Barcelona: campeão do Troféu Joan Gamper 2019

Jogadores do Barcelona posam para a “foto oficial” no duelo pelo Troféu Joan Gamper contra o Arsenal. Foto: http://www.fcbarcelona.com

Com direito a um golaço e um gol contra inusitado, o Barcelona venceu de virada o Arsenal neste domingo (4), em seu estádio, o Camp Nou, em partida válida pela disputa do troféu amistoso Joan Gamper 2019. Os Gunners saíram na frente com Aubameyang, mas Maitland-Niles (contra) e Suárez garantiram a vitória dos blaugranas, que ficaram com o caneco pela 42ª vez.

O amistoso começou com o Barcelona atacando. Mas a primeira finalização com perigo veio aos 12 com Rakitić. Griezmann recebeu e rolou para trás para o croata finalizar, mas errou o alvo. Depois, aos 25, Dembélé tocou para Puid na altura da meia-lua, o camisa 28 dominou e chutou com a direita para o goleiro Leno defender em dois tempos.

Os Gunners só chegaram de forma mais aguda a partir dos 26 minutos. A bola foi levantada da direita na área do Barça por Maitland Niles, Aubameyang deu um mergulho e não alcançou a redonda. No minuto seguinte, o lateral fez jogada pela direita e tentou cruzar rasteiro para o meio da área, mas Neto esteve atento e pegou a redonda.

No entanto, aos 29, Alba avançou pela esquerda, puxou para dentro e tentou de direita, mas parou no goleiro. Na sequência, Dembélé tentou tocar para Griezmann na área, mas a bola praticamente bateu no camisa 17 e saiu. Aos 32, Griezmann recebeu na área, tentou girar, a bola bateu no defensor londrino e saiu pela linha de fundo, quase um gol contra.

Até que, aos 36, Aubameyang recebeu, teve espaço, girou para dentro da marcação do Alba e bateu firme para colocar os visitantes na frente do placar. Os blaugranas tentaram empatar em dois lances de perigo em ataques pelas laterais, porém, Leno interceptou em ambas jogadas. E o primeiro tempo encerrou com vitória parcial do clube de Londres.

No segundo tempo, logo aos três minutos, Chambers se atrapalhou com a bola, Aleña tirou proveito e bateu cruzado para defesa de Leno. Já aos dez, Dembélé arriscou da entrada da área e mandou por cima.

O clube azul-grená seguiu na pressão. Aos 14, Griezmann tocou para Aleñá, que chutou forte e Leno espalmou por cima. Em seguida, Sergio Roberto lançou Alba por cima, o camisa 18 ajeitou para o meio da área e a defesa do Arsenal salvou em cima da linha. Os Gunners assustaram aos 21 com Ceballos, que tentou bater colocado e mandou por cima.

Mas, em um lance incrivelmente bizarro, o Barcelona chegou ao empate aos 24 minutos. Suárez errou um passe no ataque, Maitland-Niles foi recuar para Leno, mas não percebeu onde estava o goleiro e mandou para as próprias redes. Empate catalão no Camp Nou. O Arsenal tentou responder aos 25. Gabriel Martinelli cruzou para Aubameyang, que deu uma bonita finalização, mas pegou fraco para defesa do goleiro.

E, com Suárez em campo, o Barcelona quase marcou aos 27. Em jogada individual na área, Luisito tentou encobrir o goleiro, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora. Depois, aos 30, o camisa 9 blaugrana tentou cruzar, a bola desviou e, por pouco, não surpreendeu Leno, que estava atento e fez a defesa.

O Arsenal ainda tentou o segundo gol em dois lances perigosos. Aos 32, Saka cruzou para Aubameyang, que chegou alguns segundos atrasado e não conseguiu completar. Três minutos depois, em outra jogada pela esqueda, Saka cruzou na altura da marca penal e Martinelli emendou de primeira e mandou para fora. Seria um golaço se tivesse entrado.

E, quando tudo conspirava para que o jogo fosse para os pênaltis, Suárez fez um golaço. Aos 44, Sergi Roberto mandou na área e Luisito acertou um belo voleio e virou a partida para o Barça. Golaço!

Com o resultado, a equipe da Catalunha só tratou de administrar o placar e esperar o apito final para comemorar o título amistoso. Final de jogo no Camp Nou: Barcelona 2, Arsenal 1.

Os clubes protagonistas da decisão da UEFA Champions League 2005/2006 não fizeram um “baita jogo”. Afinal, amistoso, começo de temporada e com Ernesto Valverde e Unai Emery mexendo muito ao longo dos 90 minutos, os quase cem mil torcedores que compareceram no Camp Nou viram um bom jogo. Aubameyang abriu o placar com um belo gol no primeiro tempo. No segundo, a pressão dos donos da casa resultou na virada. Primeiro, graças ao gol contra bizarro de Maitland-Niles, e, no finalzinho um belo voleio de Suárez, colaboraram para o 42º título do Troféu Joan Gamper para o Barcelona em 54 edições disputadas. Detalhe importante: o melhor jogador dos catalães, Messi, assistiu tudo do banco de reservas.

A seguir, a ficha técnica do jogo.

FICHA TÉCNICA: BARCELONA (ESP) 2×1 ARSENAL (ING)
Competição/Fase: Troféu Joan Gamper 2019 – amistoso (jogo único)
Local: Estádio Camp Nou, Barcelona, Espanha
Data: 4 de agosto de 2019, domingo – 15h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Juan Martínez Munuera (ESP)
Cartões Amarelos: Alba, Wagué e Lenglet (Barcelona); Sokratis e Guendouzi (Arsenal)
Gols: Aubameyang, aos 36 min do 1º tempo (0-1); Maitland-Niles (contra), aos 14 min (1-1) e Suárez, aos 45 min do 2º tempo (2-1)
BARCELONA (ESP): 13.Neto (1.Ter Stegen); 2.Semedo (16.Wagué), 3.Piqué (15.Lenglet), 23.Umtiti (6.Todibo) e 18.Alba (26.Miranda); 4.Rakitić (19.Aleñá), 21.De Jong (5.Busquets) e 28.Riqui Puig (20.Sergi Roberto); 11.Dembélé (9.Suárez), 17.Griezmann e 27.Pérez (12.Rafinha). Técnico: Ernesto Valverde
ARSENAL (ING): 1.Leno; 15.Maitland-Niles, 21.Chambers, 5.Sokratis (20.Mustafi) e 18.Monreal (31.Kolašinac); 28.Willock (8.Ceballos), 34.Xhaka, 7.Mkhitaryan (77.Saka) e 10.Özil (35.Martinelli); 24.Nelson (29.Guendouzi) e 14.Aubameyang (30.Nketiah). Técnico: Unai Emery

Parabéns ao Futbol Club Barcelona pelo título.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Valencia: campeão da Copa do Rei 2018/2019

Jogadores do Valencia comemoram o título da Copa del Rey, em Sevilha. Foto: Reuters

Depois de onze anos de tabu, o Valencia conquistou a Copa do Rei 2018/2019 ao derrotar o Barcelona por 2 a 1, neste sábado (25), no Estádio Benito Villamarín, em Sevilha. Os gols foram marcados por Gameiro e Rodrigo Moreno para os valencianos e Messi descontou para os catalães. Essa foi a oitava conquista do Valencia no certame, justamente no ano de seu centenário.

A decisão começou daquele jeito previsível: o Barcelona no ataque, trocando passes e o Valencia recuado para encaixar um contragolpe, que veio logo aos quatro minutos. Parejo tentou pela direita, Lenglet tomou-lhe a frente, mas errou na saída pelo meio e Rodrigo tomou-lhe a redonda e avançou em direção ao gol, driblou Cilessen para bater rasteiro, mas Piqué salvou os blaugranas em cima da linha e evitou o gol certo dos valencianos.

Após o susto, o Barça conseguiu controlar a posse de bola, porém, não conseguia finalizar à meta de Doménech. E, na base dos contragolpes, o Valencia conseguiu o primeiro gol aos 20 minutos. Gabriel Paulista deu um excelente lançamento para Gayá na esquerda, passou pela marcação e rolou na entrada da área para Gameiro, que teve tempo de cortar Alba, estufar as redes de Cilessen e inaugurar o marcador na decisão.

Embora tenha saído atrás do placar, o time azul-grená não mudou a sua postura e seguiu naquela troca de passes, mas sem conseguir infiltrar a sólida defesa de los Che. Então, dá-lhe contra-ataque para o Valencia. Aos 32. Soler recebeu em profundidade, levou a melhor sobre Alba na corrida e, da linha de fundo, cruzou forte para Rodrigo Moreno (brasileiro naturalizado espanhol) cabecear firme e aumentar a vantagem valenciana: 2 a 0.

O Barcelona esboçou a reação e, aos 36, teve uma ótima chance. Alba cruzou na área e Rakitić cabeceou para fora. Três minutos depois, o Barça se desentendeu na defesa. O Valencia puxou um contra-ataque, Piqué recuperou a bola para os blaugranas e recuou mal para Cilessen, que deixou a bola passar e precisou ceder o escanteio.

E, antes do término da etapa inicial, Messi soltou uma pancada da entrada da área e Doménech fez uma ótima defesa e evitou o gol do Barça. No minuto seguinte, Messi tentou armar jogada, foi desarmado, mas Rakitić ficou com a sobra e arriscou da entrada da área e o goleiro do Valencia pegou mais uma. No entanto, o primeiro tempo terminou com a vitória parcial do Valencia por 2 a 0.

Com o resultado adverso, Ernesto Valverde tratou de deixar a equipe mais ofensiva ao promover as entradas de Malcom e Vidal nos lugares de Semedo e Arthur, respectivamente. No entanto, quem levou perigo logo no início do segundo tempo foi o Valencia. Aos três minutos, Gonçalo Guedes tabelou com Gameiro e mandou a redonda perto da trave de Cilessen.

O Barça deu o troco aos nove minutos. Messi tabelou com Malcom, passou por dois marcadores e mandou com efeito para o gol, mas a bola bateu na trave e, no rebote, Vidal finalizou para fora. A postura do Valencia não mudou no segundo tempo: ficou à espera do Barça para surpreendê-lo no contragolpe. Aos 25, Malcom fez jogada pela esquerda e rolou para Piqué, mas o zagueiro pegou de primeira e mandou para fora.

Então, finalmente, o Barcelona conseguiu vencer a defesa do Valencia. Aos 27, Malcom cobrou escanteio na medida para Lenglet, que testou firme para defesaça de Doménech, mas, Messi, na pequena área, livre, só escorou para as redes e descontou para o clube da Catalunha: 2 a 1. O tento motivou o Barça, que passou a pressionar e, aos 32, Vidal perdeu uma chance incrível, cara a cara com Doménech, mas para sorte do chileno, o lance fora invalidado pela arbitragem por impedimento.

A partida seguiu com o Barcelona tocando passes e tentando vencer a defesa do Valencia, que conseguia se segurar heroicamente e impedir com êxito que a bola chegasse à meta de Doménech. E, aos 48, o Valencia emendou um contra-ataque com Gonçalo Guedes, que avançou sozinho, entrou na área e, cara a cara com Cilessen, se preparou para o chute e… mandou para fora. Em seguida, o Barça chegou com perigo com Alba. Malcom chegou pela direita, acionou Messi, que abriu para o camisa 18, que tentou o chute, mas foi cercado pela zaga valenciana, que contou com a ajuda de seu goleiro para mandar para escanteio. Após a cobrança do córner, Doménech saiu do gol e ficou com a redonda. No entanto, aos 50 minutos, o árbitro decretou o fim de jogo no Benito Villamarín: Barcelona 1, Valencia 2. A equipe da costa oriental da Península Ibérica conquista a competição pela oitava vezm em sua história e pôs o fim ao jejum de onze anos sem conquistas.

Precisão e eficiência. Essas foram as palavras que foram colocadas em prática pelo Valencia na decisão da Copa do Rei diante do Barcelona. No primeiro tempo da decisão, o Barcelona controlou a posse de bola, mas a boa marcação do sistema defensivo do clube valenciano e a precisão de seu ataque foram primordiais para que o time de Marcelino Toral conseguisse abrir 2 a 0 diante de Messi e companhia. E o placar só não foi maior porque Piqué, aos quatro minutos da etapa inicial, salvou em cima da linha. O Barcelona até tentou com Messi, que descontou o marcador, mas a eficiência defensiva do Valencia ajudaram a manter a primeira vitória da equipe diante dos catalães na temporada e o melhor: o título veio em seu centenário.

Com o título da Copa do Rei conquistado pelo Valencia, nas principais competições nacionais europeias, apenas o Manchester City e o Bayern de Munique conseguiram o ‘doblete’ (títulos do campeonato nacional e da copa nacional) na temporada 2018/2019.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão.

Quarta Fase:
30/10/2018 – Ebro 1×2 Valencia – La Romareda, Zaragoza
04/12/2018 – Valencia 1×0 Ebro – Mestalla, Valência
Oitavas-de-final:
08/01/2019 – Sporting Gijón 2×1 Valencia – El Molinón, Gijón
15/01/2019 – Valencia 3×0 Sporting Gijón – Mestalla, Valência
Quartas-de-final:
22/01/2019 – Getafe 1×0 Valencia – Coliseum Alfonso Pérez, Getafe
29/01/2019 – Valencia 3×1 Getafe – Mestalla, Valência
Semifinais:
07/02/2019 – Real Betis 2×2 Valencia – Benito Villamarín, Sevilha
28/02/2019 – Valencia 1×0 Real Betis – Mestalla, Valência
Final:
25/05/2019 – Barcelona 1×2 Valencia – Benito Villamarín, Sevilha

FICHA TÉCNICA: BARCELONA 1×2 VALENCIA
Competição/Fase: Copa del Rey (Copa do Rei) 2018/2019 – final (jogo único)
Local: Estádio Benito Villamarín, Sevilha
Data: 25 de maio de 2019, sábado – 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Alberto Undiano Malienco
Auxiliares: Roberto Alonso Fernández e Iñigo Pietro López de Cerain
Cartões Amarelos: Busquets e Vidal (Barcelona); Gayà e Kondogbia (Valencia)
Gols: Gameiro, aos 21 min (0-1) e Rodrigo Moreno, aos 33 min do 1º tempo (0-2); e Messi, aos 28 min do 2º tempo (1-2)
BARCELONA: 13.Cilessen; 2.Semedo (14.Malcom), 3.Piqué, 15.Lenglet e 18.Jordi Alba; 5.Busquets, 8.Arthur (22.Vidal) e 4.Rakitić (21.Aleñà); 20.Sergi Roberto, 10.Messi e 7.Philippe Coutinho. Técnico: Ernesto Valverde
VALENCIA: 1.Doménech; 18.Wass, 24.Garay, 5.Gabriel Paulista e 14.Gayà; 10.Parejo (6.Kondogbia), 17.Coqulin, 8.Soler e 7.Gonçalo Guedes; 9.Gameiro (21.Piccini) e 18.Rodrigo (12.Diakhaby). Técnico: Marcelino Toral

Parabéns ao Valencia Club de Fútbol.

Por Jorge almeida

Barcelona: campeão espanhol 2018/2019

Jogadores do Barcelona comemoram com os filhos o título espanhol. Crédito: Reuters

Com gol de Messi, que entrou no segundo tempo, aos 16 minutos da etapa final, o Barcelona derrotou o Levante por 1 a 0, no Camp Nou, neste sábado (27), em compromisso válido pela 35ª rodada do Campeonato Espanhol 2018/2019 e ficou com o bicampeonato nacional com três rodadas de antecedência. O tento do camisa 10 permitiu que o clube catalão fosse aos 83 pontos, nove a mais que o Atlético de Madrid, que pode até alcançar o Barça na pontuação, mas leva desvantagem nos critérios de desempate. Esse foi o 26º título espanhol do Barcelona.

O Barcelona começou com tudo. No primeiro minuto, Dembélé começou a jogada, Suárez apareceu na cara de Aitor e chutou em cima do arqueiro do Levante. Três minutos depois, foi a vez de Coutinho arriscar de fora da área e o goleiro se esticou e colocou para escanteio. Depois da cobrança de escanteio, Alba deu passe de calcanhar para Coutinho que cruzou, ninguém cabeceou e a bola tirou tinta da trave.

Os blaugranas seguiram a pressionar a equipe de Valência. Aos 20, Suárez passou por dois jogadores adversários na força, entrou na área e chutou para excelente defesa de Aitor. Quatro minutos depois, Arthur deu ótimo passe para Coutinho, mas ele chutou em cima do goleiro do Levante. Na sequência, depois do escanteio, Coutinho apareceu na área como centroavante e cabeceou sozinho para Aitor defender firmemente.

O clube catalão seguiu com o seu padrão de posse de bola, chegando a quase 70% e, assim que possível, criava uma oportunidade. Aos 40, Coutinho bateu falta com categoria e a redonda explodiu no travessão e saiu. Mas o placar manteve-se inalterado no Camp Nou: 0 a 0.

Na volta para a etapa final, Ernesto Valverde resolveu colocar “o homem”: Messi substituiu Philippe Coutinho, que até fez uma boa partida. Enquanto o Levante voltou com Morales no lugar de Simon. O Barcelona continuou mantendo a posse de bola e a criar as chances. Aos 11, Rakitić deu um belo chute chapado, Aitor tirou com os olhos e a redonda passou triscando a trave.

Os Granotes conseguiam segurar o empate heroicamente, mas, aos 16 minutos, a defesa do Levante cortou mal, Vidal se esforçou e tocou para Messi que, dentro da área, deu um drible seco, tirou dois marcadores de uma vez e bateu cruzado. Aitor ainda tocou na bola, mas a redonda morreu no fundo da rede. O Levante tentou responder de imediato, aos 18, em sua primeira investida com sucesso no ataque. Mayoral chutou e Ter Stegen fez grande defesa à queima-roupa. Quase o empate da equipe visitante. Minutos depois, aos 22, Morales recebeu de Mayoral e perdeu outro gol ao ficar de frente com Ter Stegen ao bater por cima do gol do arqueiro do Barça.

Depois do susto dos visitantes, o Barcelona tomou as rédeas da partida. Aos 30, Piqué subiu para o ataque e abriu para Vidal. O chileno soltou o pé, mas a bola desviou na defesa e saiu para escanteio. Os torcedores catalães já estavam em clima de festa no Camp Nou, com direito a presença de Shakira na torcida. Mas, aos 43, o Levante quase colocou água no chope na festa catalã. Depois da cobrança de escanteio, Bardhi carimbou a trave de Ter Stegen, que pegou o rebote. Após o susto, o Barcelona administrou o resultado e ficou à espera do apito final, que veio aos 47 minutos do segundo tempo. Fim de jogo no Camp Nou, Barcelona 1, Levante 0. O Barça é campeão espanhol pela 26ª vez.

O triunfo diante do Levante fez o Barcelona chegar aos 83 pontos, nove a mais em relação ao segundo colocado, o Atlético de Madrid, que pode até chegar à mesma pontuação, porém, ficaria atrás dos blaugranas devido aos critérios de desempate que, neste caso, seria o confronto direto.

Com o título espanhol consolidado, as atenções de Messi e companhia estarão voltadas para Liga dos Campeões. Na próxima quarta-feira (1º de maio), o clube catalão fará a primeira partida das semifinais do torneio continental contra o Liverpool, no Camp Nou. Além disso, a equipe azul-grená também disputará a decisão da Copa do Rei, diante do Valencia, no dia 25 de maio. Ou seja, o Barça poderá conquistar a tríplice coroa (Campeonato Espanhol, Copa do Rei e Liga dos Campeões).

A seguir, o resumo da campanha do campeão, a classificação do Campeonato Espanhol (até a 35ª rodada) e a ficha técnica do “jogo do título”.

Data – Jogo – Local:
18/08/2018 – Barcelona 3×0 Alavés – Camp Nou, Barcelona
25/08/2018 – Valladolid 0x1 Barcelona – José Zorrilla, Valladolid
02/09/2018 – Barcelona 8×2 Huesca – Camp Nou, Barcelona
15/09/2018 – Real Sociedad 1×2 Barcelona – Anoeta, San Sebástian
23/09/2018 – Barcelona 2×2 Girona – Camp Nou, Barcelona
26/09/2018 – Leganés 2×1 Barcelona – Butarque, Leganés
29/09/2018 – Barcelona 1×1 Athletic de Bilbao – Camp Nou, Barcelona
07/10/2018 – Valencia 1×1 Barcelona – Mestalla, Valência
20/10/2018 – Barcelona 4×2 Sevilla – Camp Nou, Barcelona
28/10/2018 – Barcelona 5×1 Real Madrid – Camp Nou, Barcelona
03/11/2018 – Rayo Vallecano 2×3 Barcelona – Teresa Rivero, Madri
11/11/2018 – Barcelona 3×4 Betis – Camp Nou, Barcelona
24/11/2018 – Atlético de Madrid 1×1 Barcelona – Wanda Metropolitano, Madri
02/12/2018 – Barcelona 2×0 Villarreal – Camp Nou, Barcelona
08/12/2018 – Espanyol 0x4 Barcelona – Cornellà-El Prat, Barcelona
18/12/2018 – Levante 0x5 Barcelona – Ciutat de Valência, Valência
22/12/2018 – Barcelona 2×0 Celta de Vigo – Camp Nou, Barcelona
06/01/2019 – Getafe 1×2 Barcelona – Coliseum Alfonso Pérez, Getafe
13/01/2019 – Barcelona 3×0 Eibar – Camp Nou, Barcelona
20/01/2019 – Barcelona 3×1 Leganés – Camp Nou, Barcelona
27/01/2019 – Girona 0x2 Barcelona – Montilivi, Girona
02/02/2019 – Barcelona 2×2 Valencia – Camp Nou, Barcelona
10/02/2019 – Athletic de Bilbao 0x0 Barcelona – San Mamés, Bilbao
16/02/2019 – Barcelona 1×0 Valladolid – Camp Nou, Barcelona
23/02/2019 – Sevilla 2×4 Barcelona – Ramón Sánchez Pizjuán, Sevilha
02/03/2019 – Real Madrid 0x1 Barcelona – Santiago Bernabéu, Madri
09/03/2019 – Barcelona 3×1 Rayo Vallecano – Camp Nou, Barcelona
11/03/2019 – Betis 1×4 Barcelona – Benito Villamarín, Sevilha
30/03/2019 – Barcelona 2×0 Espanyol – Camp Nou, Barcelona
02/04/2019 – Villarreal 4×4 Barcelona – La Cerámica, Vila-Real
06/04/2019 – Barcelona 2×0 Atlético de Madrid – Camp Nou, Barcelona
13/04/2019 – Huesca 0x0 Barcelona – El Alcoraz, Huesca
20/04/2019 – Barcelona 2×1 Real Sociedad – Camp Nou, Barcelona
23/04/2019 – Alavés 0x2 Barcelona – Mendizorroza, Vitoria
27/04/2019 – Barcelona 1×0 Levante – Camp Nou, Barcelona
04/05/2019* – Celta de Vigo x Barcelona – Balaídos, Vigo
12/05/2019* – Barcelona x Getafe – Camp Nou, Barcelona
19/05/2019* – Eibar x Barcelona – Ipurua, Eibar
* Jogos a serem realizados

Posição – Equipe – Pontos:
1. Barcelona – 83 pontos (campeão)
2. Atlético de Madrid – 74
3. Real Madrid – 65
4. Getafe – 55
5. Sevilla – 55
6. Valencia – 52
7. Athletic de Bilbao – 50
8. Alavés – 47
9; Betis – 43
10. Espanyol – 43
11. Leganés – 42
12. Real Sociedad – 41
13. Eibar – 40
14. Villarreal – 39
15. Levante – 37
16. Celta de Vigo – 37
17. Valladolid – 35
18. Girona – 34
19. Huesca – 29
20. Rayo Vallecano – 28

FICHA TÉCNICA: BARCELONA 1×0 LEVANTE
Campeonato/Fase: Campeonato Espanhol 2018/2019 – 35ª rodada
Local: Estádio Camp Nou, Barcelona
Data: 27 de abril de 2019, sábado – 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Ricardo de Burgos Bengoetxea
Cartões Amarelos: Rakitić, Piqué e Semedo (Barcelona); Rochina, Rúben Vezo e Rober (Levante)
Gol: Messi, aos 16 min do 2º tempo (1-0)
BARCELONA: 1.Ter Stegen; 2.Semedo, 3.Piqué, 15.Langlet e 18.Alba; 4.Rakitić, 22.Vidal e 8.Arthur (5.Busquets); 11.Dembelé (20.Sergi Roberto), 9.Suárez e 7.Philippe Coutinho (10.Messi). Técnico: Ernesto Valverde
LEVANTE: 25.Aitor Fernández; 12.Coke, 14.Rúben Vezo, 4.Rober e 22.Luna; 17.Vukcević (10.Bardhi), 16.Rochina (9.Roger) e 24.Campaña; 23.Jason, 2.Mayoral e 7.Simon (11.Morales). Técnico: Paco López

Parabéns ao Futbol Club Barcelona pela conquista.

Por Jorge Almeida

UEFA sorteou duelos das quartas-de-final da Champions e Liga Europa

UEFA realizou os sorteios de suas duas competições interclubes em Nyon, na Suíça. Créditos: Getty Images

A UEFA realizou nesta sexta-feira (15) o sorteio dos confrontos de suas duas principais competições interclubes: a UEFA Champions League e a UEFA Europa League. O evento foi realizado em sua sede, em Nyon, na Suíça. Como é de praxe, personalidades do futebol que já tiveram oportunidade de disputar uma das competições ao longo da história participaram do sorteio.

O diretor de comunicações da UEFA, o português Pedro Pinto, chamou o clipe com a apresentação dos oito classificados da Liga dos Campeões 2018/2019. Em seguida, Giorgio Marchetti, o diretor de competições da entidade, anunciou o formato do sorteio.

Lembrando que todos podem enfrentar todos, não há qualquer restrição. Posteriormente, o goleiro brasileiro Júlio César foi chamado ao palco para participar da cerimônia, enquanto isso era exibido no telão do auditório algumas imagens do arqueiro, inclusive com a da conquista da competição em 2009/2010 quando defendia a meta da Internazionale de Milão.

E a primeira bolinha sorteada por Júlio César foi a do Ajax, que terá como adversário a Juventus, fazendo, assim, um repeteco da final da edição 1995/1996, vencida pelos bianconeros por 4 a 2 nos pênaltis após empate em 1 a 1 no tempo normal. A primeira partida será realizada na Johan Cruijff ArenA, em Amsterdam, no dia 10 de abril, enquanto isso, a volta será na semana seguinte, no dia 16, no Juventus Stadium, em Turim. Em competições da UEFA, as duas equipes se enfrentaram 12 vezes, com seis vitórias da Vecchia Signora, quatro do clube holandês e dois empates.

O sorteio seguiu com a escolha da terceira bolinha, que teve o Liverpool como contemplado e o seu adversário, o Porto. O jogo de ida acontecerá no Anfiel Road, casa dos Reds, em 9 de abril, e, depois, as duas equipes voltam a se enfrentar no Estádio do Dragão, em Portugal, no dia 17 do mesmo mês. Na temporada passada, ingleses e portugueses mediram forças nas oitavas-de-final da competição e, em plena casa portista, os visitantes fizeram impiedosos 5 a 0 e só administraram o resultado na Inglaterra ao empatar em 0 a 0. Esta será uma boa oportunidade para os Dragões darem o troco.

Como a Inglaterra é o país com o maior número de representantes (quatro), as chances de acontecer um enfrentamento de clubes da terra da rainha eram grandes. E isso foi o que aconteceu com a definição do terceiro embate. O Tottenham fará um duelo inédito na Champions contra o Manchester City. No dia 9 de abril, os Spurs serão os anfitriões do confronto. Já os Citizens, por sua vez, serão os mandantes na semana seguinte, no dia 17, no Etihad Stadium.

E, finalmente, o clássico entre Manchester United e Barcelona. O mandante do jogo de ida será os Diabos Vermelhos, que medirá forças no Old Trafford em 10 de abril, e, na sequência, irá até o Camp Nou encarar o seu algoz das decisões de 2008/2009 e 2010/2011. Esse duelo é considerado pela imprensa esportiva como o principal embate das quartas-de-final. E, atendendo a um pedido da prefeitura de Manchester, o encontro entre os Reds Devils e o Barça precisou ter o mando de campo invertido por questões de segurança para não ocorrer um possível confronto de torcedores do United e do City.

Além da definição dos confrontos das quartas-de-final, o chaveamento para a decisão também foi mostrado. Quem passar do embate de ingleses será o adversário de Ajax ou Juventus nas semifinais. Do outro lado, o ganhador de Manchester United e Barcelona terá como adversário na sequência do torneio o vencedor de Porto e Liverpool, ou seja, há possibilidades de acontecer um clássico inglês nas semifinais (Manchester United x Liverpool), ou ainda, dependendo das circunstâncias, uma final inglesa: Manchester United ou Liverpool x Tottenham ou Manchester City. E reforçando que a final da UEFA Champions League 2018/2019 acontecerá no dia 1º de junho no Wanda Metropolitano, em Madri.

Minutos depois do sorteio das quartas-de-final da Champions, foi a vez da definição do chaveamento dessa mesma fase e, posteriormente, semifinais e final da UEFA Europa League. E, por não ter mais as participações de clubes da Rússia e da Ucrânia no certame, não houve a necessidade de restrições para a realização dos jogos, apenas na questão referente aos jogos de Arsenal e Chelsea, que não poderiam jogar nas mesmas datas a pedido das autoridades inglesas. E o convidado para sortear as bolinhas foi o ex-atacante holandês Pierre van Hooijdonk, campeão do torneio pelo Feyenoord, em 2002.

O primeiro duelo a ser sorteado será jogaço: Napoli e Arsenal. Em competições da UEFA, os dois times se encararam pela Liga dos Campeões 2013/2014 com vitória por 2 a 0 para cada um. A ida será no Emirates Stadium, em Londres, e a volta ocorrerá no San Paolo, em Nápoles. Quem avançar desse embate, fará as semifinais do enfrentamento entre espanhóis Villarreal ou Valencia, que medirão forças primeiramente no Estádio La Cerámica e, posteriormente, no Mestalla, em Valência. Aliás, apenas 60 quilômetros separam as casas dos representantes espanhóis no torneio.

O Benfica segue na busca do fim do incômodo tabu de conquistas continentais. Os Encarnados terão como adversários nas quartas-de-final os alemães do Eintrach Frankfurt. Os dois times nunca se enfrentaram em jogos oficiais de competições europeias. O mandante da primeira partida será a equipe lisboeta, no Estádio da Luz, e o retorno será no Commerzbank-Arena, na capital financeira da Alemanha. Quem levar a melhor desse desafio fará duas partidas pelas semifinais contra o vencedor de outro encontro que nunca aconteceu: Slavia Praga, que eliminou heroicamente o “bicho-papão” do torneio, o Sevilla, mas que terá agora como adversário o milionário Chelsea. Os jogos acontecerão, respectivamente, na Eden Arena, em Praga, na República Tcheca, e no Stamford Bridge, em Londres.

As partidas das quartas-de-final acontecerão nos dias 11 e 18 de abril de 2019. A final da competição está marcada para o dia 29 de maio no Estádio Olímpico de Baku, no Azerbaijão.

A seguir, as datas e os locais dos enfrentamentos das quartas-de-final das duas competições.

– UEFA Champions League:
Data – Jogo – Local:
09/04/2019 – Liverpool (ING) x Porto (POR) – Anfield Road, Liverpool (ING)
09/04/2019 – Tottenham (ING) x Manchester City (ING) – Tottenham Hotspur Stadium, Londres (ING)
10/04/2019 – Manchester United (ING) x Barcelona (ESP) – Old Trafford, Manchester (ING)
10/04/2019 – Ajax (HOL) x Juventus (ITÁ) – Johan Cruiff ArenA, Amsterdam (HOL)
16/04/2019 – Juventus (ITÁ) x Ajax (HOL) – Juventus Stadium, Turim (ITÁ)
16/04/2019 – Barcelona (ESP) x Manchester United (ING) – Camp Nou, Barcelona (ESP)
17/04/2019 – Porto (POR) x Liverpool (ING) – Estádio do Dragão, Porto (POR)
17/04/2019 – Manchester City (ING) x Tottenham (ING) – Etihad Stadium, Manchester (ING)

– UEFA Europa League:
Data – Jogo – Local:
11/04/2019 – Arsenal (ING) x Napoli (ITÁ) – Emirates Stadium, Londres (ING)
11/04/2019 – Villarreal (ESP) x Valencia (ESP) – Estádio de La Cerámica, Vila-real (ESP)
11/04/2019 – Benfica (POR) x Eintracht Frankfurt – Estádio da Luz, Lisboa (POR)
11/04/2019 – Slavia Praga (REP) x Chelsea (ING) – Eden Arena, Praga (REP)
18/04/2019 – Napoli (ITÁ) x Arsenal (ING) – San Paolo, Nápoles (ITÁ)
18/04/2019 – Valencia (ESP) x Villarreal (ESP) – Estádio de Mestall, Valência (ESP)
18/04/2019 – Eintracht Frankfurt (ALE) x Benfica (POR) – Commerzbank-Arena, Frankfurt (ALE)
18/04/2019 – Chelsea (ING) x Slavia Praga (REP) – Stamford Bridge, Londres (ING)
Boa sorte aos participantes.
Por Jorge Almeida

Encerrada a fase de grupos da UEFA Champions League 2018/2019

16 equipes seguem na disputa da competição interclubes mais cobiçada do mundo. Foto: Reprodução/Twitter

Com a realização de dezesseis partidas disputadas neste meio de semana (terça e quarta-feira) válidas pela sexta-rodada da UEFA Europa League 2018/2019, a competição teve os seus 16 classificados para as oitavas-de-final e os oito clubes que irão disputar a segunda fase da UEFA Europa League na sequência da temporada. O sorteio dos confrontos das oitavas-de-final será realizado na próxima segunda-feira (17).

A última rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões teve início nesta terça-feira (11), com a realização de oito jogos que definiram os grupos A, B, C e D. Pelo grupo A, Borussia Dortmund e Atlético de Madrid entraram em campo já classificados, mas as duas equipes brigaram para confirmar a liderança da chave. No Louis II, em Monaco, os aurinegros venceram a equipe do Principado por 2 a 0 com dois gols do português Rafael Guerreiro e chegou aos 13 pontos. Na outra partida, no Estádio Jan Breydel, em Bruges, na Bélgica, o Atlético de Madrid não passou de um empate sem gols com os anfitriões. O resultado deixou o clube de Madri com os mesmos 13 pontos, empatando com o Dortmund na liderança, porém, por conta do critério de desempate, o time alemão foi superior ao derrotar o Atleti por 4 a 0 no confronto direto. Enquanto isso, os Blauw-Zwart terminaram com seis pontos e, por ter ficado em terceiro lugar, irá disputar a Liga Europa.

Pelo grupo B, Internazionale e Tottenham entraram em campo pela segunda vaga – a primeira já estava assegurada para o Barcelona, que ficou com o primeiro lugar, com 14 pontos. Pela circunstância, o clube de Milão tinha tudo a seu favor para ficar com a vaga: jogava em casa contra o já eliminado PSV enquanto os Spurs tinham a “ingrata missão” de pegar o Barça fora de casa. Todavia, no Giuseppe Meazza, Lozano abriu o placar para os camponeses neerlandeses no primeiro tempo, mas Icardi igualou o placar, que deixou os nerazzurri com oito pontos, em terceiro. Já no Camp Nou, o líder e classificadíssimo Barcelona começou com pinta de que iria “atropelar” o Tottenham, mesmo com alguns titulares sendo poupado. Logo aos seis minutos, Dembelé fez 1 a 0 para os blaugranas, mas os Spurs foram se encontrando ao longo da partida equilibrou as ações e conseguiu o empate com o brasileiro Lucas, que saiu do banco de reservas e fez o gol “salvador” aos 39 do segundo tempo. O resultado deixou o clube inglês com a mesma pontuação da Inter, mas seguiram adiante na Champions devido aos critérios de desempate. A Liga Europa serviu como prêmio de consolação para os interistas.

No disputado grupo C, Liverpool e Napoli fizeram o duelo para definir quem se juntaria ao classificado PSG para a próxima fase. E, no Anfield Road, o egípcio Salah fez o gol da vitória dos Reds no primeiro tempo, mas quem ajudou a equipe inglesa foi o goleiro brasileiro Alisson, que fez uma defesa primordial aos 46 minutos do segundo tempo que praticamente garantiu o segundo lugar. Com a vitória, o Liverpool foi aos nove pontos, a mesma da equipe de Nápoles, mas devido ao número de gols marcados (9 a 7), os Reds seguem no torneio, enquanto os napolitanos disputarão a Liga Europa. Na outra partida da chave, o Paris Saint-Germain não tomou conhecimento do Estrela Vermelha e goleou o clube sérvio por 4 a 1 fora de casa. Com um golaço de Neymar e também com tentos anotados por Cavani, Marquinhos e Mbappé para o clude parisiense, enquanto Gobeljić descontou para os mandantes, o PSG terminou a fase de grupos com 11 pontos.

O Porto segue com uma campanha incrível, o que lhe rendeu o status de “campeão” do grupo D, com notáveis 16 pontos. Em uma partida de cinco gols, os Dragões abriram 2 a 0 com gols do ex-corinthiano Felipe e Marega, cobrando pênalti, enquanto Feghouli, também no tiro penal, descontou para os leões ainda no primeiro tempo. Todavia, Sérgio Oliveira aumentou a vantagem portista e Derdiyok descontou para os turcos. No final, no Türk Telecom Arena, vitória do Porto por 3 a 2. Mesmo com a derrota, o Galatasaray manteve os quatro pontos e seguirá na Liga Europa, graças à vitória do Schalke 04 sobre o Lokomotiv Moscou na Arena Aufschalke, em Gelsenkirchen, com o gol da vitória sendo anotado nos acréscimos por Schöpf. O triunfo deixou os azuis-reais na segunda posição do grupo com 11 pontos.

Nesta quarta-feira (12), mais oito partidas ajudaram a definir a situação dos grupos E, F, G e H. Pelo grupo E, Bayern de Munique e Ajax mediram forças para saber quem ficaria no primeiro lugar, uma vez que ambos já entraram em campo classificados. Na Allianz Arena, os dois times fizeram um jogaço, com muitos gols e equilíbrio. O clube da Baviera saiu na frente com Lewandowski, mas com dois gols do sérvio Tadić, os holandeses viraram, mas o polonês empatou novamente, enquanto Coman colocou o time alemão na frente aos 45 do segundo tempo e, no último lance do jogo, Süle marcou contra e deu números finais à partida: 3 a 3. O resultado deixou os bávaros com 14 pontos seguidos dos Godenzonen com 12. No outro embate do grupo, no Estádio da Luz, o Benfica derrotou o AEK Atenas nos minutos finais, com gol de falta de Grimaldo, aos 43 da etapa final. O resultado deixou os Encarnados com sete pontos, em terceiro, e vaga para a Liga Europa. Já os atenienses terminaram com a pior campanha dentre os 32 participantes da fase de grupos: com nenhum ponto ganho, dois gols marcados e saldo negativo de onze gols.

No grupo F, o Manchester City consolidou a sua liderança e fez 13 pontos ao derrotar o Hoffenheim no Etihad Stadium. Os gols dos Citizen, que virou o placar, foram anotados por Sané, enquanto os alemães abriram o placar com o croata Kramarić. O segundo lugar do grupo foi ocupado pelo Lyon, que foi até a Ucrânia medir forças com o Shakhtar Donetsk, e saiu com um empate de lá e chegou aos oito pontos. Os donos da casa saíram na frente com Júnior Moraes e estavam perto da classificação até os 19 do segundo tempo quando Fekir recebeu de Depay e acertou o ângulo esquerdo e marcou um golaço. A igualdade foi fundamental para os franceses, enquanto os ucranianos, que foram seis pontos, asseguraram a Liga Europa.

Atual tricampeão do certame, o Real Madrid ficou com o primeiro lugar do grupo G, com 12 pontos, seguido da Roma, que terminou com nove. Mas os classificados foram surpreendentemente derrotados pelos eliminados Viktoria Plzeň e CSKA Moscou. No Santiago Bernabéu, com um time bastante modificado, os Merengues foram surpreendidos pelos russos e perderam por 3 a 0 (gols de Chalov, Schennikov e Sigurdsson). No entanto, apesar do feito, os Armelets não conseguiram a classificação para a UEFA Europa League devido ao triunfo do Viktoria Plzeň em casa diante da Roma por 2 a 1. Os gols da partida saíram no segundo tempo: Kovařík abriu para os tchecos, Ünder empatou para os romanistas, mas Tomáš Chorý fez o tento da vitória do Vik. Com isso, o Plzeň e o CSKA terminaram a rodada empatados com sete pontos, mas a equipe da República Tcheca irá disputar a Liga Europa por ter ficado à frente dos russos no critério de desempate (confronto direto).

Assim como no grupo G, os classificados do H perderam na rodada derradeira da fase dessa fase. A Juventus, que ficou no topo da chave com 12 pontos, foi superada fora de casa pelo Young Boys por 2 a 1. O protagonista foi o atacante francês Hoarau, que fez os dois gols pelo time suíço, enquanto Dybala descontou para a Juve com um golaço. Cristiano Ronaldo ainda acertou o travessão. Apesar da vitória, o Young Boys, que chegou aos quatro pontos, ficou em último lugar do grupo. E, pelo mesmo placar, o Valencia saiu vitorioso contra o Manchester United no Mestala. Soler e Young (contra) fizeram para o time espanhol, enquanto Rashford, nos momentos finais do jogo, descontou para os Reds Devils. O resultado fez com que os comandados de José Mourinho deixassem a liderança escapar e, com dez pontos, o United vai para o pote 2 no sorteio para os jogos das oitavas-de-final da UEFA Champions League. Já o Valencia, tentará a conquista continental via Europa League.

Com o encerramento da fase de grupos, 16 equipes seguem no sonho em busca da orelhuda. Os confrontos pelas oitavas-de-final acontecerão entre fevereiro e março. Antes disso, a UEFA realizará os sorteios dos confrontos na próxima segunda-feira (17). Os clubes serão divididos em dois potes: no pote 1 ficarão os campeões de cada grupo e o pote 2 os vices. Conforme regulamento, para essa parte do torneio, as equipes que se enfrentaram na fase de grupos não poderão se encontrar novamente, e também não será permitido o embate entre entidades do mesmo país.

A Inglaterra é o país com o maior número de representantes: 4 (Tottenham, Liverpool, Manchester United e Manchester City), seguido de Alemanha (Borussia Dortmund, Schalke 04 e Bayern de Munique) e Espanha (Barcelona, Real Madrid e Atlético de Madrid), com três. E, dos 16 classificados, nove já sentiram o gosto de ter erguido o troféu interclubes mais cobiçado do mundo (Real Madrid, Barcelona, Borussia Dortmund, Liverpool, Porto, Bayern de Munique, Ajax, Juventus e Manchester United).

Com isso, estão classificados para as oitavas-de-final as seguintes equipes: Borussia Dortmund, Barcelona, Paris Saint-Germain, Porto, Bayern de Munique, Manchester City, Real Madrid e Juventus (pote 1); enquanto Atlético de Madrid, Tottenham, Liverpool, Schalke 04, Ajax, Lyon, Roma e Manchester United estarão no pote 2. Para a UEFA Europa League se classificaram: Club Brugge, Internazionale de Milão, Napoli, Galatasaray, Benfica, Shakhtar Donetsk, Roma e Valencia.

A seguir, os resultados da sexta rodada da fase de grupos e a classificação final dessa etapa da competição.

Grupo A:
1. Borussia Dortmund (ALE) – 13 pontos
2. Atlético de Madrid (ESP) – 13
3. Club Brugge (BÉL) – 6
4. Monaco (FRA) – 1

Grupo B:
1. Barcelona (ESP) – 14
2. Tottenham (ING) – 8
3. Internazionale (ITÁ) – 8
4. PSV Eindhoven (HOL) – 2

Grupo C:
1. Paris Saint-Germain (FRA) – 11
2. Liverpool (ING) – 9
3. Napoli (ITÁ) – 9
4. Estrela Vermelha (SÉR) – 4

Grupo D:
1. Porto (POR) – 16
2. Schalke 04 (ALE) – 11
3. Galatasaray (TUR) – 4
4. Lokomotiv Moscou (RÚS) – 3

Grupo E:
1. Bayern de Munique (ALE) – 14
2. Ajax (HOL) – 12
3. Benfica (POR) – 7
4. AEK Atenas (GRÉ) – 0

Grupo F:
1. Manchester City (ING) – 13
2. Lyon (FRA) – 8
3. Shakhtar Donetsk (UCR) – 6
4. Hoffenheim (ALE) – 3

Grupo G:
1. Real Madrid (ESP) – 12
2. Roma (ITÁ) – 9
3. Viktoria Plzeň (REP) – 7
4. CSKA Moscou (RÚS) – 7

Grupo H:
1. Juventus (ITÁ) – 12
2. Manchester United (ING) – 10
3. Valencia (ESP) – 8
4. Young Boys (SUÍ) – 4

Data – Jogo – Local;
11/12/2018 – Monaco (FRA) 0x2 Bourssia Dortmund (ALE) – Louis II, Mônaco (MON)
11/12/2018 – Club Brugge (BÉL) 0x0 Atlético de Madrid (ESP) – Jan Breydel, Bruges (BÉL)
11/12/2018 – Internazionale (ITÁ) 1×1 PSV Eindhoven – Giuseppe Meazza, Milão (ITÁ)
11/12/2018 – Barcelona (ESP) 1×1 Tottenham (ING) – Camp Nou, Barcelona (ESP)
11/12/2018 – Liverpool (ING) 1×0 Napoli (ITÁ) – Anfield Road, Liverpool (ING)
11/12/2018 – Estrela Vermelha (SÉR) 1×4 Paris Saint-Germain – Rajko Mitić, Belgrado (SÉR)
11/12/2018 – Schalke 04 (ALE) 1×0 Lokomotiv Moscou – Aufschalke Arena, Gelsenkirchen (ALE)
11/12/2018 – Galatasaray (TUR) 2×3 Porto (POR) – Türk Telekom Arena, Istambul (TUR)
12/12/2018 – Ajax (HOL) 3×3 Bayern de Munique (ALE) – Amsterdam Arena, Amsterdam (HOL)
12/12/2018 – Benfica (POR) 1×0 AEK Atenas (GRÉ) – Estádio da Luz, Lisboa (POR)
12/12/2018 – Shakhtar Donetsk (UCR) 1×1 Lyon (FRA) – Metalist Stadion, Carcóvia (UCR)
12/12/2018 – Manchester City (ING) 2×1 Hoffenheim (ALE) – Etihad Stadium, Manchester (ING)
12/12/2018 – Real Madrid (ESP) 0x3 CSKA Moscou (RÚS) – Santiago Bernabéu, Madri (ESP)
12/12/2018 – Viktoria Plzeň (REP) 2×1 Roma (ITÁ) – Doosan Arena, Plzeň (REP)
12/12/2018 – Valencia (ESP) 2×1 Manchester United (ING) – Mestalla, Valência (ESP)
12/12/2018 – Young Boys (SUÍ) 2×1 Juventus (ITÁ) – Stade de Suisse, Berna (SUÍ)

Parabéns aos classificados.

Por Jorge Almeida

Barcelona: campeão da Supercopa da Espanha 2018

Os jogadores do Barcelona comemoram mais uma conquista da Supercopa da Espanha. Foto: Reuters

O Barcelona conquistou neste domingo (12) o título da Supercopa da Espanha ao vencer, de virada, o Sevilla por 2 a 1, em partida disputada no Stade Ibn Battouta, em Tânger, no Marrocos. Os Rojiblancos saíram na frente com Sarabia, mas Piqué empatou e Dembélé virou para os catalães. Os hispalenses tiveram a oportunidade de levar a decisão para a prorrogação nos momentos finais da partida, mas o goleiro Ter Stegen pegou o pênalti cobrado pelo francês Ben Yedder. Esse foi o 13º título do Barça na competição, ampliando a sua hegemonia no torneio, já que ele é o maior vencedor do tal.

Com direito à presença do VAR, a decisão da Supercopa da Espanha começou com o novo recurso tecnológico agindo logo aos quatro minutos. Depois de um erro no corte da defesa do Barcelona, Muriel deu um bom passe para Sarabia na entrada da área, que bateu no cantinho de Ter Stegen. O árbitro Carlos del Cerro Grande marcou impedimento assinalado pelo assistente. Porém, voltou atrás da decisão e validou o gol após consultar o VAR, que constatou a posição legal do camisa 17 da equipe de Andaluzia. Esse foi o primeiro gol com ajuda do árbitro de vídeo no futebol espanhol.

O Barcelona tentou responder de imediato e passou a pressionar os Rojiblancos. Aos 14, Messi recebeu na área e bateu cruzado para boa defesa de Vaclik e a zaga afastar o perigo na sequência. Três minutos depois, o camisa 10 blaugrana tocou para Jordi Alba na esquerda e o lateral, sem ângulo, bateu cruzado e o arqueiro tcheco defendeu.

O Sevilla ficou na defensiva e, aos 26, por pouco não sofrera com a “lei do ex”. Messi cobou falta na área, Lenglet cabeceou bem, mandou por cima e tirou tinta do travessão. E, pressionando e mantendo a posse de bola, o Barça continuou criando chances. Aos 36, Semedo cruzou, Suárez não finalizou bem e a defesa do Sevilla quase se embanana em seguida ao tentar afastar o perigo. No lance seguinte, Suárez recebeu na área e finalizou cruzado, mas a redonda passou muito perto da meta direita de Vaclik.

Então, aos 41, Messi cobrou falta com categoria, a esférica bateu na trave, na perna do goleiro, na trave de novo, sobrou na área para Piqué empurrar para as redes e empatar o jogo. Logo após o empate dos catalães, aos 42, Muriel fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Sarabia bater de primeira e Ter Stegen fazer boa defesa e evitar o segundo gol do Sevilla no jogo. E o primeiro tempo terminou com o empate em 1 a 1.

Nos primeiros dez minutos do segundo tempo, o Barcelona tentou sufocar a saída de bola do Sevilla que, por sua vez, trocou passes em busca de espaço para rondar a área dos catalães. E, aos 16, após o escanteio, Vázquez cabeceou firme e a bola bateu no travessão antes de sair. Quase o Sevilla faz o segundo. Depois do susto, o Barcelona deu o troco na jogada seguinte. Messi deixou Dembélé na cara do gol, mas o francês chutou em cima do goleiro que fez a defesa sem dificuldades. Cinco minutos mais tarde, Vázquez recebeu de Banega e chutou de fora da área para mandar a bola próximo da meta esquerda de Ter Stegen.

O jogo seguiu interessante, com as duas equipes alternando bons momentos no jogo. Aos 31, Jesús Navas fez boa tabela com André Silva e apareceu em boas condições para finalizar, mas o espanhol bateu fraco e o arqueiro do time azul-grená ficou com a redonda. Aos 32, Vaclik fez duas defesas seguidas no mesmo lance. Primeiro pegou o chute de Suárez e, na volta, defendeu a finalização de Messi.

Eis que, aos 33 minutos, o francês Dembélé, que fazia uma partida discreta, recebeu na direita e, de longe, mandou um chutaço. A redonda vai no ângulo, bate no travessão antes de entrar. Sem chances de defesa para Vaclik. Golaço e virada do Barça.

Com a vantagem, o Barcelona administrou o resultado e valorizou a posse de bola. Tudo estava relativamente tranquilo para a equipe de Ernesto Valverde até que, aos 43, Aleix Vidal entrou na área, recebeu um toque de Jordi Alba e chocou-se com Ter Stegen. O árbitro assinala a penalidade. Na cobrança, Ben Yedder bateu mal no canto direito e o arqueiro alemão do Barça caiu do lado certo e defendeu a cobrança. Que chance perdeu o Sevilla em levar a decisão para a prorrogação. O jogo seguiu até os 48 e a equipe treinada por Pablo Machín não conseguiu evitar a derrota. Barcelona, campeão da Supercopa da Espanha 2018, e Messi, com a conquista, se tornou o atleta mais vitorioso da história do clube catalão, com 33 títulos, um a mais que Iniesta, que deixou o clube na temporada passada para ir jogar no futebol japonês.

A partida entre Barcelona e Sevilla foi bastante equilibrada. O clube de Andaluzia saiu na frente, graças a ajuda do VAR que, de forma justa, evitou o erro do assistente que marcara um impedimento inexistente. O Barça pressionou em busca do empate, mas encontrou dificuldades em vencer o goleiro Vaclik, que só foi vazado no final do primeiro tempo. Na etapa final, a igualdade prevaleceu ao longo da partida, mas o tirambaço de Dembélé, aos 33 minutos, levou o time da Catalunha à virada e a ficar mais próximo do título, que chegou a ficar ameaçado aos 43 quando o árbitro Carlos del Cerro Grande marcou pênalti para o Sevilla. Para sorte de Messi e companhia, Ben Yedder bateu mal, Ter Stegen pegou e evitou que a disputa fosse para a prorrogação.

A seguir, a ficha técnica da decisão.

FICHA TÉCNICA: BARCELONA 2×1 SEVILLA
Competição/Fase:
Supercopa da Espanha 2018 – final (jogo único)
Local: Stade Ibn Battouta, Tânger, Marrocos
Data: 12 de agosto de 2018, domingo – 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Carlos del Cerro Grande (ESP)
Cartões Amarelos: Busquets. Ter Stegen e Lenglet (Barcelona); Vásquez, Mesa e Aleix Vidal (Sevilla)
Gols: Sarabia, aos 9 min (0-1) e Piqué, aos 42 min do 1ª tempo (1-1); Dembélé, aos 33 min do 2º tempo (2-1)
BARCELONA: 1.Ter Stegen; 2.Semedo, 3.Piqué, 15.Lenglet e 18.Jordi Alba; 5.Busquets, 12.Rafinha (4.Rakitić) e 8.Arthur (7.Philippe Coutinho); 10.Messi, 11.Dembélé (22.Arturo Vidal) e 9.Suárez. Técnico: Ernesto Valverde
SEVILLA: 13.Vaclík; 25.Mercado (9.Ben Yedder), 4.Kjær e 3.Gómez; 7.Mesa, 16.Jesús Navas, 18.Escudero, 10.Banega e 17.Sarabia (11.Aleix Vidal); 22.Vásquez e 14.Muriel (12.André Silva). Técnico: Pablo Machín

Parabéns ao Futbol Club Barcelona pelo título.

Por Jorge Almeida

Barcelona: campeão espanhol 2017/2018

Messi (á esquerda) comemora um de seus três gols com Coutinho sendo observado por Luis Suárez. Miguel Riopa/AFP

A três rodadas do fim, o Campeonato Espanhol 2017/2018 já tem o seu campeão confirmado neste domingo (29). É o Barcelona, que foi até o Estádio Abanca-Riaznor encarar o Deportivo La Coruña e goleou o adversário por 4 a 2. Destaque para o argentino Lionel Messi, autor de três gols. Os demais tentos foram anotados por Philippe Coutinho, para os catalães, enquanto Lucas Pérez e Çolak descontaram para o time mandante. Com a vitória na 35ª rodada, o Barça chegou aos 86 pontos e não pode ser mais alcançado pelo Atlético de Madrid, segundo colocado, com 75 pontos.

Ciente de que o título poderia sair na jornada de hoje, o Barcelona tratou de partir par acima do desesperado La Coruña. E, logo aos seis minutos, tratou de preparar a festa para seus torcedores, mesmo atuando na casa do rival. Philippe Coutinho recebeu de Dembélé e pegou de primeira e acertou o ângulo para marcar um golaço.

Depois do tento, os blaugranas mantiveram o domínio, a tranquilidade na partida e praticamente fez um treino de luxo. E mais chances foram criadas. Aos 21, Rakitić dominou e mandou por cima do gol. No lance seguinte, Semedo recebeu de Dembélé cruzou para Suárez, que tentou a finalização, mas a bola saiu pela linha de fundo.

O Barça continuou a pressionar os Blanquiazules e dá-lhe mais gols perdidos. Aos 27, a equipe catalã chegou mais uma vez. A bola foi lançada para o baixinho Messi, que meteu a cabeça na redonda e a mandou para fora. Dois minutos mais tarde, o camisa 10 cobrou a falta no ângulo, a bola tinha endereço certo, mas Rubén voou e fez uma ótima defesa. Em seguida, Dembélé tocou para Coutinho, que bateu colocado e mandou a bola próximo da trave.

O Deportivo La Coruña teve o seu primeiro bom momento no jogo aos 32 com Borja Valle, que aproveitou um cruzamento, desviou a bola e, por pouco, não empatou. E, posteriormente,  Guilherme cruzou na área e o zagueiro suíço Schär, completamente livre, cabeceou e perdeu um gol incrível.

E, como diz aquele velho ditado do futebol, quem não faz, toma. Aos 37, Suárez recebeu na área, deu um lindo lançamento de trivela para Messi pegar de primeira e anotar um golaço. O time de Seedorf esboçou uma reação ao anotar aos 39 o seu tento. Borja Valle cruzou e Lucas Pérez pegou de primeira e descontou o placar no Riaznor.

Na etapa final, depois de sofrer um susto nos momentos iniciais, o Barça perdeu duas chances em sequência. Primeiro, aos 5, quando Suárez deu passe açucarado para Messi, que entrou na área e chutou em cima do goleiro Rubén. Depois, aos 6, o argentino tabelou com Coutinho e, da entrada da área, tocou errado na bola e desperdiçou.

O La Coruña tentou aos 10 com Lucas Pérez que soltou a bomba da entrada da área e Ter Stegen fez ótima defesa. Aos 16, Dembélé subiu mais que a zaga na cobrança de escanteio e meteu a cabeça na esférica, levando perigo. No minuto seguinte, a equipe do noroeste da Galiza conseguiu o empate. Depois de bela troca de passes no ataque, Borges, na área, rolou para trás para o turco Çolak, livre, mandar para as redes: 2 a 2.

A igualdade motivou a equipe da casa que, aos 24, esteve perto de virar o jogo. A bola foi alçada na área e Schär cabeceou para grande defesa de Ter Stegen.

Após o esboço da reação do La Coruña, o time azul-grená voltou a ditar o ritmo da partida. Aos 27, Suáres recebeu na área, livrou-se da marcação e mandou a pancada, mas acertou a rede pelo lado de fora. O goleiro Rubén ainda apareceu em mais dois lances. Aos 33, após o Deportivo sair jogando errado, Messi recuperou a bola e chutou para ótima defesa do arqueiro, que voltou a brilhar, aos 35, depois da tabela Suárez-Messi, que terminou com a finalização do argentino e que o goleiro fez mais uma defesaça.

Mas, aos 36, Messi e Suárez trocaram passes de um lado para o outro, deixando a defesa do La Coruña confusa, e o camisa 10 recebeu livre para colocar o Barça na frente novamente. Um golaço. Três minutos mais tarde, Messi fez mais um hat-trick para sua coleção. Dessa vez, ele recebeu outra assistência de Suárez e tocou na saída de Rubén. A torcida catalã presente no Riaznor já entoava o grito de campeão.

Após o tento, outro grande momento da partida: a entrada de Iniesta, que começou no banco. O autor do gol do título mundial da Espanha na Copa do Mundo de 2010 foi bastante ovacionado pelas duas torcidas. Substituto de Rakitić no jogo, o meia está a fazer sua despedida com a camisa do Barcelona após 22 anos de sua chegada ao clube e, na trajetória, foram 33 títulos no currículo.

E, antes do apito final, aos 44, ainda deu tempo de Piqué, completamente livre na área, tocar para o gol e parar em Rubén. Mas, diante das circunstâncias, não foi necessário dar os habituais acréscimos. Barcelona conquista o seu 25º título espanhol e o Deportivo La Coruña está rebaixado.

Apesar de o único concorrente matematicamente possível do Barcelona na luta pelo título da La Liga, o Atlético de Madrid, ter vencido o Alavés mais cedo fora de casa por 1 a 0, Messi e companhia entraram em campo ciente que um empate era mais que suficiente para coroar a bela campanha, invicta, do campeonato espanhol. Enquanto o adversário não podia estar em pior situação no momento. O Deportivo La Coruña tinha uma missão considerada impossível: pois, além de precisar derrotar o Barça, o que adiaria a comemoração do título justamente para a rodada seguinte, que “apenas” terá o El Clássico no Camp Nou, a equipe de Clarence Seedorf dependeria de um milagre na combinação de resultados na rodada vigente e nas três seguintes. Mas, com um Messi inspirado, mesmo jogando diante de seu torcedor no Riaznor, a equipe alviceleste não foi páreo para os visitantes que mandaram no jogo do começou ao fim. Abriu 2 a 0 no primeiro tempo, diminuiu o ritmo e permitiu o empate, mas o camisa 10 acabou com a brincadeira e fez mais dois e, de quebra, chegou na liderança da corrida pela Chuteira de Ouro, prêmio concedido ao maior artilheiro das principais ligas europeias. Com os três gols de hoje, Messi chegou aos 32 tentos no Campeonato Espanhol.

O título está merecidamente nas mãos do Barcelona. Pois, em 34 rodadas, o time de Ernesto Valverde venceu 26, empatou oito e não sofreu nenhuma derrota na atual edição. E, se juntar os últimos sete jogos da temporada passada com mais as 34 partidas da edição 2017/2018 do campeonato nacional, o clube da Catalunha quebrou o recorde de invencibilidade da competição: 41 partidas sem perder. Com o título, o Barcelona ergueu o seu 25º Campeonato Espanhol, mas apesar do número expressivo de taças da competição, o maior vencedor do certame é o Real Madrid, com 33 títulos espanhóis. Porém, vale reforçar que nos últimos dez anos, os blaugranas ergueram sete troféus do campeonato nacional.

Com a vitória, o Barcelona chegou aos 86 pontos e, a três rodadas para o término do campeonato, não pode ser mais alcançado (e ainda tem um jogo a menos) pelo Atlético de Madrid, segundo colocado com 75 pontos. E, de acordo com a tabela, completam o G4 do Campeonato Espanhol o Real Madrid, com 71 pontos, e Valencia, com 67. Possivelmente, esses serão os representantes espanhóis na próxima UEFA Champions League que, na atual edição, ainda tem a possibilidade de os Merengues conquistá-la mais uma vez, o que abriria mais uma vaga que, atualmente, está disponível para o Bétis, quinto colocado com 56 pontos. Enquanto isso, na luta pelas duas vagas para a Liga Europa, estão o próprio Bétis e o Villarreal, com 54 pontos, e que, hoje, estariam na segunda competição mais importante do Velho Continente. Mas, Getafe, com 49, e, empatados com 48 pontos, Sevilla e Girona têm chances (remotas) matemáticas. Enquanto isso, na parte debaixo da tabela, tudo definido: Deportivo La Coruña, com 28 pontos, Las Palmas, com 22, e Málaga, com 20 pontos disputarão a Série B do Campeonato Espanhol na temporada 2018/2019.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica do “jogo do título”

Data – Jogo – Local:
20/08/2017 – Barcelona 2×0 Bétis – Camp Nou, Barcelona
26/08/2017 – Alavés 0x2 Barcelona – Mendizorrotza, Vitória
09/09/2017 – Barcelona 5×0 Espanyol – Camp Nou, Barcelona
16/09/2017 – Getafe 1×2 Barcelona – Coliseum Alfonso Pérez, Getafe
19/09/2017 – Barcelona 6×1 Eibar – Camp Nou, Barcelona
23/09/2017 – Girona 0x3 Barcelona – Montilivi, Girona
01/10/2017 – Barcelona 3×0 Las Palmas – Camp Nou, Barcelona
14/10/2017 – Atlético de Madrid 1×1 Barcelona – Wanda Metropolitano, Madri
21/10/2017 – Barcelona 2×0 Málaga – Camp Nou, Barcelona
28/10/2017 – Athletic de Bilbao 0x2 Barcelona – San Mamés, Bilbao
04/11/2017 – Barcelona 2×1 Sevilla – Camp Nou, Barcelona
18/11/2017 – Leganés 0x3 Barcelona – Butarque, Leganés
26/11/2017 – Valencia 1×1 Barcelona – Mestalla, Valência
02/12/2017 – Barcelona 2×2 Celta de Vigo – Camp Nou, Barcelona
10/12/2017 – Villarreal 0x2 Barcelona – Estádio de La Cerámica, Vila-Real
17/12/2017 – Barcelona 4×0 Deportivo La Coruña – Camp Nou, Barcelona
23/12/2017 – Real Madrid 0x3 Barcelona – Santiago Bernabéu, Madri
07/01/2018 – Barcelona 3×0 Levante – Camp Nou, Barcelona
14/01/2018 – Real Sociedad 2×4 Barcelona – Anoeta, San Sebastián
21/01/2018 – Bétis 0x5 Barcelona – Benito Villamarín, Sevilha
28/01/2018 – Barcelona 2×1 Alavés – Camp Nou, Barcelona
04/02/2018 – Espanyol 1×1 Barcelona – Cornellá-et Prat, Barcelona
11/02/2018 – Barcelona 0x0 Getafe – Camp Nou, Barcelona
17/02/2018 – Eibar 0x2 Barcelona – Ipurúa, Eibar
24/02/2018 – Barcelona 6×1 Girona – Camp Nou, Barcelona
01/03/2018 – Las Palmas 1×1 Barcelona – Gran Canaria, Las Palmas
04/03/2018 – Barcelona 1×0 Atlético de Madrid – Camp Nou, Barcelona
10/03/2018 – Málaga 0x2 Barcelona – La Rosaleda, Málaga
18/03/2018 – Barcelona 2×0 Athletic de Bilbao – Camp Nou, Barcelona
31/03/2018 – Sevilla 2×2 Barcelona – Ramón Sánchez Pisjuán, Sevilha
07/04/2018 – Barcelona 3×1 Leganés – Camp Nou, Barcelona
14/04/2018 – Barcelona 2×1 Valencia – Camp Nou, Barcelona
17/04/2018 – Celta de Vigo 2×2 Barcelona – Balaídos, Vigo
09/05/2018 – Barcelona x Villarreal – Camp Nou, Barcelona*
29/04/2018 – Deportivo La Coruña 2×4 Barcelona – Abanca-Riazor, Coruña
06/05/2018 – Barcelona x Real Madrid – Camp Nou, Barcelona**
13/05/2018 – Levante x Barcelona – Ciutat de Valencia, Valência**
20/05/2018 – Barcelona x Real Sociedad – Camp Nou, Barcelona**
* Jogo adiado / ** Jogos a serem realizados

FICHA TÉCNICA: DEPORTIVO LA CORUÑA 2×4 BARCELONA
Campeonato/Fase: Campeonato Espanhol 2017/2018 – 35ª rodada
Local: Estádio Municipal Abanca-Riazor, Coruña, Espanha
Data: 29 de abril de 2018, domingo – 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: De Burgos Bengoetxea
Cartões Amarelos: Schär (Deportivo La Coruña); Semedo (Barcelona)
Gols: Philippe Coutinho, aos 6 min (0-1); Messi, aos 37 min (0-2); e Lucas Pérez, aos 39 min do 1º tempo (1-2); Çolak, aos 18 min (2-2); Messi, aos 36 min (2-3) e aos 39 min do 2º tempo (2-4)
DEPORTIVO LA CORUÑA: 13.Rubén; 2.Juanfran, 6.Albentosa, 24.Schär e 16.Luisinho; 22.Celso Borges (10.Andone), 20.Guilherme (21.Muntari), 14.Krohn-Dehli e 8.Emre Çolak; 19.Borja Valle (9.Cartabia) e 7.Lucas Pérez. Técnico: Clarence Seedorf
BARCELONA: 1.Ter Stegen; 2.Semedo, 3.Piqué, 23.Umtiti e 18.Jordi Alba; 5.Busquets, 4.Rakitić (6.Iniesta) e 14.Philippe Coutinho (15.Paulinho); 11.Dembélé (6.Denis Suárez), 10.Messi e 9.Suárez. Técnico: Ernesto Valverde

Parabéns ao Futbol Club Barcelona pelo título.

Por Jorge Almeida