Pinacoteca de São Paulo recebe edição do Mercado Manual em novembro

Peças do Ateliê Casa Azul. Foto: Gleice Bueno

Com entrada franca, além de muito design autoral, o público pode visitar a exposição de Di Cavalcanti

São Paulo, outubro de 2017 – O Mercado Manual, festival de cultura feita à mão, que há quase dois anos cultiva curadoria voltada ao comprometimento com o design autoral, artesanal e ético, realiza a primeira edição em parceria com a Pinacoteca de São Paulo, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo,museu de artes mais antigo da cidade. Com entrada franca, o evento será realizado pela Floristas Produções nos dias 04 e 05 de novembro e conta com mais de 60 expositores, shows autorais, talk especial, praça gastronômica, atrações infantis e diversas oficinas.

“A Pina está muito feliz por receber esta iniciativa, que vem dando tão certo em outros espaços. Teremos entrada gratuita o feriado inteiro e esperamos que o público aproveite os dias de folga e o fim de semana para nos visitar e aproveitar a feira e as atividades culturais”, afirma Paulo Vicelli, diretor de Relações Institucionais da Pinacoteca de São Paulo.

O Mercado Manual entra no calendário de ações de 2017 do espaço – que recebe cerca de 30 exposições e 500 mil visitantes ao ano – e comemora o reconhecimento de ter sua primeira edição na Pinacoteca acontecendo durante exposições como “No Subúrbio da Modernidade – Di Cavalcanti 120 anos”, entre outras que têm tido uma média de visitação de oito mil pessoas nos feriados.

“Ter a chancela de mais um grande museu fortalece o nosso trabalho e mostra que estamos seguindo pelo caminho certo, passando exatamente a mensagem que gostaríamos desde o início”, comenta Daniela Scartezini, fundadora da Floristas Produções, fazendo referência à parceria com outro gigante das artes, o Museu da Casa Brasileira, que está no projeto desde o início e já soma seis edições, além das especiais no MorumbiShopping e no MecaInhotim.

Atrações
Com mais de 60 expositores distribuídos pela área de estacionamento da Pinacoteca, a edição oferece aos visitantes itens para casa, acessórios, joias, cosméticos, moda e produtos infantis, além de praça gastronômica. Durante os dois dias de evento serão realizadas as já conhecidas oficinas gratuitas, quatro shows de projetos autorais, entre eles uma apresentação especial do violinista francês Nicolas Krassik e um talk especial com a designer Nicole Tomazi, que apresenta uma visão baseada na vivência profissional e também em pesquisas sobre a atuação denominada “Designer-Artífice”, sob o viés da manualidade como possibilidade de transformação social.

Entre os expositores estão nomes como A Mafalda (sapatos), Igor Sabah (design e casa), Cru Atelie(moda), Iara Wisnik (moda), Popoke (design em madeiras), Tucum (artigos indigenas), PP Acessórios (bolsas e acessórios em couro), Atelier Casa Azul (cerâmica), Sabon Sabon (sabonetes), Laura Mallozi (joias), Atelie Cui Cui (roupas infantis), Duo Solo (vasos em cimento), entre outros.

Na área gastronômica, opções como Pitico+Mica, com pratos como faláfel e comida asiática, e a Cantina Castelões, que participa pela primeira vez de um evento itinerante.

Sábado, 4 de novembro
– Durante todo o dia: Erê Lab – empresa que desenvolve objetos lúdicos para participação das crianças no urbanismo – e Kombi dos Sonhos – um veículo divertido que estaciona na festa e oferece diversas estações de livre brincar.

OFICINAS
– Das 11h às 12h – Oficina de Cosmética Natural com Anna Candelária, da Sabon Sabon
Os participantes terão a oportunidade de aprender a fazer um esfoliante corporal e um bálsamo para o verão com matérias primas orgânicas e naturais.
Capacidade: 12 participantes

– Das 15h às 16h – Oficina de Crochê no Bambolê, com Coletivo Nalã
Os participantes irão construir mandalas circulares feitas a partir da técnica do crocite.
Capacidade: 30 participantes

SHOWS
– Das 13h às 14h – Trupe Pé de Histórias: “Letras”
A menina e seu amigo Mané Pipoca mergulham no mundo dos livros e letras. Juntos descobrem que as letras formam palavras, as palavras formam textos, textos fazem história e estas contam o que a imaginação quiser.  É um mundo sem limites. A Trupe Pé de Histórias mistura linguagens como música, circo, bonecos, sombras e mágica, comandando uma deliciosa aventura imaginativa.
Criação e direção: Naya Sá e Tucci Fattore

– Das 17h às 18h30 – Yannick Delas
Yannick Delass é a música e a vida migrante. Compositor, cantor e guitarrista original da República Democrática do Congo com cidadania são tomense (São Tomé e Príncipe), o artista sedimentou sua sonoridade plural e aguerrida não só nas suas pátrias, mas também em trânsito pelo Gabão, África do Sul, Indonésia, Cabo Verde e Brasil. Sua música caracteriza-se por uma voz reluzente e ancestral que conflui e se entrelaça com a diversidade e rítmica da África contemporânea.
Formação: Daniel doctors (baixo), Rafael de oliveira (batera), Le Andrade (guitarra) e Yannick Delass (vocal e violão)

Domingo, 5 de novembro
– Durante todo o dia: Erê Lab – empresa que desenvolve objetos lúdicos para participação das crianças no urbanismo –  e Kombi dos Sonhos – um veículo divertido que estaciona na festa e oferece diversas estações de livre brincar.

Palestra
– Das 10h30 às 12h – Talk com Nicole Tomazi
No auditório da Pinacoteca, a designer Nicole Tomazi apresenta uma visão baseada em sua na vivência profissional e na pesquisa sobre atuação, denominada “Designer-Artífice”, sob o viés da manualidade como possibilidade de transformação social.
Capacidade: 130 lugares

OFICINAS
– Das 14h às 15h – Colcha em Tricô de Braço, com Cris Bertolucci
Sem agulhas e com muita praticidade é possível aprender tricô utilizando somente os braços. Em uma oficina rápida os participantes sairão com uma colcha em tricô pronta.
Capacidade: 15 pessoas

SHOWS
– Das 13h às 14h – Cia Meu Corpo Meu brinquedo, em Jam session “Brincando com a dança”
A Cia Meu Corpo Meu Brinquedo apresenta a Jam Session “Brincando com a dança”, que propõe um jogo de improvisação onde corpo e movimento são experienciados de forma lúdica por toda a família. Com a compreensão que a dança é uma grande brincadeira, a proposta é brincar com o corpo vivendo suas possibilidades e todo o seu potencial de movimento com propostas que abarcam todos os corpos de todas as idades.
Produção: Carrapeta Produções

– Das 16h30 às 18h – Nicolas Krassik e Cordestinos
Nascido em Paris, o violinista e compositor Nicolas Krassik coloca há 15 anos seu violino a serviço da música popular brasileira. No Mercado Manual na Pinacoteca, Nicolas apresentará o show “Nicolas Krassik e Cordestinos”, projeto que completou 10 anos de vida esse ano. O repertório, essencialmente relacionado a ritmos nordestinos, é na maioria autoral, além de conter músicas de Dominguinhos, Lenine e Gilberto Gil, três grandes referências desse trabalho.

Sobre a Pinacoteca de São Paulo
A Pinacoteca de São Paulo é um museu de artes visuais com ênfase na produção brasileira do século XIX até a contemporaneidade. Fundada em 1905 pelo Governo do Estado de São Paulo é o museu de arte mais antigo da cidade.Ela está instalada no antigo edifício do Liceu de Artes e Ofícios, projetado no final do século XIX pelo escritório do arquiteto Ramos de Azevedo, que depois passou por uma ampla reforma com projeto do arquiteto Paulo Mendes da Rocha no final da década de 1990. O acervo original da Pinacoteca foi formado com a transferência de 20 obras do Museu Paulista da Universidade de São Paulo de importantes artistas da cidade como Almeida Júnior, Pedro Alexandrino, Antônio Parreiras e Oscar Pereira da Silva. Com o passar dos anos formou um significativo acervo, com quase 10 mil obras.

Sobre a rede Manual
A Manual, criada pela Floristas Produções, é uma rede que reúne pequenos empreendedores e novos criadores, propiciando ambientes de negócios, qualificação e relacionamento. Trata-se de uma ferramenta que incentiva e ressignifica o artesão, o autor, o criador. Composta principalmente por mulheres, a rede acredita no potencial feminino como agente transformador, e na capacidade de construção de um futuro melhor através da valorização do trabalho manual. A Rede Manual se estabelece e se relaciona em eventos físicos, como Mercado Manual, em oficinas e no site redemanual.com.br.
Desde sua primeira edição, em dezembro de 2015, o número de visitantes do Mercado
Manual triplicou, assim como o número de expositores, que acompanhou esse crescimento. A cada edição, a curadoria do evento procura diversificar as opções oferecidas, sempre dentro de padrões de qualidade e produção ética rigorosamente estabelecidos como base conceitual da realização.

SERVIÇO
Manual na Pinacoteca
04 e 05 de novembro de 2017
Horário: sábado – das 10h às 20h // domingo – das 10h às 18h
Entrada gratuita sujeita à lotação
Local: Praça da Luz, 02
Telefone: 11 3324-1000
http://pinacoteca.org.br

Informações para Imprensa – Mercado Manual
Agência Lema
Leandro Matulja/ Letícia Zioni/ Larissa Marques | http://www.agencialema.com.br
Natacha Cintra (+55 11) 3871-0022 ramal 229 | natacha@agencialema.com.br
Informações para a imprensa – Pinacoteca de São Paulo
Ana Carolina Diniz
+55 11 3335-5367
acosta@pinacoteca.org.br

Por Natacha Cintra

Anúncios

Exposição “Pra Que (2007-2009)” na Pinacoteca do Estado

Vista da instalação “Pra Que (2007-2009)” na Pinacoteca do Estado. Foto: Jorge Almeida

A Pinacoteca do Estado de São Paulo está com a mostra “Pra Que (2007-2009)” em exposição até o próximo dia 22 de maio, segunda-feira. Na verdade, trata-se da instalação da artista curitibana Eliane Prolik composta por cerca de 50 placas de veículo em alumínio e pintura eletroestática suspensas, que por meio de palavras em relevo em branco sobre branco, e empreende o potencial de confrontação entre palavra e imagem.

Cada uma das placas contém duas palavras, escritas em dimensões distintas, que, quando unificadas entre si ou com as palavras presentes nas demais placas de instalação, indicam ao observante um jogo de criação de sentido a partir de uma combinação casual de elementos.

Há aí também uma nítida alusão ao ambiente urbano, ao fluxo constante de veículos nas ruas, bem como à circuito de expressões que nos chegam dos letreiros e textos publicitários. Colocadas lado a lado as placas sugerem que o visitante estabeleça seu próprio conjunto de ideias e articule, a partir daí, suas próprias imagens e analogias.

A instalação foi adquirida pelo Programa de Patronos do museu em 2012.

SERVIÇO:
Exposição:
Pra Que (2007-2009)
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 22/05/2017; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h)
Quanto: R$ 6,00 (inteira); R$ 3,00 (meia); entrada gratuita para menores de 10 anos e adultos com mais de 60 anos, e para o público em geral aos sábados

Por Jorge Almeida

Exposição “Diálogos Contemporâneos: Candida Höfer” na Pinacoteca do Estado

“Real Gabinete Português de Leitura, Rio de Janeiro III”, foto de Candida Höffer. Créditos: divulgação

A Pinacoteca do Estado de São Paulo realiza até a próxima segunda-feira, 22 de maio, a mostra “Diálogos Contemporâneos: Candida Höfer”, que apresenta três fotografias em grande formato, que representam dois espaços culturais do Brasil e um da França, que serão exibidos em diálogo com a coleção de arte do século XIX da instituição.

Essa exposição faz parte do programa de exposições “Diálogos com o acervo”, que aprecia a exibição de obras de outras instituições e/ou artistas contemporâneos em diálogo com o acervo da Pinacoteca.

As imagens de Höfer são da série “Räume (Spaces)”, que se dedica à representação de espaços públicos culturais, como museus, bibliotecas e galerias, por exemplo. Os registros discutem a forma de como a arquitetura construiu espaços majestosos que, simultaneamente, conduzem e reprime a ação do público.

Considerada um dos principais nomes da fotografia contemporânea, Candida Höfer investiga por meio de seus registros a estrutura dos espaços públicos e a forma de como a arquitetura pode manipular a experiência humana.

As imagens que fazem parte da mostra são: “Opera Bastille Paris XIV” (2006); “Real Gabinete Português de Leitura, Rio de Janeiro III” (foto), de 2015; e “Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro V” (2005).

SERVIÇO:
Exposição:
Diálogos Contemporâneos: Candida Höfer
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 22/05/2017; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h)
Quanto: R$ 6,00 (inteira); R$ 3,00 (meia); entrada gratuita para menores de 10 anos e adultos com mais de 60 anos, e para o público em geral aos sábados

Por Jorge Almeida

Exposição “No Lugar Mesmo: Uma Antologia de Ana Maria Tavares” na Pinacoteca

A obra “Fortuna”, de Ana Maria Tavares, em uma das sete salas da Pinacoteca. Foto: Jorge Almeida

A Pinacoteca do Estado de São Paulo está com a exposição “No Lugar Mesmo: Uma Antologia de Ana Maria Tavares” em cartaz até a próxima segunda-feira, 10 de abril. A mostra reúne cerca de 160 obras e ocupa sete salas do primeiro andar, além do octógono, lobby e corredores do mesmo piso.

A produção rearticula elementos fundamentais dos trabalhos da artista mineira desde 1982 até a atualidade. Aliás, a mostra acontece depois de quase 35 anos da primeira individual que Ana Maria Tavares fez na Pinacoteca.

A exposição é constituída por uma seleção significativa de trabalhos produzidos pela artista ao longo das últimas três décadas e meia sem se pautar pela cronologia. As obras insinuam o pensamento sobre o desenvolvimento da análise da artista e as diversas considerações e problemáticas trazidas por ela em sua produção.

A mostra é uma continuidade do ciclo de exposições dedicadas à revisão da carreira de artistas que começaram suas trajetórias no cenário brasileiro nos anos 1980. Nessa proposta, já foram apresentadas na Pinacoteca exposições dedicadas a nomes como Beatriz Milhazes, Jac Leiner, Leda Catunda, Nelson Feliz e Nuno Ramos.

A antologia tem obras como “Exit III com Parede Niemeyer (Estação Luz)” (2016), composta por aço inox, alumínio, borracha, CD player e fone de ouvido; “Escada” (1990), feita com aço, carbono e poliuretano; e a acrílica “Fortuna” (foto), de 2009.

SERVIÇO:
Exposição: No Lugar Mesmo: Uma Antologia de Ana Maria Tavares
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 10/04/2017; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 – com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); Menores de 10 anos e maiores de 60 anos não pagam; aos sábados, a entrada é gratuita para o público em geral

Por Jorge Almeida

 

Exposição “Fora da Ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear” na Pinacoteca do Estado

A obra “Untitled (for Ellen)”, de Dan Flavin, em exibição na Pinacoteca do Estado. Foto: Isis Naura
A obra “Untitled (for Ellen)”, de Dan Flavin, em exibição na Pinacoteca do Estado. Foto: Isis Naura

A Pinacoteca do Estado de São Paulo está com a exposição “Fora de Ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear” em cartaz até a próxima segunda-feira, 26 de setembro, e traz cerca de 140 trabalhos de uma das mais importantes coleções de arte da Europa, pertencentes à alemã Helga de Alvear (1936-). A mostra exibe pinturas, vídeos, instalações, esculturas, desenhos e gravuras de quase 70 artistas, sendo que a maioria das obras é inédita no Brasil.

Os trabalhos expostos estão datados a partir da década de 1930, com ênfase na produção de meados da década de 1960 até os dias de hoje.

De acordo com os curadores José Augusto Ribeiro e Ivo Mesquita, a exposição enaltece e justapões duas vertentes de trabalhos dominantes na coleção – obras de inclinação surrealista e de peças de linguagem geométrica -, mas que costumeiramente são vistas como contrárias na história da arte.

O intuito da mostra é marcar não apenas as diferentes entre as duas vertentes, mas também apontar para pontos de conexão entre elas. “Fora da ordem aponta para a intensidade enérgica de estruturas com lógica abstrata, frequentemente descritas como neutras, sóbrias ou discretas, e para o que há de cálculo, disciplina e construção em situações de contrassenso e absurdo”, complementa Ribeiro.

Nomes como Wassily Kandinsky, Marcel Duchamp e Josef Albers, influentes na arte moderna, assim como Donald Judd, Dan Flavin, Gordon Matta-Clark e Bruce Norman, artistas relacionados a algumas das principais vertentes do pós-guerra norte-americano; e também gente como Gerhard Richter, Franz West, Jeff Wall, Thomas Ruff, Pierre Huyche, além dos brasileiros Iran do Espírito Santo, José Damasceno e Jac Leiner participam da exposição.

O visitante da Pinacoteca poderá conferir obras como “Benjamin Moore #809”, da série Veículos perfeitos (1989), de Allan McColum; uma obra “Sem título” de Phillipe Parreno que, na verdade, são cerca de 30 velas em tamanho gigante feitas com algodão, folha de ouro e parafina; “Parking Lots (1967-1999), obra composta por 30 fotografias em preto e branco de Edward Ruscha; e “Untitled (for Ellen)” (foto), de 1998, de Dan Flavin, confeccionada por lâmpadas fluorescentes.

SERVIÇO:
Exposição:
Fora da Ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02 – Centro
Quando: até 26/09/2016; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de 10 anos, adultos com mais de 60 anos e para o público em geral aos sábados

Por Jorge Almeida

Exposição “Marcelo Zocchio e a Imagem Materializada” na Pinacoteca do Estado

Uma das obras de Marcelo Zocchio em exibição na Pinacoteca do Estado. Créditos: divulgação
Uma das obras de Marcelo Zocchio em exibição na Pinacoteca do Estado. Créditos: divulgação

A Pinacoteca do Estado de São Paulo promove até o próxima segunda-feira, 6 de junho, a exposição “Marcelo Zocchio e a Imagem Materializada”, que reúne 25 obras do paulistano Marcelo Zocchio. A mostra traz séries fotográficas, objetos e registros de intervenções. E lança a discussão do estatuto da fotografia, seja cultivando a entrada para tridimensionalidade ou pondo em xeque o efeito da veracidade e registro.

A exposição ainda propõe mostrar um séquito das obras recente do artista, que faz a sua primeira individual na Pinacoteca, em especial na qual se identificam operações com a imagem fotográfica.

Entre os destaques estão “Ponto de Ônibus” (foto), da série Segunda Mão (2011); “Veneziana”, da mesma série (2010), uma impressão sobre papel algodão com aglomerado de madeira; “Vista Explodida” (2015) e “Armário” (2011), da série Utilidades Domésticas.

SERVIÇO:
Exposição: Marcelo Zocchio e a Imagem Materializada
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 06/06/2016; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de dez anos, maiores de 60 anos e, aos sábados, para o público em geral

Por Jorge Almeida

Exposição “Paisagem nas Américas: Pinturas da Terra do Fogo ao Ártico” na Pinacoteca do Estado

A mostra “Paisagem nas Américas: Pinturas da Terra do Fogo ao Ártico” segue em cartaz até o próximo domingo, 29 de maio, na Pinacoteca do Estado de São Paulo. Com 105 obras, a exposição analista a pintura de paisagem desde o início do século XIX até os primeiros anos do século XX. A exposição nasceu de uma parceria inédita firmada em 2010 entre a Pinacoteca de São Paulo, a Art Gallery of Ontario e a Terra Foundation for American Art (Chicago, EUA).

A mostra reúne obras de importantes artistas das Américas, como os brasileiros Tarsila do Amaral e Pedro Américo, os norte-americanos Frederic Church e Georgia O’Keeffe, dos canadenses Lawrren Harris e David Milne, do uruguaio Pedro Figari, do venezuelano Armando Reverón, os mexicanos José Maria Velasco e Gerardo Murillo – o Dr. Atl -, entre outros, que poderão ser conferidos juntos pela primeira vez.

Com curadoria de Valéria Piccoli, Georgiana Uhlyarik e Peter John Brownlee, essa é a primeira exposição a pesquisar a pintura de paisagens no período mencionado em um contexto panamericano. Organizada pelos temas – “Terra Ícone Nação”, “Do Campo para o Ateliê”, “A Terra como Recurso”, “A Terra Transformada” e “Ícone Nação Ser” -, as obras destacam a produção artística da Argentina e da região do Rio da Prata, dos países andinos, do Brasil e América do Norte, onde a presença da pintura de paisagem foi mais significativa.

Além das obras, há o livro editado pelos curadores da exposição que traz 260 imagens coloridas que está à venda na loja da Pinacoteca. Com edições em inglês, espanhol e português, o material ainda traz ensaios de 45 autores convidados.

Entre os destaques estão “Nas Cordilheiras de Chillan Desfiladeiro de El Manzano” (1893), um óleo sobre tela de Onofre Jarpa; “Visão do Rio de Janeiro” (1837), do austríaco Thomas Ender; e “Cataratas do Niágara” (1878), de William Morris Hunt.

SERVIÇO:
Exposição: Paisagens das Américas: Pinturas da Terra do Fogo ao Ártico
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 29/05/2016; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de dez anos, maiores de 60 anos e, aos sábados, para o público em geral

Por Jorge Almeida