Definidos os semifinalistas da Copa do Brasil 2017

O último semifinalista saiu nesta quinta-feira (28) Foto: Rafael Ribeiro/CBF

A partida entre Atlético Paranaense e Grêmio disputada na noite de quinta-feira (27) na Arena da Baixada, em Curitiba, definiu o último classificado para as semifinais da Copa do Brasil – os outros classificados saíram na quarta-feira. Com isso, Flamengo, Botafogo, Cruzeiro e Grêmio disputarão as duas vagas para a final da competição que é o caminho mais curto para a Libertadores 2018. As datas dos duelos entre Flamengo x Botafogo e Cruzeiro x Grêmio acontecerão nos dias 16 e 23 de agosto. O sorteio dos mandos de campo acontecerá às 11h de segunda-feira (31), na sede da CBF, no Rio de Janeiro.

Na quarta-feira, ocorreu três dos quatro confrontos das quartas-de-final. E o primeiro classificado da noite foi o Botafogo. No Nilton Santos, o time da Estrela Solitária não tomou conhecimento do Atlético Mineiro e o atropelou por 3 a 0, com gols de Carli, Roger e Gilson. Dessa forma, o Glorioso reverteu a derrota sofrida do Galo no primeiro jogo (vitória atleticana por 1 a 0) e fez 3 a 1 no agregado e avançou em busca do inédito título.

O adversário do Fogão é um velho conhecido do clube de General Severiano: é o Flamengo, que passou pelo Santos. Em um jogo marcado por polêmica, o rubronegro foi derrotado na Vila Belmiro por 4 a 2 pelo alvinegro praiano. Contudo, apesar de as duas equipes tenham empatado no placar agregado em 4 a 4 – no jogo de ida, o rubronegro venceu por 2 a 0, o Flamengo passou de fase por conta dos gols marcados fora de casa. A partida chamou atenção por conta da marcação de pênalti a favor da casa pelo árbitro Leandro Vuaden, mas o quarto árbitro o consultou e fez com que ele voltasse da decisão. Na ocasião, a partida estava empatada em 1 a 1. Evidentemente que a não marcação da penalidade causou a ira dos santistas, que acusaram a anulação do lance teve interferência externa. Polêmicas à parte, o Peixe lutou muito, mas não conseguiu o quinto gol e o Fla segue vivo na busca do tetra da Copa do Brasil.

Do outro lado da chave, no duelo dos ex-Palestras, melhor para o mineiro. Em Belo Horizonte, no Mineirão, o Cruzeiro empatou em 1 a 1 com o Palmeiras e, assim como o Flamengo, foi beneficiado pelos gols fora de casa. A Raposa, que empatou com o alviverde no combate de ida no Allianz Parque em 3 a 3, conseguiu a vaga com o tento de Diego marcado aos 40 minutos do segundo tempo. O Palmeiras tinha saído na frente do placar com o gol de Keno. Coincidentemente, da mesma forma que Flamengo e Santos, os finalistas das edições de 1996 e 1998 da Copa do Brasil empataram em 4 a 4 no agregado.

E, finalmente, o último classificado. Todavia, apesar de ter consolidado a vaga derradeira, o Grêmio, dentre os semifinalistas, era o que tinha a maior vantagem nos embates das quartas-de-final. O Tricolor gaúcho havia feito em sua arena 4 a 0 no Atlético Paranaense. No entanto, ainda que tenha entrado na Arena da Baixada com a acachapante vantagem, os comandados de Renato Portaluppi não relaxaram em campo e derrotaram o Furacão por 3 a 2, frustrando ainda mais o rubronegro paranaense que fazia a centésima partida na sua reformada casa.

Conforme o chaveamento definido anteriormente pela CBF, uma semifinal será feita com o clássico carioca entre Flamengo e Botafogo e a outra terá uma reedição do duelo da mesma fase do ano passado: Cruzeiro e Grêmio que, juntos, somam nove Copas do Brasil. Logo, o Botafogo é o único dentre os semifinalistas que ainda não conquistou o torneio.

Ao todo, serão quatro grandes jogos e, claro, quem passar irá disputar a grande final em dois jogos que serão realizados nos dias 7 de setembro e 12 de outubro, ambos na quinta-feira e feriados nacionais.

E que vença o melhor.

Por Jorge Almeida

Encerrada a quarta fase da Copa do Brasil

Copa do Brasil: cinco equipes passaram da quarta fase para as oitavas-de-final nesta noite. Foto: Rafael Ribeiro/CBF

E não foi a Europa que teve um dia de decisões nesta quarta-feira (19), na terra brasilis também tivemos disputa de vagas com a realização de cinco jogos válidos pela quarta fase da Copa do Brasil 2017. Cinco equipes avançaram para as quartas-de-final da competição e se juntarão aos representantes brasileiros na Libertadores, além de Santa Cruz (campeão da Copa do Nordeste), Paysandu (ganhador da Copa Verde) e Atlético Goianiense (vencedor do Campeonato Brasileiro da Série B), todos em 2016, na próxima fase do torneio nacional. Dois dos cinco duelos, dois foram decididos nos pênaltis.

Campeão da competição em 2008, o Sport Recife foi até Joinville enfrentar o time da casa. Depois de abrir o placar, o Leão da Ilha sofreu a virada do JEC e, como havia vencido o primeiro jogo pelo mesmo placar (2 a 1), o confronto foi para os pênaltis. Nos tiros penais, destaque para o goleiro Magrão, que defendeu duas cobranças e ajudou o rubronegro pernambucano a avançar depois de fazer 4 a 3 na equipe anfitriã.

Assim como o Sport, o Internacional se classificou nos pênaltis. Depois de empatarem em 1 a 1 nas duas partidas disputadas contra o Corinthians, o Colorado levou a melhor nos tiros penais por 4 a 3 e colaborou para mais uma eliminação corinthiana em sua arena. Essa foi a sexta vez que o Timão sucumbiu na Arena Corinthians em torneios eliminatórios, o segundo pela Copa do Brasil.

Em Curitiba, o Paraná Clube empatou em 0 a 0 com o Vitória no Durival de Brito. Como venceu o compromisso de ida, em Salvador, por 2 a 0, a equipe paranista seguiu adiante no certame.

O Fluminense não tomou conhecimento do Goiás e fez 3 a 0 no clube esmeraldino no Maracanã. Os gols da partida, marcados pelos zagueiros Henrique e Nogueira e do atacante Pedro, aconteceram no segundo tempo. E, assim, o Tricolor das Laranjeiras reverteu a desvantagem do primeiro jogo quando perdera, de virada, por 2 a 1 no Serra Dourada, e avançou para as oitavas-de-final.

Mesmo derrotado no Mineirão pelo São Paulo por 2 a 1, o Cruzeiro continua no certame. O Tricolor do Morumbi saiu na frente com Lucas Pratto, enquanto Thiago Neves, em cobrança de falta que contou com o desvio na barreira empatou para a Raposa, e Gilberto, por sua vez, pôs a equipe paulista na frente. Porém, apesar da vitória, a equipe de Rogério Ceni deu adeus à competição por conta do placar agregado (3 a 2), pois se tivesse feito o terceiro gol, empataria no saldo, mas se classificaria por conta do gol fora de casa.

Com os resultados de hoje, Sport, Internacional, Paraná, Fluminense e Cruzeiro se juntarão aos representantes brasileiros na Libertadores – Chapecoense, Palmeiras, Santos, Atlético Mineiro, Atlético Paranaense, Flamengo, Grêmio e Botafogo – e a Santa Cruz, Paysandu e Atlético Goianiense para disputarem as oitavas-de-final da Copa do Brasil.

O sorteio dos confrontos dessa fase será realizado pela Diretoria de Competições da CBF nesta quinta-feira (20), às 12h, na sede da entidade, no Rio de Janeiro. E às 15h serão definidos os mandos de campo dos oito duelos.

Para o sorteio, as dezesseis equipes serão divididas em dois potes. O pote A é formado pelos oito clubes que disputam a Libertadores e que entram direto nas oitavas. Enquanto o pote B é composto pelos classificados da quarta fase da Copa do Brasil e também por Santa Cruz, Paysandu e Atlético Goianiense. Cada equipe do pote A enfrenta um time do pote B.

Dessa forma, a Copa do Brasil poderá ter clássicos locais logo nas oitavas-de-final. Dependendo do que ocorrer no sorteio, a competição poderá ter nessa fase um Grenal, um Atlético Mineiro e Cruzeiro, um Fla-Flu ou Fluminense e Botafogo.

Parabéns aos classificados.

Por Jorge Almeida

CBF sorteou os confrontos da quarta fase da Copa do Brasil

CBF definiu os confrontos da quarta fase da Copa do Brasil em sua sede. Crédito: reprodução

E não foi só na Europa que teve sorteio para os torneios de mata-mata. Na terra brasilis, a CBF realizou também nesta sexta-feira (17) a definição dos cinco duelos válidos pela quarta fase da Copa do Brasil 2017. Os confrontos nesta fase acontecerão nos dias 5 ou 12 de abril e 12 ou 19 do mesmo mês. Destaque para dois clássicos do futebol brasileiro nesta altura do certame: Corinthians contra Internacional e São Paulo versus Cruzeiro.

O Timão fará dois jogos que prometem contra o Internacional. O primeiro será realizado no Beira-Rio e a volta na Arena Corinthians. Diante da rivalidade que cresceu nos últimos anos entre os dois clubes, o confronto é encarado como “uma questão de honra”. O Inter está engasgado com os paulistas por conta do vice-campeonato do polêmico brasileiro de 2005 e do segundo lugar da Copa do Brasil de 2009. Já muitos corinthianos até hoje não engoliram a suposta entrega colorada para o Goiás na última rodada do Brasileirão de 2007 que culminou com o rebaixamento do time de Parque São Jorge e, consequentemente, a permanência do clube esmeraldino.

O outro confronto marca uma reedição da final da Copa do Brasil de 2000. O São Paulo receberá o Cruzeiro no Morumbi e depois tentará definir sua sorte no Mineirão para continuar (ou não) em busca do inédito título do torneio nacional.

O único embate que ainda segue definido é com relação ao adversário do Vitória, que será ASA ou Paraná Clube. Depois de eliminar o Vasco, o Leão da Barra está à espera do ganhador do confronto entre alagoanos e paranaenses que acontecerá no dia 6 de abril, em Curitiba. O primeiro jogo, realizado no interior alagoano, terminou em 0 a 0.

Campeão em 2008, o Sport Recife encara o Joinville. O compromisso de ida será em Recife e a volta será na casa do JEC. E o outro confronto terá Goiás contra Fluminense. O clube esmeraldino abre a série jogando em casa e irá até o Rio de Janeiro confrontar o Tricolor das Laranjeiras.

A quarta fase da Copa do Brasil é a última antes das oitavas-de-final, estágio do qual terá as presenças dos brasileiros que disputam a Libertadores (Palmeiras, Grêmio, Santos, Flamengo, Atlético Mineiro, Botafogo, Atlético Paranaense e Chapecoense), e também os campeões da Copa do Nordeste (Santa Cruz), da Copa Verde (Paysandu) e do Campeonato Brasileiro da Série B do ano passado (Atlético Goianiense).

Assim como a quarta fase, os duelos das oitavas-de-final serão realizados mediante sorteio na sede da CBF.

A seguir, a definição dos confrontos da quarta fase da Copa do Brasil.

Sport (PE) x Joinville (SC)*
Fluminense (RJ)* x Goiás (GO)
Vitória (BA) x ASA (AL)*/Paraná (PR)*
Corinthians (SP)* x Internacional (RS)
Cruzeiro (MG)* x São Paulo (SP)

* Equipes que mandarão os jogos de volta

Por Jorge Almeida

Grêmio: campeão da Copa do Brasil 2016

Jogadores do Grêmio erguem a taça da Copa do Brasil na Arena do Grêmio. Foto: Rodrigo Rodrigues/CBF
Jogadores do Grêmio erguem a taça da Copa do Brasil na Arena do Grêmio. Foto: Rodrigo Rodrigues/CBF

O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense é o mais novo campeão da Copa do Brasil. A equipe comandada por Renato Gaúcho empatou em 1 a 1 com o Atlético Mineiro na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, na noite desta quarta-feira (7) e conquistou o seu quinto título da história da competição, o que faz dele o maior vencedor do certame. Como havia vencido o primeiro jogo no Mineirão por 3 a 1, o Tricolor dos Pampas fez 4 a 2 no placar agregado e ficou com a taça. Os gols da decisão só saíram nos minutos finais. Aos 43, com Bolaños para os donos da casa e, três minutos depois, com Cazares para os visitantes. Campeão do torneio em 1989, 1994, 1997, 2001 e 2016, o Grêmio desempatou com Cruzeiro em número de títulos (5 a 4).

Antes de a bola rolar, mais homenagens à Chapecoense. A torcida do Grêmio ergueu uma imensa bandeira com a camisa do clube catarinense. No gramado, além das bandeiras dos finalistas e do Brasil, entraram as bandeiras da Chapecoense e da Colômbia. Os dois times entraram em campo com uma tarja preta no braço em sinal de luto e também um patch da Chape na parte do meio da camisa e, inclusive, o quinteto de arbitragem, que se apresentou de verde. E, no minuto de silêncio, um soldado da Brigada Militar tocou a marcha fúnebre, o que gerou, de fato, um absoluto silêncio. Ao redor do soldado, os atletas das duas equipes e profissionais de imprensa ficaram abraçados e misturados. E, nas arquibancas, muitas homenagens por parte da torcida para a Chapecoense, e também muitas lágrimas. Enfim, um louvável tributo aos heróis campeões da América.

O jogo começou com o Atlético disposto a buscar o gol ainda no primeiro tempo para diminuir a vantagem gremista. Tanto que a primeira chance de gol foi dos mineiros logo aos 3 minutos. Fábio Santos cruzou e Júnior Urso cabeceou por cima. Quatro minutos depois foi a vez de Lucas Pratto arriscar e mandar a bola rente à meta de Marcelo Grohe. Luan também, aos 11, chutou de longe e praticamente mandou a redonda para o mesmo lugar que o argentino.

Até a metade da etapa inicial parecia que o Galo estava no Mineirão (ou no Horto), mas o Grêmio acertou a marcação e começou a equilibrar as ações. A primeira chance do Tricolor dos Pampas veio aos 19 minutos através de uma cobrança de falta de Douglas, que passou por cima da meta de Victor. Mas o Atlético voltou a pressionar e perdeu outra chance aos 29 com Robinho, que cabeceou por cima após cruzamento de Fábio Santos.

Embora a equipe mineira estivesse ligeiramente melhor postada em campo, a principal oportunidade de gol do primeiro tempo foi do Grêmio. Aos 39, Douglas deu um passe genial de letra para Everton que avançou sozinho, mas na hora de finalizar, chutou em cima de Victor, que fez grande defesa. E, assim, o jogo seguiu brigado até o final do primeiro tempo. Todavia, os atleticanos reclamaram do (pouco) tempo de acréscimo dado pelo árbitro Luiz Flavio de Oliveira.

Precisando desesperadamente do placar, o Atlético Mineiro veio para o “tudo ou nada” na etapa complementar. Na volta do intervalo, o técnico interino Diego Giacomini sacou Junior Urso e colocou Maicosuel. E, assim como no primeiro tempo, o Galo fez uma blitz no campo de defesa do Grêmio nos minutos iniciais. Mas, a aguerrida equipe de Renato Gaúcho mostrou-se segura e impediu os ímpetos atleticanos. E, aos 25, o treinador atleticano deu mais uma cartada: tirou Leandro Donizete e colocou o equatoriano Cazares, pois, precisava de dois gols pelo menos em 20 e poucos minutos.

A partida caiu um pouco de produção e os dois times passaram a brigar bastante pela bola, inclusive com divididas mais ríspidas. Aos 39, na sobra de um escanteio para o Galo, Gabriel arriscou de longe e mandou a esférica por cima da meta de Grohe.

E, como o Atlético pressionava, ficou sujeito ao contragolpe. E foi exatamente assim que, aos 43, o equatoriano Bolaños fez a alegria dos gremistas. A bola passou pelo camisa 23, chegou em Everton, que bateu rasteiro e cruzado, mas a zaga atleticana não afastou e o próprio Bolaños completou para o fundo do gol, 1 a 0 para o Grêmio. Festa Tricolor na Arena. Três minutos depois foi a vez do compatriota do gol gremista roubar a cena e fazer um gol do estilo “que nem Pelé conseguiu”. Aos 46, Cazares viu Grohe adiantado e arriscou antes do meio de campo e fazer um golaço por cobertura. Empate atleticano. Contudo, já era tarde.

Antes de a partida terminar, o tempo fechou. Jogadores do Atlético foram para cima de Bolaños, que foi protegido pelos companheiros. Mas não teve jeito, fim de jogo na Arena do Grêmio, empate em 1 a 1 e o Imortal Tricolor é o campeão da Copa do Brasil 2016. E, após o apito final, jogadores das duas equipes trocaram agressões, mas foram rapidamente contidos.

Na comemoração, mais homenagens aos mortos na Colômbia. Marcelo Grohe fez homenagens aos goleiros Danilo e Follman (que sobreviveu), além de Matheus Biteco e Willian Thiego, que jogaram no Grêmio. Antes de receberem a taça, os jogadores do Tricolor fizeram um círculo no meio do gramado e oraram.

Depois de adquirir uma boa vantagem no jogo de ida, o Grêmio entrou em campo com o regulamento debaixo do braço. Ou seja, sabia que o Atlético iria para cima para reverter a desvantagem de dois gols adquiridos no confronto de ida. Assim, Renato Gaúcho e seus comandados atuaram um pouco recuados à espera do Galo para poder partir em contragolpes. E isso praticamente foi o panorama do jogo. Porém, embora tenha finalizado mais e se mantendo com a posse de bola, o Atlético não deu grandes sustos para Marcelo Grohe. Além disso, as principais chances foram do Grêmio, como a desperdiçada por Everton no primeiro tempo. Na etapa final, o andamento não mudou muito. Até que nos minutos finais, os equatorianos entraram em cena. Primeiro foi Bolaños, aos 43, e Cazares com um golaço aos 46. Mas o primeiro gol da partida marcado pelo Grêmio praticamente sacramentou o título e pôs o fim ao incômodo tabu de quinze anos sem conquistas relevantes do Tricolor gaúcho.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da final.

Oitavas-de-final:
24/08/2016 – Atlético (PR) 0x1 Grêmio (RS) – Arena da Baixada, Curitiba (PR)
21/09/2016 – Grêmio (RS) (4)0x1(3) Atlético (PR) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
Quartas-de-final:
28/09/2016 – Grêmio (RS) 2×1 Palmeiras (SP) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
19/10/2016 – Palmeiras (SP) 1×1 Grêmio (RS) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
Semifinais:
26/10/2016 – Cruzeiro (MG) 0x2 Grêmio (RS) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
02/11/2016 – Grêmio (RS) 0x0 Cruzeiro (MG) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
Final:
23/11/2016 – Atlético (MG) 1×3 Grêmio (RS) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
07/12/2016 – Grêmio (RS) 1×1 Atlético (MG) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)

FICHA TÉCNICA: GRÊMIO (RS) 1×1 ATLÉTICO (MG)
Competição/fase: Copa do Brasil 2016 – final (2º jogo)
Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
Data: 7 de dezembro de 2016, quarta-feira, 21h45 (horário de Brasília)
Público total: 55.337 pessoas (52.233 pagantes e 3.104 não pagantes)
Renda: R$ 5.105.964,00
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Kleber Lucio Gil (SC)
Cartões Amarelos: Erazo, Fábio Santos e Lucas Pratto (Atlético Mineiro); Bolaños (Grêmio)
Gols: Bolaños, aos 43 min do 2º tempo (1-0); e Cazares, aos 46 min do 2º tempo (1-1)
GRÊMIO (RS): 1.Marcelo Grohe; 33.Edílson, 3.Geromel, 4.Kannemann e 26.Marcelo Oliveira; 12.Walace, 8.Maicon, 17.Ramiro (25.Jaílson), 11.Everton (6.Fred) e 10.Douglas (23.Bolaños); 7.Luan. Técnico: Renato Portaluppi
ATLÉTICO (MG): 1.Victor; 2.Marcos Rocha, 31.Gabriel, 4.Erazo e 39.Fábio Santos; 5.Rafael Carioca, 21.Junior Urso (70.Maicosuel) e 8.Leandro Donizete (11.Cazares); 27.Luan (18.Lucas Cândido), 7.Robinho e 9.Lucas Pratto. Técnico: Diego Giacomini

Parabéns ao Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense pela conquista

Por Jorge Almeida

CBF define os confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil

Copa do Brasil: de 86 equipes apenas oito seguem na competição. Foto: Rafael Ribeiro/CBF
Copa do Brasil: de 86 equipes apenas oito seguem na competição. Foto: Rafael Ribeiro/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou em sua sede nesta segunda-feira (31) o sorteio que definiram os confrontos pelas quartas-de-final da Copa do Brasil 2015. Além dos duelos, a entidade definiu também a ordem dos mandos e ainda divulgou o chaveamento da competição até a final.

O chaveamento das quartas de final já define os adversários até a grande decisão ficou assim: o vencedor da chave 1 enfrentará o vencedor da chave 2 e o vencedor da chave 3 jogará contra o vencedor da chave 4.

Na chave 1, o São Paulo enfrentará o Vasco. A primeira partida será realizada no Morumbi e a segunda no Rio de Janeiro, possivelmente no Maracanã. Quem vencer pegará o ganhador do duelo entre Figueirense e Santos (chave 2), que farão o jogo de ida no Orlando Scarpelli e decidirão a vaga para as semifinais provavelmente na Vila Belmiro. Ou seja, há possibilidade de termos um “SanSão” nas semifinais do certame.

Do outro lado do chaveamento, o Internacional medirá forças com o Palmeiras. O compromisso de ida será realizado no Beira-Rio e a definição do terceiro semifinalista será no Allianz Parque, em São Paulo. E, finalmente, o duelo de tricolores encerra a lista de confrontos das quartas-de-final. Pela chave 4, o Fluminense encara o Grêmio no Maracanã e depois vai a Porto Alegre decidir a vaga para a fase seguinte na casa do rival. Assim como há possibilidade da realização do clássico paulista nas semifinais, pode ser possível que tenhamos um Grenal na sequência.

Só há duas possibilidades da Copa do Brasil ter uma decisão estadual: se o Palmeiras chegar até a decisão para pegar Santos ou São Paulo. Ou se Vasco e Fluminense superarem os seus respectivos adversários para chegarem até a decisão para, então, fazerem a final carioca da competição. E, só uma curiosidade: dos oito participantes que restam do certame, apenas São Paulo e Figueirense não conquistaram a Copa do Brasil ainda.

A Diretoria de Competições da CBF está para divulgar as datas, os horários e os locais (possivelmente os citados acima) da realização das partidas.

Dessa forma, os confrontos da Copa do Brasil 2015 ficaram assim:

São Paulo* x Vasco
Figueirense* x Santos
Internacional* x Palmeiras
Fluminense* x Grêmio

* Equipes mandantes do jogo de ida.

Por Jorge Almeida

Copa do Brasil terá clássicos locais e repetecos de decisões nas oitavas

Copa do Brasil: das 16 equipes que restaram, 10 já conquistaram a competição. Foto: Rafael Ribeiro/CBF
Copa do Brasil: das 16 equipes que restaram, 10 já conquistaram a competição. Foto: Rafael Ribeiro/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou nesta terça-feira (4) em sua sede o sorteio dos confrontos para as oitavas-de-final da Copa do Brasil 2015. A partir dessa fase, o torneio conta com a presença dos representantes brasileiros que disputaram a Libertadores – Cruzeiro, Atlético Mineiro, São Paulo, Corinthians e Internacional. As definições dos mandantes e das datas dos confrontos foram decididos no mesmo dia. Dentre os duelos, destaques para os clássicos estaduais entre Flamengo x Vasco; Corinthians x Santos, além do confronto entre os ex-Palestras: Palmeiras x Cruzeiro. As partidas dessa fase acontecerão nos dias 19 e 20 de agosto (os de ida) e 26 e 27 do mesmo mês, os da volta, evidentemente.

No pote 1, estavam os times que participaram da Copa Libertadores da América de 2015 mais o Fluminense (melhor classificado no Brasileirão 2014 que não disputou a competição sulamericana), além dos dois melhores times no ranking da CBF (Flamengo e Grêmio) que se classificaram da terceira fase. No pote 2, ficaram os outros oito times que classificaram da terceira fase. Para os jogos das oitavas, o sorteio determina os confrontos dos times do pote 1 contra o pote 2 e quais times decidirão o confronto em casa.

Antes do início do sorteio, o diretor de Competições da entidade, Manoel Flores, anunciou duas novidades para a atual edição do certame: os confrontos das quartas-de-final também serão definidos por sorteio e o gol fora de casa não será adotado no critério de desempate na decisão.

De acordo com o sorteio, Santos e Corinthians farão o clássico paulista das oitavas-de-final da Copa do Brasil. O duelo de alvinegros promete. O time da Vila Belmiro vai em busca da revanche pela eliminação da Libertadores 2012 diante do rival que, por sua vez, quer descontar a goleada sofrida pelo clube praiano no ano passado pelo Campeonato Paulista. O mando do primeiro jogo é do Santos, que não descarta a possibilidade de atuar no Pacaembu. Possivelmente, o Timão não abrirá mão de sua arena, em Itaquera, para o confronto decisivo.

Outro clássico estadual que acontecerá nessa fase da Copa do Brasil será realizado entre Flamengo e Vasco, que já decidiram a edição 2006 da competição – vencida pelo rubronegro. Mandante do primeiro jogo, a equipe da Gávea espera ter a mesma sorte que tivera na finalíssima disputada há nove anos. Já os cruzmaltinos, apesar de estarem em uma situação complicada na tabela do Brasileirão, acreditam que poderão repetir o desempenho que tiveram no “Clássico dos Milhões” realizado pela nona rodada do campeonato nacional.

Palmeiras e Cruzeiro fazem o “clássico dos Palestras”. As duas equipes já decidiram a mesma Copa do Brasil duas ocasiões (1996 e 1998) com um título para cada lado. A Raposa, que não está na mesma situação em relação ao ano passado quando liderava o Brasileiro a passos largos, está se reestruturando após um primeiro semestre desastroso para as suas pretensões terá páreo duro pela frente diante do alviverde que, apesar do tropeço da última rodada, está em formação e tem a seu favor uma pessoa que conhece como ninguém o time Celeste: o técnico Marcelo Oliveira, bicampeão brasileiro pelo Cruzeiro. O Palmeiras será o mandante do compromisso de ida, que, possivelmente, será realizado em sua nova arena.

O confronto entre Coritiba e Grêmio é o duelo dos opostos. Enquanto o Coxa luta para fugir do rebaixamento, o Tricolor dos Pampas, por sua vez, está em ascensão. Se histórico na competição fosse levado em conta no embate, o Grêmio levaria ampla vantagem, pois é detentor de quatro títulos enquanto o time paranaense acumula dois vice-campeonatos (2011 e 2012). O primeiro jogo, provavelmente, será realizado na Arena do Grêmio, na capital gaúcha.

São Paulo e Ceará será o único confronto das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2015 que não terá uma equipe que tenha conquistado o torneio. No entanto, as duas equipes já “bateram na trave” ao amargarem um vice-campeonato: o Tricolor perdeu a decisão de 2000 para o Cruzeiro e o Vozão foi superado pelo Grêmio em 1994. Pela camisa e pelo momento que ambas equipes vivem na temporada, o São Paulo, mandante do jogo de ida, é o amplo favorito no duelo. Mas o Ceará tem a seu favor a história das “zebras” que sempre apareceu ao longo dos 26 anos da competição e, talvez, por fazer a segunda partida em casa, um bom resultado no Morumbi poderá fazer o time acreditar que é possível.

Atual campeão da competição, o Atlético Mineiro enfrentará o Figueirense. Líder do Campeonato Brasileiro no momento, o Galo vem forte no torneio e, apesar de deixar claro que o foco é conquistar o bicampeonato brasileiro, os comandados de Levir Culpi não descarta a possibilidade de abocanhar a Copa do Brasil também e, de quebra, repetir o feito do arquirrival Cruzeiro em 2003 quando esse faturou o torneio, mais o Brasileirão e o Campeonato Mineiro. Por outro lado, o Figueira vem como “franco atirador” e quer surpreender para, quem sabe, fazer o mesmo em 2007: chegar à decisão. O primeiro jogo terá mando do Atlético, logo, a possibilidade de ser no Independência é grande.

Campeão da Copa do Brasil de 2007, o Fluminense terá pela frente nessas oitavas-de-final o Paysandu. Terceiro colocado do BR-15, o Tricolor das Laranjeiras quer reviver os bons tempos e aposta na dupla Fred e Ronaldinho Gaúcho para chegar à Libertadores, seja via Brasileirão ou Copa do Brasil. Enquanto isso, o Papão espera surpreender o Brasil novamente como fizera em 2003 quando bateu o Boca Juniors em plena La Bombonera. Mas, os tempos são outros, e o Fluminense, que fará o primeiro duelo em casa, é o amplo favorito.

E, finalmente, Internacional e Ituano. O Colorado, que não conquista um título nacional há mais de 20 anos, encara a equipe de Itu, que entrou na competição credenciada pelo título paulista do ano passado. Considerado favorito para o duelo, O Inter será o mandante do primeiro jogo. O Galo acredita que pode surpreender o tricampeão brasileiro e crê também no histórico de zebras que a Copa do Brasil proporciona a cada ano.

Um fato que chamou atenção no evento realizado na sede da CBF foi quando uma das modelos que fazia o sorteio soltou a bolinha no momento em que seria definido o adversário do Flamengo. Segundo relatos, a moça pegou a bolinha, levou um susto ao ouvir um grito “cuidado, hein!” de um dos jornalistas que acompanhava o evento. Assim, ela teria se assustado e colocado a esfera no pote e pegou outra bolinha depois. O fato gerou controvérsias nas redes sociais.

Com os duelos determinados, as oito equipes que seguirem na competição participarão de um novo sorteio para definir o alinhamento do torneio até a decisão.

A seguir, como ficaram os jogos de ida e volta da Copa do Brasil, os mandantes estão do lado esquerdo.

Jogos de ida – dias 19 ou 20 de agosto:
Santos (SP) x Corinthians (SP)
Flamengo (RJ) x Vasco (RJ)
Palmeiras (SP) x Cruzeiro (MG)
Grêmio (RS) x Coritiba (PR)
São Paulo (SP) x Ceará (CE)
Atlético (MG) x Figueirense (SC)
Fluminense (RJ) X Paysandu (PA)
Internacional (RS) x Ituano (SP)

Jogos de volta – dias 26 ou 27 de agosto:
Corinthians (SP) x Santos (SP)
Vasco (RJ) x Flamengo (RJ)
Cruzeiro (MG) x Palmeiras (SP)
Coritiba (PR) x Grêmio (RS)
Ceará (CE) x São Paulo (SP)
Figueirense (SC) x Atlético (MG)
Paysandu (PA) x Fluminense (RJ)
Ituano (SP) x Internacional (RS)

É esperar para ver.

Por Jorge Almeida

Atlético MG: campeão da Copa do Brasil 2014

Leonardo Silva ergue a taça da Copa do Brasil: festa atleticana no Mineirão. Foto: Douglas Magno
Leonardo Silva ergue a taça da Copa do Brasil: festa atleticana no Mineirão. Foto: Douglas Magno

Com gol de Diego Tardelli aos 46 minutos do primeiro tempo, o Atlético Mineiro venceu o Cruzeiro por 1 a 0 e conquistou pela primeira vez em sua história a Copa do Brasil na noite desta quarta-feira (26) no Mineirão. Além de jogar água no chope do arquirrival, que vinha de conquista do Brasileirão, o Galo encerrou o ano sem derrotas para a Raposa. Ao longo de 2014 foram sete jogos com quatro vitórias (duas pelas finais da Copa do Brasil e duas pelo Brasileirão) e três empates. No placar agregado, a equipe de Levir Culpi fez 3 a 0 no time de Marcelo Oliveira, que acumula agora três vice-campeonatos da competição (os outros dois foram pelo Coritiba em 2011 e 2012).

Apesar de ter entrado em campo com a vantagem de 2 a 0, o Atlético foi quem adotou uma postura mais ofensiva. Enquanto isso, o Cruzeiro tentava atacar o adversário na base do toque de bola, mas a forte marcação atleticana mostrou-se eficiente e o contra-ataque tornou-se a principal arma do time de Levir Culpi, que, inclusive, criou as principais chances de gol.

A primeira delas veio aos sete minutos quando Luan fez bela jogada pela direita e cruzou para Tardelli, que não conseguiu completar. Cinco minutos depois, Marcos Rocha saiu na cara de Fábio, que fez a defesa parcialmente, mas a bola sobrou para Diego Tardelli que mandou pelas redes do lado de fora.

O Cruzeiro só teve a sua primeira oportunidade aos 15 minutos. Ricardo Goulart recebeu a bola pela meia direita, ajeitou na grande área e na hora de finalizar não acertou a redonda em cheio e o chute saiu torto.

O Galo foi tomando conta do meio-campo e, mesmo atuando como visitante no Mineirão, se sentiu em casa e dominou o jogo. Aos 24, Dátolo cobrou falta pela esquerda e Diego Tardelli, na pequena área, desviou com o joelho e mandou por cima do gol. E os atleticanos ainda perderam Luan aos 30 minutos por conta de uma lesão. Porém, o seu substituto, Maicosuel, entrou bem no jogo.

A partir da saída do camisa 27 alvinegro que a Raposa foi equilibrando as ações do jogo, mas foi o Atlético que continuou criando as melhores chances. Aos 42, Fábio, mais uma vez, fez uma defesa parcial e Dátolo mandou por cima. E, antes do intervalo, aos 47, o Galo foi recompensado pela superioridade. Dátolo cruzou da direita para a cabeçada certeira de Diego Tardelli. 1 a 0 para o Atlético que praticamente liquidou a fatura a partir daí.

Com a enorme vantagem, o Atlético Mineiro diminuiu o ritmo, mas não descuidou da forte marcação, que foi fundamental para anular as principais ações ofensivas do Cruzeiro. E ainda perdeu uma chance clara com Maicosuel em cima da linha, mas sem ângulo para conseguir a conclusão. Já o Cruzeiro, restou adiantar a marcação, tentar pressionar e ficar exposto aos contragolpes do arquirrival. E, mesmo assim, só criou uma chance com Ricardo Goulart, que finalizou pelas redes do lado de fora. O Galo ainda quase fez o segundo gol aos 30 minutos através de um petardo de Dátolo que acertou o travessão do arqueiro celeste.

E à medida que a partida ia para seus momentos finais, a torcida atleticana cantava no Gigante da Pampulha abafando os gritos cruzeirenses, que eram maioria nas arquibancadas. Enquanto isso, no Estádio Independência, onde ficou concentrado boa parte dos atleticanos que não conseguiram ou não puderam ir ao Mineirão, a festa já rolava.

Quando o árbitro paulista Luis Flávio de Oliveira apitou o fim da partida, a festa alvinegra tomou conta de Belo Horizonte e consolidou de vez o futebol mineiro nesse biênio de 2013 e 2014 que teve o Cruzeiro bicampeão brasileiro e o Atlético campeão da Libertadores e, agora, o mais novo ganhador da Copa do Brasil e, ambos, mais que garantidos na principal competição sulamericana em 2015.

Cruzeiro e Atlético fizeram a segunda decisão “caseira” da história da Copa do Brasil (a primeira foi entre Flamengo e Vasco em 2006). E tudo prometia que seria uma final bastante equilibrada e disputada. Mas o Galo mostrou-se superior nas duas partidas e praticamente não deixou o rival jogar ao colocar em prática a forte marcação e apresentar um contra-ataque rápido com Luan e Diego Tardelli. E, motivados pelas vitórias épicas diante de Corinthians e Flamengo nas fases anteriores, os comandados de Levir Culpi não se intimidaram diante do bicampeão brasileiro e mostraram para o Brasil que o Cruzeiro pode até ser um time temido, mas não é páreo suficiente para o Galo. Enfim, o título da Copa do Brasil está em boas mãos e merecidamente. E só uma crítica aos administradores do Mineirão: em virtude do preço inflacionado do ingresso, infelizmente, quem gosta de ver um bom jogo de futebol em especial em um estádio cheio, ficou desapontado ao ver a parte central das arquibancadas do Mineirão “cinza” (praticamente vazia) por conta da ausência do torcedor que, justamente, se recusou a pagar R$ 1.000,00 para ver uma partida de futebol. Lamentável.

A seguir, o resumo da campanha (lembrando que por ter participado da Libertadores, o Atlético só entrou na Copa do Brasil a partir das oitavas-de-final) e a ficha técnica da final.

Oitavas-de-final:
27/08/2014 – Palmeiras (SP) 0x1 Atlético (MG) – Pacaembu, São Paulo (SP)
04/09/2014 – Atlético (MG) 2×0 Palmeiras (SP) – Independência, Belo Horizonte (MG)
Quartas-de-final:
1º/10/2014 – Corinthians (SP) 2×0 Atlético (MG) – Arena Corinthians, São Paulo  (SP)
15/10/2014 – Atlético (MG) 4×1 Corinthians (SP) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Semifinais:
29/11/2014 – Flamengo (RJ) 2×0 Atlético (MG) – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
05/11/2014 – Atlético (MG) 4×1 Flamengo (RJ) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Finais:
12/11/2014 – Atlético (MG) 2×0 Cruzeiro (MG) – Independência, Belo Horizonte (MG)
26/11/2014 – Cruzeiro (MG) 0x1 Atlético (MG) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)

FICHA TÉCNICA: CRUZEIRO (MG) 0x1 ATLÉTICO (MG)
Competição/fase: Copa do Brasil 2014 – final (segundo jogo)
Local: Estádio Governador Magalhães Pinto (Mineirão) – Belo Horizonte (MG)
Data: 26 de novembro de 2014 – 22h (horário de Brasília)
Árbitro: Luís Flávio de Oliveira (SP)
Assistentes: Marcelo Van Gasse (SP) e Emerson de Carvalho (SP)
Cartões Amarelos: Rafael Carioca, Luan, Maicosuel, Leonardo Silva e Dátolo para o Atlético Mineiro; Willian e Egídio para o Cruzeiro
Cartão Vermelho: Leandro Donizete
Gol: Diego Tardelli, aos 46 min do 1º tempo
CRUZEIRO (MG): 1.Fábio; 2.Ceará, 3.Léo, 4.Bruno Rodrigo e 6.Egídio; 8.Henrique, 19.Nilton, 17.Éverton Ribeiro, 25.Willian e 28.Ricardo Goulart; 18.Marcelo Moreno. Técnico: Marcelo Oliveira
ATLÉTICO (MG): 1.Victor; 2.Marcos Rocha, 3.Leonardo Silva, 35.Jemerson e 94.Douglas Santos; 8.Leandro Donizete, 18.Rafael Carioca e 23.Dátilo; 9.Diego Tardelli, 27.Luan e 13.Carlos. Técnico: Levir Culpi

Parabéns ao Clube Atlético Mineiro pela conquista.

Por Jorge Almeida