Caxias: campeão da Taça Coronel Ewaldo Poeta 2020

Jogadores do Caxias comemoram o título do primeiro turno do Gauchão 2020. Créditos: Max Peixoto/FGF

E, pela segunda vez em 2020, o Caxias segurou o Grêmio e sagrou-se campeão da Taça Coronel Ewaldo Poeta 2020, o primeiro turno do Campeonato Gaúcho, ao derrotar o time de Renato Gaúcho por 1 a 0 no Estádio Centenário, em Caxias do Sul, na tarde deste sábado (22). O gol do título foi marcado por Diogo Oliveira, aos 33 minutos do segundo tempo. Com isso, o time grená garantiu a sua vaga para a final do Gauchão deste ano.

O Caxias fez prevalecer o fator casa e foi quem criou as primeiras oportunidades da decisão. Aos cinco minutos, o gremista Cortez tentou cortar, mas deu uma rosca na bola que ela saiu por cima do gol de Vanderlei. Na sequência, o lateral-direito Ivan cobrou o córner e a redonda caiu na rede por cima da meta gremista, assustando o goleiro tricolor.

Depois do perigo do time mandante, o Grêmio neutralizou o jogo e manteve mais a posse da bola, porém, sem conseguir concretizar o passe final. A sua primeira chance perigosa veio aos 15 minutos. Alisson lançou Diego Souza, que invadiu a área e chutou, mas o arqueiro Marcelo Pitol evitou o gol do gremista. Que chance desperdiçada.

Após esse lance, o jogo seguiu com os dois times marcando muito e dificultando os meias na criação e, com isso, os comandados de Renato Gaúcho tinham a posse de bola, porém, o ferrolho da defesa do Bepe prevaleceu e fez com que nenhuma chance clara de gol acontecesse no restante da primeira etapa que teve como grande lance um belo lençou dado por Léo Tilica. De resto apenas muita marcação, passes errados, divididas e cinco amarelados (três do Caxias e dois do Grêmio). Fim de primeiro tempo no Centenário: um merecido 0 a 0.

No intervalo, torcedores do Grêmio brigaram entre si, mas que foram contidos pela segurança policial. E, para a etapa final, Renato Gaúcho tirou Bruno Cortez e promoveu a entrada do também lateral-esquerdo Caio Henrique.

Assim como no primeiro tempo, os minutos iniciais da etapa complementar foi de muita disputa e pouca criação, o Grêmio manteve com seus três volantes, o que colaborou para a falta de criatividade no setor ofensivo, claro. Mas foi o Tricolor dos Pampas quem teve a primeira boa oportunidade do segundo tempo. Aos 14, Alisson cobrou falta com perigo para boa defesa de Pitol. Três minutos depois, em um lance polêmico, Everton avançou pela direita, entrou na área e caiu após contato com Juliano. O atacante queria pênalti, mas o árbitro mandou seguir o jogo.

Após o bom momento gremista na partida, o Falcão Grená resolveu dificultar. Aos 20, Ivan cruzou para cabeçada de Gilmar, que saiu à esquerda de Vanderlei. O Grêmio encontrou muita dificuldade em superar o bloqueio da defesa do Caxias, que passou a levar mais perigo no ataque. Aos 31, Tilica cruzou para Bruninho, que bateu firme e o goleiro gremista fez um verdadeiro milagre.

Na sequência, aos 33, após o escanteio, a bola ficou sendo disputada por cima e sobrou para Diogo Oliveira dominar, encher o pé, a pelota resvalou em um jogador do Grêmio e venceu Vanderlei. Gol do Caxias: 1 a 0 para o time grená. Festa da torcida da casa.
Após o tento do Caxias, Renato Gaúcho sacou o volante Maicon e colocou o atacante Luciano para buscar o empate, mas quem quase marcou gol foi os anfitriões aos 39 minutos com Bruninho. Tilico tocou para bola para o camisa 22, que tentou o chute, Vanderlei defendeu e, no rebote, ele tentou encobrir, mas a esférica passou por toda a pequena área.

E o Grêmio não teve outra opção senão atacar: com Caio Henrique e Luciano no ataque, o time porto-alegrense foi com tudo para cima tentar o empate, mas cauteloso para não falhar na defesa que poderia ser crucial. Enquanto isso, o Caxias, por sua vez, “fechou a casinha”, com a entrada do volante Yuri no lugar do atacante Gilmar. A peleja seguiu até os 50 minutos, mas a vitória da equipe de Caxias do Sul foi mantida até o final. Fim de jogo no Centenário: Caxias 1, Grêmio 0.

O Falcão Grená é o grande campeão do primeiro turno do Gauchão – feito que não acontecia há oito anos – e assegurou a sua vaga para a final do Estadual, mas se vencer o segundo turno (a Taça Francisco Novelletto Neto) também será o campeão gaúcho de 2020, o que lhe daria o segundo título estadual de sua história (o primeiro havia sido em 2000 sob o comando de um tal de Tite).
Caxias e Grêmio fizeram um primeiro tempo de muita disputa e correria, mas com raras oportunidades, graças à eficiente marcação dos dois lados. O Tricolor tinha mais posse de bola, mas não conseguia superar o bloqueio do time da casa. Se de um lado, a principal chance do clube grená foi um escanteio fechado do lateral Ivan que quase fez um gol olímpico, por outro lado, o veterano Diego Souza perdeu um gol cara-a-cara com Marcelo Pitol e finalizou em cima do goleiro. No segundo tempo, o Grêmio manteve mais posse, mas o Caxias voltou mais intenso e, melhor na partida, criou boas chances, mas perdia graças às defesas de Vanderlei. Porém, o clube foi recompensado aos 33 minutos com o gol de Diogo Oliveira, que recebeu na área, dominou no peito e mandou para as redes sem chances de defesas para o arqueiro gremista. O Tricolor tentou ir para cima, mas o sistema defensivo do Falcão Grená mostrou-se eficiente e conseguiu manter o resultado até o final.

As duas equipes voltarão a campo no próximo sábado (29), na abertura do segundo turno do Campeonato Gaúcho. Aliás, dois duelos entre caxienses e porto-alegrenses: o Caxias recebe o Internacional às 16h, em seu estádio, enquanto o seu arquirrival citadino, o Juventude, irá até a Arena do Grêmio encarar o seu adversário derrotado na partida de hoje, às 19h.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão do primeiro turno do Campeonato Gaúcho 2020.

Primeiro Turno (grupo B):
Data – Jogo – Local:
22/01 – Grêmio 0x2 Caxias – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
26/01 – Caxias 1×0 São José – Centenário, Caxias do Sul (RS)
29/01 – Aimoré 0x1 Caxias – Cristo-Rei, São Leopoldo (RS)
02/02 – Caxias 1×0 Brasil de Pelotas – Centenário, Caxias do Sul (RS)
09/02 – Esportivo 1×0 Caxias – Montanha dos Vinhedos, Bento Gonçalves (RS)
Semifinal:
16/02 – Caxias 1×0 Ypiranga (RS) – Centenário, Caxias do Sul (RS)
Final:
22/02 – Caxias 1×0 Grêmio – Centenário, Caxias do Sul (RS)

FICHA TÉCNICA: CAXIAS 1×0 GRÊMIO
Competição/Fase: Taça Coronel Ewaldo Poeta (Primeiro Turno do Campeonato Gaúcho 2020) – final (jogo único)
Local: Estádio Francisco Stélide (Centenário), Caxias do Sul (RS)
Data: 22 de fevereiro de 2020, sábado – 16h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Luiza Naujorks Reis (RS)
Cartões Amarelos: Gilmar, Juliano, Lucas Ré e Carlos Alberto (Caxias); Lucas Silva, Paulo Miranda e David Braz (Grêmio)
Gol: Diogo Oliveira, aos 33 min do 2º tempo (1-0)
CAXIAS: 1.Marcelo Pitol; 2.Ivan, 3.Laércio, 4.Thiago Sales e 6.Bruno Ré; 5.Juliano, 8.Carlos Alberto e 10.Diogo Oliveira (20.Vinícius Baiano); 7.Léo Tilica, 11.Juninho Potiguar (22.Bruninho) e 9.Gilmar (15.Yuri). Técnico: Rafael Lacerda
GRÊMIO: 27.Vanderlei; 2.Victor Ferraz, 28.Paulo Miranda, 14.David Braz e 12.Bruno Cortez (19.Caio Henrique); 16.Lucas Silva (10.Thiago Neves), 7.Matheus e 8.Maicon (9.Luciano); 23.Alisson, 11.Everton e 29.Diego Souza. Técnico: Renato Gaúcho

Parabéns à Sociedade Esportiva e Recreativa Caxias do Sul pela conquista.

Por Jorge Almeida

Internacional: campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior 2020

Jogadores do Internacional posam para a foto oficial. Créditos: Reprodução/TV Globo

O Internacional conquistou a 51ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior disputada neste sábado (25), no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, ao superar o arquirrival Grêmio por 3 a 1 nos pênaltis após empate em 1 a 1 no tempo normal. Os gols do Grenal saíram no segundo tempo. O Tricolor dos Pampas saiu na frente com gol contra de Thiago Barbosa, mas o Colorado empatou com Guilherme Pato. Nas penalidades, o Inter acertou três de suas quatro cobranças iniciais, enquanto pelo Grêmio, apenas o meio-campista Gazão converteu, já que três batedores gremistas pararam no trave e no travessão, e impediram o inédito título da Copinha para o Imortal.

Antes de a bola rolar na finalíssima da 51ª Copa São Paulo de Futebol Júnior, foi respeitado um minuto de silêncio em homenagem ao jornalista Sérgio Noronha, que faleceu ontem aos 87 anos. com a bola rolando, o Grêmio começou a apertar o Internacional nos momentos iniciais e, quando tinha a posse, o Colorado, por sua vez, tentava trocar passes em busca de espaços.

A primeira chegada foi do Tricolor dos Pampas. Aos seis minutos, Diego Rosa deu um belo passe para Elias, que ficou na cara do goleiro mas, na “hora H”, o camisa 7 foi travado por Tiago Barbosa. Quatro minutos depois, Rildo recebeu, com espaço, e ariscou para gol de Emerson que, em dois tempos, fez a defesa. Mais tarde, aos 14, foi a vez de Pedro Lucas receber no meio e bater ao gol, mas a finalização saiu fraca, sem dificuldades ao arqueiro colorado. Na sequência, o Inter assustou pela primeira vez na partida. Cesinha cruzou para Caio, que tentou o desvio, porém, Adriel foi bem no lance e ficou com a pelota.

O lado vermelho do Rio Grande do Sul começou a gostar do jogo e equilibrou as ações. Aos 17, Calegari falhou na proteção da bola, Caio passou pelo marcador gremista, entrou na área e tentou na saída de Ariel, mas a esférica saiu por cima do gol.

Com os dois times alternando as ações, o Grenal ficou bem disputado, ambos chegaram bem ao ataque e os goleiros foram bem exigidos. Aos 29, Fabrício desarmou Carlos Eduardo, entrou na área e bateu para o gol, mas errou o alvo. Dois minutos depois, aos 31, foi a vez de Cesinha arriscar através de cobrança de falta, contudo, a bola subiu demais. Depois de um equilíbrio nas partidas ao ataque, o clássico gaúcho ficou mais centrado e disputado no meio-de-campo no restante do primeiro tempo, o que garantiu o empate sem gols no Pacaembu até então.

Na segunda etapa, o Grenal começou eletrizante. No primeiro minuto, o Inter cobrou escanteio curto, Leonardo entrou na área e rolou para Caio, que tentou de primeira para grande defesa de Adriel e, na sobra, o camisa 9 tentou duas vezes e acabou travado. O Imortal Tricolor deu o troco aos três minutos também em jogada de escanteio, a bola sobrou para Rildo, que bateu mascado e exigiu boa defesa de Emerson, que espalmou.

Eis que aos sete minutos, Matheus Nunes cruzou na medida para Elias que cabeceou firme para grande defesa de Emerson. Na jogada seguinte, Fabrício recebeu na esquerda, fez boa jogada individual, com direito a uma caneta em Leonardo e, ao tentar cruzar, a redonda desviou em Tiago Barbosa, tirou o goleiro Emerson da jogada e abriu o placar para o Grêmio. No entanto, a situação complicou porque, durante a comemoração do tento gremista, o “pendurado” zagueiro Alison Calegari subiu no alambrado e recebeu o segundo amarelo e, consequentemente, o cartão vermelho.

Imediatamente após a expulsão de seu defensor, o técnico Guilherme Bossle promoveu a entrada de Natã no lugar de Pedro Lucas. No entanto, em seguida, veio o empate colorado. Aos 12, Matheus Monteiro recebeu na esquerda, foi para cima, passou por Luís Fernando e cruzou para Guilherme Pato que, na dividida com o marcador, conseguiu desviar a bola para o gol e empatar a decisão: 1 a 1.

Com um jogador a mais, o Internacional foi para cima em busca da virada. Aos 17, Praxedes cobrou a falta da lateral próximo à risca da grande área direto para o gol e a bola bateu no travessão de Adriel. No entanto, o Grêmio investiu em contragolpes. Aos 22, Elias recebeu no meio-campo, foi para cima de Carlos Eduardo, em quem aplicou duas fintas, entrou na área e deu uma pancada para grande defesa de Emerson. O Colorado devolveu a chance aos 26 com Leonardo partindo pela esquerda, cruzou rasteiro para Caio, que tentou o toque e, na dividida com o goleiro Adriel, mandou a redonda para fora.

Em função do calor e das substituições feitas pelas equipes, o jogo deu uma diminuída no ritmo nos minutos seguintes. Mas, ambos deixaram as emoções para os minutos finais. Primeiro foi o Inter, aos 42, Pato tabelou com Leonardo e saiu diante de Adriel, que fez ótima defesa na finalização do camisa 20 e evitou a virada. E, nos acréscimos, uma chance boa para cada lado. Aos 46, Elias recebeu na direita e cruzou para Diego Rosa que bateu de primeira para fora e desperdiçou uma excelente oportunidade. No minuto seguinte, aos 47, foi a vez do colorado Leonardo receber na entrada da área, invadir e mandar pela rede do lado de fora. Mas, aos 50 minutos, a arbitragem decretou o fim do tempo normal no Pacaembu: Internacional 1, Grêmio 1. O campeão da Copinha saíra na disputa por pênaltis.

Nas duas primeiras cobranças, ninguém acertou: Matheus Monteiro parou em Adriel, enquanto Vítor Prato carimbou a trave, mas Cesinha colocou o Internacional na frente ao marcar o seu; enquanto Wesley Moreira encheu o pé e a redonda explodiu no travessão; Thiago Barbosa aumentou a vantagem colorada ao converter o seu penal, e Gazão deu esperanças aos gremistas ao mandar a bola no ângulo do goleiro rival; Carlos Eduardo ampliou para o Inter, mas, na última cobrança do Grêmio, Gabriel Gonçalves mandou a bola no travessão sucumbindo de vez a oportunidade de o Grêmio faturar a sua primeira Copinha. Fim da série de cinco cobranças: Internacional 3, Grêmio 1. O Inter é campeão da Copinha pela quinta vez em sua história e se iguala ao Fluminense em número de taças, com ambos ficando atrás apenas do Corinthians, detentor de dez copinhas.

Assim como nos profissionais, o clássico Grenal foi marcado pela rivalidade e equilíbrio na inédita decisão da Copinha. Nos dez primeiros minutos, o Grêmio foi melhor e criou boas chances, depois foi a vez do Internacional equilibrar e passar a levar perigo, mas o placar ficou no zero a zero, embora os meias dos dois times – Diego Rosa e Cesinha – tenham feito boas atuações, mas pararam nas defesas bem postadas. Em compensação, na etapa final, não faltaram emoções: o Tricolor abriu o placar logo aos sete minutos, com o gol contra de Thiago Barbosa, mas o Colorado empatou cinco minutos depois com Matheus Monteiro. O Grêmio ainda perdeu o zagueiro Alison Calegari, que foi expulso por subir no alambrado durante a comemoração do gol de sua equipe (o defensor havia recebido o primeiro amarelo na etapa inicial por conta de uma falta dura). Com um a mais, o Colorado tentou a virada, acertando o travessão, e, com vantagem numérica dentro de campo, ficou mais com a posse de bola, mas os gremistas eram mais perigosos nos contragolpes, especialmente com Elias, que fez grande jogada individual e parou em Emerson. As duas equipes tiveram oportunidades de fazer o “gol do título” no tempo normal, mas a igualdade prevaleceu e a disputa foi para os pênaltis. Nas cobranças, melhor para os batedores do Inter, que tiveram mais êxito enquanto as balizas foram as “inimigas” do Grêmio.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão.

Primeira Fase (Grupo 7):
03/01 – Internacional (RS) 3×0 Confiança (PB) – Estádio Antonio Lins Ribeiro Guimarães, Santa Bárbara d’Oeste (SP)
06/01 – Linense (SP) 0x3 Internacional (RS) – Estádio Antonio Lins Ribeiro Guimarães, Santa Bárbara d’Oeste (SP)
09/01 – Capivariano (SP) 0x0 Internacional (RS) – Estádio Antonio Lins Ribeiro Guimarães, Santa Bárbara d’Oeste (SP)
Segunda Fase:
11/01 – Internacional (RS) 1×0 Volta Redonda (RJ) – Estádio Antonio Lins Ribeiro Guimarães, Santa Bárbara d’Oeste (SP)
Terceira Fase:
13/01 – Internacional (RS) 2×1 Desportivo Brasil (SP) – Estádio Ernesto Rocco, Porto Feliz (RS)
Oitavas-de-final:
15/01 – Red Bull Brasil (SP) (5)1×1(6) – Internacional (RS) – Estádio Benito Agnelo Castellano, Rio Claro (SP)
Quartas-de-final:
17/01 – Botafogo (SP) 0x2 Internacional (RS) – Arena Fonte Luminosa, Araraquara (SP)
Semifinal:
21/01 – Internacional (RS) 3×1 Corinthians (SP) – Arena Barueri, Barueri (SP)
Final:
25/01 – Internacional (RS) (3)1×1(1) Grêmio (RS) – Pacaembu, São Paulo (SP)

FICHA TÉCNICA: INTERNACIONAL (RS) (3)1×1(1) GRÊMIO (RS)
Competição/Fase: Copa São Paulo de Futebol Júnior 2020 – final (jogo único)
Local: Estádio Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu) – São Paulo (SP)
Data: 25 de janeiro de 2020, sábado – 10h (horário de Brasília)
Árbitro: João Vitor Gobi
Auxiliares: Leandro Matos Feitosa e Rodrigo Meirelles Bernardo.
Cartões Amarelos: Volnei (Internacional); Alison Calegari (2), Diego Rosa e Rildo (Grêmio)
Cartão Vermelho: Alison Calegari (Grêmio)
Gols: Thiago Barbosa (contra), aos 7 min (0-1) e Guilherme Pato, aos 12 min do 2º tempo (1-1)
Pênaltis convertidos: Cesinha, Thiago Barbosa e Carlos Eduardo (Internacional); Gazão
Pênaltis desperdiçados: Matheus Monteiro (Internacional); Vítor, Wesley e Gabriel Gonçalves (Grêmio)
INTERNACIONAL (RS): 1.Emerson Júnior; 2.Lucas Mazzetti, 4.Tiago Barbosa, 14.Carlos Eduardo e 6.Leonardo; 15.Murilo (5.Volnei), 8.Praxedes e 10.Cesinha; 7.Matheus Monteiro, 19.Guilherme Pato e 9.Caio (20.Leonardo Ferreira). Técnico: Fábio Matias
GRÊMIO (RS): 1.Adriel; 3.Heitor, 4.Alison Calegari, 13.Luís Fernando (21.Gabriel Gonçalves) e 6.Matheus Nunes; 8.Diego Rosa, 15.Gazão e 10.Pedro Lucas (14.Natã); 11.Rildo (19.Vítor Prado), 7.Elias e 9.Fabrício (18.Wesley). Técnico: Guilherme Bossle

Parabéns ao Sport Club Internacional pelo título.

Por Jorge Almeida

Pelotas: campeão da Recopa Gaúcha 2020

Jogadores do Pelotas comemoram o título da Recopa Gaúcha 2020. Foto: Carlos Queiroz/Diário Popular-RS

O Pelotas derrotou o Grêmio na disputa por pênaltis por 5 a 4 após empate em 1 a 1 no tempo normal no Estádio Boca do Lobo, em Pelotas, na tarde deste domingo (19), e sagrou-se campeão da Recopa Gaúcha 2020. Os gols da partida foram marcados por Mateus Santana para os anfitriões no primeiro tempo e Ferreira empatou para o Imortal Tricolor nos minutos finais da etapa complementar. Nos pênaltis, destaque para o goleiro Douglas Silva, que defendeu a cobrança do gremista Rodrigues. Essa foi a segunda vez que o Lobo ergue o troféu do torneio – a primeira foi em 2014.

A partida começou com o Grêmio trocando passes no campo do Pelotas que, por sua vez, ficou atrás da linha intermediária para conter os avanços do adversário. Logo aos cinco minutos, Hugo Sanches recuou a bola na fogueira para Douglas Silva, a redonda quicou e, por pouco, Isaque não recuperou, mas o goleiro conseguiu afastar o perigo. Aos 12, o camisa 9 gremista recebeu na direita, passou por dois adversários e chutou por cima. Na jogada seguinte, foi a vez de Patrick fazer bela jogada, costurou a defesa do Lobo e finalizou para defesa de Douglas Silva, que voltou a ser exigido novamente ao pegar a finalização de Ferreira, que subiu pela esquerda e chutou firme.

Depois da pressão do Tricolor dos Pampas, aos 16, o Pelotas conseguiu chegar ao seu gol em sua primeira investida ao ataque. Depois da cobrança de escanteio, Mateus Santana cabeceou bem sem chances de defesa para Brenno: 1 a 0 e festa auri-anil. O tento motivou o Áureo-Cerúleo, que quase aumentou a vantagem aos 25 com Felipe Guedes que, depois de receber na intermediária, soltou a bomba para grande defesa de Brenno. Após o bom momento do time da casa, a equipe portoalegrense tentou responder aos 29 com Isaque. Guilherme Guedes cruzou, o camisa 9 finalizou e Douglas Silva fez uma defesaça.

O jogo seguiu com o Grêmio mantendo mais a posse de bola, mas passou a exagerar no preciosismo nas jogadas e não conseguiu superar a defesa do Pelotas e o duelo apresentou uma queda de rendimento dos times e o restante da etapa inicial seguiu sem grandes chances de perigo e encerrada com a vitória parcial do Pelotas.

Na etapa final, as duas equipes se estudaram nos primeiros minutos. Porém, aos nove, Jean Roberto cobrou escanteio, Mateus Santana desviou para o chute de Felipe, que bateu fraco e facilitou a vida de Brenno. Em resposta, o Tricolor dos Pampas, aos 11, tentou com Ruan cabeceou, mas o camisa 1 do clube pelotense afastou o perigo.

A partida seguiu equilibrada com as equipes sem conseguir levar perigo nos minutos seguintes, errando passes, mas com paralisações constantes para as substituições. Aos 26, o Pelotas tentou mais uma vez com Jô, que passou por Rodrigues e finalizou, mas a esférica passou perto da meta de Breno. Quatro minutos mais tarde, foi a vez do camisa 7 ajeitar para Felipe Guedes, que soltou a bomba e a bola passou perto.

O Pelotas tentou administrar o resultado e conseguia o objetivo com êxito até os 37 minutos. Guilherme Azevedo ajeitou para Felipe, que cruzou na medida para Ferreira que cabeceou e empatou a decisão. Na comemoração, o camisa 7 ganhou um “canarinho” por ir ao alambrado celebrar o gol junto com a torcida.

Depois de sofrer o empate, o Lobo tentou o gol da vitória na sequência, aos 39. Juliano avançou com a bola, finalizou e mandou a bola perto do gol de Brenno. Na jogada seguinte, aos 41, depois do escanteio, Felipe cabeceou, o goleiro gremista defendeu parcialmente e, na sobra, Felipe isolou.

Após a finalização do Pelotas, os dois times se conformaram com o empate e trataram de esperar o término do tempo normal para decidir o título nos pênaltis. Final do tempo regulamentar na Boca do Lobo: Pelotas 1, Grêmio 1. A disputa foi para os tiros penais.

Nos pênaltis, todos os batedores do Pelotas – Tatto, Felipe Guedes, Juliano, Mateus Santana e Tadeu – converteram todas as cobranças da série de cinco, enquanto isso, pelo lado do Imortal, acertaram o alvo Darlan, Matheus Frizzo, Isaque e Ruan, mas Rodrigues viu o goleiro Douglas Silva pegar a sua cobrança, que foi fundamental para levar a taça para Pelotas. Fim da série de cinco cobranças: Pelotas 5, Grêmio 4. O Lobo é o grande campeão da Recopa Gaúcha 2020.

O Grêmio foi até Pelotas buscar o bicampeonato da Recopa Gaúcha. Com um time alternativo, a equipe de Porto Alegre manteve a posse de bola no campo de ataque, girava a redonda à espera de um espaço para penetrar e chegar ao gol, mas, depois de perder algumas oportunidades, foi o Pelotas quem abriu o marcador aos 16 minutos com Mateus Santana, de cabeça. O gol deu um alívio aos anfitriões, que viu o Grêmio permanecer com a bola, mas não conseguia chegar ao gol por conta do preciosismo de seu ataque e também parava no bom goleiro Douglas Silva. No segundo tempo, os dois times diminuíram o ritmo de jogo e, obviamente, a qualidade do jogo caiu demais. De um lado, a equipe da casa manteve a firme marcação e o Tricolor ficava com a bola, mas encontrava dificuldades, especialmente por conta das jogadas excessivas individuais de Ferreira, que era quem mais levava perigo. Mas o camisa 7 gremista foi recompensado ao empatar o jogo com um gol de cabeça aos 37 minutos e colaborou para que a decisão fosse para os pênaltis. Nas cobranças, o Pelotas foi mais efetivo ao acertar todos os tiros penais, enquanto Rodrigues parou em Douglas Silva.

No entanto, depois da festa pelotense pelo título, as atenções dos dois clubes estarão voltadas para o Campeonato Gaúcho 2020. Ambos estreiam na quarta-feira (22), às 20h. O Pelotas receberá o Novo Hamburgo em casa, enquanto o Grêmio encara o Caxias em sua arena, em Porto Alegre.

A seguir, a ficha técnica da decisão.

FICHA TÉCNICA: PELOTAS (5)1×1(4) GRÊMIO
Competição/Fase: Recopa Gaúcha 2020 – final (jogo único)
Data: 19 de janeiro de 2020, domingo – 16h (horário de Brasília)
Local: Estádio Boca do Lobo, Pelotas (RS)
Árbitro: Daniel Nobre Bins
Auxiliares: Maurício Coelho Silva Penna e André da Silva Bitencourt
Cartões Amarelos: Felipe, Mateus Santana, Jean Roberto e Tadeu (Pelotas); Ruan, Rodrigues, Ferreira (Grêmio)
Gols: Mateus Santana, aos 16 min do 1º tempo (1-0); Ferreira, aos 37 min do 2º tempo (1-1)
Pênaltis convertidos: Tatto, Felipe Guedes, Juliano, Mateus Santana e Tadeu (Pelotas); Darlan, Matheus Frizzo, Isaque e Ruan (Grêmio)
Pênalti desperdiçado: Rodrigues (Grêmio)
PELOTAS: 1.Douglas Silva; 2.Osvaldir, 3.Negreti, 4.Felipe e 6.Tatto; 5.Guedes, 8.Mateus, 11.Juliano e 10.Hugo Sanches (7.Jô); 17.Jean Roberto (16.Gabriel Soares) e 9.Hugo Almeida (19.Tadeu). Técnico: Edemar Antonio Picoli
GRÊMIO: 1.Brenno; 2.Felipe, 3.Rodrigues, 4.Ruan e 6.Guedes; 5.J. Varela (21.Da Silva), 8.Darlan, 7.Ferreira e 10.Patrick (19.Guilherme Azevedo); 11.Jhonata Robert (16.Matheus Frizzo) e 9.Isaque. Técnico: Thiago Gomes

Parabéns ao Esporte Clube Pelotas pelo título.

Por Jorge Almeida

CBF sorteou duelos das quartas-de-final da Copa do Brasil 2019

CBF definiu confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil 2019 nesta segunda-feira. Créditos: Laís Torres/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou nesta segunda-feira (10), em sua sede, no Rio de Janeiro (RJ), os confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil 2019. As partidas ocorrerão após a Copa América, em julho.

Os jogos terão como data-base os dias 10 e 17 de julho, marcados previamente. Grêmio e Bahia farão o confronto de tricolores no torneio. A partida de volta será realizada na Boa Terra. Enquanto o Baêa tenta o título inédito, o clube gaúcho vai em busca do sexto triunfo do torneio e se igualar ao Cruzeiro. E, por falar na Raposa…

Atual bicampeão do certame, o Cruzeiro terá pela frente nessa fase da Copa do Brasil o seu arquirrival, o Atlético Mineiro, em dois jogos que, certamente, vão parar Belo Horizonte. O Galo será o mandante do segundo jogo. A equipe celeste tem como objetivo o inédito tricampeonato consecutivo do torneio, ampliar a sua hegemonia e, de quebra, vingar-se da derrota sofrida na decisão de 2014 para o co-irmão de Minas, que, obviamente, não deixará de escapar a oportunidade de manter-se na luta pelo bicampeonato.

Outro embate interessante será a reedição da decisão de 2013. Flamengo e Athletico Paranaense fazem o clássico rubronegro das quartas-de-final. O clube da Gávea receberá o Furacão na partida derradeira dessa fase. Enquanto o Mengão visa o tetracampeonato, o time do Paraná busca o feito inédito e também dar o troco da perda do título de seis temporadas atrás. Será que a nova grafia dará sorte ao “ex-Atlético Paranaense”?

E, finalmente, Palmeiras e Internacional realizarão outro grande clássico do futebol brasileiro. O Colorado será o mandante do jogo de volta. A metade vermelha do Rio Grande do Sul torcerá para que sua equipe repita o feito da campanha vitoriosa de 1992 da competição, além do título, é óbvio: eliminar o alviverde que, naquela ocasião, sucumbira para os gaúchos nas semifinais. Todavia, o Verdão espera repetir o feito da campanha de 2015, quando mandou o Inter para casa na mesma fase e, no final, ficou com a taça.

Quem passar do clássico mineiro enfrentará nas semifinais o vencedor do duelo entre gaúchos e paulistas. Enquanto isso, a outra semifinal será marcada por confronto entre um rubronegro e um tricolor (mas não será Fla-Flu!).

Abaixo, a relação dos confrontos.

Cruzeiro (MG) x Atlético (MG)*
Palmeiras (SP) x Internacional (RS)*
Athletico Paranaense (PR) x Flamengo (RJ)*
Grêmio (RS) x Bahia (BA)*

* Mandantes dos jogos de volta.

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

Encerrada a fase de grupos da Copa Libertadores da América 2019

16 equipes seguem na busca do troféu mais cobiçado da América do Sul

Quatro jogos realizados na noite desta quinta-feira (9) ajudaram a definir o encerramento da fase de grupos da Copa Libertadores da América 2019. Após seis rodadas da competição, 16 equipes seguem na luta pelo troféu mais cobiçado do Hemisfério Sul. Além deles, outros oito clubes disputarão a Copa Sulamericana.

O primeiro grupo a ter a situação definida foi o E. Com a realização das duas partidas simultâneas na terça-feira (7). Em Montevidéu, no Parque Central, o Nacional empatou em 1 a 1 com o Cerro Porteño. O resultado deixou as duas equipes empatadas na liderança, com 13 pontos, mas os paraguaios ficaram com o primeiro lugar devido ao melhor saldo de gols. Na outra partida da chave, o Atlético Mineiro foi até a Venezuela e derrotou o Zamora por 2 a 1. A vitória deixou o Galo com seis pontos em terceiro lugar e, como “prêmio de consolação”, o time mineiro disputará a Copa Sulamericana na sequência da temporada. A equipe venezuelana se despediu do certame com três pontos ganhos.

No mesmo dia, só que um pouco mais tarde, o grupo A foi concluído. Mas a situação por lá já estava definida e, portanto, os jogos foram só mais para o cumprimento da talbea. No Monumental de Núñez, em Buenos Aires, o River Plate recebeu o Internacional. O duelo terminou empatado em 2 a 2, resultado que manteve o Colorado na liderança, com 14 pontos, seguido pelos millonarios, que ficaram com 10, e manteve os dois clubes invictos na Liberta. Na outra partida do grupo, o Palestino surpreendeu o Alianza Lima no Alejandro Villanueva ao vencer a equipe peruana por 2 a 1. O clube chileno terminou sua participação com sete pontos, enquanto o Alianza ficou na lanterna com mísero um ponto conquistado em seis jogos.

Na quarta-feira (8), mais quatro grupos tiveram seus classificados assegurados. No grupo B, o classificadíssimo Cruzeiro tinha tudo para manter os 100% de aproveitamento ao receber o Emelec no Mineirão, mas o clube celeste foi nocauteado pelos equatorianos ao perder a partida por 2 a 1, mas, apesar do revés, a equipe de Mano Menezes permaneceu no topo, com 15 pontos, enquanto o seu algoz foi a nove. No outro embate, o já eliminado Huracán conseguiu a sua primeira vitória no torneio ao golear o Deportivo Lara em casa por 3 a 0 e, com quatro pontos, ainda ficou atrás do adversário da ocasião, que, mesmo derrotado, permaneceu com cinco pontos e vai para a Sulamericana.

Pelo grupo H, Grêmio e Universidad Católica fizeram um duelo direto para seguir adiante na Libertadores na Arena do Grêmio. O Tricolor gaúcho não decepcionou o seu torcedor e faturou o adversário por 2 a 0. O resultado colocou o Grêmio na vice-liderança com 10 pontos, enquanto os chilenos mantiveram os sete pontos e um lugar na Sulamericana. O campeão do grupo foi o Libertad que, apesar de ter sido derrotado pelo já eliminado Rosário Central, no Gigante de Arroyto, em Rosário, por 2 a 1, ficou com 12 pontos, deixando a equipe auriazul com cinco.

O Palmeiras confirmou o favoritismo e venceu o San Lorenzo no Allianz Parque por 1 a 0. O triunfo alviverde não só consolidou o primeiro lugar da equipe, com 15 pontos, como deixou o clube com a melhor campanha de todos os participantes (superando o Cruzeiro no saldo de gols). Apesar da derrota, o time do Papa Francisco permaneceu em segundo lugar do grupo F com 10 pontos. Já em Barranquilla, o Junior Barranquilla conseguiu a proeza de perder em casa para o Melgar por 1 a 0 e viu o seu adversário ir a sete pontos e roubar a sua vaga para a Copa Sulamericana, e segurou a lanterna com apenas três pontos.

No grupo D, excetuando o já eliminado San José, três equipes brigaram até a rodada derradeira da fase de grupos para ficar com duas vagas. O Flamengo dependia apenas de si não só para se classificar como também para ser o líder do grupo. E, para atingir o seu objetivo, o Mengão foi até Montevidéu e voltou com um precioso empate em 0 a 0 contra o Peñarol e foi aos dez pontos, a mesma pontuação dos uruguaios, que só ficou em terceiro porque, na outra partida do grupo, a LDU goleou o San José por 4 a 0, em Quito, e também alcançou os mesmos dez pontos. Assim, Flamengo, LDU e Peñarol fizeram a mesma pontuação (10 pontos), mas o saldo de gols (na verdade, as goleadas feitas no frágil equipe boliviana) foi crucial para a classificação do rubronegro e do clube equatoriano.

No grupo C, as quatro equipes chegaram em condições de conseguirem a classificação para a sequência do certame. O Olímpia acabou sendo derrotado em seus domínios por 1 a 0 para o Sporting Cristal, mas, graças ao saldo de gols, foi o campeão do grupo com nove pontos. Aliás, foi a mesma pontuação do segundo colocado, o Godoy Cruz, que bateu o Universidad de Concepción, no Estádio Malvinas Argentinas pelo mesmo placar. Por conta da derrota para os paraguaios, o Sporting Cristal ficou com sete pontos e vai para a Sulamericana. Já o Universidad de Concepción se despediu com seis pontos.

E, para finalizar, o grupo G, que teve o confronto direto pelo primeiro lugar protagonizado por Boca Juniors e Athletico Paranaense, que se enfrentaram em La Bombonera. Os Xeneizes levaram a melhor ao vencer o Furacão, de virada, por 2 a 1, e alcançou os 11 pontos, deixando o rubronegro paranaense em segundo com nove. No outro duelo, o Tolima foi até a Bolívia, passou pelo Jorge Wilstermann ao derrotar o oponente por 2 a 0 e foi a sete pontos e o seu adversário deu adeus para a Libertadores com apenas cinco pontos ganhos em seis partidas.

Com isso, a fase de grupos da Libertadores chegou ao fim. Os classificados para as oitavas-de-final da competição saberão quem serão os seus adversários na próxima segunda-feira (13), dia em que a Conmebol fará o sorteio dos confrontos para a sequência do torneio (os campeões dos grupos ficarão em um pote e os segundos colocados em outro). Os terceiros colocados de cada grupo irão disputar a Copa Sulamericana e também saberão quem irão pegar na sequência daquela competição através de sorteio.
Aliás, dependendo da combinação do sorteio, as oitavas-de-final da Liberta poderá ter clássicos nacionais logo de cara, tipo: Boca Juniors x River Plate ou um Gre-Nal, por exemplo.

A seguir a relação dos classificados para as oitavas-de-final da Libertadores da América, os clubes que irão disputar a Copa Sulamericana, os resultados da última rodada da fase de grupos e a classificação final dessa fase.

Classificados em 1º lugar (por ordem de grupo): Internacional, Cruzeiro, Olímpia, Flamengo, Cerro Porteño, Palmeiras, Boca Juniors e Libertad

Classificados em 2º lugar (por ordem de grupo): River Plate, Emelec, Godoy Cruz, LDU, Nacional, San Lorenzo, Athletico Paranaense e Grêmio

Terceiros colocados – Vaga para Copa Sulamericana (por ordem de grupo): Palestino, Deportivo Lara, sporting Cristal, Peñarol, Atlético Mineiro, Melgar, Tolima e Universidad Católica

– Resultados da última rodada da fase de grupos:
Data – Jogo – Local:
07/05 – Zamora (VEN) 1×2 Atlético Mineiro (BRA) – Agustín Tovar, Barinas (VEN)
07/05 – Nacional (URU) 1×1 Cerro Porteño (PAR) – Gran Parque Central, Montevidéu (URU)
07/05 – River Plate (ARG) 2×2 Interncional (BRA) – Monumental de Núñez, Buenos Aires (ARG)
07/05 – Alianza Lima (PER) 1×2 Palestino (CHI) – Alejandro Villanueva, Lima (CHI)
08/05 – Cruzeiro (BRA) 1×2 Emelec (EQU) – Mineirão, Belo Horizonte (BRA)
08/05 – Huracán (ARG) 3×0 Deportivo Lara (VEN) – Tomás Adolfo Ducó, Buenos Aires (ARG)
08/05 – Rosário Central (ARG) 2×1 Libertad (PAR) – Gigante de Arroyito, Rosário (ARG)
08/05 – Grêmio (BRA) 2×0 Universidad Católica – Arena do Grêmio, Porto Alegre (BRA)
08/05 – Junior Barranquilla (COL) 0x1 Melgar – Estádio Metropolitano, Barranquilla (COL)
08/05 – Palmeiras (BRA) 1×0 San Lorenzo (ARG) – Allianz Parque, São Paulo (BRA)
08/05 – LDU (EQU) 4×0 San José (BOL) – Casa Blanca, Quito (EQU)
08/05 – Peñarol (URU) 0x0 Flamengo (BRA) – Campeon del Siglo, Montevidéu (URU)
09/05 – Godoy Cruz (ARG) 1×0 Universidad de Concepción (CHI) – Malvinas Argentinas, Mendoza (ARG)
09/05 – Olímpia (PAR) 0x1 Sporting Cristal (PER) – Manuel Ferreira, Assunção (PAR)
09/05 – Jorge Wilstermann (BOL) 0x2 Tolima (COL) – Félix Capriles, Cochabamba (COL)
09/05 – Boca Juniors (ARG) 2×1 Athletico Paranaense (BRA) – La Bombonera Buenos Aires (ARG)

– Classificação final da fase de grupos da Copa Libertadores da América 2019.
Pos. – Equipe – Pontos:
Grupo A:
1. Internacional (BRA) – 14 pontos
2. River Plate (ARG) – 10
3. Palestino (CHI) – 7
4. Alianza Lima (PER) – 1

Grupo B:
1. Cruzeiro (BRA) – 15 pontos
2. Emelec (EQU) – 9
3. Deportivo Lara (VEN) – 5
4. Huracán (ARG) – 4

Grupo C:
1. Olímpia (PAR) – 9 pontos
2. Godoy Cruz (ARG) – 9
3. Sporting Cristal (PER) – 7
4. Universidad de Concepción – 6

Grupo D:
1. Flamengo (BRA) – 10 pontos
2. LDU Quito (EQU) – 10
3. Peñarol (URU) – 10
4. San José (BOL) – 4

Grupo E:
1. Cerro Porteño (PAR) – 13 pontos
2. Nacional (URU) – 13
3. Atlético Mineiro (BRA) – 6
4. Zamora (VEN) – 3

Grupo F:
1. Palmeiras (BRA) – 15 pontos
2. San Lorenzo (ARG) – 10
3. Melgar (PER) – 7
4. Junior Barranquilla (COL) – 3

Grupo G:
1. Boca Juniors (ARG) – 11
2. Athletico Paranaense (BRA) – 9
3. Deportes Tolima (COL) – 8
4. Jorge Wilstermann (BOL) – 5

Grupo H:
1. Libertad (PAR) – 12
2. Grêmio (BRA) – 10
3. Universidad Católica (CHI) – 7
4. Rosário Central (ARG) – 5

Parabéns aos classificados e boa sorte na sequência do torneio.

Por Jorge Almeida

CBF sorteou os confrontos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019

CBF realizou o sorteio dos confrontos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou na tarde desta quinta-feira (2), o sorteio dos confrontos e mandos de campo das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019. O evento aconteceu em sua sede, no Rio de Janeiro. Os duelos pela quinta fase do certame estão previstos para acontecer entre os dias 15 de maio e 5 de junho.

O sorteio, que está previsto no artigo 14º do Regulamento Específico da Competição, tem as presenças de cinco clubes que passaram a fase anterior (Corinthians, Santos, Fluminense, Vila Nova ou Juventude e Bahia) e os 11 pré-classificados para essa fase (os brasileiros participantes da atual edição da Copa Libertadores da América, além dos campeões do Brasileiro da Série B, Copa do Nordeste e Copa Verde do ano passado).

Antes do sorteio, o Diretor de Competições da CBF, Manoel Flores, foi convidado ao palco para ler o trecho do regulamento da competição que prevê o sorteio e a composição dos participantes e dos potes. A cerimônia seguiu com o narrador do Grupo Globo, Luís Roberto, como cerimonialista, e, no sorteio das bolinhas, participaram o comentarista Caio Ribeiro e o ex-jogador Juninho Paulista.

As equipes foram divididas em dois potes: em um com clubes que disputam a Copa Libertadores 2019 e no outro estão os demais. E, conforme a sequência do evento, o primeiro nome a ser sorteado foi o Internacional, que enfrentará o Paysandu. Depois, foi decretado que Flamengo e Corinthians medirão forças na continuidade do torneio. O terceiro confronto terá pela frente Atlético Mineiro e Santos. O quarto duelo do sorteio será realizado entre Grêmio e o ganhador do duelo entre Juventude e Vila Nova, que já fizeram o primeiro jogo da quarta fase e empataram em 0 a 0 em Caxias do Sul. O Palmeiras terá como adversário o Sampaio Corrêa, de acordo com o quinto embate a ser sorteado. O sexto embate será disputado entre Athletico Paranaense e Fortaleza. O penúltimo confronto a ser definido será entre Cruzeiro e Fluminense. E, finalmente, São Paulo e Bahia fazem o duelo de tricolores nas oitavas-de-final.

Após uma pausa, o sorteio para definir os mandos de campo das oitavas-de-final. O mestre de cerimônia Luiz Roberto explicou os motivos pelos quais se fez necessário a pausa para analisar os duelos para que evitem uma conflito de datas entre duas equipes da mesma cidade jogarem no mesmo dia.

De acordo com a definição do sorteio, os mandantes dos jogos de ida serão: Corinthians, Internacional, Atlético Mineiro, Juventude ou Vila Nova, Sampaio Corrêa, Fortaleza, Fluminense e São Paulo. Enquanto, Flamengo, Paysandu, Santos, Grêmio, Palmeiras, Athletico Paranaense, Cruzeiro e Bahia receberão as partidas de volta das oitavas-de-final.

Reforçando que, em caso de empate no placar agregado, o vencedor será definido através da disputa de pênaltis. As data-base dessa fase da competição serão os dias 15, 22 e 29 de maio e 5 de junho.

A seguir, a relação dos confrontos dos duelos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019.

Corinthians (SP) x Flamengo (RJ)
Flamengo (RJ) x Corinthians (SP)

Internacional (RS) x Paysandu (PA)
Paysandu (PA) x Internacional (RS)

Vila Nova (GO) ou Juventude (RS) x Grêmio (RS)
Grêmio (RS) x Vila Nova (GO) ou Juventude (RS)

Atlético Mineiro (MG) x Santos (SP)
Santos (SP) x Atlético Mineiro (MG)

Sampaio Corrêa (MA) x Palmeiras (SP)
Palmeiras (SP) x Sampaio Corrêa (MA)

Fluminense (RJ) x Cruzeiro (MG)
Cruzeiro (MG) x Fluminense (RJ)

São Paulo (SP) x Bahia (BA)
Bahia (BA) x São Paulo (SP)

Fortaleza (CE) x Athletico Paranaense (PR)
Athletico Paranaense (PR) x Fortaleza (CE)

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

Grêmio: campeão gaúcho de 2019

Jogadores do Grêmio comemoram com familiares a conquista do bicampeonato gaúcho. Créditos: Reprodução/Twitter

Com uma campanha incontestável, o Grêmio conquistou na noite desta quarta-feira (17), na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, o bicampeonato gaúcho ao derrotar o arquirrival Internacional nos pênaltis por 3 a 2, após empate em 0 a 0 nos dois jogos da decisão do Estadual. Pelo Tricolor, converteram Diego Tardelli, Matheus Henrique e André, já Rafael Sóbis e Paolo Guerrero converteram pelos Colorados. Destaque para o goleiro Paulo Victor, que defendeu três cobranças.

Como não poderia deixar de ser, o Gre-Nal 420 já começou pihado, com bate-boca já nos primeiros minutos e cartões amarelos: Kannemann e William Pottker por lances ríspidos. E o clássico seguiu nervoso, com os dois times reclamando e errando muitos passes. A primeira chance de gol foi do Grêmio, que balançou as redes aos 15 minutos com André, mas o VAR “dedurou” o gremista, que estava impedido no lance.

Depois, o Tricolor teve outra chance, aos 21. Geromel ajeitou para Kannemann, que virou e chutou para defesa de Marcelo Lomba. O Grêmio seguiu ligeiramente superior em relação ao Inter e, aos 29, depois da troca de passes, Jean Pyerre recebeu na intermediária e arriscou, mas a bola saiu. Enquanto isso, do outro lado, Kannemann e Guerrero travaram um duelo ríspido, com nenhum dos lados facilitando. Porém, aos 36, o atacante peruano colorado, em bola levantada na área, ganhou de Leonardo e cabeceu para grande defesa de Paulo Victor.

O Internacional cresceu na partida, enquanto o Grêmio seguiu forçando em jogadas pela esquerda com Everton. Contudo, aos 45, Leonardo recebeu pela direita, dominou, chutou para Marcelo Lomba espalmar depois do quique da bola. Em seguida, Matheus Henrique cortou o adversário e visou o ângulo do arqueiro do Inter, mas a redonda saiu. No entanto, o primeiro tempo da final do Gauchão, que foi até os 50 minutos, terminou empatado em 0 a 0.

No segundo tempo, o Internacional se defendeu bem, com os jogadores atrás do meio-de-campo, enquanto o Grêmio trocou passes, mas sem encontrar espaços para penetrar a defesa do rival. Todavia, a primeira oportunidade da etapa final foi do Colorado. Aos 13, Edenílson passou por dois marcadores no giro e chutou para grande defesa do arqueiro tricolor. Em seguida, Nico López cobrou escanteio na cabeça de Moledo para Paulo Victor pegar mais uma.

E, para delírio dos gremistas, Renato Gaúcho colocou Luan em campo, no lugar de Jean Pyerre. Mas o nervosismo e o equilíbrio permaneceram no Gre-Nal. Até que, aos 22 minutos, um lance que quase poderia definir o campeonato. Cortez caiu na área em lance com Guilherme Parede e o árbitro Jean Pierre após consultar o VAR marcou penalidade a favor do Tricolor dos Pampas. A decisão causou revolta dos colorados, que partiram para cima da arbitragem, sobretudo D’Alessandro que reclamou bastante para o quarto árbitro e acabou recebendo o cartão vermelho. Além dele, o técnico Odair Helimann também foi expulso. E, depois de nove minutos de partida paralisada, André partiu para a cobrança, mas Marcelo Lomba defendeu parcialmente e, no rebote, Geromel chutou, mas não conseguiu marcar.

Depois do pênalti desperdiçado, a partida seguiu catimbada e, consequentemente, os dois times tentaram se acalmar, mas praticamente não criaram mais chances no restante do tempo regulamentar. E, por conta da paralisação com a marcação do pênalti a favor do Grêmio, a decisão teve mais nove minutos de acréscimos. Aos 49 minutos, Everton passou por Moledo e tentou mandar no ângulo esquerdo de Marcelo Lomba, mas não acertou o alvo. No minuto seguinte, o camisa 11 gremista recebeu de Luan, entrou na área e soltou a pancada e carimbou o poste. No entanto, o Gre-Nal 420 terminou empatado, como foi na partida disputada no Beira-Rio. Fim de jogo na Arena do Grêmio, Grêmio 0, Internacional 0. O campeão gaúcho precisou sair na disputa por pênaltis.

Na disputa de pênaltis, Camilo abriu a série, mas viu Paulo Victor defender o seu chute. Em seguida, Diego Tardelli anotou para o Tricolor, mas Rafael Sóbis empatou. Porém, Everton mandou por cima do travessão de Marcelo Lomba. Já Guerrero e Matheus Henrique converteram suas cobranças. Mas Victor Cuesta parou em Paulo Victor, Michel teve seu penal defendido por Marcelo Lomba e o arqueiro gremista pegou a cobrança de Nico López. Então, coube a André a chance de se redimir do pênalti desperdiçado no tempo normal e, dessa vez, o camisa 90 não vacilou e converteu a cobrança que deu ao Grêmio o bicampeonato gaúcho e de forma invicta.

A final do Campeonato Gaúcho teve a sua decisão mais esperada: Grêmio e Internacional. Nos dois jogos, os times fizeram uma disputa bastante equilibrada onde a rivalidade chegou à flor da pele. As jogadas ríspidas e o nervosismo dos dois lados foram à tona. Não foi à toa que cinco jogadores receberam cartão amarelo (quatro colorados e um gremista). Mas Grêmio e Internacional criaram suas chances, com Guerrero dando trabalho para Kannemann e exigindo uma bela defesa de Paulo Victor. No segundo tempo, o VAR, que “dedurou” o impedimento no gol do Grêmio no primeiro tempo, dessa vez “colaborou” para equipe de Renato Gaúcho e a penalidade foi assinalada. No entanto, André parou em Marcelo Lomba, que foi o responsável em conduzir a final para a disputa por pênaltis. Nos tiros penais, brilhou a estrela do goleiro Paulo Victor, que defendeu três cobranças batidas pelos Colorados, mas os comandados de Renato Portaluppi foram mais eficientes nas cobranças e decretaram a vitória por 3 a 2. Aliás, a conquista do Grêmio foi merecida, pois, a campanha não deixa dúvidas: invicta – o que não acontecia com o Grêmio desde 1965 – e com apenas um gol sofrido em todo o campeonato (no empate em 1 a 1 com o Aimoré na segunda rodada). E, assim, Renato Gaúcho conquista o seu sexto título como treinador com o Imortal Tricolor.

Primeira Fase:
20/01 – Novo Hamburgo 0x4 Grêmio – Estádio do Vale, Novo Hamburgo (RS)
23/01 – Aimoré 1×1 Grêmio – Cristo Rei, São Leopoldo (RS)
28/01 – Grêmio 3×0 Juventude – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
31/01 – Grêmio 4×0 São Luiz – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
03/02 – Caxias 0x3 Grêmio – Centenário, Caxias do Sul (RS)
10/02 – Grêmio 6×0 Avenida – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
17/02 – Brasil de Pelotas 0x0 Grêmio – Bento Freitas, Pelotas (RS)
25/02 – Grêmio 2×0 Veranópolis – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
09/03 – Grêmio 3×0 São José (RS) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
17/03 – Grêmio 1×0 Internacional – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
20/03 – Pelotas 0x2 Grêmio – Boca do Lobo, Pelotas (RS)
Quartas-de-final:
24/03 – Juventude 0x6 Grêmio – Alfredo Jaconi, Caxias do Sul (RS)
28/03 – Grêmio 0x0 Juventude – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
Semifinais:
31/03 – São Luiz 0x0 Grêmio – 19 de Outubro, Ijuí (RS)
07/04 – Grêmio 3×0 São Luiz – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
Final:
14/04 – Internacional 0x0 Grêmio – Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
17/04 – Grêmio (3)0x0(2) Internacional – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)

FICHA TÉCNICA: GRÊMIO (3)0x0(2) INTERNACIONAL
Competição/Fase: Campeonato Gaúcho 2019 – final (2º jogo)
Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
Data: 17 de abril de 2019, quarta-feira – 21h30 (horário de Brasília)
Público pagante: 47.759 espectadores
Público Total: 51.003 espectadores
Renda: R$ 2.960.606,00
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima
Auxiliares: Rafael da Silva Alves e Lúcio Beiersdorf Flor
Cartões Amarelos: Kannemann e Michel (Grêmio); William Pottker, Patrick, Guerrero, Daniel, Victor Cuesta e Guilherme Parede Rafael Sóbis (Internacional)
Cartão Vermelho: D’Alessandro (Internacional)
Pênaltis convertidos: Diego Tardelli, Matheus Henrique e André (Grêmio); Rafael Sóbis e Paolo Guerrero (Internacional)
Pênaltis desperdiçados: Everton e Michel (Grêmio); Camilo, Victor Cuesta e Nico López (Internacional)
GRÊMIO: 1.Paulo Victor; 6.Leonardo, 3.Pedro Geromel, 4.Kannemann e 12.Bruno Cortez; 8.Maicon (5.Michel), 14.Matheus Henrique, 21.Jean Pyerre (7.Luan), 23.Alisson (9.Diego Tardelli) e 11.Everton; 90.André. Técnico: Renato Portaluppi
INTERNACIONAL: 12.Marcelo Lomba; 37.Zeca (21.Camilo), 3.Rodrigo Moledo, 15.Victor Cuesta e 28.Iago (23.Rafael Sóbis); 13.Rodrigo Dourado, 8.Edenílson e 88.Patrick; Nico López, 99.William Pottker (77.Guilherme Parede) e 9.Paolo Guerrero. Técnico: Odair Helimann

Parabéns ao Grêmio Football Porto-Alegrense pelo título.

Por Jorge Almeida

Grêmio: campeão da Recopa Gaúcha 2019

A taça da Recopa Gaúcha 2019 conquista pela Grêmio com uma fita de preto em luto aos jogadores do Flamengo que morreram no incêndio no Ninho do Urubu na última sexta-feira. Foto: Eduardo Moura

O Grêmio conquistou pela primeira vez em sua história a Recopa Gaúcha ao golear o Avenida por 6 a 0, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, neste domingo (10). Os gols da partida foram marcados por Luan (dois), Everton (dois), Leonardo Gomes e Vizeu. O jogo também foi válido pela sexta rodada do Campeonato Gaúcho 2019. A competição colocou frente a frente o campeão gaúcho de 2018 (Grêmio) e o vencedor da Copa Wianey Carlet (Copa FGF) do ano passado (Avenida).

Antes de a bola rolar, evidentemente, não faltaram homenagens aos jogadores do Flamengo que morreram no incêndio no Ninho do Urubu na última sexta-feira. Além do respeitoso um minuto de silêncio, a taça da Recopa foi envolvida com uma fita preta em sinal de respeito. O protocolo ainda incluiu com mensagens no telão e com o toque de clarim pela banda do Exército.

O Grêmio começou com a tradicional blitz. Após troca de passes pela direita, Marinho cruzou na medida para Luan, de cabeça, abrir o placar com menos de dois minutos de partida. Depois do tento, os comandados de Renato Gaúcho ficaram trocando passes pacientemente, enquanto os 11 jogadores do Avenida ficaram acuados em seu campo de defesa. E, nas poucas oportunidades de levar perigo à meta de Paulo Victor, através de dois escanteios, o time de Santa Cruz do Sul desperdiçou, gerando tiros de meta para o anfitrião.

Apesar de estar com o jogo sob controle, o Tricolor só voltou a finalizar com perigo aos 34 minutos. Luan foi acionado na direita e, de três dedos, cruzou no capricho para Jael, que tentou bater de chapa de prima, mas mandou para fora à direita do gol. Aos 41, o Grêmio partiu para cima, Leonardo tocou para Jael, que já serviu Everton imediatamente para o camisa 11 dar uma cavadinha e encobrir o goleiro Andrey e ampliar a vantagem gremista. Na comemoração, o atacante mostrou uma faixa homenageando as vítimas do incêndio no Ninho do Urubu.

Nos primeiros minutos do segundo tempo, o Nida até tentou neutralizar o Grêmio, e conseguiu um certo êxito. E, inclusive, teve a sua primeira chance de gol, de forma efetiva, aos 14 minutos com Cléverson, que entrou no lugar do pendurado Moisés Baiano no intervalo. Marcio cruzou, a defesa do Grêmio tirou parcialmente, Tito tentou, a bola explodiu na defesa e o camisa 20 arrematou e Paulo victor defendeu. Porém, quatro minutos depois, o Periquito foi castigado com o terceiro gol do Grêmio. Leonardo recebeu próximo da área e, de chapa com o pé esquerdo, bateu com categoria e encobriu o goleiro Andrey, que se esticou todo, mas não conseguiu alcançar a redonda: Grêmio 3, Avenida 0.

E o xodó da torcida gremista, Luan, ainda fez mais um gol no jogo. Aos 28 minutos, o camisa 7 recebeu belo passe do argentino Montoya (substituto de Marinho) na área, dominou de direita, bateu de esquerda, a bola desviou em Luís Henrique e entrou: 4 a 0. Mesmo com a goleada sacramentada, Renato Portaluppi manteve o time no ataque, tirou Michel e colocou André, armando o ofensivo 4-3-3.

O Grêmio seguiu avassalador na partida e não demorou muito para chegar ao quinto gol. Aos 37, Tito errou na saída de bola, Luan acionou Everton, que girou e finalizou firme para aumentar o placar na Arena do Grêmio. Abatido, o Avenida abdicou do jogo e só restou a torcer pelo fim do massacre. E, aos 43, Felipe Vizeu fez um golaço. O camisa 47 acertou o ângulo de um lindo chute oriundo da quina da grande área. Acordou a coruja. Um passeio do Grêmio pelo Avenida: 6 a 0 e título mais que consolidado.

E, nos acréscimos, a equipe porto-alegrense quase fez o sétimo com Maicon, que cobrou falta por cima do gol de Andrey que, apesar de ter sofrido os seis gols, não falhou em nenhum deles. Aos 48, o árbitro Eleno Todeschini decretou o fim de jogo na Arena do Grêmio: Grêmio 6, Avenida 0. O Tricolor é campeão da Recopa Gaúcha de 2019 e, de quebra, é líder isolado do Gauchão, com 16 pontos (em 18 disputados).

O Grêmio, dono da melhor campanha do Gauchão até então, entrou em campo com favoritismo absoluto diante do modesto Avenida, de Santa Cruz do Sul. Então, como um rolo compressor (sem fazer alusão ao apelido do famoso time do Internacional da década de 1940), não tomou conhecimento do adversário e aplicou a goleada, com destaques aos belos gols de Leonardo e Felipe Vizeu. Por questão de estratégia, o Avenida poupou a equipe principal visando o confronto contra o Guarani pela primeira fase da Copa do Brasil, e não pôde fazer nada a não ser se defender. Possivelmente, se estivesse com o time titular, o panorama, talvez, não mudaria muito. Esse foi o primeiro título da Recopa Gaúcha do Grêmio. O torneio tem o Internacional como o maior vencedor, com duas taças.

Com o resultado, além de ficar com o troféu, o Grêmio permanece na liderança isolada do Gauchão, com 16 pontos e matematicamente classificado para as quartas-de-final do Estadual. Enquanto isso, o Avenida caiu uma posição na tabela e saiu da zona de classificação e, no momento, é o nono colocado, com seis pontos.

Na próxima rodada, o Grêmio vai até o Bento Freitas, em Pelotas, encarar o lanterna Brasil, às 17h, do próximo domingo (17). Já o Avenida, pelo Estadual, no sábado (16), jogará contra o São Luiz, em Ijuí, às 19h. Mas, antes desse duelo, o Nida receberá o Guarani, de Campinas, nos Eucaliptos, em sua estreia pela Copa do Brasil. E, de acordo com o regulamento do torneio nacional, o Periquito só avançará de fase se vencer o jogo, outros resultados (inclusive empate) dará a vaga para o clube paulista.

A seguir, a ficha técnica da decisão da Recopa Gaúcha 2019.

FICHA TÉCNICA: GRÊMIO 6×0 AVENIDA
Competição/Fase: Recopa Gaúcha 2019 – final (jogo único)/6ª rodada do Campeonato Gaúcho 2019
Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
Data: 10 de fevereiro de 2019, domingo – 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Eleno Todeschini
Assistentes: Rafael da Silva Alves e Luiza Reis
Cartões Amarelos: Moisés Baiano, Jô e Índio (Avenida)
Gols: Luan, 1 min do 1º tempo (1-0) e aos 28 min do 2º tempo (4-0); Everton, aos 41 min do 1º tempo (2-0) e aos 37 min do 2º tempo (5-0); Leonardo, aos 18 min do 2º tempo (3-0) e Felipe Vizeu, aos 43 min do 2º tempo (6-0)
GRÊMIO: 1.Paulo Victor; 6.Leonardo, 3.Pedro Geromel, 4.Kannemann e 12.Cortez; 5.Michel (90.André), 8.Maicon e 30.Marinho (20.Montoya); 7.Luan, 11.Everton e 9.Jael (47.Felipe Vizeu). Técnico: Renato Gaúcho
AVENIDA: 12.Andrey; 13.Felipe Cordeiro, 3.Luís Henrique, 17.Yuri e 6.Roger; 16.Jô, 8.Felipe Manoel, 88.Moisés Baiano (76.Cleverson) e 91.Márcio (26.Índio); 77.Tito e 18.Matheus Lagoa (20.Marcos Paraná). Técnico: Fabiano Daitx

Parabéns ao Grêmio Football Porto Alegrense pelo título.

Por Jorge Almeida

CBF define os confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil 2018

CBF realizou sorteio dos confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil em sua sede. Créditos: CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou nesta quarta-feira (30), em sua sede, no Rio de Janeiro, o sorteio dos confrontos pelas quartas-de-final da Copa do Brasil 2018, assim como os mandos dos jogos de ida da próxima fase. Contudo, dois duelos das oitavas-de-final seguem indefinidos – Vasco x Bahia e Cruzeiro x Atlético Paranaense, embora baianos e mineiros estão em vantagem devido aos triunfos conquistados na partida de ida.

O adversário do Palmeiras nas quartas-de-final, na teoria, tem tudo para ser o Bahia, pois o Tricolor da Boa Terra superou o Vasco na primeira partida por 3 a 0, na Fonte Nova, em Salvador, e só disputará o jogo de volta no dia 16 de julho, um dia após a decisão da Copa do Mundo. Quem passar desse embate será o mandante do primeiro jogo das quartas-de-final diante do alviverde paulista, que deixou o América Mineiro pelo caminho.

Outro duelo das oitavas-de-final que ainda está em aberto é Cruzeiro x Atlético Paranaense. A Raposa venceu o Furacão por 2 a 1, na Arena da Baixada, em Curitiba, e joga pelo empate no compromisso de volta, no dia 16 de julho, no Mineirão. Quem avançar dos dois terá o Santos pela frente nas quartas-de-final. O Peixe, que passou pelo Luverdense na fase anterior, mandará o primeiro jogo.

Enquanto isso, do outro lado da chave, a situação dos confrontos está tudo definido. O Corinthians fará um duelo inédito na Copa do Brasil diante da Chapecoense. O Timão, que eliminou o Vitória do torneio, será o mandante do jogo de ida, possivelmente na Arena Corinthians, e decidirá a vaga para as semifinais na Arena Condá, casa da Chape, que superou o Atlético Mineiro nos pênaltis nas oitavas-de-final.

Flamengo e Grêmio já é um velho confronto conhecido da história da Copa do Brasil. As duas equipes já fizeram uma final da competição, em 1997, que culminou com o terceiro título gremista. Em 2018, pelas quartas-de-final, tricolores e rubronegros medirão forças em 180 minutos, cuja metade terá início na Arena do Grêmio e depois, provavelmente, no Maracanã.

Assim, dependendo das combinações dos resultados, nas semifinais e na final, a Copa do Brasil 2018 poderá ter reedições de decisões do certame. Eis algumas delas: Corinthians x Grêmio nas semifinais (os dois já fizeram duas decisões: em 1995 e em 2001, com um vencedor para cada lado); Palmeiras x Santos – os dois foram os finalistas em 2015, quando o Verdão ficou com a taça; Palmeiras x Cruzeiro – ambos foram protagonistas das decisões de 1996 e 1998, com um título para cada; em caso de final, a CB-18 poderá reeditar Flamengo x Vasco, que decidiram o torneio em 2006; Flamengo x Cruzeiro, finalistas em 2003 e 2017; ou, ainda, Grêmio x Cruzeiro, que duelaram a final de 1993.

A Copa do Brasil ainda poderá reservar possíveis clássicos estaduais nas próximas fases. Mas só há quatro possíveis combinações: nas semifinais com Palmeiras e Santos desde que, claro, ambos passem; ou na final com Corinthians x Palmeiras ou Corinthians x Santos e também Flamengo x Vasco. Reforçando: desde que essas equipes cheguem até lá. Na história da Copa do Brasil, em 30 edições (contando com a vigente), somente em três finais que duas equipes do mesmo Estado disputaram o título. Em 2006, com Flamengo e Vasco, com o rubronegro vitorioso; em 2014, entre Atlético Mineiro e Cruzeiro, cuja taça ficou com o Galo; e em 2015, envolvendo Palmeiras e Santos, sendo o alviverde o campeão na ocasião.

Com o chaveamento fixado, já dá para saber os possíveis embates até a final do torneio. Por exemplo, quem passar do duelo entre Corinthians x Chapecoense enfrentará nas semifinais o ganhador de Grêmio x Flamengo. Enquanto isso, do outro lado, quem vencer do confronto entre Bahia ou Vasco e Palmeiras fará a outra semifinal do vitorioso do embate entre Cruzeiro ou Atlético Paranaense x Santos.

Curiosamente, os maiores campeões da Copa do Brasil seguem no páreo: os pentacampeões Cruzeiro e Grêmio, juntamente com os tricampeões Corinthians, Flamengo e Palmeiras, além de Santos e Vasco, donos de um título cada. Enquanto isso, Bahia, Chapecoense e Atlético Paranaense buscam pela conquista inédita.

As datas previstas para a disputa dos jogos das quartas-de-final são: 1º, 8, 15 e 29 de agosto. Antes, no dia 16 de julho, as últimas duas vagas serão preenchidas.

Confira os duelos de ida:

Corinthians (SP) x Chapecoense (SC)
Grêmio (RS) x Flamengo (RJ)
Bahia (BA) ou Vasco (RJ) x Palmeiras (SP)
Santos (SP) x Atlético (PR) ou Cruzeiro (MG)

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

Encerrada a fase de grupos da Copa Libertadores da América 2018

16 equipes seguem na busca do troféu mais cobiçado da América do Sul

Com a realização de seis partidas válidas pelos grupos dois, seis e sete pela sexta rodada disputada nesta quinta-feira (24), a fase de grupos da Copa Libertadores da América 2018 foi encerrada. Ao todo, dezesseis equipes seguem no torneio em busca do troféu mais cobiçado do continente. Brasileiros e argentinos dominam o torneio (12 dos classificados são dos dois países).

Dos representantes brasileiros, só o Vasco não se classificou (a Chape havia ficado na fase preliminar), porém, por ter ficado em terceiro de seu grupo, foi contemplado para disputar a Copa Sulamericana. E, dentre os clubes do Brasil, que seguem no torneio, apenas o Flamengo que não terminou na liderança de seu grupo. Porém, o rubronegro carioca juntamente com Palmeiras, River Plate e Grêmio seguem como únicos invictos do certame. Em meio aos 16 classificados, somente Cerro Porteño, Libertad e Atlético Tucumán não sentiram o gostinho de conquistar a América. Por outro lado, os tradicionais Peñarol, Nacional e Vasco são os que tiveram o oportunidade de ganhar o torneio, mas que ficaram pelo caminho em 2018.

No grupo A, o atual campeão Grêmio confirmou o favoritismo e terminou na liderança com 14 pontos. Na quarta-feira (23), a equipe de Renato Gaúcho bateu o Defensor em sua arena por 1 a 0. Além dele, o Cerro Porteño derrotou o Monagas por 3 a 2, em Assunção, e chegou aos 13 pontos. O terceiro lugar ficou com o Defensor que, com quatro pontos, vai disputar a Copa Sulamericana.

O disputado grupo 2 terminou com o Atlético Nacional, da Colômbia, e os chilenos do Colo-Colo classificados. No Atanasio Girardot, em Medelín, as duas equipes se enfrentaram e o empate em 0 a 0 serviu para ambos. Com dez pontos, os Verdolagas ficou à frente do time cacique, que foi a oito e, se avançou, graças ao saldo de gols em relação ao terceiro colocado, o Bolívar. Com a mesma pontuação do Colo-Colo, os bolivianos bateu o Delfín em La Paz por 2 a 1 e chegou aos mesmos oito pontos, mas o saldo negativo em três gols fez com que o clube mais popular da Bolívia encerrasse a fase em terceiro.

A situação do grupo 3 foi resolvida na semana passada. No dia 17, o Libertad e o Atlético Tucumán empataram em 0 a 0 e se classificaram. Os paraguaios encerraram na liderança, com 13 pontos, e os argentinos em segundo, com dez, Na outra partida do grupo, o tradicionalíssimo Peñarol derrotou o The Strongest por 2 a 0 em Montevidéu e atingiu os nove pontos, contudo, o “pontinho precioso” conquistado pelo Tucumán em Assunção foi primordial para tirar os detentores de cinco Libertadores do páreo.

River Plate e Flamengo confirmaram o favoritismo e seguem na competição. As duas equipes mediram forças na quarta-feira (23) e o empate sem gols no Monumental de Núñez deixou os Millonarios na ponta do grupo 4 com 12 pontos, seguido do rubronegro com dez. Restou ao Santa Fé, que derrotou o Emelec fora de casa por 3 a 0 e foi a sete pontos, a vaga para a Sulamericana. Aliás, o clube equatoriano foi o verdadeiro saco de pancadas do grupo, pois, em seis jogos foram cinco derrotas e apenas um ponto ganho.

O grupo 5, que já tinha Cruzeiro e Racing classificados antecipadamente, teve a rodada derradeira disputada na terça-feira (22). O que entrou em disputa nos dois jogos foi a liderança e quem iria disputar a Copa Sulamericana. No Mineirão, o Cruzeiro engatou uma sequência de três vitórias consecutivas ao ganhar do Racing por 2 a 1. Os dois times terminaram com 11 pontos na liderança do grupo, mas a Raposa, por ter um saldo de gols maior, ficou em primeiro. O Vasco foi até o Estádio Nacional, em Santiago, e triunfou a Universidad de Chile por 2 a 0. O resultado levou os cruzmaltinos aos cinco pontos, a mesma pontuação do adversário, mas o saldo de gols, apesar de negativo, ainda foi melhor que o dos chilenos e, por isso, o terceiro lugar (agradeça os 7 a 0 que o Cruzeiro fez na LaU na quarta rodada, Vasco!).

Apesar de ter sido o único a começar a rodada já classificado pelo grupo 6, o Santos teve uma atuação sofrível diante do fraco Real Garcilaso, na Vila Belmiro nesta quinta-feira (24). O Peixe empatou em 0 a 0 contra o Raza Celeste, mas o resultado não lhe tirou a liderança. Com dez pontos, o clube praiano não foi alcançado pelo segundo colocado, que ficou com o Estudiantes de La Plata. Os Pincharratas, que fizeram um confronto direto contra o Nacional, do Uruguai, derrotaram o seu concorrente por 3 a 1 em casa e fez oito pontos, a mesma pontuação dos uruguaios, mas por um gol a mais no saldo ficou na vice-liderança. Para consolo dos Decanos, restou a Copa Sulamericana.

Assim como o Santos, o seu rival paulista Corinthians jogou na quinta e também já classificado no grupo 7. Mas, diferentemente do alvinegro praiano, o Timão foi derrotado na Arena Corinthians por 1 a 0 para o Millonarios, da Colômbia, na primeira partida de Osmar Loss, após a saída de Fábio Carille para o futebol árabe. Mesmo com o revés, o Coringão, com dez pontos, dividiu a liderança do grupo com o Independiente, que faturou o Deportivo Lara em casa por 2 a 0. E, nos mesmos moldes que alguns grupos, o saldo de gols foi favorável ao Corinthians (6 a 2). A vitória dos Embaixadores em Itaquera ajudou a levar a equipe para a Sulamericana, uma vez que, se o Timão tivesse ganhado, quem iria para a outra competição do continente seria o representante venezuelano.

E, finalmente, o grupo 8, que, na verdade foi o primeiro a ser definido, no dia 16, teve o Palmeiras e Boca Juniors classificados. Dono da melhor campanha do torneio, o alviverde derrotou o Junior Barranquilla por 3 a 1 no Allianz Parque e, com cinco vitórias e um empate, a equipe paulista deu uma “mãozinha” para os Xeneizes que, em La Bombonera, meteram 5 a 0 no Alianza Lima. A ajuda palmeirense garantiu o segundo lugar ao seu algoz das Libertadores de 2000 e 2001, que foi a nove pontos e deixou os Tiburones, com sete, em terceiro.

Dessa forma, a Copa Libertadores seguirá após a Copa do Mundo com a realização dos jogos das oitavas-de-final e, convenhamos, as chances de um confronto entre brasileiros e argentinos já na primeira parte do “mata-mata” são grandes. Porém, com a conclusão da fase de grupos, a Conmebol fará o sorteio para definir o chaveamento dos classificados no próximo dia 4 de junho em sua sede, em Luque, no Paraguai e, conforme o regulamento, a pontuação obtida na fase de grupos serve para a definição dos mandos de campo até a final, com as equipes melhores posicionadas sempre realizando o jogo de volta como local. Por exemplo, se o Palmeiras, dono da melhor campanha da fase de grupos, chegar à decisão, independentemente da trajetória de seu adversário na final, mandará o “jogo da taça” em sua casa.

A seguir, a relação dos classificados para as oitavas-de-final da Copa Libertadores, os contemplados para a Copa Sulamericana, os resultados da sexta rodada e a classificação final de cada grupo.
Primeiros colocados (por ordem de grupo): Grêmio (BRA), Atlético Nacional (COL), Libertad (PAR), River Plate (ARG), Cruzeiro (BRA), Santos (BRA), Corinthians (BRA) e Palmeiras (BRA).
Segundos colocados (por ordem de grupo): Cerro Porteño (PAR), Colo-Colo (CHI), Atlético Tucumán (ARG), Flamengo (BRA), Racing (ARG), Estudiantes (ARG), Independiente (ARG) e Boca Juniors (ARG).
Classificados para a Copa Sulamericana (por ordem de grupo): Defensor (URU), Bolívar (BOL), Peñarol (URU), Santa Fé (COL), Vasco (BRA), Nacional (URU), Millonarios (COL) e Junior Barranquilla (COL).

Data – Jogo – Local:
16/05 – Palmeiras (BRA) 3×1 Junior Barranquilla (COL) – Allianz Parque, São Paulo (BRA)
16/05 – Boca Juniors (ARG) 5×0 Alianza Lima (PER) – La Bombonera, Buenos Aires (ARG)
17/05 – Libertad (PAR) 0x0 Atlético Tucumán (ARG) – Dr. Nicolás Leoz, Assunção (PAR)
17/05 – Peñarol (URU) 2×0 The Strongest (BOL) – Campeón del Siglo, Montevidéu (URU)
22/05 – Universidad de Chile (CHI) 0x2 Vasco (BRA) – Nacional, Santiago (CHI)
22/05 – Cruzeiro (BRA) 2×1 Racing (ARG) – Mineirão, Belo Horizonte (BRA)
23/05 – Grêmio (BRA) 1×0 Defensor (URU) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (BRA)
23/05 – Cerro Porteño (PAR) 3×2 Monagas (VEN) – General Pablo Rojas, Assunção (PAR)
23/05 – River Plate (ARG) 0x0 Flamengo (BRA) – Monumental de Núñez, Buenos Aires (ARG)
23/05 – Emelec (EQU) 0x3 Santa Fé (COL) – George Capwell, Guaiaquil (EQU)
24/05 – Atlético Nacional (COL) 0x0 Colo-Colo – Atanasio Girardot, Medelín (COL)
24/05 – Bolívar (BOL) 2×1 Delfín (EQU) – Hernando Siles, La Paz (BOL)
24/05 – Estudiantes de La Plata (ARG) 3×1 Nacional (URU) – Ciudad de La Plata, La Plata (ARG)
24/05 – Santos (BRA) 0x0 Real Garcilaso (PER) – Vila Belmiro, Santos (BRA)
24/05 – Independiente (ARG) 2×0 Deportivo Lara (VEN) – Libertadores da América, Avellaneda (ARG)
24/05 – Corinthians (BRA) 0x1 Millonarios (COL) – Arena Corinthians, São Paulo (BRA)

Classificação:
Equipe / Pontos:
Grupo A:
1. Grêmio (BRA) – 14 pontos
2. Cerro Porteño (PAR) – 13
3. Defensor (URU) – 4
4. Monagas (VEN) – 3

Grupo 2:
1. Atlético Nacional (COL) – 10
2. Colo-Colo (CHI) – 8
3. Bolívar (BOL) – 8
4. Delfín (VEN) – 7

Grupo 3:
1. Libertad (PAR) – 13
2. Atlético Tucumán (ARG) – 10
3. Peñarol (URU) – 9
4. The Strongest (BOL) – 3

Grupo 4:
1. River Plate (ARG) – 12
2. Flamengo (BRA)- 10
3. Santa Fé (COL) – 7
4. Emelec (EQU) – 1

Grupo 5:
1. Cruzeiro (BRA) – 11
2. Racing (ARG) – 11
3. Vasco (BRA) – 5
4. Universidad de Chile (CHI) – 5

Grupo 6:
1. Santos (BRA) – 10
2. Estudiantes (ARG) – 8
3. Nacional (URU) – 8
4. Real Garcilaso (PER) – 6

Grupo 7:
1. Corinthians (BRA) – 10
2. Independiente (ARG) – 10
3. Millonarios (COL) – 8
4. Deportivo Lara (VEN) – 6

Grupo 8:
1. Palmeiras (BRA) – 16
2. Boca Juniors (ARG) – 9
3. Junior Barranquilla (COL) – 7
4. Alianza Lima (PER) – 1

Parabéns aos classificados.

Por Jorge Almeida