Exposição “No Lugar Mesmo: Uma Antologia de Ana Maria Tavares” na Pinacoteca

A obra “Fortuna”, de Ana Maria Tavares, em uma das sete salas da Pinacoteca. Foto: Jorge Almeida

A Pinacoteca do Estado de São Paulo está com a exposição “No Lugar Mesmo: Uma Antologia de Ana Maria Tavares” em cartaz até a próxima segunda-feira, 10 de abril. A mostra reúne cerca de 160 obras e ocupa sete salas do primeiro andar, além do octógono, lobby e corredores do mesmo piso.

A produção rearticula elementos fundamentais dos trabalhos da artista mineira desde 1982 até a atualidade. Aliás, a mostra acontece depois de quase 35 anos da primeira individual que Ana Maria Tavares fez na Pinacoteca.

A exposição é constituída por uma seleção significativa de trabalhos produzidos pela artista ao longo das últimas três décadas e meia sem se pautar pela cronologia. As obras insinuam o pensamento sobre o desenvolvimento da análise da artista e as diversas considerações e problemáticas trazidas por ela em sua produção.

A mostra é uma continuidade do ciclo de exposições dedicadas à revisão da carreira de artistas que começaram suas trajetórias no cenário brasileiro nos anos 1980. Nessa proposta, já foram apresentadas na Pinacoteca exposições dedicadas a nomes como Beatriz Milhazes, Jac Leiner, Leda Catunda, Nelson Feliz e Nuno Ramos.

A antologia tem obras como “Exit III com Parede Niemeyer (Estação Luz)” (2016), composta por aço inox, alumínio, borracha, CD player e fone de ouvido; “Escada” (1990), feita com aço, carbono e poliuretano; e a acrílica “Fortuna” (foto), de 2009.

SERVIÇO:
Exposição: No Lugar Mesmo: Uma Antologia de Ana Maria Tavares
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 10/04/2017; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 – com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); Menores de 10 anos e maiores de 60 anos não pagam; aos sábados, a entrada é gratuita para o público em geral

Por Jorge Almeida

 

Exposição “Fora da Ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear” na Pinacoteca do Estado

A obra “Untitled (for Ellen)”, de Dan Flavin, em exibição na Pinacoteca do Estado. Foto: Isis Naura
A obra “Untitled (for Ellen)”, de Dan Flavin, em exibição na Pinacoteca do Estado. Foto: Isis Naura

A Pinacoteca do Estado de São Paulo está com a exposição “Fora de Ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear” em cartaz até a próxima segunda-feira, 26 de setembro, e traz cerca de 140 trabalhos de uma das mais importantes coleções de arte da Europa, pertencentes à alemã Helga de Alvear (1936-). A mostra exibe pinturas, vídeos, instalações, esculturas, desenhos e gravuras de quase 70 artistas, sendo que a maioria das obras é inédita no Brasil.

Os trabalhos expostos estão datados a partir da década de 1930, com ênfase na produção de meados da década de 1960 até os dias de hoje.

De acordo com os curadores José Augusto Ribeiro e Ivo Mesquita, a exposição enaltece e justapões duas vertentes de trabalhos dominantes na coleção – obras de inclinação surrealista e de peças de linguagem geométrica -, mas que costumeiramente são vistas como contrárias na história da arte.

O intuito da mostra é marcar não apenas as diferentes entre as duas vertentes, mas também apontar para pontos de conexão entre elas. “Fora da ordem aponta para a intensidade enérgica de estruturas com lógica abstrata, frequentemente descritas como neutras, sóbrias ou discretas, e para o que há de cálculo, disciplina e construção em situações de contrassenso e absurdo”, complementa Ribeiro.

Nomes como Wassily Kandinsky, Marcel Duchamp e Josef Albers, influentes na arte moderna, assim como Donald Judd, Dan Flavin, Gordon Matta-Clark e Bruce Norman, artistas relacionados a algumas das principais vertentes do pós-guerra norte-americano; e também gente como Gerhard Richter, Franz West, Jeff Wall, Thomas Ruff, Pierre Huyche, além dos brasileiros Iran do Espírito Santo, José Damasceno e Jac Leiner participam da exposição.

O visitante da Pinacoteca poderá conferir obras como “Benjamin Moore #809”, da série Veículos perfeitos (1989), de Allan McColum; uma obra “Sem título” de Phillipe Parreno que, na verdade, são cerca de 30 velas em tamanho gigante feitas com algodão, folha de ouro e parafina; “Parking Lots (1967-1999), obra composta por 30 fotografias em preto e branco de Edward Ruscha; e “Untitled (for Ellen)” (foto), de 1998, de Dan Flavin, confeccionada por lâmpadas fluorescentes.

SERVIÇO:
Exposição:
Fora da Ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02 – Centro
Quando: até 26/09/2016; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de 10 anos, adultos com mais de 60 anos e para o público em geral aos sábados

Por Jorge Almeida

Exposição “Marcelo Zocchio e a Imagem Materializada” na Pinacoteca do Estado

Uma das obras de Marcelo Zocchio em exibição na Pinacoteca do Estado. Créditos: divulgação
Uma das obras de Marcelo Zocchio em exibição na Pinacoteca do Estado. Créditos: divulgação

A Pinacoteca do Estado de São Paulo promove até o próxima segunda-feira, 6 de junho, a exposição “Marcelo Zocchio e a Imagem Materializada”, que reúne 25 obras do paulistano Marcelo Zocchio. A mostra traz séries fotográficas, objetos e registros de intervenções. E lança a discussão do estatuto da fotografia, seja cultivando a entrada para tridimensionalidade ou pondo em xeque o efeito da veracidade e registro.

A exposição ainda propõe mostrar um séquito das obras recente do artista, que faz a sua primeira individual na Pinacoteca, em especial na qual se identificam operações com a imagem fotográfica.

Entre os destaques estão “Ponto de Ônibus” (foto), da série Segunda Mão (2011); “Veneziana”, da mesma série (2010), uma impressão sobre papel algodão com aglomerado de madeira; “Vista Explodida” (2015) e “Armário” (2011), da série Utilidades Domésticas.

SERVIÇO:
Exposição: Marcelo Zocchio e a Imagem Materializada
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 06/06/2016; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de dez anos, maiores de 60 anos e, aos sábados, para o público em geral

Por Jorge Almeida

Exposição “Paisagem nas Américas: Pinturas da Terra do Fogo ao Ártico” na Pinacoteca do Estado

A mostra “Paisagem nas Américas: Pinturas da Terra do Fogo ao Ártico” segue em cartaz até o próximo domingo, 29 de maio, na Pinacoteca do Estado de São Paulo. Com 105 obras, a exposição analista a pintura de paisagem desde o início do século XIX até os primeiros anos do século XX. A exposição nasceu de uma parceria inédita firmada em 2010 entre a Pinacoteca de São Paulo, a Art Gallery of Ontario e a Terra Foundation for American Art (Chicago, EUA).

A mostra reúne obras de importantes artistas das Américas, como os brasileiros Tarsila do Amaral e Pedro Américo, os norte-americanos Frederic Church e Georgia O’Keeffe, dos canadenses Lawrren Harris e David Milne, do uruguaio Pedro Figari, do venezuelano Armando Reverón, os mexicanos José Maria Velasco e Gerardo Murillo – o Dr. Atl -, entre outros, que poderão ser conferidos juntos pela primeira vez.

Com curadoria de Valéria Piccoli, Georgiana Uhlyarik e Peter John Brownlee, essa é a primeira exposição a pesquisar a pintura de paisagens no período mencionado em um contexto panamericano. Organizada pelos temas – “Terra Ícone Nação”, “Do Campo para o Ateliê”, “A Terra como Recurso”, “A Terra Transformada” e “Ícone Nação Ser” -, as obras destacam a produção artística da Argentina e da região do Rio da Prata, dos países andinos, do Brasil e América do Norte, onde a presença da pintura de paisagem foi mais significativa.

Além das obras, há o livro editado pelos curadores da exposição que traz 260 imagens coloridas que está à venda na loja da Pinacoteca. Com edições em inglês, espanhol e português, o material ainda traz ensaios de 45 autores convidados.

Entre os destaques estão “Nas Cordilheiras de Chillan Desfiladeiro de El Manzano” (1893), um óleo sobre tela de Onofre Jarpa; “Visão do Rio de Janeiro” (1837), do austríaco Thomas Ender; e “Cataratas do Niágara” (1878), de William Morris Hunt.

SERVIÇO:
Exposição: Paisagens das Américas: Pinturas da Terra do Fogo ao Ártico
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 29/05/2016; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de dez anos, maiores de 60 anos e, aos sábados, para o público em geral

Por Jorge Almeida

Exposição “Tiamm Schuoomm Cash!” na Pinacoteca do Estado

A instalação de José Spaniol que faz parte do Projeto Octógono de Arte Contemporânea da Pinacoteca. Foto: Jorge Almeida
A instalação de José Spaniol que faz parte do Projeto Octógono de Arte Contemporânea da Pinacoteca. Foto: Jorge Almeida

A Pinacoteca do Estado de São Paulo realiza até o próximo domingo, 29 de maio, a exposição “Tiamm Shuoom Cash!”, que, na verdade, é composta por uma instalação do gaúcho José Spaniol, gravador, escultor, pintor, desenhista e professor. A obra faz parte do Projeto Octógono de Arte Contemporânea e é a mostra inaugural do programa em 2016.

A inédita instalação faz referência a uma onda e foi elaborada a partir da observação feita do mar, da imprevisibilidade e da surpresa que os oceanos propõem. E foi construída com dois barcos de madeira, com seis metros de cumprimento cada, elevados a dez metros de altura e sustentados por escoras de bambu.

A suspensão dos barcos indica uma paisagem escultórica, onde a falta da água e de seu movimento é colocado em conflito pelo ritmo das escoras, criando um cenário ficcional e a obra permite que o visitante a observe a partir de um ponto de vista hipotético.

SERVIÇO:
Exposição: Tiamm Schuoomm Cash!
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 29/05/2016; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de dez anos, maiores de 60 anos e, aos sábados, para o público em geral

Por Jorge Almeida

Exposição “Mulheres Artistas: As Pioneiras (1880-1930)” na Pinacoteca do Estado

A mostra “Mulheres Artistas: As Pioneiras (1880-1930)” está em exibição na Pinacoteca do Estado de São Paulo até o próximo dia 25 de outubro, domingo, e exibe cerca de 40 obras, que trazem um recorte temporal significante das produções criadas entre 1880 e 1930, que visam mostrar a inclusão da mulher e os processos de formação a que tiveram acesso e sua afirmação como artistas profissionais. As obras estão expostas em duas salas.

Na primeira, métodos acadêmicos que ajeitaram o seu desenvolvimento artístico, entre as quais o estudo do desenho, a imitação do modelo antigo e dos mestres em desenhos e pinturas. Na segunda sala são mostradas as multiplicidades de gêneros artísticos a que as mulheres se dedicaram ao longo do século XIX e inícios do XX.

As obras expostas contrariam os discursos do período, que visavam limitar a mulher à atmosfera doméstica e também a reduzi-las à categoria de “naturalmente amadoras”, com produções de diversas pintoras e escultoras realizaram obras de importância histórica, inclusive, algumas jamais vistas por públicos expandidos ou que não tenham analogias umas com as outras.

Entre os destaques estão as pinturas: “Estudo de Nu” (1921), de Tarsila do Amaral; “Mulher Dormindo (cópia da pintura de Charles Joshua Chaptain)” (1939), de Helena Pereira da Silva Ohashi; “Estendendo a Roupa” (1888), de Abigail de Andrade; além de uma paleta de Lucília Braga, os cadernos de estudos de Anita Malfatti, com três desenhos, e a escultura de mármore – “Chiquita” -, de Juliana de França.

SERVIÇO:
Exposição: Mulheres Artistas: As Pioneiras (1880-1930)
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, s/nº – Luz
Quando: até 25/10/2015 de terça a domingo, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h); as quintas até às 22h.
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (estudantes e professores da rede privada); entrada gratuita para alunos e professores da rede pública (em excursão escolar); pessoas menores de 10 e maiores de 60 anos, a entrada é gratuita e para o público em geral, o acesso é gratuito aos sábados e a partir das 17h nas quintas. O ingresso também dá direito à visitação à Estação Pinacoteca

Por Jorge Almeida

 

Exposição reúne obras britânicas na Pinacoteca do Estado

Uma das obras em exposição na Pinacoteca sobre a arte da Grã-Bretanha. Foto: Jorge Almeida
Uma das obras em exposição na Pinacoteca sobre a arte da Grã-Bretanha. Foto: Jorge Almeida

A Pinacoteca do Estado de São Paulo realiza até o próximo domingo, 18 de outubro, a exposição “A Paisagem na Arte: 1690-1998 – Artistas Britânicos da Coleção da Tate”, que reúne cerca de 100 obras de grandes artistas topográficos e clássicos desde o século XVIII até contemporâneos das últimas décadas – uma visão fascinante do desenvolvimento histórico e cultural da Grã-Bretanha, na conjuntura das forças literárias, filosóficas, políticas e sociais que colaboraram com o crescimento do país ao longo de quase 300 anos.

A exposição delineia o evidente desenvolvimento de uma das maiores contribuições da Grã-Bretanha para a arte europeia – a pintura de paisagem – a partir de um recorte sem paralelos de arte britânica da Tate. Entre os destaques estão obras de William Turner (1775-1851), John Constable (1776-1837), Ben Nicholson (1894-1982) e Richard Long (1945).

A mostra é dividida em nove partes: “Descobrindo a Grã-Bretanha”, “Sonhos pastorais”, “A visão clássica”, “Romantismo”, “Fidelidade à Natureza”, “Impressionismo”, “Redescobrindo a Grã-Bretanha”, “Um novo romantismo” e “Novas paisagens, velhas paisagens”

SERVIÇO:
Exposição: A Paisagem da Arte: 1690-1998 – Artistas Britânicos da Coleção da Tate
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, s/nº – Luz
Quando: até 18/10/2015 de terça a domingo, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h); as quintas até às 22h.
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (estudantes e professores da rede privada); entrada gratuita para alunos e professores da rede pública (em excursão escolar); pessoas menores de 10 e maiores de 60 anos, a entrada é gratuita e para o público em geral, o acesso é gratuito aos sábados e a partir das 17h nas quintas. O ingresso também dá direito à visitação à Estação Pinacoteca

Por Jorge Almeida