CBF sorteou duelos das quartas-de-final da Copa do Brasil 2019

CBF definiu confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil 2019 nesta segunda-feira. Créditos: Laís Torres/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou nesta segunda-feira (10), em sua sede, no Rio de Janeiro (RJ), os confrontos das quartas-de-final da Copa do Brasil 2019. As partidas ocorrerão após a Copa América, em julho.

Os jogos terão como data-base os dias 10 e 17 de julho, marcados previamente. Grêmio e Bahia farão o confronto de tricolores no torneio. A partida de volta será realizada na Boa Terra. Enquanto o Baêa tenta o título inédito, o clube gaúcho vai em busca do sexto triunfo do torneio e se igualar ao Cruzeiro. E, por falar na Raposa…

Atual bicampeão do certame, o Cruzeiro terá pela frente nessa fase da Copa do Brasil o seu arquirrival, o Atlético Mineiro, em dois jogos que, certamente, vão parar Belo Horizonte. O Galo será o mandante do segundo jogo. A equipe celeste tem como objetivo o inédito tricampeonato consecutivo do torneio, ampliar a sua hegemonia e, de quebra, vingar-se da derrota sofrida na decisão de 2014 para o co-irmão de Minas, que, obviamente, não deixará de escapar a oportunidade de manter-se na luta pelo bicampeonato.

Outro embate interessante será a reedição da decisão de 2013. Flamengo e Athletico Paranaense fazem o clássico rubronegro das quartas-de-final. O clube da Gávea receberá o Furacão na partida derradeira dessa fase. Enquanto o Mengão visa o tetracampeonato, o time do Paraná busca o feito inédito e também dar o troco da perda do título de seis temporadas atrás. Será que a nova grafia dará sorte ao “ex-Atlético Paranaense”?

E, finalmente, Palmeiras e Internacional realizarão outro grande clássico do futebol brasileiro. O Colorado será o mandante do jogo de volta. A metade vermelha do Rio Grande do Sul torcerá para que sua equipe repita o feito da campanha vitoriosa de 1992 da competição, além do título, é óbvio: eliminar o alviverde que, naquela ocasião, sucumbira para os gaúchos nas semifinais. Todavia, o Verdão espera repetir o feito da campanha de 2015, quando mandou o Inter para casa na mesma fase e, no final, ficou com a taça.

Quem passar do clássico mineiro enfrentará nas semifinais o vencedor do duelo entre gaúchos e paulistas. Enquanto isso, a outra semifinal será marcada por confronto entre um rubronegro e um tricolor (mas não será Fla-Flu!).

Abaixo, a relação dos confrontos.

Cruzeiro (MG) x Atlético (MG)*
Palmeiras (SP) x Internacional (RS)*
Athletico Paranaense (PR) x Flamengo (RJ)*
Grêmio (RS) x Bahia (BA)*

* Mandantes dos jogos de volta.

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

Anúncios

CBF sorteou os confrontos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019

CBF realizou o sorteio dos confrontos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou na tarde desta quinta-feira (2), o sorteio dos confrontos e mandos de campo das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019. O evento aconteceu em sua sede, no Rio de Janeiro. Os duelos pela quinta fase do certame estão previstos para acontecer entre os dias 15 de maio e 5 de junho.

O sorteio, que está previsto no artigo 14º do Regulamento Específico da Competição, tem as presenças de cinco clubes que passaram a fase anterior (Corinthians, Santos, Fluminense, Vila Nova ou Juventude e Bahia) e os 11 pré-classificados para essa fase (os brasileiros participantes da atual edição da Copa Libertadores da América, além dos campeões do Brasileiro da Série B, Copa do Nordeste e Copa Verde do ano passado).

Antes do sorteio, o Diretor de Competições da CBF, Manoel Flores, foi convidado ao palco para ler o trecho do regulamento da competição que prevê o sorteio e a composição dos participantes e dos potes. A cerimônia seguiu com o narrador do Grupo Globo, Luís Roberto, como cerimonialista, e, no sorteio das bolinhas, participaram o comentarista Caio Ribeiro e o ex-jogador Juninho Paulista.

As equipes foram divididas em dois potes: em um com clubes que disputam a Copa Libertadores 2019 e no outro estão os demais. E, conforme a sequência do evento, o primeiro nome a ser sorteado foi o Internacional, que enfrentará o Paysandu. Depois, foi decretado que Flamengo e Corinthians medirão forças na continuidade do torneio. O terceiro confronto terá pela frente Atlético Mineiro e Santos. O quarto duelo do sorteio será realizado entre Grêmio e o ganhador do duelo entre Juventude e Vila Nova, que já fizeram o primeiro jogo da quarta fase e empataram em 0 a 0 em Caxias do Sul. O Palmeiras terá como adversário o Sampaio Corrêa, de acordo com o quinto embate a ser sorteado. O sexto embate será disputado entre Athletico Paranaense e Fortaleza. O penúltimo confronto a ser definido será entre Cruzeiro e Fluminense. E, finalmente, São Paulo e Bahia fazem o duelo de tricolores nas oitavas-de-final.

Após uma pausa, o sorteio para definir os mandos de campo das oitavas-de-final. O mestre de cerimônia Luiz Roberto explicou os motivos pelos quais se fez necessário a pausa para analisar os duelos para que evitem uma conflito de datas entre duas equipes da mesma cidade jogarem no mesmo dia.

De acordo com a definição do sorteio, os mandantes dos jogos de ida serão: Corinthians, Internacional, Atlético Mineiro, Juventude ou Vila Nova, Sampaio Corrêa, Fortaleza, Fluminense e São Paulo. Enquanto, Flamengo, Paysandu, Santos, Grêmio, Palmeiras, Athletico Paranaense, Cruzeiro e Bahia receberão as partidas de volta das oitavas-de-final.

Reforçando que, em caso de empate no placar agregado, o vencedor será definido através da disputa de pênaltis. As data-base dessa fase da competição serão os dias 15, 22 e 29 de maio e 5 de junho.

A seguir, a relação dos confrontos dos duelos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2019.

Corinthians (SP) x Flamengo (RJ)
Flamengo (RJ) x Corinthians (SP)

Internacional (RS) x Paysandu (PA)
Paysandu (PA) x Internacional (RS)

Vila Nova (GO) ou Juventude (RS) x Grêmio (RS)
Grêmio (RS) x Vila Nova (GO) ou Juventude (RS)

Atlético Mineiro (MG) x Santos (SP)
Santos (SP) x Atlético Mineiro (MG)

Sampaio Corrêa (MA) x Palmeiras (SP)
Palmeiras (SP) x Sampaio Corrêa (MA)

Fluminense (RJ) x Cruzeiro (MG)
Cruzeiro (MG) x Fluminense (RJ)

São Paulo (SP) x Bahia (BA)
Bahia (BA) x São Paulo (SP)

Fortaleza (CE) x Athletico Paranaense (PR)
Athletico Paranaense (PR) x Fortaleza (CE)

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

Cruzeiro: campeão mineiro de 2019

Os jogadores do Cruzeiro comemoram o título do Campeonato Mineiro de 2019, conquistado de forma invicta. Foto; Telmo Ferreira/Gazeta Press

Com o empate em 1 a 1 na segunda partida da final do Campeonato Mineiro 2019 disputada no Independência na tarde deste sábado (20), o Cruzeiro sagrou-se bicampeão mineiro diante do arquirrival Atlético Mineiro. Com gols de Elias para o Galo e Fred, de pênalti, para a Raposa, os comandados de Mano Menezes fizeram 3 a 2 no agregado e conquistaram o 40º Estadual para o clube celeste. O título de 2019 foi ganho de forma invicta e o Cruzeiro ainda teve Fred como artilheiro máximo do certame, com 12 gols.

O clássico mineiro já começou pilhado logo nos momentos iniciais. Com menos de três minutos de bola rolando, já veio o primeiro cartão amarelo do jogo. Geuvânio foi advertido pelo árbitro (depois de ter consultado o VAR) após pisão no pé do adversário.

E o primeiro lance de perigo foi protagonizado pelo Atlético. Aos cinco minutos, Geuvânio cruzou, Ricardo Oliveira desviou e mandou a bola no travessão. No rebote, Luan bateu cruzado para fora. Recuado, o Cruzeiro ficou à espera de conseguir o contragolpe, que veio aos nove. Rodriguinho tentou de longe e mandou por cima da meta de Victor. Dois minutos depois, a Raposa atacou pela esquerda com Marquinhos, que cruzou rasteiro e Igor Rabello, ao tentar cortar, mandou no travessão e, por pouco, não marcou um gol contra.

Depois de um início eletrizante, com os dois times mandando bolas na trave e com chegadas mais fortes nos lances de ambos os lados, o duelo seguiu equilibrado. Aos 21, Henrique pegou a sobra e mandou de longe, mas sem direção. Enquanto os comandados de Mano Menezes ainda não conseguiam encaixar bem a marcação, o Galo chegou ao seu gol aos 29 minutos justamente com um velho conhecido do comandante cruzeirense. Chará lançou Ricardo Oliveira, o Pastor finalizou, Fábio defendeu parcialmente e, no alto, Elias levou a melhor com Dodô e cabeceou para as redes. A bola ainda desviou em Léo antes de entrar: Atlético 1 a 0. Resultado que deixaria o título mineiro no Horto.

Após o gol sofrido, o time celeste passou a ocupar mais os espaços no campo do rival, que se fechou na defesa. Aos 40, Rodriguinho recebeu na área, girou e chutou, mas a redonda desviou no meio da trajetória e foi parar nos braços de Victor. Na jogada posterior, aos 42, Geuvânio recebeu passe invertido na direita, limpou para o meio e bateu cruzado para excelente defesa de Fábio. Mas a etapa inicial foi até os 49 minutos com vitória parcial do Galão da Massa pelo placar mínimo.

Na volta para o segundo tempo, o Cruzeiro partiu para cima. Aos dois minutos, Robinho bateu a falta colocada e a esférica passou muito próximo da trave direita do arqueiro atleticano. Os anfitriões conseguiram dar uma neutralizada no ímpeto do rival, equilibrou o jogo e ficou por um tempo no campo de ataque. Mano Menezes fez a sua primeira alteração aos 19 ao colocar Pedro Rocha no lugar de Marquinhos Gabriel. E, em sua primeira participação no jogo, aos 20, o camisa 32 recebeu de Robinho na entrada da pequena área, dominou e finalizou, mas a redonda saiu na rede pelo lado de fora.

A Raposa seguiu no ataque. Aos 26, Dodô recebeu na esquerda, limpou para o meio e tentou com a perna direita, mas errou o alvo. Eis que, cinco minutos depois, o lance que definiu o Campeonato Mineiro. Aos 31, Pedro Rocha entrou na área, tentou driblar Leonardo Silva, que bateu com a mão na bola. O árbitro Leandro Bizzio Marinho foi à beira do gramado analisar o lance com o auxílio do VAR e, depois de três minutos, marcou a penalidade a favor do Cruzeiro. Na cobrança, Fred bateu cruzado, no canto direito de Victor, que caiu do outro lado, e empatou o jogo no Independência: 1 a 1.

Imediatamente após o gol de empate, Mano Menezes sacou Rodriguinho e colocou o volante Lucas Silva deixando claro que o negócio agora era segurar o resultado e tentar surpreender o adversário no contragolpe. Aos 40, depois do bate-rebate na área atleticana, a bola sobrou para Lucas Silva, que mandou por cima do gol de Victor.

Por conta das substituições e do tumulto no lance do pênalti a favor do Cruzeiro, o árbitro Leandro Bizzio decretou sete minutos de acréscimos, mas, o “enjoado” time de Mano Menezes tratou de administrar o placar e conseguiu o resultado necessário para poder comemorar o bicampeonato. Fim de jogo no Independência, Atlético Mineiro 1, Cruzeiro 1. A Raposa conquista o estadual de forma invicta.

A final do Campeonato Mineiro foi do jeito que era esperado: o Atlético Mineiro indo para cima para reverter a desvantagem e o Cruzeiro querendo surpreender o adversário no contragolpe. O Galo até conseguiu parte do objetivo ao fazer o gol no primeiro tempo através de Elias, mas a Raposa voltou disposta e conseguiu o empate através de um pênalti em que a bola bateu na mão de Leonardo Silva e que a arbitragem assinalou depois de consultar o VAR. O “rei dos stories” Fred não perdoou e fez o gol do título cruzeirense e o seu 12º gol no certame em 12 jogos. O primeiro conquistado pelo clube na casa do adversário.

Com o fim do Estadual, as atenções dos dois times estarão voltadas para a Copa Libertadores da América na terça-feira. O Cruzeiro irá encarar o Deportivo Lara, na Venezuela, às 17h (horário de Brasília), e, depois, às 21h30, o Atlético receberá o Nacional, do Uruguai, no Mineirão. Ambos estrearão no Campeonato Brasileiro 2019 no próximo sábado (27). Enquanto o Galo receberá o Avaí, a Raposa irá até o Rio de Janeiro enfrentar o Flamengo.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão.

Data – Jogo – Local:
Primeira Fase:
19/01 – Guarani (MG) 1×3 Cruzeiro – Farião, Divinópolis (MG)
23/01 – Cruzeiro 1×0 Patrocinense – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
27/01 – Cruzeiro 1×1 Atlético Mineiro – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
31/01 – Boa Esporte 2×2 Cruzeiro – Melão, Varginha (MG)
03/02 – Villa Nova (MG) 0x3 Cruzeiro – Castor Cifuentes, Nova Lima (MG)
10/02 – Cruzeiro 3×0 Tupynambás – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
17/02 – América (MG) 0x0 Cruzeiro – Independência, Belo Horizonte (MG)
24/02 – URT 1×1 Cruzeiro – Zama Maciel, Patos de Minas (MG)
10/03 – Cruzeiro 2×0 Tombense – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
16/03 – Tupi (MG) 0x3 Cruzeiro – Helenão, Juiz de Fora (MG)
20/03 – Cruzeiro 3×0 Caldense – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Quartas-de-final:
23/03 – Cruzeiro 5×0 Patrocinense – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Semifinais:
31/03 – América (MG) 2×3 Cruzeiro – Independência, Belo Horizonte (MG)
06/04 – Cruzeiro 3×0 América (MG) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Final:
14/04 – Cruzeiro 2×1 Atlético Mineiro – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
20/04 – Atlético Mineiro 1×1 Cruzeiro – Independência, Belo Horizonte (MG)

FICHA TÉCNICA: ATLÉTICO MINEIRO 1×1 CRUZEIRO
Competição/Fase: Campeonato Mineiro 2019 – final (2º jogo)
Local: Estádio Raimundo Sampaio (Independência) – Belo Horizonte (MG)
Data: 20 de abril de 2019, sábado – 16h30 (horário de Brasília)
Público: 21.862
Renda: R$ 1.208.669,00
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Auxiliares: Rafael da Silva Alves e Elio Nepomuceno de Andrade Júnior
Cartões Amarelos: Geuvânio, Luan, Ricardo Oliveira e Victor (Atlético); Edílson, Thiago Neves, Fred e Fábio (Cruzeiro)
Gols: Elias, aos 29 min do 1º tempo (1-0); e Fred, de pênalti, aos 34 min do 2º tempo)
ATLÉTICO MINEIRO: 1.Victor; 98.Guga, 3.Leonardo Silva, 16.Igor Rabello e 6.Fábio Santos; 14.José Welison (44.Alerrandro), 7.Elias e 27.Luan (92.Vinícius); 8.Chará, 49.Geuvânio (11.Maicon) e 9.Ricardo Oliveira. Técnico: Rodrigo Santana
CRUZEIRO: 1.Fábio; 2.Edílson, 26.Dedé, 3.Léo e 18.Dodó; 8.Henrique, 29.Lucas Romero (10.Thiago Neves), 19.Robinho, 20. Marquinhos Gabriel (32.Pedro Rocha) e 23.Rodriguinho (16.Lucas Silva); 9.Fred. Técnico: Mano Menezes

Parabéns ao Cruzeiro Esporte Clube pelo bicampeonato.

Por Jorge Almeida

Atlético Mineiro: campeão da Taça BH de Futebol Júnior 2018

Jogadores do Galinho comemoram o título da Taça BH de Futebol Júnior. Créditos: divulgação

De virada, o Atlético Mineiro derrotou o Fluminense por 3 a 1 na noite desta terça-feira (31), no Estádio Independência, em Belo Horizonte, na decisão da Taça BH de Futebol Júnior 2018. Os gols da partida foram marcados por Marcos Paulo, para o Flu, mas com dois gols do artilheiro Guilherme, sendo um de pênalti, e de Mário, o Galinho conquistou o sexto titulo do torneio sub-17 de sua história, o que faz dele o maior vencedor do certame, deixando o arquirrival Cruzeiro com cinco e quebrando a hegemonia dos paulistas, que ficaram com as últimas três edições.

O primeiro lance de perigo foi protagonizado pelo Fluminense. Aos dois minutos, João Pedro fez jogada pela esquerda e cruzou na medida para Luiz Henrique, que soltou a bomba e mandou no travessão. No rebote, Wallace cabeceou para boa defesa do goleiro Junior. Dos minutos depois, o camisa 8 tricolor roubou a bola no ataque, entrou na área e chutou para outra defesa do arqueiro atleticano e, na sequência, o jogador do Flu cruzou para Marcos Paulo, que não conseguiu finalizar. Começo eletrizante do time carioca.

O Fluminense manteve a pressão e, aos 11, fez o primeiro gol do jogo. Wallace deu um belo passe para Marcos Paulo, que ficou em boas condições, avançou e, ao entrar na área, deu um tapa no canto esquerdo do goleiro.

Mas o Galo não deixou o adversário comemorar direito e buscou o empate. Aos 14 minutos, Neto cobrou falta na barreira. No rebote, Gabriel chutou e a bola bateu no braço de Davi na área. Pênalti. Na cobrança, Guilherme bateu no alto e deixou tudo igual no Independência.

Depois do empate, o Atlético Mineiro cresceu no jogo, mas foi o Tricolor das Laranjeiras que assustou aos 21 minutos. João Pedro aproveitou a bola levantada na área e tentou uma bicicleta, mas o arqueiro atleticano se esticou todo e evitou o que seria um golaço. E a trave salvou o time da casa novamente aos 26. Depois boa jogada de João Pedro, a redonda chegou para Marcos Paulo na entrada da área e ele bateu colocado e acertou o poste defendido por Junior. Aos 29, mais uma boa trama do camisa 26 do Flu. A esférica sobrou na entrada da área, o atacante tirou da marcação e chutou colocado e passou triscando a trave atleticana.

Após três chances consecutivas do Fluminense, aos 34, Luan errou no meio-campo, Thiago Ruan avançou pela direita, chutou cruzado, acertou a trave e, no rebote, Luiz Felipe rolou para trás para Guilherme virar a partida e se isolar na artilharia do certame, com sete gols.

E, antes do término do primeiro tempo, Wallace foi derrubado dentro da área, o árbitro Michel Patrick Costa Guimarães seguiu com o jogo e os jogadores do Fluminense reclamaram para pedir a penalidade. Contudo, a etapa inicial terminou com vitória parcial do Galinho, de virada, por 2 a 1.

No segundo tempo, as duas equipes caíram de produção. Contudo, aos 15 minutos, Luan fez falta dura em Eduardo e recebeu o segundo amarelo. Com isso, o Fluminense ficou com um a menos e o técnico mandou o volante Martinelli foi recuado para a zaga.

E, mesmo com um jogador a menos, o Tricolor carioca tentou pressionar para empatar, mas o Atlético Mineiro soube se segurar e tentou partir em contragolpes, mas não obteve êxito.

O Galinho sacramentou o título aos 36 minutos. Luiz Filipe recebeu pela direita, cruzou a meia altura para a área, Mário completou para as redes e aumentou a vantagem atleticana: 3 a 1. Festa no Independência.

O Atlético Mineiro ainda perdeu o artilheiro Guilherme no final do jogo ao ser expulso por reclamação aos 39. Contudo, a essa altura do campeonato, a saída do camisa 9 não prejudicou o desempenho da equipe, que esperou o jogo chegar aos 44 minutos, de acordo com o acréscimo do árbitro. Fim de jogo no Independência, Atlético Mineiro 3, Fluminense 1.

O Atlético trabalhou mais com a bola, porém, o Fluminense sempre levara perigo quando chegava ao ataque. Um duelo bem equilibrado no primeiro tempo. E, quando esteve melhor no jogo, o Flu abriu o placar, mas o Galinho mostrou-se eficiente e conseguiram virar o placar ainda na etapa inicial. No segundo tempo, os meninos de Xerém tentaram buscar o empate, perdeu Luan por expulsão e, mesmo assim, tentou pressionar os anfitriões, mas o gol de Mário aos 36 minutos decretou o sexto título do torneio para o Atlético Mineiro.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão.

Primeira Fase (Grupo G):
17/07 – Atlético (MG) 4×0 SEDUC (MS) – Cidade do Galo, Vespasiano (MG)
19/07 – Dínamo (MG) 0x5 Atlético (MG) – Cidade do Galo, Vespasiano (MG)
21/07 – Atlético (MG) 1×2 Juventude (RS) – Cidade do Galo, Vespasiano (MG)
Oitavas-de-final:
23/07 – Flamengo (RJ) 0x2 Atlético (MG) – Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
Quartas-de-final:
25/07  – Atlético (MG) (4)2×2(2) Santos (SP) – Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
Semifinais:
28/07 – São Paulo (SP) 1×2 Atlético (MG) – Arena do Jacaré, Sete Lagoas (MG)
Final:
31/07 – Atlético (MG) 3×1 Fluminense (RJ) – Independência, Belo Horizonte

FICHA TÉCNICA: ATLÉTICO (MG) 3×1 FLUMINENSE (RJ)
Competição/Fase: Taça BH de Futebol Júnior 2018 – final (jogo único)
Local: Estádio Raimundo Sampaio (Independência) – Belo Horizonte (MG)
Data: 31 de julho de 2018 – terça-feira, 21h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Michel Patrick Costa Guimarães
Assistentes: Emílio Junio Nascimento Santos e Richard Cristoffer da Silva Gabriel
Cartões Amarelos: Rubens, Samuel e Carlos (Atlético); Martinelli, Luan e Wallace (Fluminense)
Cartões Vermelhos: Guilherme (Atlético) e Luan (Fluminense)
Gols: Marcos Paulo, aos 11 min (0-1); Guilherme, de pênalti, aos 15 min (1-1) e aos 34 min do 1º tempo (2-1); e Mário, aos 37 min do 2º tempo (3-1)
ATLÉTICO (MG): 1.Junior, 8.Neto, 3.Cauê, 14.Yago e 26.Lima; 5.Samuel, 10.Gabriel (17.Eduardo) e 6.Rubens; 11.Luiz Filipe (13.Carlos), 7.Thiago Juan (22.Mário) e 9.Guilherme. Técnico: Leandro Zago
FLUMINENSE (RJ): 1.Marcelo; 2.Calegari, 4.Luan, 13.Davi e 6.Marcos Pedro (19.Miguel); 5.André, 16.Martinelli, 8.Wallace e 11.Luiz Henrique (18.Kaká); 26.Marcos Paulo e 9.João Pedro. Técnico: Eduardo Oliveira

Parabéns ao Clube Atlético Mineiro pelo título.

Por Jorge Almeida

CBF sorteia os confrontos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018

Copa do Brasil 2018: CBF sorteou os confrontos das oitavas-de-final. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

* Atualizado às 20h de 26/04.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou na manhã desta sexta-feira (20), o sorteio que definiu os duelos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018. Um dia após a definição das duas últimas vagas da quarta fase, a entidade promoveu o evento que determinou quem os cinco classificados da fase anterior pegará na sequência do torneio.

Com as presenças do tetracampeão mundial Zinho e de Melina Torres no sorteio, o método dos confrontos foi simples: as oito equipes que disputam (ou disputaram no caso da Chapecoense) a Libertadores 2018 estavam nas bolinhas do pote 1, enquanto os cinco clubes classificados da quarta fase da Copa do Brasil, além de América Mineiro (campeão do Brasileiro da Série B de 2017), Luverdense (campeão da Copa Verde 2017) e Bahia (campeão da Copa do Nordeste 2017) estavam no pote 2.

Primeiro, foi sorteado as seguintes equipes do pote 1 com a seguinte ordem: Chapecoense, Cruzeiro, Vasco, Grêmio, Corinthians, Palmeiras, Flamengo e Santos. Esses clubes enfrentarão respectivamente Atlético Mineiro, Atlético Paranaense, Bahia, Goiás, Vitória, América Mineiro, Ponte Preta e Luverdense.

As partidas serão disputadas nas seguintes datas: 25 de abril, dias 2, 9, 16 e 23 de maio. No caso, os clubes do pote 1 serão os mandantes dos jogos de volta.

No mesmo dia, porém, à tarde, a CBF definiu as datas de alguns dos duelos.

Na primeira data disponível para os jogos das oitavas-de-final, duas partidas: Goiás e Grêmio, no Serra Dourada, e Vitória e Corinthians, no Barradão. Os dois embates estão previstos para às 19h30 do dia 25 de abril. Porém, as datas das partidas de volta ainda não foram definidas pela CBF. Na semana seguinte, no dia 2 de maio, Ponte Preta e Flamengo medirão forças no Moisés Lucarelli, e Atlético Mineiro receberá a Chapecoense no Independência. Enquanto isso, Cruzeiro x Atlético Paranaense, Bahia x Vasco, Santos x Luverdense vão medir forças nos dias 9 e 16 de maio. Apenas América Mineiro e Palmeiras seguem com datas indefinidas para se enfrentarem.

Curiosamente, nos oitos confrontos, há o embate entre um clube que já ganhou a competição e o outro que busca a conquista inédita.

Nos próximos dias, a CBF confirmará as datas e os horários que ainda estão pendentes.

A seguir a relação dos confrontos e as datas das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018.

*Data – Horário – Jogo – Local:
25/04 – 19h30 – Goiás (GO) 0x2 Grêmio (RS) – Serra Dourada, Goiânia (GO)
25/04 – 19h30 – Vitória (BA) 0x0 Corinthians (SP) – Barradão, Salvador (BA)
02/05 – 19h30 – Atlético (MG) x Chapecoense (SC) – Independência, Belo Horizonte (MG)
02/05 – 19h30 – Ponte Preta (SP) x Flamengo (RJ) – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
09/05 – 19h30 – América (MG) x Palmeiras (SP) – Independência, Belo Horizonte (MG)
09/05 – 19h30 – Grêmio (RS) x Goiás (GO) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
09/05 – 21h45 – Bahia (BA) x Vasco (RJ) – Fonte Nova, Salvador (BA)
10/05 – 19h30 – Corinthians (SP) x Vitória (BA) – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
10/05 – 19h30 – Flamengo (RJ) x Ponte Preta (SP) – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
10/05 – 21h45 – Santos (SP) x Luverdense (MT) – Vila Belmiro, Santos (SP)
16/05 – 19h30 – Chapecoense (SC) x Atlético (MG) – Arena Condá, Chapecó (SC)
16/05 – 19h30 – Vasco (RJ) x Bahia (BA) – São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
16/05 – 21h45 – Atlético (PR) x Cruzeiro (MG) – Arena da Baixada, Curitiba (PR)
17/05 – 19h15 – Luverdense (MT) x Santos (SP) – Passo das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
23/05 – 21h45 – Palmeiras (SP) x América (MG) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
16/07 – 20h – Cruzeiro (MG) x Atlético (PR) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
* Atualizado às 20h de 26/04/2018

Por Jorge Almeida

Encerrada a quarta fase da Copa do Brasil 2018

Copa do Brasil 2018: encerrada a quarta fase: cinco equipes avançaram para as oitavas-de-final. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF19

Com a realização de dois jogos nesta quinta-feira (19), a quarta fase da Copa do Brasil chegou ao fim. Além dos classificados dessa noite, Vitória e Atlético Paranaense, outras três equipes passaram para as oitavas-de-final do certame na quarta-feira (18). Os cinco classificados seguirão no torneio e, na fase seguinte, participarão do sorteio com os clubes classificados diretamente para as oitavas-de-final (os seis representantes da Taça Liberadores da América e os campeões da Copa do Nordeste, da Copa Verde e do Campeonato Brasileiro da Série B).

O primeiro a se classificar para as oitavas-de-final foi o Goiás que, ontem (18), fez o dever de casa e superou o Avaí por 2 a 0 no Serra Dourada. Com gols de Giovanni e Carlos Eduardo, a equipe esmeraldina fez 4 a 2 no placar agregado e mantém vivo o sonho de buscar o título inédito, que bateu na trave em 1990 ao perder a final para o Flamengo.

Na Arena Pernambuco, também na quarta-feira, o Náutico derrotou a Ponte Preta por 1 a 0, com gol de Júnior Timbó. Mas o resultado foi insuficiente para o Timbu, que havia perdido o jogo de ida para a Macaca por 3 a 0 em Campinas.

O Atlético Mineiro entrou em campo diante do Ferroviário na Arena Castelão, em Fortaleza, com uma situação tão confortável, que atuou com um time reserva. Depois de ter goleado o Ferrão por 4 a 0 no Independência, o Galo levou um susto ao ser surpreendido pela equipe cearense que fez 2 a 0, mas Róger Guedes e Gustavo Blanco empataram a peleja e espantou a zebra pra longe e classificaram o campeão da CB de 2014.

Hoje, duas partidas bastante equilibradas encerraram essa fase do torneio. No Morumbi, o São Paulo recebeu o Atlético Paranaense, fez 2 a 0 (gols de Valdívia e Nenê) que, naquela altura lhe assegurava a vaga, mas Giovanni (de pênalti) e Matheus Rossetto empataram o jogo e decretaram a classificação do Furacão, que fez 4 a 3 no placar agregado.

E, para encerrar, na mesma noite, outro rubronegro confirmou a sua continuidade no certame. Depois de perder por 2 a 1 no Beira-Rio, o Vitória fez 1 a 0 no Internacional e levou a disputa para os pênaltis. Nas cobranças, destaque para o goleiro Caíque, que pegou duas cobranças e ajudou o Leão a bater o Colorado por 4 a 3 nas cobranças penais.

Dessa forma, Goiás, Ponte Preta, Atlético Mineiro, Atlético Paranaense e Vitória se juntarão a Chapecoense, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Palmeiras, Santos, Vasco, América Mineiro, Luverdense e Bahia para a disputarem as oitavas-de-final da Copa do Brasil. O sorteio dos confrontos acontecerá às 11h de amanhã (20), na sede da CBF, no Rio de Janeiro.

Por Jorge Almeida

Londrina: campeão da Copa Primeira Liga 2017

Jogadores do Londrina erguem a taça da Copa da Primeira Liga no Estádio do Café. Créditos: SporTV

O Londrina Esporte Clube é o campeão da Copa Primeira Liga 2017 depois de levar a melhor contra o Atlético Mineiro por 4 a 2 na disputa por pênaltis após empate em 0 a 0 no tempo normal, na noite desta quarta-feira (4), no Estádio do Café, em Londrina. Destaque para o goleiro César, que defendeu duas cobranças. Esse é o segundo título de relevância nacional do Tubarão – o primeiro foi a Taça da Prata de 1980.

A decisão começou com o Londrina marcando o Atlético na pressão, enquanto o Galo encontrou dificuldades de sair jogando. No entanto, quem criou a primeira oportunidade foi o time mineiro. Aos 8, após boa troca de passes, Alex Silva chegou até a linha de fundo, invadiu a área e, sem ângulo, chutou firme e rasteiro, mas César fez a defesa em dois tempos.

O Tubarão buscou mais o jogo, embora a marcação tenha sido o ponto forte das duas equipes até então. Porém, aos 18, Negueba arriscou o chute, acertou a defesa atleticana e, na sobra, Rômulo tentou de fora da área. O camisa 8 buscou o canto esquerdo de Victor e arrancou o grito de “Uh!” do torcedor da equipe alviceleste ao mandar a redonda pela linha de fundo. No minuto seguinte, em outra chance, Artur passou por Valdívia na intermediária e arriscou da entrada da área e errou o alvo.

Seis minutos depois, Negueba girou em cima de Adílson e soltou uma pancada para Victor espalmar para escanteio. O LEC cresceu no jogo juntamente com sua torcida e tentou investir bastante dos arremates de fora da área. Mas a partida deu uma esfriada depois dos 30 minutos. E assim ficou nos dez minutos seguintes.

Mas aos 40, Valdívia recebeu em boas condições e arriscou da meia-lua, mas a esférica subiu demais. E, antes do término da etapa inicial, Robinho deixou Valdívia em boas condições e, na hora da finalização, foi desarmado por Ayrton, todavia, a arbitragem erroneamente marcou tiro de meta.

A etapa complementar começou com o Galo pressionando. Aos 8, Valdívia cobrou escanteio fechado, rasteiro, e, surpreendentemente, quase fez um gol olímpico. Depois, foi a vez do time da casa tentar pressionar, mas sem sucesso em furar o bloqueio do Galo.

Aos 20, depois da cobrança de escanteio, ganhou da defesa adversária e cabeceou com perigo. A bola saiu sobre o gol de Victor.

O jogo teve uma queda de rendimento por parte dos dois times, além disso, a parte física começou a pesar para ambos e, consequentemente, as alterações foram feitas para os substitutos darem um ânimo renovado para suas equipes.

A decisão estava a caminho da disputa por pênaltis. No entanto, aos 42, o Atlético Mineiro ainda teve a última chance do jogo. Após boa tabela, Marlone, que substituiu Cazares, arriscou da meia-lua, mas mandou por cima da meta.

Dessa forma, depois dos dois minutos de acréscimos dados pelo árbitro Bráulio da Silva Machado, a decisão da Primeira Liga foi para disputa por pênaltis.

Nos tiros penais, o Tubarão converteu todas as quatro primeiras cobranças com Jumar, Edson Silva, Ayrton e Dirceu – Negueba, o quinto cobrador, não precisou bater o seu tiro penal. Do lado do Galo, apenas Fábio Santos e Robinho acertaram suas cobranças, uma vez que Clayton e Rafael Moura pararam no goleiro César.

Dono da melhor campanha, o Londrina foi beneficiado de decidir em casa a segunda edição da Copa Primeira Liga. A equipe do norte paranaense levou a competição a sério desde o começo e, para alegria de seus torcedores mais antigos, vingou-se da derrota sofrida pelo Atlético Mineiro nas semifinais do Campeonato Brasileiro de 1977 para o Atlético Mineiro. A partida foi equilibrada com os dois times alternando domínio do jogo ao longo do tempo regulamentar, mas o Londrina criou as melhores chances. Nos pênaltis, brilhou a estrela do goleiro César, que defendeu duas cobranças. Destaque também para os batedores do LEC, que acertaram todos os penais e estavam diante de um especialista de pegar pênaltis, o goleiro Victor que, por incrível que pareça, só não acertou o canto de uma das cobranças. Mas, o título está em boas mãos, pois o Londrina dedicou-se ao torneio e deixou adversários de tradição e camisas de peso pelo caminho, como Fluminense, Cruzeiro e, na final, o Atlético Mineiro.

A seguir, o resumo da campanha e a ficha técnica da final.

Primeira Fase (Grupo D):
25/01/2017 – Figueirense (SC) 0x1 Londrina (PR) – Orlando Scarpelli, Florianópolis (SC)
31/01/2017 – Avaí (SC) 0x1 Londrina (PR) – Estádio da Ressacada, Florianópolis (SC)
21/02/2017 – Londrina (PR) 2×1 Paraná (PR) – Estádio do Café, Londrina (PR)
Quartas-de-final:
30/08/2017 – Londrina (PR) 2×0 Fluminense (RJ) – Estádio do Café, Londrina (PR)
Semifinal:
03/09/2017 – Londrina (PR) (3)2×2(1) Cruzeiro (MG) – Estádio do Café, Londrina (PR)
Final:
04/10/2017 – Londrina (PR) (4)0x0(2) Atlético Mineiro (MG) – Estádio do Café, Londrina (PR)

FICHA TÉCNICA: LONDRINA (PR) (4)0x0(2) ATLÉTICO MINEIRO (MG)
Competição/fase: Copa Primeira Liga 2017 – final (jogo único)
Local: Estádio do Café, Londrina (PR)
Data: 4 de outubro de 2017, quarta-feira – 21h50 (horário de Brasília)
Árbitro: Bráulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Carlos Berckenbrock (SC) e Rafael da Silva Alves (RS)
Cartões Amarelos: Ayrton, Jardel e Negueba (Londrina); Adílson (Atlético)
Pênaltis convertidos: Jumar, Edson Silva, Ayrton e Dirceu (Londrina); Fábio Santos e Robinho (Atlético)
Pênaltis desperdiçados: Clayton e Rafael Moura (Atlético)
LONDRINA (PR): 1.César; 2.Lucas Ramon, 3.Dirceu, 4.Edson Silva e 6.Ayrton; 5.Jumar, 11.Jardel e 8.Rômulo (22.Marcinho); 7.Artur, 10.Negueba e 9.Carlos Henrique (21.Safira). Técnico: Cláudio Tencati
ATLÉTICO MINEIRO (MG): 1.Victor; 29.Alex Silva, 26.Felipe Santana, 30.Gabriel e 6.Fábio Santos; 8.Elias, 21.Adílson, 20.Valdívia (99.Clayton), 10.Cazares (92.Marlone) e 7.Robinho; 9.Fred (13.Rafael Moura). Técnico: Oswaldo de Oliveira

Parabéns ao Londrina Esporte Clube pelo título.

Por Jorge Almeida