CBF define os confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil 2018

CBF realizou sorteio dos confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil em sua sede. Créditos: CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou nesta quarta-feira (30), em sua sede, no Rio de Janeiro, o sorteio dos confrontos pelas quartas-de-final da Copa do Brasil 2018, assim como os mandos dos jogos de ida da próxima fase. Contudo, dois duelos das oitavas-de-final seguem indefinidos – Vasco x Bahia e Cruzeiro x Atlético Paranaense, embora baianos e mineiros estão em vantagem devido aos triunfos conquistados na partida de ida.

O adversário do Palmeiras nas quartas-de-final, na teoria, tem tudo para ser o Bahia, pois o Tricolor da Boa Terra superou o Vasco na primeira partida por 3 a 0, na Fonte Nova, em Salvador, e só disputará o jogo de volta no dia 16 de julho, um dia após a decisão da Copa do Mundo. Quem passar desse embate será o mandante do primeiro jogo das quartas-de-final diante do alviverde paulista, que deixou o América Mineiro pelo caminho.

Outro duelo das oitavas-de-final que ainda está em aberto é Cruzeiro x Atlético Paranaense. A Raposa venceu o Furacão por 2 a 1, na Arena da Baixada, em Curitiba, e joga pelo empate no compromisso de volta, no dia 16 de julho, no Mineirão. Quem avançar dos dois terá o Santos pela frente nas quartas-de-final. O Peixe, que passou pelo Luverdense na fase anterior, mandará o primeiro jogo.

Enquanto isso, do outro lado da chave, a situação dos confrontos está tudo definido. O Corinthians fará um duelo inédito na Copa do Brasil diante da Chapecoense. O Timão, que eliminou o Vitória do torneio, será o mandante do jogo de ida, possivelmente na Arena Corinthians, e decidirá a vaga para as semifinais na Arena Condá, casa da Chape, que superou o Atlético Mineiro nos pênaltis nas oitavas-de-final.

Flamengo e Grêmio já é um velho confronto conhecido da história da Copa do Brasil. As duas equipes já fizeram uma final da competição, em 1997, que culminou com o terceiro título gremista. Em 2018, pelas quartas-de-final, tricolores e rubronegros medirão forças em 180 minutos, cuja metade terá início na Arena do Grêmio e depois, provavelmente, no Maracanã.

Assim, dependendo das combinações dos resultados, nas semifinais e na final, a Copa do Brasil 2018 poderá ter reedições de decisões do certame. Eis algumas delas: Corinthians x Grêmio nas semifinais (os dois já fizeram duas decisões: em 1995 e em 2001, com um vencedor para cada lado); Palmeiras x Santos – os dois foram os finalistas em 2015, quando o Verdão ficou com a taça; Palmeiras x Cruzeiro – ambos foram protagonistas das decisões de 1996 e 1998, com um título para cada; em caso de final, a CB-18 poderá reeditar Flamengo x Vasco, que decidiram o torneio em 2006; Flamengo x Cruzeiro, finalistas em 2003 e 2017; ou, ainda, Grêmio x Cruzeiro, que duelaram a final de 1993.

A Copa do Brasil ainda poderá reservar possíveis clássicos estaduais nas próximas fases. Mas só há quatro possíveis combinações: nas semifinais com Palmeiras e Santos desde que, claro, ambos passem; ou na final com Corinthians x Palmeiras ou Corinthians x Santos e também Flamengo x Vasco. Reforçando: desde que essas equipes cheguem até lá. Na história da Copa do Brasil, em 30 edições (contando com a vigente), somente em três finais que duas equipes do mesmo Estado disputaram o título. Em 2006, com Flamengo e Vasco, com o rubronegro vitorioso; em 2014, entre Atlético Mineiro e Cruzeiro, cuja taça ficou com o Galo; e em 2015, envolvendo Palmeiras e Santos, sendo o alviverde o campeão na ocasião.

Com o chaveamento fixado, já dá para saber os possíveis embates até a final do torneio. Por exemplo, quem passar do duelo entre Corinthians x Chapecoense enfrentará nas semifinais o ganhador de Grêmio x Flamengo. Enquanto isso, do outro lado, quem vencer do confronto entre Bahia ou Vasco e Palmeiras fará a outra semifinal do vitorioso do embate entre Cruzeiro ou Atlético Paranaense x Santos.

Curiosamente, os maiores campeões da Copa do Brasil seguem no páreo: os pentacampeões Cruzeiro e Grêmio, juntamente com os tricampeões Corinthians, Flamengo e Palmeiras, além de Santos e Vasco, donos de um título cada. Enquanto isso, Bahia, Chapecoense e Atlético Paranaense buscam pela conquista inédita.

As datas previstas para a disputa dos jogos das quartas-de-final são: 1º, 8, 15 e 29 de agosto. Antes, no dia 16 de julho, as últimas duas vagas serão preenchidas.

Confira os duelos de ida:

Corinthians (SP) x Chapecoense (SC)
Grêmio (RS) x Flamengo (RJ)
Bahia (BA) ou Vasco (RJ) x Palmeiras (SP)
Santos (SP) x Atlético (PR) ou Cruzeiro (MG)

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Encerrada a fase de grupos da Copa Libertadores da América 2018

16 equipes seguem na busca do troféu mais cobiçado da América do Sul

Com a realização de seis partidas válidas pelos grupos dois, seis e sete pela sexta rodada disputada nesta quinta-feira (24), a fase de grupos da Copa Libertadores da América 2018 foi encerrada. Ao todo, dezesseis equipes seguem no torneio em busca do troféu mais cobiçado do continente. Brasileiros e argentinos dominam o torneio (12 dos classificados são dos dois países).

Dos representantes brasileiros, só o Vasco não se classificou (a Chape havia ficado na fase preliminar), porém, por ter ficado em terceiro de seu grupo, foi contemplado para disputar a Copa Sulamericana. E, dentre os clubes do Brasil, que seguem no torneio, apenas o Flamengo que não terminou na liderança de seu grupo. Porém, o rubronegro carioca juntamente com Palmeiras, River Plate e Grêmio seguem como únicos invictos do certame. Em meio aos 16 classificados, somente Cerro Porteño, Libertad e Atlético Tucumán não sentiram o gostinho de conquistar a América. Por outro lado, os tradicionais Peñarol, Nacional e Vasco são os que tiveram o oportunidade de ganhar o torneio, mas que ficaram pelo caminho em 2018.

No grupo A, o atual campeão Grêmio confirmou o favoritismo e terminou na liderança com 14 pontos. Na quarta-feira (23), a equipe de Renato Gaúcho bateu o Defensor em sua arena por 1 a 0. Além dele, o Cerro Porteño derrotou o Monagas por 3 a 2, em Assunção, e chegou aos 13 pontos. O terceiro lugar ficou com o Defensor que, com quatro pontos, vai disputar a Copa Sulamericana.

O disputado grupo 2 terminou com o Atlético Nacional, da Colômbia, e os chilenos do Colo-Colo classificados. No Atanasio Girardot, em Medelín, as duas equipes se enfrentaram e o empate em 0 a 0 serviu para ambos. Com dez pontos, os Verdolagas ficou à frente do time cacique, que foi a oito e, se avançou, graças ao saldo de gols em relação ao terceiro colocado, o Bolívar. Com a mesma pontuação do Colo-Colo, os bolivianos bateu o Delfín em La Paz por 2 a 1 e chegou aos mesmos oito pontos, mas o saldo negativo em três gols fez com que o clube mais popular da Bolívia encerrasse a fase em terceiro.

A situação do grupo 3 foi resolvida na semana passada. No dia 17, o Libertad e o Atlético Tucumán empataram em 0 a 0 e se classificaram. Os paraguaios encerraram na liderança, com 13 pontos, e os argentinos em segundo, com dez, Na outra partida do grupo, o tradicionalíssimo Peñarol derrotou o The Strongest por 2 a 0 em Montevidéu e atingiu os nove pontos, contudo, o “pontinho precioso” conquistado pelo Tucumán em Assunção foi primordial para tirar os detentores de cinco Libertadores do páreo.

River Plate e Flamengo confirmaram o favoritismo e seguem na competição. As duas equipes mediram forças na quarta-feira (23) e o empate sem gols no Monumental de Núñez deixou os Millonarios na ponta do grupo 4 com 12 pontos, seguido do rubronegro com dez. Restou ao Santa Fé, que derrotou o Emelec fora de casa por 3 a 0 e foi a sete pontos, a vaga para a Sulamericana. Aliás, o clube equatoriano foi o verdadeiro saco de pancadas do grupo, pois, em seis jogos foram cinco derrotas e apenas um ponto ganho.

O grupo 5, que já tinha Cruzeiro e Racing classificados antecipadamente, teve a rodada derradeira disputada na terça-feira (22). O que entrou em disputa nos dois jogos foi a liderança e quem iria disputar a Copa Sulamericana. No Mineirão, o Cruzeiro engatou uma sequência de três vitórias consecutivas ao ganhar do Racing por 2 a 1. Os dois times terminaram com 11 pontos na liderança do grupo, mas a Raposa, por ter um saldo de gols maior, ficou em primeiro. O Vasco foi até o Estádio Nacional, em Santiago, e triunfou a Universidad de Chile por 2 a 0. O resultado levou os cruzmaltinos aos cinco pontos, a mesma pontuação do adversário, mas o saldo de gols, apesar de negativo, ainda foi melhor que o dos chilenos e, por isso, o terceiro lugar (agradeça os 7 a 0 que o Cruzeiro fez na LaU na quarta rodada, Vasco!).

Apesar de ter sido o único a começar a rodada já classificado pelo grupo 6, o Santos teve uma atuação sofrível diante do fraco Real Garcilaso, na Vila Belmiro nesta quinta-feira (24). O Peixe empatou em 0 a 0 contra o Raza Celeste, mas o resultado não lhe tirou a liderança. Com dez pontos, o clube praiano não foi alcançado pelo segundo colocado, que ficou com o Estudiantes de La Plata. Os Pincharratas, que fizeram um confronto direto contra o Nacional, do Uruguai, derrotaram o seu concorrente por 3 a 1 em casa e fez oito pontos, a mesma pontuação dos uruguaios, mas por um gol a mais no saldo ficou na vice-liderança. Para consolo dos Decanos, restou a Copa Sulamericana.

Assim como o Santos, o seu rival paulista Corinthians jogou na quinta e também já classificado no grupo 7. Mas, diferentemente do alvinegro praiano, o Timão foi derrotado na Arena Corinthians por 1 a 0 para o Millonarios, da Colômbia, na primeira partida de Osmar Loss, após a saída de Fábio Carille para o futebol árabe. Mesmo com o revés, o Coringão, com dez pontos, dividiu a liderança do grupo com o Independiente, que faturou o Deportivo Lara em casa por 2 a 0. E, nos mesmos moldes que alguns grupos, o saldo de gols foi favorável ao Corinthians (6 a 2). A vitória dos Embaixadores em Itaquera ajudou a levar a equipe para a Sulamericana, uma vez que, se o Timão tivesse ganhado, quem iria para a outra competição do continente seria o representante venezuelano.

E, finalmente, o grupo 8, que, na verdade foi o primeiro a ser definido, no dia 16, teve o Palmeiras e Boca Juniors classificados. Dono da melhor campanha do torneio, o alviverde derrotou o Junior Barranquilla por 3 a 1 no Allianz Parque e, com cinco vitórias e um empate, a equipe paulista deu uma “mãozinha” para os Xeneizes que, em La Bombonera, meteram 5 a 0 no Alianza Lima. A ajuda palmeirense garantiu o segundo lugar ao seu algoz das Libertadores de 2000 e 2001, que foi a nove pontos e deixou os Tiburones, com sete, em terceiro.

Dessa forma, a Copa Libertadores seguirá após a Copa do Mundo com a realização dos jogos das oitavas-de-final e, convenhamos, as chances de um confronto entre brasileiros e argentinos já na primeira parte do “mata-mata” são grandes. Porém, com a conclusão da fase de grupos, a Conmebol fará o sorteio para definir o chaveamento dos classificados no próximo dia 4 de junho em sua sede, em Luque, no Paraguai e, conforme o regulamento, a pontuação obtida na fase de grupos serve para a definição dos mandos de campo até a final, com as equipes melhores posicionadas sempre realizando o jogo de volta como local. Por exemplo, se o Palmeiras, dono da melhor campanha da fase de grupos, chegar à decisão, independentemente da trajetória de seu adversário na final, mandará o “jogo da taça” em sua casa.

A seguir, a relação dos classificados para as oitavas-de-final da Copa Libertadores, os contemplados para a Copa Sulamericana, os resultados da sexta rodada e a classificação final de cada grupo.
Primeiros colocados (por ordem de grupo): Grêmio (BRA), Atlético Nacional (COL), Libertad (PAR), River Plate (ARG), Cruzeiro (BRA), Santos (BRA), Corinthians (BRA) e Palmeiras (BRA).
Segundos colocados (por ordem de grupo): Cerro Porteño (PAR), Colo-Colo (CHI), Atlético Tucumán (ARG), Flamengo (BRA), Racing (ARG), Estudiantes (ARG), Independiente (ARG) e Boca Juniors (ARG).
Classificados para a Copa Sulamericana (por ordem de grupo): Defensor (URU), Bolívar (BOL), Peñarol (URU), Santa Fé (COL), Vasco (BRA), Nacional (URU), Millonarios (COL) e Junior Barranquilla (COL).

Data – Jogo – Local:
16/05 – Palmeiras (BRA) 3×1 Junior Barranquilla (COL) – Allianz Parque, São Paulo (BRA)
16/05 – Boca Juniors (ARG) 5×0 Alianza Lima (PER) – La Bombonera, Buenos Aires (ARG)
17/05 – Libertad (PAR) 0x0 Atlético Tucumán (ARG) – Dr. Nicolás Leoz, Assunção (PAR)
17/05 – Peñarol (URU) 2×0 The Strongest (BOL) – Campeón del Siglo, Montevidéu (URU)
22/05 – Universidad de Chile (CHI) 0x2 Vasco (BRA) – Nacional, Santiago (CHI)
22/05 – Cruzeiro (BRA) 2×1 Racing (ARG) – Mineirão, Belo Horizonte (BRA)
23/05 – Grêmio (BRA) 1×0 Defensor (URU) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (BRA)
23/05 – Cerro Porteño (PAR) 3×2 Monagas (VEN) – General Pablo Rojas, Assunção (PAR)
23/05 – River Plate (ARG) 0x0 Flamengo (BRA) – Monumental de Núñez, Buenos Aires (ARG)
23/05 – Emelec (EQU) 0x3 Santa Fé (COL) – George Capwell, Guaiaquil (EQU)
24/05 – Atlético Nacional (COL) 0x0 Colo-Colo – Atanasio Girardot, Medelín (COL)
24/05 – Bolívar (BOL) 2×1 Delfín (EQU) – Hernando Siles, La Paz (BOL)
24/05 – Estudiantes de La Plata (ARG) 3×1 Nacional (URU) – Ciudad de La Plata, La Plata (ARG)
24/05 – Santos (BRA) 0x0 Real Garcilaso (PER) – Vila Belmiro, Santos (BRA)
24/05 – Independiente (ARG) 2×0 Deportivo Lara (VEN) – Libertadores da América, Avellaneda (ARG)
24/05 – Corinthians (BRA) 0x1 Millonarios (COL) – Arena Corinthians, São Paulo (BRA)

Classificação:
Equipe / Pontos:
Grupo A:
1. Grêmio (BRA) – 14 pontos
2. Cerro Porteño (PAR) – 13
3. Defensor (URU) – 4
4. Monagas (VEN) – 3

Grupo 2:
1. Atlético Nacional (COL) – 10
2. Colo-Colo (CHI) – 8
3. Bolívar (BOL) – 8
4. Delfín (VEN) – 7

Grupo 3:
1. Libertad (PAR) – 13
2. Atlético Tucumán (ARG) – 10
3. Peñarol (URU) – 9
4. The Strongest (BOL) – 3

Grupo 4:
1. River Plate (ARG) – 12
2. Flamengo (BRA)- 10
3. Santa Fé (COL) – 7
4. Emelec (EQU) – 1

Grupo 5:
1. Cruzeiro (BRA) – 11
2. Racing (ARG) – 11
3. Vasco (BRA) – 5
4. Universidad de Chile (CHI) – 5

Grupo 6:
1. Santos (BRA) – 10
2. Estudiantes (ARG) – 8
3. Nacional (URU) – 8
4. Real Garcilaso (PER) – 6

Grupo 7:
1. Corinthians (BRA) – 10
2. Independiente (ARG) – 10
3. Millonarios (COL) – 8
4. Deportivo Lara (VEN) – 6

Grupo 8:
1. Palmeiras (BRA) – 16
2. Boca Juniors (ARG) – 9
3. Junior Barranquilla (COL) – 7
4. Alianza Lima (PER) – 1

Parabéns aos classificados.

Por Jorge Almeida

CBF sorteia os confrontos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018

Copa do Brasil 2018: CBF sorteou os confrontos das oitavas-de-final. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

* Atualizado às 20h de 26/04.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou na manhã desta sexta-feira (20), o sorteio que definiu os duelos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018. Um dia após a definição das duas últimas vagas da quarta fase, a entidade promoveu o evento que determinou quem os cinco classificados da fase anterior pegará na sequência do torneio.

Com as presenças do tetracampeão mundial Zinho e de Melina Torres no sorteio, o método dos confrontos foi simples: as oito equipes que disputam (ou disputaram no caso da Chapecoense) a Libertadores 2018 estavam nas bolinhas do pote 1, enquanto os cinco clubes classificados da quarta fase da Copa do Brasil, além de América Mineiro (campeão do Brasileiro da Série B de 2017), Luverdense (campeão da Copa Verde 2017) e Bahia (campeão da Copa do Nordeste 2017) estavam no pote 2.

Primeiro, foi sorteado as seguintes equipes do pote 1 com a seguinte ordem: Chapecoense, Cruzeiro, Vasco, Grêmio, Corinthians, Palmeiras, Flamengo e Santos. Esses clubes enfrentarão respectivamente Atlético Mineiro, Atlético Paranaense, Bahia, Goiás, Vitória, América Mineiro, Ponte Preta e Luverdense.

As partidas serão disputadas nas seguintes datas: 25 de abril, dias 2, 9, 16 e 23 de maio. No caso, os clubes do pote 1 serão os mandantes dos jogos de volta.

No mesmo dia, porém, à tarde, a CBF definiu as datas de alguns dos duelos.

Na primeira data disponível para os jogos das oitavas-de-final, duas partidas: Goiás e Grêmio, no Serra Dourada, e Vitória e Corinthians, no Barradão. Os dois embates estão previstos para às 19h30 do dia 25 de abril. Porém, as datas das partidas de volta ainda não foram definidas pela CBF. Na semana seguinte, no dia 2 de maio, Ponte Preta e Flamengo medirão forças no Moisés Lucarelli, e Atlético Mineiro receberá a Chapecoense no Independência. Enquanto isso, Cruzeiro x Atlético Paranaense, Bahia x Vasco, Santos x Luverdense vão medir forças nos dias 9 e 16 de maio. Apenas América Mineiro e Palmeiras seguem com datas indefinidas para se enfrentarem.

Curiosamente, nos oitos confrontos, há o embate entre um clube que já ganhou a competição e o outro que busca a conquista inédita.

Nos próximos dias, a CBF confirmará as datas e os horários que ainda estão pendentes.

A seguir a relação dos confrontos e as datas das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018.

*Data – Horário – Jogo – Local:
25/04 – 19h30 – Goiás (GO) 0x2 Grêmio (RS) – Serra Dourada, Goiânia (GO)
25/04 – 19h30 – Vitória (BA) 0x0 Corinthians (SP) – Barradão, Salvador (BA)
02/05 – 19h30 – Atlético (MG) x Chapecoense (SC) – Independência, Belo Horizonte (MG)
02/05 – 19h30 – Ponte Preta (SP) x Flamengo (RJ) – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
09/05 – 19h30 – América (MG) x Palmeiras (SP) – Independência, Belo Horizonte (MG)
09/05 – 19h30 – Grêmio (RS) x Goiás (GO) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
09/05 – 21h45 – Bahia (BA) x Vasco (RJ) – Fonte Nova, Salvador (BA)
10/05 – 19h30 – Corinthians (SP) x Vitória (BA) – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
10/05 – 19h30 – Flamengo (RJ) x Ponte Preta (SP) – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
10/05 – 21h45 – Santos (SP) x Luverdense (MT) – Vila Belmiro, Santos (SP)
16/05 – 19h30 – Chapecoense (SC) x Atlético (MG) – Arena Condá, Chapecó (SC)
16/05 – 19h30 – Vasco (RJ) x Bahia (BA) – São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
16/05 – 21h45 – Atlético (PR) x Cruzeiro (MG) – Arena da Baixada, Curitiba (PR)
17/05 – 19h15 – Luverdense (MT) x Santos (SP) – Passo das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
23/05 – 21h45 – Palmeiras (SP) x América (MG) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
16/07 – 20h – Cruzeiro (MG) x Atlético (PR) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
* Atualizado às 20h de 26/04/2018

Por Jorge Almeida

Vai começar o Campeonato Brasileiro 2018

O troféu mais cobiçado do futebol brasileiro. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Após a festa dos campeões estaduais pelo Brasil no último final de semana, neste final de semana, dias 14 e 15 de abril, começará mais uma edição do Campeonato Brasileiro da Série A, o popular Brasileirão. Do próximo sábado até o início de dezembro, 20 clubes de nove Estados iniciam a busca pelo título mais disputado do futebol pentacampeão do mundo ao longo de 38 rodadas. A fórmula de disputa é a mesma dos últimos anos: turno e returno por pontos corridos.

O BR-18 terá a participação de 15 dos 17 times que já sentiram o gostinho de ter sido campeão brasileiro (os outros dois são Coritiba e Guarani, que disputarão a Série B este ano). Os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro são os que têm mais representantes: quatro equipes, seguido de Minas Gerais, com três; Rio Grande do Sul, Paraná e Bahia, com dois; enquanto Santa Catarina, Pernambuco e Ceará com um time representado. As regiões Norte e Centro-Oeste não possuem clubes na principal divisão do futebol nacional.

De todos os campeões, o Atlético Mineiro é o dono da maior fila de espera: 47 anos – a última (e única) conquista atleticana foi no longínquo ano de 1971. E, desde então, com a atual denominação (Campeonato Brasileiro), apenas Cruzeiro, Flamengo, São Paulo e Santos nunca foram rebaixados para a Série B.

Amanhã, a bola rola com a realização de três partidas. Às 16h, o Cruzeiro receberá o Grêmio no Mineirão. Com as duas equipes na disputa da Taça Libertadores, pode ser que ao longo do Brasileirão ambos atuem em algumas partidas com times mistos ou totalmente reservas. A Raposa foi a última equipe campeã brasileira fora de São Paulo, em 2014. Já o Tricolor dos Pampas, detentor de dois Brasileiros, não vence o campeonato desde 1996.

No Barradão, também no sábado, mas às 19h, Vitória e Flamengo fazem e duelo rubronegro da rodada. O Leão nunca foi campeão brasileiro, o mais longe que conseguiu foi o vice-campeonato em 1993. Enquanto o Mengão é dono de cinco (ou seis) Brasileiros, sendo o último deles erguido em 2009.

Ainda no sábado, o Santos receberá o Ceará no Pacaembu. O Peixe, que conquistou o seu último campeonato em 2004, é detentor de oito troféus (contabilizando as Taças Brasil e Robertões reconhecidos pela CBF) da competição nacional. O Vozão, por sua vez, é uma das cinco equipes do certame que nunca sentiu o gostinho de ter sido campeão brasileiro.

No domingo, a rodada começa já às 11h com o atual campeão brasileiro da Série B, o América Mineiro, medindo forças com o Sport Recife, no Independência, em Belo Horizonte. O Coelho que, apesar de não ter nenhum brasileiro da primeira divisão, é dono de dois títulos da Série B, enquanto o Leão da Praça da Bandeira é o grande vencedor do BR-87, a contragosto de flamenguistas.

No mesmo dia, às 16h, três jogos envolvendo duelos de campeões brasileiros. Na Arena Corinthians, o atual campeão Corinthians encara justamente o adversário do “jogo do título” de 2017, o Fluminense. Enquanto o Timão, com seus sete brasileiros, é o maior campeão brasileiro da era dos pontos corridos, com quatro títulos, o Fluminense, dono de quatro taças, sendo duas erguidas nesta década, é o carioca mais vitorioso do Brasileirão no atual formato.

No Rio de Janeiro, em São Januário, Vasco e Atlético fazem o jogo de detentores de brasileiros que ainda não foram campeões na era dos pontos corridos. Com quatro taças na bagagem, o time cruzmaltino buscará os três pontos contra o Galo, que possui o seu único Brasileiro conquistado em 1971.

A terceira partida das 16h do domingo será protagonizada pelos finalistas do Campeonato Brasileiro de 1988: Internacional e Bahia, no Beira-Rio. Os dois clubes voltam à elite depois de terem disputado a Série B em 2017. O Colorado, que não é campeão brasileiro desde 1979, quando conquistou o torneio pela terceira vez e de forma invicta, façanha que ninguém conseguiu repetir, quer quebra o tabu de quase 40 anos sem o caneco e começa a caminhada diante do Tricolor de Aço, que comemora em 2018 os 30 anos de seu último Brasileiro.

A última partida do dia será realizada às 19h na Arena da Baixada, em Curitiba, entre Atlético Paranaense e Chapecoense. A torcida do Furacão, dono do título de 2001, espera um desempenho melhor de seu time em relação aos últimos anos, enquanto a Chape sonha em conseguir manter a sequência de permanência na primeira divisão.

Na segunda-feira, no Morumbi, São Paulo e Paraná Clube farão o duelo de tricolores da rodada. O clube paulista, que é o único a ter conquistado o Brasileirão por três anos consecutivos (2006, 2007 e 2008), espera sair da má fase com Diego Aguirre e terá como ponto de partida a equipe paranista que, embora não possua nenhum troféu da elite, é, assim como o América Mineiro, dono de duas Séries B.

E, finalmente, o Botafogo encara o Palmeiras, às 20h de segunda-feira, no Engenhão. Se por um lado, o Fogão, dentre os cariocas, é o que está há mais tempo sem ser campeão brasileiro (desde 1995), por outro lado, o alviverde, com o elenco milionário que possui, quer retomar a hegemonia – para a CBF, o Palmeiras é o maior campeão brasileiro, com nove troféus.

A seguir, a data e os horários dos jogos da primeira rodada do Brasileirão 2018.

Data – Horário – Jogo – Local:
14/04 – 16h – Cruzeiro x Grêmio – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
14/04 – 19h – Vitória x Flamengo – Barradão, Salvador (BA)
14/04 – 21h – Santos x Ceará – Pacaembu, São Paulo (SP)
15/04 – 11h – América (MG) x Sport Recife – Independência, Belo Horizonte (MG)
15/04 – 16h – Corinthians x Fluminense – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
15/04 – 16h – Vasco x Atlético (MG) – São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
15/04 – 16h – Internacional x Bahia – Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
15/04 – 19h – Atlético (PR) x Chapecoense – Arena da Baixada, Curitiba (PR)
16/04 – 20h – São Paulo x Paraná Clube – Morumbi, São Paulo (SP)
16/04 – 20h – Botafogo x Palmeiras – Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

Corinthians: campeão paulista de 2018

Os jogadores do Corinthians comemoram o bicampeonato paulista no Allianz Parque. Créditos: Marcos Ribolli

Depois de 35 anos, o Corinthians conquistou o bicampeonato paulista ao superar o Palmeiras na cobrança de pênaltis por 4 a 3, após vencer o tempo normal por 1 a 0, gol de Rodriguinho, na tarde deste domingo (8), no Allianz Parque, em São Paulo (SP). Nos tiros penais, o alvinegro teve suas cobranças convertidas por Danilo, Romero, Lucca e Maycon, enquanto Victor Luís, Marcos Rocha e Moisés acertaram os pênaltis pelo lado alviverde. Mas Dudu e Lucas Lima pararam em Cássio e Fagner mandou por cima do travessão. Esse foi o 29º Paulistão conquistado pelo alvinegro de Parque São Jorge.

A decisão nem começou direito e a vantagem palmeirense adquirida do resultado positivo no primeiro jogo sucumbiu logo a um minuto de jogo. Em ótima jogada pela esquerda, Mateus Vidal deixou Antônio Carlos para trás, chegou à linha de fundo e rolou para trás para Rodriguinho finalizar. A bola ainda desviou em Victor Luís e tirou o goleiro Jaílson do lance. Corinthians igualou a final.

O Palmeiras tentou reagir em seguida e, aos cinco, chegou às redes com Willian após completar desvio de Thiago Martins, porém, o atacante estava em impedimento.  Quatro minutos depois, Marcos Rocha bateu o lateral na área, Borja subiu e ganhou de Henrique e Cássio pelo alto e a bola passou perto da meta corinthiana. O alviverde tentou mais uma vez, aos 15, com Lucas Lima arriscando de longe, rasteiro para defesa de Cássio. O time da casa reclamou de pênalti em uma disputada entre Ralf e Borja na área, mas a arbitragem não marcou. No minuto seguinte, Dudu ajeitou para Marcos Rocha, que chegou forte e o goleiro corinthiano fez boa defesa. Aos 37, depois do escanteio, Borja subiu para cabecear e Cássio olhou a bola sair. E a etapa inicial terminou com a vitória parcial do Timão.

Para a volta do intervalo, o técnico Roger Machado sacou Willian para colocar Keno. E o panorama seguiu: Palmeiras no ataque e Corinthians esperando o contragolpe. Aos 7, em sua primeira jogada de perigo, Keno se livrou da marcação, bateu rasteiro e o camisa 12 corinthiano mandou para escanteio.

O jogo seguiu insosso, com a equipe palestrina sem conseguir criar grandes chances e a redonda seguiu rondando a grande área. Até que, aos 26, Dudu invadiu a área e teve contato com Ralf. No instante, o árbitro marcou penalidade máxima, de maneira equivocada. No entanto, diante das reclamações dos corinthianos, o grupo de arbitragem conversou no gramado e, depois de oito minutos, o juiz voltou atrás na marcação do penal e apontou escanteio. Evidentemente, jogadores e torcedores palmeirenses ficaram indignados com a mudança de Marcelo Aparecido Ribeiro.  A demora na indefinição do lance, imediatamente, fez com que rumores de “interferência externa” fosse cogitado.

Depois da confusão, a partida seguiu com os comandados de Fábio Carille conformados em querer levar a decisão para os pênaltis. Aos 45, Marcos Rocha bateu rasteiro à direta da barreira e a redonda passou muito perto do gol.

E, por conta da confusão no lance do pênalti e mais as alterações, a partida teve mais dez minutos de acréscimos. O Corinthians ainda teve uma excelente chance aos 52 minutos. Sidclay fez jogada individual pela esquerda, foi até a linha de fundo, cortou para o meio da área, chutou e a bola quase entrou no gol. Foi a última finalização ao gol do derby, que foi encerrado aos 55 minutos. O campeão paulista de 2018 sairá nas cobranças de pênaltis.

Pelo Palmeiras, Dudu iniciou a série. O camisa 7 cobrou e Cássio caiu no canto direito e defendeu. Na sequência, Danilo pôs o Timão na frente, Victor Luís empatou, Romero bateu no alto, a bola bateu no travessão e entrou – 2 a 1 pró Corinthians, Lucas Lima cobrou rasteiro e o camisa 12 corinthiano defendeu de novo. Lucca chutou forte, no meio e marcou. Marcos Rocha converteu o seu penal. Fagner teve a oportunidade de fazer o pênalti que daria o título para o Timão, mas o lateral-direito mandou por cima do travessão e pôs o rival no jogo, que coverteu sua cobrança através de Moisés que bateu no alto e no meio. Então, coube a Maycon cobrar o último pênalti e fazer o gol do título. Corinthians bicampeão paulista depois de 35 anos.

O Palmeiras entrou em campo como favorito por conta da vantagem que conquistou no primeiro jogo (vitória na Arena Corinthians por 1 a 0), ou seja, um simples empate lhe bastaria. No entanto, o gol de Rodriguinho logo a um minuto de jogo e tratou de igualar a decisão. Depois do gol, os dois times encontraram problemas na marcação, o que contribuiu para a criação de espaços para ambos aproveitarem, mas não souberam tirar proveito. E o Corinthians recuou as linhas de marcação, marcou o rival e passou a investir em contra-ataques. O lance capital veio no segundo tempo com a marcação do pênalti de Ralf em Dudu, aos 26 minutos, mas que a arbitragem voltou atrás, causando indignação por parte dos palmeirenses. O alviverde conseguiu criar algumas oportunidades, mas não obteve êxito e a decisão foi para os pênaltis, em que brilhou a estrela de Cássio, que pegou duas cobranças.

A seguir, o resumo da campanha e a ficha técnica da decisão.

Data – Jogo – Local:
Primeira Fase:
17/01 – Corinthians 0x1 Ponte Preta – Pacaembu, São Paulo (SP)
21/01 – São Caetano 0x4 Corinthians – Pacaembu, São Paulo (SP)
24/01 – Corinthians 2×1 Ferroviária – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
27/01 – Corinthians 2×1 São Paulo – Pacaembu, São Paulo (SP)
04/02 – Novorizontino 0x1 Corinthians – Jorge Ismael de Biasi, Novo Horizonte (SP)
09/02 – Santo André 2×1 Corinthians – Bruno José Daniel, Santo André (SP)
14/02 – Corinthians 0x1 São Bento – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
19/02 – Red Bull Brasil 1×1 Corinthians – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
24/02 – Corinthians 2×0 Palmeiras – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
04/03 – Santos 1×1 Corinthians – Pacaembu, São Paulo (SP)
07/03 – Corinthians 1×0 Mirassol – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
11/03 – Botafogo 0x2 Corinthians – Santa Cruz, Ribeirão Preto (SP)
Quartas-de-final:
18/03 – Bragantino 3×2 Corinthians – Pacaembu, São Paulo (SP)
22/03 – Corinthians 2×0 Bragantino – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Semifinais:
25/03 – São Paulo 1×0 Corinthians – Morumbi, São Paulo (SP)
28/03 – Corinthians (5)1×0(4) são Paulo – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Final:
31/03 – Corinthians 0x1 Palmeiras – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
08/04 – Palmeiras (3)0x1(4) Corinthians – Allianz Parque, São Paulo (SP)

FICHA TÉCNICA: PALMEIRAS (3)0x1(4) CORINTHIANS
Competição/Fase: Campeonato Paulista Série A1 – final (2º jogo)
Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data: 8 de abril de 2018, domingo – 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho e Daniel Paulo Ziolli
Cartões Amarelos: Dudu, Moisés (Palmeiras); Cássio, Romero, Fagner, Balbuena e Rodriguinho (Corinthians)
Gol: Rodriguinho, a 1 min do 1º tempo (0-1)
Pênaltis convertidos: Victor Luiz, Moisés e Marcos Rocha (Palmeiras); Danilo, Romero, Lucca e Maycon (Corinthians)
Pênaltis desperdiçados: Dudu e Lucas Lima (Palmeiras); Fagner (Corinthians)
PALMEIRAS: 42.Jaílson; 32.Marcos Rocha, 25.Antônio Carlos, 31.Thiago Martins e 25.Victor Luiz; 19.Bruno Henrique (5.Thiago Santos), 10.Moisés e 20.Lucas Lima; 7.Dudu, 29.Willian (11.Keno) e 9.Borja (16.Deyverson). Técnico: Roger Machado
CORINTHIANS: 12.Cássio; 23.Fagner, 4.Balbuena, 3.Henrique e 16.Sidcley; 15.Ralf, 8.Maycon, 10.Jadson (47.Emerson Sheik) e 26.Rodriguinho (20.Danilo); 11.Romero e 22.Matheus Vidal (30.Lucca). Técnico: Fábio Carille

Parabéns ao Sport Club Corinthians Paulista pelo título.

Por Jorge Almeida

Corinthians: campeão brasileiro de 2017

Jogadores do Corinthians posam para a foto oficial. Créditos: Marcos Ribolli

O Corinthians é matematicamente o grande campeão brasileiro de 2017. O Timão venceu o Fluminense, de virada, na Arena Corinthians por 3 a 1 em confronto válido pela 35ª rodada na noite desta quarta-feira (15). Com gol de Henrique para o Flu no primeiro tempo e dois gols de Jô e um de Jadson, a equipe de Fábio Carille chegou aos 71 pontos e não pode ser mais alcançada na tabela faltando três rodadas para o término da competição.

A partida começou com o visitante querendo estragar a festa do anfitrião. No primeiro minuto de jogo, Marcos Júnior cobrou escanteio e Henrique subiu entre Jô e Pedro Henrique para cabecear para o fundo das redes e colocar o Fluminense na frente. Depois de sofrer o tento, os corinthianos procuraram incentivar o time para buscar o empate, que quase veio aos 5 com Pablo. Fagner cobrou escanteio e o camisa 3 testou firme com perigo por cima da meta de Diego Cavalieri.

O Timão tentou insistir na posse de bola, marcando presença no campo do adversário e investindo principalmente pelo lado direito com Fagner e Romero. Porém, o Tricolor das Laranjeiras, bem postado na defesa, marcara bem. Com a pressão dos mandantes, o Flu partia para os contragolpes e, assim, aos 21 minutos assustou com Scarpa. Henrique Dourado passou pelo marcador e cruzou para o meia cabecear na área e a bola bateu em Guilherme Arana que evitou o segundo gol.

O Fluminense equilibrou as ações da partida e o jogo ficou mais pegado. Contudo, aos 30, Romero acionou Fagner, que apareceu muito bem e chutou forte cruzado e Jô chegou um pouco atrasado. Foi a melhor oportunidade do Corinthians no primeiro tempo. Aos 37, o tricolor carioca deu o troco. Scarpa levantou na área, Reginaldo cabeceou e Caíque França afastou o perigo de soco.

O jogo ficou tenso devido ao nervosismo corinthiano aliado ao excesso de atendimento no campo aos jogadores do Fluminense, o que levou o árbitro catarinense a dar quatro minutos de acréscimos na primeira etapa que terminou com vitória parcial da equipe visitante.

Assim como recebeu o golpe pelo gol sofrido no começo do primeiro tempo, o Corinthians deu o troco da mesma forma. A um minuto da etapa complementar, Jô recebeu da direita, tocou para Clayson, que cruzou na medida para o camisa 7 cabecear para as redes e empatar o jogo. E, dois minutos mais tarde, veio a virada. Caíque França pôs a bola em jogo com um chutão, Jô desviou, a redonda sobrou para o Clayson, que tentou o cruzamento, porém, a esférica bateu no travessão e Jô pegou o rebote ao cabecear para os fundos das redes. De quebra, ele se tornou, por enquanto, o artilheiro isolado do campeonato com 18 gols. E um detalhe: na volta para o segundo tempo, Fábio Carille tirou Camacho e colocou Jadson, o que mudou a postura da equipe.

O Fluminense tentou estragar a festa na casa corinthiana aos 10. Marcos Junior recebeu pela esquerda e arriscou um chute perigoso pela diagonal, mas mandou para fora.  O Flu atacou novamente, aos 15, com Wendel, que se livrou da marcação de Rodriguinho e chutou por cima da meta. Quatro minutos mais tarde, Scarpa recebeu e finalizou colocado, levando perigo à meta de Caíque França.

Depois do gol da virada, o Corinthians só voltou a ameaçar Diego Cavalieri aos 21 minutos. Jô tentou finalizar, a defesa tricolor afastou parcialmente e, na sobra, Rodriguinho chutou forte e o camisa 12 espalmou para escanteio.

A partida seguiu com os comandados de Abel Braga pressionando e insistindo com bolas alçadas na área, enquanto isso, o Corinthians, recuado no campo de defesa, tentou o contragolpe. Foi então que, aos 37, Guilherme Arana cruzou, Clayson não dominou, a defesa afastou parcialmente, Jadson fintou o marcador e bateu colocado e acertou a trave. Dois minutos mais tarde, o camisa 10 foi recompensado: Fagner fez boa jogada pela direita e tocou para Jadson na área que dominou para chutar forte e cruzado em diagonal, sem chance para Cavalieri. É o gol do título.

Após o terceiro gol alvinegro, a torcida acendou os sinalizadores, o que exigiu a paralisação da partida por cerca de oito minutos. E, após o reinício do jogo, Fábio Carille promoveu a terceira alteração: saiu o ovacionado Jô para a entrada de Danilo, que foi recebido de pé pela torcida e recebeu a braçadeira de capitão. Depois de 472 dias sem jogar, Zidanilo voltou a ativa nesta noite. Com a camisa do Corinthians, o veterano meia de 38 anos conquistou o seu sétimo título pelo clube e, ao lado do ex-jogador Dinei, tornou-se o único atleta tricampeão brasileiro pelo Corinthians.  E, por conta dos sinalizadores, o jogo foi até os 55 minutos, mas o placar foi mantido: Corinthians 3, Fluminense 1. O Timão é matematicamente heptacampeão brasileiro.

O jogo começou com o Corinthians sendo surpreendido no primeiro minuto ao tomar o gol relâmpago. Passou a pressionar a equipe do Fluminense, especialmente pela direita e criou algumas chances, enquanto isso, o Tricolor das Laranjeiras, bem postado na defesa, tinha a nítida estratégia de partir em contragolpes e conseguiu sair vitorioso no primeiro tempo. Na volta do intervalo, Fábio Carille tirou Camacho e colocou Jadson. A mudança surtiu efeito e, em menos de quatro minutos, o Timão virou o placar com dois gols de Jô. Após passar à frente do marcador, o alvinegro recuou um pouco e sofreu alguns sustos por conta das investidas do Flu. Mas, aos 39, Jadson, que fazia uma boa partida, sacramentou a vitória corinthiana e fez o terceiro gol da partida. E Fábio Carille, em uma bonita atitude, colocou Danilo no lugar de Jô como uma forma de homenagear o meia que estava há mais de um ano sem jogar.

O Corinthians começou o ano de 2017 desacreditado por grande parte da mídia e dos torcedores (rivais), responsáveis em apelidar a equipe de Fábio Carille de “quarta força do futebol paulista”. Também pudera, pois, das quatro grandes equipes, o Timão, na teoria, estaria um patamar abaixo dos rivais por conta do baixo investimento e pelo pífio desempenho no segundo turno do Campeonato Brasileiro de 2016. Mas, à medida que a temporada foi passando, o técnico alvinegro mostrou sua competência e deu um padrão para a sua equipe que, de fato, não havia um elenco e sim um time. Primeiro veio a conquista do Campeonato Paulista, onde, inclusive, não perdeu nenhum clássico. Mesmo assim, a dúvida em relação ao desempenho do Corinthians pairava quanto ao Brasileirão. No entanto, o alvinegro fez um primeiro turno impecável e chegou à primeira metade do campeonato invicto. Contudo, no segundo turno, os comandados de Carille deram a esperada “relaxada” e perderam jogos que, teoricamente, seriam fáceis, como as derrotas para Vitória e Atlético Goianiense em casa. Mas, para a sorte da Fiel, os adversários postulantes ao título não souberam tirar proveito e também patinaram ao longo da segunda metade do certame. O Timão só foi ameaçado pelo Palmeiras na 31ª quando o alviverde poderia diminuir a diferença de pontos para 3, contudo, a equipe palestrina tropeçou em casa diante do Cruzeiro ao empatar em 2 a 2 e, consequentemente, manteve a diferença de cinco pontos. Na rodada seguinte, foi disputado o derby na Arena Corinthians e o alvinegro bateu o arquirrival por 3 a 2, e praticamente colocou as duas mãos na taça e, de quebra, viu o rival ser ultrapassado pelo Grêmio. Na sequência, vieram as vitórias sobre o Atlético Paranaense e Avaí, ambas por 1 a 0 com gols dos contestados Giovanni Augusto e Kazim, respectivamente. E, na 35ª rodada, o Corinthians só precisava da vitória para conquistar o seu sétimo Brasileirão, o que faz dele o maior vencedor do campeonato em seu atual formato (pontos corridos) com quatro títulos. Apesar de ter o elenco mais fraco dentre àqueles que conquistaram o Brasileirão pelo alvinegro, o rol corinthiano de 2017 fez um feito que apenas o timaço de 1999 conseguiu: ganhar o Paulista e o Brasileiro na mesma temporada. O Corinthians merecidamente conquistou esse título. Pois, ao longo da campanha, Carille e companhia quebraram algumas marcas, tais como: maior número de rodadas na liderança até o título (desde a quinta rodada), o melhor primeiro turno da história dos campeonatos brasileiros da era dos pontos corridos, melhor mandante, melhor visitante, melhor defesa e ainda pode ter o artilheiro do certame – Jô. Aliás, caso o camisa 7 termine a competição no topo da artilharia, ele será o primeiro artilheiro do Corinthians da história do Campeonato Brasileiro. Atualmente, com 18 gols, Jô é o terceiro maior artilheiro do Timão em uma única edição do Brasileirão, ficando atrás de Luisão (com 21 gols em 1999) e Carlitos Tevez, com 20 tentos em 2005.

Apesar de o campeão já estar definido, o Brasileirão ainda segue. O Corinthians vai até o Luso-Brasileiro, no Rio de Janeiro, encarar o Flamengo no próximo domingo e o Fluminense joga na segunda-feira (20), às 17h, contra a Ponte Preta no Maracanã. Com 43 pontos, o Flu está a quatro pontos da zona de rebaixamento.

A seguir, o resumo da campanha e a ficha técnica do jogo que deu ao Corinthians o seu sétimo Campeonato Brasileiro.

Data – Jogo – Local:
13/05 – Corinthians 1×1 Chapecoense – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
21/05 – Vitória 0x1 Corinthians – Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
28/05 – Atlético Goianiense 0x1 Corinthians – Serra Dourada, Goiânia (GO)
03/06 – Corinthians 2×0 Santos – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
07/06 – Vasco 2×5 Corinthians – São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
11/06 – Corinthians 3×2 São Paulo – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
14/06 – Corinthians 1×0 Cruzeiro – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
18/06 – Coritiba 0x0 Corinthians – Couto Pereira, Curitiba (PR)
22/06 – Corinthians 3×0 Bahia – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
25/06 – Grêmio 0x1 Corinthians – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
02/07 – Corinthians 1×0 Botafogo – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
08/07 – Corinthians 2×0 Ponte Preta – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
12/07 – Palmeiras 0x2 Corinthians – Allianz Parque, São Paulo (SP)
15/07 – Corinthians 2×2 Atlético Paranaense – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
19/07 – Avaí 0x0 Corinthians – Ressacada, Florianópolis (SC)
23/07 – Fluminense 0x1 Corinthians – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
30/07 – Corinthians 1×1 Flamengo – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
02/08 – Atlético Mineiro 0x2 Corinthians – Mineirão, Belo Horizonte
05/08 – Corinthians 3×1 Sport – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
19/08 – Corinthians 0x1 Vitória – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
23/08 – Chapecoense 0x1 Corinthians – Arena Condá, Chapecó (SC)
26/08 – Corinthians 0x1 Atlético Goianiense – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
10/09 – Santos 2×0 Corinthians – Vila Belmiro, Santos (SP)
17/09 – Corinthians 1×0 Vasco – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
24/09 – São Paulo 1×1 Corinthians – Morumbi, São Paulo (SP)
1º/10 – Cruzeiro 1×1 Corinthians – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
11/10 – Corinthians 3×1 Coritiba – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
15/10 – Bahia 2×0 Corinthians – Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
18/10 – Corinthians 0x0 Grêmio – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
23/10 – Botafogo 2×1 Corinthians – Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
29/10 – Ponte Preta 1×0 Corinthians – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
05/11 – Corinthians 3×2 Palmeiras – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
08/11 – Atlético Paranaense 1×1 Corinthians – Arena da Baixada, Curitiba (PR)
11/11 – Corinthians 1×0 Avaí – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
15/11 – Corinthians 3×1 Fluminense – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
19/11 – Flamengo x Corinthians* – Luso-Brasileiro, Rio de Janeiro (RJ)
26/11 – Corinthians x Atlético Mineiro* – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
03/12 – Sport x Corinthians* – Ilha do Retiro, Recife (PE)
* Jogos a serem realizados.

FICHA TÉCNICA: CORINTHIANS 3×1 FLUMINENSE
Competição/Fase: Campeonato Brasileiro Série A 2017 – 35ª rodada
Local: Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Data: 15 de novembro de 2017, quarta-feira – 21h45 (horário de Brasília)
Público: 45.775 espectadores
Renda: R$ 2.882.688,00
Árbitro: Bráulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil e Neusa Inês Back, ambos de SC
Cartões Amarelos: Gabriel (Corinthians); Léo, Henrique Dourado, Reginaldo, Pedro, Henrique e Lucas (Fluminense)
Gols: Henrique, a 1 min do 1º tempo (0-1); Jô, ao 1 min (1-1) e aos 3 min do 2º tempo (2-1); e Jadson, aos 39 min do 2º tempo (3-1)
CORINTHIANS: 40.Caíque França; 23.Fagner, 34.Pedro Henrique, 3.Pablo e 13.Guilherme Arana; 5.Gabriel, 29.Camacho (10.Jadson), 26.Rodriguinho, 11.Romero e 25.Clayson (8.Maycon); 7.Jô (20.Danilo). Técnico: Fábio Carille
FLUMINENSE: 12.Diego Cavalieri; 2.Lucas, 40.Reginaldo, 33.Henrique e 15.Léo; 23;Marlon Freitas (32.Pedro), 37;Wendel, 20.Sornoza (28.Matheus Alessandro) e 10.Gustavo Scarpa; 35.Marcos Júnior (27.Peu) e 9.Henrique Dourado. Técnico: Abel Braga

Parabéns ao Sport Club Corinthians Paulista pelo título.

Por Jorge Almeida

Santos: campeão brasileiro feminino de futebol 2017

Jogadoras do Santos comemoram o único gol da partida na Arena Barueri. Créditos: Agência Estado

O Santos é o mais novo campeão brasileiro de futebol feminino. A equipe da Baixada Santista derrotou o Corinthians no segundo e decisivo jogo da final do Campeonato Brasileiro Feminino A1 por 1 a 0 na noite desta quinta-feira (20), na Arena Barueri, na Grande São Paulo. O gol do título foi marcado pela artilheira da competição, a argentina Sole Jaimes. E, como havia triunfado no primeiro jogo na Vila Belmiro por 2 a 0, o alvinegro praiano fez 3 a 0 no placar agregado e ficou com a taça.

Precisando reverter a desvantagem de dois gols do jogo de ida, o Corinthians começou pressionando. No primeiro minuto de jogo, já ganhou um escanteio, que na cobrança, Mimi desviou pela linha de fundo. Um minuto depois, Fabi Simões cruzou para Gabi, que escorou para Nenê, sem marcação dentro da área, mas ela pegou de primeira e mandou por cima da meta santista.

As corinthianas continuaram a pressão e, aos 8, levaram perigo com outro escanteio. Na cobrança do córner, Mimi desviou para a goleira Dani Neuhaus defender.  A partida seguiu com a equipe mosqueteira com maior domínio até por conta da necessidade de marcar.

Contudo, aos 16, em sua primeira investida no ataque, as Sereias foram certeiras. Maria partiu pela esquerda e cruzou na medida para a argentina Sole Jaimes cabecear com estilo, sem chance de defesa, para abrir o placar e aumentar a já confortável vantagem santista.

Para o Corinthians não restava outra opção a não ser atacar, uma vez que, com a vitória parcial do time praiano, a equipe de Parque São Jorge precisaria fazer quatro gols para levar o caneco. Então, aos 19, o Timão foi para cima e Juci soltou uma bomba para ótima defesa da goleira Dani, que evitou o empate.

Como os mandantes pressionaram, as Sereias fecharam bem os espaços e impediram que as corinthianas continuassem com a pressão e, dessa forma, o jogo seguiu truncado no meio-de-campo com as chances de gols diminuindo drasticamente.

Depois do tento santista, a estratégia do time de Caio Couto era clara: aproveitar os contra-ataques. A tática quase deu certo no final do primeiro tempo. Aos 45, a artilheira do campeonato Sole Jaimes avançou pela direita, sem marcação e, na entrada da área, finalizou e mandou por cima do gol.

Na volta do intervalo, o técnico corinthiano Arthur Elias colocou Amanda no lugar de Paulinha e, assim, deslocou Fabi da lateral-direita para o meio-de-campo.

Assim como foi na etapa inicial, o Corinthians tentou pressionar o Santos nos primeiros minutos, mas estava sujeito aos contragolpes santistas. Como o que aconteceu aos sete minutos. Sole Jaimes arrancou do meio campo e da intermediária arriscou e a arqueira Letícia fez ótima defesa e evitou o segundo gol santista.

O Corinthians até tentou pressionar, mas a zaga santista não deu moleza e a cada ameaça era no melhor estilo “bola para o mato, que o jogo vale campeonato!”, sem contar a marcação implacável do meio-campo do time praiano.

O Santos deu espaço para o rival, mas controlou com segurança o seu sistema defensivo e tentou liquidar a fatura nos contra-ataques. Aos 22, por exemplo, Patrícia Sochor disparou pela direita, invadiu a área e bateu cruzado, mas a redonda saiu próximo à meta corinthiana.

Aos 28, um lance polêmico. Depois de um escanteio, Mimi cabeceou e a goleira Dani fez a defesa em cima da linha. As corinthianas disseram que a bola ultrapassou a linha, mas a árbitra Edna Alves Batista mandou o jogo seguir. Seis minutos mais tarde, Nenê foi lançada e, dentro da área santista, cruzou rasteiro para Gabi, mas a esférica atravessou toda a pequena área e ninguém chegou para finalizar.

A partida seguiu com o Corinthians todo no campo de ataque, enquanto o Peixe permaneceu com suas sereias no campo de defesa com a notória estratégia de puxar contra-ataques. E, quando tinha a bola, valorizava a posse de bola.

O jogo seguiu até os 48 minutos, mas o placar do primeiro tempo foi mantido: Corinthians 0, Santos 1 e, assim, o alvinegro praiano conquista pela primeira vez o Campeonato Brasileiro Feminino, assim como foi com o time masculino em 2002 (antes de a CBF reconhecer os títulos nacionais da década de 1960 como Brasileiro): o primeiro e em cima do Corinthians.

Sabendo que precisava reverter a desvantagem do primeiro jogo, o Corinthians foi para cima do Santos e teve suas oportunidades, mas a equipe praiana conseguiu fechar bem os espaços, não se sentiu intimidada com a pressão corinthiana e, na primeira investida ao ataque, tratou de aumentar a vantagem com o gol da artilheira do campeonato, a argentina Sole Jaimes (18 gols em 19 jogos). Com o apoio da torcida (que foi única, conforme determinação do Ministério Público), o Corinthians dominou o jogo, manteve mais posse de bola, porém, encontrou dificuldades de infiltrar na bem postada defesa santista. Já as Sereias aproveitaram do nervosismo do rival e, embora permanecesse menor tempo com a bola nos pés, levavam mais perigo nas investidas ao ataque. Enfim, o Santos soube muito bem administrar os dois jogos da final e levou o título de forma merecida.

A seguir, o resumo da campanha e a ficha técnica da final.

Primeira Fase (Grupo 2):
13/03/2017 – Santos 3×0 Foz Cataratas – Vila Belmiro, Santos (SP)
19/03/2017 – Rio Preto 1×0 Santos – Anísio Haddad, São José do Rio Preto (SP)
28/03/2017 – Santos 3×0 Ponte Preta – Vila Belmiro, Santos (SP)
30/03/2017 – Flamengo 1×2 Santos – Estádio da Gávea, Rio de Janeiro (RJ)
02/04/2017 – Santos 3×1 Vitória – Vila Belmiro, Santos (SP)
05/04/2017 – São José (SP) 1×2 Santos – Marins Pereira, São José dos Campos (SP)
12/04/2017 – Ferroviária (SP) 1×1 Santos – Fonte Luminosa, Araraquara (SP)
19/04/2017 – Santos 2×1 Ferroviária – Vila Belmiro, Santos (SP)
25/04/2017 – Santos 4×1 São José (SP) – Ulrico Mursa, Santos (SP)
03/05/2017 – Vitória 1×3 Santos – Barradão, Salvador (BA)
09/05/2017 – Santos 2×1 Flamengo – Vila Belmiro, Santos (SP)
17/05/2017 – Ponte Preta 0x2 Santos – Eugênio Fraceschini, Valinhos (SP)
24/05/2017 – Santos 1×0 Rio Preto – Vila Belmiro, Santos (SP)
31/05/2017 – Foz Cataratas 1×0 Santos – Pedro Basso, Foz do Iguaçu (PR)
Segunda Fase:
15/06/2017 – Audax (SP) 0x3 Santos – Arena Barueri, Barueri (SP)
21/06/2017 – Santos 0x0 Audax (SP) – Vila Belmiro, Santos (SP)
Semifinais:
29/06/2017 – Iranduba (AM) 1×2 Santos – Arena da Amazônia, Manaus (AM)
08/07/2017 – Santos 3×2 Iranduba (AM) – Vila Belmiro, Santos (SP)
Final:
13/07/2017 – Santos 2×0 Corinthians – Vila Belmiro, Santos (SP)
20/07/2017 – Corinthians 0x1 Santos – Arena Barueri, Barueri (SP)

FICHA TÉCNICA: CORINTHIANS 0x1 SANTOS
Competição/fase: Campeonato Brasileiro Feminino A-1 2017 – final (2º jogo)
Local: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data: 20 de julho de 2017 – 18h (horário de Brasília)
Árbitra: Edna Alves Batista (PR)
Auxiliares: Tatiane Camargo (SP) e Neusa Inês Back (SC)
Cartões Amarelos; Gabriela (Corinthians); Katiuscia, Dani, Kelly e Brena (Santos)
Gol: Sole Jaimes, aos 16 min do 1º tempo (0-1)
CORINTHIANS: 12.Lelê; 10.Fabi Simões, 30.Mimi, 3.Pardal (7.Yasmin) e 6.Juci; 7.Grazi, 19.Ana Vitória (99.Alana), 11.Babi Nunes e 14.Amanda Brunner (21.Paulinha); 90.Nenê e 9.Byanca Brasil. Técnico: Arthur Elias
SANTOS: 1.Dani; 21.Katiuscia, 22.Camila, 23.Carol Arruda e 20.Dani Silva; 5.Maria, 35.Brena (27.Cida), 29.Patrícia Sochor e 34.Maurine (36.Tayla); 7.Ketlen (4.Giovana) e 9.Sole Jaimes. Técnico: Caio Couto

Parabéns ao Santos Futebol Clube pela conquista.

Por Jorge Almeida

*Ofereço esse texto à minha inesquecível amiga Carla de Deus, santista, que nos deixou recentemente