Encerrada a primeira fase da Copa Paulista 2018

Copa Paulista 2018: primeira fase foi encerrada neste sábado (22). Créditos: divulgação

Com a realização de 12 partidas válidas pela última rodada da fase de grupos, a primeira fase da Copa Paulista 2018 chegou ao fim neste sábado (22). Em termos de classificação, a rodada ajudou a definir os classificados do grupo 2, que era o único que ainda estava com a última vaga em aberto, com quatro equipes na disputa. Nos demais grupos, a rodada derradeira serviu para a disputa da liderança das respectivas chaves. Excetuando o grupo 1, que tem seis equipes, os outros três por ter sete times cada, na última rodada, Noroeste, Água Santa e Taboão da Serra folgaram.

Pelo grupo 1, o Novorizontino empatou em casa com o Olímpia em 1 a 1. O resultado ajudou o Mirassol, que bateu a Penapolense em casa por 3 a 0 e terminou na liderança do grupo, com os mesmos 21 pontos do Galo Azul, mas ficou à frente por conta do saldo de gols melhor. Já o aurinegro chegou aos 13 pontos e encerrou a primeira fase na quarta colocação. O terceiro lugar ficou com o Votuporanguense, que venceu o Batatais por 1 a 0 e foi aos 16 pontos.

A Ferroviária entrou em campo contra a Inter de Limeira na Fonte Nova já como campeã do grupo 2, com 22 pontos. A pontuação foi mantida porque a Locomotiva foi surpreendida em casa e acabou derrotada pelo Leão da Paulista por 2 a 0. Embora a vitória diante da Ferroviária tenha deixado a Inter com 13 pontos, as chances de a equipe de Limeira avançar eram quase nulas, pois, dependeria de uma combinação absurda de resultado. O já classificado Red Bull Brasil confirmou o segundo lugar do grupo ao bater o Desportivo Brasil no Moisés Lucarelli. O resultado deixou o Toro Loko com 19 pontos e o Dragão Chinês em último lugar com 11. E quem se deu bem foi o Rio Claro, que foi até o Barão de Serra Negra e superou o XV de Piracicaba por 2 a 1. O placar levou o time rio-clarense aos 14 pontos, o que deixou o Noroeste para trás com 13 e manteve o Nhô Quim com 17.

Único invicto da competição, o São Caetano fez o clássico do ABC Paulista contra o Santo André no Anacleto Campanella. A partida terminou em 0 a 0 e deixou o Azulão no topo do grupo 3, com 26 pontos e o Ramalhão em terceiro lugar com 21. A vice-liderança ficou com o Taubaté que, mesmo derrotado pelo Bragantino por 2 a 0 no Abi Nabi Chedid, em Bragança Paulista, permaneceu com 24 pontos, enquanto o Braga foi aos 10. O último classificado do grupo foi o São Bernardo, que foi derrotado pelo sub 23 do Santos no Ulrico Mursa por 2 a 0. Apesar do triunfo, a equipe alternativa do Peixe foi aos 14 pontos e já não tinha mais chances de classificação. A última posição do grupo ficou com o Água Santa, com dois pontos, e que não entrou em campo neste sábado.

E, finalmente, pelo grupo 4, o Ituano, mesmo entrando em campo com o time alternativo, bateu o Juventus por 2 a 0 no Novelli Junior, em Itu, e foi o campeão do grupo, com 26 pontos. Mesmo derrotado, o Moleque Travesso estacionou nos 20 pontos e garantiu o terceiro lugar. O segundo colocado foi o Atibaia, que não tomou conhecimento do Nacional, goleou a equipe da capital paulista por 4 a 1 em plena Comendador Souza e chegou aos 22 pontos. Enquanto isso, no Canindé, a Portuguesa terminou a temporada de 2018 derrotando o Audax por 1 a 0. Contudo, a equipe de Osasco, com 19 pontos, não podia ser mais alcançada pela Lusa que, com o triunfo, chegou aos 18 pontos. A lanterna do grupo ficou com o Taboão da Serra, com dois pontos, e que folgou na rodada.

Entre os classificados, três clubes podem ser apontados como favoritos: o São Caetano, único invicto da competição e dono da melhor campanha; o Ituano que, assim como o Azulão, terminou a primeira fase com mesmos 26 pontos e a atual campeã do certame, a Ferroviária. Destaque também para o “trio de ferro” do ABC Paulista – o já citado São Caetano, Santo André e São Bernardo -, que seguem firme no torneio.

E, em meio aos eliminados, três equipes chamaram atenção: a Internacional de Limeira, que foi vice-campeã em 2018 do torneio e que, em 2018, não fez nem sombra da campanha do ano passado; o time alternativo do Santos, que não mostrou a mesma força da equipe principal e ficou pelo caminho; e a Portuguesa que, desde o “caso Héverton”, segue caindo ladeira abaixo e, com a eliminação na primeira fase, ficará sem calendário no segundo semestre de 2019.

Com o encerramento da primeira fase, 16 equipes seguirão no torneio e, divididas em quatro grupos de quatro, seguirão em busca do título e, consequentemente, uma vaga para disputar a Copa do Brasil ou o Campeonato Brasileiro da Série D de 2019.

A seguir, os resultados das partidas da última rodada da primeira fase, a classificação final de cada grupo e os grupos da segunda fase:

Grupo 1:
22/09 – Novorizontino 1×1 Olímpia – Jorge Ismael de Biasi, Novo Horizonte (SP)
22/09 – Votuporanguense 1×0 Batatais – Plínio Marin, Votuporanga (SP)
22/09 – Mirassol 3×0 Penapolense – Municipal de Mirassol, Mirassol (SP)

Grupo 2:
22/09 – Red Bull Brasil 3×1 Desportivo Brasil – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
22/09 – XV de Piracicaba 1×2 Rio Claro – Barão de Serra Negra, Piracicaba (SP)
22/09 – Ferroviária 0x2 Internacional de Limeira – Fonte Luminosa, Araraquara (SP)

Grupo 3:
22/09 – Bragantino 2×0 Taubaté – Nabi Abi Chedid, Bragança Paulista (SP)
22/09 – Santos 2×0 São Bernardo – Ulrico Mursa, Santos (SP)
22/09 – São Caetano 0x0 Santo André – Anacleto Campanella, São Caetano do Sul (SP)

Grupo 4:
22/09 – Nacional 1×4 Atibaia – Comendador Souza, São Paulo (SP)
22/09 – Ituano 3×1 Juventus – Novelli Júnior, Itu (SP)
22/09 – Portuguesa 1×0 Audax – Canindé, São Paulo (SP)

Classificação final:
Colocação – Equipe – Pontos:
Grupo 1:
1. Mirassol – 21 pontos
2. Olímpia – 21
3. Votuporanguense – 16
4. Novorizontino – 13
5. Penapolense – 7
6. Batatais – 5

Grupo 2:
1. Ferroviária – 22 pontos
2. Red Bull Brasil – 19
3. XV de Piracicaba – 17
4. Rio Claro – 14
5. Inter de Limeira – 13
6. Noroeste – 13
7. Desportivo Brasil – 11

Grupo 3:
1. São Caetano – 26 pontos
2. Taubaté – 24
3. Santo André – 21
4. São Bernardo – 18
5. Santos – 14
6. Bragantino – 10
7. Água Santa – 2

Grupo 4:
1. Ituano – 26 pontos
2. Atibaia – 22
3. Juventus – 20
4. Audax – 19
5. Portuguesa – 18
6. Nacional – 13
7. Taboão da Serra – 2

Confira os grupos da segunda fase:

Grupo 5:
Mirassol (1º do grupo 1)
Red Bull Brasil (2º do grupo 2)
Santo André (3º do grupo 3)
Audax (4º do grupo 4)

Grupo 6:
Ferroviária (1º do grupo 2)
Olímpia (2º do grupo 1)
Juventus (3º do grupo 4)
São Bernardo (4º do grupo 3)

Grupo 7:
São Caetano (1º grupo 3)
Atibaia (2º do grupo 4)
Votuporanguense (3º do grupo 1)
Rio Claro (4º do grupo 2)

Grupo 8:
Ituano (1º do grupo 4)
Taubaté (2º do grupo 3)
XV de Piracicaba (3º do grupo 2)
Novorizontino (4º do grupo 1)

Parabéns aos classificados.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Juventus: campeã italiana 2017/2018

Jogadores da Juventus comemoram o segundo título no Estádio Olímpico de Roma em menos de uma semana. Dessa vez foi o heptacampeonato italiano. Foto: Alessandro Bianchi/Reuters

Com o empate sem gols diante da Roma, no Estádio Olímpico, na capital italiana, neste domingo (13) pela 37ª rodada do Campeonato Italiano Série A 2017/2018, a Juventus sagrou-se campeã nacional pela 34ª vez em sua história, sendo o sétimo de forma consecutiva. Com o resultado, a Vecchia Signora chegou aos 92 pontos e não pode ser mais alcançado pelo Napoli que, apesar da vitória contra a Sampdoria fora de casa por 2 a 0, não pode mais alcançar os bianconeros.

A partida começou com a Roma tomando a iniciativa e criando as primeiras oportunidades. Aos sete, Pellegrini se antecipou a Matuidi, roubou a bola e passou para Džeko. O atacante recebeu, ajeitou e mandou por cima. Dois minutos depois, Nainggolan roubou a redonda de Pjanić, avançou e arriscou da intermediária, para desespero de Džeko, que estava livre à espera do passe. A primeira investida da Juve veio aos 14 com Higuaín lançando Dybala por cima da zaga, mas Alisson saiu bem do gol e chegou antes do camisa 10.

Os romanistas seguiram a pressão, mas a Vecchia Signora conseguia segurar os ímpetos do adversário. Aos 25, Ünder recebeu da direita, foi para o meio e, na hora do arremate, foi travado por Barzagli. Na sobra, Pellegrini partiu da esquerda, puxou para o meio e tentou chutar colocado, mas o chute saiu distante.

A equipe bianconera fez boa jogada aos 34. Dybala recebeu na intermediária, se livrou da marcação e chutou fraco, a bola saiu rente à trave esquerda do goleiro brasileiro da Roma. E, antes do intervalo, aos 43, os Giallorossis quase foram à frente do placar. Em cobrança de falta pela direita, Kolarov bateu direto e a redonda balançou a rede pelo lado de fora, levando alguns torcedores a pensarem que o gol havia saído.

No segundo tempo, logo no começo, aos dois minutos, Dybala recebeu pelo meio, na área, chegou batendo e mandou a redonda para as redes, mas estava ligeiramente impedido. A Roma deu o troco aos dez. Depois do lançamento da esquerda, Szczesny deixou o gol e evitou que Džeko dominasse a bola dentro da área. Minutos depois, aos 18, Kolarov chutou da entrada da área e Pjanić deu o carrinho providencial e desviou a esférica para fora.

A Roma estava ligeiramente melhor no jogo, mas na metada da etapa complementar perdeu Nainggoian, que deu um carrinho forte em Dybala próximo da grande área e recebeu o segundo amarelo e, consequentemente, o vermelho. Com um a mais, a Juve fez o arroz com feijão, tocava a bola e controlou a partida, uma vez que o time romano não parecia muito disposto em querer arriscar-se com um a menos. Enquanto isso, em Gênova, o Napoli abria o placar diante da Sampdoria, mas a Juve não era vazada, então, a vitória parcial napolitana naquele momento não valia de nada.

Com a partida chegando em seus momentos finais e as duas equipes satisfeitas com o resultado, a Juve porque o empate era suficiente para ficar com o pontinho necessário para ficar com o Calcio e a Roma que, jogava com um a menos, permanecia em situação confortável na tabela – um honroso terceiro lugar e uma vaga garantida na próxima UEFA Champions League.

Dessa forma, o jogo foi até os 47 e o árbitro decretou o fim de jogo no Estádio Olímpico, Roma 0, Juventus 0. Dessa forma, a Juve chega ao seu 34º Scudetto e mantém a sua hegemonia na terra da Bota.

Se por um lado, a partida contra a Roma para a Juventus valia o título italiano, para os romanistas valiam uma vaga para a competição europeia. E o único resultado que cairia bem para os dois clubes seria o empate. Por isso que os dois times fizeram um jogo pouco arriscado, embora a Roma tenha buscado mais o jogo, especialmente no primeiro tempo, enquanto a equipe de Massimiliano Allegri priorizou a posse de bola, uma vez que a equipe de Turim veio sem algumas peças importantes que fizeram parte da campanha até então, como Buffon, Chielini, Cuadrado, Khedira, entre outros. A partida ficou tão equilibrada no meio campo que os goleiros Alisson, pela Roma, e Szczesny, do lado da Juve, praticamente não fizeram defesas difíceis. E, na única vez que a bola balançouas redes, Dybala estava impedido. E, para ajudar ainda mais a Juventus, Nainggolan foi expulso aos 22 do segundo tempo após receber o segundo amarelo, o que foi o suficiente para a Velha Senhora controlar o jogo e fazer o suficiente para chegar aos 92 pontos e poder fazer o “jogo da festa” no próximo final de semana, em casa, diante do já rebaixado Hellas Verona.

Com o 34º scudetto, a Juventus se distancia ainda mais no ranking dos maiores campeões do Calcio. Se ganhar os próximos dois títulos italianos, a Vecchia Signora, além de conquistar um impressionante eneacampeonato, terá sozinha a soma do total de canecos dos atuais segundos maiores campeões nacionais da Itália, a dupla de Milão, Inter e Milan, que atualmente detém 18 scudettos cada.

A Juve, com 92 pontos, não pode ser mais alcançada pelo Napoli que, com a vitória por 2 a 0 diante da Sampdoria chegou aos 88 pontos e, a uma rodada do término da Série A, só pode chegar aos 91. As duas equipes e a Roma que, mediante o empate contra a Juve, foi aos 74 pontos e, em terceiro, garantiu a vaga na Champions, e a Lazio, que empatou com o Crotone em 2 a 2, completa o G4. Em seguida, a Internazionale, que conseguiu perder em casa para o Sassuolo por 2 a 1, só resta um milagre para ficar com a última vaga para a Champions, uma vez que a disputa com a Lazio. Porém, se não conseguir, irá disputar a Liga Europa, que terá como segundo representante italiano Milan ou Atalanta, que empataram na rodada em 1 a 1. Enquanto os rossoneros estão em sexto, com 61 pontos, o La Dea aparecem logo abaixo, com 60.

Enquanto isso, na parte debaixo da tabela, Crotone (16º), com 35 pontos, SPAL (15º), também com 35 pontos, juntamente com Cagliari (14º), com 36 pontos, além de Udinese e Chievo, ambos com 37 pontos, entrarão em campo para permanecerem na elite. Apenas um deles se juntará a Hellas Verona e Benevento, que já estão rebaixados para a Série B.

A seguir, os jogos da 38ª rodada do Campeonato Italiano, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica do “jogo do título”.

Data – Jogo – Local:
20/05 – Juventus x Hellas Verona – Allianz Stadium, Turim
20/05 – Milan x Fiorentina – San Siro, Milão
20/05 – Genoa x Torino – Luigi Ferraris, Gênova
20/05 – SPAL x Sampdoria – Paolo Mazza, Ferrara
20/05 – Chievo x Benevento – Marc’Antonio Bentegodi, Verona
20/05 – Sassuolo x Roma – Città del Tricolore, Sassuolo
20/05 – Napoli x Crotone – San Paolo, Nápoles
20/05 – Cagliari x Atalanta – Nereo Rocco, Cagliari
20/05 – Udinese x Bologna – Friuli, Údine
20/05 – Lazio x Internazionale – Olímpico, Roma

Data – Jogo – Local:
19/08/2017 – Juventus 3×0 Cagliari – Allianz Stadium, Turim
26/08/2017 – Genoa 2×4 Juventus – Luigi Ferraris, Gênova
09/09/2017 – Juventus 3×0 Chievo – Allianz Stadium, Turim
17/09/2017 – Sassuolo 1×3 Juventus – Città del Tricolore, Sassuolo
20/09/2017 – Juventus 1×0 Fiorentina – Allianz Stadium, Turim
23/09/2017 – Juventus 4×0 Torino – Allianz Stadium, Turim
01/10/2017 – Atalanta 2×2 Juventus – Atleti Azzurri D’Italia, Bérgamo
14/10/2017 – Juventus 1×2 Lazio – Allianz Stadium, Turim
23/10/2017 – Udinese 2×6 Juventus – Friuli, Údine
25/10/2017 – Juventus 4×1 SPAL – Allianz Stadium, Turim
28/10/2017 – Milan 0x2 Juventus – San Siro, Milão
05/11/2017 – Juventus 2×1 Benevento – Allianz Stadium, Turim
19/11/2017 – Sampdoria 3×2 Juventus – Luigi Ferraris, Gênova
26/11/2017 – Juventus 3×0 Crotone – Allianz Stadium, Turim
01/12/2017 – Napoli 0x1 Juventus – San Paolo, Nápoles
09/12/2017 – Juventus 0x0 Internazionale – Allianz Stadium, Turim
17/12/2017 – Bologna 0x3 Juventus – Renato Dall’Ara, Bolonha
23/12/2017 – Juventus 1×0 Roma – Allianz Stadium, Turim
30/12/2017 – Hellas Verona 1×3 Juventus – Marc’Antonio Bentegodi, Verona
06/01/2018 – Cagliari 0x1 Juventus – Nereo Rocco, Cagliari
22/01/2018 – Juventus 1×0 Genoa – Allianz Stadium, Turim
27/01/2018 – Chievo 0x2 Juventus – Marc’Antonio Bentegodi, Verona
04/02/2018 – Juventus 7×0 Sassuolo – Allianz Stadium, Turim
09/02/2018 – Fiorentina 0x2 Juventus – Artemio Franchi, Florença
18/02/2018 – Torino 0x1 Juventus – Olímpico, Turim
14/03/2018 – Juventus 2×0 Atalanta – Allianz Stadium, Turim (jogo adiado)
03/03/2018 – Lazio 0x1 Juventus, Olímpico, Roma
11/03/2018 – Juventus 2×0 Udinese – Allianz Stadium, Turim
17/03/2018 – SPAL 0x0 Juventus – Paolo Mazza, Ferrara
31/03/2018 – Juventus 3×1 Milan – Allianz Stadium, Turim
07/04/2018 – Benevento 2×4 Juventus – Ciro Vigorito, Benevento
15/04/2018 – Juventus 3×0 Sampdoria – Allianz Stadium, Turim
18/04/2018 – Crotone 1×1 Juventus – Ezio Scida, Crotone
22/04/2018 – juventus 0x1 Napoli – Allianz Stadium, Turim
28/04/2018 – Internazionale 2×3 Juventus – Giuseppe Meazza, Milão
05/05/2018 – Juventus 3×1 Bologna – Allianz Stadium, Turim
13/05/2018 – Roma 0x0 Juventus – Olímpico, Roma
20/05/2018 – Juventus x Hellas Verona – Allianz Stadium, Turim*

* Jogo a ser realizado.

FICHA TÉCNICA: ROMA 0x0 JUVENTUS
Competição/Fase: Campeonato Italiano Série A 2017/2018 – 37ª rodada
Local: Estádio Olímpico de Roma, Roma, Itália
Data: 13 de maio de 2018, domingo – 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Paolo Tagliavento
Assistentes: Matteo Passeri e Alessandro Costanzo
Cartões Amarelos: Nainggolan (Roma); Pjanić e Alex Sandro (Juventus)
Cartão Vermelho: Nainggolan (Roma)
ROMA: 1.Alisson; 24.Florenzi, 20.Fazio, 5.Juan Jesus e 11.Kolarov; 16.De Rossi (6.Strootman), 7.Pellegrini (21.Gonalons) e 4.Nainggolan; 17.Cengiz Ünder (14.Schick), 92.El Shaarawy e 9.Džeko. Técnico: Eusebio di Francesco
JUVENTUS: 23.Szczesny; 2.De Sciglio, 15.Barzagli, 24.Rugani e 12.Alex Sandro; 5.Pjanić, 14.Matuidi, 33.Bernardeschi (11.Douglas Costa), 17.Mandžukić (30.Bentancur) e 10.Dybala; 9.Higuaín. Técnico: Massimiliano Allegri

Parabéns à Juventus Football Club pelo título.

Por Jorge Almeida

Juventus: campeã da Copa da Itália 2017/2018

Jogadores da Juventus comemoram mais um título da Copa da Itália.

Com acachapantes 4 a 0 diante do arquirrival Milan, a Juventus conquistou nesta quarta-feira (9), a Copa da Itália 2017/2018, no Estádio Olímpico de Roma, na capital da Bota. Os gols da partida, todos marcados no segundo tempo, foram anotados por Benatia, autor de dois tentos, Douglas Costa e Kalinić (contra). Esse foi o quarto título consecutivo da competição erguido pela Vecchia Signora, que detém 13 taças do torneio – o que faz da Juve a maior vencedora do certame.

A partida iniciou com a Juventus criando logo aos dois minutos com Khedira, que chutou fraco para fácil defesa de Donnarumma. Os bianconeros adiantaram a marcação para forçar o erro do Milan que, inclusive, teve uma boa oportunidade aos 7. Boa tabela entre Cutrone e Çalhanoğlu para o camisa 63 chtar forte e Buffon espalmar. No lance seguinte, após escanteio ensaiado, Douglas Costa tentou emendar de primeira com a canhota, mas o chute saiu torto à esquerda da meta milanista.

Aos 15, Douglas Costa fez jogada individual pela esquerda, passou para Matuidi que, por sua vez, serviu para Dybala, que mandou de primeira para fora. Os dois times ficaram se estudando e deixou a partida equilibrada na faixa central do campo. Até que, aos 29, Suso fez jogada individual, puxou para o meio e arriscou de esquerda para Buffon espalmar para escanteio. No lance seguinte, após bate-rebate na área, Bonaventura tentou pegar a sobra, mas pegou errado na bola.

Depois desses dois lances de perigo pelo lado rossonero, a Juve também atacou em duas oportunidades seguidas. Aos 32, depois da troca de passe entre Pjanić, Mandžukić e Dybala, o argentino, desequilibrado, chutou de direita, o que não é o seu “pé bom”, para Donnarumma defender sem dar rebote. No minuto seguinte, Cuadrado pedalou em cima de Ricardo Rodríguez e chutou por cima. O colombiano, aos 36, cruzou na medida para Mandžukić, posicionado no meio da zaga milanista, mas o croata cabeceou sem força para o arqueiro da camisa 99 defender tranquilamente. O Milan ainda tentou aos 38 com uma bomba de fora da área com Bonaventura e passou perto da meta de Buffon. Um chute perigoso.

No segundo tempo, nos primeiros minutos, as duas equipes fizeram um “lá e cá”, criando chances. Aos quatro, Bonaventura fez jogada pela esquerda e cruzou rasteiro, mas a bola passou por todo mundo e ninguém de vermelho e preto empurrou para as redes. A Juve respondeu aos seis. Dybala recebeu de Khedira e chutou para grande defesa de Donnarumma.

No entanto, durante oito minutos seguintes, o Milan sofreu um apagão. Aos 10, Douglas Costa ficou com a sobra da entrada da área, passou para Dybala, que chegou batendo para o goleiro rossonero mergulhar no canto e fazer grande defesa. Mas, na sequência, Pjanić cobrou escanteio na medida para Benatia desviar de cabeça e colocar no contrapé de Donnarumma, que ficou parado sem poder fazer nada. 1 a 0 para a Juve.

O gol motivou os comandados de Massimiliano Allegri que partiram para cima. Aos 14, Dybala passou por Romagnoli e Locatelli e arriscou de longe e o camisa 99 voou e fez a defesa. No minuto seguinte, em jogada entre sulamericanos, o colombiano Cuadrado achou o brasileiro Douglas Costa na entrada da área. O camisa 11 chutou, Donnarumma tentou agarrar em vez de espalmar e falhou bisonhamente. É o segundo gol da Juve em Roma. Na comemoração, o meia recebeu o cartão amarelo por tirar a camisa.

A Juventus seguiu pressionando. Aos 17, Douglas Costa fez jogada pela esquerda e chutou forte cruzado, mas o goleiro milanista espalmou para a linha de fundo. Na cobrança de escanteio, Mandžukić desviou de cabeça para o gol, Donnarumma, de forma inacreditável, deixou a bola escapar e Benatia aproveitou o vacilo do goleiro para fazer o seu segundo gol no clássico e o terceiro do time de Turim: 3 a 0.

Depois do “nocaute” na partida, o Milan ainda tentou fazer o gol de honra. Aos 26, em boa jogada pela esquerda, Kalinić, que entrou no lugar de Kutrone, deu uma caneta em Cuadrado, cruzou para o meio da área, Matuidi tentou cortar e, só não fez um gol contra, porque a redonda bateu na trave de Buffon. Contudo, aos 30, a Vecchia Signora sacramentou a vitória. Pjanić cobrou escanteio e o mesmo Kalinić tentou cortar de cabeça, mas mandou para as próprias redes. Foi o quarto gol da Juventus. O Milan buscou o primeiro gol mais uma vez aos 32. Primeiro Lucatelli chutou de fora da área, Buffon defendeu parcialmente, no rebote, Borini (substituto de Suso) emendou para o camisa 1 bianconero pegar novamente e mandar a redonda para escanteio. No lance seguinte, Dybala percebeu que Donnarumma estava adiantado e, um pouco após a linha central, o argentino tentou surpreender e quase encobriu o jovem goleiro.

A partida praticamente liquidada estava em seus minutos finais e a torcida da Juve comemorando nas arquibancadas do Estádio Olímpico e, claro, gritando o tradicional “olé” enquanto os jogadores alvinegros trocavam passes. Abatido, restou o Milan torcer para o jogo acabar logo. E, parece que até o árbitro da partida estava com dó dos rossoneros, que nem deu os tradicionais minutos de acréscimos e encerrou o duelo aos 45 minutos. Fim de jogo em Roma: Juventus 4, Milan 0. Juve, campeã da Copa Itália pela quarta vez consecutiva.

No primeiro tempo foi muito estudado pelas duas equipes. Enquanto a Juventus mantinha a posse, o Milan ficava marcando atrás da bola para poder sair em contra-ataque, o que colaborou para as poucas jogadas trabalhadas pelos dois times. No começo da etapa final, Juventus e Milan prometiam fazer uma disputa equilibrada como no tempo inicial. Todavia, o primeiro gol bianconero praticamente deixou os rossoneros em parafuso e fez com que os milanistas dessem um apagão. Em seguida, duas falhas do excelente Donnarumma, e, para piorar de vez, um gol contra de Kalinić, que fizera uma excelente jogada individual minutos antes. Aliás, a Juventus poderá comemorar dois títulos em menos de uma semana no mesmo Estádio Olímpico. Além da Copa Itália conquistada hoje, a Velha Senhora tem grandes chances de conquistar o heptacampeonato italiano no próximo domingo em partida contra a Roma e, se empatar, levará o scudetto com uma rodada de antecedência. A Juve sobra na terra da Bota.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da final.

Oitavas-de-final:
20/12/2017 – Juventus 2×0 Genoa – Allianz Stadium, Turim
Quartas-de-final:
03/01/2018 – Juventus 2×0 Torino – Allianz Stadium, Turim
Semifinais:
30/01/2018 – Atalanta 0x1 Juventus – Atleti Azzurri d’Italia, Bergamo
28/02/2018 – Juventus 1×0 Atalanta – Allianz Stadium, Turim
Final:
09/05/2018 – Juventus 4×0 Milan – Olímpico, Roma

FICHA TÉCNICA: JUVENTUS 4×0 MILAN
Competição/Fase: Copa Itália 2017/2018 – final (jogo único)
Local: Estádio Olímpico de Roma, Roma, Itália
Data: 9 de maio de 2018, quarta-feira – 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Antonio Damato
Assistentes: Riccardo di Fiore e Giulio Dobosz
Cartões Amarelos: Douglas Costa (Juventus); Calabria (Milan)
Gols: Benatia, aos 11 min (1-0) e aos 19 min do 2º tempo (3-0), Douglas Costa, aos 16 min (2-0) e Kalinić (contra), aos 31 min do 2º tempo (4-0)
JUVENTUS: 1.Buffon; 7.Cuadrado, 4.Benatia, 15.Barzagli e 22.Asamoah; 6.Khedira, 5.Pjanić (8.Marchisio), 14.Matuidi e 11.Douglas Costa (33.Bernardeschi); 17.Mandžukić e 10.Dybala (9.Higuaín). Técnico: Massimilano Allegri
MILAN: 99.Donnarumma; 2.Calabria, 19.Bonucci, 13.Romagnoli e 68.Ricardo Rodríguez; 79.Kessié, 73.Locatelli (18.Montolivo), 5.Bonaventura e 8.Suso (11.Borini); 10.Çalhanoğlu e 63.Cutrone (7.Kalinić). Técnico: Gennaro Gattuso

Parabéns ao Juventus Football Club pelo título.

Por Jorge Almeida

UEFA define os confrontos das oitavas da Champions 2017/2018

UEFA realizou o sorteio das oitavas-de-final da Champions League nesta segunda-feira (11) em sua sede. Créditos: Getty Images

A UEFA (União das Federações Europeias de Futebol) realizou nesta segunda-feira (11), em Nyon, na Suíça, o sorteio dos confrontos das oitavas-de-final da UEFA Champions League 2017/2018. As partidas de ida serão realizadas nos dias 13, 14, 20 e 21 de fevereiro, enquanto os compromissos de volta serão disputados nos dias 6, 7, 13 e 14 de março.

Dos oito duelos, destaques para dois: PSG x Real Madrid e Chelsea x Barcelona. Os soberanos espanhóis não terão vida fácil diante dos endinheirados franceses e ingleses. Chama atenção também ao confronto entre Juventus e Tottenham, um embate inédito entre italianos e ingleses.

Enquanto isso, na teoria, Manchester City e Bayern de Munique deram “sorte”. Os Citizens encaram os suíços do Basel e a equipe da Baviera enfrenta o dono da melhor campanha da fase de grupos, o surpreendente Beşiktaş.

Além dessas partidas, há outros três duelos interessantes: os dois últimos campeões da Liga Europa – Sevilla x Manchester United, Porto x Liverpool e Shakhtar Donetsk x Roma.

Apesar de ter mais tradição do que o Chelsea, o Barcelona leva desvantagem nos confrontos contra os Blues que, inclusive, levaram a melhor no confronto mais recente entre as equipes: vitória inglesa no agregado por 3 a 2 nas semifinais da edição de 2011/2012, com direito a Messi desperdiçando pênalti no segundo jogo.

Já o embate entre Paris Saint-Germain e Real Madrid terá um significado especial para o argentino Ángel Di Maria, que defendeu os Merengues por quatro temporadas e ainda foi o cara da final da edição 2014, quando o Real conquistou a tão sonhada “La Décima”.

Desde que o atual formato da competição foi introduzido, os vencedores dos grupos, ou seja, as equipes que farão a segunda partida das oitavas-de-final em casa, progrediram em 72,3% das oportunidades.

De acordo com o sorteio, o Juventus fará o primeiro duelo contra o Tottenham em Turim no dia 13 de fevereiro de 2018 e decidirá a sorte quase um mês depois no Estádio de Wembley, em Londres. Enquanto isso, o Basel receberá o Manchester City no St. Jakob-Park, na Basileia, no mesmo dia em relação ao confronto entre Juve e os Spurs. E irá até Etihad Stadium, em Manchester, buscar a classificação em 7 de março. Enquanto isso, o Porto contará com o apoio de sua fanática torcida para o primeiro embate diante do Liverpool no Estádio do Dragão em 14 de fevereiro, para buscar a vaga para as quartas-de-final em 6 de março no Anfield Road, na terra dos Beatles. E no mesmo 14 de fevereiro, um dos confrontos mais aguardados dessa fase: maior campeão do torneio, o Real Madrid medirá forças diante do milionário Paris Saint-Germain que, por sua vez, terá a missão de seguir adiante na competição no jogo de volta, no Parc des Princes, na capital francesa, no dia 6 de março.

Na semana seguinte à abertura das oitavas-de-final, no dia 20 de fevereiro, dois jogos: o Chelsea atuará em casa, no Stamford Bridge, contra o Barcelona. E, no Allianz Arena, o Bayern de Munique pegará o Beşiktaş. Enquanto isso, catalães e turcos receberão no Camp Nou e na Arena Vodafone, respectivamente, os seus adversários na última data das oitavas-de-final: 14 de março de 2018. O embate entre Sevilla e Manchester United acontecerá inicialmente no dia 21 de fevereiro do ano que vem no Ramón Sánchez Pizjuán, em Sevilha. No mesmo momento, no Estádio Metalist, na Carcóvia, o Shakhtar Donetsk encarará a Roma. Posteriormente, em 13 de março, o Sevilla e o Shakhtar irão a dois templos do futebol europeu tentar êxito no torneio europeu: o Old Trafford, em Manchester, e o Estádio Olímpico, na capital da Bota.

Quem passar para as quartas-de-final, aguardará o sorteio dos confrontos dessa fase no dia 16 de março de 2018 na sede da UEFA. Os jogos serão disputados nos dias 3 e 4 de abril (duelos de ida) e 10 e 11 de abril de 2018 – jogos de volta. Dois dias depois da última data das quartas-de-final, no dia 13 de abril, será realizado um novo sorteio para a disputa das semifinais, que acontecerão nos dias 24 e 25 de abril (as partidas de ida) e em 1º e 2 de maio de 2018 (os jogos de volta).

A decisão da UEFA Champions League 2017/2018 está marcada para o dia 26 de maio de 2018 no Estádio Olímpico de Kiev, na Ucrânia.

A seguir, as datas e os confrontos das oitavas-de-final da competição.

Data – Jogo – Local:
Jogos de ida:
13/02/2018 – Juventus (ITA) x Tottenham (ING) – Juventus Stadium, Turim
13/02/2018 – Basel (SUÍ) x Manchester City (ING) – St. Jakob-Park, Basileia
14/02/2018 – Porto (POR) x Liverpool (ING) – Estádio do Dragão, Porto
14/02/2018 – Real Madrid (ESP) x Paris Saint-Germain (FRA) – Santiago Bernabéu, Madri
20/02/2018 – Chelsea (ING) x Barcelona (ESP) – Stamford Bridge, Londres
20/02/2018 – Bayern de Munique (ALE) x Beşiktaş (TUR) – Allianz Arena, Munique
21/02/2018 – Sevilla (ESP) x Manchester United (ING) – Estádio Ramón Sánchez Pizjuán, Sevilha
21/02/2018 – Shakhtar Donetsk (UCR) x Roma (ITA) – Estádio Metalist, Carcóvia
Jogos de volta:
06/03/2018 – Paris Saint-Germain (FRA) x Real Madrid (ESP) – Parc des Princes, Paris
06/03/2018 – Liverpool (ING) x Porto (POR) – Anfield Road, Liverpool
07/03/2018 – Tottenham (ING) x Juventus (ITA) – Estádio de Wembley, Londres
07/03/2018 – Manchester City (ING) x Basel (SUÍ) – Etihad Stadium, Manchester
13/03/2018 – Manchester United (ING) x Sevilla (ESP) – Old Trafford, Manchester
13/03/2018 – Roma (ITA) x Shakhtar Donetsk (UCR) – Estádio Olímpico, Roma
14/03/2018 – Barcelona (ESP) x Chelsea (ING) – Camp Nou, Barcelona
14/03/2018 – Beşiktaş (TUR) x Bayern de Munique (ALE) – Arena Vodafone, Istambul

Boa sorte aos participantes.

Por Jorge Almeida

Fim da fase de grupos da UEFA Champions League 2017/2018

Apenas 16 equipes seguem na luta na maior competição interclubes do mundo

Com a realização da última rodada dos grupos E, F, G e H disputada nesta quarta-feira (6), chegou ao fim a fase de grupos da UEFA Champions League 2017/2018. Na terça-feira, foram realizados oito partidas que ajudaram a definir os representantes dos grupos A, B, C e D. Conforme prevê o regulamento, os duelos das oitavas-de-final serão determinados através de sorteio que acontecerá na próxima segunda-feira (11) na sede da UEFA, em Nyon, na Suíça. Os terceiros colocados de cada grupo irão disputar a segunda fase da UEFA Europa League da atual temporada.

No grupo A, o Manchester United consolidou o favoritismo e terminou na liderança com 15 pontos. Os Reds Devils derrotaram os russos do CSKA por 2 a 1 nesta terça-feira (5). No outro jogo do grupo, o Benfica, mais uma vez, perdeu. Dessa vez o revés foi para o Basel no Estádio da Luz por 2 a 0. Com isso, os Encarnados terminaram com a pior campanha da fase de grupos, com nenhum ponto em seis partidas disputadas. O Basel seguirá junto com o United na competição. Enquanto isso, o CSKA vai para a Liga Europa.

Pelo grupo B, o PSG perdeu os 100% de aproveitamento ao ser derrotado no Allianz Arena, em Munique, para o Bayern por 3 a 1 na terça-feira (5). O resultado deixou as duas equipes na liderança do grupo, com 15 pontos cada, mas com o time francês no primeiro lugar devido ao maior saldo de gols. Enquanto isso, o Celtic foi surpreendido em casa pelo Anderlecht ao ser superado pelo placar de 1 a 0. A equipe belga fez os seus primeiros três pontos no torneio. Contudo, embora o clube escocês tenha os mesmos três pontos, ele terminou em terceiro lugar no grupo B e tentará a sorte na segunda competição de clubes mais importante do Velho Continente.

O equilibrado grupo C foi encerrado também na terça-feira (5). Com 11 pontos, Roma e Chelsea estarão nas oitavas-de-final da UEFA Champions League. Os Blues empataram em 1 a 1 com o Atlético de Madrid no Stamford Bridge. Já a Roma derrotou o já eliminado Qarabağ, do Azerbaijão, por 1 a 0. A vitória romanista foi o suficiente para os giallorosso ficarem no primeiro lugar do grupo. Os Colchoneros voltarão a disputar a Liga Europa.

O Barcelona, apesar de não ter os 100% de aproveitamento, manteve a invencibilidade e confirmou o seu favoritismo ao derrotar o Sporting no Camp Nou por 2 a 0 e confirmar o primeiro lugar do grupo D, com 14 pontos. O segundo lugar ficou com a Juventus, que foi até a Grécia para derrotar o Olympiacos por 2 a 0 e a Vecchia Signora foi aos 11 pontos. Com 7 pontos, o Sporting, terceiro colocado, disputará a outra competição europeia.

Hoje, foi a vez do grupo E ter a sua situação definida. Assim como o Barça, o também pentacampeão da Europa Liverpool, mantém a invencibilidade no torneio e, com 12 pontos, foi o campeão do grupo. Na última rodada, o time inglês não teve dó e mandou impiedosos 7 a 0 para cima do Spartak Moscou no Anfield Road. Apesar da goleada, o time russo ficou em terceiro lugar, com 6 pontos, e vai para a Liga Europa. O outro representante do grupo E na Champions será o Sevilla, que empatou em 1 a 1 com o já eliminado Maribor, no Stadion Ljudski vrt, na Eslovênia, e chegou aos nove pontos.

Com campanha semelhante ao seu arquirrival, com cinco vitórias e uma derrota, o Manchester City foi derrotado pelo Shakhtar Donetsk por 2 a 1 nesta quarta-feira (6), mas, apesar da derrota, a equipe de Pep Guardiola ficou com o primeiro lugar do grupo F com 15 pontos, seguido justamente pelo time ucraniano, que foi aos 12 pontos. Na outra partida do grupo, o Feyenoord levou a melhor diante do Napoli em casa por 2 a 1, porém, os italianos, com 6 pontos, ficaram em terceiro.

No grupo G, o surpreendente Beşiktaş, da Turquia, ficou com o primeiro lugar com 14 pontos e também mantém a invencibilidade. A equipe turca foi até a Red Bull Arena, em Leipzig, para vencer o RB Leipzig por 2 a 1. O resultado favoreceu o Porto, que deu um chocolate de 5 a 2 no Monaco, no Estádio do Dragão e foi a dez pontos. Dependendo de uma possível combinação de resultados, os dragões poderiam ter ficado em terceiro, mas o time português fez a sua parte e só dependeu de si para avançar.

E, pelo grupo H, o Tottenham fez mais uma vítima em Wembley. Os Spurs golearam o APOEL por 3 a 0 e foi aos 16 pontos e, até aqui, é o dono da melhor campanha do certame (cinco vitórias e um empate). E o Real Madrid, cotado como o grande favorito para ser o campeão do grupo, ficou com o segundo lugar, com 13 pontos. Mas os Merengues não tiveram a sua classificação ameaçada porque o Borussia Dortmund só fez míseros dois pontos em seis partidas. Aliás, o confronto entre os dois, disputado nesta quarta-feira, no Santiago Bernabéu, em Madri, terminou com a vitória do Real por 3 a 2. E, apesar da pontuação baixa, o Borussia vai para a Liga Europa por ter um saldo melhor (ou menos pior?) que o APOEL.

O sorteio para os confrontos das oitavas-de-final é bem simples. Para essa fase, não poderá ter confrontos de clubes do mesmo país e nem do mesmo grupo, o que limita bastante as possibilidades de confrontos. O Real Madrid, por exemplo, que ficou em segundo no grupo H, só não poderá pegar o Barcelona (por ser do mesmo país) e nem o Tottenham (do mesmo grupo). Já as chances de confrontos do Chelsea, vice-campeão do grupo C, são mais limitadas: os Blues necessariamente enfrentarão o Paris Saint-Germain, o Beşiktaş ou o Barcelona, uma vez que a Roma foi do mesmo grupo e os outros times, assim como o Chelsea, são ingleses.

Portanto, para o pote 1 estão garantidos os nomes de Manchester United, Paris Saint-Germain, Roma, Barcelona, Liverpool, Manchester City, Beşiktaş e Tottenham. E o pote terá os segundo colocados de cada grupo: Basel, Bayern de Munique, Chelsea, Juventus, Sevilla, Shakhtar Donetsk, Porto e Real Madrid.

E se classificaram para a UEFA Europa League: CSKA Moscou, Celtic, Atlético de Madrid, Sporting, Spartak Moscou, RB Leipzig, Napoli e Borussia Dortmund.

Aliás, a Inglaterra é o país que tem mais representantes a partir de agora na UEFA Champions League: 5 (Manchester United, Manchester City, Liverpool, Tottenham e Chelsea); a Espanha tem três (Barcelona, Real Madrid e Sevilla); a Itália tem dois (Roma e Juventus); e com um representante estão Portugal (Porto), Ucrânia (Shakhtar Donetsk), Turquia (Beşiktaş), França (Paris Saint-Germain), Alemanha (Bayern de Munique) e Suíça (Basel).

A seguir, os resultados da última rodada e a classificação final da fase de grupos.

Data – Jogo – Local:
05/12/2017 – Manchester United (ING) 2×1 CSKA Moscou (RÚS) – Old Trafford, Manchester
05/12/2017 – Benfica (POR) 0x2 Basel (SUÍ) – Estádio da Luz, Lisboa
05/12/2017 – Bayern de Munique (ALE) 3×1 Paris Saint-Germain (FRA) – Allianz Arena, Munique
05/12/2017 – Celtic (ESC) 0x1 Anderlecht (BÉL) – Celtic Park, Glasgow
05/12/2017 – Chelsea (ING) 1×1 Atlético de Madrid (ESP) – Stamford Bridge, Londres
05/12/2017 – Roma (ITÁ) 1×0 Qarabağ (AZE) – Estádio Olímpico, Roma
05/12/2017 – Barcelona (ESP) 2×0 Sporting (POR) – Camp Nou, Barcelona
05/12/2017 – Olympiacos (GRÉ) 0x2 Juventus (ITÁ) – Estádio Karaiskákis, Pireu
06/12/2017 – Maribor (ESL) 1×1 Sevilla (ESP) – Stadion Ljudski vrt, Maribor
06/12/2017 – Liverpool (ING) 7×0 Spartak Moscou (RÚS) – Anfield Road, Liverpool
06/12/2017 – Feyenoord (HOL) 2×1 Napoli (ITÁ) – Estádio De Kuip, Roterdã
06/12/2017 – Shakhtar Donetsk (UCR) 2×1 Manchester City (ING) – Estádio Metalist, Carcóvia
06/12/2017 – RB Leipzig (ALE) 1×2 Beşiktaş (TUR) – Red Bull Arena, Leipzig
06/12/2017 – Porto (POR) 5×2 Monaco (FRA) – Estádio do Dragão, Porto
06/12/2017 – Real Madrid (ESP) 3×2 Borussia Dortmund (ALE) – Estádio Santiago Bernabéu, Madri
06/12/2017 – Tottenham (ING) 3×0 APOEL (CHI) – Estádio de Wembley, Londres

Classificação:
Grupo A:
1. Manchester United (ING) – 15 pontos
2. Basel (SUÍ) – 12
3. CSKA Moscou – 9
4. Benfica (POR) – 0

Grupo B:
1. Paris Saint-Germain (FRA) – 15 pontos
2. Bayern de Munique (ALE) – 15
3. Celtic (ESC) – 3
4. Anderlecht (BÉL) – 3

Grupo C:
1. Roma (ITÁ) – 11 pontos
2. Chelsea (ING) – 11
3. Atlético de Madrid (ESP) – 7
4. Qarabağ (AZE) – 2

Grupo D:
1. Barcelona (ESP) – 14 pontos
2. Juventus (ITÁ) – 11
3. Sporting (POR) – 7
4. Olympiakos – 1

Grupo E:
1. Liverpool (ING) – 12 pontos
2. Sevilla (ESP) – 9
3. Spartak Moscou (RÚS) – 6
4. Maribor (ESL) – 3

Grupo F:
1. Manchester City (ING) – 15 pontos
2. Shakhtar Donetsk (UCR) – 12
3. Napoli (ITÁ) – 6
4. Feyenoord (HOL) – 3

Grupo G:
1. Beşiktaş (TUR) – 14 pontos
2. Porto (POR) – 10
3. RB Leipzig (ALE) – 7
4. Monaco (FRA) – 2

Grupo H:
1. Tottenham (ING) – 16 pontos
2. Real Madrid (ESP) – 13
3. Borussia Dortmund (ALE) – 2
4. APOEL (CHI) – 2

Parabéns a todos os classificados.

Por Jorge Almeida

Lazio: campeã da Supercopa da Itália 2017

Jogadores da Lazio erguem a taça da Supercopa da Itália em Roma. Foto: sslazio.it

Com dois gols de Immobile e um de Murgia, a Lazio derrotou a Juventus por 3 a 2 (Dybala descontou para os bianconeros com dois gols), no Estádio Olímpico de Roma, neste domingo (13), e conquistou pela quarta vez em sua história a Supercopa da Itália. Enquanto isso, a Juventus acumulou o segundo vice-campeonato consecutivo do certame.

O jogo começou com a Lazio trocando passes enquanto a Juventus só observou. Porém, as primeiras oportunidades foram da Vecchia Signora. Aos 2, Alex Sandro recebeu pela esquerda, entrou na área e tocou para Cuadrado na pequena área. O colombiano bateu e o goleiro Strakosha defendeu. Dois minutos depois foi a vez de Higuaín chutar mascado da meia-lua e o arqueiro se esticar e fazer mais uma bela defesa.

Depois da pressão da Juve nos momentos iniciais, os biancocelestis chegaram pela primeira vez aos dez minutos. A Juventus errou na saída de bola, Luis Alberto ficou com a sobra e mandou por cima da meta de Buffon. A equipe da capital da Bota conseguiu equilibrar as ações e passou a marcar o time de Turim em seu campo de defesa e, consequentemente, as chances voltaram a aparecer. Aos 27, a Lazio assustou na cobrança de escanteio, mas Buffon estava atento e evitou o que seria um gol olímpico. No lance seguinte, outro vacilo do sistema defensivo bianconero na entrada da área, Milinković-Savić roubou a bola e mandou por cima do gol. Em seguida, aos 30, Immobile recebeu entre os zagueiros, invadiu a área e caiu na dividida com Buffon. A arbitragem marcou penalidade. Na cobrança, Immobile bateu forte e rasteiro no canto esquerdo do goleiro, que acertou o lado, mas não alcançou a bola. É o clube biancazzurri na frente.

Com o placar favorável, a Lazio mostrou uma melhor postura diante da Juventus e esteve mais perto do segundo gol. Aos 33, a equipe romana fez boa trama pela direita, Basta chutou à queima-roupa, Buffon defendeu e, na sobra, Lucas Leiva arriscou e o arqueiro mandou para escanteio. O time de Massimiliano Allegri se lançou ao ataque em busca do empate ainda no primeiro tempo, mas sem sucesso.

Na volta para o segundo tempo, a Juventus pressionou o rival em busca do empate. Porém, aos 8 minutos, foi surpreendida. Parolo cruzou da direita na medida para Immobile, que no meio dos zagueiros, cabeceou no contrapé de Buffon, que nada pode fazer para evitar o segundo gol.

A vitória parcial da Lazio fez com que Allegri tomasse providências de imediato para amenizar o prejuízo. Assim, o treinador colocou De Sciglio e Douglas Costa nos lugares de Benatia e Cuadrado, respectivamente. Aos 14, a Lazio assustou novamente, mas Buffon saiu bem nos és de Immobile. A Juventus voltou a levar perigo aos 19 com Pjanić, que tentou de falta, mas mandou por cima. Quatro minutos mais tarde, Douglas Costa recebeu na direita, puxou para dentro e chutou forte para Strakosha defender em dois tempos. A Vecchia Signora levou perigo aos 25 com Douglas Costa. O brasileiro levantou na área, Higuaín, por centímetros, não alcançou a bola, que sau pela linha de fundo. Depois de um ligeiro sufoco da Juve, a Lazio tentou aos 30 com Luis Alberto, que arriscou da intermediária para Buffon espalmar.

Aos 40, Dybala botou fogo no jogo. O camisa 10 cobrou falta com perfeição e colocou a redonda no canto direito do goleiro. O tento motivou os bianconeros para buscar o empate, que veio aos 45. Alex Sandro tentou jogada dentro da área e foi derrubado com falta. Pênalti. Na cobrança, Dybala converteu o seu tiro e empatou o jogo.

E, quando tudo levava a crer que a decisão iria para a prorrogação, Lukaku partiu pela esquerda, entrou na área e tocou para trás para Murgia fazer o terceiro gol no “apagar das luzes”. É o tento que rendeu o terceiro título da Supercopa da Itália para a Lazio. Fim de jogo no Estádio Olímpico de Roma: Juventus 2, Lazio 3.

Juventus e Lazio entraram em campo para abrir a temporada 2017/2018 do futebol italiano com a decisão da Supercopa da Itália. Os bianconeros, campeões italianos e da Copa da Itália, entraram em campo com ligeiro favoritismo por conta do entrosamento do time de Massimiliano Allegri. A pressão inicial da Juve poderia consolidar esse favoritismo, mas a Lazio acertou a marcação e se ajustou em campo, conseguiu superar o adversário e terminou o primeiro tempo com a vantagem. No começo da etapa complementar, Immobile ampliou o placar para o time da capital italiana. Com dois a zero contra, o treinador da Juve tratou de colocar Douglas Costa e De Sciglio e, com isso, a Velha Senhora pressionou enquanto o time biancazzurri recuou demais. Dessa forma, o empate veio através de Dybala em lances de bola parada: uma excelente cobrança de falta e um pênalti indefensável. E, quando se imaginava uma prorrogação, Murgia fez o gol do título a um minuto do término do tempo regulamentar.

A seguir, a ficha técnica da decisão.

FICHA TÉCNICA: JUVENTUS 2×3 LAZIO
Competição/fase: Supercopa da Itália 2017 – final (jogo único)
Local: Estádio Olímpico de Roma, Itália
Data: 13 de agosto de 2017, domingo – 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Davide Massa (ITA)
Assistentes: Filippo Meli (ITA) e Andrea Crispo (ITA)
Cartões Amarelos: Buffon, Mandžukić, Pjanić (Juventus); Lucas Leiva, Lulić, Parolo e Immobile (Lazio)
Gols: Immobile (de pênalti), aos 32 min do 1º tempo (0-1); Immobile, aos 8 min (0-2), Dybala, aos 40 (1-2) e aos 45 min (2-2); e Murgia, aos 48 min do 2º tempo (2-3)
JUVENTUS: 1.Buffon; 15.Barzagli, 3.Chiellini, 4.Benatia (2.De Sciglia) e 12.Alex Sandro; 5.Pjanić, 6.Khedira, 7.Cuadrado (11.Douglas Costa), 17.Mandžukić (33.Bernardeschi) e 10.Dybala; 9.Higuaín. Técnico: Massimiliano Allegri
LAZIO: 1.Strakosha; 13.Wallace, 3.De Vrij e 26.Radu; 6.Lucas Leiva (96.Murgia), 16.Parolo, 21.Milinković-Savić, 8.Basta (77. Marušić), 19.Lulić (5.Lukaku) e 18.Luis Alberto; 17.Immobile. Técnico: Simone Inzaghi

Parabéns à Società Sportiva Lazio pelo título.

Por Jorge Almeida

Real Madrid: campeão da Liga dos Campeões da UEFA 2016/2017

Jogadores do Real Madrid comemoram mais uma Champions. Foto: Getty Images

E não foi dessa vez que o veterano Gianluigi Buffon conquistou o único troféu que falta em seu currículo. Isso porque o Real Madrid não tomou conhecimento e goleou a Juventus por 4 a 1 neste sábado (3) no Millenium Stadium, em Cardiff, no País de Gales, pela final da Liga dos Campeões da UEFA 2016/2017. Os gols da partida foram de Cristiano Ronaldo, autor de dois tentos, Casemiro e Asensio para os Merengues, enquanto Mandžukić fez o de honra para os bianconeros. Com o título, o time de Madrid abocanha a sua 12ª taça de Champions de sua história e se distancia ainda mais na soberania do torneio (o segundo maior vencedor da competição, o Milan, tem 7 taças). Já a Juve, dona de dois troféus, acumula o seu sétimo vice-campeonato, e é o clube que mais ficou em segundo lugar na história da competição.

A decisão começou com a Juventus mais empolgada e criou a primeira oportunidade a dois minutos de jogo. Mandžukić cruzou e Higuaín cabeceou pra defesa de Navas. No minuto seguinte, o argentino participou novamente e, pelo meio, soltou a bomba para o arqueiro merengue defender em dois tempos.  A Juve continou a pressionar e, aos seis minutos, teve outra grande chance com Pjanić. O camisa 5 pegou o rebote, dominou e pegou firme, mas Navas foi no canto e fez ótima defesa.

À medida que os minutos foram se passando, o Real Madrid foi se ajustando depois de uma verdadeira blitz da Vecchia Signora e, antes dos 20 minutos, já mantinha mais posse de bola.

E, em sua primeira investida no ataque, o time espanhol mostrou a sua eficiência. Aos 19, Kroos avançou pelo meio, tocou para Cristiano Ronaldo, que acionou Carvajal pela direita, que devolveu para o português que, de primeira, bateu seco, a bola desviou em Bonucci e entra, sem chances de defesa para Buffon. Gol do Real Madrid.

Apesar do gol sofrido, a Juve não se abalou, entrou no jogo e chegou ao empate pouco tempo depois. Aos 26, Alex Sandro recebeu na esquerda, tocou de primeira para Higuaín na área que, de peito, ajeitou para Mandžukić. O atacante dominou no peito e, com uma meia-bicicleta, encobriu Navas. Golaço em Cardiff. Empate da Juve.

Os Merengues tentaram dar o troco aos 30. Cristiano Ronaldo tentou uma bicicleta e a redonda bateu na zaga, que afastou o perigo.

No restante do primeiro tempo, embora fizessem uma partida bastante movimentada, Juventus e Real Madrid não ofereceram grandes chances de gols e foram para o intervalo com o placar empatado em 1 a 1.

Ao contrário do que foi nos momentos iniciais da primeira etapa, o Real Madrid veio com tudo nos primeiros minutos do segundo tempo. Em dez minutos jogados foram três chances criadas pelos Merengues. Aos 8, Modrić arriscou de fora da área com um petardo e Buffon fez ótima defesa. Dois minutos depois, Marcelo dominou fora da área, abriu na esquerda e bateu, mas a bola saiu pela linha de fundo. Aos 13, o lateral-esquerdo brasileiro levantou na área e CR7 quase conseguiu concluir ao gol.

E, depois de tanto insistir, a equipe de Zinedine Zidane chegou ao segundo gol. Aos 15, depois de jogada pela esquerda, veio a tentativa de finalização, Alex Sandro cortou e sobrou para Casemiro na intermediária. O brasileiro arriscou de longe, a bola desviou em Khedira (que estava de costas para a bola) e entrou no cantinho, sem chances para Buffon.

A equipe bianconera, que ainda não havia entrado no jogo no segundo tempo, mal se recuperara do golpe do gol sofrido e veio outro logo em seguida. Aos 19, Modrić tabelou com Carvajal, que foi à linha de fundo, cruzou na área à meia altura para Cristiano Ronaldo, como um foguete entre dois defensores, completar para as redes e aumentar a vantagem dos Merengues: 3 a 1.

Tentando amenizar o prejuízo, Massimiliano Allegri colocou Cuadrado e Marchisio. Mas, o terceiro tento do Real praticamente veio como um cruzado de direita. A superioridade do time espanhol foi tamanha que a Juventus criou a sua primeira chance de gol no segundo tempo apenas aos 35 minutos. Daniel Alves cobrou a falta na direita, Lamina (substituto do apagado Dybala) desviou de cabeça e a bola tirou tinta da trave direita de Navas, que praticamente só assistiu ao jogo na etapa complementar.

E, para piorar de vez a situação da Juve, aos 38, Cuadrado, que havia tomado cartão amarelo depois de acertar Cristiano Ronaldo com um carrinho, recebeu o segundo cartão e, consequentemente, o vermelho após dar um leve empurrão em Sérgio Ramos na lateral do campo depois de o zagueiro merengue ter dado um carrinho e cortou a bola pela lateral.  O camisa 4 valorizou muito o lance e induziu o árbitro alemão a expulsar o colombiano.

Aos 44, para sacramentar a 12ª conquista do Real na competição, Cristiano Ronaldo cobrou falta, a esférica desviou na zaga, Marcelo avançou pela linha de fundo e tocou rasteiro para Asensio, que entrou no lugar de Isco, fazer o quarto gol dos galácticos. Aí foi só esperar o apito final do árbitro Felix Brych para comemorar o bicampeonato consecutivo dos Merengues.

Juventus e Real Madrid chegaram à decisão de Cardiff merecidamente. Enquanto a Vecchia Signora, detentora de duas Champions e sete vices, sonhava com o troféu e, especialmente o goleiro Buffon que, aos 39 anos, seria o jogador mais velho a erguer a taça e essa seria especial porque era o único título que faltava no currículo do experiente goleiro. Mas, do outro lado, o poderoso Real Madrid, maior vencedor do certame, veio com a ambição de conquistar o bicampeonato consecutivo, feito que não acontece desde as temporadas 1988/1989 e 1989/1990 com o Milan. A Vecchia Signora começou bem a decisão, criou boas oportunidades, mas o Real Madrid balançou as redes em sua primeira investida no ataque. Porém, a Juve conseguiu reagir e chegou ao empate logo em seguida. Contudo, uma mudança de posicionamento de Isco proposta por Zidane praticamente mudou os rumos da partida no segundo tempo. A equipe de Madri tomou conta do jogo e praticamente não deixou os bianconeros jogarem. E, dominando as ações da partida, o Real foi anotando seus gols. A grande decepção dessa final foi Dybala, o camisa 21 praticamente não foi notado em campo. Já Cristiano Ronaldo, com os dois gols de hoje, chegou a impressionante marca de 600 gols na carreira e se isolou na artilharia dessa Champions com 12 gols. Em 30 minutos de jogo no segundo tempo, a Juventus tomou a mesma quantidade de gols que havia sofrido em toda a competição. Assim, o Real Madrid segue como os autênticos “Reis da Europa”, termo que sua torcida presente em Cardiff ecoou pelas arquibancadas.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da final.

Fase de Grupos (Grupo F):
14/09/2016 – Real Madrid (ESP) 2×1 Sporting (POR) – Santiago Bernabéu, Madri
27/09/2016 – Borussia Dortmund (ALE) 2×2 Real Madrid (ESP) – Signal Iduna Park, Dortmund
18/10/2016 – Real Madrid (ESP) 5×1 Légia Varsóvia (POL) – Santiago Bernabéu, Madri
02/11/2016 – Légia Varsóvia (POL) 3×3 Real Madrid (ESP) – Estádio do Exército Polonês, Varsóvia
22/11/2016 – Sporting (POR) 1×2 Real Madrid (ESP) – José Alvalade, Lisboa
07/12/2016 – Real Madrid (ESP) 2×2 Borussia Dortmund (ALE) – Santiago Bernabéu, Madri
Oitavas-de-final:
15/02/2017 – Real Madrid (ESP) 3×1 Napoli (ITA) – Santiago Bernabéu, Madri
07/03/2017 – Napoli (ITA) 1×3 Real Madrid (ESP) – San Paolo, Nápoles
Quartas-de-final:
12/04/2017 – Bayern de Munique (ALE) 1×2 Real Madrid (ESP) – Allianz Arena, Munique
18/04/2017 – Real Madrid (ESP) 4×2 Bayern de Munique (ALE) – Santiago Bernabéu, Madri
Semifinais:
02/05/2017 – Real Madrid (ESP) 3×0 Atlético de Madrid (ESP) – Santiago Bernabéu, Madri
10/05/2017 – Atlético de Madrid (ESP) 2×1 Real Madrid (ESP) – Vicente Calderón, Madri
Final:
03/06/2017 – Juventus (ITA) 1×4 Real Madrid (ESP) – Millenium Stadium, Cardiff

FICHA TÉCNICA: JUVENTUS (ITA) 1×4 REAL MADRID (ESP)
Competição/fase:
UEFA Champions League (Liga dos Campeões da UEFA) 2016/2017 – final (jogo único)
Local: Millenium Stadium, Cardiff, País de Gales
Data: 3 de junho de 2017, sábado, 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Felix Bruch (ALE)
Auxiliares: Mark Borsch (ALE) e Stefan Lupp (ALE)
Cartões Amarelos: Dybala, Pjanić, Alex Sandro e Cuadrado (2) (Juventus); Sergio Ramos, Carvajal, Kroos e Asensio (Real Madrid)
Cartão Vermelho: Cuadrado (Juventus)
Gols: Cristiano Ronaldo, aos 20 min (0-1) e Mandžukić, aos 26 min do 1º tempo (1-1); Casemiro, aos 16 min (1-2), Cristiano Ronaldo, aos 19 min (1-3) e Asensio, aos 45 min do 2º tempo (1-4)
JUVENTUS (ITA): 1.Buffon; 15.Barzagli (7.Cuadrado), 19.Bonucci e 3.Chiellini; 23.Daniel Alves, 5.Pjanić (8.Marchisio), 6.Khedira, 12.Alex Sandro e 21.Dybala (18.Lemina); 17.Mandžukić e 9.Higuaín. Técnico: Massimiliano Allegri
REAL MADRID (ESP): 1.Navas; 2.Carvajal, 4.Sergio Ramos, 5.Varane e 12.Marcelo; 14.Casemiro, 8.Kroos (21.Morata) e 19.Modrić; 22.Isco (20.Asensio), 7.Cristiano Ronaldo e 9.Benzema (11.Bale). Técnico: Zinedine Zidane

Parabéns ao Real Madrid Club de Fútbol pelo título.

Por Jorge Almeida