Luto no futebol: morre Mococa, ex-volante do Palmeiras

Mococa (em destaque) nos tempos em que defendia as cores do Palmeiras. Foto: divulgação/S.E. Palmeiras

O ex-jogador Mococa morreu na noite desta última sexta-feira (8), aos 60 anos, após ser atropelado na SP-340, próximo de sua cidade-natal. Segundo informações da polícia local, o acidente aconteceu por volta das 21h30, mas o corpo do ex-atleta só foi encontrado por volta das 23h. O motorista que teria atingido o ex-volante do Palmeiras fugiu sem prestar socorro.

O Palmeiras, clube do qual o ex-volante mais se destacou, usou o perfil oficial no Twitter para lamentar a morte de seu ex-atleta: “A Sociedade Esportiva Palmeiras e a Família Palmeiras lamentam profundamente a morte repentina do nosso ex-volante Mococa, vítima de um atropelamento em sua cidade natal, e desejam muita força aos amigos e familiares.”, relatou o clube alviverde nas redes sociais.

Nascido como Gilmar Justino Dias em 10 de março de 1958 na cidade da qual carregou como apelido durante toda a vida, Mococa atuou no Palmeiras entre as décadas de 1970 e 1980 quando o clube alviverde era comandado pelo técnico Telê Santana. Por conta de sua boa marcação e vigor físico, chegou a ser cogitado para a Seleção Brasileira para a disputa da Copa do Mundo de 1982, na Espanha, mas foi preterido por Paulo Roberto Falcão. Pelo Verdão, o ex-volante fez 75 partidas e anotou 11 gols. Além do Palmeiras, Mococa jogou no Bangu, no Santos, no Noroeste, no Radium e no Rio Branco, de Americana.

Divorciado e pai de três filhos, Mococa morou sozinho nos últimos anos e foi sepultado no sábado à tarde. A Prefeitura Municipal de Mococa decretou luto oficial de três dias.

Descanse em paz, Mococa.

Por Jorge Almeida

Anúncios

CBF define os confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil 2018

CBF realizou sorteio dos confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil em sua sede. Créditos: CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou nesta quarta-feira (30), em sua sede, no Rio de Janeiro, o sorteio dos confrontos pelas quartas-de-final da Copa do Brasil 2018, assim como os mandos dos jogos de ida da próxima fase. Contudo, dois duelos das oitavas-de-final seguem indefinidos – Vasco x Bahia e Cruzeiro x Atlético Paranaense, embora baianos e mineiros estão em vantagem devido aos triunfos conquistados na partida de ida.

O adversário do Palmeiras nas quartas-de-final, na teoria, tem tudo para ser o Bahia, pois o Tricolor da Boa Terra superou o Vasco na primeira partida por 3 a 0, na Fonte Nova, em Salvador, e só disputará o jogo de volta no dia 16 de julho, um dia após a decisão da Copa do Mundo. Quem passar desse embate será o mandante do primeiro jogo das quartas-de-final diante do alviverde paulista, que deixou o América Mineiro pelo caminho.

Outro duelo das oitavas-de-final que ainda está em aberto é Cruzeiro x Atlético Paranaense. A Raposa venceu o Furacão por 2 a 1, na Arena da Baixada, em Curitiba, e joga pelo empate no compromisso de volta, no dia 16 de julho, no Mineirão. Quem avançar dos dois terá o Santos pela frente nas quartas-de-final. O Peixe, que passou pelo Luverdense na fase anterior, mandará o primeiro jogo.

Enquanto isso, do outro lado da chave, a situação dos confrontos está tudo definido. O Corinthians fará um duelo inédito na Copa do Brasil diante da Chapecoense. O Timão, que eliminou o Vitória do torneio, será o mandante do jogo de ida, possivelmente na Arena Corinthians, e decidirá a vaga para as semifinais na Arena Condá, casa da Chape, que superou o Atlético Mineiro nos pênaltis nas oitavas-de-final.

Flamengo e Grêmio já é um velho confronto conhecido da história da Copa do Brasil. As duas equipes já fizeram uma final da competição, em 1997, que culminou com o terceiro título gremista. Em 2018, pelas quartas-de-final, tricolores e rubronegros medirão forças em 180 minutos, cuja metade terá início na Arena do Grêmio e depois, provavelmente, no Maracanã.

Assim, dependendo das combinações dos resultados, nas semifinais e na final, a Copa do Brasil 2018 poderá ter reedições de decisões do certame. Eis algumas delas: Corinthians x Grêmio nas semifinais (os dois já fizeram duas decisões: em 1995 e em 2001, com um vencedor para cada lado); Palmeiras x Santos – os dois foram os finalistas em 2015, quando o Verdão ficou com a taça; Palmeiras x Cruzeiro – ambos foram protagonistas das decisões de 1996 e 1998, com um título para cada; em caso de final, a CB-18 poderá reeditar Flamengo x Vasco, que decidiram o torneio em 2006; Flamengo x Cruzeiro, finalistas em 2003 e 2017; ou, ainda, Grêmio x Cruzeiro, que duelaram a final de 1993.

A Copa do Brasil ainda poderá reservar possíveis clássicos estaduais nas próximas fases. Mas só há quatro possíveis combinações: nas semifinais com Palmeiras e Santos desde que, claro, ambos passem; ou na final com Corinthians x Palmeiras ou Corinthians x Santos e também Flamengo x Vasco. Reforçando: desde que essas equipes cheguem até lá. Na história da Copa do Brasil, em 30 edições (contando com a vigente), somente em três finais que duas equipes do mesmo Estado disputaram o título. Em 2006, com Flamengo e Vasco, com o rubronegro vitorioso; em 2014, entre Atlético Mineiro e Cruzeiro, cuja taça ficou com o Galo; e em 2015, envolvendo Palmeiras e Santos, sendo o alviverde o campeão na ocasião.

Com o chaveamento fixado, já dá para saber os possíveis embates até a final do torneio. Por exemplo, quem passar do duelo entre Corinthians x Chapecoense enfrentará nas semifinais o ganhador de Grêmio x Flamengo. Enquanto isso, do outro lado, quem vencer do confronto entre Bahia ou Vasco e Palmeiras fará a outra semifinal do vitorioso do embate entre Cruzeiro ou Atlético Paranaense x Santos.

Curiosamente, os maiores campeões da Copa do Brasil seguem no páreo: os pentacampeões Cruzeiro e Grêmio, juntamente com os tricampeões Corinthians, Flamengo e Palmeiras, além de Santos e Vasco, donos de um título cada. Enquanto isso, Bahia, Chapecoense e Atlético Paranaense buscam pela conquista inédita.

As datas previstas para a disputa dos jogos das quartas-de-final são: 1º, 8, 15 e 29 de agosto. Antes, no dia 16 de julho, as últimas duas vagas serão preenchidas.

Confira os duelos de ida:

Corinthians (SP) x Chapecoense (SC)
Grêmio (RS) x Flamengo (RJ)
Bahia (BA) ou Vasco (RJ) x Palmeiras (SP)
Santos (SP) x Atlético (PR) ou Cruzeiro (MG)

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

Encerrada a fase de grupos da Copa Libertadores da América 2018

16 equipes seguem na busca do troféu mais cobiçado da América do Sul

Com a realização de seis partidas válidas pelos grupos dois, seis e sete pela sexta rodada disputada nesta quinta-feira (24), a fase de grupos da Copa Libertadores da América 2018 foi encerrada. Ao todo, dezesseis equipes seguem no torneio em busca do troféu mais cobiçado do continente. Brasileiros e argentinos dominam o torneio (12 dos classificados são dos dois países).

Dos representantes brasileiros, só o Vasco não se classificou (a Chape havia ficado na fase preliminar), porém, por ter ficado em terceiro de seu grupo, foi contemplado para disputar a Copa Sulamericana. E, dentre os clubes do Brasil, que seguem no torneio, apenas o Flamengo que não terminou na liderança de seu grupo. Porém, o rubronegro carioca juntamente com Palmeiras, River Plate e Grêmio seguem como únicos invictos do certame. Em meio aos 16 classificados, somente Cerro Porteño, Libertad e Atlético Tucumán não sentiram o gostinho de conquistar a América. Por outro lado, os tradicionais Peñarol, Nacional e Vasco são os que tiveram o oportunidade de ganhar o torneio, mas que ficaram pelo caminho em 2018.

No grupo A, o atual campeão Grêmio confirmou o favoritismo e terminou na liderança com 14 pontos. Na quarta-feira (23), a equipe de Renato Gaúcho bateu o Defensor em sua arena por 1 a 0. Além dele, o Cerro Porteño derrotou o Monagas por 3 a 2, em Assunção, e chegou aos 13 pontos. O terceiro lugar ficou com o Defensor que, com quatro pontos, vai disputar a Copa Sulamericana.

O disputado grupo 2 terminou com o Atlético Nacional, da Colômbia, e os chilenos do Colo-Colo classificados. No Atanasio Girardot, em Medelín, as duas equipes se enfrentaram e o empate em 0 a 0 serviu para ambos. Com dez pontos, os Verdolagas ficou à frente do time cacique, que foi a oito e, se avançou, graças ao saldo de gols em relação ao terceiro colocado, o Bolívar. Com a mesma pontuação do Colo-Colo, os bolivianos bateu o Delfín em La Paz por 2 a 1 e chegou aos mesmos oito pontos, mas o saldo negativo em três gols fez com que o clube mais popular da Bolívia encerrasse a fase em terceiro.

A situação do grupo 3 foi resolvida na semana passada. No dia 17, o Libertad e o Atlético Tucumán empataram em 0 a 0 e se classificaram. Os paraguaios encerraram na liderança, com 13 pontos, e os argentinos em segundo, com dez, Na outra partida do grupo, o tradicionalíssimo Peñarol derrotou o The Strongest por 2 a 0 em Montevidéu e atingiu os nove pontos, contudo, o “pontinho precioso” conquistado pelo Tucumán em Assunção foi primordial para tirar os detentores de cinco Libertadores do páreo.

River Plate e Flamengo confirmaram o favoritismo e seguem na competição. As duas equipes mediram forças na quarta-feira (23) e o empate sem gols no Monumental de Núñez deixou os Millonarios na ponta do grupo 4 com 12 pontos, seguido do rubronegro com dez. Restou ao Santa Fé, que derrotou o Emelec fora de casa por 3 a 0 e foi a sete pontos, a vaga para a Sulamericana. Aliás, o clube equatoriano foi o verdadeiro saco de pancadas do grupo, pois, em seis jogos foram cinco derrotas e apenas um ponto ganho.

O grupo 5, que já tinha Cruzeiro e Racing classificados antecipadamente, teve a rodada derradeira disputada na terça-feira (22). O que entrou em disputa nos dois jogos foi a liderança e quem iria disputar a Copa Sulamericana. No Mineirão, o Cruzeiro engatou uma sequência de três vitórias consecutivas ao ganhar do Racing por 2 a 1. Os dois times terminaram com 11 pontos na liderança do grupo, mas a Raposa, por ter um saldo de gols maior, ficou em primeiro. O Vasco foi até o Estádio Nacional, em Santiago, e triunfou a Universidad de Chile por 2 a 0. O resultado levou os cruzmaltinos aos cinco pontos, a mesma pontuação do adversário, mas o saldo de gols, apesar de negativo, ainda foi melhor que o dos chilenos e, por isso, o terceiro lugar (agradeça os 7 a 0 que o Cruzeiro fez na LaU na quarta rodada, Vasco!).

Apesar de ter sido o único a começar a rodada já classificado pelo grupo 6, o Santos teve uma atuação sofrível diante do fraco Real Garcilaso, na Vila Belmiro nesta quinta-feira (24). O Peixe empatou em 0 a 0 contra o Raza Celeste, mas o resultado não lhe tirou a liderança. Com dez pontos, o clube praiano não foi alcançado pelo segundo colocado, que ficou com o Estudiantes de La Plata. Os Pincharratas, que fizeram um confronto direto contra o Nacional, do Uruguai, derrotaram o seu concorrente por 3 a 1 em casa e fez oito pontos, a mesma pontuação dos uruguaios, mas por um gol a mais no saldo ficou na vice-liderança. Para consolo dos Decanos, restou a Copa Sulamericana.

Assim como o Santos, o seu rival paulista Corinthians jogou na quinta e também já classificado no grupo 7. Mas, diferentemente do alvinegro praiano, o Timão foi derrotado na Arena Corinthians por 1 a 0 para o Millonarios, da Colômbia, na primeira partida de Osmar Loss, após a saída de Fábio Carille para o futebol árabe. Mesmo com o revés, o Coringão, com dez pontos, dividiu a liderança do grupo com o Independiente, que faturou o Deportivo Lara em casa por 2 a 0. E, nos mesmos moldes que alguns grupos, o saldo de gols foi favorável ao Corinthians (6 a 2). A vitória dos Embaixadores em Itaquera ajudou a levar a equipe para a Sulamericana, uma vez que, se o Timão tivesse ganhado, quem iria para a outra competição do continente seria o representante venezuelano.

E, finalmente, o grupo 8, que, na verdade foi o primeiro a ser definido, no dia 16, teve o Palmeiras e Boca Juniors classificados. Dono da melhor campanha do torneio, o alviverde derrotou o Junior Barranquilla por 3 a 1 no Allianz Parque e, com cinco vitórias e um empate, a equipe paulista deu uma “mãozinha” para os Xeneizes que, em La Bombonera, meteram 5 a 0 no Alianza Lima. A ajuda palmeirense garantiu o segundo lugar ao seu algoz das Libertadores de 2000 e 2001, que foi a nove pontos e deixou os Tiburones, com sete, em terceiro.

Dessa forma, a Copa Libertadores seguirá após a Copa do Mundo com a realização dos jogos das oitavas-de-final e, convenhamos, as chances de um confronto entre brasileiros e argentinos já na primeira parte do “mata-mata” são grandes. Porém, com a conclusão da fase de grupos, a Conmebol fará o sorteio para definir o chaveamento dos classificados no próximo dia 4 de junho em sua sede, em Luque, no Paraguai e, conforme o regulamento, a pontuação obtida na fase de grupos serve para a definição dos mandos de campo até a final, com as equipes melhores posicionadas sempre realizando o jogo de volta como local. Por exemplo, se o Palmeiras, dono da melhor campanha da fase de grupos, chegar à decisão, independentemente da trajetória de seu adversário na final, mandará o “jogo da taça” em sua casa.

A seguir, a relação dos classificados para as oitavas-de-final da Copa Libertadores, os contemplados para a Copa Sulamericana, os resultados da sexta rodada e a classificação final de cada grupo.
Primeiros colocados (por ordem de grupo): Grêmio (BRA), Atlético Nacional (COL), Libertad (PAR), River Plate (ARG), Cruzeiro (BRA), Santos (BRA), Corinthians (BRA) e Palmeiras (BRA).
Segundos colocados (por ordem de grupo): Cerro Porteño (PAR), Colo-Colo (CHI), Atlético Tucumán (ARG), Flamengo (BRA), Racing (ARG), Estudiantes (ARG), Independiente (ARG) e Boca Juniors (ARG).
Classificados para a Copa Sulamericana (por ordem de grupo): Defensor (URU), Bolívar (BOL), Peñarol (URU), Santa Fé (COL), Vasco (BRA), Nacional (URU), Millonarios (COL) e Junior Barranquilla (COL).

Data – Jogo – Local:
16/05 – Palmeiras (BRA) 3×1 Junior Barranquilla (COL) – Allianz Parque, São Paulo (BRA)
16/05 – Boca Juniors (ARG) 5×0 Alianza Lima (PER) – La Bombonera, Buenos Aires (ARG)
17/05 – Libertad (PAR) 0x0 Atlético Tucumán (ARG) – Dr. Nicolás Leoz, Assunção (PAR)
17/05 – Peñarol (URU) 2×0 The Strongest (BOL) – Campeón del Siglo, Montevidéu (URU)
22/05 – Universidad de Chile (CHI) 0x2 Vasco (BRA) – Nacional, Santiago (CHI)
22/05 – Cruzeiro (BRA) 2×1 Racing (ARG) – Mineirão, Belo Horizonte (BRA)
23/05 – Grêmio (BRA) 1×0 Defensor (URU) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (BRA)
23/05 – Cerro Porteño (PAR) 3×2 Monagas (VEN) – General Pablo Rojas, Assunção (PAR)
23/05 – River Plate (ARG) 0x0 Flamengo (BRA) – Monumental de Núñez, Buenos Aires (ARG)
23/05 – Emelec (EQU) 0x3 Santa Fé (COL) – George Capwell, Guaiaquil (EQU)
24/05 – Atlético Nacional (COL) 0x0 Colo-Colo – Atanasio Girardot, Medelín (COL)
24/05 – Bolívar (BOL) 2×1 Delfín (EQU) – Hernando Siles, La Paz (BOL)
24/05 – Estudiantes de La Plata (ARG) 3×1 Nacional (URU) – Ciudad de La Plata, La Plata (ARG)
24/05 – Santos (BRA) 0x0 Real Garcilaso (PER) – Vila Belmiro, Santos (BRA)
24/05 – Independiente (ARG) 2×0 Deportivo Lara (VEN) – Libertadores da América, Avellaneda (ARG)
24/05 – Corinthians (BRA) 0x1 Millonarios (COL) – Arena Corinthians, São Paulo (BRA)

Classificação:
Equipe / Pontos:
Grupo A:
1. Grêmio (BRA) – 14 pontos
2. Cerro Porteño (PAR) – 13
3. Defensor (URU) – 4
4. Monagas (VEN) – 3

Grupo 2:
1. Atlético Nacional (COL) – 10
2. Colo-Colo (CHI) – 8
3. Bolívar (BOL) – 8
4. Delfín (VEN) – 7

Grupo 3:
1. Libertad (PAR) – 13
2. Atlético Tucumán (ARG) – 10
3. Peñarol (URU) – 9
4. The Strongest (BOL) – 3

Grupo 4:
1. River Plate (ARG) – 12
2. Flamengo (BRA)- 10
3. Santa Fé (COL) – 7
4. Emelec (EQU) – 1

Grupo 5:
1. Cruzeiro (BRA) – 11
2. Racing (ARG) – 11
3. Vasco (BRA) – 5
4. Universidad de Chile (CHI) – 5

Grupo 6:
1. Santos (BRA) – 10
2. Estudiantes (ARG) – 8
3. Nacional (URU) – 8
4. Real Garcilaso (PER) – 6

Grupo 7:
1. Corinthians (BRA) – 10
2. Independiente (ARG) – 10
3. Millonarios (COL) – 8
4. Deportivo Lara (VEN) – 6

Grupo 8:
1. Palmeiras (BRA) – 16
2. Boca Juniors (ARG) – 9
3. Junior Barranquilla (COL) – 7
4. Alianza Lima (PER) – 1

Parabéns aos classificados.

Por Jorge Almeida

CBF sorteia os confrontos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018

Copa do Brasil 2018: CBF sorteou os confrontos das oitavas-de-final. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

* Atualizado às 20h de 26/04.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou na manhã desta sexta-feira (20), o sorteio que definiu os duelos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018. Um dia após a definição das duas últimas vagas da quarta fase, a entidade promoveu o evento que determinou quem os cinco classificados da fase anterior pegará na sequência do torneio.

Com as presenças do tetracampeão mundial Zinho e de Melina Torres no sorteio, o método dos confrontos foi simples: as oito equipes que disputam (ou disputaram no caso da Chapecoense) a Libertadores 2018 estavam nas bolinhas do pote 1, enquanto os cinco clubes classificados da quarta fase da Copa do Brasil, além de América Mineiro (campeão do Brasileiro da Série B de 2017), Luverdense (campeão da Copa Verde 2017) e Bahia (campeão da Copa do Nordeste 2017) estavam no pote 2.

Primeiro, foi sorteado as seguintes equipes do pote 1 com a seguinte ordem: Chapecoense, Cruzeiro, Vasco, Grêmio, Corinthians, Palmeiras, Flamengo e Santos. Esses clubes enfrentarão respectivamente Atlético Mineiro, Atlético Paranaense, Bahia, Goiás, Vitória, América Mineiro, Ponte Preta e Luverdense.

As partidas serão disputadas nas seguintes datas: 25 de abril, dias 2, 9, 16 e 23 de maio. No caso, os clubes do pote 1 serão os mandantes dos jogos de volta.

No mesmo dia, porém, à tarde, a CBF definiu as datas de alguns dos duelos.

Na primeira data disponível para os jogos das oitavas-de-final, duas partidas: Goiás e Grêmio, no Serra Dourada, e Vitória e Corinthians, no Barradão. Os dois embates estão previstos para às 19h30 do dia 25 de abril. Porém, as datas das partidas de volta ainda não foram definidas pela CBF. Na semana seguinte, no dia 2 de maio, Ponte Preta e Flamengo medirão forças no Moisés Lucarelli, e Atlético Mineiro receberá a Chapecoense no Independência. Enquanto isso, Cruzeiro x Atlético Paranaense, Bahia x Vasco, Santos x Luverdense vão medir forças nos dias 9 e 16 de maio. Apenas América Mineiro e Palmeiras seguem com datas indefinidas para se enfrentarem.

Curiosamente, nos oitos confrontos, há o embate entre um clube que já ganhou a competição e o outro que busca a conquista inédita.

Nos próximos dias, a CBF confirmará as datas e os horários que ainda estão pendentes.

A seguir a relação dos confrontos e as datas das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018.

*Data – Horário – Jogo – Local:
25/04 – 19h30 – Goiás (GO) 0x2 Grêmio (RS) – Serra Dourada, Goiânia (GO)
25/04 – 19h30 – Vitória (BA) 0x0 Corinthians (SP) – Barradão, Salvador (BA)
02/05 – 19h30 – Atlético (MG) x Chapecoense (SC) – Independência, Belo Horizonte (MG)
02/05 – 19h30 – Ponte Preta (SP) x Flamengo (RJ) – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
09/05 – 19h30 – América (MG) x Palmeiras (SP) – Independência, Belo Horizonte (MG)
09/05 – 19h30 – Grêmio (RS) x Goiás (GO) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
09/05 – 21h45 – Bahia (BA) x Vasco (RJ) – Fonte Nova, Salvador (BA)
10/05 – 19h30 – Corinthians (SP) x Vitória (BA) – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
10/05 – 19h30 – Flamengo (RJ) x Ponte Preta (SP) – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
10/05 – 21h45 – Santos (SP) x Luverdense (MT) – Vila Belmiro, Santos (SP)
16/05 – 19h30 – Chapecoense (SC) x Atlético (MG) – Arena Condá, Chapecó (SC)
16/05 – 19h30 – Vasco (RJ) x Bahia (BA) – São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
16/05 – 21h45 – Atlético (PR) x Cruzeiro (MG) – Arena da Baixada, Curitiba (PR)
17/05 – 19h15 – Luverdense (MT) x Santos (SP) – Passo das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
23/05 – 21h45 – Palmeiras (SP) x América (MG) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
16/07 – 20h – Cruzeiro (MG) x Atlético (PR) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
* Atualizado às 20h de 26/04/2018

Por Jorge Almeida

Vai começar o Campeonato Brasileiro 2018

O troféu mais cobiçado do futebol brasileiro. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Após a festa dos campeões estaduais pelo Brasil no último final de semana, neste final de semana, dias 14 e 15 de abril, começará mais uma edição do Campeonato Brasileiro da Série A, o popular Brasileirão. Do próximo sábado até o início de dezembro, 20 clubes de nove Estados iniciam a busca pelo título mais disputado do futebol pentacampeão do mundo ao longo de 38 rodadas. A fórmula de disputa é a mesma dos últimos anos: turno e returno por pontos corridos.

O BR-18 terá a participação de 15 dos 17 times que já sentiram o gostinho de ter sido campeão brasileiro (os outros dois são Coritiba e Guarani, que disputarão a Série B este ano). Os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro são os que têm mais representantes: quatro equipes, seguido de Minas Gerais, com três; Rio Grande do Sul, Paraná e Bahia, com dois; enquanto Santa Catarina, Pernambuco e Ceará com um time representado. As regiões Norte e Centro-Oeste não possuem clubes na principal divisão do futebol nacional.

De todos os campeões, o Atlético Mineiro é o dono da maior fila de espera: 47 anos – a última (e única) conquista atleticana foi no longínquo ano de 1971. E, desde então, com a atual denominação (Campeonato Brasileiro), apenas Cruzeiro, Flamengo, São Paulo e Santos nunca foram rebaixados para a Série B.

Amanhã, a bola rola com a realização de três partidas. Às 16h, o Cruzeiro receberá o Grêmio no Mineirão. Com as duas equipes na disputa da Taça Libertadores, pode ser que ao longo do Brasileirão ambos atuem em algumas partidas com times mistos ou totalmente reservas. A Raposa foi a última equipe campeã brasileira fora de São Paulo, em 2014. Já o Tricolor dos Pampas, detentor de dois Brasileiros, não vence o campeonato desde 1996.

No Barradão, também no sábado, mas às 19h, Vitória e Flamengo fazem e duelo rubronegro da rodada. O Leão nunca foi campeão brasileiro, o mais longe que conseguiu foi o vice-campeonato em 1993. Enquanto o Mengão é dono de cinco (ou seis) Brasileiros, sendo o último deles erguido em 2009.

Ainda no sábado, o Santos receberá o Ceará no Pacaembu. O Peixe, que conquistou o seu último campeonato em 2004, é detentor de oito troféus (contabilizando as Taças Brasil e Robertões reconhecidos pela CBF) da competição nacional. O Vozão, por sua vez, é uma das cinco equipes do certame que nunca sentiu o gostinho de ter sido campeão brasileiro.

No domingo, a rodada começa já às 11h com o atual campeão brasileiro da Série B, o América Mineiro, medindo forças com o Sport Recife, no Independência, em Belo Horizonte. O Coelho que, apesar de não ter nenhum brasileiro da primeira divisão, é dono de dois títulos da Série B, enquanto o Leão da Praça da Bandeira é o grande vencedor do BR-87, a contragosto de flamenguistas.

No mesmo dia, às 16h, três jogos envolvendo duelos de campeões brasileiros. Na Arena Corinthians, o atual campeão Corinthians encara justamente o adversário do “jogo do título” de 2017, o Fluminense. Enquanto o Timão, com seus sete brasileiros, é o maior campeão brasileiro da era dos pontos corridos, com quatro títulos, o Fluminense, dono de quatro taças, sendo duas erguidas nesta década, é o carioca mais vitorioso do Brasileirão no atual formato.

No Rio de Janeiro, em São Januário, Vasco e Atlético fazem o jogo de detentores de brasileiros que ainda não foram campeões na era dos pontos corridos. Com quatro taças na bagagem, o time cruzmaltino buscará os três pontos contra o Galo, que possui o seu único Brasileiro conquistado em 1971.

A terceira partida das 16h do domingo será protagonizada pelos finalistas do Campeonato Brasileiro de 1988: Internacional e Bahia, no Beira-Rio. Os dois clubes voltam à elite depois de terem disputado a Série B em 2017. O Colorado, que não é campeão brasileiro desde 1979, quando conquistou o torneio pela terceira vez e de forma invicta, façanha que ninguém conseguiu repetir, quer quebra o tabu de quase 40 anos sem o caneco e começa a caminhada diante do Tricolor de Aço, que comemora em 2018 os 30 anos de seu último Brasileiro.

A última partida do dia será realizada às 19h na Arena da Baixada, em Curitiba, entre Atlético Paranaense e Chapecoense. A torcida do Furacão, dono do título de 2001, espera um desempenho melhor de seu time em relação aos últimos anos, enquanto a Chape sonha em conseguir manter a sequência de permanência na primeira divisão.

Na segunda-feira, no Morumbi, São Paulo e Paraná Clube farão o duelo de tricolores da rodada. O clube paulista, que é o único a ter conquistado o Brasileirão por três anos consecutivos (2006, 2007 e 2008), espera sair da má fase com Diego Aguirre e terá como ponto de partida a equipe paranista que, embora não possua nenhum troféu da elite, é, assim como o América Mineiro, dono de duas Séries B.

E, finalmente, o Botafogo encara o Palmeiras, às 20h de segunda-feira, no Engenhão. Se por um lado, o Fogão, dentre os cariocas, é o que está há mais tempo sem ser campeão brasileiro (desde 1995), por outro lado, o alviverde, com o elenco milionário que possui, quer retomar a hegemonia – para a CBF, o Palmeiras é o maior campeão brasileiro, com nove troféus.

A seguir, a data e os horários dos jogos da primeira rodada do Brasileirão 2018.

Data – Horário – Jogo – Local:
14/04 – 16h – Cruzeiro x Grêmio – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
14/04 – 19h – Vitória x Flamengo – Barradão, Salvador (BA)
14/04 – 21h – Santos x Ceará – Pacaembu, São Paulo (SP)
15/04 – 11h – América (MG) x Sport Recife – Independência, Belo Horizonte (MG)
15/04 – 16h – Corinthians x Fluminense – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
15/04 – 16h – Vasco x Atlético (MG) – São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
15/04 – 16h – Internacional x Bahia – Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
15/04 – 19h – Atlético (PR) x Chapecoense – Arena da Baixada, Curitiba (PR)
16/04 – 20h – São Paulo x Paraná Clube – Morumbi, São Paulo (SP)
16/04 – 20h – Botafogo x Palmeiras – Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

Corinthians: campeão paulista de 2018

Os jogadores do Corinthians comemoram o bicampeonato paulista no Allianz Parque. Créditos: Marcos Ribolli

Depois de 35 anos, o Corinthians conquistou o bicampeonato paulista ao superar o Palmeiras na cobrança de pênaltis por 4 a 3, após vencer o tempo normal por 1 a 0, gol de Rodriguinho, na tarde deste domingo (8), no Allianz Parque, em São Paulo (SP). Nos tiros penais, o alvinegro teve suas cobranças convertidas por Danilo, Romero, Lucca e Maycon, enquanto Victor Luís, Marcos Rocha e Moisés acertaram os pênaltis pelo lado alviverde. Mas Dudu e Lucas Lima pararam em Cássio e Fagner mandou por cima do travessão. Esse foi o 29º Paulistão conquistado pelo alvinegro de Parque São Jorge.

A decisão nem começou direito e a vantagem palmeirense adquirida do resultado positivo no primeiro jogo sucumbiu logo a um minuto de jogo. Em ótima jogada pela esquerda, Mateus Vidal deixou Antônio Carlos para trás, chegou à linha de fundo e rolou para trás para Rodriguinho finalizar. A bola ainda desviou em Victor Luís e tirou o goleiro Jaílson do lance. Corinthians igualou a final.

O Palmeiras tentou reagir em seguida e, aos cinco, chegou às redes com Willian após completar desvio de Thiago Martins, porém, o atacante estava em impedimento.  Quatro minutos depois, Marcos Rocha bateu o lateral na área, Borja subiu e ganhou de Henrique e Cássio pelo alto e a bola passou perto da meta corinthiana. O alviverde tentou mais uma vez, aos 15, com Lucas Lima arriscando de longe, rasteiro para defesa de Cássio. O time da casa reclamou de pênalti em uma disputada entre Ralf e Borja na área, mas a arbitragem não marcou. No minuto seguinte, Dudu ajeitou para Marcos Rocha, que chegou forte e o goleiro corinthiano fez boa defesa. Aos 37, depois do escanteio, Borja subiu para cabecear e Cássio olhou a bola sair. E a etapa inicial terminou com a vitória parcial do Timão.

Para a volta do intervalo, o técnico Roger Machado sacou Willian para colocar Keno. E o panorama seguiu: Palmeiras no ataque e Corinthians esperando o contragolpe. Aos 7, em sua primeira jogada de perigo, Keno se livrou da marcação, bateu rasteiro e o camisa 12 corinthiano mandou para escanteio.

O jogo seguiu insosso, com a equipe palestrina sem conseguir criar grandes chances e a redonda seguiu rondando a grande área. Até que, aos 26, Dudu invadiu a área e teve contato com Ralf. No instante, o árbitro marcou penalidade máxima, de maneira equivocada. No entanto, diante das reclamações dos corinthianos, o grupo de arbitragem conversou no gramado e, depois de oito minutos, o juiz voltou atrás na marcação do penal e apontou escanteio. Evidentemente, jogadores e torcedores palmeirenses ficaram indignados com a mudança de Marcelo Aparecido Ribeiro.  A demora na indefinição do lance, imediatamente, fez com que rumores de “interferência externa” fosse cogitado.

Depois da confusão, a partida seguiu com os comandados de Fábio Carille conformados em querer levar a decisão para os pênaltis. Aos 45, Marcos Rocha bateu rasteiro à direta da barreira e a redonda passou muito perto do gol.

E, por conta da confusão no lance do pênalti e mais as alterações, a partida teve mais dez minutos de acréscimos. O Corinthians ainda teve uma excelente chance aos 52 minutos. Sidclay fez jogada individual pela esquerda, foi até a linha de fundo, cortou para o meio da área, chutou e a bola quase entrou no gol. Foi a última finalização ao gol do derby, que foi encerrado aos 55 minutos. O campeão paulista de 2018 sairá nas cobranças de pênaltis.

Pelo Palmeiras, Dudu iniciou a série. O camisa 7 cobrou e Cássio caiu no canto direito e defendeu. Na sequência, Danilo pôs o Timão na frente, Victor Luís empatou, Romero bateu no alto, a bola bateu no travessão e entrou – 2 a 1 pró Corinthians, Lucas Lima cobrou rasteiro e o camisa 12 corinthiano defendeu de novo. Lucca chutou forte, no meio e marcou. Marcos Rocha converteu o seu penal. Fagner teve a oportunidade de fazer o pênalti que daria o título para o Timão, mas o lateral-direito mandou por cima do travessão e pôs o rival no jogo, que coverteu sua cobrança através de Moisés que bateu no alto e no meio. Então, coube a Maycon cobrar o último pênalti e fazer o gol do título. Corinthians bicampeão paulista depois de 35 anos.

O Palmeiras entrou em campo como favorito por conta da vantagem que conquistou no primeiro jogo (vitória na Arena Corinthians por 1 a 0), ou seja, um simples empate lhe bastaria. No entanto, o gol de Rodriguinho logo a um minuto de jogo e tratou de igualar a decisão. Depois do gol, os dois times encontraram problemas na marcação, o que contribuiu para a criação de espaços para ambos aproveitarem, mas não souberam tirar proveito. E o Corinthians recuou as linhas de marcação, marcou o rival e passou a investir em contra-ataques. O lance capital veio no segundo tempo com a marcação do pênalti de Ralf em Dudu, aos 26 minutos, mas que a arbitragem voltou atrás, causando indignação por parte dos palmeirenses. O alviverde conseguiu criar algumas oportunidades, mas não obteve êxito e a decisão foi para os pênaltis, em que brilhou a estrela de Cássio, que pegou duas cobranças.

A seguir, o resumo da campanha e a ficha técnica da decisão.

Data – Jogo – Local:
Primeira Fase:
17/01 – Corinthians 0x1 Ponte Preta – Pacaembu, São Paulo (SP)
21/01 – São Caetano 0x4 Corinthians – Pacaembu, São Paulo (SP)
24/01 – Corinthians 2×1 Ferroviária – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
27/01 – Corinthians 2×1 São Paulo – Pacaembu, São Paulo (SP)
04/02 – Novorizontino 0x1 Corinthians – Jorge Ismael de Biasi, Novo Horizonte (SP)
09/02 – Santo André 2×1 Corinthians – Bruno José Daniel, Santo André (SP)
14/02 – Corinthians 0x1 São Bento – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
19/02 – Red Bull Brasil 1×1 Corinthians – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
24/02 – Corinthians 2×0 Palmeiras – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
04/03 – Santos 1×1 Corinthians – Pacaembu, São Paulo (SP)
07/03 – Corinthians 1×0 Mirassol – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
11/03 – Botafogo 0x2 Corinthians – Santa Cruz, Ribeirão Preto (SP)
Quartas-de-final:
18/03 – Bragantino 3×2 Corinthians – Pacaembu, São Paulo (SP)
22/03 – Corinthians 2×0 Bragantino – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Semifinais:
25/03 – São Paulo 1×0 Corinthians – Morumbi, São Paulo (SP)
28/03 – Corinthians (5)1×0(4) são Paulo – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Final:
31/03 – Corinthians 0x1 Palmeiras – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
08/04 – Palmeiras (3)0x1(4) Corinthians – Allianz Parque, São Paulo (SP)

FICHA TÉCNICA: PALMEIRAS (3)0x1(4) CORINTHIANS
Competição/Fase: Campeonato Paulista Série A1 – final (2º jogo)
Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data: 8 de abril de 2018, domingo – 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho e Daniel Paulo Ziolli
Cartões Amarelos: Dudu, Moisés (Palmeiras); Cássio, Romero, Fagner, Balbuena e Rodriguinho (Corinthians)
Gol: Rodriguinho, a 1 min do 1º tempo (0-1)
Pênaltis convertidos: Victor Luiz, Moisés e Marcos Rocha (Palmeiras); Danilo, Romero, Lucca e Maycon (Corinthians)
Pênaltis desperdiçados: Dudu e Lucas Lima (Palmeiras); Fagner (Corinthians)
PALMEIRAS: 42.Jaílson; 32.Marcos Rocha, 25.Antônio Carlos, 31.Thiago Martins e 25.Victor Luiz; 19.Bruno Henrique (5.Thiago Santos), 10.Moisés e 20.Lucas Lima; 7.Dudu, 29.Willian (11.Keno) e 9.Borja (16.Deyverson). Técnico: Roger Machado
CORINTHIANS: 12.Cássio; 23.Fagner, 4.Balbuena, 3.Henrique e 16.Sidcley; 15.Ralf, 8.Maycon, 10.Jadson (47.Emerson Sheik) e 26.Rodriguinho (20.Danilo); 11.Romero e 22.Matheus Vidal (30.Lucca). Técnico: Fábio Carille

Parabéns ao Sport Club Corinthians Paulista pelo título.

Por Jorge Almeida

Ponte Preta: campeã paulista sub-17 de 2017

Jogadores do sub-17 da Ponte Preta posam para a foto de campeão. Créditos: pontepreta.com.br

A Ponte Preta conquistou pela primeira vez em sua história o Campeonato Paulista Sub-17 ao derrotar o Palmeiras, de virada, por 3 a 1 no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, na manhã deste sábado (25). Depois de ter perdido o primeiro jogo por 2 a 1 para a equipe da capital, a Macaca reverteu a desvantagem a ficou com a taça. Destaque para o atacante Wallison, autor dos três gols pontepretanos, enquanto Fabrício descontou para o alviverde.

Diante de um forte calor no interior paulista, a etapa inicial começou bastante truncada no meio de campo com os dois times tendo boas oportunidades nos momentos iniciais. Pois, logo aos três minutos, o palmeirense Fabrício Nascimento aproveitou o vacilo do sistema defensivo da Ponte Preta e, de primeira, abrir o marcador para o Verdão, e aumentando ainda mais a vantagem no placar agregado até então. Mas os anfitriões, a partir de então, foi para o ataque e equilibrou o jogo.

Após tanta insistência, a Macaca campineira chegou ao empate aos 31 minutos. Wallison, em bela jogada pela direita, acionou Vitinho, que foi derrubado na área. Pênalti. Na cobrança, o camisa 11 bateu com categoria e empatou a decisão. No entanto, o resultado ainda favorecia o Palmeiras. Contudo, antes do intervalo, a Ponte Preta ainda teve uma excelente chance através de um chute forte de Matheus, que saiu por cima do travessão, tirando tinta da meta defendida por Magrão.

Precisando da vitória, a equipe campineira voltou para o segundo tempo com tudo e pressionou os visitantes. Não foi à toa que a virada não tardou. Aos 23, Wallison recebeu na entrada da área, girou já limpando dos zagueiros e de direita mandou a bola para as redes, colocando os anfitriões na frente. Depois do gol sofrido, o Palmeiras tentou igualar o andamento do jogo, porém, levava pouco perigo ao gol defendido pelo inspirado Yago.

Motivado e acreditando na possibilidade de conquistar o título diante de sua torcida, a Ponte seguiu atacando e o motivado Wallison anotou o seu terceiro gol aos 42 minutos. O atacante recebeu na entrada da área e bateu com categoria, sem dar chances para Magrão, que só viu a redonda entrar em sua meta. Com o resultado, a equipe de Campinas só administrou o jogo até o apito final do árbitro Flávio Roberto Mineiro Ribeiro.

No entanto, infelizmente, o clima ficou quente dentro de campo com os jogadores e membros das duas comissões técnicas trocando empurrões e ofensas de ambos os lados. E, enquanto isso, o árbitro da partida expulsou jogadores das duas equipes, entre eles, o goleiro Yago, da Ponte Preta, mas, como a Macaca havia feito as alterações máximas permitidas, o atacante Matheus foi para o gol com a camisa 12, que é do goleiro reserva Gabriel. Devido ao ocorrido, a partida foi até os 54 minutos, mas a Macaca segurou o resultado e, depois de dois jogos equilibrados, fez 4 a 3 no placar agregado e ficou com o título.

Apesar de não poder contar com o seu artilheiro na partida derradeira do campeonato, John Kleber, que estava contundido, a Ponte Preta manteve o bom rendimento na fase final e, dono de uma campanha impecável, com 26 vitórias em 32 jogos disputados no Estadual, conseguiu reverter a vantagem palmeirense no jogo de volta e, parte disso, se deve à manhã inspirada do atacante Wallison, que fez os três gols da decisão e conduziu a Macaca ao título inédito. Por outro lado, apesar do vice-campeonato, o Palmeiras fez a segunda melhor campanha do certame, com 24 vitórias, dois empates e quatro derrotas. Além disso, as atenções da molecada sub-17 do alviverde estarão voltadas para a segunda partida da final da Copa do Brasil da categoria contra o Corinthians, que será disputada na próxima semana, no Pacaembu, e o time palmeirense tem a vantagem do empate por conta da vitória por 1 a 0 em plena Arena Corinthians na última quarta-feira.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão.

Primeira Fase (Grupo 5):
08/04 – Ponte Preta 7×1 Atibaia – Wanderley José Vicentini, Pedreira (SP)
15/04 – Amparo 1×5 Ponte Preta – Ítalo José Limongi, Indaiatuba (SP)
21/04 – Ponte Preta 1×0 Red Bull Brasil – Wanderley José Vicentini, Pedreira (SP)
29/04 – Paulista 1×5 Ponte Preta – C.E. Francisco Dal Santo, Jundiaí (SP)
06/05 – Bragantino 1×4 Ponte Preta – Cícero de Souza Marques, Bragança Paulista (SP)
13/05 – Ponte Preta 3×0 Brasilis FC Ltda. – Wanderley José Vicentini, Pedreira (SP)
20/05 – Mogi Mirim 0x6 Ponte Preta – Vail Chaves, Mogi Mirim (SP)
27/05 – Atibaia 0x1 Ponte Preta – Salvador Russani, Atibaia (SP)
03/06 – Ponte Preta 4×0 Amparo – Wanderley José Vicentini, Pedreira (SP)
10/06 – Red Bull Brasil 0x3 Ponte Preta – CT Red Bull Brasil, Jarinu
15/06 – Ponte Preta 4×1 Paulista – Wanderley José Vicentini, Pedreira (SP)
24/06 – Ponte Preta 5×0 Bragantino – Wanderley José Vicentini, Pedreira (SP)
01/07 – Brasilis FC Ltda. 0x7 Ponte Preta – CT do Brasília – Águas de Lindóia (SP)
08/07 – Ponte Preta 3×1 Mogi Mirim – Wanderley José Vicentini, Pedreira (SP)
Segunda fase (Grupo 14):
29/07 – Guarulhos 1×2 Ponte Preta – Dr. Cícero Miranda, Guarulhos (SP)
05/08 – Ponte Preta 1×1 Marília – Wanderley José Vicentini, Pedreira (SP)
12/08 – Ponte Preta 1×1 CA Diadema – Luiz Perissinotto, Paulínia (SP)
19/08 – CA Diadema 1×2 Ponte Preta – Distrital Vila Alice, Diadema (SP)
26/08 – Marília 1×2 Ponte Preta – Bento de Abreu Sampaio Vidal, Marília (SP)
02/09 – Ponte Preta 3×1 Guarulhos – Wanderley José Vicentini, Pedreira (SP)
Terceira fase (Grupo 18):
09/09 – Mirassol 1×4 Ponte Preta – José Maria de Campos Maia, Mirassol (SP)
16/09 – Ponte Preta 0x1 Desportivo Brasil – Wanderley José Vicentini, Pedreira (SP)
23/09 – São Paulo 2×3 Ponte Preta – CT Laudo Natel, Cotia (SP)
30/09 – Ponte Preta 0x1 São Paulo – Luiz Perissinotto, Paulínia (SP)
07/10 – Desportivo Brasil 0x1 Ponte Preta – CT Desportivo Brasil, Porto Feliz (SP)
14/10 – Ponte Preta 2×1 Mirassol – Wanderley José Vicentini, Pedreira (SP)
Quartas-de-final:
21/10 – América (SP) 2×0 Ponte Preta – Benedito Teixeira, São José do Rio Preto (SP)
28/10 – Ponte Preta 2×0 América (SP) – Wanderley José Vicentini, Pedreira
Semifinais:
04/11 – Corinthians 1×2 Ponte Preta – Alfredo Schuring, São Paulo (SP)
11/11 – Ponte Preta 0x0 Corinthians – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
Final:
19/11 – Palmeiras 2×1 Ponte Preta – Novelli Junior, Itu (SP)
25/11 – Ponte Preta 3×1 Palmeiras – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)

FICHA TÉCNICA: PONTE PRETA 3×1 PALMEIRAS
Competição/Fase: Campeonato Paulista Sub-17 2017 – final (2º jogo)
Data: 25 de novembro de 2017 – sábado, 11h (horário de Brasília)
Local: Estádio Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
Árbitro: Flávio Roberto Mineiro Ribeiro
Assistentes: Thiago Henrique Almeida Alborghetti e Guilherme Holanda Moura Lima
Cartões Amarelos: Vinícius (Ponte Preta); Lucas Rosa, Tomas, Alan e Aníbal Gabriel (Palmeiras)
Cartões Vermelhos: Xavier, Júlio Vítor e Yago (Ponte Preta); Alan, Aníbal Gabriel e Marcus Meloni (Palmeiras)
Gols: Fabrício Nascimento, aos 3 min (0-1); e Wallison, aos 31 min do 1º tempo (1-1); aos 23 min (2-1) e aos 42 min do 2º tempo (3-1)
PONTE PRETA: 1.Yago; 2.Matias (18.Júlio Vítor), 3.Léo, 4.Vitão e 6.Abner; 5.Xavier (Gabriel Feliciano), 10.Ramon e 8.Matheus (15.Igor Maduro); 7.Juninho (17.Matheus Ribeiro), 11.Wallison e 9.Vitinho (14.Paulo Junior). Técnico: Max Sandro
PALMEIRAS: 1.Magrão; 2.Lucas Rosa (15.Barbosa), 3.Vitão, 4.Willian (13.Gustavo) e 6.Esteves; 5.Marcus Meloni, 8.Patrick, 10.Alan e 11.Tomás (14.Luan Cândido); 7.Fabrício Nascimento e 9.Guilherme Ferraz (18.Aníbal Gabriel). Técnico: Artur Itiro

Parabéns a Associação Atlética Ponte Preta pelo título.

Por Jorge Almeida