Cruzeiro: campeão da Copa do Brasil 2018

Jogadores do Cruzeiro erguem o troféu da Copa do Brasil na Arena Corinthians. Créditos: Lívia Villas-Boas Staff Images

O Cruzeiro é o primeiro representante brasileiro garantido na Copa Libertadores da América 2019. O clube celeste sagrou-se campeão da Copa do Brasil na noite desta quarta-feira (17) ao derrotar o Corinthians na Arena Corinthians, em São Paulo, por 2 a 1 (gols de Robinho e Arrascaeta, pelo Cruzeiro, e Jadson, de pênalti, para o time da casa). Como havia saído vencedor no primeiro jogo (vitória por 1 a 0), em Belo Horizonte, a Raposa fez 3 a 1 no agregado e ficou com o caneco. Além disso, o feito fez do Cruzeiro ser o maior vencedor do certame, com seis títulos e o primeiro a erguer a taça da Copa do Brasil por duas vezes consecutivas. Enquanto isso, esse foi a primeira final que o Corinthians perdeu em sua nova casa.

A decisão começou truncada no meio de campo, com muitas faltas e sem finalização, situação que perdurou nos 20 primeiros minutos do jogo. A primeira oportunidade de gol foi do Cruzeiro. Aos 20, a defesa do Corinthians vacilou, Barcos escorou para Thiago Neves, que chutou mascado e a bola sobrou para Cássio. Minutos mais tarde, aos 27, Léo Santos deu bobeira, foi desarmado por um cruzeirense, que avançou e acionou Barcos, que puxou para a perna direita e mandou a bola na trave e, na volta, Robinho pegou a sobra e finalizou sem dar chances para Cássio: gol do Cruzeiro, 1 a 0. O árbitro Wagner do Nascimento chegou a consultar o VAR para saber se houve falta no camisa 14 corinthiano, mas confirmou o tento do time celeste.

Com a vantagem no placar, a equipe de Mano Menezes tentou tirar proveito do nervosismo dos donos da casa e, com isso, quase ampliaram o placar aos 33. Thiago Neves cobrou falta pela esquerda e Dedé deu uma cabeçada que mais parecia um chute e acertou a trave direita da meta corinthiana. A primeira chance real do Corinthians veio apenas aos 35. Jadson cobrou falta do lado direito, Henrique subiu sozinho para cabecear e mandar a redonda à esquerda do gol defendido por Fábio. Os visitantes ainda chegaram mais uma vez com perigo aos 38. Em bola levantada na área por Thiago Neves, o capitão Henrique errou o alvo.

O Timão arriscou mais duas vezes, mas não chegou a assustar. Primeiro com Fagner, que fez boa jogada, mas finalizou para longe, e depois, aos 46, com Jonathas, que recebeu cruzamento de Danilo Avelar e pegou fraco na bola.

No começo do segundo tempo, o Corinthians tratou de correr atrás do prejuízo e, a princípio, deu certo. Aos cinco minutos, em jogada na área cruzeirense, Thiago Neves se atira em uma disputa com Ralf, o volante corinthiano caiu e o árbitro Wagner do Nascimento recorreu à tela do VAR e entendeu que o camisa 10 do Cruzeiro tocou na canela de Ralf e marcou penalidade. Na cobrança, Jadson cobrou no canto direito de Fábio, que pulou para o lado oposto, e empatou a partida: 1 a 1.

A igualdade no placar colocou os comandados de Jair Ventura vivos na decisão, mas o eficiente time de Mano Menezes tentou não demonstrar nervosismo e, aos 15, quase marcou o segundo. Thiago Neves (sempre ele) cobrou falta, Jonathas desviou na primeira trave e o zagueiro Léo finalizou para o arqueiro alvinegro defender em cima da linha. Empurrado pela Fiel, o Timão deu o troco aos 17. Após bela jogada de Romero, o paraguaio chegou à linha de fundo e cruzou para Jonathas, que se antecipou a Léo, e cabeceou de raspão. Enquanto isso, o nome de Pedrinho começava a ser entoado nas arquibancadas.

Com o camisa 38 em campo, o Corinthians chegou a marcar o segundo gol, justamente com ele. Pedrinho recebeu a bola e acertou um chutaço no ângulo de Fábio, mas, para infelicidade dele e da fiel, o mesmo VAR que auxiliou na marcação do pênalti em Ralf, flagrou uma falta de Jadson em Dedé no início da jogada, embora houvesse o contato do meia corinthiano, o zagueiro cruzeirense não foi atingido no rosto, conforme simulara ao levar a mão na suposta parte atingida.

O Corinthians tentou mais uma vez, aos 34, com Danilo Avelar, que cabeceou fraco o cruzamento feito por Pedrinho. Mas, dois minutos depois, o “tiro de misericórdia” do Cruzeiro. Em uma saída em contra-ataque, Raniel lançou Arrascaeta, que saiu nas costas da defesa do Corinthians, partiu em velocidade e, com categoria, deu um toque na saída de Cássio e fez o gol do título.

O tento do clube mineiro caiu como um balde de água fria para o alvinegro. Aos 40, Jadson cobrou escanteio, Henrique ajeitou para a pequena área e Danilo Avelar, com pouco apoio, isolou a bola.

Com a situação praticamente definida, o Cruzeiro administrou o resultado e ficou à espera do apito final de Wagner do Nascimento para comemorar o sexto título da Copa do Brasil. E, antes disso, a partida ainda foi paralisada por conta dos sinalizadores acesos pela torcida da Raposa. Mas, aos 52 minutos, a partida foi finalizada com vitória do Cruzeiro por 2 a 1 na Arena Corinthians e mais um título para a Toca da Raposa.

O Cruzeiro fez por merecer o título da Copa do Brasil 2018. Com a vantagem adquirida no jogo de ida (vitória por 1 a 0), o time copeiro de Mano Menezes aproveitou da necessidade do adversário e fez a sua parte e tirou proveito dos erros dos corinthianos, vide o lance bisonho de Léo Santos na jogada inicial do primeiro gol cruzeirense. Além disso, o Cruzeiro marcou muito bem e não deixou o Corinthians chegar à sua área, destaque para o ótimo desempenho da dupla de zaga Léo e Dedé. Firmes, os dois defensores não deram moleza para o fragilizado ataque alvinegro. O Timão esboçou uma reação quando conseguiu o empate com o pênalti convertido por Jadson, graças à intervenção do VAR. Diferentemente do comandante cruzeirense, que tem o time nas mãos, o perdido Jair Ventura demorou para colocar Pedrinho em campo e, após a entrada do camisa 38, o Timão até chegou a virar, mas a arbitragem de vídeo “dedurou” a falta cometida por Jadson em Dedé. Além disso, por precisar do resultado, o treinador corinthiano escalou mal a equipe (precisando vencer, Ventura colocou dois volantes de marcação – Gabriel e Ralf -, em vez de ousar e escalar um time mais ofensivo). O desespero do Timão foi fundamental para Arrascaeta conseguir ainda fazer o gol do título nos minutos finais e decretar 3 a 1 para o Cruzeiro no agregado e, assim, fazer do time mineiro o maior campeão da Copa do Brasil, com seis conquistas, sendo três delas em cima do trio de ferro do futebol paulista – Palmeiras, em 1996; São Paulo, em 2000; e Corinthians, em 2018. Vale enaltecer a campanha vitoriosa do Cruzeiro, que entrou na fase de oitavas-de-final da Copa do Brasil por ter disputado a Libertadores, e conseguiu vencer todas as partidas que fez na casa do adversário. A superioridade do Cruzeiro diante do Corinthians na final da Copa do Brasil foi tanta que, de todos os confrontos da Raposa no torneio, esse foi o único em que o clube celeste vencera as duas partidas. Já do outro lado, o sinal de alerta está mais que ligado. Além de ter de lidar com a perda do título do torneio nacional, o Corinthians terá de ficar atento a outro adversário: a temível zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Com 35 pontos e ocupando atualmente o 11º lugar da tabela, o Timão está a quatro pontos do Z4 e precisa angariar alguns pontos para evitar repetir o pesadelo de 2007, quando o clube caiu para a Série B.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão.

Oitavas-de-final:
16/05 – Atlético (PR) 1×2 Cruzeiro (MG) – Arena da Baixada, Curitiba (PR)
16/07 – Cruzeiro (MG) 1×1 Atlético (PR) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Quartas-de-final:
1º/08 – Santos (SP) 0x1 Cruzeiro (MG) – Vila Belmiro, Santos (SP)
15/08 – Cruzeiro (MG) (3)1×2(0) Santos (SP) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Semifinais:
12/09 – Palmeiras (SP) 0x1 Cruzeiro (MG) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
26/09 – Cruzeiro (MG) 1×1 Palmeiras (SP) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Final:
10/10 – Cruzeiro (MG) 1×0 Corinthians (SP) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
17/10 – Corinthians (SP) 1×2 Cruzeiro (MG) – Arena Corinthians, São Paulo (SP)

FICHA TÉCNICA: CORINTHIANS (SP) 1×2 CRUZEIRO (MG)
Competição/Fase:
Copa do Brasil 2018 – final (segundo jogo)
Local: Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Data: 17 de outubro de 2018, quarta-feira – 21h50 (horário de Brasília)
Público Total: 46.571 torcedores
Público Pagante: 45.978 pessoas
Renda: R$ 5.108.151,00
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ) e Bruno Boschilia (PR)
Cartões Amarelos: Ralf, Gabriel, Emerson Sheik, Fagner, Jadson e Clayson (Corinthians); Rafinha, Thiago Neves e Robinho (Cruzeiro)
Gols: Robinho, aos 27 min do 1º tempo (0-1); Jadson, aos 9 min (1-1) e Arrascaeta, aos 36 min do 2º tempo (1-2)
CORINTHIANS (SP): 12.Cássio; 23.Fagner, 14.Léo Santos, 3.Henrique e 35.Danilo Avelar; 15.Ralf, 5.Gabriel (22.Matheus Vital) e 10.Jadson; 47.Emerson Sheik (25.Clayson), 11.Romero e 7.Jonathas (38.Pedrinho). Técnico: Jair Ventura
CRUZEIRO (MG): 1.Fábio; 22.Edílson, 26.Dedé, 3.Léo e 29.Lucas Romero; 8.Henrique, 5.Ariel Cabral e 30.Thiago Neves (16.Lucas Silva); 18.Rafinha (10.Arrascaeta), 19.Robinho e 28.Barcos (17.Raniel). Técnico: Mano Menezes

Parabéns ao Cruzeiro Esporte Clube pela conquista.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Cruzeiro e Corinthians decidirão a Copa do Brasil 2018

Copa do Brasil 2018: final inédita será disputada entre Corinthians e Cruzeiro. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Com a realização das partidas de volta válidas pelas semifinais da Copa do Brasil 2018 disputadas simultaneamente na noite desta quarta-feira (26), a competição terá Cruzeiro e Corinthians como finalistas. As duas equipes, atuando em casa, eliminaram Palmeiras e Flamengo, respectivamente. A CBF fará o sorteio nos mandos de campo nesta quinta-feira (27), em sua sede. Embora tenham oito títulos do torneio juntos, os dois clubes nunca se confrontaram na decisão da Copa do Brasil.

Atual campeão, o Cruzeiro empatou com o Palmeiras no Mineirão em 1 a 1, com Barcos anotando o tento celeste enquanto Felipe Melo empatou para os alviverdes. No entanto, por ter saído vencedor da partida de ida realizada no Allianz Parque, em São Paulo, a equipe comandada por Mano Menezes se classificou para a segunda final consecutiva da Copa do Brasil e, em caso de conquista, o time mineiro será o primeiro a ganhar a competição por duas vezes em sequência, algo inédito até então.  O lamentável da partida ficou por conta da briga generalizada pelos jogadores das duas equipes após o término do jogo.

Na outra semifinal, no clássico do povo, o Corinthians levou a melhor sobre o Flamengo ao derrota-lo por 2 a 1 na Arena Corinthians, em São Paulo.  Os gols da partida foram marcados por Danilo Avellar e Pedrinho (que precisou de apenas 37 segundos para anotar o tento da classificação) para o Timão e o zagueiro alvinegro Henrique marcou contra a favor dos rubro-negros. Como as duas equipes empataram no Maracanã no compromisso de ida em 0 a 0, o Corinthians fez 2 a 1 no agregado e disputará a sua sexta final de Copa do Brasil. A última vez que chegou à decisão foi em 2009 e, na ocasião, o Corinthians levou a melhor diante do Internacional.

Cruzeiro e Corinthians já se enfrentaram pela Copa do Brasil em edições anteriores, mas não em uma final, em cinco ocasiões. Os mineiros levaram a melhor em três (em 1996, 1998 e 2016 – todas na fase de quartas-de-final), e os paulistas saíram vitoriosos em duas (em 1991 e 2002, ambos nas oitavas-de-final). Além disso, os dois times já decidiram o Campeonato Brasileiro de 1998, que foi vencido pelo Timão.

Com cinco taças do certame, o Cruzeiro poderá se consagrar como o maior campeão da Copa do Brasil caso conquiste o título, pois, ficará com seis troféus, deixando o Grêmio em segundo com cinco. Mas, se o Corinthians levar a taça para o Parque São Jorge, o Timão acumulará quatro Copas do Brasil em sua sala de troféus e deixará Palmeiras e Flamengo para trás no número de títulos do certame. Atualmente, os três clubes detém três Copas do Brasil cada.

Além de levar a taça e garantir uma vaga na Copa Libertadores da América em 2019, o campeão da Copa do Brasil receberá uma bolada de R$ 50 milhões.

As datas das partidas da final serão confirmadas pela CBF em breve.

Por Jorge Almeida

CBF define os confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil 2018

CBF realizou sorteio dos confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil em sua sede. Créditos: CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou nesta quarta-feira (30), em sua sede, no Rio de Janeiro, o sorteio dos confrontos pelas quartas-de-final da Copa do Brasil 2018, assim como os mandos dos jogos de ida da próxima fase. Contudo, dois duelos das oitavas-de-final seguem indefinidos – Vasco x Bahia e Cruzeiro x Atlético Paranaense, embora baianos e mineiros estão em vantagem devido aos triunfos conquistados na partida de ida.

O adversário do Palmeiras nas quartas-de-final, na teoria, tem tudo para ser o Bahia, pois o Tricolor da Boa Terra superou o Vasco na primeira partida por 3 a 0, na Fonte Nova, em Salvador, e só disputará o jogo de volta no dia 16 de julho, um dia após a decisão da Copa do Mundo. Quem passar desse embate será o mandante do primeiro jogo das quartas-de-final diante do alviverde paulista, que deixou o América Mineiro pelo caminho.

Outro duelo das oitavas-de-final que ainda está em aberto é Cruzeiro x Atlético Paranaense. A Raposa venceu o Furacão por 2 a 1, na Arena da Baixada, em Curitiba, e joga pelo empate no compromisso de volta, no dia 16 de julho, no Mineirão. Quem avançar dos dois terá o Santos pela frente nas quartas-de-final. O Peixe, que passou pelo Luverdense na fase anterior, mandará o primeiro jogo.

Enquanto isso, do outro lado da chave, a situação dos confrontos está tudo definido. O Corinthians fará um duelo inédito na Copa do Brasil diante da Chapecoense. O Timão, que eliminou o Vitória do torneio, será o mandante do jogo de ida, possivelmente na Arena Corinthians, e decidirá a vaga para as semifinais na Arena Condá, casa da Chape, que superou o Atlético Mineiro nos pênaltis nas oitavas-de-final.

Flamengo e Grêmio já é um velho confronto conhecido da história da Copa do Brasil. As duas equipes já fizeram uma final da competição, em 1997, que culminou com o terceiro título gremista. Em 2018, pelas quartas-de-final, tricolores e rubronegros medirão forças em 180 minutos, cuja metade terá início na Arena do Grêmio e depois, provavelmente, no Maracanã.

Assim, dependendo das combinações dos resultados, nas semifinais e na final, a Copa do Brasil 2018 poderá ter reedições de decisões do certame. Eis algumas delas: Corinthians x Grêmio nas semifinais (os dois já fizeram duas decisões: em 1995 e em 2001, com um vencedor para cada lado); Palmeiras x Santos – os dois foram os finalistas em 2015, quando o Verdão ficou com a taça; Palmeiras x Cruzeiro – ambos foram protagonistas das decisões de 1996 e 1998, com um título para cada; em caso de final, a CB-18 poderá reeditar Flamengo x Vasco, que decidiram o torneio em 2006; Flamengo x Cruzeiro, finalistas em 2003 e 2017; ou, ainda, Grêmio x Cruzeiro, que duelaram a final de 1993.

A Copa do Brasil ainda poderá reservar possíveis clássicos estaduais nas próximas fases. Mas só há quatro possíveis combinações: nas semifinais com Palmeiras e Santos desde que, claro, ambos passem; ou na final com Corinthians x Palmeiras ou Corinthians x Santos e também Flamengo x Vasco. Reforçando: desde que essas equipes cheguem até lá. Na história da Copa do Brasil, em 30 edições (contando com a vigente), somente em três finais que duas equipes do mesmo Estado disputaram o título. Em 2006, com Flamengo e Vasco, com o rubronegro vitorioso; em 2014, entre Atlético Mineiro e Cruzeiro, cuja taça ficou com o Galo; e em 2015, envolvendo Palmeiras e Santos, sendo o alviverde o campeão na ocasião.

Com o chaveamento fixado, já dá para saber os possíveis embates até a final do torneio. Por exemplo, quem passar do duelo entre Corinthians x Chapecoense enfrentará nas semifinais o ganhador de Grêmio x Flamengo. Enquanto isso, do outro lado, quem vencer do confronto entre Bahia ou Vasco e Palmeiras fará a outra semifinal do vitorioso do embate entre Cruzeiro ou Atlético Paranaense x Santos.

Curiosamente, os maiores campeões da Copa do Brasil seguem no páreo: os pentacampeões Cruzeiro e Grêmio, juntamente com os tricampeões Corinthians, Flamengo e Palmeiras, além de Santos e Vasco, donos de um título cada. Enquanto isso, Bahia, Chapecoense e Atlético Paranaense buscam pela conquista inédita.

As datas previstas para a disputa dos jogos das quartas-de-final são: 1º, 8, 15 e 29 de agosto. Antes, no dia 16 de julho, as últimas duas vagas serão preenchidas.

Confira os duelos de ida:

Corinthians (SP) x Chapecoense (SC)
Grêmio (RS) x Flamengo (RJ)
Bahia (BA) ou Vasco (RJ) x Palmeiras (SP)
Santos (SP) x Atlético (PR) ou Cruzeiro (MG)

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

CBF sorteia os confrontos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018

Copa do Brasil 2018: CBF sorteou os confrontos das oitavas-de-final. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

* Atualizado às 20h de 26/04.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou na manhã desta sexta-feira (20), o sorteio que definiu os duelos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018. Um dia após a definição das duas últimas vagas da quarta fase, a entidade promoveu o evento que determinou quem os cinco classificados da fase anterior pegará na sequência do torneio.

Com as presenças do tetracampeão mundial Zinho e de Melina Torres no sorteio, o método dos confrontos foi simples: as oito equipes que disputam (ou disputaram no caso da Chapecoense) a Libertadores 2018 estavam nas bolinhas do pote 1, enquanto os cinco clubes classificados da quarta fase da Copa do Brasil, além de América Mineiro (campeão do Brasileiro da Série B de 2017), Luverdense (campeão da Copa Verde 2017) e Bahia (campeão da Copa do Nordeste 2017) estavam no pote 2.

Primeiro, foi sorteado as seguintes equipes do pote 1 com a seguinte ordem: Chapecoense, Cruzeiro, Vasco, Grêmio, Corinthians, Palmeiras, Flamengo e Santos. Esses clubes enfrentarão respectivamente Atlético Mineiro, Atlético Paranaense, Bahia, Goiás, Vitória, América Mineiro, Ponte Preta e Luverdense.

As partidas serão disputadas nas seguintes datas: 25 de abril, dias 2, 9, 16 e 23 de maio. No caso, os clubes do pote 1 serão os mandantes dos jogos de volta.

No mesmo dia, porém, à tarde, a CBF definiu as datas de alguns dos duelos.

Na primeira data disponível para os jogos das oitavas-de-final, duas partidas: Goiás e Grêmio, no Serra Dourada, e Vitória e Corinthians, no Barradão. Os dois embates estão previstos para às 19h30 do dia 25 de abril. Porém, as datas das partidas de volta ainda não foram definidas pela CBF. Na semana seguinte, no dia 2 de maio, Ponte Preta e Flamengo medirão forças no Moisés Lucarelli, e Atlético Mineiro receberá a Chapecoense no Independência. Enquanto isso, Cruzeiro x Atlético Paranaense, Bahia x Vasco, Santos x Luverdense vão medir forças nos dias 9 e 16 de maio. Apenas América Mineiro e Palmeiras seguem com datas indefinidas para se enfrentarem.

Curiosamente, nos oitos confrontos, há o embate entre um clube que já ganhou a competição e o outro que busca a conquista inédita.

Nos próximos dias, a CBF confirmará as datas e os horários que ainda estão pendentes.

A seguir a relação dos confrontos e as datas das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018.

*Data – Horário – Jogo – Local:
25/04 – 19h30 – Goiás (GO) 0x2 Grêmio (RS) – Serra Dourada, Goiânia (GO)
25/04 – 19h30 – Vitória (BA) 0x0 Corinthians (SP) – Barradão, Salvador (BA)
02/05 – 19h30 – Atlético (MG) x Chapecoense (SC) – Independência, Belo Horizonte (MG)
02/05 – 19h30 – Ponte Preta (SP) x Flamengo (RJ) – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
09/05 – 19h30 – América (MG) x Palmeiras (SP) – Independência, Belo Horizonte (MG)
09/05 – 19h30 – Grêmio (RS) x Goiás (GO) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
09/05 – 21h45 – Bahia (BA) x Vasco (RJ) – Fonte Nova, Salvador (BA)
10/05 – 19h30 – Corinthians (SP) x Vitória (BA) – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
10/05 – 19h30 – Flamengo (RJ) x Ponte Preta (SP) – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
10/05 – 21h45 – Santos (SP) x Luverdense (MT) – Vila Belmiro, Santos (SP)
16/05 – 19h30 – Chapecoense (SC) x Atlético (MG) – Arena Condá, Chapecó (SC)
16/05 – 19h30 – Vasco (RJ) x Bahia (BA) – São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
16/05 – 21h45 – Atlético (PR) x Cruzeiro (MG) – Arena da Baixada, Curitiba (PR)
17/05 – 19h15 – Luverdense (MT) x Santos (SP) – Passo das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
23/05 – 21h45 – Palmeiras (SP) x América (MG) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
16/07 – 20h – Cruzeiro (MG) x Atlético (PR) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
* Atualizado às 20h de 26/04/2018

Por Jorge Almeida

Encerrada a quarta fase da Copa do Brasil 2018

Copa do Brasil 2018: encerrada a quarta fase: cinco equipes avançaram para as oitavas-de-final. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF19

Com a realização de dois jogos nesta quinta-feira (19), a quarta fase da Copa do Brasil chegou ao fim. Além dos classificados dessa noite, Vitória e Atlético Paranaense, outras três equipes passaram para as oitavas-de-final do certame na quarta-feira (18). Os cinco classificados seguirão no torneio e, na fase seguinte, participarão do sorteio com os clubes classificados diretamente para as oitavas-de-final (os seis representantes da Taça Liberadores da América e os campeões da Copa do Nordeste, da Copa Verde e do Campeonato Brasileiro da Série B).

O primeiro a se classificar para as oitavas-de-final foi o Goiás que, ontem (18), fez o dever de casa e superou o Avaí por 2 a 0 no Serra Dourada. Com gols de Giovanni e Carlos Eduardo, a equipe esmeraldina fez 4 a 2 no placar agregado e mantém vivo o sonho de buscar o título inédito, que bateu na trave em 1990 ao perder a final para o Flamengo.

Na Arena Pernambuco, também na quarta-feira, o Náutico derrotou a Ponte Preta por 1 a 0, com gol de Júnior Timbó. Mas o resultado foi insuficiente para o Timbu, que havia perdido o jogo de ida para a Macaca por 3 a 0 em Campinas.

O Atlético Mineiro entrou em campo diante do Ferroviário na Arena Castelão, em Fortaleza, com uma situação tão confortável, que atuou com um time reserva. Depois de ter goleado o Ferrão por 4 a 0 no Independência, o Galo levou um susto ao ser surpreendido pela equipe cearense que fez 2 a 0, mas Róger Guedes e Gustavo Blanco empataram a peleja e espantou a zebra pra longe e classificaram o campeão da CB de 2014.

Hoje, duas partidas bastante equilibradas encerraram essa fase do torneio. No Morumbi, o São Paulo recebeu o Atlético Paranaense, fez 2 a 0 (gols de Valdívia e Nenê) que, naquela altura lhe assegurava a vaga, mas Giovanni (de pênalti) e Matheus Rossetto empataram o jogo e decretaram a classificação do Furacão, que fez 4 a 3 no placar agregado.

E, para encerrar, na mesma noite, outro rubronegro confirmou a sua continuidade no certame. Depois de perder por 2 a 1 no Beira-Rio, o Vitória fez 1 a 0 no Internacional e levou a disputa para os pênaltis. Nas cobranças, destaque para o goleiro Caíque, que pegou duas cobranças e ajudou o Leão a bater o Colorado por 4 a 3 nas cobranças penais.

Dessa forma, Goiás, Ponte Preta, Atlético Mineiro, Atlético Paranaense e Vitória se juntarão a Chapecoense, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Palmeiras, Santos, Vasco, América Mineiro, Luverdense e Bahia para a disputarem as oitavas-de-final da Copa do Brasil. O sorteio dos confrontos acontecerá às 11h de amanhã (20), na sede da CBF, no Rio de Janeiro.

Por Jorge Almeida

Cruzeiro: campeão da Copa do Brasil 2017

Jogadores do Cruzeiro comemoram o pentacampeonato da Copa do Brasil. Foto: Douglas Magno

O Cruzeiro é o primeiro representante brasileiro na Copa Libertadores da América em 2018. Isso porque na noite desta quarta-feira (27), a Raposa conquistou o título da Copa do Brasil no Mineirão nos pênaltis contra o Flamengo após empate em 0 a 0 no tempo normal. Nas penalidades, o flamenguista Diego parou em Fábio. O Cruzeiro tornou-se juntamente com o Grêmio os maiores detentores de títulos do torneio: cinco para cada.

Antes de a bola rolar, um clima de muita festa no Mineirão, com direito a queima de fogos e a presença de jogadores que fizeram história nos dois clubes, como o ex-goleiro Raul Plassmann, que completou 73 anos e foi homenageado pelos dois times – e com direito a bolo. E as presenças de Júnior e Sorín exibindo a taça pelo gramado do estádio.

A decisão começou com o Flamengo tendo a iniciativa. Contudo, logo aos três minutos, o Cruzeiro precisou fazer a primeira alteração. Raniel, com lesão muscular nas duas pernas, precisou ser substituído e, em seu lugar, entrou Arrascaeta. O rubronegro criou a primeira ocasião de gol. Aos seis, Guerrero cobrou falta visando o ângulo de Fábio, que pulou, porém, a bola acertou o travessão e saiu.

Enquanto o Flamengo manteve a posse, o Cruzeiro visava os contragolpes. E, em uma dessas investidas, o time celeste levou perigo aos 13 minutos. Após rebatida de Arão, a redonda foi alçada na área rubronegra e, depois da disputa pelo alto, Arrascaeta ficou com a sobra e tentou emendar de primeira, mas não pegou em cheio e o chute saiu torto pela linha de fundo. No lance seguinte, Arrascaeta ganhou de Pará pela esquerda e passou para Thiago Neves dentro da área, mas o camisa 30 chutou forte e cruzado por cima da meta de Alex Muralha.

Depois de sofrer dois sustos seguidos, o Fla voltou a trocar passes, enquanto os mineiros ficaram atrás da linha da bola. No entanto,  os comandados de Mano Menezes, bem compactados, conseguiram avançar um pouco mais e também valorizaram a troca de passes, contudo, encontraram dificuldades na criação.

Aos 25, Thiago Neves cobrou falta, Juan subiu mais que Muralha, que não achou nada, e mandou de cabeça para escanteio, quase um gol contra. Dois minutos depois, Arão errou no meio-campo, Robinho partiu para o ataque, acionou Arrascaeta pela direita da área, o camisa dez tentou tirar do arqueiro rubronegro e mandou à direita do poste.

O jogo seguiu equilibrado. Mas, aos 35, a Raposa roubou a bola e, após troca de passes, Hudson tocou para o meio da área, Arrascaeta não conseguiu amortecer a esférica e deixou escapar para as mãos de Muralha. O Flamengo respondeu na sequência. Diego partiu pela esquerda e rolou para a entrada da área, Guerrero não alcançou, mas a bola ficou para Berrío, que arriscou um chute rasteiro e mandou para fora.

Ao contrário da etapa inicial, o Cruzeiro começou melhor o  tempo complementar e criou a primeira chance aos seis minutos. Thiago Neves cruzou no primeiro pau, Henrique desviou de cabeça, mas não assustou Muralha. A partida seguiu equilibrada, mais truncada, na verdade. O Flamengou levou perigo apenas aos 19 minutos. Berrío deixou para Guerrero, o peruano foi desarmado por Murilo e, na sequência, Diego arriscou de fora da área para defesa de Fábio.

O Mengão cresceu no jogo, porém, o Cruzeiro conseguiu neutralizar bem as investidas rubronegras. Aos 29, Diego deixou para Guerrero, porém, o camisa 9 arriscou de fora da área e a bola subiu demais.

O time da casa levou perigo aos 32. Diego Barbosa cruzou da esquerda, Muralha deu um tapa fraco na redonda e, para alívio do goleiro, a bola bateu no rosta de Arrascaeta e foi pela linha de fundo. Seis minutos mais tarde, Arrascaeta cobrou falta em direção ao gol e a esférica saiu por cima da meta flamenguista.

E, quando à decisão estava em direção às penalidades, aos 42, Guerrero recebeu lançamento, dominou, passou por Léo e encheu o pé para o gol para ótima defesa de Fábio, que salvou a pátria celeste. O Cruzeiro ainda teve uma chance aos 45. Hudson lançou Élber, todavia, o camisa 23 não foi feliz na finalização e apenas amorteceu de cabeça para o arqueiro rubronegro. E, dessa forma, assim como em 2015, a Copa do Brasil foi para a disputa de pênaltis.

Nas cobranças de pênalti, todos os jogadores cruzeirenses (Henrique, Léo, Hudson, Diogo Barbosa e Thiago Neves) converteram suas cobranças. Pelos lados do Flamengo, apenas Diego teve a sua cobrança não convertida – Fábio defendeu, enquanto Guerrero, Juan e Trauco balançaram as redes. Porém, os flamenguistas reclamaram de um possível dois toques que Thiago Neves deu na cobrança derradeira, mas a arbitragem ignorou a queixa.

Apesar de o jogo ter sido no Mineirão, o Flamengo sentiu-se no Maracanã nos minutos iniciais e dominou as ações nos 15 primeiros minutos da decisão com direito a uma bola no travessão. Do lado cruzeirense, o técnico Mano Menezes precisou queimar a sua primeira alteração logo aos três minutos em virtude de um estiramento que tirou Raniel da decisão. A jovem promessa da Raposa foi substituída por Arrascaeta e, com isso, o esquema 4-3-2-1 foi trocado pelo tradicional 4-4-2 que variou para 4-3-3. Mas o Cruzeiro equilibrou o jogo e criou oportunidades, sendo algumas oriundas de erros na saída dos flamenguistas ou bolas roubadas pelos anfitriões. No segundo tempo, a Raposa melhorou ligeiramente, mas Mano Menezes voltou do intervalo promovendo uma segunda alteração por motivo de contusão – Rafinha no lugar de Robinho. No entanto, tecnicamente, a final ficou truncada e a bola quase não rolou. E, de forma justa, o título ficou definido nos tiros penais, melhor para o Cruzeiro que, assim como o Grêmio, conquistou a sua quinta taça da Copa do Brasil. Coincidentemente, a partir da quarta fase até a final do certame, o Cruzeiro passou por adversários que perderam decisões da Copa do Brasil para o time mineiro: São Paulo (2000), Palmeiras (1996), Grêmio (1993) e Flamengo (2003).

Primeira Fase:
15/02/2017 – Volta Redonda (RJ) 1×2 Cruzeiro (MG) – Estádio da Cidadania, Volta Redonda (RJ)
Segunda Fase:
22/02/2017 – Cruzeiro (MG) 6×0 São Francisco (PA) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Terceira Fase:
08/03/2017 – Murici (AL) 0x2 Cruzeiro (MG) – Estádio José Gomes da Costa, Murici (AL)
15/03/2017 – Cruzeiro (MG) 2×0 Murici (AL) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Quarta Fase:
13/04/2017 – São Paulo (SP) 0x2 Cruzeiro (MG) – Morumbi, São Paulo (SP)
19/04/2017 – Cruzeiro (MG) 1×2 São Paulo (SP) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Oitavas-de-final:
03/05/2017 – Cruzeiro (MG) 1×0 Chapecoense (SC) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
1º/06/2017 – Chapecoense (SC) 0x0 Cruzeiro (MG) – Arena Condá, Chapecó (SC)
Quartas-de-final:
28/06/2017 – Palmeiras (SP) 3×3 Cruzeiro (MG) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
26/07/2017 – Cruzeiro (MG) 1×1 Palmeiras (SP) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Semifinais:
16/08/2017 – Grêmio (RS) 1×0 Cruzeiro (MG) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
23/08/2017 – Cruzeiro (3)1×0(2) Grêmio – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Final:
07/09/2017 – Flamengo (RJ) 1×1 Cruzeiro (MG) – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
27/09/2017 – Cruzeiro (MG) (5)0x0(3) Flamengo (RJ) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)

FICHA TÉCNICA: CRUZEIRO (MG) (5)0x0(3) FLAMENGO (RJ)
Competição/fase: Copa do Brasil 2017 – final (2º jogo)
Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 27 de setembro de 2017 – 21h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)
Cartões Amarelos: Ezequiel, Hudson (Cruzeiro); Pará e Guerrero (Flamengo)
Pênaltis convertidos: Henrique, Léo, Hudson, Diogo Barbosa e Thiago Neves (Cruzeiro); Guerrero, Juan e Trauco (Flamengo)
Pênalti desperdiçado: Diego (Flamengo)
CRUZEIRO (MG): 1.Fábio; 2.Ezequiel, 3.Léo, 35.Murilo e 6.Diogo Barbosa; 8.Henrique, 25.Hudson, 19.Robinho (70.Rafinha), 11.Alisson e 30.Thiago Neves; 36.Raniel (10.Arrascaeta). Técnico: Mano Menezes
FLAMENGO (RJ): 38.Alex Muralha; 21.Pará, 15.Réver, 4.Juan e 13.Trauco; 5.Willian Arão, 26.Cuéllar e 35.Diego; 28.Berrío (2.Rodinei), 22.Everton (39.Lucas Paquetá) e 9.Paolo Guerrero. Técnico: Reinaldo Rueda

Parabéns ao Cruzeiro Esporte Clube pelo título.

Por Jorge Almeida

Flamengo e Cruzeiro decidirão a Copa do Brasil 2017

Flamengo e Cruzeiro farão a final da Copa do Brasil 2017. Foto: Rafael Ribeiro/CBF

Com a realização do segundo jogo das duas semifinais da Copa do Brasil 2017 disputado nesta quarta-feira (24), Flamengo e Cruzeiro decidirão o certame em duas partidas. O rubronegro derrotou o Botafogo no Maracanã por 1 a 0. Pelo mesmo placar, o Cruzeiro superou o Grêmio no Mineirão e, no caso, levou à disputa para os pênaltis, que terminou com vitória do time celeste por 3 a 2.

No clássico realizado no Maracanã, o Flamengo, que atuou como mandante e teve o apoio de sua torcida, levou a melhor contra o Botafogo ao vencer o rival por 1 a 0, gol de Diego, aos 25 minutos do segundo tempo. E, devido à soma do placar agregado, o Mengão avançou porque havia empatado em 0 a 0 no primeiro jogo, disputado no Nilton Santos na semana anterior (16).

Na outra semifinal, o Cruzeiro devolveu o resultado do primeiro jogo e derrotou o Grêmio por 1 a 0, no Mineirão. O gol da partida foi marcado por Hudson, de cabeça, aos sete minutos da etapa complementar. O placar levou a disputa para os pênaltis.  Nas cobranças, Fernandinho e Rafael Sóbis converteram. Na sequência, Edílson acertou a trave e Robinho parou em Marcelo Grohe. Em seguida, Everton mandou no travessão e o goleiro do Tricolor dos Pampas defendeu a batida de Murilo. Artur e Raniel não desperdiçaram e mantiveram o empate em 2 a 2. Mas, na quinta e decisiva, Fábio defendeu a cobrança de Luan e Thiago Neves marcou o terceiro gol cruzeirense na série e levou a Raposa para a final e, consequentemente, vingando-se da eliminação que a equipe celeste sofrera para o rival na edição do ano passado da mesma competição.

Os finalistas já disputaram uma decisão da Copa do Brasil, em 2003. Naquela ocasião, o Cruzeiro venceu o Flamengo por 3 a 1 no segundo jogo, disputado no Mineirão, depois de um empate em 1 a 1 no compromisso de ida no Maracanã. Naquela temporada, os mineiros conquistaram a chamada Tríplice Coroa – Campeonato Mineiro, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro. E esse será o quinto embate entre os dois pela Copa do Brasil. Na história, o rubronegro eliminou os cruzeirenses nas edições de 1995 e 2013, em ambos nas oitavas-de-final, sempre com o gol fora de casa como critério de desempate a favor do clube carioca. Já a Raposa, por sua vez, deu o troco nas edições de 1996 (semifinais) e a já citada final de 2003. No quesito número de títulos, o Cruzeiro leva a melhor: 4 (1993, 1996, 2000 e 2003) a 3 (1990, 2006 e 2013).

As datas da decisão foram definidas para os dias 7 e 27 de setembro, sendo que os mandos de campo serão sorteados nesta quinta-feira (24), às 15h, na sede da CBF, no Rio, e terá a presença dos representantes dos clubes finalistas.

Parabéns a Flamengo e Cruzeiro pela chagada à final, que ambos façam uma ótima decisão e que vença o melhor.

Por Jorge Almeida