CBF definiu os confrontos da primeira fase da Copa do Brasil 2019

CBF realizou o sorteio da Copa do Brasil 2019 em sua sede na noite desta quinta-feira (13). Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou na noite desta quinta-feira (13), em sua sede, no Rio de Janeiro, o sorteio dos duelos válidos pela primeira fase da Copa do Brasil 2019. A competição tem o início previsto para o próximo dia 6 de fevereiro e, inicialmente, envolve 80 clubes e mais onze a partir das oitavas-de-final (quarta fase).

As equipes participantes foram ordenadas conforme a posição no Ranking Nacional de Clubes (RNC) e divididos em oito grupos de dez clubes cada, identificados pelas letras que vão de A a H. Se, por ventura, mais de uma equipe possua o mesmo posicionamento no RNC, é considerado o Ranking Nacional de Federalções (RNF) para efeito de ordenação.

Em cada grupo, os times são ordenados em função da sua posição no RNC, e tal posicionamento determinará a sequência do sorteio. Os dez clubes melhores ranqueados – excluídos os já classificados para a 4ª fase – farão parte do Grupo A, os dez seguintes do Grupo B, os próximos dez do Grupo C, e assim sucessivamente até se formar o Grupo H.

O sorteio para definição do posicionamento de cada clube no Diagrama de Fases obedeceu a seguinte sequência de grupos: A, B, C, D, H, G, F e por último o grupo E. Os confrontos entre clubes dos grupos serão: A x E, B x F, C x G e D x H.

Um pote com dez bolas numeradas de 1 a 10 definiu em qual das 10 chaves do Diagrama da Competição cada clube se posicionou. O evento definiu também os mandantes da fase seguinte, que estão em verde no chaveamento abaixo.

O chaveamento da primeira fase da Copa do Brasil. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF05

Dos 80 participantes da primeira fase do torneio, Corinthians, Juventude, Fluminense, Vasco, Sport Recife, Santos e Criciúma já sentiram o gostinho de ter erguido a Copa do Brasil em sua história. E, de todos os campeões da história do torneio, apenas o Paulista de Jundiaí e o Santo André não disputarão a edição 2019 da competição “mais democrática do país”.

As equipes que entrarão a partir das oitavas-de-final serão: Palmeiras (campeão brasileiro), Flamengo, Grêmio, Internacional, São Paulo e Atlético Mineiro (melhores colocados no Campeonato Brasileiro 2018), Cruzeiro (campeão da Copa do Brasil), Athletico Paranaense (campeão da Copa Sulamericana), Paysandu (campeão da Copa Verde), Sampaio Corrêa (campeão da Copa do Nordeste) e Fortaleza (campeão brasileiro da Série B).

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Cruzeiro: campeão da Copa do Brasil 2018

Jogadores do Cruzeiro erguem o troféu da Copa do Brasil na Arena Corinthians. Créditos: Lívia Villas-Boas Staff Images

O Cruzeiro é o primeiro representante brasileiro garantido na Copa Libertadores da América 2019. O clube celeste sagrou-se campeão da Copa do Brasil na noite desta quarta-feira (17) ao derrotar o Corinthians na Arena Corinthians, em São Paulo, por 2 a 1 (gols de Robinho e Arrascaeta, pelo Cruzeiro, e Jadson, de pênalti, para o time da casa). Como havia saído vencedor no primeiro jogo (vitória por 1 a 0), em Belo Horizonte, a Raposa fez 3 a 1 no agregado e ficou com o caneco. Além disso, o feito fez do Cruzeiro ser o maior vencedor do certame, com seis títulos e o primeiro a erguer a taça da Copa do Brasil por duas vezes consecutivas. Enquanto isso, esse foi a primeira final que o Corinthians perdeu em sua nova casa.

A decisão começou truncada no meio de campo, com muitas faltas e sem finalização, situação que perdurou nos 20 primeiros minutos do jogo. A primeira oportunidade de gol foi do Cruzeiro. Aos 20, a defesa do Corinthians vacilou, Barcos escorou para Thiago Neves, que chutou mascado e a bola sobrou para Cássio. Minutos mais tarde, aos 27, Léo Santos deu bobeira, foi desarmado por um cruzeirense, que avançou e acionou Barcos, que puxou para a perna direita e mandou a bola na trave e, na volta, Robinho pegou a sobra e finalizou sem dar chances para Cássio: gol do Cruzeiro, 1 a 0. O árbitro Wagner do Nascimento chegou a consultar o VAR para saber se houve falta no camisa 14 corinthiano, mas confirmou o tento do time celeste.

Com a vantagem no placar, a equipe de Mano Menezes tentou tirar proveito do nervosismo dos donos da casa e, com isso, quase ampliaram o placar aos 33. Thiago Neves cobrou falta pela esquerda e Dedé deu uma cabeçada que mais parecia um chute e acertou a trave direita da meta corinthiana. A primeira chance real do Corinthians veio apenas aos 35. Jadson cobrou falta do lado direito, Henrique subiu sozinho para cabecear e mandar a redonda à esquerda do gol defendido por Fábio. Os visitantes ainda chegaram mais uma vez com perigo aos 38. Em bola levantada na área por Thiago Neves, o capitão Henrique errou o alvo.

O Timão arriscou mais duas vezes, mas não chegou a assustar. Primeiro com Fagner, que fez boa jogada, mas finalizou para longe, e depois, aos 46, com Jonathas, que recebeu cruzamento de Danilo Avelar e pegou fraco na bola.

No começo do segundo tempo, o Corinthians tratou de correr atrás do prejuízo e, a princípio, deu certo. Aos cinco minutos, em jogada na área cruzeirense, Thiago Neves se atira em uma disputa com Ralf, o volante corinthiano caiu e o árbitro Wagner do Nascimento recorreu à tela do VAR e entendeu que o camisa 10 do Cruzeiro tocou na canela de Ralf e marcou penalidade. Na cobrança, Jadson cobrou no canto direito de Fábio, que pulou para o lado oposto, e empatou a partida: 1 a 1.

A igualdade no placar colocou os comandados de Jair Ventura vivos na decisão, mas o eficiente time de Mano Menezes tentou não demonstrar nervosismo e, aos 15, quase marcou o segundo. Thiago Neves (sempre ele) cobrou falta, Jonathas desviou na primeira trave e o zagueiro Léo finalizou para o arqueiro alvinegro defender em cima da linha. Empurrado pela Fiel, o Timão deu o troco aos 17. Após bela jogada de Romero, o paraguaio chegou à linha de fundo e cruzou para Jonathas, que se antecipou a Léo, e cabeceou de raspão. Enquanto isso, o nome de Pedrinho começava a ser entoado nas arquibancadas.

Com o camisa 38 em campo, o Corinthians chegou a marcar o segundo gol, justamente com ele. Pedrinho recebeu a bola e acertou um chutaço no ângulo de Fábio, mas, para infelicidade dele e da fiel, o mesmo VAR que auxiliou na marcação do pênalti em Ralf, flagrou uma falta de Jadson em Dedé no início da jogada, embora houvesse o contato do meia corinthiano, o zagueiro cruzeirense não foi atingido no rosto, conforme simulara ao levar a mão na suposta parte atingida.

O Corinthians tentou mais uma vez, aos 34, com Danilo Avelar, que cabeceou fraco o cruzamento feito por Pedrinho. Mas, dois minutos depois, o “tiro de misericórdia” do Cruzeiro. Em uma saída em contra-ataque, Raniel lançou Arrascaeta, que saiu nas costas da defesa do Corinthians, partiu em velocidade e, com categoria, deu um toque na saída de Cássio e fez o gol do título.

O tento do clube mineiro caiu como um balde de água fria para o alvinegro. Aos 40, Jadson cobrou escanteio, Henrique ajeitou para a pequena área e Danilo Avelar, com pouco apoio, isolou a bola.

Com a situação praticamente definida, o Cruzeiro administrou o resultado e ficou à espera do apito final de Wagner do Nascimento para comemorar o sexto título da Copa do Brasil. E, antes disso, a partida ainda foi paralisada por conta dos sinalizadores acesos pela torcida da Raposa. Mas, aos 52 minutos, a partida foi finalizada com vitória do Cruzeiro por 2 a 1 na Arena Corinthians e mais um título para a Toca da Raposa.

O Cruzeiro fez por merecer o título da Copa do Brasil 2018. Com a vantagem adquirida no jogo de ida (vitória por 1 a 0), o time copeiro de Mano Menezes aproveitou da necessidade do adversário e fez a sua parte e tirou proveito dos erros dos corinthianos, vide o lance bisonho de Léo Santos na jogada inicial do primeiro gol cruzeirense. Além disso, o Cruzeiro marcou muito bem e não deixou o Corinthians chegar à sua área, destaque para o ótimo desempenho da dupla de zaga Léo e Dedé. Firmes, os dois defensores não deram moleza para o fragilizado ataque alvinegro. O Timão esboçou uma reação quando conseguiu o empate com o pênalti convertido por Jadson, graças à intervenção do VAR. Diferentemente do comandante cruzeirense, que tem o time nas mãos, o perdido Jair Ventura demorou para colocar Pedrinho em campo e, após a entrada do camisa 38, o Timão até chegou a virar, mas a arbitragem de vídeo “dedurou” a falta cometida por Jadson em Dedé. Além disso, por precisar do resultado, o treinador corinthiano escalou mal a equipe (precisando vencer, Ventura colocou dois volantes de marcação – Gabriel e Ralf -, em vez de ousar e escalar um time mais ofensivo). O desespero do Timão foi fundamental para Arrascaeta conseguir ainda fazer o gol do título nos minutos finais e decretar 3 a 1 para o Cruzeiro no agregado e, assim, fazer do time mineiro o maior campeão da Copa do Brasil, com seis conquistas, sendo três delas em cima do trio de ferro do futebol paulista – Palmeiras, em 1996; São Paulo, em 2000; e Corinthians, em 2018. Vale enaltecer a campanha vitoriosa do Cruzeiro, que entrou na fase de oitavas-de-final da Copa do Brasil por ter disputado a Libertadores, e conseguiu vencer todas as partidas que fez na casa do adversário. A superioridade do Cruzeiro diante do Corinthians na final da Copa do Brasil foi tanta que, de todos os confrontos da Raposa no torneio, esse foi o único em que o clube celeste vencera as duas partidas. Já do outro lado, o sinal de alerta está mais que ligado. Além de ter de lidar com a perda do título do torneio nacional, o Corinthians terá de ficar atento a outro adversário: a temível zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Com 35 pontos e ocupando atualmente o 11º lugar da tabela, o Timão está a quatro pontos do Z4 e precisa angariar alguns pontos para evitar repetir o pesadelo de 2007, quando o clube caiu para a Série B.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão.

Oitavas-de-final:
16/05 – Atlético (PR) 1×2 Cruzeiro (MG) – Arena da Baixada, Curitiba (PR)
16/07 – Cruzeiro (MG) 1×1 Atlético (PR) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Quartas-de-final:
1º/08 – Santos (SP) 0x1 Cruzeiro (MG) – Vila Belmiro, Santos (SP)
15/08 – Cruzeiro (MG) (3)1×2(0) Santos (SP) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Semifinais:
12/09 – Palmeiras (SP) 0x1 Cruzeiro (MG) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
26/09 – Cruzeiro (MG) 1×1 Palmeiras (SP) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Final:
10/10 – Cruzeiro (MG) 1×0 Corinthians (SP) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
17/10 – Corinthians (SP) 1×2 Cruzeiro (MG) – Arena Corinthians, São Paulo (SP)

FICHA TÉCNICA: CORINTHIANS (SP) 1×2 CRUZEIRO (MG)
Competição/Fase:
Copa do Brasil 2018 – final (segundo jogo)
Local: Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Data: 17 de outubro de 2018, quarta-feira – 21h50 (horário de Brasília)
Público Total: 46.571 torcedores
Público Pagante: 45.978 pessoas
Renda: R$ 5.108.151,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ) e Bruno Boschilia (PR)
Cartões Amarelos: Ralf, Gabriel, Emerson Sheik, Fagner, Jadson e Clayson (Corinthians); Rafinha, Thiago Neves e Robinho (Cruzeiro)
Gols: Robinho, aos 27 min do 1º tempo (0-1); Jadson, aos 9 min (1-1) e Arrascaeta, aos 36 min do 2º tempo (1-2)
CORINTHIANS (SP): 12.Cássio; 23.Fagner, 14.Léo Santos, 3.Henrique e 35.Danilo Avelar; 15.Ralf, 5.Gabriel (22.Matheus Vital) e 10.Jadson; 47.Emerson Sheik (25.Clayson), 11.Romero e 7.Jonathas (38.Pedrinho). Técnico: Jair Ventura
CRUZEIRO (MG): 1.Fábio; 22.Edílson, 26.Dedé, 3.Léo e 29.Lucas Romero; 8.Henrique, 5.Ariel Cabral e 30.Thiago Neves (16.Lucas Silva); 18.Rafinha (10.Arrascaeta), 19.Robinho e 28.Barcos (17.Raniel). Técnico: Mano Menezes

Parabéns ao Cruzeiro Esporte Clube pela conquista.

Por Jorge Almeida

Cruzeiro e Corinthians decidirão a Copa do Brasil 2018

Copa do Brasil 2018: final inédita será disputada entre Corinthians e Cruzeiro. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Com a realização das partidas de volta válidas pelas semifinais da Copa do Brasil 2018 disputadas simultaneamente na noite desta quarta-feira (26), a competição terá Cruzeiro e Corinthians como finalistas. As duas equipes, atuando em casa, eliminaram Palmeiras e Flamengo, respectivamente. A CBF fará o sorteio nos mandos de campo nesta quinta-feira (27), em sua sede. Embora tenham oito títulos do torneio juntos, os dois clubes nunca se confrontaram na decisão da Copa do Brasil.

Atual campeão, o Cruzeiro empatou com o Palmeiras no Mineirão em 1 a 1, com Barcos anotando o tento celeste enquanto Felipe Melo empatou para os alviverdes. No entanto, por ter saído vencedor da partida de ida realizada no Allianz Parque, em São Paulo, a equipe comandada por Mano Menezes se classificou para a segunda final consecutiva da Copa do Brasil e, em caso de conquista, o time mineiro será o primeiro a ganhar a competição por duas vezes em sequência, algo inédito até então.  O lamentável da partida ficou por conta da briga generalizada pelos jogadores das duas equipes após o término do jogo.

Na outra semifinal, no clássico do povo, o Corinthians levou a melhor sobre o Flamengo ao derrota-lo por 2 a 1 na Arena Corinthians, em São Paulo.  Os gols da partida foram marcados por Danilo Avellar e Pedrinho (que precisou de apenas 37 segundos para anotar o tento da classificação) para o Timão e o zagueiro alvinegro Henrique marcou contra a favor dos rubro-negros. Como as duas equipes empataram no Maracanã no compromisso de ida em 0 a 0, o Corinthians fez 2 a 1 no agregado e disputará a sua sexta final de Copa do Brasil. A última vez que chegou à decisão foi em 2009 e, na ocasião, o Corinthians levou a melhor diante do Internacional.

Cruzeiro e Corinthians já se enfrentaram pela Copa do Brasil em edições anteriores, mas não em uma final, em cinco ocasiões. Os mineiros levaram a melhor em três (em 1996, 1998 e 2016 – todas na fase de quartas-de-final), e os paulistas saíram vitoriosos em duas (em 1991 e 2002, ambos nas oitavas-de-final). Além disso, os dois times já decidiram o Campeonato Brasileiro de 1998, que foi vencido pelo Timão.

Com cinco taças do certame, o Cruzeiro poderá se consagrar como o maior campeão da Copa do Brasil caso conquiste o título, pois, ficará com seis troféus, deixando o Grêmio em segundo com cinco. Mas, se o Corinthians levar a taça para o Parque São Jorge, o Timão acumulará quatro Copas do Brasil em sua sala de troféus e deixará Palmeiras e Flamengo para trás no número de títulos do certame. Atualmente, os três clubes detém três Copas do Brasil cada.

Além de levar a taça e garantir uma vaga na Copa Libertadores da América em 2019, o campeão da Copa do Brasil receberá uma bolada de R$ 50 milhões.

As datas das partidas da final serão confirmadas pela CBF em breve.

Por Jorge Almeida

CBF define os confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil 2018

CBF realizou sorteio dos confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil em sua sede. Créditos: CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou nesta quarta-feira (30), em sua sede, no Rio de Janeiro, o sorteio dos confrontos pelas quartas-de-final da Copa do Brasil 2018, assim como os mandos dos jogos de ida da próxima fase. Contudo, dois duelos das oitavas-de-final seguem indefinidos – Vasco x Bahia e Cruzeiro x Atlético Paranaense, embora baianos e mineiros estão em vantagem devido aos triunfos conquistados na partida de ida.

O adversário do Palmeiras nas quartas-de-final, na teoria, tem tudo para ser o Bahia, pois o Tricolor da Boa Terra superou o Vasco na primeira partida por 3 a 0, na Fonte Nova, em Salvador, e só disputará o jogo de volta no dia 16 de julho, um dia após a decisão da Copa do Mundo. Quem passar desse embate será o mandante do primeiro jogo das quartas-de-final diante do alviverde paulista, que deixou o América Mineiro pelo caminho.

Outro duelo das oitavas-de-final que ainda está em aberto é Cruzeiro x Atlético Paranaense. A Raposa venceu o Furacão por 2 a 1, na Arena da Baixada, em Curitiba, e joga pelo empate no compromisso de volta, no dia 16 de julho, no Mineirão. Quem avançar dos dois terá o Santos pela frente nas quartas-de-final. O Peixe, que passou pelo Luverdense na fase anterior, mandará o primeiro jogo.

Enquanto isso, do outro lado da chave, a situação dos confrontos está tudo definido. O Corinthians fará um duelo inédito na Copa do Brasil diante da Chapecoense. O Timão, que eliminou o Vitória do torneio, será o mandante do jogo de ida, possivelmente na Arena Corinthians, e decidirá a vaga para as semifinais na Arena Condá, casa da Chape, que superou o Atlético Mineiro nos pênaltis nas oitavas-de-final.

Flamengo e Grêmio já é um velho confronto conhecido da história da Copa do Brasil. As duas equipes já fizeram uma final da competição, em 1997, que culminou com o terceiro título gremista. Em 2018, pelas quartas-de-final, tricolores e rubronegros medirão forças em 180 minutos, cuja metade terá início na Arena do Grêmio e depois, provavelmente, no Maracanã.

Assim, dependendo das combinações dos resultados, nas semifinais e na final, a Copa do Brasil 2018 poderá ter reedições de decisões do certame. Eis algumas delas: Corinthians x Grêmio nas semifinais (os dois já fizeram duas decisões: em 1995 e em 2001, com um vencedor para cada lado); Palmeiras x Santos – os dois foram os finalistas em 2015, quando o Verdão ficou com a taça; Palmeiras x Cruzeiro – ambos foram protagonistas das decisões de 1996 e 1998, com um título para cada; em caso de final, a CB-18 poderá reeditar Flamengo x Vasco, que decidiram o torneio em 2006; Flamengo x Cruzeiro, finalistas em 2003 e 2017; ou, ainda, Grêmio x Cruzeiro, que duelaram a final de 1993.

A Copa do Brasil ainda poderá reservar possíveis clássicos estaduais nas próximas fases. Mas só há quatro possíveis combinações: nas semifinais com Palmeiras e Santos desde que, claro, ambos passem; ou na final com Corinthians x Palmeiras ou Corinthians x Santos e também Flamengo x Vasco. Reforçando: desde que essas equipes cheguem até lá. Na história da Copa do Brasil, em 30 edições (contando com a vigente), somente em três finais que duas equipes do mesmo Estado disputaram o título. Em 2006, com Flamengo e Vasco, com o rubronegro vitorioso; em 2014, entre Atlético Mineiro e Cruzeiro, cuja taça ficou com o Galo; e em 2015, envolvendo Palmeiras e Santos, sendo o alviverde o campeão na ocasião.

Com o chaveamento fixado, já dá para saber os possíveis embates até a final do torneio. Por exemplo, quem passar do duelo entre Corinthians x Chapecoense enfrentará nas semifinais o ganhador de Grêmio x Flamengo. Enquanto isso, do outro lado, quem vencer do confronto entre Bahia ou Vasco e Palmeiras fará a outra semifinal do vitorioso do embate entre Cruzeiro ou Atlético Paranaense x Santos.

Curiosamente, os maiores campeões da Copa do Brasil seguem no páreo: os pentacampeões Cruzeiro e Grêmio, juntamente com os tricampeões Corinthians, Flamengo e Palmeiras, além de Santos e Vasco, donos de um título cada. Enquanto isso, Bahia, Chapecoense e Atlético Paranaense buscam pela conquista inédita.

As datas previstas para a disputa dos jogos das quartas-de-final são: 1º, 8, 15 e 29 de agosto. Antes, no dia 16 de julho, as últimas duas vagas serão preenchidas.

Confira os duelos de ida:

Corinthians (SP) x Chapecoense (SC)
Grêmio (RS) x Flamengo (RJ)
Bahia (BA) ou Vasco (RJ) x Palmeiras (SP)
Santos (SP) x Atlético (PR) ou Cruzeiro (MG)

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

CBF sorteia os confrontos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018

Copa do Brasil 2018: CBF sorteou os confrontos das oitavas-de-final. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

* Atualizado às 20h de 26/04.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou na manhã desta sexta-feira (20), o sorteio que definiu os duelos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018. Um dia após a definição das duas últimas vagas da quarta fase, a entidade promoveu o evento que determinou quem os cinco classificados da fase anterior pegará na sequência do torneio.

Com as presenças do tetracampeão mundial Zinho e de Melina Torres no sorteio, o método dos confrontos foi simples: as oito equipes que disputam (ou disputaram no caso da Chapecoense) a Libertadores 2018 estavam nas bolinhas do pote 1, enquanto os cinco clubes classificados da quarta fase da Copa do Brasil, além de América Mineiro (campeão do Brasileiro da Série B de 2017), Luverdense (campeão da Copa Verde 2017) e Bahia (campeão da Copa do Nordeste 2017) estavam no pote 2.

Primeiro, foi sorteado as seguintes equipes do pote 1 com a seguinte ordem: Chapecoense, Cruzeiro, Vasco, Grêmio, Corinthians, Palmeiras, Flamengo e Santos. Esses clubes enfrentarão respectivamente Atlético Mineiro, Atlético Paranaense, Bahia, Goiás, Vitória, América Mineiro, Ponte Preta e Luverdense.

As partidas serão disputadas nas seguintes datas: 25 de abril, dias 2, 9, 16 e 23 de maio. No caso, os clubes do pote 1 serão os mandantes dos jogos de volta.

No mesmo dia, porém, à tarde, a CBF definiu as datas de alguns dos duelos.

Na primeira data disponível para os jogos das oitavas-de-final, duas partidas: Goiás e Grêmio, no Serra Dourada, e Vitória e Corinthians, no Barradão. Os dois embates estão previstos para às 19h30 do dia 25 de abril. Porém, as datas das partidas de volta ainda não foram definidas pela CBF. Na semana seguinte, no dia 2 de maio, Ponte Preta e Flamengo medirão forças no Moisés Lucarelli, e Atlético Mineiro receberá a Chapecoense no Independência. Enquanto isso, Cruzeiro x Atlético Paranaense, Bahia x Vasco, Santos x Luverdense vão medir forças nos dias 9 e 16 de maio. Apenas América Mineiro e Palmeiras seguem com datas indefinidas para se enfrentarem.

Curiosamente, nos oitos confrontos, há o embate entre um clube que já ganhou a competição e o outro que busca a conquista inédita.

Nos próximos dias, a CBF confirmará as datas e os horários que ainda estão pendentes.

A seguir a relação dos confrontos e as datas das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018.

*Data – Horário – Jogo – Local:
25/04 – 19h30 – Goiás (GO) 0x2 Grêmio (RS) – Serra Dourada, Goiânia (GO)
25/04 – 19h30 – Vitória (BA) 0x0 Corinthians (SP) – Barradão, Salvador (BA)
02/05 – 19h30 – Atlético (MG) x Chapecoense (SC) – Independência, Belo Horizonte (MG)
02/05 – 19h30 – Ponte Preta (SP) x Flamengo (RJ) – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
09/05 – 19h30 – América (MG) x Palmeiras (SP) – Independência, Belo Horizonte (MG)
09/05 – 19h30 – Grêmio (RS) x Goiás (GO) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
09/05 – 21h45 – Bahia (BA) x Vasco (RJ) – Fonte Nova, Salvador (BA)
10/05 – 19h30 – Corinthians (SP) x Vitória (BA) – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
10/05 – 19h30 – Flamengo (RJ) x Ponte Preta (SP) – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
10/05 – 21h45 – Santos (SP) x Luverdense (MT) – Vila Belmiro, Santos (SP)
16/05 – 19h30 – Chapecoense (SC) x Atlético (MG) – Arena Condá, Chapecó (SC)
16/05 – 19h30 – Vasco (RJ) x Bahia (BA) – São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
16/05 – 21h45 – Atlético (PR) x Cruzeiro (MG) – Arena da Baixada, Curitiba (PR)
17/05 – 19h15 – Luverdense (MT) x Santos (SP) – Passo das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
23/05 – 21h45 – Palmeiras (SP) x América (MG) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
16/07 – 20h – Cruzeiro (MG) x Atlético (PR) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
* Atualizado às 20h de 26/04/2018

Por Jorge Almeida

Encerrada a quarta fase da Copa do Brasil 2018

Copa do Brasil 2018: encerrada a quarta fase: cinco equipes avançaram para as oitavas-de-final. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF19

Com a realização de dois jogos nesta quinta-feira (19), a quarta fase da Copa do Brasil chegou ao fim. Além dos classificados dessa noite, Vitória e Atlético Paranaense, outras três equipes passaram para as oitavas-de-final do certame na quarta-feira (18). Os cinco classificados seguirão no torneio e, na fase seguinte, participarão do sorteio com os clubes classificados diretamente para as oitavas-de-final (os seis representantes da Taça Liberadores da América e os campeões da Copa do Nordeste, da Copa Verde e do Campeonato Brasileiro da Série B).

O primeiro a se classificar para as oitavas-de-final foi o Goiás que, ontem (18), fez o dever de casa e superou o Avaí por 2 a 0 no Serra Dourada. Com gols de Giovanni e Carlos Eduardo, a equipe esmeraldina fez 4 a 2 no placar agregado e mantém vivo o sonho de buscar o título inédito, que bateu na trave em 1990 ao perder a final para o Flamengo.

Na Arena Pernambuco, também na quarta-feira, o Náutico derrotou a Ponte Preta por 1 a 0, com gol de Júnior Timbó. Mas o resultado foi insuficiente para o Timbu, que havia perdido o jogo de ida para a Macaca por 3 a 0 em Campinas.

O Atlético Mineiro entrou em campo diante do Ferroviário na Arena Castelão, em Fortaleza, com uma situação tão confortável, que atuou com um time reserva. Depois de ter goleado o Ferrão por 4 a 0 no Independência, o Galo levou um susto ao ser surpreendido pela equipe cearense que fez 2 a 0, mas Róger Guedes e Gustavo Blanco empataram a peleja e espantou a zebra pra longe e classificaram o campeão da CB de 2014.

Hoje, duas partidas bastante equilibradas encerraram essa fase do torneio. No Morumbi, o São Paulo recebeu o Atlético Paranaense, fez 2 a 0 (gols de Valdívia e Nenê) que, naquela altura lhe assegurava a vaga, mas Giovanni (de pênalti) e Matheus Rossetto empataram o jogo e decretaram a classificação do Furacão, que fez 4 a 3 no placar agregado.

E, para encerrar, na mesma noite, outro rubronegro confirmou a sua continuidade no certame. Depois de perder por 2 a 1 no Beira-Rio, o Vitória fez 1 a 0 no Internacional e levou a disputa para os pênaltis. Nas cobranças, destaque para o goleiro Caíque, que pegou duas cobranças e ajudou o Leão a bater o Colorado por 4 a 3 nas cobranças penais.

Dessa forma, Goiás, Ponte Preta, Atlético Mineiro, Atlético Paranaense e Vitória se juntarão a Chapecoense, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Palmeiras, Santos, Vasco, América Mineiro, Luverdense e Bahia para a disputarem as oitavas-de-final da Copa do Brasil. O sorteio dos confrontos acontecerá às 11h de amanhã (20), na sede da CBF, no Rio de Janeiro.

Por Jorge Almeida

Cruzeiro: campeão da Copa do Brasil 2017

Jogadores do Cruzeiro comemoram o pentacampeonato da Copa do Brasil. Foto: Douglas Magno

O Cruzeiro é o primeiro representante brasileiro na Copa Libertadores da América em 2018. Isso porque na noite desta quarta-feira (27), a Raposa conquistou o título da Copa do Brasil no Mineirão nos pênaltis contra o Flamengo após empate em 0 a 0 no tempo normal. Nas penalidades, o flamenguista Diego parou em Fábio. O Cruzeiro tornou-se juntamente com o Grêmio os maiores detentores de títulos do torneio: cinco para cada.

Antes de a bola rolar, um clima de muita festa no Mineirão, com direito a queima de fogos e a presença de jogadores que fizeram história nos dois clubes, como o ex-goleiro Raul Plassmann, que completou 73 anos e foi homenageado pelos dois times – e com direito a bolo. E as presenças de Júnior e Sorín exibindo a taça pelo gramado do estádio.

A decisão começou com o Flamengo tendo a iniciativa. Contudo, logo aos três minutos, o Cruzeiro precisou fazer a primeira alteração. Raniel, com lesão muscular nas duas pernas, precisou ser substituído e, em seu lugar, entrou Arrascaeta. O rubronegro criou a primeira ocasião de gol. Aos seis, Guerrero cobrou falta visando o ângulo de Fábio, que pulou, porém, a bola acertou o travessão e saiu.

Enquanto o Flamengo manteve a posse, o Cruzeiro visava os contragolpes. E, em uma dessas investidas, o time celeste levou perigo aos 13 minutos. Após rebatida de Arão, a redonda foi alçada na área rubronegra e, depois da disputa pelo alto, Arrascaeta ficou com a sobra e tentou emendar de primeira, mas não pegou em cheio e o chute saiu torto pela linha de fundo. No lance seguinte, Arrascaeta ganhou de Pará pela esquerda e passou para Thiago Neves dentro da área, mas o camisa 30 chutou forte e cruzado por cima da meta de Alex Muralha.

Depois de sofrer dois sustos seguidos, o Fla voltou a trocar passes, enquanto os mineiros ficaram atrás da linha da bola. No entanto,  os comandados de Mano Menezes, bem compactados, conseguiram avançar um pouco mais e também valorizaram a troca de passes, contudo, encontraram dificuldades na criação.

Aos 25, Thiago Neves cobrou falta, Juan subiu mais que Muralha, que não achou nada, e mandou de cabeça para escanteio, quase um gol contra. Dois minutos depois, Arão errou no meio-campo, Robinho partiu para o ataque, acionou Arrascaeta pela direita da área, o camisa dez tentou tirar do arqueiro rubronegro e mandou à direita do poste.

O jogo seguiu equilibrado. Mas, aos 35, a Raposa roubou a bola e, após troca de passes, Hudson tocou para o meio da área, Arrascaeta não conseguiu amortecer a esférica e deixou escapar para as mãos de Muralha. O Flamengo respondeu na sequência. Diego partiu pela esquerda e rolou para a entrada da área, Guerrero não alcançou, mas a bola ficou para Berrío, que arriscou um chute rasteiro e mandou para fora.

Ao contrário da etapa inicial, o Cruzeiro começou melhor o  tempo complementar e criou a primeira chance aos seis minutos. Thiago Neves cruzou no primeiro pau, Henrique desviou de cabeça, mas não assustou Muralha. A partida seguiu equilibrada, mais truncada, na verdade. O Flamengou levou perigo apenas aos 19 minutos. Berrío deixou para Guerrero, o peruano foi desarmado por Murilo e, na sequência, Diego arriscou de fora da área para defesa de Fábio.

O Mengão cresceu no jogo, porém, o Cruzeiro conseguiu neutralizar bem as investidas rubronegras. Aos 29, Diego deixou para Guerrero, porém, o camisa 9 arriscou de fora da área e a bola subiu demais.

O time da casa levou perigo aos 32. Diego Barbosa cruzou da esquerda, Muralha deu um tapa fraco na redonda e, para alívio do goleiro, a bola bateu no rosta de Arrascaeta e foi pela linha de fundo. Seis minutos mais tarde, Arrascaeta cobrou falta em direção ao gol e a esférica saiu por cima da meta flamenguista.

E, quando à decisão estava em direção às penalidades, aos 42, Guerrero recebeu lançamento, dominou, passou por Léo e encheu o pé para o gol para ótima defesa de Fábio, que salvou a pátria celeste. O Cruzeiro ainda teve uma chance aos 45. Hudson lançou Élber, todavia, o camisa 23 não foi feliz na finalização e apenas amorteceu de cabeça para o arqueiro rubronegro. E, dessa forma, assim como em 2015, a Copa do Brasil foi para a disputa de pênaltis.

Nas cobranças de pênalti, todos os jogadores cruzeirenses (Henrique, Léo, Hudson, Diogo Barbosa e Thiago Neves) converteram suas cobranças. Pelos lados do Flamengo, apenas Diego teve a sua cobrança não convertida – Fábio defendeu, enquanto Guerrero, Juan e Trauco balançaram as redes. Porém, os flamenguistas reclamaram de um possível dois toques que Thiago Neves deu na cobrança derradeira, mas a arbitragem ignorou a queixa.

Apesar de o jogo ter sido no Mineirão, o Flamengo sentiu-se no Maracanã nos minutos iniciais e dominou as ações nos 15 primeiros minutos da decisão com direito a uma bola no travessão. Do lado cruzeirense, o técnico Mano Menezes precisou queimar a sua primeira alteração logo aos três minutos em virtude de um estiramento que tirou Raniel da decisão. A jovem promessa da Raposa foi substituída por Arrascaeta e, com isso, o esquema 4-3-2-1 foi trocado pelo tradicional 4-4-2 que variou para 4-3-3. Mas o Cruzeiro equilibrou o jogo e criou oportunidades, sendo algumas oriundas de erros na saída dos flamenguistas ou bolas roubadas pelos anfitriões. No segundo tempo, a Raposa melhorou ligeiramente, mas Mano Menezes voltou do intervalo promovendo uma segunda alteração por motivo de contusão – Rafinha no lugar de Robinho. No entanto, tecnicamente, a final ficou truncada e a bola quase não rolou. E, de forma justa, o título ficou definido nos tiros penais, melhor para o Cruzeiro que, assim como o Grêmio, conquistou a sua quinta taça da Copa do Brasil. Coincidentemente, a partir da quarta fase até a final do certame, o Cruzeiro passou por adversários que perderam decisões da Copa do Brasil para o time mineiro: São Paulo (2000), Palmeiras (1996), Grêmio (1993) e Flamengo (2003).

Primeira Fase:
15/02/2017 – Volta Redonda (RJ) 1×2 Cruzeiro (MG) – Estádio da Cidadania, Volta Redonda (RJ)
Segunda Fase:
22/02/2017 – Cruzeiro (MG) 6×0 São Francisco (PA) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Terceira Fase:
08/03/2017 – Murici (AL) 0x2 Cruzeiro (MG) – Estádio José Gomes da Costa, Murici (AL)
15/03/2017 – Cruzeiro (MG) 2×0 Murici (AL) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Quarta Fase:
13/04/2017 – São Paulo (SP) 0x2 Cruzeiro (MG) – Morumbi, São Paulo (SP)
19/04/2017 – Cruzeiro (MG) 1×2 São Paulo (SP) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Oitavas-de-final:
03/05/2017 – Cruzeiro (MG) 1×0 Chapecoense (SC) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
1º/06/2017 – Chapecoense (SC) 0x0 Cruzeiro (MG) – Arena Condá, Chapecó (SC)
Quartas-de-final:
28/06/2017 – Palmeiras (SP) 3×3 Cruzeiro (MG) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
26/07/2017 – Cruzeiro (MG) 1×1 Palmeiras (SP) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Semifinais:
16/08/2017 – Grêmio (RS) 1×0 Cruzeiro (MG) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
23/08/2017 – Cruzeiro (3)1×0(2) Grêmio – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Final:
07/09/2017 – Flamengo (RJ) 1×1 Cruzeiro (MG) – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
27/09/2017 – Cruzeiro (MG) (5)0x0(3) Flamengo (RJ) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)

FICHA TÉCNICA: CRUZEIRO (MG) (5)0x0(3) FLAMENGO (RJ)
Competição/fase: Copa do Brasil 2017 – final (2º jogo)
Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 27 de setembro de 2017 – 21h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)
Cartões Amarelos: Ezequiel, Hudson (Cruzeiro); Pará e Guerrero (Flamengo)
Pênaltis convertidos: Henrique, Léo, Hudson, Diogo Barbosa e Thiago Neves (Cruzeiro); Guerrero, Juan e Trauco (Flamengo)
Pênalti desperdiçado: Diego (Flamengo)
CRUZEIRO (MG): 1.Fábio; 2.Ezequiel, 3.Léo, 35.Murilo e 6.Diogo Barbosa; 8.Henrique, 25.Hudson, 19.Robinho (70.Rafinha), 11.Alisson e 30.Thiago Neves; 36.Raniel (10.Arrascaeta). Técnico: Mano Menezes
FLAMENGO (RJ): 38.Alex Muralha; 21.Pará, 15.Réver, 4.Juan e 13.Trauco; 5.Willian Arão, 26.Cuéllar e 35.Diego; 28.Berrío (2.Rodinei), 22.Everton (39.Lucas Paquetá) e 9.Paolo Guerrero. Técnico: Reinaldo Rueda

Parabéns ao Cruzeiro Esporte Clube pelo título.

Por Jorge Almeida