Exposição “Caio Reisewitz: Altamira” na Pinacoteca do Estado

“Xingu” (2017), fotografia de Caio Reisewitz, da série Altamira, em exibição na Pinacoteca do Estado. Créditos: divulgação

A Pinacoteca do Estado de São Paulo apresenta até a próxima segunda-feira, 5 de março, a exposição “Caio Reisewitz: Altamira”, que contém oito registros da série intitulada Altamira, de Caio Reisewitz, que foram recentemente adquiridas pela instituição através de doação feita durante a SP-Arte 2016.

As imagens da série documentam o trecho da floresta de Belo Monte, demarcada pelo rio Xingú, que poderá desaparecer com a conclusão das obras da terceira maior hidrelétrica do mundo na região. As fotografias apresentam uma natureza intata, em que a presença do homem aparenta não haver, exibindo o contrassenso de que em um futuro não muito distante a floresta deixará de existir.

O trabalho de Reisewitz será exibido ao lado da sala de pinturas de paisagem da mostra de longa duração da Pinacoteca, possibilitando o pensamento sobre a representação da natureza no século XIX e na contemporaneidade.

Além das imagens, a mostra é complementada com uma vitrine que contém mapas e livros sobre o assunto.

Em meio aos destaques estão “Altamira #2” (2014) e “Xingu” (foto), de 2017.

SERVIÇO:
Exposição: Caio Reisewitz: Altamira
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02 – Luz
Quando: até 05/03/2018; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (permanência até às 18h)
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de 10 anos e maiores de 60; entrada gratuita à todos aos sábados

Por Jorge Almeida

Anúncios

Exposição de videoinstalações de David Claerbout na Pinacoteca do Estado

Parte da obra “KING”, de David Claerbout, que faz alusão a Elvis Presley. Créditos: divulgação

A Pinacoteca do Estado de São Paulo exibe até a próxima segunda-feira, 5 de março, duas videoinstalações do artista belga David Claerbout. Apesar de ser pouco conhecido no Brasil, o artista já teve seus trabalhos, composto em sua maioria por vídeos, filmes e fotografias, em galerias e museus nos Estados Unidos, Europa e Ásia, revelando uma maneira própria de instigar a imaginação do espectador. As obras são exibidas nas salas B e C do segundo andar do prédio.

A produção de Claerbout é baseada na manipulação digital de imagens fotográficas, possibilitando o aparecimento de movimentos muito perspicaz. Projetadas em grandes dimensões, as obras geram efeito de imersão do observador, alocando-o em uma interconexão entre fotografia, cinema e pintura.

As obras apresentadas na Pinacoteca são “KING”, construída tendo como alusão uma antiga foto do jovem Elvis Presley, e “Pure Necessity”, que é uma intervenção no desenho animado original “The Jungle Book” que, no Brasil, é mais conhecido como “Mogli, o Menino Lobo”.

Anteriormente, o artista exibira duas obras na Bienal Internacional de São Paulo em 2010: “Sunrise” (2009) e “The Algier’s Sections Of A Happy Moment” (2008).

SERVIÇO:
Exposição: David Claerbout: King e The Pure Necessity
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02 – Luz
Quando: até 05/03/2018; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (permanência até às 18h)
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de 10 anos e maiores de 60; entrada gratuita à todos aos sábados

Por Jorge Almeida

Exposição “Tunga: Tríade Trindade” na Pinacoteca do Estado

A instalação “Tríade Trindade”, de Tunga, exposta no Octógono na Pinacoteca do Estado. Foto: Jorge Almeida

A Pinacoteca do Estado de São Paulo promove até o próximo dia 4 de junho a mostra “Tunga: Tríade Trindade”, uma instalação do artista pernambucano Tunga que está exposta no Octógono da instituição.

A obra traz cargas emblemática e impetuosa que individualiza a produção do artista. Composta por uma estrutura de aço, chumbo, cobre e ímãs que totalizam cinco metros de altura e com quatro toneladas de peso, a instalação é representada com trança, cabeleira, caldeirão, sinos, tecape, jarras, taças e outros objetos recipientes.

Algumas partes da instalação faz alusão ao corpo humano, como explica José Augusto Ribeiro, curador da mostra, “partes que se ’ligam’, conectam-se por magnetismo, entrelaçamento, encaixe, e se dispersam, espalham-se pelo espaço”.

Nascido como Antonio José de Barros Carvalho e Mello Mourão na cidade pernambucana de Palmares em 1952, Tunga conheceu o modernismo brasileiro de forma precoce, com início de sua trajetória artística nos anos 1970, período em que se dedicou às atividades relacionadas aos desenhos e às esculturas. No final da mesma década, teve as atenções voltadas às peças tridimensionais e instalações buscando relações fortes entre os diferentes materiais, tais como fios elétricos, correntes, lâmpadas, entre outros. Ganhou diversos prêmios importantes, como o Prêmio Brasília de Artes Plásticas em 1990 e o Prêmio Mário Pedrosa da ABCA no ano seguinte. E participou de feiras importantes, como as bienais de São Paulo (a 22ª edição) e de Havana (a décima edição). A mostra é uma homenagem da Pinacoteca ao artista, que falecera em seis de junho de 2016 no Rio de Janeiro.

SERVIÇO:
Exposição: Tunga: Tríade Trindade
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02 – Luz
Quando: até 04/06/2018; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (permanência até às 18h)
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de 10 anos e maiores de 60; entrada gratuita à todos aos sábados

Por Jorge Almeida

Exposição “Os Desastres da Guerra” na Pinacoteca do Estado

Desenho de Dora Longo Bahia baseado na “foto-símbolo” da Guerra do Vietnã. Foto: Jorge Almeida

A Pinacoteca do Estado de São Paulo promove até a próxima segunda-feira, 5 de março, a exposição “Os Desastres da Guerra”, que reúne cerca de 80 pinturas em acrílico sobre pergaminho da artista Dora Longo Bahia, que fez uma releitura da obra homônima de Francisco Goya, álbum de gravuras produzido entre 1810 e 1820.

Tendo como partida, a apropriação de imagens célebres do fotojornalismo que tem a guerra como tema, a produção da artista traz imagens de corpos feridos, escombros, bombardeios, prisioneiros, entre outras ilustrações que retratam os horrores provocados pelos conflitos armados.

A maior parte das imagens retrata guerras ocorridas no século XX, como a Guerra do Vietnã, e as duas guerras mundiais, mas o conjunto inclui ainda cenas de guerras ocorridas no século XIX e no início do século XXI, como a Guerra Civil Espanhola e a Guerra do Afeganistão.

A obra que a artista teve como referência – “Los desastres de la guerra”, de Goya – apresenta comentários do espanhol sobre as guerras entre a Espanha e a França napoleônica.

O desenho acima, por exemplo, é a ilustração da fotografia mais famosa da Guerra do Vietnã retratada por Nick Ut, da Associated Press, em 8 de junho de 1972.

SERVIÇO:
Exposição:
Os Desastres da Guerra
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02 – Luz
Quando: até 05/03/2018; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (permanência até às 18h)
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de 10 anos e maiores de 60; entrada gratuita à todos aos sábados

Por Jorge Almeida

Pinacoteca de São Paulo recebe edição do Mercado Manual em novembro

Peças do Ateliê Casa Azul. Foto: Gleice Bueno

Com entrada franca, além de muito design autoral, o público pode visitar a exposição de Di Cavalcanti

São Paulo, outubro de 2017 – O Mercado Manual, festival de cultura feita à mão, que há quase dois anos cultiva curadoria voltada ao comprometimento com o design autoral, artesanal e ético, realiza a primeira edição em parceria com a Pinacoteca de São Paulo, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo,museu de artes mais antigo da cidade. Com entrada franca, o evento será realizado pela Floristas Produções nos dias 04 e 05 de novembro e conta com mais de 60 expositores, shows autorais, talk especial, praça gastronômica, atrações infantis e diversas oficinas.

“A Pina está muito feliz por receber esta iniciativa, que vem dando tão certo em outros espaços. Teremos entrada gratuita o feriado inteiro e esperamos que o público aproveite os dias de folga e o fim de semana para nos visitar e aproveitar a feira e as atividades culturais”, afirma Paulo Vicelli, diretor de Relações Institucionais da Pinacoteca de São Paulo.

O Mercado Manual entra no calendário de ações de 2017 do espaço – que recebe cerca de 30 exposições e 500 mil visitantes ao ano – e comemora o reconhecimento de ter sua primeira edição na Pinacoteca acontecendo durante exposições como “No Subúrbio da Modernidade – Di Cavalcanti 120 anos”, entre outras que têm tido uma média de visitação de oito mil pessoas nos feriados.

“Ter a chancela de mais um grande museu fortalece o nosso trabalho e mostra que estamos seguindo pelo caminho certo, passando exatamente a mensagem que gostaríamos desde o início”, comenta Daniela Scartezini, fundadora da Floristas Produções, fazendo referência à parceria com outro gigante das artes, o Museu da Casa Brasileira, que está no projeto desde o início e já soma seis edições, além das especiais no MorumbiShopping e no MecaInhotim.

Atrações
Com mais de 60 expositores distribuídos pela área de estacionamento da Pinacoteca, a edição oferece aos visitantes itens para casa, acessórios, joias, cosméticos, moda e produtos infantis, além de praça gastronômica. Durante os dois dias de evento serão realizadas as já conhecidas oficinas gratuitas, quatro shows de projetos autorais, entre eles uma apresentação especial do violinista francês Nicolas Krassik e um talk especial com a designer Nicole Tomazi, que apresenta uma visão baseada na vivência profissional e também em pesquisas sobre a atuação denominada “Designer-Artífice”, sob o viés da manualidade como possibilidade de transformação social.

Entre os expositores estão nomes como A Mafalda (sapatos), Igor Sabah (design e casa), Cru Atelie(moda), Iara Wisnik (moda), Popoke (design em madeiras), Tucum (artigos indigenas), PP Acessórios (bolsas e acessórios em couro), Atelier Casa Azul (cerâmica), Sabon Sabon (sabonetes), Laura Mallozi (joias), Atelie Cui Cui (roupas infantis), Duo Solo (vasos em cimento), entre outros.

Na área gastronômica, opções como Pitico+Mica, com pratos como faláfel e comida asiática, e a Cantina Castelões, que participa pela primeira vez de um evento itinerante.

Sábado, 4 de novembro
– Durante todo o dia: Erê Lab – empresa que desenvolve objetos lúdicos para participação das crianças no urbanismo – e Kombi dos Sonhos – um veículo divertido que estaciona na festa e oferece diversas estações de livre brincar.

OFICINAS
– Das 11h às 12h – Oficina de Cosmética Natural com Anna Candelária, da Sabon Sabon
Os participantes terão a oportunidade de aprender a fazer um esfoliante corporal e um bálsamo para o verão com matérias primas orgânicas e naturais.
Capacidade: 12 participantes

– Das 15h às 16h – Oficina de Crochê no Bambolê, com Coletivo Nalã
Os participantes irão construir mandalas circulares feitas a partir da técnica do crocite.
Capacidade: 30 participantes

SHOWS
– Das 13h às 14h – Trupe Pé de Histórias: “Letras”
A menina e seu amigo Mané Pipoca mergulham no mundo dos livros e letras. Juntos descobrem que as letras formam palavras, as palavras formam textos, textos fazem história e estas contam o que a imaginação quiser.  É um mundo sem limites. A Trupe Pé de Histórias mistura linguagens como música, circo, bonecos, sombras e mágica, comandando uma deliciosa aventura imaginativa.
Criação e direção: Naya Sá e Tucci Fattore

– Das 17h às 18h30 – Yannick Delas
Yannick Delass é a música e a vida migrante. Compositor, cantor e guitarrista original da República Democrática do Congo com cidadania são tomense (São Tomé e Príncipe), o artista sedimentou sua sonoridade plural e aguerrida não só nas suas pátrias, mas também em trânsito pelo Gabão, África do Sul, Indonésia, Cabo Verde e Brasil. Sua música caracteriza-se por uma voz reluzente e ancestral que conflui e se entrelaça com a diversidade e rítmica da África contemporânea.
Formação: Daniel doctors (baixo), Rafael de oliveira (batera), Le Andrade (guitarra) e Yannick Delass (vocal e violão)

Domingo, 5 de novembro
– Durante todo o dia: Erê Lab – empresa que desenvolve objetos lúdicos para participação das crianças no urbanismo –  e Kombi dos Sonhos – um veículo divertido que estaciona na festa e oferece diversas estações de livre brincar.

Palestra
– Das 10h30 às 12h – Talk com Nicole Tomazi
No auditório da Pinacoteca, a designer Nicole Tomazi apresenta uma visão baseada em sua na vivência profissional e na pesquisa sobre atuação, denominada “Designer-Artífice”, sob o viés da manualidade como possibilidade de transformação social.
Capacidade: 130 lugares

OFICINAS
– Das 14h às 15h – Colcha em Tricô de Braço, com Cris Bertolucci
Sem agulhas e com muita praticidade é possível aprender tricô utilizando somente os braços. Em uma oficina rápida os participantes sairão com uma colcha em tricô pronta.
Capacidade: 15 pessoas

SHOWS
– Das 13h às 14h – Cia Meu Corpo Meu brinquedo, em Jam session “Brincando com a dança”
A Cia Meu Corpo Meu Brinquedo apresenta a Jam Session “Brincando com a dança”, que propõe um jogo de improvisação onde corpo e movimento são experienciados de forma lúdica por toda a família. Com a compreensão que a dança é uma grande brincadeira, a proposta é brincar com o corpo vivendo suas possibilidades e todo o seu potencial de movimento com propostas que abarcam todos os corpos de todas as idades.
Produção: Carrapeta Produções

– Das 16h30 às 18h – Nicolas Krassik e Cordestinos
Nascido em Paris, o violinista e compositor Nicolas Krassik coloca há 15 anos seu violino a serviço da música popular brasileira. No Mercado Manual na Pinacoteca, Nicolas apresentará o show “Nicolas Krassik e Cordestinos”, projeto que completou 10 anos de vida esse ano. O repertório, essencialmente relacionado a ritmos nordestinos, é na maioria autoral, além de conter músicas de Dominguinhos, Lenine e Gilberto Gil, três grandes referências desse trabalho.

Sobre a Pinacoteca de São Paulo
A Pinacoteca de São Paulo é um museu de artes visuais com ênfase na produção brasileira do século XIX até a contemporaneidade. Fundada em 1905 pelo Governo do Estado de São Paulo é o museu de arte mais antigo da cidade.Ela está instalada no antigo edifício do Liceu de Artes e Ofícios, projetado no final do século XIX pelo escritório do arquiteto Ramos de Azevedo, que depois passou por uma ampla reforma com projeto do arquiteto Paulo Mendes da Rocha no final da década de 1990. O acervo original da Pinacoteca foi formado com a transferência de 20 obras do Museu Paulista da Universidade de São Paulo de importantes artistas da cidade como Almeida Júnior, Pedro Alexandrino, Antônio Parreiras e Oscar Pereira da Silva. Com o passar dos anos formou um significativo acervo, com quase 10 mil obras.

Sobre a rede Manual
A Manual, criada pela Floristas Produções, é uma rede que reúne pequenos empreendedores e novos criadores, propiciando ambientes de negócios, qualificação e relacionamento. Trata-se de uma ferramenta que incentiva e ressignifica o artesão, o autor, o criador. Composta principalmente por mulheres, a rede acredita no potencial feminino como agente transformador, e na capacidade de construção de um futuro melhor através da valorização do trabalho manual. A Rede Manual se estabelece e se relaciona em eventos físicos, como Mercado Manual, em oficinas e no site redemanual.com.br.
Desde sua primeira edição, em dezembro de 2015, o número de visitantes do Mercado
Manual triplicou, assim como o número de expositores, que acompanhou esse crescimento. A cada edição, a curadoria do evento procura diversificar as opções oferecidas, sempre dentro de padrões de qualidade e produção ética rigorosamente estabelecidos como base conceitual da realização.

SERVIÇO
Manual na Pinacoteca
04 e 05 de novembro de 2017
Horário: sábado – das 10h às 20h // domingo – das 10h às 18h
Entrada gratuita sujeita à lotação
Local: Praça da Luz, 02
Telefone: 11 3324-1000
http://pinacoteca.org.br

Informações para Imprensa – Mercado Manual
Agência Lema
Leandro Matulja/ Letícia Zioni/ Larissa Marques | http://www.agencialema.com.br
Natacha Cintra (+55 11) 3871-0022 ramal 229 | natacha@agencialema.com.br
Informações para a imprensa – Pinacoteca de São Paulo
Ana Carolina Diniz
+55 11 3335-5367
acosta@pinacoteca.org.br

Por Natacha Cintra

Exposição “Pra Que (2007-2009)” na Pinacoteca do Estado

Vista da instalação “Pra Que (2007-2009)” na Pinacoteca do Estado. Foto: Jorge Almeida

A Pinacoteca do Estado de São Paulo está com a mostra “Pra Que (2007-2009)” em exposição até o próximo dia 22 de maio, segunda-feira. Na verdade, trata-se da instalação da artista curitibana Eliane Prolik composta por cerca de 50 placas de veículo em alumínio e pintura eletroestática suspensas, que por meio de palavras em relevo em branco sobre branco, e empreende o potencial de confrontação entre palavra e imagem.

Cada uma das placas contém duas palavras, escritas em dimensões distintas, que, quando unificadas entre si ou com as palavras presentes nas demais placas de instalação, indicam ao observante um jogo de criação de sentido a partir de uma combinação casual de elementos.

Há aí também uma nítida alusão ao ambiente urbano, ao fluxo constante de veículos nas ruas, bem como à circuito de expressões que nos chegam dos letreiros e textos publicitários. Colocadas lado a lado as placas sugerem que o visitante estabeleça seu próprio conjunto de ideias e articule, a partir daí, suas próprias imagens e analogias.

A instalação foi adquirida pelo Programa de Patronos do museu em 2012.

SERVIÇO:
Exposição:
Pra Que (2007-2009)
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 22/05/2017; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h)
Quanto: R$ 6,00 (inteira); R$ 3,00 (meia); entrada gratuita para menores de 10 anos e adultos com mais de 60 anos, e para o público em geral aos sábados

Por Jorge Almeida

Exposição “Diálogos Contemporâneos: Candida Höfer” na Pinacoteca do Estado

“Real Gabinete Português de Leitura, Rio de Janeiro III”, foto de Candida Höffer. Créditos: divulgação

A Pinacoteca do Estado de São Paulo realiza até a próxima segunda-feira, 22 de maio, a mostra “Diálogos Contemporâneos: Candida Höfer”, que apresenta três fotografias em grande formato, que representam dois espaços culturais do Brasil e um da França, que serão exibidos em diálogo com a coleção de arte do século XIX da instituição.

Essa exposição faz parte do programa de exposições “Diálogos com o acervo”, que aprecia a exibição de obras de outras instituições e/ou artistas contemporâneos em diálogo com o acervo da Pinacoteca.

As imagens de Höfer são da série “Räume (Spaces)”, que se dedica à representação de espaços públicos culturais, como museus, bibliotecas e galerias, por exemplo. Os registros discutem a forma de como a arquitetura construiu espaços majestosos que, simultaneamente, conduzem e reprime a ação do público.

Considerada um dos principais nomes da fotografia contemporânea, Candida Höfer investiga por meio de seus registros a estrutura dos espaços públicos e a forma de como a arquitetura pode manipular a experiência humana.

As imagens que fazem parte da mostra são: “Opera Bastille Paris XIV” (2006); “Real Gabinete Português de Leitura, Rio de Janeiro III” (foto), de 2015; e “Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro V” (2005).

SERVIÇO:
Exposição:
Diálogos Contemporâneos: Candida Höfer
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02
Quando: até 22/05/2017; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h)
Quanto: R$ 6,00 (inteira); R$ 3,00 (meia); entrada gratuita para menores de 10 anos e adultos com mais de 60 anos, e para o público em geral aos sábados

Por Jorge Almeida