Exposição “Ione Saldanha: Cidade Inventada” no MASP

“Bambus”, obra de Ione Saldanha composta por 36 bambus em exibição no MASP. Foto: Jorge Almeida

O Museu de Arte de São Paulo (MASP) realiza até o dia 6 de março a exposição “Ione Saldanha: Cidade Inventada”, que reúne cerca de 180 obras da artista Ione Saldanha que, apesar de seu pioneirismo, não obteve o justo reconhecimento na história da arte brasileira do século XX.

Mesmo atuando de forma espontânea, o incremento de sua produção tão ríspida e poética ao longo de quase 60 anos aponta uma formidável coerência. Uma série ou grupo de trabalhos se distende e evolui rumo ao próximo: a partir de pinturas figurativas iniciais dos anos 1940 até os trabalhos abstratos na década seguinte e as pinturas em suportes tridimensionais a partir do final dos anos 1960.

Saldanha pintava sobre tela, papel, longas ripas de madeira, bambus, bobinas e, por fim, sobre todos de madeira empilhados. A cor e o construtivismo faziam parte do seu linguajar. No centro da obra de Saldanha há uma inquietação com um certo aspecto ou invenção da cidade e da arquitetura, por isso título desta exposição que remete à mostra individual feita pela artista na Galeria Relevo, no Rio de Janeiro, em 1962.

Nesse contexto, de acordo com o curador Adriano Pedrosa, a artista passou das paisagens urbanas iniciais a construções arquitetônicas progressivamente abstratas, representadas de maneira fluida, delicada e orgânica, sempre trazendo a marca da mão da artista visível na superfície das pinturas, seja ela bidimensional ou tridimensional. Com um aspecto antropomórficos, eles fazem alusões à cidade e à floresta.

Ione Saldanha jamais se vinculou a qualquer grupo ou movimento artístico, algo insólito no meio artístico brasileiro de meados do século passado. Em vez disso, ela desenvolveu uma trajetória bastante particular que lhe deixou focar em seu trabalho tanto excepcional quanto prolífico, explorando múltiplas relações, diálogos e cruzamentos.

Entre os destaques da mostra estão “Paisagem N° 3” (1953), um óleo sobre tela; “Ripas”, 38 ripas com acrílica sobre madeira; “Bambus” (foto), formada por 36 bambus com acrílica sobre bambus; e “Bobinas”, cinco esculturas de acrílica sobre madeira.

SERVIÇO:
Exposição:
Ione Saldanha: Cidade Inventada
Onde: Museu de Arte de São Paulo (MASP) – Avenida Paulista, 1578 – Cerqueira César
Quando: até 06/03/2022; terça-feira, das 10h às 20h (última entrada às 19h); de quarta a domingo, das 10h às 18h (última entrada às 17h)
Quanto: R$ 50,00 (inteira); R$ 25,00 (meia-entrada); entrada gratuita às terças-feiras. A visitação deve ser feita somente mediante a agendamento que pode ser feito no link.

* Além de o uso de máscara ser obrigatório, é essencial levar o passaporte da vacina que comprove a vacinação contra a Covid-19 (que pode ser o documento físico ou no aplicativo e-Saúde). Inclusive, é importante frisar que os horários poderão ser alterados em virtude das festividades de fim de ano.

Por Jorge Almeida

Publicidade

Exposição “Gertrudes Altschul: Filigrana” no MASP

Uma das salas do MASP que recebe a exposição “Filigrana”, com fotos de Gertrudes Altschul. Foto: Jorge Almeida

O Museu de Arte de São Paulo (MASP) realiza até o dia 30 de janeiro de 2022 a exposição “Gertrudes Altschul: Filigrana”, que reúne cerca de 70 obras da fotógrafa alemã Gertrudes Altschul (1904-1962), que é considerada uma das pioneiras no contexto da fotografia modernista brasileira.

Gertrudes, embora fosse bastante admirada no meio fotográfico, divida seu tempo entre a produção de flores para chapéus, que eram distribuídas nas lojas de moda, em São Paulo. Seus trabalhos eram mais reconhecidos nos círculos especializados, tendo sido escassamente publicada e exibida — algo que esta mostra, a primeira em um museu, e seu catálogo desejam modificar.

Gertrudes Altschul viveu em Berlim até 1939, quando migrou para o Brasil, junto com seu marido, Leon Altschul (1890-1975), fugindo, como muitas outras famílias judias, da perseguição nazista que estava crescendo cada vez mais e se estabeleceu na capital paulista. Nos primeiros passos na fotografia, a artista registrava a rotina da cidade, as atividades familiares e de seu trabalho, em fotografias editadas em álbuns.

Já no final da década de 1940, começou a se chegar ao Foto Cine Clube Bandeirante – FCCB, grupo que reunia fotógrafos alinhados com movimento conhecido como a Escola Paulista, um dos pilares da fotografia moderna no Brasil. Depois de começar a frequentar as reuniões do FCCB, enviando suas fotografias para avaliação dos membros, em 1952 foi aceita como associada, sendo uma das poucas mulheres do grupo.

Foi a partir do FCCB que teve início a relação do MASP com o trabalho de Altschul. Em 2014, o museu recebeu um extraordinário comodato de 275 fotografias de 82 autores do grupo, que se converterá em uma doação 50 anos depois, em 2064.

A produção fotográfica de Altschul esteve em reciprocidade com a linguagem da fotografia moderna brasileira, que procurava partir com os princípios clássicos da composição por meio de construções geometrizadas, tanto abstratas quanto figurativas, e de experimentações com luz, sombras, linhas, ritmos, planos e processos de revelação. Os principais temas de Altschul se empregam na arquitetura moderna brasileira e nos motivos botânicos, sobretudo as folhas, bem como nos objetos do cotidiano em diferentes escalas, espécies de naturezas-mortas fotográficas.

A exposição, que traz o título de uma das mais célebres fotografias de Altschul – “Filigrana” -, apresenta 62 fotografias vintages (aquelas primeiras ampliações fotográficas feitas pela autora, frequentemente logo após a revelação do negativo). As obras são agrupadas em torno dos principais temas da artista: botânica, arquitetura e naturezas-mortas. São expostas também algumas imagens de tipos humanos, algo não tão abordado pela fotógrafa.

A mostra de Gertrudes Altschul,integra o biênio da programação do MASP dedicado às Histórias brasileiras, em 2021-22, coincidindo com o bicentenário da independência em 2022. Neste primeiro ano, todas as mostras são dedicadas a mulheres, com individuais de Conceição dos Bugres, Erika Verzutti, Maria Martins, Ione Saldanha, e, na Sala de Vídeo, Ana Pi, o coletivo Teto Preto, Regina Vater, Zahy Guajajara e Dominique Gonzalez-Foerster.

Entre os destaques estão “Composição” (c. 1957) e “Conclave” (c.1958), além de uma vitrine com livros e recortes e a câmera fotográfica Rollerflex TLR 6×6 que fora utilizada por Gertrudes Altschul.

SERVIÇO:
Exposição: Gertrudes Altschul: Filigrana
Onde: Museu de Arte de São Paulo (MASP) – Avenida Paulista, 1578 – Cerqueira César
Quando: até 30/01/2022; terça-feira, das 10h às 20h (última entrada às 19h); de quarta a domingo, das 10h às 18h (última entrada às 17h)
Quanto: R$ 50,00 (inteira); R$ 25,00 (meia-entrada); entrada gratuita às terças-feiras. A visitação deve ser feita somente mediante a agendamento que pode ser feito no link.

* Além de o uso de máscara ser obrigatório, é essencial levar o passaporte da vacina que comprove a vacinação contra a Covid-19 (que pode ser o documento físico ou no aplicativo e-Saúde). Inclusive, é importante frisar que os horários poderão ser alterados em virtude das festividades de fim de ano.

Por Jorge Almeida

Exposição “Maria Martins: Desejo Imaginante” no MASP

A escultura de bronze “O Impossível” (década de 1940), de Maria Martins, que está em exposição no MASP. Foto: divulgação

O Museu de Arte de São Paulo (MASP) realiza até o próximo dia 30 de janeiro a exposição “Desejo Imaginante” e, em parceria com a Casa Roberto Marinho, realiza uma grande mostra dedicada à obra de Maria Martins (1894-1973), que reúne 45 obras, entre esculturas e gravuras, produzidas nos anos 1940 e 1950, além de 41 publicações e fotografias que abordam a história e trajetória da artista.

Dividida em cinco eixos temáticos, a mostra aborda como Maria Martins estruturou os diversos imaginários em relação ao Brasil e dos trópicos ao longo de sua produção. O projeto tem como intuito revisitar a produção de uma das mais instigantes artistas modernistas brasileiras e, assim, reposicionar seu legado no contexto mais amplo dos modernismos brasileiros, latino-americanos e internacionais.

Maria Martins ficou conhecida pelas suas gravuras e esculturas em bronze que representam figuras híbridas e mitológicas. Por conta de seu casamento com o embaixador Carlos Martins, a artista construiu boa parte de sua carreira fora do Brasil, tendo vivido em Nova York nos anos 1940, quando frequentou o grupo de surrealistas que viviam na cidade.

Questões associadas ao desejo, ao erotismo e a um conceito de feminino sempre se fez presente na prática artística de Martins e ganham ares “monstruosos” e inquietantes, desafiando a moralidade da época e as expectativas do público internacional a respeito do trabalho de uma artista brasileira.

A mostra de Maria Martins integra o biênio da programação do MASP dedicado às Histórias brasileiras, em 2021-22, coincidindo com o bicentenário da independência em 2022. Neste primeiro ano, todas as mostras são dedicadas a mulheres, com individuais de Conceição dos Bugres, Erika Verzutti, Gertrudes Altschul, Maria Martins, Ione Saldanha, e, na Sala de Vídeo, Ana Pi, o coletivo Teto Preto, Regina Vater, Zahy Guajajara e Dominique Gonzalez-Foerster.

Entre os destaques estão “Sem Título (Canção Perdida?)”, uma escultura de bronze sem data; “O Impossível” (foto), uma escultura de bronze da década de 1940; e “Cabeça de Madeira”, circa de 1946, uma litografia.

SERVIÇO:
Exposição:
Maria Martins: Desejo Imaginante
Onde: Museu de Arte de São Paulo (MASP) – Avenida Paulista, 1578 – Cerqueira César
Quando: até 28/11/2021; terça-feira, das 10h às 20h (última entrada às 19h); de quarta a domingo, das 10h às 18h (última entrada às 17h)
Quanto: R$ 50,00 (inteira); R$ 25,00 (meia-entrada); entrada gratuita às terças-feiras. A visitação deve ser feita somente mediante a agendamento que pode ser feito no link.

* Além de o uso de máscara ser obrigatório, é essencial levar o passaporte da vacina que comprove a vacinação contra a Covid-19 (que pode ser o documento físico ou no aplicativo e-Saúde). Inclusive, é importante frisar que os horários poderão ser alterados em virtude das festividades de fim de ano.

Por Jorge Almeida

Exposição “Conceição dos Bugres: Tudo É da Natureza do Mundo”

Quatro das quase 120 esculturas de Conceição dos Bugres em exibição no MASP. Foto: Jorge Almeida

O Museu de Arte de São Paulo (MASP) realiza até o dia 30 de janeiro de 2022 a exposição “Conceição dos Bugres: Tudo É da Natureza do Mundo”, que reúne cerca de 120 esculturas (119 para ser mais exato) de Conceição Freitas da Silva, conhecida como Conceição dos Bugres (1914-1984), que foi artista essencial para entendermos a história com mais afinco da escultura brasileira no século XX.

De origem indígena, a autodidata artista se consagrou na arte escultórica ao fazer os chamados “bugres”, que foram as esculturas em madeiras revestidas por cera e tinta em que ela dedicou-se ao longo de 30 anos, no Mato Grosso do Sul, onde viveu depois de deixar a gaúcha Povinho de Santiago.

O visitante que avistar as obras pode ter a primeira impressão das semelhanças entre si, contudo, há distintas escolhas e elementos que as individualizam. As alturas das obras variam de 4,5 cm a 1,15 cm. Os sulcos na madeira são de diferentes profundidades e sugerem os membros, superiores e inferiores, bem como os olhos, a boca, o nariz, os dedos das mãos e dos pés. Outro diferencial, com um olhar mais atencioso às obras, é que algumas esculturas “sorriem” para o espectador enquanto outras parecem “intimidar” com um olhar mais pungente. Sem contar a variedade do posicionamento das mãos, braços e nos cortes de cabelos.

Outro fator que corrobora para essa diferenciação entre elas também está relacionado à coloração das esculturas, com algumas peças ocres, cinzas, marrons e pretas. Isso pode ser atribuído por conta do envelhecimento da cera de abelha (ou parafina) ou uso da tinta.

O título da mostra é emprestado de uma fala da artista num documentário gravado em 1979, reproduzida na epígrafe acima e em exibição num monitor na mostra. Conceição descreve as formas assumidas por suas peças como resultado do respeito ao formato da madeira, que “é sábia”.

A própria artista deu nomes próprios às suas produções, como Mariquinha, Chiquinho, João Grilo, mas, como não foram documentadas suas obras, quase todos itens apresentados na mostra vieram creditados como “sem título” e “sem data”.

De acordo com o curador da mostra, Fernando Oliva, “a trajetória da Conceição dos Bugres sofreu um processo de apagamento como a de muitos artistas da chamada ‘arte popular brasileira’. Há uma tentativa de inserção dela nesse grande escaninho, o que nem sempre é algo positivo para o artista”. Infelizmente, esse reconhecimento veio tardiamente, uma vez que a artista teve certo reconhecimento nos anos 1970, tendo como principal divulgador, Roberto Pontual (1939-1994). Ainda em vida, Conceição, já com mais de 50 anos, participou da participou da exposição Arte/Brasil/Hoje: 50 anos depois (Rio de Janeiro, 1972) e da III Bienal Nacional (São Paulo, 1974). Essa visibilidade, por sua vez, não se converteu em ganhos financeiros e ela morreu pobre, em 1984.

Além das esculturas, a mostra ainda tem um documentário, mencionado acima, que leva o nome da artista, de 1979, com 9’28” de duração, e também uma vitrine com 15 itens entre fotos, livros e catálogos de exposições.

Infelizmente, como as obras da artista não foram documentadas, é difícil, via texto, apontar quais os destaques da exposição, mas pela foto acima é possível termos uma noção do valioso trabalho de Conceição dos Bugres.

SERVIÇO:
Exposição:
“Conceição dos Bugres: Tudo É da Natureza do Mundo”
Onde: Museu de Arte de São Paulo (MASP) – Avenida Paulista, 1578 – Cerqueira César
Quando: até 30/01/2022; terça-feira, das 10h às 20h (última entrada às 19h); de quarta a domingo, das 10h às 18h (última entrada às 17h)
Quanto: R$ 50,00 (inteira); R$ 25,00 (meia-entrada); entrada gratuita às terças-feiras. A visitação deve ser feita somente mediante a agendamento que pode ser feito no link.

* Além de o uso de máscara ser obrigatório, é essencial levar o passaporte da vacina que comprove a vacinação contra a Covid-19 (que pode ser o documento físico ou no aplicativo e-Saúde). Inclusive, é importante frisar que os horários de funcionamento poderão ser alterados em virtude das festividades de fim de ano.

Por Jorge Almeida

Exposição “Sala de Vídeo: Zahy Guajajara” no MASP

O Museu de Arte de São Paulo (MASP) realiza até o próximo domingo, 28 de novembro, a mostra “Sala de Vídeo: Zahy Guajajara” com dois vídeos-instalações da multiartista indígena Zahy Guajajara, nascida na aldeia Colônia, na Reserva Indígena Cana Brava, no Maranhão. A direção dos vídeos é assinada por Mariana Villas Boas.

Um dos vídeos, intitulado “Aiku’è zepé (Ainda r-existo)” (2017), cujo projeto surgiu de sua necessidade de externar suas aflições enquanto o corpo e mulher indígena que batalha para sobreviver em meio à balbúrdia deixada pela “civilização”. A narrativa, de 12’42”, se eleva da terra, representando o surgimento de um ser genuíno por um processo em busca de identidade. A pintura indígena consiste na primeira identidade, a ancestralidade.

Já o outro vídeo, “Pytuhem – Uma Carta em Defesa dos Guardiões da Floresta”, em que a artista afirma que o material é uma carta de denuncia o que está a acontecer com os Guardiões da Floresta, um grupo de Guajajaras, que luta pela preservação da floresta, do seu povo, ancestralidade e identidade.  O vídeo, produzido em 2020, possui 15’58” de duração.

SERVIÇO:
Exposição:
Sala de Vídeo: Zahy Guajajara
Onde: Museu de Arte de São Paulo (MASP) – Avenida Paulista, 1578 – Cerqueira César
Quando: até 28/11/2021; terça-feira, das 10h às 20h (última entrada às 19h); de quarta a domingo, das 10h às 18h (última entrada às 17h)
Quanto: R$ 50,00 (inteira); R$ 25,00 (meia-entrada); entrada gratuita às terças-feiras. A visitação deve ser feita somente mediante a agendamento que pode ser feito no link.

* Além de o uso de máscara ser obrigatório, é essencial levar o passaporte da vacina que comprove a vacinação contra a Covid-19 (que pode ser o documento físico ou no aplicativo e-Saúde).

Por Jorge Almeida

Exposição “Degas” no MASP

A ilustre escultura “Bailarina de 14 anos”, de Edgar Degas, em exibição no MASP. Foto: Jorge Almeida

O Museu de Arte de São Paulo (MASP) realiza até o próximo domingo a exposição “Degas”, que reúne cerca de 80 obras de Edgar Degas (1834-1917). As obras fazem parte do acervo da própria instituição e que foram exibidas pela última vez ao público há 14 anos. Além das obras de bronze do artista, a mostra ainda apresenta 12 fotografias ampliadas em grandes dimensões feitas especialmente para a ocasião por Sofia Borges.

A produção de Degas sempre esteve presente na ambivalência, misturando tradição e modernidade. A inovação, para os padrões da época, fica evidente nas obras exibidas, a começar pela “Bailarina de 14 anos” (foto), uma escultura de bronze de 1880, que traz uma bela jovem adolescente que trabalhara incansavelmente para se tornar uma bailarina da Ópera de Paris. Na época, o artista conheceu Marie van Goethem, a estudante de balé que foi personagem de sua obra mais célebre.

Além da famosa obra, a exposição é acompanhada de fotografia das esculturas, como “Ensaio para Uma Escultura”, de Sofia Borges, que trabalhou no decorrer de 2020 registrando as obras de Degas no MASP e que, na mostra, são exibidas as imagens em grandes dimensões nos clássicos cavaletes e vitrines do museu, “dialogando” com as esculturas expostas.

Vale pontuar que o local expositivo é uma sala pintada em dégradé com “fundo infinito” na cor preta, como forma de trazer uma prática genuinamente profunda para olhar e analisar Degas. A exposição dedicada ao artista francês faz parte de uma programação do MASP de um ano voltado às Histórias da dança.

Além da citada “Bailarina de 14 anos”, outros trabalhos de destaques da mostra são: “Quatro Bailarinas em Cena” (1885-1890), feita em óleo sobre papel; “A Tina” (1889), “A Colheita das Maçãs” (c. 1890) e “Cavalo de Tiro” (1880-1890), ambas esculturas de bronze.

SERVIÇO:
Exposição:
Degas
Onde: Museu de Arte de São Paulo (MASP) – Avenida Paulista, 1578 – Cerqueira César
Quando: até 1°/08/2021; de terça a domingo, das 12h às 18h (entrada permitida até às 17h)
Quanto: R$ 45,00 (inteira); R$ 22,00 (meia-entrada); entrada gratuita às terças-feiras e quartas-feiras*. A visitação deve ser feita somente mediante a agendamento que pode ser feito no link.
* Durante o mês de julho e mediante reserva online de ingressos

Por Jorge Almeida

Ticket e Ticket Log apoiam projeto com 4 mil ingressos gratuitos para concertos na Sala São Paulo e apresentações no MASP *

Alaor Aguirre, vice-presidente-executivo da Edenred. Foto: Divulgação

Os eventos são organizados pela Associação Sociedade de Cultura Artística e acontecerão no segundo semestre

A Ticket, marca de benefícios de refeição e alimentação, e a Ticket Log, líder no setor de gestão de frotas e soluções de mobilidade, marcas da Edenred Brasil, fazem parte do time de patrocinadores da temporada 2021 da Associação Sociedade de Cultura Artística. As atividades presenciais estão agendadas para o final de agosto (24), com uma programação cultural e ações de ensino e difusão da música.

Durante a temporada de espetáculos, serão realizados concertos na Sala São Paulo e apresentações de voz e violão no MASP, além do incentivo e acesso à cultura artística em casa, com playlists mensais disponibilizadas nas plataformas de streaming Spotify e Apple Music e concertos online e retransmissão de concertos no canal do YouTube. A programação para o ano também inclui um projeto educativo de difusão da música, para familiarizar o público com os intérpretes, compositores e obras antes dos espetáculos, que prevê impactar dez mil pessoas, como também masterclasses e aulas públicas para jovens em formação, ministradas por profissionais experientes da música.

“Com a cultura e a educação pautando as ações promovidas pela Cultura Artística em São Paulo, a iniciativa tem grande sinergia com o propósito da Edenred e suas marcas, de agregar valor a cada conexão. Além disso, atuamos com dedicação aos nossos pilares de sustentabilidade e estamos contentes em apoiar projetos que exerçam uma boa influência na vida dos jovens e futuros profissionais brasileiros”, afirma Alaor Aguirre, Vice-Presidente da Edenred Brasil.

A Cultura Artística é uma instituição cultural privada sem fins lucrativos que promove, anualmente, um programa de bolsas de estudo para jovens músicos de 16 a 26 anos. Em 2021, as bolsas vão apoiar 12 jovens em projeto no Brasil e dois no exterior.

Com o objetivo de garantir a democratização do acesso às atividades culturais, serão distribuídos mais de 4 mil ingressos para as apresentações em 2021, válidos a partir da retomada presencial das atividades nos espaços culturais. O patrocínio é viabilizado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, e se soma às diferentes iniciativas de apoio à cultura e ao esporte lideradas pela Edenred Brasil dentro dos pilares globais de sustentabilidade.

Sobre a Ticket
A Ticket é pioneira no setor de refeição-convênio, presente no Brasil desde 1976, mesmo ano de lançamento do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), do Ministério do Trabalho. A marca criou o primeiro benefício de alimentação ao trabalhador no Brasil, o Ticket Restaurante, e, desde então, é protagonista na transformação digital do setor ao oferecer soluções inovadoras e versáteis nos segmentos de Alimentação, Refeição, Transporte, Cultura, Incentivos, Recompensas, Antecipação Salarial e Saúde, sempre com o propósito de multiplicar benefícios a todos os seus públicos. Atualmente, seu amplo portfólio de soluções no Brasil atende às necessidades de mais de 7 milhões de empregados beneficiados, 130 mil empresas-clientes e 455 mil comerciantes credenciados.

A Ticket é uma marca da Edenred, plataforma global e digital de serviços e pagamentos que atua como companheira de todas as horas para os trabalhadores, empresas e comerciantes. Líder em seu segmento, conecta mais de 50 milhões de usuários, 2 milhões de estabelecimentos e mais de 850 mil empresas-clientes, em 46 países, administrando transações que equivalem a mais de 1,5 bilhões de refeições servidas a trabalhadores, anualmente.

Saiba mais
Site:
https://www.ticket.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/ticketservicos
Youtube: https://www.youtube.com/user/ticketservicos
LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/ticket-servi-os-s-a-/
Instagram: https://www.instagram.com/ticket_servicos/

Sobre a Ticket Log
A Ticket Log tem o propósito de valorizar o tempo das pessoas para que possam aproveitar mais e melhor a vida. A marca conecta pessoas e empresas, por meio de soluções inovadoras e digitais de gestão de frotas e mobilidade, disponíveis para empresas de todos os segmentos e tamanhos, simplificando a mobilidade urbana com informação e inteligência.

Com mais de 30 anos de experiência no mercado e 30 mil empresas-clientes, a Ticket Log administra 1 milhão de veículos e quase 2,5 bilhões de litros de combustível ao ano. Além disso, conta com uma rede de aceitação mais de 43 mil parceiros credenciados, dentre eles postos de combustível, oficinas mecânicas e tantos outros serviços de mobilidade.

A Ticket Log é uma marca da Edenred, empresa global e digital de serviços e pagamentos que atua como companheira de todas as horas para os trabalhadores e empresas. Líder em seu segmento, conecta mais de 50 milhões de usuários, 2 milhões de estabelecimentos e mais de 850 mil empresas-clientes, em 46 países, administrando transações de mais de 7,1 bilhões de litros de combustível por ano.

Saiba mais
Site:
https://www.ticketlog.com.br/
Blog: https://www.ticketlog.com.br/blog/
LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/ticket-log/
Instagram: https://www.instagram.com/ticket.log/
Facebook: https://www.facebook.com/TicketLog

Sobre a Edenred
A Edenred é uma marca global e digital de serviços e pagamentos que atua como companheira de todas as horas para os trabalhadores e empresas. Líder em seu segmento, conecta mais de 50 milhões de usuários, 2 milhões de estabelecimentos e mais de 850 mil empresas-clientes, em 46 países.

A Edenred oferece soluções de pagamento para fins específicos e, no Brasil, sua atuação conta com três linhas de negócios: Benefícios ao Trabalhador, com a marca Ticket; Fleet & Mobility, com as marcas Ticket Log e Repom; e Pay, com a Edenred Soluções Pré-Pagas. São mais de 130 mil empresas-clientes, 7 milhões de empregados beneficiados e 455 mil comerciantes credenciados no país.

Essas soluções melhoram o bem-estar e o poder de compra dos usuários, fortalecem a atratividade e a eficácia das empresas e dinamizam o mercado de trabalho e a economia local. Além disso, ampliam o acesso a uma alimentação mais saudável, a produtos mais ecológicos e a opções de mobilidade.

Em 2020, o Grupo movimentou um volume de negócios de aproximadamente € 30 bilhões, principalmente com o uso de aplicativos móveis, plataformas on-line e cartões.

Saiba mais
Site:
www.edenred.com.br
LinkedIn: www.linkedin.com/company/22311673/

Créditos: Glaucia Galmacci | RPMA

* Este conteúdo foi enviado pela assessoria de imprensa

Paulista Cultural terá primeira edição totalmente online com apresentações de teatro, música, cursos e visitas virtuais *

Créditos: divulgação

Evento acontece entre os dias 29 de junho e 3 de julho, com exibição pelas redes sociais

São Paulo, junho de 2021 – Sete grandes instituições culturais da Avenida Paulista unem-se novamente entre os dias 29 de junho e 3 de julho para oferecer cinco dias de atividades gratuitas e, pela primeira vez, 100% digitais e em formato de festival. As atividades serão transmitidas pelo Facebook e Instagram do projeto (veja abaixo a programação completa da Paulista Cultural 2021 #EmCasa).

A Paulista Cultural, iniciativa pioneira organizada pela Casa das Rosas, Centro Cultural Fiesp, Instituto Moreira Salles, Itaú Cultural, Japan House São Paulo, MASP e Sesc Avenida Paulista, irá proporcionar ao público ações voltadas ao teatro, à música, às artes visuais, à dança, à literatura, às histórias em quadrinhos e à fotografia.

Em sua primeira edição, realizada em março de 2018, a ação reuniu mais de 40 mil pessoas. Na segunda, em 2019, foram 46 mil pessoas recebidas. Já a edição de 2020 foi adiada por conta da pandemia de Covid-19.

Depois desse hiato, o evento volta com força total em 2021, convidando o público a participar, de casa, das atividades virtuais que foram especialmente pensadas pelas instituições para atender a esse formato. Além da transmissão pelas redes sociais, o público também vai encontrar a programação completa do evento no site da Paulista Cultural (www.paulistacultural.com.br), lançado em dezembro de 2020 com o apoio do Banco Itaú. Quem não puder participar nas datas marcadas, poderá ver depois parte das atividades no canal do YouTube da Paulista Cultural.

PROGRAMAÇÃO
A programação será dividida em seis eixos: cursos e oficinas; apresentações de teatro, música, cinema e performances; visitas virtuais; debates e bate-papos com curadores e artistas; as Janelas da Paulista e infantil.

O primeiro dia abre com uma breve fala dos dirigentes da Paulista Cultural, e, na sequência, com a estreia de As Janelas da Paulista, uma série de sete episódios, inspirada na exposição WINDOWOLOGY – Estudo de janelas no Japão, que será inaugurada em 29 de junho e permanecerá em cartaz até 22 de agosto, na Japan House São Paulo. A partir desta mostra, a instituição nipônica convidou as outras seis instituições participantes da Paulista Cultural para contarem sobre a relação de seus edifícios com a Avenida Paulista através de suas janelas. Os episódios serão exibidos no Instagram da Paulista Cultural, de 29 de junho a 3 de julho.

Ainda na manhã de abertura, o evento terá a exibição de um espetáculo teatral, que mescla manifestações artísticas com intervenções urbanas ao longo da cidade de São Paulo. Intitulado O Outro Nome da Amizade, da Cia. Tijolo, a cena teatral foi criada especialmente para a programação Cena Agora, do Itaú Cultural. Nela, personagens como Dom Helder Câmara, Ivone Gebara, Paulo Freire e Patativa do Assaré são evocados para pensar o tempo presente.

Também acontecerão bate-papos abertos com alguns curadores e artistas das exposições em cartaz em algumas das instituições. Serão duas conversas, uma às 19h e, no dia seguinte, às 20h. A primeira será com Gustavo Carvalho (curador), Guilherme Gontijo Flores (poeta) e Daniel Kondo (ilustrador), da exposição Coestelário, em cartaz na Casa das Rosas. A segunda, com o coordenador de fotografia do Instituto Moreira Salles, Sérgio Burgi, sobre a exposição Mario Cravo Neto: Espíritos sem nome, em cartaz no IMS Paulista.

Nesta edição especial da Paulista Cultural 2021 #EmCasa, o MASP convida o público para um bate-papo online sobre as relações entre práticas artísticas e ativismo. Com Cristina Ribas, pesquisadora, e André Mesquita, curador no MASP.

A programação também traz cinco experiências dentro dos espaços expositivos das instituições. A Casa das Rosas apresenta o museu e sua relação com a história na Avenida Paulista, ao vivo no Instagram da Paulista Cultural. Já o Sesc Avenida Paulista faz uma imersão em dois capítulos dentro da exposição Oficina Molina – Palatnik por meio de videodocumentação – a mostra apresenta um diálogo entre a obra do Mestre Molina e Abraham Palatnik, dois artistas emblemáticos da história da arte brasileira que integram o Acervo Sesc de Arte.

Além disso, é possível participar de duas experiências virtuais do Itaú Cultural: uma delas é a Experiência: Obras e Processos de Beatriz Milhazes, prática digital que faz parte da exposição Beatriz Milhazes: Avenida Paulista. A segunda é a vivência online na Ocupação Chiquinha Gonzaga, abordando a trajetória de duas mulheres negras pioneiras na música brasileira: Chiquinha Gonzaga e Ivone Lara, ambas homenageadas no projeto Ocupação.

Também integra o eixo de visitas virtuais o episódio da série de mediação cultural virtual sobre a exposição João Carlos Martins: 80 Anos de Música, do Centro Cultural Fiesp, que aborda temas como a carreira internacional do maestro e seu trabalho junto ao Sesi-SP, para difundir o acesso à música clássica.

A programação ainda contempla aulas de fotolivros, aulas de arte, memória e inovação e um curso para formação de escritores. Para quem gosta de teatro, o Bate-papo Práticas Pedagógicas de Artes Cênicas no ensino a distância convida os artistas e pedagogos Angela Ribeiro, Guilherme Yazbek, Inês Vianna, Murillo Basso e Silvia Gomez a compartilharem suas experiências, desafios e possibilidades para o aprendizado do teatro em plataformas digitais.

Já para as crianças as atrações são: oficina de contação de histórias e yoga, oficina para criação de um tambor japonês totalmente “faça você mesmo”, oficina de antotipia, e, ainda, a exibição da peça teatral O dia em que minha vida mudou por causa de um chocolate comprado nas Ilhas Maldivas, completam a grade.

Além dos cursos e oficinas, o festival terá ainda apresentações de performances e shows.

O MASP apresenta a performance de dança Avenida Paulista – Gamboa III,  os registros audiovisuais exploram as performances com intérpretes da Márcia Milhazes Companhia de Dança. As apresentações foram realizadas diante da pintura e da escultura homônimas, que fizeram parte da exposição Beatriz Milhazes: Avenida Paulista. Os vídeos sublinham a longa parceria entre a artista e sua irmã, a coreógrafa Márcia Milhazes.

O cantor, compositor e violeiro Pereira da Viola apresenta, na noite de sexta-feira, uma música autoral ligada à cultura mineira e às raízes quilombola e rural, entre batuques, rasqueado, folia de reis e danças. A transmissão gratuita do show, que inclui um repertório envolto na ancestralidade e na vida no campo, tem a produção do Itaú Cultural.

No sábado serão exibidos um sarau e dois shows em sequência, que encerram a programação da Paulista Cultural 2021 #EmCasa. Às 19h, o sarau A Plenos Pulmões reúne poetas que desejam apresentar sua produção aos ouvidos atentos. Às 20h, o público pode curtir o concerto do tenor Jean William e do Quinteto Bachiana Sesi-SP interpretando músicas como Eleanor Rigby (The Beatles), Your Song (Elton John), Sweet Child O’Mine (Guns N’ Roses) e Oceano (Djavan). Encerrando a maratona de atividades, às 21h, ocorre a apresentação musical inédita e muito especial, com Filipe Catto, e a participação de Maria Alcina, Ciro Barcelos e Alma Negrot, inspirada na exposição Madalena Schwartz: As metamorfoses, em cartaz no IMS Paulista.

SERVIÇO:
Paulista Cultural 2021 #EmCasa
De 29 de junho a 3 de julho de 2021
Gratuito. Evento online com transmissão pelas redes sociais da Paulista Cultural
Facebook: paulistaculturaloficial
Instagram: paulistacultural.oficial
Veja a programação completa em paulistacultural.com.br.

Para participar dos cursos e oficinas é preciso realizar inscrição prévia no site de cada instituição. A programação completa e os links para as inscrições nas atividades estão disponíveis no site da iniciativa.

29/06 – Terça-feira
10h

Abertura com uma breve fala dos dirigentes da Paulista Cultural. Na sequência a exibição do primeiro episódio da série As Janelas da Paulista. A série, em sete episódios, será exibida no Instagram da Paulista Cultural.

Japan House São Paulo
Série “As Janelas da Paulista”
A partir da exposição “WINDOWOLOGY – Estudo de janelas no Japão”, a Japan House São Paulo convida as instituições da Avenida Paulista para contarem sobre a relação de seus edifícios com a própria Avenida a partir de suas janelas em sete episódios.
Duração: até 2 minutos cada episódio.
Classificação etária: livre.
Acesso pelo link sem inscrição prévia.
Dias e horários: de 29/06 a 02/07, às 10h e 03/07 às 10h, 15h e 18h.
Transmissão em: Instagram paulistacultural.oficial

10h
Itaú Cultural
Um outro nome para amizade
Nesta cena criada para o recorte Encruzilhada Nordeste(s): (contra)narrativas poéticas, da programação Cena Agora do Itaú Cultural, a Cia. do Tijolo evoca personagens de seus espetáculos para junto com amigas, camaradas e companheiros, pensar o tempo presente, a vida presente. Dom Helder Câmara, Ivone Gebara, Paulo Freire e Patativa do Assaré percorrem encruzilhadas da cidade de concreto condenada a nunca adormecer.
Com interpretação em Libras
Duração: 20 minutos
Capacidade de participantes: livre
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia
Dia e horário: 29/06, às 10h
Transmissão em: Facebook paulistaculturaloficial

11h
Casa das Rosas
Visita Virtual: Janelas Abertas Com Alexandra Rocha
Nesta live, a coordenadora do Núcleo de Ação Educativa da Casa das Rosas conduzirá um passeio por suas instalações, durante o qual responderá a perguntas sobre o museu. Uma atração especial será mostrar a vista a partir das janelas e varandas do imóvel projetado por Ramos de Azevedo, exibindo perspectivas de relação visual com a Avenida Paulista e o belo jardim da própria Casa.
Duração: 60 minutos
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia
Dia e horário:  29/06, às 11h
Transmissão em: Instagram paulistacultural.oficial          

15h
IMS Paulista
Oficina Arte, Memória e Inovação com Gabriela Maciel
Oficina de artes com foco nas percepções e representações da memória e no incentivo à inovação. O objetivo é trocar conhecimentos, estimular o pensamento crítico e reflexivo e a produção artística. Por meio de diálogos em grupo e criações individuais e/ou coletivas, os participantes estudarão a imagem e sua contextualização através da apresentação e da criação de obras nos mais variados formatos e suportes: foto, vídeo, filme, colagens, textos, arte digital, sonora, artes performáticas, entre outros.
Duração: 2h30
Capacidade de participantes: 12 vagas
Classificação etária: 18 anos
Inscrição prévia em: sympla.com.br/imoreirasalles
Dia e horário: 29/06, 30/06 e 01/07, às 15h
Transmissão em: Zoom sympla.com.br/imoreirasalles

17h
Japan House São Paulo
Conversas com o Educativo da JHSP – Mado: A Janela Japonesa
Mado 窓 é a palavra japonesa que se refere às janelas. Nesta conversa, a equipe do educativo da instituição apresentará a história, além de trazer a percepção japonesa referente a este elemento arquitetônico, que acaba revelando outros aspectos da cultura e pensamento nipônicos.                                           
Duração: 1h30
Capacidade de participantes: até 500 pessoas
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia.
Dia e horário: 29/06, às 17h
Transmissão em: Zoom da Japan House São Paulo (Link disponível no site da Paulista Cultural)     

18h
Centro Cultural Fiesp
Bate-papo Práticas Pedagógicas de Artes Cênicas no ensino a distância
Neste bate-papo, os artistas pedagogos Angela Ribeiro, Guilherme Yazbek, Inês Vianna, Murillo Basso e Silvia Gomez compartilham suas experiências, desafios e possibilidades para o aprendizado do teatro em plataformas digitais a partir das relações de ensino que são vivenciadas nos Núcleos de Artes Cênicas, Experimental e Dramaturgia mantidos pelo Sesi-SP. O debate ainda conta com a mediação das analistas de artes cênicas do Centro Cultural Fiesp e Sesi-SP, Anna Polistchuk e Daniele Carolina Lima.
Duração: 60 minutos
Capacidade de participantes: livre
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia
Dia e horário: 29/06, às 18h
Transmissão ao vivo em: Facebook paulistaculturaloficial

19h
Casa das Rosas
Coestelário: conversa com o curador e os artistas. Com Gustavo Carvalho, Guilherme Gontijo Flores e Daniel Kondo
Um bate-papo sobre a exposição em cartaz na Casa das Rosas, Coestelário,  que reúne 72 obras em homenagem a pessoas falecidas durante a pandemia. Na ocasião, o curador Gustavo Carvalho, o poeta e tradutor Guilherme Gontijo Flores e o artista plástico Daniel Kondo falaram sobre a concepção da mostra e dos poemas visuais baseados nas antigas estelas funerárias, e sobre seus desdobramentos nas redes sociais da Casa como resposta aos desafios impostos pela covid-19.                                  
Duração: 60 minutos
Capacidade de participantes: 250
Classificação etária: livre
Inscrição prévia em: casadasrosas.org.br/agenda
Dia e horário:  30/06, às 19h
Transmissão em: Zoom da Casa das Rosas

30/06 – Quarta-feira
10h

Japan House São Paulo
Série “As Janelas da Paulista”
Duração: até 2 minutos cada episódio
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia
Dias e horários: de 29/06 a 02/07, às 10h e 03/07 às 10h, 15h e 18h
Transmissão em: Instagram paulistacultural.oficial

11h
Itaú Cultural
Duas mulheres pioneiras na música brasileira: Chiquinha Gonzaga e Dona Ivone Lara
Experiência Virtual
Esta experiência virtual faz parte da programação Ocupação Chiquinha Gonzaga e abordará duas grandes mulheres negras, que foram pioneiras na música brasileira. Chiquinha Gonzaga, pianista e maestrina, e Dona Ivone Lara, sambista homenageada em uma ocupação anterior.                                                 
Com interpretação em Libras
Duração: 60 minutos
Capacidade de participantes: 50 vagas
Classificação etária: livre
Ingressos em: sympla.com.br/produtor/itaucultural
Dia e horário: 30/06, às 11h
Transmissão em: sympla.com.br/produtor/itaucultural

15h
IMS Paulista
Oficina Arte, Memória e Inovação com Gabriela Maciel
Oficina de artes com foco nas percepções e representações da memória e no incentivo à inovação. O objetivo é trocar conhecimentos, estimular o pensamento crítico e reflexivo e a produção artística. Por meio de diálogos em grupo e criações individuais e/ou coletivas, os participantes estudarão a imagem e sua contextualização através da apresentação e da criação de obras nos mais variados formatos e suportes: foto, vídeo, filme, colagens, textos, arte digital, sonora, artes performáticas, entre outros.
Duração: 2h30
Capacidade de participantes: 12 vagas
Classificação etária: 18 anos
Inscrição prévia em:  sympla.com.br/imoreirasalles
Dia e horário: 29/06, 30/06 e 01/07, às 15h
Transmissão em: Zoom sympla.com.br/imoreirasalles

17h
Sesc Avenida Paulista
Cinevisões do Futuro  
É possível usar imagens de arquivos para falar do futuro?
Assim foi pensado o filme Cinevisões do Futuro, uma obra audiovisual composta por três episódios:“Cyber Cuíca” (Direção: Cavalo Marinho Audiovisual); “Ruínas Cinéticas” (Direção: Coletivo Coletores) e “E quando chegarmos ao mirante?” (Direção: Gleba do Pêssego), reunindo imagens feitas no Sesc Avenida Paulista desde sua inauguração, em 2018.
Duração: 16 minutos (total dos três episódios)
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia
Dia e horário: 30/06, às 17h
Transmissão em: Facebook paulistaculturaloficial

18h
Sesc Avenida Paulista
CHAMA
CHAMA é um monumento virtual de luto em homenagem aos mortos, que integra o projeto “A Extinção é Para Sempre”, de concepção do artista plástico, compositor, diretor e escritor Nuno Ramos.
Desde 25 de maio deste ano, a imagem do fogo é transmitida ininterruptamente e assim permanecerá durante um ano. A chama principal, que nunca se apaga, está instalada no Sesc Avenida Paulista, e acontecem colaborações do mundo inteiro com chamas guardiãs. A CHAMA, portanto, é também um chamado internacional ao luto, à pausa e à dignificação de cada perda. A transmissão do site irá revezar imagens do fogo principal e das demais colaborações – que sempre serão feitas ao vivo.
Duração: 45 minutos
Capacidade de participantes: livre
Classificação etária: livre     
Acesso pelo link sem inscrição prévia
Dia e horário: 30/06, às 18h
Transmissão em: IGTV paulistacultural.oficial

20h
IMS Paulista
Conversa sobre a exposição “Mario Cravo Neto: Espíritos sem nome” com o curador Sérgio Burgi
Concebida em parceria com o Instituto Mario Cravo Neto, a exposição em cartaz no Instituto Moreira Salles, em São Paulo, foca na produção fotográfica do artista, linguagem que consagrou sua carreira. A seleção apresenta as principais séries produzidas ao longo de sua trajetória, entre as décadas de 1960 e 1990.
Sergio Burgi, coordenador e curador de Fotografia do Instituto Moreira Salles desde 1999. Formado em Ciências Sociais pela USP em 1981, cursou o mestrado (MFA) em Conservação Fotográfica pela School of Photographic Arts and Sciences do Rochester Institute of Technology (NY, EUA). Foi coordenador do Centro de Conservação e Preservação Fotográfica da Fundação Nacional de Artes, no Rio de Janeiro, entre 1984 e 1991.
Mario Cravo Neto, fotógrafo, desenhista, escultor e cineasta, o baiano Mario Cravo Neto (1947-2009) circulou com desenvoltura em todas essas áreas, mas foi com sua produção fotográfica que mais se destacou no cenário das artes visuais. Artista rigoroso e sistemático, encontrou em temas como a natureza, o povo da Bahia, o candomblé e a religiosidade o material de que se nutriu para produzir fotografias que o tornaram conhecido internacionalmente. Possui obras em diversas coleções de fotografia e de arte contemporânea, de instituições como o MoMA — Museu de Arte Moderna de Nova York —, o Stedelijk Museum, em Amsterdã, o Museo Reina Sofía, em Madri. Parte do acervo do artista — cerca de 100 mil imagens — está desde 2015 sob a guarda do Instituto Moreira Salles, em regime de comodato.                                             
Duração: 60 minutos
Capacidade de participantes: livre
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia
Dia e horário: 30/06, às 20h
Transmissão em: Facebook paulistaculturaloficial

01/07 – Quinta-feira
10h

Japan House São Paulo
Série “As Janelas da Paulista”
Duração: até 2 minutos cada episódio
Classificação etária: Livre.
Acesso pelo link sem inscrição prévia.
Dias e horários: de 29/06 a 02/07, às 10h e 03/07 às 10h, 15h e 18h.
Transmissão em: Instagram paulistacultural.oficial

11h
Sesc Avenida Paulista
Videodocumentação Oficina Molina-Palatnik – Episódio 1: Mestre Molina
Composta por dois episódios, com produção e mediação do artista cinético Leonardo Gallep (Coletivo Máquina Tudo), a série de minidocs “Videodocumentação Oficina Molina-Palatnik” propõe uma imersão na biografia e no trabalho dos artistas Manuel Josette Molina e Abraham Palatnik, explorando como a vida pessoal e a produção destes artistas dialoga com a história das artes visuais no Brasil e quais são os legados e influências que os dois artistas deixaram nesta mesma história. No primeiro episódio, é abordada a vida e o trabalho de Manuel Josette Molina, popularmente conhecido como Mestre Molina.
Duração: 12 minutos
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia.
Dias e horários: 01/07, às 11h e 02/07, às 15h
Transmissão em: Facebook paulistaculturaloficial

15h
IMS Paulista
Oficina Arte, Memória e Inovação com Gabriela Maciel
Oficina de artes com foco nas percepções e representações da memória e no incentivo à inovação. O objetivo é trocar conhecimentos, estimular o pensamento crítico e reflexivo e a produção artística. Por meio de diálogos em grupo e criações individuais e/ou coletivas, os participantes estudarão a imagem e sua contextualização através da apresentação e da criação de obras nos mais variados formatos e suportes: foto, vídeo, filme, colagens, textos, arte digital, sonora, artes performáticas, entre outros.
Duração: 2h30
Capacidade de participantes: 12 vagas
Classificação etária: 18 anos
Inscrição prévia em: sympla.com.br/imoreirasalles
Dia e horário: 29/06, 30/06 e 01/07, às 15h
Transmissão em: Zoom sympla.com.br/imoreirasalles

17h
Centro Cultural Fiesp
Mediação Cultural Virtual da Exposição João Carlos Martins: 80 Anos de Música
O episódio especial da série de mediação cultural virtual, desenvolvido pelos mediadores do Centro Cultural Fiesp, aborda temas presentes na exposição João Carlos Martins: 80 Anos de Música, como sua trajetória de pianista a maestro, seu reconhecimento internacional como um dos grandes intérpretes de Bach do séc. XX, sua batalha contra uma doença que paralisou parcialmente suas mãos e sua luta para disseminar a música clássica por meio da atuação da Bachiana Filarmônica Sesi-SP.
Duração: 15 minutos
Capacidade de participantes: livre
Classificação etária: livre
Não é necessário inscrição prévia
Dia e horário: 01/07, às 17h
Transmissão em: Facebook paulistaculturaloficial

18h
IMS Paulista
Aula aberta fotolivros sobre São Paulo, breve panorama
São Paulo, cidade impressa: alguns fotolivros na cabeça e uma revista velha no bolso com Ricardo Mendes
Na primeira parte do encontro com o pesquisador Ricardo Mendes, serão discutidos alguns modos de produção imagética contemporânea que têm como tema a cidade de São Paulo, para ampliar o conceito do que é documental em diferentes soluções gráficas, como o fotolivro, o livro de parede, entre outros.
Na segunda parte, Mendes aborda a edição da revista S.Paulo (1936), publicação de propaganda política que se distingue por explorar novas formas de edição gráfica e ações sobre a imagem fotográfica, contrastando o registro em negativo e positivo, o uso da fotomontagem e a massa gráfica de textos.          
Duração: 90 minutos
Capacidade de participantes: livre
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia.
Dia e horário: 01/07, às 18h
Transmissão em: Facebook paulistaculturaloficial

20h
MASP
Avenida Paulista – Gamboa III, com Marcia Milhazes Companhia de Dança
Beatriz Milhazes: Avenida Paulista, realizada pelo MASP e pelo Itaú Cultural, é a maior exposição já dedicada à obra da artista carioca. No museu, ela está contextualizada no eixo temático das Histórias da dança e sublinha a longa parceria de Beatriz com sua irmã, a coreógrafa Márcia Milhazes. Desde 1990, elas desenvolvem projetos juntas. Os vídeos que serão apresentados registram as performances realizadas diante da pintura Avenida Paulista, feita pela artista especialmente para a mostra e doada ao MASP, e da escultura Gamboa III. Nas coreografias, os intérpretes Ana Amélia Vianna e Domenico Salvatore convidam o espectador a notar a intersecção entre os movimentos físicos e os movimentos da tela e da escultura.
Duração: aproximadamente 40 min (Avenida Paulista: 6 min e Gamboa III: 32 min)
Capacidade de participantes: livre
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia
Dia e horário: 01/07, às 20h
Transmissão em: IGTV paulistacultural.oficial e masp

02/07 – Sexta-feira
10h

Japan House São Paulo
Série “As Janelas da Paulista”
Duração: até 2 minutos cada episódio
Classificação etária: livre.
Acesso pelo link sem inscrição prévia.
Dias e horários: de 29/06 a 02/07, às 10h e 03/07 às 10h, 15h e 18h.
Transmissão em: Instagram paulistacultural.oficial

11h
Japan House São Paulo
Oficina de taiko japonês: paranku
O taiko é o tradicional tambor japonês, possuindo diversos tipos de acordo com a região. Nesta oficina voltada para o público infantil, a instituição convida o público a fazer seu próprio “paranku”, pequeno tambor japonês utilizado na dança de Okinawa, ilha localizada ao sul do Japão.  O tambor será confeccionado utilizando papelão e outros materiais facilmente encontrados em casa.
Duração: cerca de 5 minutos.
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia
Dia e horário: 02/07, às 11h
Transmissão em: IGTV paulistacultural.oficial

15h
Sesc Avenida Paulista
Videodocumentação Oficina Molina-Palatnik – Episódio 2: Abraham Palatnik
Composta por dois episódios e com produção e mediação do artista cinético Leonardo Gallep (Coletivo Máquina Tudo), a série de minidocs “Videodocumentação Oficina Molina-Palatnik” propõe uma imersão na biografia e no trabalho dos artistas Manuel Josette Molina e Abraham Palatnik, explorando como a vida pessoal e a produção destes artistas dialoga com a história das artes visuais no Brasil e quais são os legados e influências que os dois artistas deixaram nesta mesma história. O segundo episódio é dedicado a Abraham Palatnik, explorando sua formação como artista e suas inúmeras contribuições aos diversos movimentos da arte visual brasileira do qual fez parte.
Duração: 09 minutos
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia.
Dias e horários: 02/07, às 15h.
Transmissão em: Facebook paulistaculturaloficial

17h
Itaú Cultural
Experiência Virtual: Obras e Processos de Beatriz Milhazes
Esta experiência virtual faz parte da programação da exposição “Beatriz Milhazes: Avenida Paulista”, nela o público é convidado a conhecer o processo de trabalho de Beatriz em suas diferentes técnicas e formas de expressão.   
Com interpretação em Libras                                                
Duração: 60 minutos
Capacidade de participantes: 50 vagas
Classificação etária: livre
Ingressos em: sympla.com.br/produtor/itaucultural
Dia e horário:  02/07, às 17h
Transmissão em: sympla.com.br/produtor/itaucultural

19h
Casa das Rosas
Formação de Escritores: Passo a Passo
Existe mesmo a formação de escritores? Nesta conversa serão abordados os caminhos possíveis para a carreira literária, em seus diversos gêneros, sem modelos esquemáticos ou fórmulas mágicas.
Duração: 60 minutos
Capacidade de participantes: 250
Classificação etária: livre
Inscrição prévia em: casadasrosas.org.br/agenda
Dia e horário:  02/07, às 19h
Transmissão em: Zoom da Casa das Rosas

20h
Itaú Cultural
Show Pereira da Viola
Cantor, compositor e violeiro, Pereira da Viola é um artista ligado à cultura mineira e à sua raiz no interior quilombola e rural. A base de sua musicalidade é permeada pela ampla leitura da riqueza poética, melódica e da diversidade rítmica da música de raiz e da cultura popular.
Com interpretação em Libras
Duração: 80 minutos
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia
Dia e horário: 02/07, às 20h
Transmissão em: Facebook paulistaculturaloficial

03/07 – Sábado
10h

Japan House São Paulo
Série “As Janelas da Paulista”
Duração: até 2 minutos cada episódio
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia
Dias e horários: de 29/06 a 02/07, às 10h e 03/07 às 10h, 15h e 18h.
Transmissão em: Instagram paulistacultural.oficial    

10h
Itaú Cultural
O dia em que minha vida mudou por causa de um chocolate comprado nas Ilhas Maldivas
Era para ser um dia normal na escola, mas o melhor amigo de Mia resolveu dar a ela um presente especial, um chocolate que a faz lembrar do pai. Junto ao chocolate, um bilhete e a pergunta: “Quer sentar do meu lado hoje na perua?”. A pergunta vira o mundo de Mia de cabeça para baixo e é o ponto de partida para uma jornada de muitas dúvidas, incertezas e hormônios nesse espetáculo teatral infantil.
Com interpretação em Libras
Duração: 55 min
Capacidade de participantes: livre
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia.
Dia e horário: 3/07, às 10h
Transmissão em: Facebook paulistaculturaloficial

11h
Japan House São Paulo
Oficina Para imprimir o Sol
Em parceria com o Coletivo Miudezas, a Japan House São Paulo realiza a oficina de fitotipia, na qual os participantes serão transportados para o verão japonês em uma atividade de contemplação e exploração da natureza.                                            
Infantil
Duração: cerca de 5 minutos
Capacidade de participantes: livre
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia
Dia e horário: 03/07, às 11h
Transmissão em: IGTV paulistacultural.oficial

15h
Japan House São Paulo
Série “As Janelas da Paulista”
Duração: até 2 minutos cada episódio.
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia
Dias e horários: de 29/06 a 02/07, às 10h e 03/07 às 10h, 15h e 18h
Transmissão em: Instagram paulistacultural.oficial

15h
Sesc Avenida Paulista
O Yoga com Histórias Em Casa
Aula lúdica por meio de histórias, contos e brincadeiras que estimulam pontos importantes do yoga como valores, posturas, exercícios respiratórios e relaxamento, com o objetivo de proporcionar os benefícios físicos, mentais e emocionais para todas as famílias. Com João Soares, professor de yoga e contador de histórias, e Rosa Muniz, professora de yoga e pedagoga. Sem necessidade de conhecimentos prévios ou materiais específicos.
Infantil
Duração: 60 min
Capacidade de participantes: 100 vagas
Classificação etária: livre
Inscrição prévia em: sescsp.org.br/avenidapaulista
Dia e horário: 03/07, às 15h
Transmissão em: Zoom do Sesc Avenida Paulista

17h
Japan House São Paulo
Yonkoma: Histórias em miniatura
Yonkoma (ou 4-Koma) é como são chamadas as tirinhas japonesas com quatro quadros, histórias curtas que normalmente retratam acontecimentos cotidianos com leveza e bom humor. Este encontro abordará este tipo de narrativa a partir das tirinhas do mangá Sazae-san, de Machiko Hasegawa, que podem ser vistas na exposição “WINDOWOLOGY – Estudos de janelas no Japão”, e outros mangás neste formato.                                           
Duração: 60 minutos
Capacidade de participantes: até 500 pessoas
Classificação etária: Livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia.
Dia e horário: 03/07, às 17h
Plataforma: Zoom da Japan House São Paulo (Link disponível no site da Paulista Cultural)     

18h
Japan House São Paulo
Série “As Janelas da Paulista”
Duração: até 2 minutos cada episódio.
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia.
Dias e horários: de 29/06 a 02/07, às 10h e 03/07 às 10h, 15h e 18h.
Transmissão em: Instagram paulistacultural.oficial

18h
MASP
Arte e ativismo, com Cristina Ribas e André Mesquita
Neste bate-papo, Cristina Ribas, pesquisadora e pós-doutoranda pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, conversa com André Mesquita, curador no MASP, sobre as relações entre práticas artísticas e ativismo, e suas dimensões políticas, estéticas e coletivas dentro e fora das instituições culturais, temas presentes na antologia que será lançada pelo museu ainda neste mês. Arte e ativismo: antologia reúne 84 textos incluindo manifestos, ensaios teóricos, declarações públicas de artistas e grupos com foco na questão do engajamento político e na possibilidade de mudança social. André Mesquita é um dos organizadores da antologia ao lado de Charles Esche e Will Bradley.
Duração: 60 min
Capacidade de participantes: livre
Classificação etária: livre
Acesso pelo link sem inscrição prévia
Dia e horário: 03/07, às 18h
Transmissão ao vivo em: IG paulistacultural.oficial e masp

19h
Casa das Rosas
Sarau “A Plenos Pulmões” Curadoria: Paulo D’auria
Incentivando a literatura escrita e falada, o sarau reúne poetas que desejam apresentar sua produção aos ouvidos atentos. O microfone fica aberto para todos, estejam com o poema na mão ou na ponta da língua.                                           
Duração: 60 minutos
Capacidade de participantes: 200
Classificação etária: livre
Inscrição prévia em: casadasrosas.org.br/agenda
Dia e horário: 03/07, às 19h
Transmissão em: Google Meet da Casa das Rosas

20h
Centro Cultural Fiesp
Jean William & Quinteto Bachiana Sesi-SP in live
Neste concerto especial para a Paulista Cultural, realizado no teatro do Centro Cultural Fiesp, os músicos do Quinteto Bachiana Sesi-SP, formado por musicistas da Bachiana Filarmônica Sesi-SP, acompanham a voz do jovem tenor Jean William, considerado um dos expoentes do canto lírico nacional. No repertório estão músicas como Eleanor Rigby (The Beatles), Your Song (Elton John), Sweet Child O’Mine (Guns N’ Roses) e Oceano (Djavan).
Duração: 60 minutos
Capacidade de participantes: livre
Classificação etária: livre
Não é necessário inscrição prévia.
Dia e horário: 03/07, às 20h
Transmissão em: Facebook paulistaculturaloficial

21h 
IMS Paulista
Vídeo-performance Metamorfoses
Vídeo-performance com Filipe Catto e participações especiais de Maria Alcina, Ciro Barcelos e Alma Negrot. Inspirada na exposição Madalena Schwartz: As metamorfoses – Travestis e transformistas na SP dos anos 70, em cartaz no IMS Paulista até 26 de setembro.
Duração: 60 minutos
Capacidade de participantes: livre
Classificação etária: não recomendado para menores de 18 anos
Acesso pelo link sem inscrição prévia.
Dia e horário: 03/07, às 21h
Transmissão em: Facebook paulistaculturaloficial

Créditos: Gabriela Bianco dos Santos | Suporte Comunicação

* Este conteúdo foi enviado pela assessoria de imprensa

Ação Encontro com a Paulista Cultural leva atividades online para casa do público na Fase Vermelha *

Conversa com Aguilar Karim. Créditos: Centro Cultural FIESP

A iniciativa surge da articulação entre as instituições Casa das Rosas, Centro Cultural Fiesp, Instituto Moreira Salles, Itaú Cultural, Japan House São Paulo, MASP e Sesc Avenida Paulista

São Paulo, março de 2021 – O recente fechamento das instituições culturais causado pelo agravamento da pandemia de covid-19 no Estado de São Paulo e a decretação da Fase Vermelha na capital paulista, fez com que as sete instituições culturais da Avenida Paulista se unissem em um programa para levar mais conteúdos online para o público em suas casas. A partir de 11 de março, Casa das Rosas, Centro Cultural Fiesp, Instituto Moreira Salles, Itaú Cultural, Japan House São Paulo, MASP e Sesc Avenida Paulista oferecerão atividades e programações virtuais e gratuitas para o público por meio das redes sociais da Paulista Cultural, facilitando e centralizando o acesso a seus públicos. A cada dia, uma das instituições tornará disponível uma atividade online, como lives e vídeos. A ação acontecerá em horários variados, dependendo da programação de cada espaço.

A ideia é continuar levando cultura e lazer para as pessoas nesse momento em que as medidas mais restritivas da Fase Vermelha do Plano São Paulo impossibilitam os eventos e atividades presenciais dentro dos espaços culturais.

Veja abaixo a programação Encontro com a Paulista Cultural:

MASP
Live com Beatriz Milhazes e Adriano Pedrosa
Beatriz Milhazes, artista, e Adriano Pedrosa, diretor artístico, MASP, conversam sobre a trajetória de Milhazes. Seu trabalho, Avenida Paulista (2020), é a escolha deste mês para o desafio masp desenhos em casa que ocorre no Instagram e no qual adultos e crianças são convidados a fazer sua própria versão da obra. Milhazes é uma das artistas brasileiras mais importantes no cenário artístico nacional e internacional. Reconhecida por sua produção icônica, ela trabalha com um complexo repertório de imagens associadas a diversos motivos, origens e fontes, oscilando entre a abstração e a figuração, a geometria e a forma livre. Atualmente, suas obras estão em instituições como Centre Pompidou, Paris; Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Madri; The Museum of Modern Art, Nova York; Tate Modern, Londres e Museum of Contemporary Art, Toquio.
Quando: 11 de março, às 18h
Onde: Instagram @masp

IMS Paulista
Aniversário Carolina Maria de Jesus
Para celebrar o aniversário de Carolina Maria de Jesus, o Instituto Moreira Salles convidou escritoras e escritores a darem seus depoimentos sobre suas experiências de leitura da obra da autora. Carolina Maria de Jesus é importante protagonista da história brasileira, e, mesmo que tornada invisível muitas vezes, tem papel fundamental e significativo na história da população negra do país. Os vídeos estarão disponíveis no dia do aniversário de Carolina, domingo, 14/3, na conta do IMS no Instagram (@imoreirasalles). Entre convidades estão: Mel Duarte, Eliana Alves Cruz, Jeferson Tenório, Edimilson Pereira de Almeida e Ferréz.

Ainda Carolina: será possível também ouvir na rádio Batuta (radiobatuta.com.br) as músicas que Carolina compôs e gravou em 1961, um ano após o lançamento do seu best-seller O quarto de despejo. O LP, que leva o mesmo nome de seu livro, pertence ao Acervo José Ramos Tinhorão, sob a guarda do IMS. Em junho, o IMS Paulista apresentará uma exposição dedicada à escritora.

Centenário Antônio Maria
O IMS celebra o centenário de Antônio Maria, cronista, poeta e compositor brasileiro com uma programação especial na rádio Batuta (radiobatuta.com.br) e no Portal da Crônica Brasileira (cronicabrasileira.org.br)

No dia 12/3, sexta, estreia na rádio “Antônio Maria – Muito além do samba-canção”, com músicas de gêneros também explorados pelo compositor. No dia 17/3 (quarta), será lançada a playlist “As dez mais de Maria”, com seus sucessos.

O Portal da Crônica Brasileira, a partir de 15/3 (segunda), apresentará crônicas inéditas e já publicadas de Maria, lidas por Bruno Cosentino, do departamento de Literatura do IMS.

Lançamento serrote 37
A 37ª edição da serrote, revista de ensaios do Instituto Moreira Salles, chega às livrarias na segunda quinzena de março. A publicação tem ensaios de J. M. Coetzee, Prêmio Nobel de Literatura de 2003, Wlamyra Albuquerque, professora de História do Brasil da Universidade Federal da Bahia, Claudius Ceccon, cartunista e arquiteto, Valeria Luiselli, escritora, entre outros. A serrote #37 está disponível na Loja do IMS (lojadoims.com.br).

Centro Cultural Fiesp
Mediação Cultural Virtual: série Os Destinos de Aguilar
A série “Os Destinos do Aguilar” é a primeira das atividades de mediação virtual do Centro Cultural Fiesp. Nos episódios é possível conhecer mais detalhes da vida e da obra do multiartista José Roberto Aguilar, grande foco da exposição “Destinos, O Homem Inventa o Homem”, por meio de um recorte de seus processos criativos e das linguagens pelas quais transitou dentro da arte contemporânea desde a década de 1950 até os dias de hoje. Durante a atividade com os mediadores, o público ainda será apresentado a algumas obras da mostra que está em cartaz na Galeria de Arte do Centro Cultural Fiesp (2020-2021).
Quando: 14 de março, 11h (domingo)
Onde: https://youtu.be/85wtoKFlQ94 e Instagram (@Centroculturalfiesp)

Conversa com Aguilar
Os mediadores culturais do Centro Cultural Fiesp conversam com o multiartista José Roberto Aguilar sobre seus 60 anos de atividade e as histórias e reflexões por trás das obras expostas na exposição Destinos, O Homem Inventa O Homem, em cartaz na Galeria de Arte do espaço. A live acontece no dia 18 de março, às 19h30, no canal do YouTube do Centro Cultural Fiesp e ficará disponível nos canais da Paulista Cultural a partir do domingo, dia 21.
Onde: http://www.youtube.com/c/CentroCulturalFiesp

Sesc Avenida Paulista
Lives #EmCasaComSesc

Shows musicais, peças de teatro, atividades para as crianças e espetáculos de danças pensados pra você se divertir sem sair de casa.
Dias e horários das lives:
Música: terça, sexta e sábado, às 19h
Teatro: quarta e domingo, às 19h
Dança: quinta, às 19h
Crianças: sábado, às 15h
Onde: Instagram e YouTube @sescaovivo

Projeto “Poema a 3”
Experiência artística que envolve 30 artistas e une três campos da arte: a literatura, a música e o cinema. Um trabalho feito a muitas mãos, que começou em 29/1, resulta num conteúdo único e inédito a cada semana, com artistas diferentes, até o dia 2/4.
Quando: Até 2/4. Todas as sextas, às 18h.
Onde: Instagram e Facebook  @sescavpaulista; YouTube: @sescavenidapaulista

“Cozinha de Estar”
Pessoas da cena gastronômica abrem suas cozinhas para uma conversa sobre os processos, rituais e mobilizações em torno da alimentação. Os vídeos apresentam falas que provocam reflexões e ressignificam o ato de comer, potencializando a saúde, a comensalidade, as relações afetivas, valorizam a diversidade, a identidade da mesa brasileira, a origem e protagonismo de seus ingredientes, além de visar uma alimentação justa, equilibrada e saudável. Afinal, quando comemos, o que ingerimos junto com esse alimento?

A chef Mari Sciotti, do restaurante Quincho, mãe do Théo e da Serena, fala sobre Cozinha e Maternidade.

A cozinheira autodidata, Cafira Foz, do restaurante Fitó, conta as experiências e emoções de se trabalhar com uma equipe 100% formada por mulheres.

No próximo sábado, dia 13/3, a chef Ieda de Matos, da Casa de Ieda, traz a Comida da Chapada Diamantina (BA), e fala sobre cozinha e empreendedorismo.

Onde: Instagram e Facebook @sescavpaulista; YouTube: @sescavenidapaulista

Casa das Rosas
Expresso Poesia com Guilherme Gontijo Flores
O museu convida poetas de diversas gerações para servirem doses altamente concentradas de poesia. Nesta edição, o projeto recebe o poeta, tradutor e professor Guilherme Gontijo Flores. Em formato on-line, a performance está disponível no site e nas redes sociais da Paulista Cultural.Quando: 17 de março, às 11hOnde: https://www.paulistacultural.com.br/ / Facebook  e Instagram da Paulista Cultural

Centro de Apoio ao Escritor
Reynaldo Damazio, coordenador do Centro de Apoio ao Escritor da Casa das Rosas, comenta e apresenta sugestões literárias em vídeos disponibilizados semanalmente.
Quando: 24 de março , 21 e 28 de abril,  às 11h
Onde: https://www.paulistacultural.com.br/

ITAÚ CULTURAL
Seminário arte Como Respiro

Qual é o papel da arte e da cultura para o bem-estar e a psique humana? Como a arte ajuda a enfrentar os desdobramentos implicados na sociedade, como o distanciamento social, neste um ano de pandemia?

A partir desses questionamentos, o Itaú Cultural realiza de 16 a 18 de março (terça-feira a quinta-feira) o Seminário Arte como Respiro, voltado à relação da arte e da saúde mental. A proposta é analisar o ano que passou desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a situação de pandemia de covid-19 em 11 de março de 2020, assim como lançar perspectivas sobre o que está por vir.

As conversas serão mediadas pelo psicanalista Christian Dunker, com uma temática e um convidado a cada encontro, que acontece ao vivo, sempre às 17h, no canal do Itaú Cultural no Youtube (www.youtube.com/itaucultural).

No dia 16 (terça-feira), o ambientalista, escritor e ativista indígena Ailton Krenak aborda a Arte como Construção de Futuros Possíveis, enquanto no dia 17 o médico sanitarista e professor Gonzalo Vecina Neto debate sobre Como a Saúde Pode Ser Favorecida pela Arte e pela Cultura. A série de encontros encerra no dia 18 (quinta-feira), com o olhar sobre a arte e a cultura feito pela dramaturga, roteirista e atriz Dione Carlos.

Quando: De 16 a 18 de março, sempre às 17h
Onde: No canal do Itaú Cultural no Youtube (www.youtube.com/itaucultural)
Duração: 60 minutos | Classificação indicativa: Livre | Com interpretação em Libras.

Aula Aberta, com Daniela Thomas e Felipe Tassara
O Itaú Cultural realiza no dia 23 de março (terça-feira), às 19h, em seu canal do Youtube (www.youtube.com/itaucultural), a primeira aula aberta do curso Entre a Caixa Preta e Cubo Branco – Panorama da Cenografia e da Expografia no Brasil, da Escola Itaú Cultural, voltado a qualquer profissional que deseja iniciar os estudos no campo da cenografia e da expografia.

Intitulada Perspectivas: Entre a Caixa Preta e Cubo Branco, a aula é comandada pela cenógrafa e cineasta Daniela Thomas e pelo arquiteto Felipe Tassara, que, a partir de seus trabalhos, abordam questões como adversidades de escalas e de áreas de atuação no campo do teatro e das exposições. A proposta é aproximar e diferenciar os processos de projeto e criação da expografia e da cenografia, correlacionando-as. O encontro será mediado pela arquiteta e cenógrafa Carmela Rocha.

O curso é uma das várias ações da Escola Itaú Cultural, plataforma de formação da organização, dando ênfase ao ensino remoto, com cursos de pós-graduação, de extensão e livres, em formato tanto autoformativo quanto mediado. Mais informações em escola.itaucultural.org.br.
Com interpretação em Libras.
Quando: Dia 23 de março (terça-feira), às 19h
Onde: No canal do Itaú Cultural no Youtube (www.youtube.com/itaucultural)

Japan House São Paulo
Live: Mobilidade Urbana no Japão: como usufruir desta praticidade
A Japan House São Paulo realiza entre 16 de março e 15 de abril, o Ciclo de Palestras de Turismo para ampliar o conhecimento sobre as diferentes regiões do Japão e suas 47 províncias. No dia 18/03, às 19h, o encontro será em torno do tema  “Mobilidade Urbana no Japão: como usufruir desta praticidade”, destacando os diversos meios de transporte para locomoção e passeios no Japão (ônibus, metrô, táxi, trens comuns, trens-bala, trens turísticos e históricos), além dos passeios de barco, bicicleta e “Jinrikisha” (tipo de transporte bem tradicional no Japão), entre outros. Entre os convidados para debater o assunto, estarão o influencer Leandro Doi, contando sobre a diversidade e a mobilidade nas principais cidades do Japão, e dando dicas preciosas para turistas, além de Mami Fumioka, vice-presidente da agência Quickly Travel JTB Group, reforçando aspectos importantes sobre o tema e oferecendo dicas sobre os trens japoneses.Live: Mobilidade Urbana no Japão: como usufruir desta praticidade

Quando: 18 de março, às 19h (quinta-feira)Onde: https://www.youtube.com/japanhousesp

Clube de Leitura Japan House São Paulo
No dia 25, às 19h, a instituição realiza seu Clube de Leitura com o livro “Relatos de um gato viajante – de Hiro Arikawa”. A obra traz a história sobre o gato Nan, que viaja pelo Japão ao lado de seu dono, sem entender o motivo de sua viagem e, juntos, desbravam grandes aventuras pelo caminho, em um texto emocionante e divertido. Com a curadoria de Natasha Barzaghi Geenen, diretora cultural da Japan House São Paulo e Paulo Werneck, editor da Quatro Cinco Um, os encontros do clube trazem livros traduzidos diretamente do japonês para o português, ampliando o acesso dos brasileiros a este universo literário.
Quando: 25 de março, às 19h (Quinta-feira)
Onde: Zoom
Inscrições obrigatórias: bit.ly/3qgUSYq

Créditos: Henrique Marani | Suporte Comunicação

* Este conteúdo foi enviado pela assessoria de imprensa

Exposição “Anna Bella Geiger: Brasil Nativo/Brasil Alienígena” no MASP

A obra “Local da Ação com Euhropa”, de Anna Bella Geiger, em exibição no MASP. Foto: Jorge Almeida

O Museu de Arte de São Paulo (MASP) está com a exposição “Anna Bella Geiger: Brasil Nativo/Brasil Alienígena” em cartaz até o próximo domingo, 1º de março. A mostra, feita paralelamente no Sesc Avenida Paulista, traz cerca de 190 obras e parte de seu trabalho mais célebre: justamente a que dá nome à mostra.

A mostra apresenta a produção desde os anos 1950, chamada de período visceral, qual mostra representação do interior do corpo humano, às fases em que trata do passado colonial, uma identidade nacional, questões indígenas e ecológicas.

Uma das primeiras artistas a ter engajamento com a arte abstrata no Brasil, Anna Bella Geiger tem a sua produção voltada para obras genuinamente inovadoras e experimentais, que misturam dimensões e simbologias de ordens política e pessoal, formal e estética ou corporal e conceitual, e, desde a década de 1970, trabalha com vídeo, arte conceitual e arte postal.

A exposição circunscreve a abstração informal, o interesse de Geiger pelo interior do corpo humano, o autorretrato, geografias, mapas, paisagens, assim como a crítica do sistema das artes e a análise de questões políticas e históricas do Brasil.
Com curadoria de Adriano Pedrosa, a mostra é dividida em sete núcleos: “Autorretratos” (1951-2003); “Viscerais” (1965-1969); “Mapas e Geografias” (1972-2018); “Sobre a Arte” (1973-2018); “Cadernos” (1974-1977); “História do Brasil” (1975-2015); e “Macios e Noturnos” (1984-1986). Enquanto isso, no Sesc Avenida Paulista, estão expostas três instalações da artista: “Circumambulatio” (1972); “Mesa, Friso e Vídeo Macios (16ª Bienal de São Paulo, 1981)”; e “Indiferenciados” (2001), além de três vídeos.

Em meio aos destaques estão: “Macio com Ilustrações Abstratas” (1994), um acrílico sobre tela; “Fígado Conversando” (1968), uma obra feita com água-tinta, água-forte e relevo sobre papel; “Local da Ação com Euhropa” (foto), de 1995, obra composta com encáustica, folha de flandres e fio de cobre sobre gaveta de metal; e também a obra que tem o título emprestado da mostra, “Brasil Nativo/Brasil Alienígena” (1976/1977), constituída por uma série de cartões-postais que representam de forma idealizada o cotidiano dos Bororo, povo indígena do Mato Grosso.

SERVIÇO:
Exposição: Anna Bella Geiger: Brasil Nativo/Brasil Alienígena
Onde: Museu de Arte de São Paulo (MASP) – Avenida Paulista, 1578 – Cerqueira César
Quando: até 01/03/2020; de quarta a domingo, das 10h às 18h; terça-feira, das 10h às 20h
Quanto: R$ 45,00 / R$ 22,00 (meia-entrada) / entrada gratuita às terças-feiras e para menores de 10 anos

Por Jorge Almeida