SP)

Ida: Bahia (BA) x Londrina (PR)
Volta: Londrina (PR) x Bahia (BA)

Por Jorge Almeida

Encerrada a primeira fase do Campeonato Paulista: grandes se classificaram

Paulistão 2019: quartas-de-final já começa no próximo final de semana. Foto: Emílio Botta

O Campeonato Paulista 2019 teve a sua primeira fase encerrada com a realização da recheada 12ª rodada com os oito jogos sendo realizados simultaneamente na noite desta quarta-feira (20). Com isso, a rodada ajudou a definir o último classificado para as quartas-de-final* e quem se juntaria ao São Bento na queda para a Série A2. Destaque para o Red Bull Brasil, dono da melhor campanha no geral com 27 pontos e apenas uma derrota.

Dentre os jogos da rodada, possivelmente, o duelo entre São Caetano e São Paulo, realizado no Anacleto Campanella, foi o mais relevante, uma vez que os dois times tinham objetivos opostos no Paulistão: o Tricolor queria o resultado positivo e se classificar, enquanto o Azulão não poderia pensar em outro placar que não fosse a vitória para escapar da degola. Mesmo jogando mal, a equipe do Morumbi abriu o placar com o jovem Antony, mas o time do ABC Paulista chegou ao empate com Pablo. Ambos os gols saíram no segundo tempo. Com o empate em 1 a 1, o clube da capital chegou aos 15 pontos no grupo D, dois a menos que o Ituano, que será o seu adversário na sequência da competição. Possivelmente, o São Paulo fará o primeiro jogo no Morumbi e depois irá até Itu. Já para o São Caetano, com o empate, terminou sua participação no Estadual com apenas oito pontos, na penúltima colocação na classificação geral e disputará a Série A2 em 2020 junto com o já rebaixado São Bento.

Com chances, embora remotas, de conseguir o segundo lugar do grupo D, o Oeste recebeu o Mirassol na Arena Barueri e, assim como o seu concorrente pela vaga – o São Paulo -, empatou em 1 a 1, sendo que os tentos também saíram na etapa final. Fábio abriu o placar para os mandantes e Riccieli, por sua vez, igualou o marcador, frustrou com as pretensões do rubronegro de Barueri e ainda fez o suficiente para livrar o Leão mirassolense do rebaixamento ao voltar com esse pontinho precioso. Mesmo se vencesse a partida, o Oeste precisaria ter feito pelo menos quatro gols de diferença para ultrapassar o São Paulo nos critérios de desempate. O prêmio de consolação do Rubrão foi seguir na disputa pelo Troféu do Interior.

Maior campeão paulista dentre as equipes do interior, com dois títulos, o Ituano fez mais uma boa campanha e, mesmo derrotado pelo Corinthians no Novelli Júnior por 1 a 0, terminou na liderança do grupo D com 17 pontos. Com o gol marcado pelo “nunca criticado” Danilo Avelar, aos 33 minutos do segundo tempo, o Timão confirmou a liderança do grupo C, com 21 pontos. O adversário do atual bicampeão paulista nas quartas-de-final será a Ferroviária, que será a mandante do jogo de ida, em Araraquara.
O rival dos comandados de Fábio Carille na continuidade do Campeonato Paulista não passou de um empate em 1 a 1 diante do também classificado Grêmio Novorizontino. no Jorge Ismael de Biasi. Aliás, os dois times jogaram com suas equipes reservas e ambos decidirão fora de casa as quartas-de-final. A Locomotiva foi aos 18 pontos enquanto o Tigre do Vale terminou na vice-liderança do grupo B com 20 pontos, atrás do Palmeiras, que ficou com 25.

Dono da segunda melhor campanha da primeira fase, o Palmeiras jogou pro gasto e, com o time reserva, derrotou a Ponte Preta por 1 a 0, no Allianz Parque, com gol de Raphael Veiga, aos 35 minutos do segundo tempo. A Macaca, por sua vez, se manteve com 19 pontos e terminou sua participação no Paulistão no terceiro lugar do grupo A, atrás de Red Bull Brasil e Santos. Aliás, a situação peculiar da Ponte Preta na classificação deixa evidente a esdrúxula, para não falar outra coisa, forma de disputa dessa fase. A equipe de Campinas fez mais pontos, no geral, do que três equipes que estarão nas quartas-de-final: São Paulo (15 pontos), Ituano (com 17) e Ferroviária (com 18).

No Moisés Lucarelli, o Red Bull Brasil se deu ao luxo de jogar com o time reserva e, mesmo assim, ainda ganhou do Guarani por 2 a 1 e aumentou ainda mais a crise no Bugre. Os gols do Toro Loko foram anotados por Pio e Deivid, e Rondinelly descontou para o Guarani. O resultado positivo fez com que o Red Bull Brasil chegasse aos 27 pontos e ser o responsável pela melhor campanha da primeira fase do Campeonato Paulista, o que lhe dará a vantagem de ser o mandante no jogo de volta da próxima fase.

Assim como fez o seu adversário na sequência do Estadual, o Santos entrou em campo com o time reserva diante do Botafogo, no Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto. A Pantera, que precisava de um resultado positivo para fugir do rebaixamento, tirou proveito da situação e aplicou impiedosos 4 a 0, com três gols do inspirado Rafael Costa e outro de Erick, e botou para escanteio o fantasma da A2. Com o resultado, o Peixe perdeu a oportunidade de fazer a segunda melhor campanha do campeonato e se manteve com 23 pontos e receberá o Red Bull Brasil no Pacaembu na primeira partida das quartas-de-final.

Neste Paulistão, o São Bento foi o “saco de pancadas” e, antes da rodada derradeira, ainda não havia vencido no certame, mas foi justamente em sua despedida da Série A1 (entrou em campo já rebaixado) que o Bentão resolveu triunfar e, com gol de Fábio Bahia, chegou aos míseros sete pontos e, por pouco, não levou o Bragantino junto para a Série A2 ao derrotá-lo no Walter Ribeiro. O Braga só livrou-se da degola porque o São Caetano não venceu o São Paulo. Com 10 pontos, o Bragantino terminou na lanterna do grupo C e, mesmo assim, vai disputar o Troféu do Interior.

Com o encerramento da primeira fase, os classificados para as quartas-de-final do Campeonato Paulista 2019 foram (por ordem de grupos): Red Bull Brasil e Santos; Palmeiras e Novorizontino; Corinthians e Ferroviária; e Ituano e São Paulo. Disputarão o título do Troféu do Interior: Ponte Preta, Guarani, Mirassol, Bragantino, Oeste e Botafogo. E foram rebaixados as equipes do São Caetano e do São Bento.

A seguir, os resultados da 12ª rodada do Campeonato Paulista, a classificação final da primeira fase (por grupo) e os jogos das quartas-de-final.

Data – Horário – Jogo – Local:
20/03 – 21h30 – Ituano 0x1 Corinthians – Novelli Júnior, Itu
20/03 – 21h30 – Palmeiras 1×0 Ponte Preta – Allianz Parque, São Paulo
20/03 – 21h30 – São Caetano 1×1 São Paulo – Anacleto Campanella, São Caetano do Sul
20/03 – 21h30 – Botafogo 4×0 Santos – Santa Cruz, Ribeirão Preto
20/03 – 21h30 – São Bento 1×0 Bragantino – Walter Ribeiro, Sorocaba
20/03 – 21h30 – Oeste 1×1 Mirassol – Arena Barueri, Barueri
20/03 – 21h30 – Grêmio Novorizontino 1×1 Ferroviária – Jorge Ismael de Biasi, Novo Horizonte
20/03 – 21h30 – Guarani 1×2 Red Bull Brasil – Brinco de Ouro, Campinas

Classificação:
Pos. / Equipe / Pontos:
Grupo A:
1. Red Bull Brasil – 27 pontos
2. Santos = 23
3. Ponte Preta – 19
4. São Caetano – 8
Grupo B:
1. Palmeiras – 25
2. Novorizontino – 20
3. Guarani = 14
4. São Bento – 7
Grupo C:
1. Corinthians – 21
2. Ferroviária – 18
3. Mirassol – 11
4. Bragantino – 10
Grupo D:
1. Ituano – 17
2. São Paulo – 15
3. Oeste – 13
4. Botafogo – 11

Data – Horário – Jogo – Local:
23/03 – 17h – Novorizontino x Palmeiras – Jorge Ismael de Biasi, Novorizonte
23/03 – 19h30 – Santos x Red Bull Brasil – Pacaembu, São Paulo
24/03 – 16h – São Paulo x Ituano – Morumbi, São Paulo
24/03 – 19h – Ferroviária x Corinthians – Fonte Luminosa, Araraquara
26/03 – 20h – Red Bull Brasil x Santos – Moisés Lucarelli, Campinas
26/03 – 21h – Palmeiras x Novorizontino – Pacaembu, São Paulo
26/03 – 19h15 – Ituano x São Paulo – Novelli Júnior, Itu
26/03 – 21h30 – Corinthians x Ferroviária – Arena Corinthians, São Paulo

Boa sorte aos classificados.

* Texto atualizado às 12h de 21/03/2019.

Por Jorge Almeida

 

Corinthians: campeão do Troféu Gylmar dos Santos Neves 2019

Jogadores do Corinthians posam para a foto na Arena Corinthians. Foto: Marcos Ribolli

O Corinthians empatou com o Santos em 1 a 1 em amistoso realizado na Arena Corinthians na tarde deste domingo (13). Os gols da partida foram marcados no primeiro tempo por Gustavo, a favor do Timão, e Pedro Henrique (contra) empatou para o Peixe. Apesar da igualdade, o time da casa ficou com o Troféu Gylmar dos Santos Neves devido ao critério de desempate: um cartão amarelo a menos que o rival (4 a 3).

O jogo começou com o Corinthians mais disposto. E, logo aos quatro minutos, Gustavo, o Gustagol, abriu o placar. André Luís, um dos novos reforços do alvinegro de Parque São Jorge para a temporada, cruzou da direita na medida para o centroavante, que contou com o vacilo do zagueiro santista, que ficou a marcar a bola e o deixou livre para mergulhar e mandar a bola para as redes.

Três minutos depois do gol, Jadson deixou Gustavo em ótimas condições, Vítor Ferraz tentou fazer a falta, o camisa 19 seguiu no lance e chutou para defesa de Vanderlei.

Depois de sofrer um pouco com a pressão do rival, o time de Vila Belmiro foi equilibrando as ações e passou a incomodar mais o adversário. A primeira oportunidade santista veio aos 14 minutos. Jean Mota cruzou e Gustavo Henrique cabeceou para defesa de Cássio.

Aos 21, Vanderlei salvou o Santos de forma incrível. André Luís foi até a linha de fundo e cruzou com perfeição para Gustavo, que apareceu nas costas de Luiz Felipe para cabecear firme para baixo, como manda o figurino, mas Vanderlei fez uma defesaça e, no rebote, o arqueiro do Santos, de soco, tirou a bola e evitou o segundo gol do Corinthians.

Contudo, aos 24, Jean Mota cobrou falta da direita, alçou a bola na área, e, na disputa entre Gustavo Henrique e Pedro Henrique, o corinthiano desviou para as próprias redes. Empate santista.

A igualdade empolgou os comandados de Sampaoli, que passou a ficar mais com a bola e a investir pelo lado esquerdo da cancha, enquanto o Corinthians ficou mais recuado para sair em contragolpes.

O jogo seguiu com o alvinegro praiano tocando a bola visando passar pela defesa do Timão. Aos 41, foi a vez de outro reforço corinthiano, Ramiro, receber na área e arriscar um chute cruzado e mandar à direita da meta de Vanderlei. No entanto, o clássico terminou o primeiro tempo empatado em 1 a 1.

A etapa final começou um pouco sonolento, com os times não levando perigo às metas adversárias. Então, por volta dos 15 minutos, Fábio Carille resolveu fazer tirar todos os titulares para a entrada dos reservas.

Depois das substituições em massa, o jogo seguiu com as duas equipes tentando timidamente chegar ao gol. Walter e Vanderlei praticamente não foram mais exigidos. Aos 27, Gustavo Henrique travou no momento certo a finalização de Gustavo Silva (o ex-Mosquito, do Coritiba), em lance que poderia resultar em gol corinthiano.

Na altura dos 29 minutos foi a vez de Jorge Samapaoli fazer as substituições em massa. Com as duas equipes totalmente modificadas, o Santos ainda chegou a fazer o segundo gol aos 31 minutos, Noguera pegou o rebote da cabeçada de Gustavo Henrique na trave, mas a arbitragem já havia marcado impedimento na origem da jogada.

O time da Vila Belmiro pressionou, mas não conseguiu levar perigo à Walter, porém, antes do final do jogo, o Peixe teve três jogadores amarelados, o que permitiu que o Corinthians ficasse à frente nos critérios de desempate. Assim, o clássico foi até os 47 minutos e o empate persistiu. Final de jogo na Arena Corinthians: Corinthians 1, Santos 1. Com uma advertência a menos, o Timão ficou com o Troféu Gylmar dos Santos Neves de 2019.

O argentino Jorge Sampaoli colocou em prática mais uma vez o esquema tático que deu certo na seleção chilena: adiantou a equipe e valorização da posse de bola. No entanto, faltou qualidade na criação, o que culmina com a insistência do treinador em pedir reforços para a diretoria do Santos. Apesar de manter mais a posse da bola, o Peixe não conseguiu superar o ferrolho da defesa corinthiana que, por sua vez, mesmo jogando em casa, jogou mais recuado para apostar em contra-ataques. No entanto, já era de se esperar por parte do time de Carille. Pois, assim como na primeira passagem vitoriosa, o treinador vai trabalhar firme para ajustar o sistema defensivo do Corinthians. O Timão encontrou uma certa dificuldade nas ações de ataque, pois não conseguia segurar a bola na frente e, mais uma vez, como foi no segundo semestre de 2018, a defesa voltou a falhar e permitiu o empate santista. E, com o bom desempenho de Gustagol, mais a presença de Boselli, que não jogou hoje para resolver questões particulares no México, e uma possível vinda de Vagner Love, Fábio Carille terá que quebrar a cabeça para definir o ataque do Corinthians.

As duas equipes voltam a campo no final de semana na estreia do Campeonato Paulista 2019. O Santos receberá a Ferroviária no sábado (19), às 17h, na Vila Belmiro. No mesmo horário, mas no domingo (20), o Corinthians medirá forças contra o São Caetano em sua arena, em Itaquera.

E sobre o Troféu Gylmar dos Santos Neves. Trata-se de uma homenagem a um dos maiores goleiros do futebol mundial de todos os tempos e que deixou seu nome na história dos dois clubes – não à toa que o troféu tem o formato de uma luva de goleiro. Pelo Timão, o goleiro, nascido em Santos, conquistou três campeonatos paulistas e dois torneios Rio-São Paulo na década de 1950, e, pelo Santos, foram cinco Paulistas, quatro Taças Brasil, um Roberto Gomes Pedrosa, três torneios Rio-São Paulo, duas Libertadores e duas Copas Intercontinentais. Além disso, pela Seleção Brasileira, Gylmar tem duas Copas do Mundo no currículo – 1958 e 1962.

A seguir, a ficha técnica do amistoso.

FICHA TÉCNICA: CORINTHIANS 1×1 SANTOS
Competição/Fase:
Troféu Gylmar dos Santos Neves – jogo único (amistoso)
Local: Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Data: 13 de janeiro de 2019, domingo – 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Vinícius Furlan
Auxiliares: Marco Antônio Motta e Evandro Lima
Cartões Amarelos: Ramiro, Thiaguinho e Araos (Corinthians); Victor Ferraz, Daniel Guedes, Guilherme Nunes e Yuri Alberto (Santos)
Gols: Gustavo, aos 4 min (1-0); e Pedro Henrique (contra), aos 24 min do 1º tempo (1-1)
CORINTHIANS: 12.Cássio (27.Walter); 23.Fagner (2.Michel Macedo), 3.Henrique (13.Marllon), 34.Pedro Henrique (14.Léo Santos) e 35.Danilo Avelar (22.Mateus Vital); 28.Ramiro (20.Thiaguinho), 26.Richard (30.Douglas), 18.Sornoza (13.Marquinhos) e 10.Jadson (16.Araos); 29.André Luís (32.Gustavo Silva) e 19.Gustavo (9.Roger). Técnico: Fábio Carille
SANTOS: 1.Vanderlei; 4.Vítor Ferraz (38.Daniel Guedes), 2.Luís Felipe (30.Fabián Nogueira), 6.Gustavo Henrique e 15.Orinho (25.Yuri Lima); 5.Alison (18.Guilherme Nunes), 3.Jean Mota (23.Artur Gomes) e 21.Diego Pituca (36.Copete); 17.Derli Gonzalez (7.Carlos Sánchez), 11.Bruno Henrique (29.Yuri Alberto) e 9.Felipe Cardoso (27.Eduardo Sacha). Técnico: Jorge Sampaoli

Por Jorge Almeida

Corinthians: campeão brasileiro de futebol feminino A1 2018

Jogadoras do Corinthians posam para a foto oficial do título inédito do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. Créditos: Mauro Horita/CBF

O Corinthians sagrou-se campeão brasileiro de futebol feminino da série A1 de 2018 na noite desta sexta-feira (26), no Estádio Alfredo Schüring, no Parque São Jorge, na capital paulista, por 4 a 0, gols de Millene, Yasmin, Marcela e Adriana. Como havia sido vencedor no jogo de ida por 1 a 0, fora de casa, a equipe de Arthur Elias fez 5 a 0 no placar agregado e ficou com o título inédito.

A decisão mal começara e o Corinthians tratou de aumentar a vantagem que conquistou na primeira partida (vitória por 1 a 0 fora de casa). Antes do ponteiro dar um giro completo, aos 23 segundos, Millene cortou a zagueira do Rio Preto e mandou a redonda no ângulo, um golaço.

Parte da torcida ainda estava a acomodar nas arquibancadas do Parque São Jorge, em menos de dez minutos, o alvinegro  ampliou a vantagem. Em cobrança de falta, Yasmin bateu no alto e, sem dar chances para a goleira Rosany, ampliou o marcador: 2 a 0.

Com melhor postura em campos, as meninas corinthianas dominaram os âmbitos do jogo e, aos 15 quase ampliou. Marcela chutou de primeira e Rosany fez a defesa e evitou o terceiro gol corinthiano. Com a necessidade de fazer quatro gols para ficar com o título, o Rio Preto que, mesmo fora de casa, não abdicou de apostar no ofensivo 4-3-3, ficou nervoso em campo e passou a errar bastante passes, o que permitiu o adversário a tomar as rédeas do jogo e, mesmo mantendo a posse no campo de defesa, visou a buscar os contragolpes.

A primeira chance do Jacaré rio-pretano aconteceu apenas aos 36 minutos, e com bola parada, mas a goleira Lelê, atenta, defendeu. Já as comandadas de Arthur Elias, atentas no jogo, não permitiram que as adversárias crescessem na peleja e a etapa inicial terminou com vitória parcial do Timão, 2 a 0.

No segundo tempo, a equipe da casa foi com tudo pra cima. Aos três minutos, Marcela recebeu na área, chutou ao gol e Rosany fez uma grande defesa e evitou levar o gol por cobertura. Porém, o Corinthians chegou ao terceiro gol alguns minutos depois. No lance seguinte, Yasmin recebeu pela esquerda, encartou a marcação e recebeu um “rapa” de Kah dentro da área. Pênalti. Na cobrança, Marcela bateu no canto direito, enquanto a goleira caiu no lado contrário: 3 a 0 no Parque São Jorge. O Corinthians ampliou e ficando com as duas mãos na taça.

Com a enorme vantagem, a equipe da capital passou a administrar o resultado e valorizando a posse de bola. Ao Rio Preto, restou a tentativa de amenizar o prejuízo e até tentou de longe para surpreender Lelê, mas a bola passou por cima da meta alvinegra. O Timão ainda chegou a anotar o quarto gol com Gabi Zanotti, mas a arbitragem flagrou a corinthiana em impedimento.

O quarto gol foi uma questão de tempo. Aos 22, Mimi deu um excelente passe para Adriana em profundidade (em condições legais) que, sozinha, avançou e bateu rasteiro por baixo da goleira: 4 a 0. A torcida já entoava o grito de campeão na Fazendinha. Esse foi o 14º gol da camisa 16 no campeonato, ficando um tento abaixo de Daniele, do Flamengo, que terminou como artilheira do certame.

Mesmo com a goleada consolidada, o Corinthians seguiu em busca do quinto gol, mas a arqueira do Verdão da Vila Universitária evitou com algumas boas intercepções. Mas o título já estava com destino certo: o Parque São Jorge. Fim de jogo na Fazendinha: Corinthians 4, Rio Preto 0. O Timão conquistou o Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino pela primeira vez.

Depois de conquistar dois vice-campeonatos (o Brasileiro de 2017, quando tinha a parceria com o Audax, e o Paulista de 2018), ambas perdidas para o Santos, o Corinthians conseguiu o título inédito do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. Com a conquista, o alvinegro disputará a Copa Libertadores da América de 2019 da categoria (a edição deste ano será disputada pelo Audax). A campanha do time de Arthur Elias fez jus ao título: em 20 jogos foram 15 vitórias, quatro empates e apenas uma derrota.

Primeira Fase (Grupo 1):
25/04 – Corinthians (SP) 4×1 São Francisco (BA) – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
02/05 – São José (SP) 0x2 Corinthians (SP) – Martins Pereira, São José dos Campos (SP)
09/05 – Sport (PE) 0x1 Corinthians (SP) – Ilha do Retiro, Recife (PE)
16/05 – Corinthians (SP) 8×0 Pinheirense (PA) – Martins Pereira, São José dos Campos (SP)
23/05 – Kindermann (SC) 0x0 Corinthians (SP) – Carlos Alberto Costa Neves, Caçador (SC)
1º/06 – Corinthians (SP) 2×1 Iranduba (AM) – Pacaembu, São Paulo (SP)
19/06 – Ferroviária (SP) 3×5 Corinthians (SP) – Fonte Luminosa, Araraquara (SP)
29/06 – Corinthians (SP) 1×0 Ferroviária (SP) – Parque São Jorge, São Paulo (SP)
05/07 – Iranduba (AM) 1×1 Corinthians (SP) – Arena da Amazônia, Manaus (AM)
13/07 – Corinthians (SP) 1×0 Kindermann (SC) – Parque São Jorge, São Paulo (SP)
18/07 – Pinheirense (PA) 1×6 Corinthians (SP) – Mangueirão, Belém (PA)
08/08 – Corinthians (SP) 3×1 Sport (PE) – Parque São Jorge, São Paulo (SP)
15/08 – Corinthians (SP) 0x0 São José (SP) – Parque São Jorge, São Paulo (SP)
22/08 – São Francisco (BA) 0x0 Corinthians (SP) – Junqueira Ayres, São Francisco do Conde (BA)
Quartas-de-final:
11/09 – Ponte Preta (SP) 0x1 Corinthians (SP) – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
19/09 – Corinthians (SP) 2×0 Ponte Preta (SP) – Parque São Jorge, São Paulo (SP)
Semifinais:
26/09 – Flamengo (RJ) 2×1 Corinthians (SP) – Estádio da Gávea, Rio de Janeiro (RJ)
11/10 – Corinthians (SP) 4×2 Flamengo (RJ) – Parque São Jorge, São Paulo (SP)
Final:
20/10 – Rio Preto (SP) 0x1 Corinthians (SP) – Anísio Haddad, São José do Rio Preto (SP)
26/10 – Corinthians (SP) 4×0 Rio Preto (SP) – Parque São Jorge, São Paulo (SP)

FICHA TÉCNICA: CORINTHIANS (SP) 4×0 RIO PRETO (SP)
Competição/Fase: Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino A1 2018 – final (segundo jogo)
Local: Estádio Alfredo Schüring (Parque São Jorge), São Paulo (SP)
Data: 26 de outubro de 2018, sexta-feira – 20h30 (horário de Brasília)
Árbitra: Edina Alves Batista (PR)
Auxiliares: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP) e Neuza Ines Back (SC)
Cartões Amarelos: Yasmin, Pardal, Ana Vitória (Corinthians); Simeia, Jessica e Suzana (Rio Preto)
Gols: Millene, aos 23 seg (1-0) e Yasmin, aos 6 min do 1º tempo (2-0); Marcela (de pênalti), aos 6 min (3-0) e Adriana, aos 23 min do 2º tempo (4-0)
CORINTHIANS (SP): 1.Lelê; 3.Pardal, 99.Érika e 30.Mimi; 2.Katiuscia, 10.Gabi Zanotti, 8.Ana Vitória (48.Diany) e 17.Yasmin (90.Nenê); 9.Marcela (13.Cacau), 16.Adriana e 14.Milene. Técnico: Arthur Elias
RIO PRETO (SP): 12.Rosany; 2.Edilaine, 4.Thaís (13.Rayane), 5.Jessica e 6.Kah; 9.Suzana, 10.Mari, 17.Carol, 18.Maria Jesus; 19.Simeia e 22.Dimenor. Técnico: Doroteia de Souza

Parabéns para as meninas do Sport Club Corinthians Paulista pelo título.

Por Jorge Almeida

Cruzeiro: campeão da Copa do Brasil 2018

Jogadores do Cruzeiro erguem o troféu da Copa do Brasil na Arena Corinthians. Créditos: Lívia Villas-Boas Staff Images

O Cruzeiro é o primeiro representante brasileiro garantido na Copa Libertadores da América 2019. O clube celeste sagrou-se campeão da Copa do Brasil na noite desta quarta-feira (17) ao derrotar o Corinthians na Arena Corinthians, em São Paulo, por 2 a 1 (gols de Robinho e Arrascaeta, pelo Cruzeiro, e Jadson, de pênalti, para o time da casa). Como havia saído vencedor no primeiro jogo (vitória por 1 a 0), em Belo Horizonte, a Raposa fez 3 a 1 no agregado e ficou com o caneco. Além disso, o feito fez do Cruzeiro ser o maior vencedor do certame, com seis títulos e o primeiro a erguer a taça da Copa do Brasil por duas vezes consecutivas. Enquanto isso, esse foi a primeira final que o Corinthians perdeu em sua nova casa.

A decisão começou truncada no meio de campo, com muitas faltas e sem finalização, situação que perdurou nos 20 primeiros minutos do jogo. A primeira oportunidade de gol foi do Cruzeiro. Aos 20, a defesa do Corinthians vacilou, Barcos escorou para Thiago Neves, que chutou mascado e a bola sobrou para Cássio. Minutos mais tarde, aos 27, Léo Santos deu bobeira, foi desarmado por um cruzeirense, que avançou e acionou Barcos, que puxou para a perna direita e mandou a bola na trave e, na volta, Robinho pegou a sobra e finalizou sem dar chances para Cássio: gol do Cruzeiro, 1 a 0. O árbitro Wagner do Nascimento chegou a consultar o VAR para saber se houve falta no camisa 14 corinthiano, mas confirmou o tento do time celeste.

Com a vantagem no placar, a equipe de Mano Menezes tentou tirar proveito do nervosismo dos donos da casa e, com isso, quase ampliaram o placar aos 33. Thiago Neves cobrou falta pela esquerda e Dedé deu uma cabeçada que mais parecia um chute e acertou a trave direita da meta corinthiana. A primeira chance real do Corinthians veio apenas aos 35. Jadson cobrou falta do lado direito, Henrique subiu sozinho para cabecear e mandar a redonda à esquerda do gol defendido por Fábio. Os visitantes ainda chegaram mais uma vez com perigo aos 38. Em bola levantada na área por Thiago Neves, o capitão Henrique errou o alvo.

O Timão arriscou mais duas vezes, mas não chegou a assustar. Primeiro com Fagner, que fez boa jogada, mas finalizou para longe, e depois, aos 46, com Jonathas, que recebeu cruzamento de Danilo Avelar e pegou fraco na bola.

No começo do segundo tempo, o Corinthians tratou de correr atrás do prejuízo e, a princípio, deu certo. Aos cinco minutos, em jogada na área cruzeirense, Thiago Neves se atira em uma disputa com Ralf, o volante corinthiano caiu e o árbitro Wagner do Nascimento recorreu à tela do VAR e entendeu que o camisa 10 do Cruzeiro tocou na canela de Ralf e marcou penalidade. Na cobrança, Jadson cobrou no canto direito de Fábio, que pulou para o lado oposto, e empatou a partida: 1 a 1.

A igualdade no placar colocou os comandados de Jair Ventura vivos na decisão, mas o eficiente time de Mano Menezes tentou não demonstrar nervosismo e, aos 15, quase marcou o segundo. Thiago Neves (sempre ele) cobrou falta, Jonathas desviou na primeira trave e o zagueiro Léo finalizou para o arqueiro alvinegro defender em cima da linha. Empurrado pela Fiel, o Timão deu o troco aos 17. Após bela jogada de Romero, o paraguaio chegou à linha de fundo e cruzou para Jonathas, que se antecipou a Léo, e cabeceou de raspão. Enquanto isso, o nome de Pedrinho começava a ser entoado nas arquibancadas.

Com o camisa 38 em campo, o Corinthians chegou a marcar o segundo gol, justamente com ele. Pedrinho recebeu a bola e acertou um chutaço no ângulo de Fábio, mas, para infelicidade dele e da fiel, o mesmo VAR que auxiliou na marcação do pênalti em Ralf, flagrou uma falta de Jadson em Dedé no início da jogada, embora houvesse o contato do meia corinthiano, o zagueiro cruzeirense não foi atingido no rosto, conforme simulara ao levar a mão na suposta parte atingida.

O Corinthians tentou mais uma vez, aos 34, com Danilo Avelar, que cabeceou fraco o cruzamento feito por Pedrinho. Mas, dois minutos depois, o “tiro de misericórdia” do Cruzeiro. Em uma saída em contra-ataque, Raniel lançou Arrascaeta, que saiu nas costas da defesa do Corinthians, partiu em velocidade e, com categoria, deu um toque na saída de Cássio e fez o gol do título.

O tento do clube mineiro caiu como um balde de água fria para o alvinegro. Aos 40, Jadson cobrou escanteio, Henrique ajeitou para a pequena área e Danilo Avelar, com pouco apoio, isolou a bola.

Com a situação praticamente definida, o Cruzeiro administrou o resultado e ficou à espera do apito final de Wagner do Nascimento para comemorar o sexto título da Copa do Brasil. E, antes disso, a partida ainda foi paralisada por conta dos sinalizadores acesos pela torcida da Raposa. Mas, aos 52 minutos, a partida foi finalizada com vitória do Cruzeiro por 2 a 1 na Arena Corinthians e mais um título para a Toca da Raposa.

O Cruzeiro fez por merecer o título da Copa do Brasil 2018. Com a vantagem adquirida no jogo de ida (vitória por 1 a 0), o time copeiro de Mano Menezes aproveitou da necessidade do adversário e fez a sua parte e tirou proveito dos erros dos corinthianos, vide o lance bisonho de Léo Santos na jogada inicial do primeiro gol cruzeirense. Além disso, o Cruzeiro marcou muito bem e não deixou o Corinthians chegar à sua área, destaque para o ótimo desempenho da dupla de zaga Léo e Dedé. Firmes, os dois defensores não deram moleza para o fragilizado ataque alvinegro. O Timão esboçou uma reação quando conseguiu o empate com o pênalti convertido por Jadson, graças à intervenção do VAR. Diferentemente do comandante cruzeirense, que tem o time nas mãos, o perdido Jair Ventura demorou para colocar Pedrinho em campo e, após a entrada do camisa 38, o Timão até chegou a virar, mas a arbitragem de vídeo “dedurou” a falta cometida por Jadson em Dedé. Além disso, por precisar do resultado, o treinador corinthiano escalou mal a equipe (precisando vencer, Ventura colocou dois volantes de marcação – Gabriel e Ralf -, em vez de ousar e escalar um time mais ofensivo). O desespero do Timão foi fundamental para Arrascaeta conseguir ainda fazer o gol do título nos minutos finais e decretar 3 a 1 para o Cruzeiro no agregado e, assim, fazer do time mineiro o maior campeão da Copa do Brasil, com seis conquistas, sendo três delas em cima do trio de ferro do futebol paulista – Palmeiras, em 1996; São Paulo, em 2000; e Corinthians, em 2018. Vale enaltecer a campanha vitoriosa do Cruzeiro, que entrou na fase de oitavas-de-final da Copa do Brasil por ter disputado a Libertadores, e conseguiu vencer todas as partidas que fez na casa do adversário. A superioridade do Cruzeiro diante do Corinthians na final da Copa do Brasil foi tanta que, de todos os confrontos da Raposa no torneio, esse foi o único em que o clube celeste vencera as duas partidas. Já do outro lado, o sinal de alerta está mais que ligado. Além de ter de lidar com a perda do título do torneio nacional, o Corinthians terá de ficar atento a outro adversário: a temível zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Com 35 pontos e ocupando atualmente o 11º lugar da tabela, o Timão está a quatro pontos do Z4 e precisa angariar alguns pontos para evitar repetir o pesadelo de 2007, quando o clube caiu para a Série B.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão.

Oitavas-de-final:
16/05 – Atlético (PR) 1×2 Cruzeiro (MG) – Arena da Baixada, Curitiba (PR)
16/07 – Cruzeiro (MG) 1×1 Atlético (PR) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Quartas-de-final:
1º/08 – Santos (SP) 0x1 Cruzeiro (MG) – Vila Belmiro, Santos (SP)
15/08 – Cruzeiro (MG) (3)1×2(0) Santos (SP) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Semifinais:
12/09 – Palmeiras (SP) 0x1 Cruzeiro (MG) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
26/09 – Cruzeiro (MG) 1×1 Palmeiras (SP) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Final:
10/10 – Cruzeiro (MG) 1×0 Corinthians (SP) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
17/10 – Corinthians (SP) 1×2 Cruzeiro (MG) – Arena Corinthians, São Paulo (SP)

FICHA TÉCNICA: CORINTHIANS (SP) 1×2 CRUZEIRO (MG)
Competição/Fase:
Copa do Brasil 2018 – final (segundo jogo)
Local: Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Data: 17 de outubro de 2018, quarta-feira – 21h50 (horário de Brasília)
Público Total: 46.571 torcedores
Público Pagante: 45.978 pessoas
Renda: R$ 5.108.151,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ) e Bruno Boschilia (PR)
Cartões Amarelos: Ralf, Gabriel, Emerson Sheik, Fagner, Jadson e Clayson (Corinthians); Rafinha, Thiago Neves e Robinho (Cruzeiro)
Gols: Robinho, aos 27 min do 1º tempo (0-1); Jadson, aos 9 min (1-1) e Arrascaeta, aos 36 min do 2º tempo (1-2)
CORINTHIANS (SP): 12.Cássio; 23.Fagner, 14.Léo Santos, 3.Henrique e 35.Danilo Avelar; 15.Ralf, 5.Gabriel (22.Matheus Vital) e 10.Jadson; 47.Emerson Sheik (25.Clayson), 11.Romero e 7.Jonathas (38.Pedrinho). Técnico: Jair Ventura
CRUZEIRO (MG): 1.Fábio; 22.Edílson, 26.Dedé, 3.Léo e 29.Lucas Romero; 8.Henrique, 5.Ariel Cabral e 30.Thiago Neves (16.Lucas Silva); 18.Rafinha (10.Arrascaeta), 19.Robinho e 28.Barcos (17.Raniel). Técnico: Mano Menezes

Parabéns ao Cruzeiro Esporte Clube pela conquista.

Por Jorge Almeida