Bayern de Munique: campeão da Supercopa da Alemanha 2020

Jogadores do Bayern de Munique comemoram o título da Supercopa da Alemanha. Foto: Getty Images

E não deu outra: o Bayern de Munique é campeão mais uma vez. Dessa vez, o Gigante da Baviera derrotou o Borussia Dortmund na decisão da Supercopa da Alemanha 2020, em jogo realizado na Allianz Arena, em Munique. Os gols foram marcados por Tolisso, Thomas Müller e Kimmich, pelos bávaros, enquanto Brandt e Haaland anotaram pelos aurinegros. Esse foi o quarto título da equipe de Hans Dieter-Flick na temporada.

Os primeiros minutos da decisão começou com os dois times se estudando e, quem teve a iniciativa foi o Bayern de Munique aos nove, com Kimmich aproveitando cruzamento de Müller e cabeceando para Hitz defender. O Borussia respondeu um pouco mais tarde, aos 16. Haaland deu bom passe para Reus, que ajeitou e mandou com a canhota, mas a bola desviou em Lucas Hernández.

Mas, em seguida, aos 17, os bávaros partiram para o contra-ataque na sequência do escanteio batido pelo Dortmund. Davies passou para Coman, que tocou para Müller, que esticou para Lewandowski, que mandou na medida para Tolisso bater de chapa, a pelota passou entre as pernas de Hitz, que conseguiu defender parcialmente, a bola bateu no travessão e o camisa 24 estava lá para conferir e mandar a redonda para as redes: 1 a 0 para o time de Munique.

Depois de um duelo truncado em seus primeiros minutos e, em seguida ao tento dos bávaros, o Borussia tentou reagir logo em seguida. Aos 19, Brandt dominou na área, rolou para trás, Reus fez o corta-luz para Dahoud bater de prima, mas a bola subiu demais. No lance seguinte, aos 21, Kimmich chegou na entrada da área adversária, bateu com capricho na redonda para Hitz espalmar. Grande lance. Em seguida, aos 23, Neuer errou na saída de bola, Dahoud partiu, tocou para Reus, que perdeu a chance do chute, mas conseguiu na segunda tentativa, a conclusão foi rasteira e o goleiro alemão defendeu.

Melhor na partida, atacando mais, a equipe da Baviera chegou ao segundo gol aos 31 minutos. A linha ofensiva do Bayern trabalhou a bola na intermediária até o canadense Davies cruzar da esquerda na medida para Müller, no segundo pau, cabecear e mandar para o gol, a bola ainda beijou a trave de Hitz antes de cruzar a linha fatal: 2 a 0.

Com o placar favorável, o Bayern poderia ter definido o jogo no primeiro tempo por ter perdido boas oportunidades. Aos 38, o time aurinegro pressionou a saída de bola do Bayern e roubou a bola, que chegou a Haaland, na altura da meia-lua e ele serviu para Brandt chegar do lado direito da grande área, bater forte sem dar chances de defesa para Neuer. O Borussia desconta na Allianz Arena. O jogo seguiu, mas sem intensidade e o primeiro tempo terminou sem acréscimos com a vitória parcial do Bayern de Munique.

Para o segundo tempo, o Borussia Dortmund voltou mais disposto e passou a pressionar a saída de bola do time de Dieter Hans-Flick. No primeiro minuto, a equipe da muralha amarela partiu para o contragolpe, Dahoud deu um ótimo passe na direita para Meunier, livre da marcação e com Neuer caído, mandou por cima. Praticamente um gol feito. No entanto, minutos depois, aos nove, o Borussia conseguiu chegar ao empate. Lewandowski foi desarmado em seu campo de defesa, Dalaney ficou com a sobra e deu um ótimo passe para Haaland entre os zagueiros, o norueguês entrou na área e bateu colocado no lado esquerdo de Neuer e empatou o clássico: 2 a 2.

Em um momento favorável no jogo, o time “abelhudo” teve a oportunidade de ouro de virar o jogo e mudar a situação da decisão. Aos 13, em um rápido contra-ataque, Haaland recebeu livre, entrou na área e, ao tentar repetir o mesmo lance do gol de empate, o camisa 9 chutou forte, mas Neuer fez uma defesaça ao bloquear a finalização do atacante com o braço direito. Não foi à toa que o arqueiro foi um três indicados ao prêmio de melhor jogador da temporada.

Percebendo o momento cômodo no embate, o técnico suíço Lucien Favre promoveu uma série de alterações no Borussia: entraram Schulz, Reinier, Reyna e saíram Meunier, Haaland, que fazia uma partidaça e, confesso que fiquei sem entender a sua saída, e Reus. O treinador parecia conformado com o empate e que o 2 a 2 estava de bom tamanho. Aos 23, o ex-flamenguista Reunier recebeu em profundidade, inverteu para Passlak, que dominou e chutou forte, mas mandou para fora. Sete minutos depois, mais mudanças no Dortmund: Piszczek e Bellingham entraram nos lugares de Hummels e Brandt.

Mas, como diria Muricy Ramalho nos tempos de treinador, a bola pune. E ela puniu o Borussia. Aos 36 minutos, Kimmich roubou a esférica no meio-campo, conduziu a redonda, passou para Lewa, que devolveu para o camisa 6 dentro da área, ele chutou, Hitz defendeu parcialmente e, mesmo caído, Kimmich conseguiu com o pé esquerdo pegar o rebote e dar um toque por cima do goleiro e colocar o Bayern na frente novamente: 3 a 2.

Imediatamente após o gol, Hans Flick sacou Lewandowski e Javi Martínez e promoveu as entradas de Zirkzee e Musiala. Com a partida chegando ao final, os bávaros praticamente só gastaram a posse de bola para assegurar o resultado e ainda quase chegaram ao quarto gol. Aos 42, Passlack fez falta em Davies próximo da entrada da área. Na cobrança, Thomas Müller bateu e a redonda caprichosamente foi para fora.

O clássico foi até os 48 minutos, quando Bibiana Steinhaus, a primeira árbitra de uma grande liga e que irá se aposentar, apitou pela última vez na Allianz Arena. Fim de jogo: Bayern de Munique 3, Borussia Dortmund 2. O Gigante da Baviera conquista a Supercopa da Alemanha pela nona vez em sua história e, curiosamente, essa foi a primeira edição da competição a ser decidida na Allianz Arena. O Bayern de Munique é o maior vencedor do torneio, seguido justamente pelo Dortmund, que tem seis troféus, sendo o último conquistado em 2019.

O clássico entre Bayern de Munique e Borussia Dortmund começou morno, meio chocho e tal, até que os bávaros abriram 2 a 0 e o time aurinegro descontou ainda no primeiro tempo. A equipe da Baviera finalizou mais, porém, os times pareciam jogar de freio de mão puxado e, coincidentemente, ambos vinham de derrotas na Bundesliga. No segundo tempo, o Borussia pressionou a saída de bola do Bayern e conseguiu chegar ao empate antes dos dez minutos com o norueguês Haaland. Autor de uma assistência e de um gol e quase fez o tento da virada, o camisa 9 estava sendo o principal nome do Borussia na partida, mas estranhamente o técnico Lucien Favre tirou o centroavante para colocar o brasileiro Reinier, que praticamente não fez nada em campo. Enquanto isso, pelos lados do Bayern, Lewandowski, assim como todo o time, teve uma atuação mais contida em relação ao desempenho avassalador do clube durante a campanha da última Champions (por falar nisso, amanhã acontecerá o sorteio da fase de grupos da edição 2020/2021). Além de ter passado em branco no jogo, Lewa ainda foi desarmado na origem da jogada do gol de empate do Dortmund. Mas, o polonês ainda tem créditos com a torcida bávara.

Abaixo, a ficha técnica da decisão.

FICHA TÉCNICA: BAYERN DE MUNIQUE 3×2 BORUSSIA DORTMUND
Competição/Fase:
Supercopa da Alemanha 2020 (DFL-Supercup) –  final (jogo único)
Local: Allianz Arena, Munique, Alemanha
Data: 30 de setembro de 2020, terça-feira – 15h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Bibiana Steinhaus
Auxiliares: Marcel Unger e Thomas Stein
Cartão Amarelo: Lucas Hernández (Bayern de Munique)
Gols: Tolisso, aos 17 min (1-0), Thomas Müller, aos 31 min (2-0) e Brandt, aos 38 min do 1º tempo (2-1); Haaland, aos 9 min (2-2) e Kimmich, aos 36 min do 2º tempo (3-2)
BAYERN DE MUNIQUE: 1.Neuer; 5.Pavard (41.Richards), 4.Süle, 8.Javi Martínez (42.Musiala) e 21.Lucas Hernández; 6.Kimmich, 24.Tolisson, 29.Coman (7.Gnabry), 19.Davies e 25.Müller; 9.Lewandowski (14.Zirkzee). Técnico: Hans-Dieter Flick
BORUSSIA DORTMUND: 35.Hitz; 23.Can, 15.Hummels (26.Piszczek) e 16.Akanju; 8.Dahoud, 6.Delaney, 24.Meunier (14.Schulz), 30.Passlack, 19.Brandt (22.Bellingham) e 11.Reus (32.Reyna); 9.Haaland (20.Reinier). Técnico: Lucien Favre

Parabéns ao Fußball-Club Bayern München pelo título.

Por Jorge Almeida

Bayern de Munique: campeão da Supercopa da UEFA 2020

Os jogadores do Bayern de Munique comemoram o título da Supercopa da Europa, o quarto título dos bávaros na temporada. Foto: Getty Images

A Supercopa da UEFA 2020 teve o seu campeão definido nesta quinta-feira (24), no Puskás Aréna, em Budapeste, na Hungria. O Bayern de Munique precisou da prorrogação para conseguir vencer o Sevilla por 2 a 1 para ficar com o segundo título da competição em sua história. O argentino Ocampos, de pênalti, abriu o placar para o time espanhol, mas Goretzka empatou para os bávaros ainda no primeiro tempo. Mas, na prorrogação, Javi Martínez, de cabeça, fez o gol do título para o Gigante da Baviera.

A decisão começou com o Bayern de Munique marcando presença no campo do Sevilla, que conseguiu fechar bem os espaços e exigiu e, aos poucos, foi ganhando campo. E, em sua primeira investida ao ataque, aos dez minutos, a bola foi alçada na área, De Jong ajeitou de cabeça para Rakitić que, se preparava para o cabeceio quando foi desequilibrado por Alaba, foi ao chão e o árbitro inglês Anthony Taylor marcou pênalti. Na cobrança, Ocampos bateu e colocou a bola de um lado e Neuer caiu do outro. Grande começo de jogo pelos Rojiblancos.

O gol não mudou a postura dos alemães que, aos poucos, voltaram ao esquema padrão e, consequentemente, as chances de gol foram surgindo. Aos 21, Lewandowski recebeu passe de Goretzka, mandou para a pequena área para Müller finalizar, mas o camisa 25 foi atrapalhado por Koundé. Quatro minutos depois, Müller recebeu na esquerda, foi para o meio e, da altura da meia-lua, achou Pavard em excelentes condições e o lateral francês bateu chapado, mas errou o alvo. Mais tarde, aos 29, a pelota foi recuada para Neuer e o goleiro fez um lançamento direto para Lewandowkis, que levou a melhor a disputa com Fernando, conduziu a bola da intermediária, entrou na área e, na hora da finalização, errou a cavadinha e o goleiro Bono pegou.

E, como já estava previsto, o Gigante da Baviera chegou ao empate aos 33. Müller fez um lindo lançamento de trivela para Lewa que ajeitou perfeitamente para a altura da marca penal para o Goretzka chegar batendo e deixar tudo igual em Budapeste: 1 a 1. No minuto seguinte, a equipe de Andaluzia chegou a balançar a rede com De Jong, que bateu no canto de Neuer, mas o camisa 9 estava em impedimento e o tento invalidado.

A peleja seguiu com o Bayern de Munique com mais posse de bola e marcando mais presença no campo de ataque. Aos 36, Lewandowski levantou na área, mas Rakitić recuou de cabeça para Bono. Depois, os dois times equilibraram as ações e o primeiro tempo foi até os 47 minutos com um empate justo.

Na etapa complementar, antes de o relógio completar o primeiro minuto, os palanganas chegaram com perigo em cruzamento rasteiro de Escudero e, na disputa por baixo, De Jong e Süle travaram a dividida e Neuer fez boa defesa. O Sevilla seguiu na pressão, mas, em sua primeira investida no ataque no segundo tempo, o Bayern chegou ao segundo jogo em uma bela jogada: Pavard recebeu lançamento, tocou para Sané, que lançou na pequena área para Lewandowski, que ajeitou de cabeça para Müller, que devolveu para o polonês mandar para o gol. No entanto, o lance foi invalidado porque o camisa 9 estava em impedimento, que foi marcado por interferência do VAR.

Depois do lance anulado do adversário, Julen Lopetegui fez duas trocas simultâneas: saíram Rakitić e De Jong e entraram Óliver Torres e En-Nesyri, respectivamente. Depois, aos 12, Gnabry recebeu no lado esquerdo, puxou para o meio e bateu firme para grande defesa de Bono. Pouco tempo depois, aos 17, a redonda foi alçada para Lewandowski na área, o polonês ajeitou para o chute de Goretzka, Bono defendeu parcialmente e, na sobra, Sané mandou para o gol. Mas, mais uma vez, a arbitragem anulou o lance por conta de falta cometida pelo centroavante.

Nos minutos seguintes, os bávaros ditaram o ritmo do jogo, trocando passes e sem sofrer com o ataque do adversário. Aos 30, Tolisso (substituto de Sané) tocou em Gnabry, que chegou no carrinho e para rolar para Lewa, mas Koundé fez o corte no momento propício. Na sequência, aos 32, Müller recebeu na entrada da área e bateu bem na bola com chute rasteiro, mas o goleiro sevillista caiu bem e fez a defesa.

E, no principal lance do Sevilla no segundo tempo, aos 41, Alaba furou no ataque, Navas tocou para En-Nesyri, que avançou e, quando ficou cara a cara com Neuer, o camisa 15 buscou o canto e o arqueiro alemão fez uma defesaça espetacular. Depois desse momento, as duas equipes pareceram conformados com o empate e a disputa da prorrogação. O tempo normal foi até os 48 minutos, que terminou em 1 a 1. A decisão foi para a prorrogação.

Assim como no começo do segundo tempo, a prorrogação iniciou com o Sevilla desperdiçando duas oportunidades. Antes do primeiro minuto, Jesús Navas lançou Jordán, que se livrou de Süre e, na tentativa de cruzar, o camisa 4 bávaro bloqueou o chute cruzado e cedeu o escanteio. Na jogada seguinte, En-Nesyri recebeu no meio e, no mano a mano com Alaba, levou a melhor sobre o camisa 27, entrou na área, se livrou do marcador e tocou rasteiro, a pelota desviou no pé de Neuer, bateu na trave, voltou para o meio da área e o arqueiro do time de Munique se recuperou no lance e ficou com a redonda.

Como já era de se esperar, em seguida, o técnico Hans-Dieter Flick promoveu as entradas de Davies e Javi Martínez nos lugares de Lucas Martínez e Goretzka. Aos nove minutos, Müller cruzou para Kimmich, que chegou batendo e errou o alvo.

Até que, aos 12, a bola chegou na área do Sevilla e, por conta da falha de comunicação entre o goleiro Bono e o zagueiro Diego Carlos, o zagueiro brasileiro mandou a redonda para escanteio. Na sequência, o córner foi cobrado, sobrou para Alaba, que chutou da entrada da área, Bono não pegou a esférica, que foi em direção de Javi Martínez e o camisa 8 cabeceou muito bem o suficiente para tirar do alcance do goleiro e fazer o segundo gol dos bávaros: 2 a 1. E, antes do fim do primeiro tempo da prorrogação, em outro escanteio batido na área do Sevilla, Süle tentou de canhota e Diego Carlos, de cabeça, salvou o time espanhol.

No segundo tempo extra, o Bayern de Munique manteve o mesmo panorama de jogo: troca de passes, presença no campo do adversário que, por sua vez, ficou à espera do contra-ataque. Aos nove, Müller acionou Lewa na entrada da área, o camisa 9 pegou muito embaixo da bola e mandou a redonda por cima. E, no último lance de perigo, aos 15, Lewandowski tentou encobrir Bono, mas faltou capricho na finalização. Até que, aos 16, o árbitro inglês Anthony Taylor determinou o fim de jogo em Budapeste: Bayern de Munique 2, Sevilla 1. O Gigante da Baviera conquista a Supercopa da UEFA pela segunda vez na história e assegura o quarto título de 2020 (antes, havia levado a Bundesliga, a Copa da Alemanha e a Liga dos Campeões, e ainda pode levar a Supercopa da Alemanha no final do mês caso vença do Borussia Dortmund).

No encontro entre os campeões da Champions e da Liga Europa válido pela Supercopa da UEFA, Sevilla deu muito trabalho ao favorito Bayern de Munique. No primeiro tempo, a equipe de Andaluzia saiu na frente com o argentino Ocampos fazendo, de pênalti, o gol dos Rojiblancos. Aos poucos, a equipe alemã melhorou no jogo e não demorou muito para conseguir o empate em uma bela jogada e empatou ainda na etapa inicial com Goretzka. No segundo tempo, os bávaros conseguiram balançar as redes adversárias duas vezes, mas, o VAR flagrou Lewandowski em impedimento na jogada de um dos gols e também a falta cometida pelo polonês no outro tento. A equipe da Baviera desperdiçou muitas oportunidades. E, nos minutos finais, o Sevilla teve a maior chance de garantir a vitória quando, aos 41 minutos, o marroquino Em-Nesyri perdeu um gol feito quando ficou cara a cara com Neuer. No primeiro tempo da prorrogação, o Bayern manteve o ritmo e chegou ao gol do título com o volante espanhol Javi Martínez, que entrara poucos minutos antes. No segundo tempo extra, bastou apenas a equipe de Munique manter o resultado e assegurar mais uma taça para a galeria. Mas o Sevilla está de parabéns pelo jogo que fez com o Bayern e o empate conquistado no tempo normal interrompeu uma sequência de 22 vitórias consecutivas do clube alemão nos 90 minutos regulamentares.

A seguir, a ficha técnica da decisão.

FICHA TÉCNICA: BAYERN DE MUNIQUE (ALE) 2×1 SEVILLA (ESP)
Competição/Fase:
Supercopa da UEFA 2020 (UEFA Super Cup) – final (jogo único)
Local: Puskás Aréna, Budapeste, Hungria
Data: 24 de setembro de 2020, quinta-feira – 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Anthony Taylor (ING)
Auxiliares: Gary Beswick (ING) e Adam Nunn (ING)
Cartões Amarelos: Alaba e Lucas Hernández (Bayern de Munique); Jordán, Koundé, Fernando e Escudero (Sevilla)
Gols: Ocampos, aos 12 min (0-1); Goretzka, aos 33 min do 1° tempo (1-1); Javi Martínez, aos 14 min do 1º tempo da prorrogação (2-1)
BAYERN DE MUNIQUE (ALE): 1.Neuer; 5.Pavard, 4.Süle, 27.Alaba (17.Boateng) e 21.Lucas Hernández (19.Davies); 18.Goretzka (8.Javi Martínez), 6.Kimmich, 7.Gnabry, 25.Müller e 10.Sané (24.Tolisso); 9.Lewandowski. Técnico: Hans-Dieter Flick
SEVILLA (ESP): 13.Bono; 16.Navas, 12.Koudé, 20.Diego Carlos e 18.Escudero; 25.Fernando, 8.Jordán (22.Vázquez) e 10.Rakitić (21.Óliver Torres); 7.Suso (6.Gudeli), 5.Ocampos e 9.De Jong (15.En-Nesyri). Técnico: Julen Lopetegui

Parabéns ao Fußball-Club Bayern München pelo título.

Por Jorge Almeida

Bayern de Munique: campeão da UEFA Champions League 2019/2020

O capitão Manuel Neuer ergue a “orelhuda” conquistada pelo Bayern de Munique diante do PSG, em Lisboa. Foto: Manu Fernandez/POOL/AFP

O Bayern de Munique é o grande campeão da UEFA Champions League 2019/2020 ao derrotar o Paris Saint-Germain na decisão que aconteceu neste domingo (23), no Estádio da Luz, em Lisboa, por 1 a 0. O gol do título foi marcado por Coman, no segundo tempo, de cabeça, e impediu a inédita conquista da equipe francesa. O time da Baviera fez uma campanha avassaladora com 11 vitórias em 11 partidas no decorrer do certame.

A decisão começou do jeito que se esperava: com o Bayern de Munique pressionando a saída de bola do Paris Saint-Germain e ficando mais com a posse e, com isso, foi quem deu a primeira investida no ataque. Aos cinco minutos, Thiago Alcántara tentou da intermediária, mas mandou longe da meta de Keylor Navas. O jogo ficou equilibrado com os times se respeitando e o PSG investindo nas jogadas pelas pontas e Mbappé teve duas tentativas de finalizações, mas que pararam na marcação. Primeiro aos 13 quando teve o chute travado por Goretzka na área e a outra no minuto seguinte, quando o camisa 7 recebeu no lado esquerdo, puxou para a direita e bateu em cima de Kimmich.

A partida seguiu bem disputada. Aos 17, Neymar recebeu pelo passe de Mbappé na área, chutou rasteiro com a perna esquerda, Neuer defendeu parcialmente e, na volta, o brasileiro tentou passar a bola para Di María, em boas condições para concluir a jogada, mas o goleiro alemão mandou a pelota para escanteio ao impedir o passe com a perna. Os bávaros deram o troco logo em seguida. Aos 21, a redonda chegou mastigada para Lewandowski na área, o camisa 9 dominou, girou, não pegou em cheio na bola e, mesmo assim, acertou a trave direita de Navas.

Dois minutos depois, Neymar puxou contragolpe para o time parisiense, passou para Di María, que tabelou com Ander Herrera, que deu lindo passe para o argentino que mandou por cima do gol de Neuer. Em seguida, o Gigante da Baviera precisou tirar o zagueiro Boateng, que se lesionou em lance com Mbappé, para colocar Süle.

Os times seguiram se alternando nas oportunidades. Aos 28, a bola foi alçada na área do Bayern, Ander Herrera pegou a sobra e soltou a pancada, a pelota desviou em Goretzka e saiu pela linha de fundo, mas a arbitragem marcou tirou de meta possivelmente por conta do movimento feito por Thiago Silva e achou que a bola tenha tocado nele. Na jogada seguinte, aos 31, em cruzamento na área do PSG, Goretzka reslavou na bola, Lewa conseguiu cabecear entre dois zagueiros, Navas defendeu parcialmente no susto e, cercado por jogadores do Paris, acabou ficando com a redonda.

A peleja continuou equilibrada até que aos 45 minutos, o Paris Saint-Germain teve uma ótima chance de sair vitorioso na primeira etapa. Alaba saiu jogando errado, Mbappé tabelou com Ander Herrera e, de frente para o gol dentro da área, bateu fraco e Neuer encaixou, Neymar estava sozinho à sua esquerda, livre. O Bayern respondeu de imediato com Gnabry que avançou pela direita, entrou na área, cruzou rasteiro e Navas caiu para fazer a defesa. E, antes do término do primeiro tempo, aos 46, Coman partiu pela esquerda, entrou na área e caiu em lance com Kehler, o camisa 29 pediu pênalti, mas o árbitro italiano mandou seguir. Mas, a metade do jogo terminou do jeito que começou: um bom 0 a 0.

No segundo tempo, o Bayern de Munique começou melhor. Logo aos três minutos, Coman mandou a bola por baixo e Thiago Silva cortou o perigo ao mandar a bola para escanteio. Depois houve um princípio de confusão por conta de uma chegada de Gnabry em Neymar, no lance, o camisa 22 bávaro recebeu o cartão amarelo. Na sequência, aos 8, Goretzka arriscou de fora da área, a bola desvia na defesa e sobrou para Navas segurar sem dificuldades.

E, com mais volume de jogo, o time da Baviera chegou ao seu gol aos 15 minutos. Kimmich recebeu de Müller pela direita e, com liberdade, cruzou na medida para Coman cabecear e mandar a redonda no canto esquerdo de Navas. Olha a “lei do ex” aí no Estádio da Luz: 1 a 0 para o Bayern. O gol veio como um golpe para o Paris Saint-Germain, pois, a equipe de Thomas Tuchel sentiu. Aos 17, em lance parecido com tento bávaro, Coman recebeu no segundo pau, o frânces finalizou com o pé, a pelota cruzou a pequena área e Thiago Silva cortou. Três minutos depois, foi a vez de Alaba pegar a sobra do escanteio e mandar para longe do gol.

O Paris Saint-Germain tentou correr atrás do prejuízo e teve uma excelente oportunidade aos 24 minutos. Di María recebeu na direita e deu um belo passe para Marquinhos na área, o ex-corinthiano chegou batendo e parou nos pés de Neuer, que mandou a bola para escanteio. A equipe da cidade-luz se esforçou para incomodar os bávaros. Aos 27, Neymar esticou para Mbappé pela esquerda, fez boa jogada, mas cercado por jogadores do Bayern, caiu na área em jogada com Kimmich e Süle na cobertura e, no lance seguinte, foi a vez de Neymar tentar da entrada da área e mandar para longe.

O jogo ficou mais truncado por conta das substituições e cada vez mais favorável para a equipe alemã. Aos 39, Philippe Coutinho, substituto de Gnabry, cobrou falta com perigo, mas mandou para fora. Cinco minutos depois, Mbappé recebeu passe de Choupo-Moting, mas estava em impedimento e, mesmo assim, Neuer ainda fez a defesa.

A partida teve mais cinco minutos de acréscimos. Aos 46, Mbappé passou para Neymar que, quase caindo, girou e bateu, mas Choupo-Moting não conseguiu desviar a trajetória da bola, que cruzou a área de Neuer e saiu. E, em sua última investida no ataque, aos 48, o PSG foi para cima com Mbappé e Neymar, o camisa 10 cruzou e o camisa 17 chegou atrasado e ainda fez falta no defensor. Até que aos 50 minutos, o árbitro Daniele Orsato encerrou a peleja. Final de jogo no Estádio da Luz: Paris Saint-Germain 0, Bayern de Munique 1. O Gigante da Baviera é campeão da UEFA Champions League pela sexta vez na história e com uma campanha avassaladora com 100% de aproveitamento e, com Hans-Dieter Flick, o Bayern conquista a sua segunda tríplice coroa (a primeira foi na temporada 2012/2013) ao levar, além da Champions, a Bundesliga e a Copa da Alemanha.

Como era de se esperar, Paris Saint-Germain e Bayern de Munique fizeram um primeiro tempo bem equilibrado, com o time alemão mantendo mais a posse de bola, enquanto a equipe francesa mais aguda e atacando mais pelas pontas. No entanto, as duas equipes tiveram boas chances de abrir o placar. Neuer fez uma ótima defesa em um chute de Neymar e também pegou uma finalização de Mbappé que praticamente recuou a bola para o goleiro, além de Di María que de frente com o goleiro mandou por cima. Do outro lado, Lewandowski mandou uma na trave e viu Navas defender uma cabeçada. Na segunda etapa, os comandados de Hans-Dieter Flick voltaram melhores e conseguiram chegar ao seu gol graças a um francês e cria do PSG: Coman, o bávaro (desculpem o trocadilho, mas não pude resistir), aos 14 minutos. Assim, faltou gás para o PSG, que até teve boas chances com Choupo-Moting, o cara responsável pelo gol da classificação contra o Atalanta nas quartas-de-final, mas faltou capricho nas finalizações e o nervosismo bateu nos franceses nos minutos finais, mas, no todo, o título ficou com a melhor equipe, merecidamente.

A campanha do Bayern de Munique foi irretocável. O clube alemão foi o primeiro campeão com 100% de aproveitamento com 11 jogos e 11 vitórias e que, por conta da pandemia do novo Coronavírus, o novo regulamento previa partidas únicas nas quartas-de-final e nas semifinais. Desde o título do Manchester United em 2007/2008 que a Liga dos Campeões não trazia um campeão invicto. Com uma média de quase quatro gols por jogo (43 a favor) e sofrendo apenas oito, o time da Baviera foi avassalador e não faltaram goleadas como os 7 a 2 no Tottenham, em Londres, e 6 a 0 no Estrela Vermelha, em Belgrado, ambos na fase de grupos, além de 7 a 1 no Chelsea no agregado nas oitavas-de-final e os impiedosos 8 a 2 no Barcelona. Além disso, o clube ainda tem o artilheiro da competição, Lewandowski, autor de 15 tentos e que também lidera, ao lado de Di María, o número de assistências: seis no total. Possivelmente, o centroavante polonês poderá levar o prêmio de melhor do mundo. Com o título da Champions, o Bayern de Munique se iguala ao Liverpool em número de “orelhudas” (seis), atrás de Real Madrid, dono de 13 taças, e de Milan, detentor de sete troféus, e deixou o Barcelona isolado com cinco canecos.

A seguir, o resumo da campanha e a ficha técnica da decisão.

Fase de Grupos (Grupo B):
Data – Jogo – Local:

18/09/2019 – Bayern de Munique (ALE) 3×0 Estrela Vermelha (SÉR) – Allianz Arena, Munique (ALE)
1º/10/2019 – Tottenham (ING) 2×7 Bayern de Munique (ALE) – Tottenham Hotspur Stadium, Londres (ING)
22/10/2019 – Olympiakos (GRÉ) 2×3 Bayern de Munique (ALE) – Estádio Karaiskákis, Pireu (GRÉ)
06/11/2019 – Bayern de Munique (ALE) 2×0 Olympiakos (GRÉ) – Allians Arena, Munique (ALE)
26/11/2019 – Estrela Vermelha (SÉR) 0x6 Bayern de Munique (ALE) – Estádio Estrela Vermelha, Belgrado (SÉR)
11/12/2019 – Bayern de Munique (ALE) 3×1 Tottenham (ING) – Allianz Arena, Munique (ALE)
Oitavas-de-final:
25/02/2020 – Chelsea (ING) 0x3 Bayern de Munique (ALE) – Stamford Bridge, Londres (ING)
08/08/2020 – Bayern de Munique (ALE) 4×1 Chelsea (ING) – Allianz Arena, Munique (ALE)
Quartas-de-final:
14/08/2020 – Barcelona (ESP) 2×8 Bayern de Munique (ALE) – Estádio da Luz, Lisboa (POR)
Semifinal:
19/08/2020 – Lyon (FRA) 0x3 Bayern de Munique (ALE) – Estádio José Alvalade, Lisboa (POR)
Final:
23/08/2020 – Paris Saint-Germain (FRA) 0x1 Bayern de Munique (ALE) – Estádio da Luz, Lisboa (POR)

FICHA TÉCNICA: PARIS SAINT-GERMAIN (FRA) 0x1 BAYERN DE MUNIQUE (ALE)
Competição/Fase:
UEFA Champions League 2019/2020 (Liga dos Campeões) – final (jogo único)
Local: Estádio da Luz, Lisboa, Portugal
Data: 23 de agosto de 2020, domingo – 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Daniele Orsato (ITÁ)
Auxiliares: Lorenzo Manganelli (ITÁ) e Alessandro Giallatini (ITÁ)
Cartões Amarelos: Paredes, Neymar, Thiago Silva e Kurzawa (Paris Saint-Germain); Davies, Gnabry, Süle e Müller (Bayern de Munique)
Gol: Coman, aos 15 min do 2º tempo (0-1)
PARIS SAINT-GERMAIN (FRA): 1.Navas; 4.Kehrer, 2.Thiago Silva, 3.Kimpembe e 14.Bernat (20.Kurzawa); 5.Marquinhos, 8.Paredes (6.Verratti) e 21.Ander Herrera (23.Draxler); 11.Di María (17.Choupo-Moting), 10.Neymar e 7.Mbappé. Técnico: Thomas Tuchel
BAYERN DE MUNIQUE (ALE): 1.Neuer, 32.Kimmich, 17.Boateng (4.Süle), 27.Alaba, 19.Davies; 6.Thiago Alcántara (24.Tolisso), 18.Goretzka e 25.Thomas Müller; 22.Gnabry (10.Philippe Coutinho), 29.Coman (14.Perišić) e 9.Lewandowski. Técnico: Hans-Dieter Flick

Parabéns ao Fußball-Club Bayern München pelo título.

Por Jorge Almeida

Bayern de Munique: campeão da Copa da Alemanha 2019/2020

O goleiro Manuel Neuer ergue a 20ª Copa da Alemanha da história do Bayern de Munique. Créditos: @twitter.com/FCBayern

Não deu outra: o Bayern de Munique é o campeão da Copa da Alemanha 2019/2020. O Gigante da Baviera goleou o Bayer Leverkusen por 4 a 2 na decisão da competição que foi realizada no Estádio Olímpico de Berlim, na capital alemã, neste sábado (4). Os gols da partida foram marcados por Alaba, Gnabry e dois de Lewandowski para os bávaros, enquanto Svan Bender e Hevertz, de pênalti, anotaram para os farmacêuticos.

E, como já era esperado, o Bayern de Munique teve a iniciativa e foi para cima do Bayer Leverkusen e criou a primeira chance logo aos dois minutos com o artilheiro Lewandowski. Coman cruzou da direita e o centroavante polonês levou a melhor sob a marcação para cabecear, mas a bola foi longe e não assustou Hrádecký. E, enquanto estava com a posse da bola, os farmacêuticos tentaram valorizá-la. Mas, aos sete, o Gigante da Baviera levou perigo com Goretzka, que recebeu de Coman, mas na hora de finalizar o camisa 18 foi travado na “hora H”. Dois minutos depois, Coman foi acionado na área, mas não conseguiu pegar bem e facilitou a defesa do goleiro. No lance seguinte, Gnabry recebeu passe de Lewa na área, caiu na dividida com a zaga, pediu pênalti, mas a arbitragem mandou seguir.

O gol do Bayern de Munique foi uma questão de tempo, tamanha soberania no campo e foi exatamente o que aconteceu aos 15 minutos, quando Lewandowski sofreu falta na entrada na área. Na cobrança, Alaba bateu com perfeição no ângulo esquerdo de Hrádecký, que não conseguiu alcançar, e tirou o zero do placar. Após o gol, o Leverkusen tentou pressionar, mas a equipe de Munique não deu espaço e partia sempre ao ataque levando perigo. Aos 21 Gnabry bateu cruzado da direita, Müller quase surpreendeu o arqueiro ao tentar desviar a trajetória da bola, mas Hrádecký fez a defesa.

Não demorou muito para o time de Hans-Dieter Flick chegar ao segundo gol. Aos 23, Gnabry recebeu ótimo passe de Kimmich e bateu cruzado para ampliar o marcador para os bávaros: 2 a 0. E, depois de ser sufocado, o Bayer Leverkusen teve a sua primeira boa oportunidade aos 31 minutos. Diaby recebeu na direita, avançou, cruzou por baixo, mas Bailey não pegou bem na bola, porém, o impedimento foi marcado na origem da jogada. Depois dessa finalização dos Leões, a partida teve uma queda de rendimento dos dois lados e o primeiro tempo foi até os 46 minutos sem empolgar para nenhum dos lados nos últimos 15 minutos.

Para o segundo tempo, Peter Bosz promoveu duas alterações no Leverkusen: saíram Amiri e Baumgartlinger e entraram Volland e Demirbay, respectivamente. Mas, o Bayern de Munique seguiu da mesma forma que nos minutos iniciais da etapa inicial. Aos três, Gnabry fez jogada individual pela esquerda, bateu cruzado, a redonda bateu na marcação e saiu à direita do goleiro. Depois, aos nove, Coman atacou pela esquerda, livrou-se dos marcadores e cruzou para trás, mas Lewandowski pegou com a esquerda, mas bateu mal na bola e não levou perigo.

Na jogada seguinte, Volland chegou sozinho na cara do gol e ao receber o cruzamento de Diaby da direita, o atacante furou ao tentar bater com a canhota. Em seguida, os farmacêuticos foram castigados. Aos 13, Neuer deu um chutão, Lewandowski dominou sozinho, chutou para o gol e Hrádecký tentou defender, contudo, falhou bisonhamente no lance e colaborou para o terceiro gol bávaro: 3 a 0.

Apesar do placar amplamente desfavorável, o Bayer Leverkusen foi para cima. Aos 17, Havertz cruzou da direita em direção a Bailey, que estava livre na área, mas Boateng se esticou e evitou que a esférica chegasse no camisa 9. Todavia, na cobrança de escanteio, Svan Bender subiu no segundo pau e ganhou de Alaba por cima para testar firme no canto de Neuer: 3 a 1. Em seguida, aos 20, Diaby cruzou da direita para Havertz, livre, desviou de cabeça e mandou à direita de Neuer, quase o segundo do Bayer.

Depois da pressão dos Leões, o Bayern voltou a levar perigo. Aos 28. Perisic fez boa jogada pela esquerda, cruzou rasteiro para Lewandowski, que chegou no segundo pau, se esticou e mandou a redonda para fora. No minuto seguinte, Perisic tentou de esquerda para a defesa de Hrádecký. Posteriormente, foi a vez de Bailey pedalar pra cima de Pavard e arricou da entrada da área, mas a redonda desviou no lateral francês e foi para fora.

Depois de uma disputa eletrizante e algumas oportunidades desperdiçadas de ambos os lados, o jogo deu uma acalmada, já que as equipes paralisaram a partida para as substituições, o que deu uma quebrada no ritmo. Aos 40, o Bayer Leverkusen tentou mais uma vez, Daiby tentou cruzar para Bellarabi na área, mas o passe saiu muito forte. Até que aos 43 minutos Perisic fez jogada pela esquerda, rolou para trás para Lewandowski que deu um leve toque por cima do goleiro que o encobriu para ampliar o placar: 4 a 1.

Nos acréscimos, o Bayer Leverkusen tentou diminuir o prejuízo. Aos 47, depois do escanteio, Sven Bender cabeceia para o meio da área, Volland escorou para o gol, mas a arbitragem marcou impedimento. Mas, depois de o árbitro revisar o lance no VAR, Tobias Welz viu que Davies tocou o braço na bola e marcou a penalidade. Na cobrança, Hevertz cobrou no ângulo de Neuer e diminuiu o placar: 4 a 2 para o Bayern de Munique. E, após o gol do camisa 29, a partida foi encerrado. Fim de jogo no Estádio Olímpico de Berlim: Bayer Leverkusen 2, Bayern de Munique 4. O Gigante da Baviera é campeão da Copa da Alemanha pela 20ª vez.

Nos momentos iniciais do primeiro tempo, o Bayer Leverkusen parecia que conseguiria equilibrar o jogo, pelo menos na posse de bola, mas, aos poucos, o Bayer de Munique foi ficando com a posse de bola e acabou por dominar o jogo e construiu o resultado ainda no primeiro tempo quando Alaba fez um belo gol de falta e, pouco tempo depois, Gnabry ampliou o placar para os bávaros e a etapa inicial foi para o intervalo sem praticamente Neuer trabalhar. No segundo tempo, o Leverkusen até tentou, mas perdeu boas chances e, para complicar, o seu goleiro tomou um frangaço em uma finalização de Lewandowski. Sven Bender chegou a diminuir o placar, mas Lewa sacramentou o título ao fazer o quarto gol (e um belo gol, por sinal) e, no último lance da partida, Havertz converteu a penalidade para os farmacêuticos após a revisão do VAR. E, para não perder o costume na Alemanha, a taça ficou mais uma vez com o time de Munique. Aliás, assim como no Campeonato Alemão, a soberania do Bayern na Copa da Alemanha é absurda: agora são 20 troféus do torneio, enquanto o segundo maior vencedor da competição, o Werder Bremen, tem apenas seis troféus. E ainda tem UEFA Champions League pela frente e os bávaros são favoritos para levar a ‘orelhuda’.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão.

Data – Jogo – Local:
Primeira Fase:
12/08/2019 – Energie Cottbus 1×3 Bayern de Munique – Stadion der Freundschaft, Cottbus
Segunda Fase:
29/09/2019 – Bochum 1×2 Bayern de Munique – Vonovia Ruhrstadion, Bochum
Oitavas-de-final:
05/02/2020 – Bayern de Munique 4×3 1899 Hoffenheim – Allianz Arena, Munique
Quartas-de-final:
03/03/2020 – Schalke 04 0x1 Bayern de Munique – Veltins-Arena, Gelsenkirchen
Semifinal:
10/06/2020 – Bayern de Munique 2×1 Eintracht Frankfurt – Allianz Arena, Munique
Final:
04/07/2020 – Bayer Leverkusen 2×4 Bayern de Munique – Olympiastadion, Berlim

FICHA TÉCNICA: BAYER LEVERKUSEN 2X4 BAYERN DE MUNIQUE
Competição/Fase: Copa da Alemanha (DFB-Pokal) 2019/2020 – final (jogo único)
Local: Estádio Olímpico de Berlim (Olympiastadion), Berlim
Data: 4 de julho de 2020, sábado – 15h (horário de Brasília)
Árbitro: Tobias Welz
Auxiliares: Rafael Foltyn e Martin Thomsen
Cartões Amarelos: Wendell (Bayer Leverkusen); Lewandowski (Bayern de Munique)
Gols: Alaba, aos 16 min (0-1) e Gnabry, aos 24 min do 1º tempo (0-2); Lewandowski, aos 14 min (0-3) e aos 44 min (1-4), Sven Brenden, aos 18 min do 2º tempo (1-3) e Havertz (pênalti), aos 49 min (2-4) do 2º tempo
BAYER LEVERKUSEN: 1.Hrádecký; 5.Bender, 12.Tapsoba, 18.Wendel e 8.Lars Bender (23.Weiser); 15.Baumgartinger (10.Demirbay), 11.Amiri (31.Volland) , 29.Havertz e 20.Aránguiz; 9.Bailey (38.Bellarabi) e 19.Diaby. Técnico: Peter Bosz
BAYERN DE MUNIQUE: 1.Neuer; 5.Pavard, 17.Boateng (21.Lucas Hernández), 27.Alaba e 19.Davies; 32.Kimmich, 18.Goretzka, 22.Gnabry (10.Philippe Coutinho), 29.Coman e 25.Thomas Müller (6.Thiago Alcántara); 9.Lewandowski. Técnico: Hans-Dieter Flick

Parabéns ao Fußball-Club Bayern München e.V. pelo título.

Por Jorge Almeida

Bayern de Munique: campeão alemão 2019/2020

Jogadores do Bayern de Munique comemoram o octacampeonato alemão. Foto: Getty Images

Com o gol de Lewandowski, aos 43 minutos do primeiro tempo, o Bayern de Munique derrotou o Werder Bremen por 1 a 0 no Wohninvest Weserstadion, em Bremen, em confronto válido pela 32ª rodada da Bundesliga 2019/2020. Com a vitória, a equipe da Baviera chegou aos 76 pontos e não pode ser mais alcançado pelo segundo colocado do certame, o Borussia Dortmund. Esse foi o 30º título alemão do time de Munique, sendo o oitavo conquistado de forma consecutiva.

O Bayern de Munique foi quem criou a primeira oportunidade na partida. Logo aos três minutos, Davies foi acionado na esquerda e cruzou rasteiro na pequena área, Müller deu um leve desvio e atrapalhou Gnabry que chegava para finalizar. O Werder Bremen respondeu aos oito. Bittencourt receu na esquerda, cruzou para o lado oposto da área para Selassie chegar batendo de primeira, mas errou o alvo.

O Gigante da Baviera manteve mais a posse da bola e parecia que o gol era uma questão de tempo, porém, a ansiedade passou a tomar as rédeas e a equipe passou a errar passes e a fazer faltas necessárias e, em um desses lances, Davies recebeu amarelo pela falta em Bittencourt, mas um minuto antes, o voltante Eggestein recebeu ótimo passe de Frield, ajeitou, chutou forte, rasteiro, mas Neuer se esticou e não alcançou a bola, que saiu pela linha de fundo.

No entanto, apesar da boa chance do Werder, o Bayern apostou no controle da bola e criou outra boa oportunidade aos 22 com Coman. Müller cruzou na medida para o camisa 29, que subiu bem e, de cabeça, mandou a bola perto do gol. Três minutos depois, Gnabry tocou para o camisa 25, que ajeitou para Kimmich encher o pé com a canhota, a redonda explodiu no travessão, porém, o dono da peita 22 estava impedido na jogada anterior à finalização. Em seguida, aos 26, Kimmich lançou para Lewandowski na área, que conseguiu dominar a pelota, mas não conseguiu ajeitar para a finalização e, acidentalmente, Selassie acertou o atacante com o cotovelo, que ficou no chão. A partida foi interrompida para o camisa 9, mas não foi marcada a penalidade e o centroavante polonês não precisou de ser atendimento.

Aos 32, Boateng conduziu a esférica até a intermediária e arriscou, mas o goleiro Pavlenka segurou firme a finalização no meio do gol. E enquanto a chuva dava o ar da graça em Bremen, os visitantes conseguiram chegar ao seu gol antes do fim da etapa inicial. Aos 42, Boateng lançou na medida para Lewandowski, que penetrou na defesa em condições legais, o camisa 9 dominou no peito e, sem deixar a bola quicar, bateu de primeira para o gol: 1 a 0 para o Gigante da Baviera. E grande passo para confirmar o título foi dado. O árbitro levou o primeiro tempo até os 46 minutos que terminou com vitória parcial do Bayern de Munique.

No segundo tempo, os anfitriões voltaram com Langkamp no lugar de Vogt, mas os bávaros seguiram a dominar o jogo e também a criar. O time de Hans-Dieter Flick chegou a balançar as redes aos nove minutos com Lewa, que faria um golaço de letra, mas o tento só não aconteceu porque Müller, que ajeitara a bola para o camisa 9 foi flagrado em impedimento.

Aos 14, Müller cruzou de esquerda para Lewandowski que, de peixinho, desviou a bola, que passou próximo da meta de Pavlenka. Nos minutos seguintes, a equipe de Munique rondou a área do adversário, mas não conseguiu concluir a gol. E, aos 25, quase foi surpreendido. Selassie recebeu na direita e, da linha de fundo cruzou forte e rasteiro, mas antes da chegada dos homens de frente, Boateng afastou o perigo.

E o Bayern de Munique ficou com um a menos aos 33 minutos. Davies fez falta em Veljkovic e a arbitragem o puniu com o segundo amarelo e, claro, recebeu o vermelho. Contudo, apesar de estar com um a menos, foi o Bayern de Munique que quase chegou ao segundo gol. Coman recebeu de Boateng, passou por Veljkovic, arriscou com a canhota e, por pouco não ampliou a vantagem. E, em desvantagem numérica em campo, o técnico Hans-Dieter Flick fechou a casinha ao promover a entrada de Lucas Hernández para a zaga no lucar de Gnabry.

O time alviverde esboçou uma pressão para buscar o empate. Aos 40, a bola foi alçada na área bávara, Sargent dominou e chutou para o gol, a redonda bate em Boateng e Lucas Hernández afastou. Os jogadores do Werder Bremen reclamaram que de possível toque na mão de Boateng. E, com um a mais, Florian Kohnfeldt sacou o zagueiro Veljkovic para colocar o interminável Pizarro. E, nos minutos finais, o time da casa quase fez o gol. Bartels lançou na área, Osako desviou e Neuer fez uma grande defesa.

O jogo foi para os acréscimos e os jogadores do Bayern “cozinharam o galo” à espera do apito final, como cobranças curtas de escanteio em sequência. Até que, aos 49 minutos, o árbitro encerrou o jogo. Fim de jogo no Wohninvest Weserstadion: Werder Bremen 0, Bayern de Munique 1. O Gigante da Baviera é, mais uma vez, campeão alemão e com duas rodadas de antecedência.

No primeiro tempo, as duas equipes até fizeram um jogo parelho, com o Werder Bremen fechado e tantando encaixar contragolpes, mas o Bayern de Munique, talvez ansioso em querer assegurar o título nesse jogo, cometia alguns vacilos como faltas desnecessárias e passes errados, além de contar com uma marcação aplicada do adversário, o que dificultou a habitual imposição bárbara nas partidas. Até que em um ótimo lançamento de Boateng, Lewandowski dominou no peito e chutou de primeira para inaugurar o placar. Esse foi o 31º gol do polonês em 29 jogos. Na etapa final, o panorama foi semelhante à fase inicial, com Lewa buscando o gol – ele chegou a fazer outro, mas, na origem da jogada, Müller estava impedido -, o Bayern tocando a bola para tentar furar a defesa do Bremen e, aos 33, Davies foi expulso e, com um mais, o time da casa ensaiou uma pressão, mas não conseguiu incomodar muito os visitantes, que mantiveram o placar e consolidou a sua hegemonia na Alemanha.

O Gigante da Baviera chegou ao título ao vencer o 24º jogo, dos 32 disputados até agora, além de quatro empates e ter sofrido apenas quatro derrotas. A equipe marcou 93 gols (o melhor ataque do campeonato) e sofreu 31 tentos, o que lhe dá o status de melhor defesa. E, desde o retorno da Bundesliga, que ficou paralisada por conta do novo Coronavírus, o Bayern de Munique venceu todos os seus sete jogos e manteve-se invicto em 2020, com 18 vitórias e um empate.

E boa parte do êxito do clube se deve ao técnico Hans-Dieter Flick, que assumiu o time na 11ª rodada, quando o Bayern ocupava a quarta posição da tabela, no lugar do teuto-croata Niko Kovač. E, desde então, juntando todas as competições disputadas pelo clube, foram 26 triunfos bávaros em 29 pelejas. Sob o seu comando na Bundesliga, o time só deixou de fazer gol no RB Leipzig no empate em 0 a 0 na 21ª rodada. E o clube ainda pode erguer outra taça logo mais com a decisão da Copa da Alemanha, prevista para o próximo dia 4 de julho contra o Bayer Leverkusen. E ainda tem a UEFA Champions League.

Com o campeão já definido, o que segue em disputa no Campeonato Alemão? Para a próxima UEFA Champions League, quatro times brigam por três vagas (uma já é do Bayern). Borussia Dortmund, com 66 pontos já está praticamente garantido no torneio continental, enquanto o RB Leipzig, terceiro colocado com 62 pontos, também está bem perto. A última vaga ficará entre Bayer Leverkusen (quarto colocado com 57 pontos) e Borussia Mönchengladbach, que vem logo atrás com 56. Desses dois, quem terminar em quinto, terá como “prêmio de consolação” uma das duas vagas para a próxima UEFA Europa League. Aliás, para essa competição, o outro passaporte está sendo disputado ponto a ponto entre Wolfsburg, Hoffenheim e Freiburg, que têm 46, 43 e 42, respectivamente, além do Schalke 04 que, com 39 pontos, tem chances remotas.

Já na parte debaixo da tabela, Mainz 05 (15º com 31 pontos), Fortuna Düsseldorf e o Werder Bremen – ambos com 28 pontos – brigam para que um deles não se junte ao virtualmente rebaixado Paderborn (18º com 20 pontos). Quem ficar em 17º disputará a Bundesliga 2 em 2020-2021. Já a equipe que ficar em 16º disputará uma repescagem com o terceiro colocado da segunda divisão do Campeonato Alemão.

E, na terra dos tetracampeões mundiais, não é só o Bayern de Munique quem está em clima de festa. O Arminia Bielefeld, depois de 11 anos, estará na elite do futebol daquele país ao garantir a sua vaga graças ao empate entre Hamburgo e Osnabrueck pela Bundesliga 2. Com 61 pontos, o Bielefeld, que goleou o Dynamo Dresden por 4 a 0 na segunda-feira, está com sete pontos a mais que o Hamburgo, segundo colocado e com uma partida a mais. Diante das circunstâncias, Hamburgo, Stuttgart, com 52 pontos e um jogo a menos, e Heidenheim 1846 também com 52 pontos disputarão a segunda vaga direta para a primeira divisão e o terceiro lugar que, nesse caso, terá de enfrentar o antepenúltimo colocado da Bundesliga da atual temporada em uma repescagem.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica do jogo do título.

Data – Jogo – Local:
16/08/19 – Bayern de Munique 2×2 Hertha Berlin – Allianz Arena, Munique
24/08/19 – Schalke 04 0x3 Bayern de Munique – Veltins-Arena, Gelsenkirchen
31/08/19 – Bayern de Munique 6×1 Mainz 05 – Allianz Arena, Munique
14/09/19 – RB Leipzig 1×1 Bayern de Munique – Red Bull Arena, Leipzig
21/09/19 – Bayern de Munique 4×0 Colônia – Allianz Arena, Munique
28/09/19 – Paderborn 07 2×3 Bayern de Munique – Benteler-Arena, Panderborn
05/10/19 – Bayern de Munique 1×2 Hoffenheim – Allianz Arena, Munique
19/10/19 – Augsburg 2×2 Bayern de Munique – WWK Arena, Augsburgo
26/10/19 – Bayern de Munique 2×1 Union Berlin – Allianz Arena, Munique
02/11/19 – Eintracht Frankfurt 5×1 Bayern de Munique – Commerzbank-Arena, Frankfurt
09/11/19 – Bayern de Munique 4×0 Borussia Dortmund – Allianz Arena, Munique
23/11/19 – Fortuna Düsseldorf 0x4 Bayern de Munique – Merkur Spiel-Arena, Düsseldorf
30/11/19 – Bayern de Munique 1×2 Bayer Leverkusen – Allianz Arena, Munique
07/12/19 – Borussia Mönchengladbach 2×1 Bayer de Munique – Borussia-Park, Mönchengladbach
14/12/19 – Bayern de Munique 6×1 Werder Bremen – Allianz Arena, Munique
18/12/19 – Freiburg 1×3 Bayern de Munique – Schwarzwald-Stadion, Friburgo em Brisgóvia
21/12/19 – Bayern de Munique 2×0 Wolfsburg – Allianz Arena, Munique
19/01/20 – Hertha Berlin 0x4 Bayern de Munique – Olympiastadion, Berlim
25/01/20 – Bayern de Munique 5×0 Schalke 04 – Allianz Arena, Munique
01/02/20 – Mainz 05 1×3 Bayern de Munique – Opel Arena, Mainz
09/02/20 – Bayern de Munique 0x0 RB Leipzig – Allianz Arena, Munique
16/02/20 – Colônia 1×4 Bayern de Munique – RheinEnergieStadion, Colônia
21/02/20 – Bayern de Munique 3×2 Paderborn 07 – Allianz Arena, Munique
29/02/20 – Hoffenheim 0x6 Bayern de Munique – ProZero Arena, Hoffenheim
08/03/20 – Bayern de Munique 2×0 Augsburg – Allianz Arena, Munique
17/05/20 – Union Berlin 0x2 Bayern de Munique – An Der Alten Försterei, Berlim
23/05/20 – Bayern de Munique 5×2 Eintracht Frankfurt – Allianz Arena, Munique
26/05/20 – Borussia Dortmund 0x1 Bayern de Munique – Signal Iduna Park, Dortmund
30/05/20 – Bayern de Munique 5×0 Fortuna Düsseldorf – Allianz Arena, Munique
06/06/20 – Bayer Leverkusen 2×4 Bayern de Munique BayArena, Leverkusen
13/06/20 – Bayern de Munique 2×1 Borussia Mönchengladbach – Allianz Arena, Munique
16/06/20 – Werder Bremen 0x1 Bayern de Munique – Weser-Stadion, Bremen
20/06/20* – Bayern de Munique x Freiburg – Allianz Arena, Munique
27/06/20* – Wolfsburg x Bayern de Munique – Volkswagen Arena, Wolfsburg

FICHA TÉCNICA: WERDER BREMEN 0X1 BAYERN DE MUNIQUE
Competição/Fase: Campeonato Alemão (Bundesliga) 2019/2020 – 32ª rodada
Local: Wohninvest Weserstadion, Bremen
Data: 16 de junho de 2020, terça-feira – 15h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Harms Osmers (ALE)
Auxiliares: Robert Kempter (ALE) e Jan Seidel (ALE)
Cartões Amarelos: Davies e Kimmich (Bayern); M. Eggestein e Langkamp (Werder)
Cartão Vermelho: Davies (Bayern)
Gol: Lewandowski, aos 43 min do 1º tempo (0-1)
WERDER BREMEN: 1.Pavlenka; 18.Moisander, 13.Veljkovic (14.Pizarro), 23.Salassie, 18.Moisander e 32.Fiedl; 3.Vogt (15.Langkamp), 35.M. Eggestein, 10.Leonardo Bittencourt (22;Bartels) e 30.Klaassen (11.Füllkrug); 7.Rashica (19.Sargent) e 8.Osako. Técnico: Florian Kohnfeldt
BAYERN DE MUNIQUE: 1.Neuer; 5.Pavard, 17.Boateng, 27.Alaba e 19.Davies; 18.Goretzka, 32.Kimmich, 22.Gnabry (Lucas Hernández), 29.Coman e 25.Müller; 9.Lewandowski. Técnico: Hans-Dieter Flick

*Jogos a serem disputados.

Parabéns ao Fußball-Club Bayern München pelo título.

Encerrada a fase de grupos da UEFA Champions League 2019-2020

Apenas 16 equipes seguem na luta pela “Orelhuda”. Créditos: divulgação/uefa.com

Com a disputa de oito partidas válidas pela sexta rodada fase de grupos nesta quarta-feira (11), a UEFA Champions League 2019-2020 já tem os seus classificados para as oitavas-de-final do torneio e quem disputará a segunda fase UEFA Europa League da atual temporada.

A rodada derradeira dessa fase do torneio começou na terça-feira (10), com a definição de quatro grupos. Pelo grupo E, o Napoli não tomou conhecimento do Genk e goleou o time belga por 4 a 0 no San Paolo, destaque para o hat-trick do com hat-trick do polonês Milik e para Mertens, autor do outro tento dos napolitanos. O triunfo deixou a equipe italiana na segunda colocação do grupo, com 12 pontos, um a menos que o atual campeão do certame, o Liverpool, que foi até a Red Bull Arena e derrotou o Salzburg por 2 a 0 (gols de Keïta e Salah). Apesar da derrota, a equipe austríaca vai para a Liga Europa por ter ficado em terceiro lugar, com sete pontos.

Pelo grupo F, o Barcelona manteve a invencibilidade e o primeiro lugar ao bater a Internazionale no Giuseppe Meazza por 2 a 1. Carles Pérez abriu para os blaugranas, Lukaku empatou para os nerazurris, mas o jovem Fati desempatou para os catalães. O resultado deixou Messi e companhia com 14 pontos. O segundo lugar ficou com o Borussia Dortmund, que levou a melhor contra o Slavia Praga ao triunfá-lo por 2 a 1 no Signal Iduna Park. Com dez pontos e beneficiado pela derrota da Inter, os aurinegros passaram de fase e jogou o clube de Milão para a Liga Europa.

O equilibrado grupo G só teve a situação, inclusive do primeiro colocado, definido apenas na sexta rodada. Depois de abrir 2 a 0 fora de casa contra o Lyon, com gols de Forsberg e Werner, o Red Bull Leipzig viu Aouar e Memphis Depay igualar o marcador para o time francês. Apesar de ter deixado a vitória escapar, a equipe alemã ficou em primeiro com 11 pontos, seguido pelos franceses, com oito. Na outra partida do grupo, o Benfica se despediu com goleada no Estádio da Luz: 3 a 0 diante do Zenit, com os tentos anotados por Cervi, Pizzi e Azmoun (contra) e, para consolo dos Encarnados, o resultado deixou o time com sete pontos (a mesma pontuação do clube de São Petersburgo, mas com melhor saldo de gols), lhe garantiu a passagem para a segunda principal competição do Velho Mundo.

No grupo H, Chelsea, Valencia e Ajax fizeram uma disputa acirradíssima para pleitear pelas duas vagas. No Stamford Bridge, os Blues penaram para bater o já eliminado Lille. Abraham e Azpilicueta fizeram para os londrinos, enquanto Rémy descontou para o clube francês. O Chelsea ficou com 11 pontos e ficou em segundo lugar do grupo, enquanto o Valencia foi até a Johan Cruijff Arena, em Amsterdã, e conseguiu uma importantíssima vitória diante do Ajax que não apenas garantiu a sua permanência na Champions, como ficou em primeiro lugar com a mesma pontuação (mas à frente por conta do confronto direto com os londrinos) e eliminou os holandeses que, com dez pontos, ficaram em terceiro lugar. Rodrigo Moreno foi o autor do gol da classificação dos espanhóis.

Nesta quarta-feira, foi a vez das definições dos grupos A, B, C e D. Pelo grupo A, o Paris Saint-Germain protagonizou a maior goleada da rodada ao bater o Galatasaray por 5 a 0 (gols de Icardi, Sarábia, Neybar, Mbappé e Cavani, de pênalti). Com 16 pontos, os parisienses seguem invictos no certame. No outro jogo do grupo, o Real Madrid foi até a Bélgica e levou a melhor diante do Club Brugge ao vencer, de virada, os belgas por 3 a 1. Rodrygo, Vinícius Júnior e Modrič fizeram para os Merengues, enquanto Vanaken abrira o placar para os anfitriões que, apesar de ter somado apenas três pontos, pleiteou sua vaga para a Liga Europa, pois os leões turcos fizeram míseros dois pontos.

Melhor que Neymar, Cavani e companhia na atual edição da Liga dos Campeões está o Bayern de Munique, líder absoluto do grupo B, com 18 pontos e 100% de aproveitamento até o momento. Os bávaros receberam o Tottenham e superaram os atuais vice-campeões europeus por 3 a 1. Coman, Thomas Müller e Philippe Coutinho fizeram para os donos da casa, enquanto Sessegnon fez o de honra para os Spurs. Contudo, apesar do revés na Alemanha, a equipe treinada por José Mourinho encerrou essa fase em segunda lugar, com dez pontos. Na outra partida, o Olympiakos venceu o Estrela Vermelha em casa por 1 a 0 e chegou aos quatro pontos, deixando os sérvios em último lugar do grupo, com três, e, de quebra, foi para a Liga Europa.

No grupo C, o endinheirado Manchester City fez prevalecer o favoritismo e foi o campeão do grupo, com 14 pontos e invencibilidade mantida. Os Citizens foram até a Croácia e superaram o Dínamo Zagreb por 4 a 1, de virada e com hat-trick de Gabriel Jesus. O outro gol dos ingleses foi anotado por Foden, enquanto Olmo abrira o placar para o Dínamo. No confronto direto entre Shaktar Donetsk e Atalanta no Metalist Station, na Cracóvia, melhor para clube de Bérgamo, que fez 3 a 0, gols de Castagne, Pašalić e Gosens e chegou aos sete pontos e ultrapassou os ucranianos que, estacionados com seis pontos, se despedem da Champions em terceiro lugar e a segunda fase da Liga Europa como prêmio de consolação.

E, para finalizar, o grupo E. A Juventus, também invicta no certame, superou o Bayer Leverkusen, na BayArena, com gols de Cristiano Ronaldo e Higuaín, ao triunfar os alemães por 2 a 0. Com 16 pontos, os bianconeros ficaram seis pontos à frente do Atlético de Madrid, segundo colocado, que, no Wanda Metropolitano, fez o mesmo placar no Lokomotiv Moscou. O Bayer Leverkusen, com seis pontos, se despediu e lutará para ir para o Stadion Energa Gdańsk, na Polônia, local da final da UEFA Europa League 2019-2020.

Com o término da fase de grupos, a UEFA definirá os confrontos das oitavas-de-final através de sorteio que será feito em sua sede, na Suíça.

A seguir, os resultados da sexta rodada da fase de grupos e a classificação final.

Data – Grupo – Jogo – Local:
10/12/19 – E – Napoli (ITÁ) 4×0 Genk (BÉL) – San Paolo, Nápoles (ITÁ)
10/12/19 – E – Red Bull Salzburg (ÁUS) 0x2 Liverpool (ING) – Red Bull Arena, Salzburg (ÁUS)
10/12/19 – F – Internazionale (ITÁ) 1×2 Barcelona (ESP) – Giuseppe Meazza, Milão (ITÁ)
10/12/19 – F – Borussia Dortmund (ALE) 2×1 Slavia Praga (REP) – Signal Iduna Park, Dortmund (ALE)
10/12/19 – G – Benfica (POR) 3×0 Zenit (RÚS) – Estádio da Luz, Lisboa (POR)
10/12/19 – G – Lyon (FRA) 2×2 Red Bull Leipzig (ALE) – Groupama Stadium, Lyon (FRA)
10/12/19 – H – Chelsea (ING) 2×1 Lille (FRA) – Stamford Bridge, Londres (ING)
10/12/19 – H – Ajax (HOL) 0x1 Valencia (ESP) – Johan Cruijff Arena, Amsterdã (HOL)
11/12/19 – A – Club Brugge (BÉL) 1×3 Real Madrid (ESP) – Jan Breydel, Bruges (BÉL)
11/12/19 – A – Paris Saint-Germain (FRA) 5×0 Galatasaray (TUR) – Parc des Princes, Paris (FRA)
11/12/19 – B – Olympiakos (GRÉ) 1×0 Estrela Vermelha (SÉR) – Georgios Karaiskakis Stadium, Pireu (GRÉ)
11/12/19 – B – Bayern de Munique (ALE) 3×1 Tottenham (ING) – Allianz Arena, Munique (ALE)
11/12/19 – C – Shaktar Donetsk (UCR) 0x3 Atalanta (ITÁ) – Metalist Stadion, Cracóvia (UCR)
11/12/19 – C – Dínamo Zagreb (CRO) 1×4 Manchester City (ING) – Maksimir Stadion, Zagreb (CRO)
11/12/19 – D – Bayer Leverkusen (ALE) 0x2 Juventus (ITÁ) – BayArena, Leverkusen (ALE)
11/12/19 – D – Atlético de Madrid (ESP) 2×0 Lokomotiv Moscou (RÚS) – Wanda Metropolitano, Madri (ESP)

Classificação:
Pos. – Equipe – Pontos:
Grupo A:
1. Paris Saint-Germain (FRA) – 16 pontos
2. Real Madrid (ESP) – 11
3. Club Brugge (BÉL) – 3
4. Galatasaray (TUR) – 2

Grupo B:
1. Bayern de Munique (ALE) – 18
2. Tottenham (ING) – 10
3. Olympiakos (GRÉ) – 4
4. Estrela Vermelha (SÉR) – 3

Grupo C:
1. Manchester City (ING) – 14
2. Atalanta (ITÁ) – 7
3. Shakhtar Donetsk (UCR) – 6
4. Dínamo Zagreb (CRO) – 5

Grupo D:
1. Juventus (ITÁ) – 16
2. Atlético de Madrid (ESP) – 10
3. Bayer Leverkusen (ALE) – 6
4. Lokomotiv Moscou (RÚS) – 3

Grupo E:
1. Liverpool (ING) – 13
2. Napoli (ITÁ) – 12
3. Red Bull Salzburg (ÁUS) – 7
4. Genk (BÉL) – 1

Grupo F:
1. Barcelona (ESP) – 14
2. Borussia Dortmund (ALE) – 10
3. Internazionale (ITÁ) – 7
4. Slavia Praga (REP) – 2

Grupo G:
1. Red Bull Leipzig (ALE) – 11
2. Lyon (FRA) – 8
3. Benfica (POR) – 7
4. Zenit (RÚS) – 7

Grupo H:
1. Valencia (ESP) – 11
2. Chelsea (ING) – 11
3. Ajax (HOL) – 10
4. Lille (FRA) – 1

Parabéns aos classificados.

Por Jorge Almeida

 

Borussia Dortmund: campeão da Supercopa da Alemanha 2019

Jogadores do Borussia Dortmund comemoram o primeiro título da temporada do futebol alemão. Créditos: divulgação/www.bvb.de

Com gols de Alcácer e Sancho no segundo tempo, o Borussia Dortmund derrotou o Bayern de Munique por 2 a 0 neste sábado (3), na decisão da Supercopa da Alemanha 2019, no Iduna Signal Park, em Dortmund. Essa foi a primeira conquista dos aurinegros na temporada e o sexto título da competição que reúne o campeão da Bundesliga e o da Copa da Alemanha da temporada anterior (na verdade, o Borussia disputou na condição de vice-campeão alemão, uma vez que os bávaros levaram as taças do campeonato e da copa do país).

O atual maior clássico alemão começou com tudo. Com menos de um minuto, Neuer trabalhou. Süle vacilou na defesa, foi roubado e Alcáncer avançou pela esquerda, rolou para trás na altura da marca penal e Reus finalizou para o goleiro bávaro fazer grande defesa. Depois do susto, aos poucos, o Bayern de Munique conseguiu equilibrar a partida. Aos 17, Lewandowski recebeu na entrada da área, ajeitou e limpou, mas o chute foi desviado para escanteio.

O Bayern cresceu no jogo. Aos 24, Coman recebeu na esquerda, acionou Alaba na pequena área, o camisa 27 ajeitou para trás, a defesa aurinegra tentou afastar e, no bate-rebate, a bola bateu na cabeça do camisa 9 bávaro e ficou com Hitz. O Gigante da Baviera seguiu a valorizar a posse de bola e, aos poucos, chegando à área do time da casa. Aos 35, Kimmich cruzou na área, Goretzka disputou com Hitz pelo alto, a bola seguiu “viva”, Coman cabeceou e a redonda ficou nas mãos do goleiro que, na sequência, sofreu falta por conta da “trombada” sofrida pelo camisa 18 do clube de Munique.

No entanto, apesar de ter sofrido um susto no começo e ter ficado ligeiramente mais com a bola e no campo do adversário, o Bayern de Munique encontrou muitas dificuldades de superar o bem posicionado time do Borussia Dortmund e, graças a isso, a decisão terminou os seus primeiros 45 minutos com o placar em branco.

No começo da etapa final, logo aos quatro minutos, Thiago Alcántara errou o passe, Sancho “agradeceu” e avançou pela direita, fez boa jogada individual e rolou para Alcácer, que estava na altura da meia-lua, bater rasteiro e firme no canto esquerdo de Neuer, que não conseguiu alcançar e colocar o Dortmund à frente da decisão. Depois do gol, o Bayern de Munique foi para cima. Aos nove, Goretzka aproveitou um erro na saída do Dortmund no meio-de-campo, avançou, acionou Müller, que devolveu de primeira para o camisa 18 na área, e bateu de bate-pronto, mas Hitz deu um leve toque por cima e evitou o empate.

Aos 13, Lewandowski tocou para Kimmich, que cruzou na área, Coman cabeceou à queima-roupa, Hitz fez um milagre, o camisa 29, caído, ainda rolou para trás na pequena área para Thomas Müller finalizar, Akanji salvou, a esférica ficou na área de perigo, o goleiro tirou com o pé direito para a lateral e, na sequência, Lewandowski chegou duro no arqueiro e fez a falta que lhe rendeu o cartão amarelo. Que chance perdeu o Bayern.

A equipe da Baviera mantivera mais posse de bola e ataca mais no duelo, ficando exposto aos contragolpes dos Die Schwarzgelben. E, em uma dessas situações que, aos 24 minutos, o Borussia partiu com tudo. O ataque bávaro foi desarmado e Sancho recebeu pela direita, o camisa 7 conduziu a bola em direção ao gol, entrou na área e bateu firme para aumentar a vantagem dos aurinegros. A redonda ainda passou por baixo das pernas de Neuer.

Com o segundo gol, alguns jogadores do Bayern de Munique pareceram demonstrar um certo nervosismo. Como em um lance, aos 30 minutos, fora de campo, em que o lateral Kimmich deu um pisão no tornozelo de Sancho e recebeu apenas o cartão amarelo. Um vermelho para o camisa 32 não teria sido nenhum exagero por parte do árbitro Daniel Siebert.

O segundo tento dos anfitriões praticamente jogou um balde de água fria nos comandados de Niko Kovač, que não esboçaram nenhum poder de reação e só restou a lamentação pela perda do título e ver que nessa temporada o Borussia será o seu potencial adversário na busca da Bundesliga 2019/2020. E, assim, a partida no Iduna Signal Park terminou com Borussia Dortmund 2, Bayern de Munique 0. Os aurinegros abocanham a Supercopa da Alemanha pela sexta vez, ficando a um título do Bayern de Munique, maior vencedor do torneio, com sete taças.

A final da Supercopa da Alemanha colocou frente a frente as duas maiores equipe do país atualmente. Por ser começo de temporada, os dois times praticamente entraram equilibrados, ou seja, nada daquela hegemonia costumeira do Bayern de Munique na Alemanha. No duelo, o Dortmund começou com tudo, mas a equipe de Niko Kovač, aos poucos, foi equilibrando as ações e passou a atacar mais o adversário, mesmo sendo fora de casa. No entanto, a boa atuação do goleiro suíço Marwin Hitz colaborou para que os bávaros não conseguissem ao êxito e, enquanto isso, o inglês Jadon Sancho desequilibrou lá na frente. Além de ter feito uma jogadaça no primeiro gol, que terminou com sua assistência para Paco Alcácer e sacramentou o título ao fazer o segundo gol. Com a perda do primeiro título da temporada, o croata Niko Kovač, que nunca foi unanimidade na Baviera, terá muito trabalho pela frente para manter o Bayern de Munique na soberania na terra dos tetracampeões mundiais.

A seguir, a ficha técnica da decisão.

FICHA TÉCNICA: BORUSSIA DORTMUND 2×0 BAYERN DE MUNIQUE
Competição/Fase: Supercopa da Alemanha (DFL-Supercup) 2019 – final (jogo único)
Local: Signal Iduna Park, Dortmund, Alemanha
Data: 3 de agosto de 2019, sábado – 15h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Daniel Siebert (ALE)
Auxiliares: Rafael Foltyn (ALE) e Jan Seidel (ALE)
Cartões Amarelos: Lewandowski e Kimmich (Bayern de Munique)
Gols: Alcácer, aos 3 min (1-0) e Sancho, aos 24 min do 2º tempo (2-0)
BORUSSIA DORTMUND: 35.Hitz; 26.Piszczek (27.Wolf), 36.Toprak, 16.Akanji e 14.Schilz; 28.Witsel, 33.Weigl, 7.Sancho (34.Larsen), 11.Guerreiro (5.Hakimi) e 11.Reus; 9.Alcácer. Técnico: Lucien Favre
BAYERN DE MUNIQUE: 1.Neuer; 32.Kimmich, 4.Süle, 17.Boateng e 27.Alaba (35.Renato Sanches); 6.Thiago Alcántara (5.Pavard), 18.Goretzka, 24.Tolisso, 29.Coman e 25.Müller (19.Davies); 9.Lewandowski. Técnico: Niko Kovač

Parabéns ao Ballspiel-Verein Borussia 1909 e. V. Dortmund pela conquista.

Por Jorge Almeida

Tottenham Hotspur: campeão da Audi Cup 2019

Jogadores do Tottenham comemoram o título inédito da Audi Cup na Allianz Arena. Créditos: twitter;com/SpursOfficial

O Tottenham Hotspur derrotou o Bayern de Munique na decisão por pênaltis em 6 a 5, depois de empatarem em 2 a 2 no tempo normal, a final do torneio amistoso Audi Cup 2019 disputado na Allianz Arena, em Munique, nesta quarta-feira (31). Os Spurs chegaram a abrir 2 a 0, com gols de Lamela e Eriksen, mas Arp e Davies empataram para os bávaros. Nos pênaltis, destaque para o goleiro argentino Gazzaniga, que pegou as cobranças de Alaba e Boateng.

Os visitantes começaram melhores no jogo e criaram as primeiras oportunidades. Aos três, Dele Alli deixou para Lamela na entrada da área e, na hora do chute do camisa 11, a marcação desviou a trajetória da bola. No minuto seguinte, Davies foi desamardo por Walker-Peters, que cruzou na medida para Lucas, que jogou como centroavante, cabecear, mas Neuer fez grande defesa.

Depois do susto inicial dos ingleses, a equipe da casa equilibrou as ações e teve sua primeira oportunidade aos nove. Em cruzamento da direita, o zagueiro Pavard subiu e triscou de leve, mas o suficiente para assustar o goleiro Lloris. No entanto, aos 18, N’Koudou cruzou da esquerda rasteiro para Lamela se atirar e completar paras redes. Dois minutos depois, o autor do gol que abriu o placar arriscou de esquerda, mas mandou para fora.

O Bayern de Munique tentou aos 22. A redonda foi alçada na área do Tottenham, a defesa afastou pelo alto e, na sobra, Will ajeitou e soltou a canhota, porém, a bola desviou o percurso e saiu para escanteio. Minutos depois, Sissoko tentou acionar Lucas, Süle cortou para a linha de fundo e, quase fez gol contra, pois Neuer ficou vendido no lance. Já, aos 41 minutos, a defesa dos Spurs cortou por cima e, no rebote, Singh arrematou de prima e mandou à esquerda da meta de Lloris. E o primeiro tempo terminou com a vitória parcial do Tottenham.

Na volta para a etapa final, como já era de se esperar, o técnico Mauricio Pochettino modificou quase toda a sua equipe, colocando, inclusive, os dois principais nomes do ataque de sua equipe: Son e Kane. E foi justamente com o sulcoreano da camisa 7 quem criou as duas primeiras oportunidades do time londrino. Aos 11, Son recebeu na intermediária, pedalou e arriscou, Ureich deu sobra e recuperou a bola em seguida. No lance seguinte, Kane deu bom passe para Son, que limpou o marcador e, na cara do goleiro bávaro, errou a finalização, porém, graças a um sutil desvio com o pé direito de Ureich

Aos 13, Kane ajeitou para trás para Eriksen, que dominou e acertou um chute forte e calibrado para aumentar o placar para o Tottenham. No entanto, o Gigante da Baviera respondeu imediatamente. Aos 15, Renato Sanches deu um tapa na bola, Arp escapou em velocidade, entrou na área e finalizou sem dar chances de defesa para Lloris para fazer o primeiro dos alemães.

O gol incentivou o Bayern. Aos 21, o português Renato Sanches mandou de fora, rasteiro, para a defesa de Gazzaniga. O Tottenham tentou aproveitar o erro de posicionamento da defesa adversária e Harry Kane recebeu na pequena área e chutou forte para grande defesa de Ulreich. E, com o time mais “maduro” no segundo tempo, o Bayern chegou ao empate aos 35 com um belo gol do canadense Devies, de apenas 18 anos. Ele recebeu na esquerda, puxou para o meio e bateu firme no canto esquerdo, sem dar chances para o goleiro. Um belo gol: é o empate dos bávaros.

Com o empate consolidado, os dois times pouco fizeram nos minutos finais e tudo conspirava a favor da decisão por pênaltis. E assim aconteceu. Na série de cinco cobranças, Alderweireld abriu para os Spurs. Na sequência, cada time errou uma cobrança com Alaba e Eriksen. No restante da série de cinco, todos os batedores converteram: Thiago Alcántara, Kane, Müller, Son, Renato Sanches, Roles e Lewandowski. Com isso, a disputa seguiu para as alternadas. Skipp anotou para os Spurs, Singh igualou para os bávaros, Tanganga fez o segundo das alternadas para os ingleses e Boateng parou em Gazzaniga, que defendeu e deu o título para o Tottenham. Fim da disputa por pênaltis na Allianz Arena: Bayern de Munique 5, Tottenham 6. Os Spurs conquistam pela primeira vez a Audi Cup, enquanto os alemãs amargam o segundo vice do torneio amistoso (em cinco edições, o clube de Munique só havia perdido a final da edição de 2011, quando foi derrotado por 2 a 0 para o Barcelona, enquanto em 2017, foi derrotado por 3 a 0 para o Liverpool na semifinal).

Depois de superar o poderoso Real Madrid na semifinal do torneio, o Tottenham teve pela frente outro gigante do futebol europeu na decisão da Copa Audi: o Bayern de Munique. Com um time considerado mais experiente em relação aos onze iniciais de seu adversário, os ingleses saíram na frente com Lamela. Depois, a partida deu uma esfriada, com o Tottenham conduzindo o jogo tranquilamente, sem correr muito, aproveitando-se da inexperiência de parte do time jovem do Bayern de Munique. No segundo tempo, com os dois times bastante modificados, a partida ficou mais movimentada e mais acirrada com a entrada dos jogadores mais experientes dos bávaros, como Thomas Müller e Robert Lewandowski. Mas, os Spurs não se intimidaram e aumentou a vantagem. No entanto, o Bayern de Munique aproveitou o fator casa e o apoio da torcida e arrancou o empate, com destaque para o belo gol do canadense Davies, e levou a disputa para os pênaltis, onde se consagrou o goleiro Gazzaniga, autor de duas defesas.

As duas equipes voltarão a campo no final de semana. O Bayern de Munique começará a temporada oficial 2019/2020 no sábado (3) quando disputará o título da Supercopa da Alemanha contra o Borussia Dortmund, no Signal Iduna Park. No domingo, o Tottenham enfrentará a Internazionale de Milão pela International Champions Cup em seu estádio.

E, para finalizar, na disputa do terceiro lugar, o Real Madrid fez 5 a 3 nos turcos do Fenerbahçe, com direito a um hat-trick de Benzema.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão.

Semifinal:
30/07/2019 – Real Madrid (ESP) 0x1 Tottenham Hotspur (ING) – Allianz Arena, Munique (ALE)
Final:
31/07/2019 – Tottenham Hotspur (ING) (6)2×2(5) Bayern de Munique (ALE) – Allianz Arena, Munique (ALE)

FICHA TÉCNICA: TOTTENHAM HOTSPUR (ING) (6)2×2(5) BAYERN DE MUNIQUE (ALE)
Competição/Fase: Audi Cup 2019 – final (jogo único)
Local: Allianz Arena, Munique, Alemanha
Data: 31 de julho de 2019, quarta-feira – 15h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Robert Hartmann (ALE)
Auxiliares: Christian Leicher (ALE) e Eduard Beitinger (ALE)
Cartão Amarelo: Foyth (Tottenham)
Gols: Lamela, aos 19 min do 1º tempo (1-0); Eriksen, aos 14 min (2-0), Arp, aos 16 min (2-1) e Davies (2-2), aos 36 min do 2º tempo
Pênaltis convertidos: Thiago Alcántara, Müller, Renato Sanches, Lewandowski e Singh (Bayern de Munique); Alderweireld, Kane, Son, Roles, Skipp e Tanganga (Tottenham)
Pênaltis desperdiçados: Alaba e Boateng (Bayern de Munique); Eriksen (Tottenham)
TOTTENHAM (ING): 1.Lloris (22.Gazzaniga); 16.Walker-Peters (21.Foyth) (47.Marsh), 6.Sánchez (4.Alderweireld), 5.Vertonghen (57.Tanganga) e 3.Rose (72.White); 8.Winks (52.Skipp), 17.Sissoko (42.Georgiou), 11.Lamela (23.Eriksen), 14.N’Koudou (7.Son) e 20.Dele Alli (10.Kane); 27.Lucas (55.Roles). Técnico: Mauricio Pochettino
BAYERN DE MUNIQUE (ALE): 1.Neuer (26.Ureich); 5.Pavard, 4.Süle (47.Zylla) (29.Coman) (44.Mihaljevic), 45.Johansson (27.Alaba) e 46.Kehl (25.Müller); 24.Tolisso (35.Renato Sanches), 40.Will (17.Boateng) e 42.Singh; 38.Nollenberger (6.Thiago Alcántara), 19.Davies e 15.Arp (9.Lewandowski). Técnico: Niko Kovač

Parabéns ao Tottenham Hotspur Football Club pelo título.

Por Jorge Almeida

Bayern de Munique: campeão da Copa da Alemanha 2018/2019

Jogadores do Bayern de Munique comemoram mais um título no futebol alemão na temporada. Créditos: Reprodução/Twitter

Com dois gols de Robert Lewandowski e um de Coman, o Bayern de Munique derrotou o RB Leipzig por 3 a 0, neste sábado (25), no Estádio Olímpico de Berlim, na decisão da Copa da Alemanha 2018/2019. O título foi o 19º do clube bávaro na competição. A final marcou as despedidas de Ribéry, Robben e de Rafinha da equipe de Munique.

O RB Leipzig começou a decisão marcando no ataque e dificultando a saída de bola do Bayern. Mas, a equipe da Baviera foi quem criou a primeira chance de gol logo aos dois minutos. Gnabry recebeu na direita, tirou de Halstenberg e finalizou forte para fora. Depois, aos dez, foi a vez de Neuer trabalhar. Após o escanteio, Poulsen cabeceou firme na pequena área e o arqueiro alemão espalmou, caiu dentro do gol e viu a bola bater no travessão e a zaga aliviar o perigo. Que chance teve o RB.

Após um começo surpreendente dos Youth Brigade nos primeiros quinze minutos em que mantinham a bola nos pés, os bávaros se soltaram mais para o ataque e passou a ocupar mais o campo de defesa do adversário.

Apesar de ter permanecido boa parte da partida melhor postado em campo, o RB Leipzig teve o “azar” de ter do outro lado um gigante em seu caminho. Aos 28, Thiago Alcántara tocou para Javi Martínez, que serviu Coman e o francês acionou Alaba na passagem e o camisa 27 cruzou na medida para Lewandowski marcar o primeiro gol do jogo.

Depois do gol, a equipe da Saxônia sentiu o golpe. Não passou mais do meio-de-campo e foi dominado pelo Bayern. Aos 41, Hummels lançou Coman, que avançou livre desde a intermediária, driblou Gulácsi e chutou, mas Konaté meteu a cabeça na redonda e evitou o gol. Na jogada seguinte, aos 43, Lewa, mesmo cercado por três jogadores na área, conseguiu passar para Coman, que cruzou rasteiro e, no bate e rebate, a zaga afastou. E a etapa inicial terminou com vitória parcial dos bávaros.

No começo do segundo tempo, antes do primeiro minuto, o Bayer já criou uma oportunidade com Thiago Alcántara. Depois de um cruzamento, o camisa 6 bateu chapado da entrada da área e errou o alvo. Em seguida, aos dois, foi a vez de RB Leipzig atacar no raro momento em que a defesa do Bayern deu brecha. Forsberg recebeu em profundidade, avançou sozinho, entrou na área e, na hora de chutar, parou em Neuer. Outra grande chance que não poderia ser desperdiçada. No minuto seguinte, Halstenberg cruzou no primeiro pau, Werner conseguiu se antecipar e finalizar, mas o goleiro bávaro ficou com a pelota.

O jogo ficou “lá e cá”. Aos 11, Lewa limpou para dentro e chutou rasteiro para a firme defesa de Gulácsi. Em seguida, Forsberg driblou Alaba e chutou cruzado, a bola passou por Neuer, mas Süle estava lá para salvar em cima da linha. Quatro minutos depois foi a vez do zagueirão Hummels partir em disparada pelo meio e, da entrada da área, bater firme e Gulácsi defender.

A partida seguiu aberta, com o Touro indo para o ataque e deixando espaços para o Gigante da Baviera contra-atacar. Aos 16, Gnabry chutou cruzado, Gulácsi defendeu parcialmente e, na sobra, Thiago cabeceou para fora. Mais tarde, aos 22, o camisa 22 bávaro cruzou da direita na medida para Lewandowski. que subiu bem e cabeceou para fora. Já aos 30, Werner fez jogada individual pela direita e, sem ângulo, soltou uma pancada para Neuer tirar de soco.

Mas as esperanças do RB Leipzig praticamente foram sepultadas aos 32 minutos. O Bayern de Munique trabalhou bem a bola no ataque ao trocar passes de um lado para o outro. Kimmich tentou o passe na área, a redonda desviou na defesa e parou nos pés de Coman, que dominou com categoria, abriu a defesa e ficou livre para chutar forte e marcar o segundo gol do time de Munique: 2 a 0. Festa bávara em Berlim.

Com dois gols sofridos, o Leipzig não esboçou qualquer reação e assistiu passivamente o Bayern de Munique trocar passes e ficar à espera de conquistar, mais uma vez, a Copa da Alemanha. Eis que, aos 39, o RB tentou chegar ao ataque, mas o chutão de Kimmich virou um contra-ataque porque a esférica encontrou Lewandowski, que levou a melhor sobre Upamecano na corrida, não caiu e tocou na saída do goleiro para fazer o seu segundo gol na partida e o terceiro da equipe da Baviera. Festa vermelha na capital alemã.

A torcida do Bayern já estava em estado de euforia à espera de comemorar mais um título. E, aos 45, Robben quase marcou o seu gol na sua despedida do time. Depois de servir, Kimmich, o holandês, que entrou no lugar de Gnabry, ficou com o rebote, mas com a direita, a sua “perna fraca”, mandou por cima do gol. Mas a chance perdida não fez falta, pois o jogo já estava liquidado. Fim de jogo no Estádio Olímpico de Berlim: Bayern de Munique 3, RB Leipzig 0, os bávaros conquistam a Copa da Alemanha pela 19ª vez em sua história. E o trio Ribéry, Robben e Rafinha se despendem do clube com mais um título no currículo.

O RB Leipzig começou a decisão de forma surpreendente, marcando avançado, dificultando a saída de bola do Bayern e exigiu um milagre de Neuer na cabeçada de Poulsen. Porém, aos poucos, o time de Munique foi se ajustando, equilibrou o jogo e aí já viu o que acontece quando se perde uma oportunidade contra um time grande? Os bávaros conseguiram abrir o placar com Lewandowski aos 28 minutos e, a partir de então, dominou o restante da etapa inicial. No segundo tempo, o jovem time do Leipzig (que tem só dez anos de existência) ainda tentou alguma coisa, mas o Bayern conseguiu conter a empolgação do rival e, com autoridade, tratou de fazer mais dois gols – com Coman e outro de Lewa – e garantir mais um caneco para a sua galeria. O título foi a cereja do bolo na festa de despedida do citado trio Ribéry, Robben e Rafinha.

Chega a impressionar tamanha a hegemonia do Bayern de Munique na Alemanha. Com essa conquista, foi a 12ª vez que os bávaros fizeram a ‘dobradinha’ de levar a Bundesliga e a Copa da Alemanha. Em ambos, o Bayern é o maior campeão. No campeonato nacional, são 29 conquistas contra 9 do Nuremberg, o segundo maior vencedor, enquanto na copa do país tetracampeão mundial, com essa, são 19 contra seis do Werder Bremen, o segundo clube que mais venceu o torneio. Sem contar o fato de que o Bayern de Munique é o clube alemão com mais Champions League no currículo: cinco. Diferentemente do seu rival dessa final de Copa da Alemanha. Com apenas dez anos de existência, o RB Leipzig não ganhou nenhum título em uma década de vida, mas em quatro anos na elite do futebol alemão, já vai disputar a sua terceira UEFA Champions League, pois terminou a temporada em terceiro lugar na Bundesliga 2018/2019, ficando atrás apenas do campeão Bayern de Munique e do vice Borussia Dortmund.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão.

Primeira Fase:
18/08/2018 – Drochtersen/Assel 0x1 Bayern de Munique – Kehdinger Stadion, Drochtersen
Segunda Fase:
30/10/2018 – Rödinghausen 1×2 Bayern de Munique – Stadion an der Bremer Brücke, Osnabrück
Oitavas-de-final:
06/02/2019 – Hertha Berlim 2×3 Bayern de Munique – Estádio Olímpico, Berlim
Quartas-de-final:
03/04/2019 – Bayern de Munique 5×4 Heidenheim – Allianz Arena, Munique
Semifinal:
24/04/2019 – Werder Bremen 2×3 Bayern de Munique – Weser-Stadion, Bremen
Final:
25/05/2019 – RB Leipzig 0x3 Bayern de Munique – Estádio Olímpico, Berlim

FICHA TÉCNICA: RB LEIPZIG 0x3 BAYERN DE MUNIQUE
Competição/Fase: DFB-Pokal (Copa da Alemanha) 2018/2019 – final (jogo único)
Local: Olimpiastadion (Estádio Olímpico), Berlim
Data: 25 de maio de 2019, sábado – 15h (horário de Brasília)
Árbitro: Tobias Stieler
Auxiliares: Christian Gittelmann e Matthias Jöllenbeck
Cartões Amarelos: Upamecano (RB Leipzig); Lewandowski (Bayern de Munique)
Gols: Lewandowski, aos 29 min do 1º tempo (1-0) e aos 40 min do 2º tempo (3-0); e Coman, aos 33 min do 2ºtempo (2-0)
RB LEIPZIG: 1.Gulácsi; 16.Klostermann, 4.Orban (5.Upamecano), 6.Konaté (8.Haidara) e 23.Halstenberg; 14.Adams (27.Laimer), 7.Sabitzer, 10.Forsberg e 44.Kampl; 9.Poulsen e 11.Werner. Técnico: Ralf Rangnick
BAYERN DE MUNIQUE: 1.Neuer; 32.Kimmich, 4.Süle, 5.Hummels e 27.Alaba; 8.Javi Martínez (24.Tolisso), 6.Thiago Alcántara, 25.Thomas Müller e 22.Gnabry (10.Robben); 29.Coman (7.Ribéry) e 9.Lewandowski. Técnico: Niko Kovač

Parabéns ao Fußball-Club Bayern München.

Por Jorge Almeida

Bayern de Munique: campeão da Bundesliga 2018/2019

Jogadores do Bayern de Munique comemoram o 29º título do campeonato alemão diante de sua torcida. Créditos: Getty Images

Diferentemente das temporadas anteriores, quando conquistava a Bundesliga de “braçada”, o Bayern de Munique precisou esperar até a 34ª (e última rodada) do campeonato alemão 2018/2019 para ficar com o título. A equipe da Baviera goleou o Eintracht Frankfurt por 5 a 1, gols de Coman, Alaba, Renato Sanches, Ribéry e Robben, equanto Haller descontou para o clube do centro financeiro alemão, na Allianz Arena, em Munique, neste sábado (18), e chegou aos 78 pontos, dois a mais que o vice-campeão Borussia Dortmund, que também venceu na rodada.

Antes de a bola rolar, a diretoria e os torcedores do clube da Baviera fez uma bela homenagem a Ribéry, Robben e ao brasileiro Rafinha, que estão de saída do clube, que não estraram em campo entre os titulares.

A “decisão” mal começara e o Bayern de Munique já saiu na frente. Aos três minutos, Lewandowski tabelou com Müller na entrada da área e Coman, livre, apareceu na área e tocou na saída de Trapp tirando o zero do placar. E, com a situação favorável, os bávaros não ficaram acomodados, pelo contrário, seguiu em cima e massacrou o Eintrach Frankfurt. Aos seis, Müller acionou Lewandowski, que atraiu a marcação, e o polonês rolou para Gnabry, que bateu rasteiro para defesa de Trapp. Na sequência, Lewa estava em impedimento. Dois minutos depois, em boa triangulação pela direita, o Bayern chegou mais uma vez com perigo. Gnabry recebeu naquele lado e chutou forte para Trapp espalmar para escanteio. Após o córner, Lewandowski testou por cima do travessão.

E o Bayern seguiu na pressão. Aos 12, Lewandowski fez jogada individual e, da entrada da área, bateu para o gol e Trapp fez mais uma intervenção e evitou o segundo gol. Os visitantes tentaram ir para o ataque, mas abriam espaços para os anfitriões contra-atacarem em velocidade. Aos 25, Gnabry chegou a anotar mais um gol para os bávaros, porém, depois de consultar o VAR, a arbitragem invalidou o lance porque, antes da conclusão do camisa 22, Lewandowski estava em impedimento. No entanto, o domínio do time de Munique continuou. Aos 30, Coman cruzou para Müller, que não conseguiu a finalização porque Hinteregger se antecipou com um carrinho, mas jogou a bola no travessão da própria equipe e. na sequência, Trapp, mais uma vez, salvou o Eintracht com uma ótima defesa em chute do camisa 25. No lance seguinte, aos 32, o Bayern chegou pela direita, a defesa adversária tirou e, na sobra, foi a vez de Gnabry finalizar e mandar a bola ao lado da meta.

A partida seguiu com o Bayern de Munique dominando a posse de bola e complicando a vida da defesa do Eintracht Frankfurt. Antes do intervalo, Niko Kovać precisou tirar o volante Goretzka para colocar o português Renato Sanches por conta de lesão. E, antes do fim do primeiro tempo, que foi até os 47 minutos, em Dortmund, no duelo dos Borussias, os aurinegros abriam o placar. Ou seja, ainda o título estava ficando com o Bayern, que não podia sofrer a virada caso o resultado do Borussia Dortmund fosse mantido.

Depois de ter visto sua equipe tomar um “vareio” de bola, o técnico do Eintracht Frankfurt, Adi Hütler, colocou o atacante Haller no lugar do volante De Guzmán. Então, em sua primeira ação ofensiva em campo, Haller empatou o jogo aos quatro minutos. Depois do escanteio, a boa ficou “viva” na área, bateu em Danny da Costa, depois no travessão e, no rebote, foi em direção do atacante que empurrou para as redes e empatou o jogo para o SGE na Allianz Arena. A estratégia do técnico austríaco parecia que daria certo, mas…

Após ter tomado o gol, o Gigante da Baviera reagiu de imediato. Aos seis minutos, Gnabry arriscou do lado direito, mas parou em Trapp. No minuto seguinte, Alaba recebeu na entrada da área, tocou para Müller, que tentou de fora da área, o arqueiro das Águias espalmou para frente e o lateral-esquerdo chegou a tempo de pegar o rebote e colocar o time da casa à frente do marcador. Aos dez, Lewa recebeu na área, ajeitou de cabeça para Gnabry, que mandou de prima e a redonda passou rente à trave. Em seguida, aos 12, Renato Sanches recebeu na esquerda, deu um belo drible na defesa e bateu colocado para fazer o terceiro gol dos bávaros e deixar o título bem encaminhado.

Com o placar ligeiramente confortável, Niko Kovać promoveu as entradas de dois dos três homenageados da partida: Ribéry e Robben substituíram Coman e Gnabry, respectivamente. Evidentemente que o francês e o holandês foram ovacionados pelo torcedor no estádio. E, em pouco minutos em campo, o camisa 7 fez um golaço aos 26. Ribéry carregou pela esquerda, deu um lindo drible em dois defensores e, com categoria, deu um toque por cobertura na saída de Trapp. Na comemoração, ele tirou a camisa para homenagear a torcida e recebeu o cartão amarelo. E, para colocar a cereja no bolo, aos 32 minutos, Robben fez o dele. Depois de jogada pela esquerda, uma boa trama entre Alaba e Lewandowski, o lateral rolou para o camisa 10, livre na pequena, estufar para o fundo das redes: 5 a 1 e taça mais que garantida.

Apesar da goleada consolidada, o Bayern parecia que não queria saber de comemoração. Aos 36 minutos, Lewa tocou para Thomas Müller, que rolou para Robben chutar no contrapé do (muito exigido) Trapp, que fez boa interceptação com a coxa.
O Bayern de Munique seguia na pressão, contudo, com a situação praticamente definida na partida, o árbitro encerrou o jogo aos 45 minutos, sem os habituais três minutos de acréscimos. Final de jogo na Allianz Arena, Bayern de Munique 5, Eintracht Frankfurt 1. O clube da Baviera conquista pela 29ª vez em sua história, o campeonato alemão, sendo o sétimo de forma consecutiva.

Bayern de Munique e Borussia Dortmund entraram em campo pela última rodada da Bundesliga na disputa do título, sendo que os aurinegros dependiam de uma vitória do Eintracht Frankfurt para ficar com o título. Os dois jogos tinham importância para os quatro clubes. Além dos postulantes ao troféu, os seus adversários visavam vagas para as competições europeias. O time bávaro não tomou conhecimento da equipe do centro financeiro alemão e abriu o placar logo aos três minutos com Coman e só não encerrou a etapa inicial com o placar mais dilatado graças ao goleiro Trapp que fez ótimas defesas. No segundo tempo, os torcedores da equipe da casa até levaram o susto com o gol de empate do Eintracht no começo da segunda etapa, mas foi só por três minutos, pois Alaba, Renato Sanches e os homenageados do dia trataram de sacramentar a goleada e consolidar a conquista do Gigante da Baviera. No entanto, o torcedor do Bayern de Munique não sabe se o treinador croata Niko Kovać continuaram no comando do clube, pois, apesar do título nacional, o trabalho do técnico é contestado por parte dos dirigentes da equipe por conta da eliminação na Champions e pelo fato de o triunfo da Bundesliga ter acontecido apenas na última rodada, diferentemente das outras recentes quando o Bayern confirmava o título com rodadas de antecedência e, além disso, o caneco dessa vez também precisou contar alguns tropeços do Dortmund. Ao longo de toda a temporada, Bayern e Borussia disputaram rodada a rodada o topo da tabela, mas a goleada do time do urso Berni de 5 a 0 contra o principal concorrente ao título na 28ª rodada praticamente ajudou o Bayern de Munique só administrar a liderança.

Com o término da Bundesliga, além da confirmação do título do Bayern de Munique, as vagas para as competições europeias foram consolidadas. Além do campeão, vice-campeão e do RB Leipzig, o Bayer Leverkusen ficou com a última vaga na Champions League ao ter goleado o Hertha Berlim por 5 a 1 fora de casa. Os representantes alemães para a próxima liga Europa serão o Borussia Mönchengladbach e o Wolfsburg e o Eintracht Frankfurt. Enquanto isso, o Hannover 96 e o Nuremberg começaram a rodada já rebaixados para a segunda divisão do futebol alemão. Já o Stuttgart, 16º colocado com 28 pontos, disputará o play-off do rebaixamento contra o terceiro colocado da “Bundesliga 2”, que será Union Berlim ou Paderborn – a definição sairá amanhã com a realização da última rodada do certame

A seguir, os resultados da 34ª (e última) rodada da Bundesliga 2018/2019, a classificação final, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica do “jogo do título”.

Data – Jogo – Local:
18/05 – Bayern de Munique 5×1 Eintracht Frankfurt – Allianz Arena, Munique
18/05 – Hertha Berlim 1×5 Bayer Leverkusen – Olímpico de Berlim, Berlim
18/05 – Schalke 04 0x0 Stuttgart – Veltins Arena, Gelsenkirchen
18/05 – Borussia Mönchengladbach 0x2 Borussia Dortmund – Borussia Park, Mönchengladbach
18/05 – Freiburg 5×1 Nuremberg – Schwarzwald-Stadion, Friburgo
18/05 – Werder Bremen 2×1 RB Leipzig – Weserstadion, Bremen
18/05 – Mainz 05 4×2 Hoffenheim – Opel Arena, Mogúncia
18/05 – Fortuna Düsseldorf 2×1 Hannover 96 – Espirit Arena, Düsseldorf
18/05 – Wolfsburg 8×1 Augsburg – Volkswagen Arena, Wolfsburg

Classificação final da Bundesliga 2018/2019:
Posição – Equipe – Pontos:
1. Bayern de Munique – 78 pontos (campeão)
2. Borussia Dortmund – 76
3. RB Leipzig – 66
4. Bayer Leverkusen – 58
5. Borussia Mönchengladbach – 55
6. Wolfsburg – 55
7. Eintrach Frankfurt – 54
8. Werder Bremen – 53
9. Hoffenheim – 51
10. Fortuna Düsseldorf – 44
11. Hertha Berlim – 43
12. Mainz 05 – 43
13. Freiburg – 36
14. Schalke 04 – 33
15. Augsburg – 32
16. Stuttgart – 28
17. Hannover 96 – 21
18. Nuremberg – 19

Data – Jogo – Local:
24/08/2018 – Bayern de Munique 3×1 Hoffenheim – Allianz Arena, Munique
01/09/2018 – Stuttgart 0x3 Bayern de Munique – Mercedes-Benz Arena
15/09/2018 – Bayern de Munique 3×1 Bayer Leverkusen – Allianz Arena, Munique
22/09/2018 – Schalke 04 0x2 Bayern de Munique – Veltins-Arena, Gelsenkirchen
25/09/2018 – Bayern de Munique 1×1 Augsburg – Allianz Arena, Munique
28/09/2018 – Hertha Berlin 2×0 Bayern de Munique – Olímpico de Berlim, Berlim
06/10/2018 – Bayern de Munique 0x3 Borssia Mönchengladbach – Allianz Arena, Munique
20/10/2018 – Wolfsburg 1×3 Bayern de Munique – Volkswagen Arena, Wolfsburg
27/10/2018 – Mainz 05 1×2 Bayern de Munique – Opel Arena, Mogúncia
03/11/2018 – Bayern de Munique 1×1 Freiburg – Allianz Arena, Munique
10/11/2018 – Borussia Dortmund 3×2 Bayern de Munique – Signal Iduna Park, Dortmund
24/11/2018 – Bayern de Munique 3×3 Fortunda Düsseldorf – Allianz Arena, Munique
01/12/2018 – Werder Bremen 1×2 Bayern de Munique – Weserstadion, Bremen
08/12/2018 – Bayern de Munique 3×0 Nuremberg – Allianz Arena, Munique
15/12/2018 – Hannover 96 0x4 Bayern de Munique – HDI-Arena, Hanôver
19/12/2018 – Bayern de Munique 1×0 RB Leipzig – Allianz Arena, Munique
22/12/2018 – Eintracht Frankfurt 0x3 Bayern de Munique – Commerzbank-Arena, Frankfurt
18/01/2019 – Hoffenheim 1×3 Bayern de Munique – Rhein-Neckar-Arena, Sinsheim
22/01/2019 – Bayern de Munique 4×1 Stuttgart – Alianz Arena, Munique
02/02/2019 – Bayer Leverkusen 3×1 Bayern de Munique – BayArena, Leverkusen
09/02/2019 – Bayern de Munique 3×1 Schalke 04 – Allianz Arena, Munique
15/02/2019 – Augsburg 2×3 Bayern de Munique – SGL Arena, Augsburgo
23/02/2019 – Bayern de Munique 1×0 Hertha Berlin – Allianz Arena, Munique
02/03/2019 – Borussia Mönchengladbach 1×5 Bayern de Munique – Borussia-Park, Mönchengladbach
09/03/2019 – Bayern de Munique 6×0 Wolfsburg – Allianz Arena, Munique
17/03/2019 – Bayern de Munique 6×0 Mainz 05 – Allianz Arena, Munique
30/03/2019 – Freiburg 1×1 Bayern de Munique – Schwarwald-Stadion, Friburgo
06/04/2019 – Bayern de Munique 5×0 Borussia Dortmund – Allianz Arena, Munique
14/04/2019 – Fortuna Düsseldorf 1×4 Bayern de Munique – Esprit Arena, Düsseldorf
20/04/2019 – Bayern de Munique 1×0 Werder Bremen – Allianz Arena, Munique
28/04/2019 – Nuremberg 1×1 Bayern de Munique – Grundig Stadion, Nuremberga
04/05/2019 – Bayern de Munique 3×1 Hannover 96 – Allianz Arena, Munique
11/05/2019 – RB Leipzig 0x0 Bayern de Munique – Red Bull Arena, Leipzig
18/05/2019 – Bayern de Munique 5×1 Eintracht Frankfurt – Allianz Arena, Munique

FICHA TÉCNICA: BAYERN DE MUNIQUE 5×1 EINTRACHT FRANKFURT
Competição/Fase: Bundesliga (Campeonato Alemão) 2018/2019 – 33ª rodada
Local: Allianz Arena, Munique
Data: 18 de maio de 2019, sábado – 10h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Sascha Stegemann
Auxiliares: Mike Pikel e Tobias Christ
Cartões Amarelos: Thiago Alcántara e Ribéry (Bayern de Munique); Hinteregger e Hasebe (Eintracht Frankfurt)
Gols: Coman, aos 3 min do 1º tempo (1-0); Haller, aos 4 min (1-1), Alaba, aos 7 min (2-1), Renato Sanches, aos 12 min (3-1), Ribéry, aos 26 min (4-1) e Robben, aos 32 min do 2º tempo (5-1)
BAYERN DE MUNIQUE: 26.Ulreich; 32.Kimmich, 4.Süle, 5.Hummels e 27.Alaba; 18.Goretzka (35.Renato Sanches), 6.Thiago Alcántara, 22.Gnabry (10.Robben), 25.Thomas Müller e 29.Coman (7.Ribéry); 9.Lewandowski. Técnico: Niko Kovać
EINTRACHT FRANKFURT: 31.Trapp; 19.Abraham, 31.Hinteregger e 20.Hasebe; 6.De Guzmán (9.Haller), 24.Danny da Costa, 5.Gelson Fernandes, 11.Gaćinović e 10.Kostić; 4.Rebić (16.Torró) e 8.Jović. Técnico: Adi Hütter

Parabéns ao Fußball-Club Bayern München pelo título.

Por Jorge Almeida