Exposição “Pra Que (2007-2009)” na Pinacoteca do Estado

Vista da instalação “Pra Que (2007-2009)” na Pinacoteca do Estado. Foto: Jorge Almeida

A Pinacoteca do Estado de São Paulo está com a mostra “Pra Que (2007-2009)” em exposição até o próximo dia 22 de maio, segunda-feira. Na verdade, trata-se da instalação da artista curitibana Eliane Prolik composta por cerca de 50 placas de veículo em alumínio e pintura eletroestática suspensas, que por meio de palavras em relevo em branco sobre branco, e empreende o potencial de confrontação entre palavra e imagem.

Cada uma das placas contém duas palavras, escritas em dimensões distintas, que, quando unificadas entre si ou com as palavras presentes nas demais placas de instalação, indicam ao observante um jogo de criação de sentido a partir de uma combinação casual de elementos.

Há aí também uma nítida alusão ao ambiente urbano, ao fluxo constante de veículos nas ruas, bem como à circuito de expressões que nos chegam dos letreiros e textos publicitários. Colocadas lado a lado as placas sugerem que o visitante estabeleça seu próprio conjunto de ideias e articule, a partir daí, suas próprias imagens e analogias.

A instalação foi adquirida pelo Programa de Patronos do museu em 2012.

SERVIÇO:
Exposição:
Pra Que (2007-2009)
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 22/05/2017; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h)
Quanto: R$ 6,00 (inteira); R$ 3,00 (meia); entrada gratuita para menores de 10 anos e adultos com mais de 60 anos, e para o público em geral aos sábados

Por Jorge Almeida

Anúncios

Exposição “Diálogos Contemporâneos: Candida Höfer” na Pinacoteca do Estado

“Real Gabinete Português de Leitura, Rio de Janeiro III”, foto de Candida Höffer. Créditos: divulgação

A Pinacoteca do Estado de São Paulo realiza até a próxima segunda-feira, 22 de maio, a mostra “Diálogos Contemporâneos: Candida Höfer”, que apresenta três fotografias em grande formato, que representam dois espaços culturais do Brasil e um da França, que serão exibidos em diálogo com a coleção de arte do século XIX da instituição.

Essa exposição faz parte do programa de exposições “Diálogos com o acervo”, que aprecia a exibição de obras de outras instituições e/ou artistas contemporâneos em diálogo com o acervo da Pinacoteca.

As imagens de Höfer são da série “Räume (Spaces)”, que se dedica à representação de espaços públicos culturais, como museus, bibliotecas e galerias, por exemplo. Os registros discutem a forma de como a arquitetura construiu espaços majestosos que, simultaneamente, conduzem e reprime a ação do público.

Considerada um dos principais nomes da fotografia contemporânea, Candida Höfer investiga por meio de seus registros a estrutura dos espaços públicos e a forma de como a arquitetura pode manipular a experiência humana.

As imagens que fazem parte da mostra são: “Opera Bastille Paris XIV” (2006); “Real Gabinete Português de Leitura, Rio de Janeiro III” (foto), de 2015; e “Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro V” (2005).

SERVIÇO:
Exposição:
Diálogos Contemporâneos: Candida Höfer
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 22/05/2017; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h)
Quanto: R$ 6,00 (inteira); R$ 3,00 (meia); entrada gratuita para menores de 10 anos e adultos com mais de 60 anos, e para o público em geral aos sábados

Por Jorge Almeida

Exposição “No Lugar Mesmo: Uma Antologia de Ana Maria Tavares” na Pinacoteca

A obra “Fortuna”, de Ana Maria Tavares, em uma das sete salas da Pinacoteca. Foto: Jorge Almeida

A Pinacoteca do Estado de São Paulo está com a exposição “No Lugar Mesmo: Uma Antologia de Ana Maria Tavares” em cartaz até a próxima segunda-feira, 10 de abril. A mostra reúne cerca de 160 obras e ocupa sete salas do primeiro andar, além do octógono, lobby e corredores do mesmo piso.

A produção rearticula elementos fundamentais dos trabalhos da artista mineira desde 1982 até a atualidade. Aliás, a mostra acontece depois de quase 35 anos da primeira individual que Ana Maria Tavares fez na Pinacoteca.

A exposição é constituída por uma seleção significativa de trabalhos produzidos pela artista ao longo das últimas três décadas e meia sem se pautar pela cronologia. As obras insinuam o pensamento sobre o desenvolvimento da análise da artista e as diversas considerações e problemáticas trazidas por ela em sua produção.

A mostra é uma continuidade do ciclo de exposições dedicadas à revisão da carreira de artistas que começaram suas trajetórias no cenário brasileiro nos anos 1980. Nessa proposta, já foram apresentadas na Pinacoteca exposições dedicadas a nomes como Beatriz Milhazes, Jac Leiner, Leda Catunda, Nelson Feliz e Nuno Ramos.

A antologia tem obras como “Exit III com Parede Niemeyer (Estação Luz)” (2016), composta por aço inox, alumínio, borracha, CD player e fone de ouvido; “Escada” (1990), feita com aço, carbono e poliuretano; e a acrílica “Fortuna” (foto), de 2009.

SERVIÇO:
Exposição: No Lugar Mesmo: Uma Antologia de Ana Maria Tavares
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 10/04/2017; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 – com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); Menores de 10 anos e maiores de 60 anos não pagam; aos sábados, a entrada é gratuita para o público em geral

Por Jorge Almeida

 

Exposição “Fora da Ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear” na Pinacoteca do Estado

A obra “Untitled (for Ellen)”, de Dan Flavin, em exibição na Pinacoteca do Estado. Foto: Isis Naura
A obra “Untitled (for Ellen)”, de Dan Flavin, em exibição na Pinacoteca do Estado. Foto: Isis Naura

A Pinacoteca do Estado de São Paulo está com a exposição “Fora de Ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear” em cartaz até a próxima segunda-feira, 26 de setembro, e traz cerca de 140 trabalhos de uma das mais importantes coleções de arte da Europa, pertencentes à alemã Helga de Alvear (1936-). A mostra exibe pinturas, vídeos, instalações, esculturas, desenhos e gravuras de quase 70 artistas, sendo que a maioria das obras é inédita no Brasil.

Os trabalhos expostos estão datados a partir da década de 1930, com ênfase na produção de meados da década de 1960 até os dias de hoje.

De acordo com os curadores José Augusto Ribeiro e Ivo Mesquita, a exposição enaltece e justapões duas vertentes de trabalhos dominantes na coleção – obras de inclinação surrealista e de peças de linguagem geométrica -, mas que costumeiramente são vistas como contrárias na história da arte.

O intuito da mostra é marcar não apenas as diferentes entre as duas vertentes, mas também apontar para pontos de conexão entre elas. “Fora da ordem aponta para a intensidade enérgica de estruturas com lógica abstrata, frequentemente descritas como neutras, sóbrias ou discretas, e para o que há de cálculo, disciplina e construção em situações de contrassenso e absurdo”, complementa Ribeiro.

Nomes como Wassily Kandinsky, Marcel Duchamp e Josef Albers, influentes na arte moderna, assim como Donald Judd, Dan Flavin, Gordon Matta-Clark e Bruce Norman, artistas relacionados a algumas das principais vertentes do pós-guerra norte-americano; e também gente como Gerhard Richter, Franz West, Jeff Wall, Thomas Ruff, Pierre Huyche, além dos brasileiros Iran do Espírito Santo, José Damasceno e Jac Leiner participam da exposição.

O visitante da Pinacoteca poderá conferir obras como “Benjamin Moore #809”, da série Veículos perfeitos (1989), de Allan McColum; uma obra “Sem título” de Phillipe Parreno que, na verdade, são cerca de 30 velas em tamanho gigante feitas com algodão, folha de ouro e parafina; “Parking Lots (1967-1999), obra composta por 30 fotografias em preto e branco de Edward Ruscha; e “Untitled (for Ellen)” (foto), de 1998, de Dan Flavin, confeccionada por lâmpadas fluorescentes.

SERVIÇO:
Exposição:
Fora da Ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02 – Centro
Quando: até 26/09/2016; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de 10 anos, adultos com mais de 60 anos e para o público em geral aos sábados

Por Jorge Almeida

Exposição “Marcelo Zocchio e a Imagem Materializada” na Pinacoteca do Estado

Uma das obras de Marcelo Zocchio em exibição na Pinacoteca do Estado. Créditos: divulgação
Uma das obras de Marcelo Zocchio em exibição na Pinacoteca do Estado. Créditos: divulgação

A Pinacoteca do Estado de São Paulo promove até o próxima segunda-feira, 6 de junho, a exposição “Marcelo Zocchio e a Imagem Materializada”, que reúne 25 obras do paulistano Marcelo Zocchio. A mostra traz séries fotográficas, objetos e registros de intervenções. E lança a discussão do estatuto da fotografia, seja cultivando a entrada para tridimensionalidade ou pondo em xeque o efeito da veracidade e registro.

A exposição ainda propõe mostrar um séquito das obras recente do artista, que faz a sua primeira individual na Pinacoteca, em especial na qual se identificam operações com a imagem fotográfica.

Entre os destaques estão “Ponto de Ônibus” (foto), da série Segunda Mão (2011); “Veneziana”, da mesma série (2010), uma impressão sobre papel algodão com aglomerado de madeira; “Vista Explodida” (2015) e “Armário” (2011), da série Utilidades Domésticas.

SERVIÇO:
Exposição: Marcelo Zocchio e a Imagem Materializada
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 06/06/2016; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de dez anos, maiores de 60 anos e, aos sábados, para o público em geral

Por Jorge Almeida

Exposição “Paisagem nas Américas: Pinturas da Terra do Fogo ao Ártico” na Pinacoteca do Estado

A mostra “Paisagem nas Américas: Pinturas da Terra do Fogo ao Ártico” segue em cartaz até o próximo domingo, 29 de maio, na Pinacoteca do Estado de São Paulo. Com 105 obras, a exposição analista a pintura de paisagem desde o início do século XIX até os primeiros anos do século XX. A exposição nasceu de uma parceria inédita firmada em 2010 entre a Pinacoteca de São Paulo, a Art Gallery of Ontario e a Terra Foundation for American Art (Chicago, EUA).

A mostra reúne obras de importantes artistas das Américas, como os brasileiros Tarsila do Amaral e Pedro Américo, os norte-americanos Frederic Church e Georgia O’Keeffe, dos canadenses Lawrren Harris e David Milne, do uruguaio Pedro Figari, do venezuelano Armando Reverón, os mexicanos José Maria Velasco e Gerardo Murillo – o Dr. Atl -, entre outros, que poderão ser conferidos juntos pela primeira vez.

Com curadoria de Valéria Piccoli, Georgiana Uhlyarik e Peter John Brownlee, essa é a primeira exposição a pesquisar a pintura de paisagens no período mencionado em um contexto panamericano. Organizada pelos temas – “Terra Ícone Nação”, “Do Campo para o Ateliê”, “A Terra como Recurso”, “A Terra Transformada” e “Ícone Nação Ser” -, as obras destacam a produção artística da Argentina e da região do Rio da Prata, dos países andinos, do Brasil e América do Norte, onde a presença da pintura de paisagem foi mais significativa.

Além das obras, há o livro editado pelos curadores da exposição que traz 260 imagens coloridas que está à venda na loja da Pinacoteca. Com edições em inglês, espanhol e português, o material ainda traz ensaios de 45 autores convidados.

Entre os destaques estão “Nas Cordilheiras de Chillan Desfiladeiro de El Manzano” (1893), um óleo sobre tela de Onofre Jarpa; “Visão do Rio de Janeiro” (1837), do austríaco Thomas Ender; e “Cataratas do Niágara” (1878), de William Morris Hunt.

SERVIÇO:
Exposição: Paisagens das Américas: Pinturas da Terra do Fogo ao Ártico
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 29/05/2016; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de dez anos, maiores de 60 anos e, aos sábados, para o público em geral

Por Jorge Almeida

Exposição “Tiamm Schuoomm Cash!” na Pinacoteca do Estado

A instalação de José Spaniol que faz parte do Projeto Octógono de Arte Contemporânea da Pinacoteca. Foto: Jorge Almeida
A instalação de José Spaniol que faz parte do Projeto Octógono de Arte Contemporânea da Pinacoteca. Foto: Jorge Almeida

A Pinacoteca do Estado de São Paulo realiza até o próximo domingo, 29 de maio, a exposição “Tiamm Shuoom Cash!”, que, na verdade, é composta por uma instalação do gaúcho José Spaniol, gravador, escultor, pintor, desenhista e professor. A obra faz parte do Projeto Octógono de Arte Contemporânea e é a mostra inaugural do programa em 2016.

A inédita instalação faz referência a uma onda e foi elaborada a partir da observação feita do mar, da imprevisibilidade e da surpresa que os oceanos propõem. E foi construída com dois barcos de madeira, com seis metros de cumprimento cada, elevados a dez metros de altura e sustentados por escoras de bambu.

A suspensão dos barcos indica uma paisagem escultórica, onde a falta da água e de seu movimento é colocado em conflito pelo ritmo das escoras, criando um cenário ficcional e a obra permite que o visitante a observe a partir de um ponto de vista hipotético.

SERVIÇO:
Exposição: Tiamm Schuoomm Cash!
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 29/05/2016; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de dez anos, maiores de 60 anos e, aos sábados, para o público em geral

Por Jorge Almeida