Encerrada a quarta fase da Copa do Brasil

Copa do Brasil: cinco equipes passaram da quarta fase para as oitavas-de-final nesta noite. Foto: Rafael Ribeiro/CBF

E não foi a Europa que teve um dia de decisões nesta quarta-feira (19), na terra brasilis também tivemos disputa de vagas com a realização de cinco jogos válidos pela quarta fase da Copa do Brasil 2017. Cinco equipes avançaram para as quartas-de-final da competição e se juntarão aos representantes brasileiros na Libertadores, além de Santa Cruz (campeão da Copa do Nordeste), Paysandu (ganhador da Copa Verde) e Atlético Goianiense (vencedor do Campeonato Brasileiro da Série B), todos em 2016, na próxima fase do torneio nacional. Dois dos cinco duelos, dois foram decididos nos pênaltis.

Campeão da competição em 2008, o Sport Recife foi até Joinville enfrentar o time da casa. Depois de abrir o placar, o Leão da Ilha sofreu a virada do JEC e, como havia vencido o primeiro jogo pelo mesmo placar (2 a 1), o confronto foi para os pênaltis. Nos tiros penais, destaque para o goleiro Magrão, que defendeu duas cobranças e ajudou o rubronegro pernambucano a avançar depois de fazer 4 a 3 na equipe anfitriã.

Assim como o Sport, o Internacional se classificou nos pênaltis. Depois de empatarem em 1 a 1 nas duas partidas disputadas contra o Corinthians, o Colorado levou a melhor nos tiros penais por 4 a 3 e colaborou para mais uma eliminação corinthiana em sua arena. Essa foi a sexta vez que o Timão sucumbiu na Arena Corinthians em torneios eliminatórios, o segundo pela Copa do Brasil.

Em Curitiba, o Paraná Clube empatou em 0 a 0 com o Vitória no Durival de Brito. Como venceu o compromisso de ida, em Salvador, por 2 a 0, a equipe paranista seguiu adiante no certame.

O Fluminense não tomou conhecimento do Goiás e fez 3 a 0 no clube esmeraldino no Maracanã. Os gols da partida, marcados pelos zagueiros Henrique e Nogueira e do atacante Pedro, aconteceram no segundo tempo. E, assim, o Tricolor das Laranjeiras reverteu a desvantagem do primeiro jogo quando perdera, de virada, por 2 a 1 no Serra Dourada, e avançou para as oitavas-de-final.

Mesmo derrotado no Mineirão pelo São Paulo por 2 a 1, o Cruzeiro continua no certame. O Tricolor do Morumbi saiu na frente com Lucas Pratto, enquanto Thiago Neves, em cobrança de falta que contou com o desvio na barreira empatou para a Raposa, e Gilberto, por sua vez, pôs a equipe paulista na frente. Porém, apesar da vitória, a equipe de Rogério Ceni deu adeus à competição por conta do placar agregado (3 a 2), pois se tivesse feito o terceiro gol, empataria no saldo, mas se classificaria por conta do gol fora de casa.

Com os resultados de hoje, Sport, Internacional, Paraná, Fluminense e Cruzeiro se juntarão aos representantes brasileiros na Libertadores – Chapecoense, Palmeiras, Santos, Atlético Mineiro, Atlético Paranaense, Flamengo, Grêmio e Botafogo – e a Santa Cruz, Paysandu e Atlético Goianiense para disputarem as oitavas-de-final da Copa do Brasil.

O sorteio dos confrontos dessa fase será realizado pela Diretoria de Competições da CBF nesta quinta-feira (20), às 12h, na sede da entidade, no Rio de Janeiro. E às 15h serão definidos os mandos de campo dos oito duelos.

Para o sorteio, as dezesseis equipes serão divididas em dois potes. O pote A é formado pelos oito clubes que disputam a Libertadores e que entram direto nas oitavas. Enquanto o pote B é composto pelos classificados da quarta fase da Copa do Brasil e também por Santa Cruz, Paysandu e Atlético Goianiense. Cada equipe do pote A enfrenta um time do pote B.

Dessa forma, a Copa do Brasil poderá ter clássicos locais logo nas oitavas-de-final. Dependendo do que ocorrer no sorteio, a competição poderá ter nessa fase um Grenal, um Atlético Mineiro e Cruzeiro, um Fla-Flu ou Fluminense e Botafogo.

Parabéns aos classificados.

Por Jorge Almeida

CBF sorteou os confrontos da quarta fase da Copa do Brasil

CBF definiu os confrontos da quarta fase da Copa do Brasil em sua sede. Crédito: reprodução

E não foi só na Europa que teve sorteio para os torneios de mata-mata. Na terra brasilis, a CBF realizou também nesta sexta-feira (17) a definição dos cinco duelos válidos pela quarta fase da Copa do Brasil 2017. Os confrontos nesta fase acontecerão nos dias 5 ou 12 de abril e 12 ou 19 do mesmo mês. Destaque para dois clássicos do futebol brasileiro nesta altura do certame: Corinthians contra Internacional e São Paulo versus Cruzeiro.

O Timão fará dois jogos que prometem contra o Internacional. O primeiro será realizado no Beira-Rio e a volta na Arena Corinthians. Diante da rivalidade que cresceu nos últimos anos entre os dois clubes, o confronto é encarado como “uma questão de honra”. O Inter está engasgado com os paulistas por conta do vice-campeonato do polêmico brasileiro de 2005 e do segundo lugar da Copa do Brasil de 2009. Já muitos corinthianos até hoje não engoliram a suposta entrega colorada para o Goiás na última rodada do Brasileirão de 2007 que culminou com o rebaixamento do time de Parque São Jorge e, consequentemente, a permanência do clube esmeraldino.

O outro confronto marca uma reedição da final da Copa do Brasil de 2000. O São Paulo receberá o Cruzeiro no Morumbi e depois tentará definir sua sorte no Mineirão para continuar (ou não) em busca do inédito título do torneio nacional.

O único embate que ainda segue definido é com relação ao adversário do Vitória, que será ASA ou Paraná Clube. Depois de eliminar o Vasco, o Leão da Barra está à espera do ganhador do confronto entre alagoanos e paranaenses que acontecerá no dia 6 de abril, em Curitiba. O primeiro jogo, realizado no interior alagoano, terminou em 0 a 0.

Campeão em 2008, o Sport Recife encara o Joinville. O compromisso de ida será em Recife e a volta será na casa do JEC. E o outro confronto terá Goiás contra Fluminense. O clube esmeraldino abre a série jogando em casa e irá até o Rio de Janeiro confrontar o Tricolor das Laranjeiras.

A quarta fase da Copa do Brasil é a última antes das oitavas-de-final, estágio do qual terá as presenças dos brasileiros que disputam a Libertadores (Palmeiras, Grêmio, Santos, Flamengo, Atlético Mineiro, Botafogo, Atlético Paranaense e Chapecoense), e também os campeões da Copa do Nordeste (Santa Cruz), da Copa Verde (Paysandu) e do Campeonato Brasileiro da Série B do ano passado (Atlético Goianiense).

Assim como a quarta fase, os duelos das oitavas-de-final serão realizados mediante sorteio na sede da CBF.

A seguir, a definição dos confrontos da quarta fase da Copa do Brasil.

Sport (PE) x Joinville (SC)*
Fluminense (RJ)* x Goiás (GO)
Vitória (BA) x ASA (AL)*/Paraná (PR)*
Corinthians (SP)* x Internacional (RS)
Cruzeiro (MG)* x São Paulo (SP)

* Equipes que mandarão os jogos de volta

Por Jorge Almeida

Fluminense: campão da Taça Guanabara 2017

Jogadores do Fluminense comemoram o título da Taça Guanabara junto do troféu. Foto: Agência O Globo
Jogadores do Fluminense comemoram o título da Taça Guanabara junto do troféu. Foto: Agência O Globo

Em um jogo eletrizante, o Fluminense bateu o Flamengo nos pênaltis por 4 a 2 após empate em 3 a 3 no tempo normal e levou de forma invicta a Taça Guanabara, o primeiro turno do campeonato estadual do Rio de Janeiro, neste domingo (5), no Estádio Nilton Santos (Engenhão), no Rio. Nos 90 minutos, Wellington Silva, Henrique Dourado e Lucas anotaram os tentos tricolores, enquanto Willian Arão, Everton e Paolo Guerrero fizeram os gols rubronegros. Nas penalidades, Lucas, Henrique, Marquinho e Marcos Júnior converteram as cobranças a favor da equipe das Laranjeiras, enquanto Diego e Guerrero anotaram para o lado da Gávea. Mas, Réver parou em Júlio César e Rafael Vaz mandou para fora.

O primeiro tempo do Fla-Flu ficou marcado pelas viradas sucessivas no marcador, em compensação, no segundo, o ritmo da partida diminuiu, mas foi o suficiente para o Flamengo chegar ao empate e levar a decisão para os pênaltis.

Logo aos quatro minutos, o meia flamenguista Diego cobrou falta e acertou a barreira. Wellington Silva pegou a bola na intermediária de defesa e puxou um contragolpe com muita velocidade e, nisso, foi beneficiado pelo escorregão de Pará, ficou cara a cara com Muralha e tocou no canto esquerdo do goleiro para colocar o Flu à frente do marcador.

Mas a alegria tricolor durou apenas quatro minutos. Mancuello cobrou falta na área, Guerrero tocou de cabeça, enquanto o goleiro Júlio César errou na saída e a bola sobrou para Rafael Vaz, que tocou com o pé esquerdo para o gol, Henrique Dourado cortou em cima da linha, mas a redonda sobrou para Arão, que só precisou empurrar para o gol praticamente vazio e empatar o clássico.

Aos 14, Vaz perdeu a bola no campo de ataque e o Flu atacou em três contra dois. Lucas chegou na área, mas Trauco cortou e o peruano recuou para Muralha, que pegou com a mão. O árbitro apitou corretamente o recuo na pequena área do Flamengo: falta em dois lances. Na cobrança, Sornoza encheu o pé e a redonda bateu no peito de Pará, que estava posicionado em cima da linha do gol junto com os demais flamenguistas.

Aos 23, o rubronegro virou o placar. Pára recebeu na direita e cruzou na medida para Guerrero. O atacante peruano cabeceou, Júlio César defendeu parcialmente e, no rebote, Éverton, de cabeça, estufou as redes do Fluminense.

Pouco tempo depois, o Flu teve uma grande chance aos 27. Sornoza cobrou escanteio para Richarlison, que dividiu com a defesa flamenguista por cima e a bola sobrou para Renato Chaves, que cabeceou fraco e permitiu a fácil defesa de Muralha. Três minutos depois, o time de Abel Braga chegou mais uma vez através da bola alçada na área. Sornoza, mais uma vez, cobrou escanteio na área seguida de uma disputa de cabeça e, na sobra, Henrique encheu o pé e acertou o arqueiro rubronegro.

No minuto seguinte, o Fluminense cobrou o córner pelo seu lado esquerdo de ataque, Léo desviou de cabeça e a bola bateu no braço de Paolo Guerrero, que foi ajudar a defesa na área. Pênalti. Na cobrança, Henrique Dourado cobrou no canto direito de Muralha, que acertou o canto, mas não alcançou. Empate no Engenhão: 2 a 2.

Aos 35, o Flamengo levou perigo com Trauco. Diego serviu o lateral-esquerdo que bateu forte, mas a bola saiu rente à trave de Júlio César.

O clássico seguia equilibrado. Mas, aos 40 minutos, foi a vez do Fluminense virar o placar. Em um contra-ataque, Wellingtou Silva viu a infiltração de Lucas na entrada da área e deu um excelente passe para o lateral, que avançou, olhou para Muralha e tocou no lado esquerdo do goleiro para pôr o Flu à frente do marcador: 3 a 2.

E, antes do intervalo, o Flamengo quase chegou ao empate. Aos 45, Éverton cruzou na área para Mancuello, que dominou e serviu William Arão. E o camisa 5 chegou batendo cruzado para defesa do arqueiro tricolor.

Nos primeiros minutos da etapa complementar, o Fluminense esteve perto do quarto gol. Depois do escanteio, a bola passou por todo mundo e sobrou para Henrique Dourado. O Ceifador gira o corpo e, de primeira, manda uma bomba para o gol, mas a bola vai para fora.

A partir de então, o Flu ficou bem fechado à espera do Flamengo, que pecou na articulação de jogadas e, para piorar, Diego teve uma atuação discreta, quase nula. E o jogo ficou cerca de 30 minutos sem levar emoção ao torcedor que compareceu no Engenhão. Enquanto isso, Zé Ricardo botou o time para frente ao promover as entradas de Berrio, no lugar de Arão, e de Felipe Vizeu no de Trauco.

Aos 34, o Flamengo errou na saída de bola e Wellington tirou proveito e partiu em direção ao ataque e tocou para Marcos Júnior, que chutou cruzado à direita da meta defendida por Muralha.

O Fla respondeu no minuto seguinte. Diego lançou Berrío na ponta direita e entrou na área tricolor. O colombiano arriscou e a esférica ficou na rede, pelo lado de fora. O rubronegro arriscou mais uma vez com Diego, que chutou no meio do gol para defesa de Júlio César.

E, de tanto insistir depois dos 30, o Flamengo chegou ao empate aos 39. Guerrero cobrou falta com categoria, por fora da barreira, e acertou o canto esquerdo de Júlio César, que nem se mexeu, para empatar o Fla-Flu: 3 a 3.

Depois do empate, a decisão por pênaltis era o caminho mais natural pelo que as equipes estavam a apresentar após o empate flamenguista. E, antes do término do jogo, o Fla ainda conseguiu perder um gol, aos 46 minutos, com Berrío, que recebeu na marca do pênalti, mas finalizou sem força no meio do gol.

Assim, aos 48 minutos, o árbitro Wagner do Nascimento Magalhães decretou o fim de jogo. A Taça Guanabara 2017 foi decidida nas penalidades.

Nas cobranças penais, Diego iniciou a série para os flamenguistas e acertou a sua. Lucas empatou para os tricolores. Guerrero converteu a dele e pôs sua equipe em vantagem. Mas Henrique empatou. Réver bateu no canto esquerdo e Júlio César defendeu com a perna. O Flu passou à frente com Marquinho, que bateu rasteiro e no canto direito. Rafael Vaz desperdiçou a chance de empatar a decisão para o Fla ao mandar sua cobrança para fora. E, finalmente, Marcos Júnior deslocou Muralha e converteu a cobrança que deu a taça para o Fluminense.

Depois da confusão sobre o local da decisão da Taça Guanabara, o clássico Fla-Flu foi realizado no Engenhão mesmo. As duas equipes fizeram uma partida eletrizante, especialmente no primeiro tempo, onde ambos jogavam abertos à procura do gol. Tanto que houve duas reviravoltas no placar: Flu na frente, virada do Fla, Flu empatou e virou novamente. Tudo isso ainda no primeiro tempo.

Com a vantagem no placar, o Fluminense não se arriscava tanto, o que deixou o segundo tempo com o ritmo mais lento. Afinal, a marcação tricolor ficou mais recuada. Enquanto isso, Zé Ricardo botou sua equipe no ataque. Mas o empate só veio aos 39 minutos através de uma cobrança de falta excelente de Paolo Guerrero. Na decisão por pênaltis, não teve jeito. Deu o óbvio: levou a melhor que teve o melhor aproveitamento. Pois, não havia como prever um favorito em uma disputa como essa.

A seguir, o resumo da campanha e o ficha técnica da decisão.

Primeira fase (Grupo C):
29/01/2017 – Vasco 0x3 Fliminense – Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
1º/02/2017 – Fluminense 1×0 Resente – Moça Bonita, Rio de Janeiro (RJ)
05/02/2017 – Portuguesa (RJ) 0x3 Fluminense – Los Larios, Duque de Caxias (RJ)
12/02/2017 – Fluminense 4×0 Bangu – Los Larios, Duque de Caxias (RJ)
18/02/2017 – Fluminense 3×0 Volta Redonda – Moça Bonita, Rio de Janeiro (RJ)
Semifinal:
25/02/2017 – Fluminense 0x0 Madureira – Los Larios, Duque de Caxiais (RJ)
Final:
05/03/2017 – Fluminense (4)3×3(2) Flamengo – Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)

FICHA TÉCNICA: FLUMINENSE (4)3×3(2) FLAMENGO
Competição/fase: Taça Guanabara 2017 (1º turno Campeonato Carioca) – final/jogo único)
Local: Estádio Nilton Santos (Engenhão) – Rio de Janeiro (RJ)
Data: 5 de março de 2017, domingo – 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Correa e Luiz Claudio Regazone
Cartões Amarelos: Richarlison (Fluminense); Everton e Trauco (Flamengo)
Gols: Wellinton Silva, aos 4 min do 1º tempo (1-0); Willian Arão, aos 7 min do 1º tempo (1-1); Everton, aos 23 min do 1º tempo (1-2); Henrique Dourado, de pênalti, aos 31 min do 1º tempo (2-2); Lucas, aos 40 min do 1º tempo (3-2); e Guerrero, aos 39 min do 2º tempo (3-3)
Pênaltis convertidos: Lucas, Henrique, Marquinho e Marcos Júnior (Fluminense); Diego e Guerrero (Flamengo)
Pênaltis desperdiçados: Réver e Rafael Vaz
FLUMINENSE: 22.Julio César; 2.Lucas, 4.Renato Chaves, 33.Henrique e 15.Léo; 18.Orejuela, 5.Pierre e 20.Sornoza (7.Marquinho); 70.Richarlison, 11.Wellington Silva (30.Marquinhos Calazans) e 9.Henrique Dourado (35.Marcos Junior). Técnico: Abel Braga
FLAMENGO: 38.Alex Muralha; 21.Pará, 33.Rafael Vaz, 15.Réver e 13.Trauco (47.Felipe Vizeu); 27.Rômulo, 5.Willian Arão, 11.Mancuello (17.Gabriel); 35.Diego e 22.Éverton; 9.Paolo Guerrero. Técnico: Zé Ricardo

Parabéns ao Fluminense Football Club pelo título.

Por Jorge Almeida

Fluminense: campeão da Primeira Liga 2016

Jogadores do Fluminense comemoram o título da edição inaugural da Primeira Liga, em Juiz de Fora. Foto: André Durão
Jogadores do Fluminense comemoram o título da edição inaugural da Primeira Liga, em Juiz de Fora. Foto: André Durão

O Fluminense sagrou-se na noite desta quarta-feira (20) o primeiro campeão da Primeira Liga do Brasil (também conhecida como Copa Rio-Sul-Minas) ao derrotar o Atlético Paranaense por 1 a 0, com gol de Marcos Júnior, aos 35 minutos do segundo tempo, no Estádio Helenão, em Juiz de Fora (MG). O título foi o primeiro do Tricolor das Laranjeiras depois do Campeonato Brasileiro de 2012.

No primeiro tempo da decisão da Primeira Liga, o Fluminense começou melhor e, assim, criou a primeira oportunidade aos 9 minutos. Após cobrança de escanteio, Cícero cabeceou, Gérson desviou a bola na frente do goleiro atleticano, que mostrou reflexo e fez a defesa. Mas o Furacão deu o troco três minutos depois com Marcos Guilherme, que recebeu de Walter, porém, ele mandou a redonda por cima da meta de Cavalieri. Depois disso, o jogo deu uma esfriada e, enquanto isso, a torcida do Fluminense ainda se adentrava no estádio e um drone pousou no gramado. Aos 25, Oswaldo partiu pela esquerda e cruzou a meia altura, mas Wellington Silva não conseguiu alcançar a bola. No minuto seguinte, Oswaldo recebeu lançamento longo de Scarpa e, de costas para o gol, tentou uma bicicleta, enquanto Weverton saiu da pequena área para abafar o lance e a esférica foi para fora.

O Atlético Paranaense, aos 31, levou perigo com Eduardo, que chutou rasteiro da entrada da área e a bola passou raspando a trave de Diego Cavalieri. Cinco minutos depois foi a vez de Walter, que tirou da marcação, mas chutou muito forte por cima do gol. Aos 37, o rubronegro paranaense teve outra grande chance. Nikão recebeu de Walter pela direita, invadiu a área, procurou espaço para o chute, foi bloqueado e, na sobra, Viníciu emendou uma bomba, mas a bola explodiu no travessão. E, dessa forma, a decisão teve a sua primeira etapa sem gols.

No segundo tempo, o Tricolor carioca voltou disposto a repetir o mesmo desempenho dos primeiros minutos do etapa inicial. Aos seis minutos, Scarpa deu belo passe para o veterano Magno Alves, que driblou Weverton, mas sem ângulo, para finalizar, tentou tocar para trás para Oswaldo, porém, o passe foi fraco o suficiente para Thiago Heleno tirar, e também quase fazer um gol contra. No lance seguinte, o Atlético errou na saída dde bola, Cícero avançou, tocou de calcanhar para Scarpa finalizar, mas o chute saiu fraco para o arqueiro atleticano defender sem problemas.

A partida deu uma esfriada e o Fluminense priorizou o toque de bola em busca de espaços. Até que aos 24, em um contragolpe, a redonda foi cruzada para dentro da área atleticana e Marcos Júnior não a alcançou para conclusão. Eis que aos 35 minutos, no meio-campo, Magno Alves levou a melhor em cima de Paulo André e tocou em profundidade para Marcos Júnior, que saiu de seu campo, conduziu a bola e, na saída de Weverton, mandou por baixo das pernas do goleiro para tirar o zero do placar.

Depois do gol, o Fluminense ficou na dele, administrou o resultado e, aliado à ineficiência ofensiva do Atlético, praticamente não foi ameaçado em sofrer o empate. Sendo assim, o Tricolor das Laranjeiras abocanhou a edição inaugural da Primeira Liga.

O Fluminense começou a final da Primeira Liga melhor nos momentos iniciais. Mas a equipe de Paulo Autuori também cresceu e deu trabalho no final do primeiro tempo. Empurrado pela torcida, que compareceu em maior número em Juiz de Fora, o Fluzão mostrou-se mais disposição em marcar o gol enquanto o Furacão preocupou-se em adiantar a marcação e acabou se cansando de marcar e foi castigado com o gol de Marcos Júnior, que precisou de 16 minutos para fazer o seu primeiro gol no torneio, porém, o mais importante, o gol do título, e pôs fim a um tabu de mais de três anos sem conquistas – o último triunfo do Fluminense foi o Campeonato Brasileiro de 2012.

Os dois times agora se dedicarão aos campeonatos estaduais no domingo. Enquanto às 19h, o Fluminense enfrentará o Botafogo na partida única do Campeonato Carioca (deveria ter outro nome, uma vez que o torneio tem equipes de fora da capital fluminense), o Furacão, pela mesma fase do seu Estadual, irá até o Durival de Brito enfrentar o Paraná no jogo de volta.

Primeira fase (Grupo A):
27/01/2016 – Fluminense (RJ) 0x1 Atlético (PR) – Estádio da Cidadania, Volta Redonda (RJ)
17/02/2016 – Cruzeiro (MG) 3×4 Fluminense (RJ) – Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
10/03/2016 – Fluminense (RJ) 2×0 Criciúma (SC) – Estádio Mário Heleno, Juiz de Fora (MG)
Semifinal:
23/03/2016 – Fluminense (RJ) (3)2×2(2) Internacional (RS) – Estádio Mané Garrincha, Brasília (DF)
Final:
20/04/2016 – Fluminense (RJ) 1×0 Atlético (PR) – Estádio Mário Heleno, Juiz de Fora (MG)

FICHA TÉCNICA: FLUMINENSE (RJ) 1×0 ATLÉTICO (PR)
Competição/fase: final da Primeira Liga 2016 – jogo único
Local: Estádio Mario Heleno, Juiz de Fora (MG)
Data: 20 de abril de 2016 – quarta-feira – 21h50 (horário de Brasília)
Público total: 23.985 pessoas
Renda: R$ 553.785,00
Árbitro: Sandro Meira Ricci (SC)
Cartões Amarelos: Cícero e Marcos Júnior (Fluminense); Walter e Jadson (Atlético PR)
Gol: Marcos Júnior (Fluminense), aos 35 minutos do segundo tempo
FLUMINENSE (RJ): 12.Diego Cavalieri; 25.Wellington Silva, 3.Gum, 33.Henrique e 6.Giovanni (27.Douglas); 5.Pierre, 7.Cícero, 40.Gustavo Scarpa e 11.Gerson (8.Edson); 17.Osvaldo (35.Marcos Junior) e 20.Magno Alves. Técnico: Levir Culpi
ATLÉTICO (PR): 12.Weverton; 2.Eduardo, 13.Paulo André, 44.Thiago Heleno e 8.Sicley; 7.Otávio (5.Deivid), 39.Jadson (99.André Lima) e 29.Vinícius (92.Pablo); 11.Nikão, 10.Marcos Guilherme e 18.Walter. Técnico: Paulo Autuori

Parabéns ao Fluminense Football Club pela conquista.

Por Jorge Almeida

CBF define os confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil

Copa do Brasil: de 86 equipes apenas oito seguem na competição. Foto: Rafael Ribeiro/CBF
Copa do Brasil: de 86 equipes apenas oito seguem na competição. Foto: Rafael Ribeiro/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou em sua sede nesta segunda-feira (31) o sorteio que definiram os confrontos pelas quartas-de-final da Copa do Brasil 2015. Além dos duelos, a entidade definiu também a ordem dos mandos e ainda divulgou o chaveamento da competição até a final.

O chaveamento das quartas de final já define os adversários até a grande decisão ficou assim: o vencedor da chave 1 enfrentará o vencedor da chave 2 e o vencedor da chave 3 jogará contra o vencedor da chave 4.

Na chave 1, o São Paulo enfrentará o Vasco. A primeira partida será realizada no Morumbi e a segunda no Rio de Janeiro, possivelmente no Maracanã. Quem vencer pegará o ganhador do duelo entre Figueirense e Santos (chave 2), que farão o jogo de ida no Orlando Scarpelli e decidirão a vaga para as semifinais provavelmente na Vila Belmiro. Ou seja, há possibilidade de termos um “SanSão” nas semifinais do certame.

Do outro lado do chaveamento, o Internacional medirá forças com o Palmeiras. O compromisso de ida será realizado no Beira-Rio e a definição do terceiro semifinalista será no Allianz Parque, em São Paulo. E, finalmente, o duelo de tricolores encerra a lista de confrontos das quartas-de-final. Pela chave 4, o Fluminense encara o Grêmio no Maracanã e depois vai a Porto Alegre decidir a vaga para a fase seguinte na casa do rival. Assim como há possibilidade da realização do clássico paulista nas semifinais, pode ser possível que tenhamos um Grenal na sequência.

Só há duas possibilidades da Copa do Brasil ter uma decisão estadual: se o Palmeiras chegar até a decisão para pegar Santos ou São Paulo. Ou se Vasco e Fluminense superarem os seus respectivos adversários para chegarem até a decisão para, então, fazerem a final carioca da competição. E, só uma curiosidade: dos oito participantes que restam do certame, apenas São Paulo e Figueirense não conquistaram a Copa do Brasil ainda.

A Diretoria de Competições da CBF está para divulgar as datas, os horários e os locais (possivelmente os citados acima) da realização das partidas.

Dessa forma, os confrontos da Copa do Brasil 2015 ficaram assim:

São Paulo* x Vasco
Figueirense* x Santos
Internacional* x Palmeiras
Fluminense* x Grêmio

* Equipes mandantes do jogo de ida.

Por Jorge Almeida

Copa do Brasil terá clássicos locais e repetecos de decisões nas oitavas

Copa do Brasil: das 16 equipes que restaram, 10 já conquistaram a competição. Foto: Rafael Ribeiro/CBF
Copa do Brasil: das 16 equipes que restaram, 10 já conquistaram a competição. Foto: Rafael Ribeiro/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou nesta terça-feira (4) em sua sede o sorteio dos confrontos para as oitavas-de-final da Copa do Brasil 2015. A partir dessa fase, o torneio conta com a presença dos representantes brasileiros que disputaram a Libertadores – Cruzeiro, Atlético Mineiro, São Paulo, Corinthians e Internacional. As definições dos mandantes e das datas dos confrontos foram decididos no mesmo dia. Dentre os duelos, destaques para os clássicos estaduais entre Flamengo x Vasco; Corinthians x Santos, além do confronto entre os ex-Palestras: Palmeiras x Cruzeiro. As partidas dessa fase acontecerão nos dias 19 e 20 de agosto (os de ida) e 26 e 27 do mesmo mês, os da volta, evidentemente.

No pote 1, estavam os times que participaram da Copa Libertadores da América de 2015 mais o Fluminense (melhor classificado no Brasileirão 2014 que não disputou a competição sulamericana), além dos dois melhores times no ranking da CBF (Flamengo e Grêmio) que se classificaram da terceira fase. No pote 2, ficaram os outros oito times que classificaram da terceira fase. Para os jogos das oitavas, o sorteio determina os confrontos dos times do pote 1 contra o pote 2 e quais times decidirão o confronto em casa.

Antes do início do sorteio, o diretor de Competições da entidade, Manoel Flores, anunciou duas novidades para a atual edição do certame: os confrontos das quartas-de-final também serão definidos por sorteio e o gol fora de casa não será adotado no critério de desempate na decisão.

De acordo com o sorteio, Santos e Corinthians farão o clássico paulista das oitavas-de-final da Copa do Brasil. O duelo de alvinegros promete. O time da Vila Belmiro vai em busca da revanche pela eliminação da Libertadores 2012 diante do rival que, por sua vez, quer descontar a goleada sofrida pelo clube praiano no ano passado pelo Campeonato Paulista. O mando do primeiro jogo é do Santos, que não descarta a possibilidade de atuar no Pacaembu. Possivelmente, o Timão não abrirá mão de sua arena, em Itaquera, para o confronto decisivo.

Outro clássico estadual que acontecerá nessa fase da Copa do Brasil será realizado entre Flamengo e Vasco, que já decidiram a edição 2006 da competição – vencida pelo rubronegro. Mandante do primeiro jogo, a equipe da Gávea espera ter a mesma sorte que tivera na finalíssima disputada há nove anos. Já os cruzmaltinos, apesar de estarem em uma situação complicada na tabela do Brasileirão, acreditam que poderão repetir o desempenho que tiveram no “Clássico dos Milhões” realizado pela nona rodada do campeonato nacional.

Palmeiras e Cruzeiro fazem o “clássico dos Palestras”. As duas equipes já decidiram a mesma Copa do Brasil duas ocasiões (1996 e 1998) com um título para cada lado. A Raposa, que não está na mesma situação em relação ao ano passado quando liderava o Brasileiro a passos largos, está se reestruturando após um primeiro semestre desastroso para as suas pretensões terá páreo duro pela frente diante do alviverde que, apesar do tropeço da última rodada, está em formação e tem a seu favor uma pessoa que conhece como ninguém o time Celeste: o técnico Marcelo Oliveira, bicampeão brasileiro pelo Cruzeiro. O Palmeiras será o mandante do compromisso de ida, que, possivelmente, será realizado em sua nova arena.

O confronto entre Coritiba e Grêmio é o duelo dos opostos. Enquanto o Coxa luta para fugir do rebaixamento, o Tricolor dos Pampas, por sua vez, está em ascensão. Se histórico na competição fosse levado em conta no embate, o Grêmio levaria ampla vantagem, pois é detentor de quatro títulos enquanto o time paranaense acumula dois vice-campeonatos (2011 e 2012). O primeiro jogo, provavelmente, será realizado na Arena do Grêmio, na capital gaúcha.

São Paulo e Ceará será o único confronto das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2015 que não terá uma equipe que tenha conquistado o torneio. No entanto, as duas equipes já “bateram na trave” ao amargarem um vice-campeonato: o Tricolor perdeu a decisão de 2000 para o Cruzeiro e o Vozão foi superado pelo Grêmio em 1994. Pela camisa e pelo momento que ambas equipes vivem na temporada, o São Paulo, mandante do jogo de ida, é o amplo favorito no duelo. Mas o Ceará tem a seu favor a história das “zebras” que sempre apareceu ao longo dos 26 anos da competição e, talvez, por fazer a segunda partida em casa, um bom resultado no Morumbi poderá fazer o time acreditar que é possível.

Atual campeão da competição, o Atlético Mineiro enfrentará o Figueirense. Líder do Campeonato Brasileiro no momento, o Galo vem forte no torneio e, apesar de deixar claro que o foco é conquistar o bicampeonato brasileiro, os comandados de Levir Culpi não descarta a possibilidade de abocanhar a Copa do Brasil também e, de quebra, repetir o feito do arquirrival Cruzeiro em 2003 quando esse faturou o torneio, mais o Brasileirão e o Campeonato Mineiro. Por outro lado, o Figueira vem como “franco atirador” e quer surpreender para, quem sabe, fazer o mesmo em 2007: chegar à decisão. O primeiro jogo terá mando do Atlético, logo, a possibilidade de ser no Independência é grande.

Campeão da Copa do Brasil de 2007, o Fluminense terá pela frente nessas oitavas-de-final o Paysandu. Terceiro colocado do BR-15, o Tricolor das Laranjeiras quer reviver os bons tempos e aposta na dupla Fred e Ronaldinho Gaúcho para chegar à Libertadores, seja via Brasileirão ou Copa do Brasil. Enquanto isso, o Papão espera surpreender o Brasil novamente como fizera em 2003 quando bateu o Boca Juniors em plena La Bombonera. Mas, os tempos são outros, e o Fluminense, que fará o primeiro duelo em casa, é o amplo favorito.

E, finalmente, Internacional e Ituano. O Colorado, que não conquista um título nacional há mais de 20 anos, encara a equipe de Itu, que entrou na competição credenciada pelo título paulista do ano passado. Considerado favorito para o duelo, O Inter será o mandante do primeiro jogo. O Galo acredita que pode surpreender o tricampeão brasileiro e crê também no histórico de zebras que a Copa do Brasil proporciona a cada ano.

Um fato que chamou atenção no evento realizado na sede da CBF foi quando uma das modelos que fazia o sorteio soltou a bolinha no momento em que seria definido o adversário do Flamengo. Segundo relatos, a moça pegou a bolinha, levou um susto ao ouvir um grito “cuidado, hein!” de um dos jornalistas que acompanhava o evento. Assim, ela teria se assustado e colocado a esfera no pote e pegou outra bolinha depois. O fato gerou controvérsias nas redes sociais.

Com os duelos determinados, as oito equipes que seguirem na competição participarão de um novo sorteio para definir o alinhamento do torneio até a decisão.

A seguir, como ficaram os jogos de ida e volta da Copa do Brasil, os mandantes estão do lado esquerdo.

Jogos de ida – dias 19 ou 20 de agosto:
Santos (SP) x Corinthians (SP)
Flamengo (RJ) x Vasco (RJ)
Palmeiras (SP) x Cruzeiro (MG)
Grêmio (RS) x Coritiba (PR)
São Paulo (SP) x Ceará (CE)
Atlético (MG) x Figueirense (SC)
Fluminense (RJ) X Paysandu (PA)
Internacional (RS) x Ituano (SP)

Jogos de volta – dias 26 ou 27 de agosto:
Corinthians (SP) x Santos (SP)
Vasco (RJ) x Flamengo (RJ)
Cruzeiro (MG) x Palmeiras (SP)
Coritiba (PR) x Grêmio (RS)
Ceará (CE) x São Paulo (SP)
Figueirense (SC) x Atlético (MG)
Paysandu (PA) x Fluminense (RJ)
Ituano (SP) x Internacional (RS)

É esperar para ver.

Por Jorge Almeida

Morre Washington, ex-jogador do Atlético PR e do Fluminense

Washington (na cadeira de rodas) e Assis no Maracanã em homenagem feita pelo Fluminense. Foto: divulgação/Fluminense
Washington (na cadeira de rodas) e Assis no Maracanã em homenagem feita pelo Fluminense. Foto: divulgação/Fluminense

O futebol brasileiro amanheceu de luto na manhã deste domingo (25). Morreu em Curitiba, aos 54 anos, Washington César Santos, ex-centroavante com passagens em diversos clubes, mas que marcou época ao vestir as camisas de Atlético Paranaense e do Fluminense na década de 1980. O ex-jogador sofria de esclerose lateral amiotrófica (ELA), doença neurogenerativa sem cura. Junto com Assis, Washington formou o “Casal 20” (referente à um seriado de TV que fazia sucesso na época) quando ambos defenderam as cores do Furacão e do Tricolor das Laranjeiras.

Nascido em Valença, na Bahia, a 3 de janeiro de 1960, Washington começou a carreira futebolística no Galícia, clube baiano, e passou, além de Atlético PR e Fluminense, por Corinthians, Internacional, Operário, Santa Cruz, entre outros clubes do Brasil e equipes de menor expressão em Portugal. Pela Seleção Brasileira, o ex-jogador pouco atuou: foram cinco jogos e dois gols e mais quatro jogos e dois gols pela Seleção Olímpica, onde conquistou a medalha de Ouro nos Jogos Panamericanos de Indianápolis, em 1987.

Considerado ídolo no Furacão, Washington e seu parceiro Assis, em 1982, foram os responsáveis pela marca de 36 gols no Campeonato Paranaense daquele ano e que levou o Atlético Paranaense ao título. Além disso, o “Casal 20” quase realizou a proeza de eliminar o Flamengo de Zico nas semifinais do Brasileirão do mesmo ano. Na ocasião, o Mengão havia vencido o jogo de ida por 3 a 0 no Maracanã, mas na volta, o rubro-negro paranaense fez 2 a 0 no Couto Pereira. No CAP, Washington marcou 13 gols em 23 jogos.

Contratado pelo Fluminense em 1983, a dupla se destacou e contribuiu para o tricampeonato carioca (1983, 1984 e 1985) e pela conquista do Campeonato Brasileiro de 1984 para o Tricolor carioca. Pelo Fluzão, Washington marcou 130 gols em 303 partidas, o que faz dele o nono maior goleador do clube das Laranjeiras.

Em 2009, já diagnosticado pela doença, o ex-jogador recebeu a solidariedade e o apoio financeiro dos torcedores. Em uma ação de marketing, em 15 de novembro daquele ano, intitulada “Washington Day”, as duas equipes se enfrentaram no Maracanã em partida válida pelo Campeonato Brasileiro. Na ocasião, sete urnas ficaram espalhadas pelo estádio para receber contribuições que foram revertidas para o pagamento do tratamento de Washington. Além disso, o centroavante Fred se mostrou solidário à campanha e leiloou uma camisa autografada por ele em que a renda arrecadada foi revertida para o ex-centroavante.

E, hoje pela manhã, Washington foi encontrado sem vida em casa.

Atlético Paranaense e Fluminense divulgaram nota de despedida ao atleta e agradeceram pelos seus feitos quando Washington defendeu as respectivas camisas.

Descanse em paz, Washington.