Rennes: campeão da Copa da França 2018/2019

Jogadores do Rennes comemoram o título da Copa da França conquistado contra o poderoso Paris Saint-Germain. Foto: REUTERS/Charles Platiau

O Paris Saint-Germain foi surpreendido pelo Rennes na decisão da Copa da França 2018/2019, neste sábado (27), no Stade de France, em Saint-Denis, ao ser derrotado nos pênaltis por 6 a 5 após empate em 2 a 2 no tempo normal (e na prorrogação). No tempo normal, o PSG abriu o placar com Daniel Alves e Neymar, mas o time rubronegro empatou com gol contra de Kimpembé e Mexer. Na disputa de pênaltis, todos os batedores dos dois times converteram até Nkunku mandou para fora e deu o terceiro título ao time da Bretanha.

O Paris Saint-Germain começou a decisão indo para cima do modesto Rennes. Com menos de dois minutos, Daniel Alves cruzou na área, Neymar se antecipou a Traoré e bateu de primeira, rasteiro, para fora. O PSG tomou as ações do jogo e manteve a pressão nos minutos seguintes. Aos 12, Daniel Alves cruzou e quase surpreendeu o goleiro Koubek, que precisou dar um tapinha na bola e ceder o escanteio para não ser encoberto no cruzamento do lateral brasileiro. Na sequência, Neymar cobrou o córner em direção da meia-lua e o camisa 13 pegou de prima, sem deixar a bola cair e fazer um golaço para o time da Cidade-Luz: 1 a 0 para o PSG.

Mesmo com a vantagem, os parisienses mantiveram a ofensiva. Aos 14, o Paris Saint-Germain roubou a bola da defesa do Rennes e a redonda sobrou para Mbappé, e ele entrou na área e chutou em cima de Koubek, que mandou para escanteio. A primeira investida do Rennes ao ataque se deu aos 19 com Bensebaini. O lateral-esquerdo avançou, encontrou uma brecha e tentou da intermediária, mas a redonda subiu sobre o travessão.

No lance seguinte, aos 20, o Rennes errou uma inversão, Daniel Alves roubou a bola, tocou para Mbappé, que serviu Di María e o argentino deu um passe açucarado para Neymar. O camisa 10 ficou frente-à-frente com o goleiro e deu um toque por cobertura, em lance de pura categoria, para fazer outro belo gol e ampliar a vantagem do clube parisiense.

Depois do segundo gol tomado, os jogadores do Rennes ficaram mais nervosos e passaram a ir com mais dureza nas divididas, esquentando o clima do jogo. Aos 30, o PSG fez boa trama com Mbappé, que abriu para Dani Alves na direita, o lateral cruzou rasteiro e a defesa adversária tirou o perigo antes da chegada de Neymar que estava preparado para a finalização. Aos 37, Niang recebeu na direita, girou em cima de marquinhos, partiu em direção da área e bateu com efeito e a redonda caprichosamente bateu na trave e a defesa tirou na sequência. No contra-ataque, Di María acionou Neymar, que conduziu a bola até a área e tocou para Draxler na esquerda, mas o alemão praticamente recuou para o goleiro ao chutar bem fraco.

Mas, dois minutos depois, o clube da Bretanha conseguiu o seu gol. Traoré cruzou da direita na área e Kimpembé ao tentar cortar desviou para o próprio patrimônio. Gol contra. Aliás, o primeiro gol sofrido pelo PSG no torneio foi de seu próprio jogador. O tento motivou o rubronegro, que não se entregou e tratou de equilibrar o jogo. E, antes do fim da etapa inicial, aos 45, Mbappé recebeu dentro da área e finalizou cruzado para a defesa de Koubek. Dois minutos depois, aos 47, Neymar cobrou falta na área, a defesa cortou e, no rebote, Daniel Alves tentou de longe para a difícil defesa do goleiro do Rennes.

No segundo tempo, o Rennes voltou com outra postura e acreditou que o empate era uma questão de tempo. Aos 12, Di María cochilou no ataque e foi desarmado por Bourigeaud, que puxou o contra-ataque e conduziu a redonda até a meia-lua e chutou forte para Areola fazer uma grande defesa e mandar a bola para escanteio.

A pressão do Rennes seguiu no jogo. Aos 19, Ben Arfa cruzou, Niang desviou de cabeça e Bourigeaud chegou batendo e Dagba cortou na “hora H” e mandou a bola para escanteio. Porém, em seguida, na cobrança do córner, Mexer subiu sozinho e empatou a decisão no Stade de France: 2 a 2. Os comandados de Thomas Tuchel parecem não acreditar no que aconteceu e tentaram espantar a zebra em seguida. Aos 24, Neymar bateu falta por cima da barreira e acertou levemente a trave e, por pouco, não desempatou o jogo. Principal artilheiro do PSG na temporada, Mbappé, que estava sumido durante o segundo tempo, apareceu aos 26 com perigo. Neymar abriu para Dani Alves na direita, o lateral cruzou para Mbappé aparecer antes da defesa e desviar a redonda, que passou próximo da trave e quase entrou.

Depois, aos 32, em cruzamento na área do Rennes, a defesa não cortou, Neymar dominou, mas na hora da finalização, o camisa 10 escorregou e, consequentemente, perdeu a bola. Mais tarde, aos 39, Verratti passou para Mbappé na área, o camisa 7 cruzou rasteiro, a bola cruzou a pequena área e Neymar chegou um pouco atrasado e não conseguiu completar para o gol vazio. Se tivesse alcançado a bola, certamente, poderia ter sido o gol do título do PSG. Mas o Rennes heroicamente conseguiu segurar o campeão francês e a intenção de levar a disputa para a prorrogação foi conseguida com êxito quando árbitro Ruddy Buquet decretou o fim do tempo normal aos 47 minutos. A decisão foi para a prorrogação.

No tempo extra, Thomas Tuchel promoveu a entrada de Cavani no lugar de Draxler. E, antes do segundo minuto, Neymar costurou os marcadores e chutou rasteiro para Koubek defender com segurança. O Paris Saint-Germain seguiu a pressão e, aos 8, Neymar avançou pelo meio e lançou Mbappé na área, o camisa 7 tirou do goleiro e acertou a trave oposta. Na sequência, Dani Alves cruzou para Cavani, que escorregou e finalizou fraco. Os parisienses ainda tiveram outra chance aos 13. Daniel Alves cruzou, a zaga não cortou, Cavani dominou e chutou quase sem ângulo e a bola explodiu em Koubek.

No segundo tempo da prorrogação, quem tomou as rédeas foi o Rennes. Aos quatro minutos, Ben Arfa recebeu de Sarr pela direita na altura da meia-lua e soltou bomba para mandar a esférica perto da trave. Na sequência da peleja, o jogo seguiu truncado e as chances de gols foram ficando escassas, devido ao cansaço dos atletas. Até que a situação complicou para o PSG nos momentos finais. Aos 12 minutos, Mbappé, que vinha a fazer um jogo abaixo do esperado, recebeu o cartão vermelho direto após entrar de sola em Damien da Silva próximo da linha de fundo do Rennes. Sem o camisa 7, Tuchel fez a sua substituição adicional (a troca extra que é permitida na prorrogação) ao colocar Nkunku no lugar de Diaby, que havia entrado no lugar de Dagba no segundo tempo. No entanto, a decisão terminou empatada em 2 a 2 e o campeão da Copa da França precisou ser definido na disputa por pênaltis.

Na série de cinco cobranças, todos os batedores converteram. Pelo lado do Rennes, que começou a bater as penalidades, marcaram Niang, Ben Arfa, Grenier, Lea Siliki e Bensebaini. Enquanto o PSG anotou com Cavani, Daniel Alves, Paredes, Bernat e Neymar. Com todos os tiros convertidos, partiram para as alternadas: Sarr colocou o Rennes em vantagem, mas Nkunku mandou por cima do travessão e deu o terceiro título para o Rennes. Fim da disputa de pênaltis no Stade de France: Rennes 6, Paris Saint-Germain 5. Com isso, o Rennes ergue a sua terceira Copa da França da história. As anteriores aconteceram em 1964-65 e 1970-71.

O Paris Saint-Germain entrou com toda a pinta de favorito na finalíssima da Copa da França contra o modesto Rennes. Credenciado pelo título francês conquistado de forma antecipada, com a volta de um de seus principais jogadores (Neymar), jogando ao lado de casa e um adversário na posição intermediária do campeonato nacional, tudo conspirava a favor do PSG. No primeiro tempo, deu o esperado: pressão da equipe parisiense, vitória que parecia tranquila ao abrir 2 a 0 antes da metade da etapa inicial. O resultado adverso deixou os jogadores do Rennes pilhados e passaram a marcar mais forte o clube da capital e conseguiram vazar o rival que até então não tinha tomado gol no torneio através de um gol contra de Kimpembé. O tento motivou o time da Bretanha para o segundo tempo e o improvável empate veio com o gol do zagueiro Mexer. Com a igualdade, o PSG tentou a vitória, mas o bem postado Rennes conseguiu se segurar e levar a decisão para a prorrogação. No tempo extra, as duas equipes criaram uma chance para cada lado e que, se o gol saísse, certamente seria o do título. Mas a situação complicou para o PSG com a expulsão de Mbappé nos momentos finais da prorrogação. O camisa 7 perdeu alguns gols e não havia feito uma boa partida. Na disputa de pênaltis, todos os batedores converteram suas cobranças, levando para as alternadas, que começou com Sarr marcando para o Rennes e Nkunku, que entrou apenas para bater o pênalti, mandou para fora. Pelo investimento feito e pelas ambições do PSG, a temporada foi decepcionante para o clube. Pois, de quatro títulos disputados na temporada – Campeonato Francês, Copa da Liga Francesa, Copa da França e UEFA Champions League -, o Paris Saint-Germain só ficou com o campeonato nacional.

Nona Fase:
06/01/2019 – Rennes (5)2×2(4) Brest – Roazhon Park, Rennes
Décima Fase:
23/01/2019 – Saint-Pryvé Saint-Hilaire 0x2 Rennes – Stade de la Source, Orléans
Oitavas-de-final:
06/01/2019 – Rennes 2×1 Lille – Roazhon Park, Rennes
Quartas-de-final:
27/01/2019 – Rennes 2×0 US Orléans – Roazhon Park, Rennes
Semifinal:
02/04/2019 – Lyon 2×3 Rennes – Parc Olympique Lyonnais, Décines-Charpieu
Final:
27/04/2019 – Rennes (6)2×2(5) Paris Saint-Germain – Stade de France, Saint-Denis

FICHA TÉCNICA: RENNES (6)2×2(5) PARIS SAINT-GERMAIN
Competição/Fase: Copa da França 2018/2019 – final (jogo único)
Local: Stade de France, Saint-Denis
Data: 27 de abril de 2019, sábado – 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Ruddy Buquet
Cartões Amarelos: Grenier, Mexer, Bourigeaud, André, Niang, Bensebaini e Lea Siliki (Rennes); Verratti, Neymar, Di María e Paredes (Paris Saint-Germain)
Cartão Vermelho: Mbappé (Paris Saint-Germain)
Gols: Daniel Alves, aos 13 min (0-1), Neymar, aos 20 min (0-2), Kimpembé (contra), aos 39 min do 1º tempo (1-2); e Mexer, aos 20 min do 2º tempo (2-2)
Pênaltis convertidos: Niang, Ben Arfa, Grenier, Lea Siliki, Bensebaini e Sarr (Rennes); Cavani, Daniel Alves, Paredes, Bernat e Neymar (Paris Saint-Germain)
Pênalti desperdiçado: Nkunku (Paris Saint-Germain)
RENNES: 40.Koubek; 27.Traoré, 3.Da Silva, 4.Mexer e 15.Bensebaini; 21.André, 8.Grenier, 7.Sarr, 14.Bourigeaud (12.Lea Siliki) e 18.Ben Arfa; 11.Niang. Técnico: Julien Stéphan
PARIS SAINT-GERMAIN: 16.Areola; 31.Dagba (27,Diaby) (24.Nkunku), 5.Marquinhos, 3.Kimpembé e 14.Bernat; 6.Verratti, 13.Daniel Alves e 23.Drexler (9.Cavani); 11.Di María (8.Paredes), 10.Neymar e 7.Mbappé. Técnico: Thomas Tuchel

Parabéns ao Stade Rennais Football Club pela conquista.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Paris Saint-Germain: campeão francês 2018/2019

Jogadores do Paris Saint-Germain posam para a foto oficial. Créditos; @PSG_English

Antes de entrar em campo neste domingo (21) em jogo válido pela 33ª rodada do Campeonato Francês 2018/2019, o Paris Saint-Germain conquistou o seu oitavo campeonato nacional por conta do empate em 0 a 0 entre Lille e Toulouse, em Toulouse, hoje mais cedo e, portanto, não pode ser mais alcançado pelo segundo colocado do certame. Mas, no “jogo do título”, o PSG contou com a jornada inspirada de Mbappé, que fez os três gols da equipe diante do Monaco, que teve seu tento de honra feito por Golovín, neste domingo (21), no Parc des Princes, em Paris. Essa foi o oitavo “Francesão” conquistado pelo multimilionário time da capital francesa.
Antes da partida começar, a torcida do Paris Saint-Germain aplaudiu muito durante a homenagem aos bombeiros, policiais e pessoas que ajudaram no combate ao incêndio da Catedral de Norte-Dame. E as duas equipes entraram em campo com uma homenagem ao templo religioso.

Com a bola rolando, o Monaco quis surpreender logo aos dois minutos com Ballo-Touré que levantou na área, mas Marquinhos afastou. Depois, aos 6, Rony Lopes foi lançado, bateu cruzado, Areola defendeu parcialmente e a zaga alivia na sequência. Após o bom começo do adversário, o PSG entrou no jogo. Aos 8, Subašić se antecipou e cortou antes da chegada de Diaby. Na sequência, Daniel Alves tentou surpreender o goleiro croata e mandou por cima. Foi a última participação do arqueiro no jogo, pois precisou sair por conta de uma lesão na coxa. Mas o seu substituto, Benaglio, nem teve tempo para se aquecer e já precisou buscar a bola nas redes. Aos 15, Mpbappé iniciou o contra-ataque, acionou Diaby e recebeu na área com domínio e tocando com a direita, sem chances para o goleiro. Belo gol do camisa 7.

E o artilheiro do Campeonato Francês estava inspirado e queria mais. Aos 18, ele recebeu na área, mas foi abafado por Benaglio no momento do chute com a esquerda. Mbappé recebey lançamento de Verratti, aos 23, tentou passar por Glik, mas foi desarmado pelo zagueiro do Monaco. No lance seguinte, aos 25, Gerson Martins cruzou e Marquinhos quase marcou contra, mas a redonda foi devagar e permitiu a defesa de Areola.

Depois da boa chance da equipe de Leonardo Jardim, os parisienses partiram para o ataque. Aos 32, Mbappé recebeu ótimo lançamento de Paredes do meio-de-campo, porém, bateu cruzado para fora. No entanto, seis minutos depois, o camisa 7 recebeu de Paredes, tabelou com Daniel Alves e tocou na saída de Benaglio para marcar o seu segundo tento no jogo: 2 a 0 para o PSG.

Com o placar adverso, o clube do Principado até tenta reagir, mas acaba por falhar na conclusão das jogadas, como aos 39, quando Ballo-Touré errou um passe fácil e desperdiçou uma ótima chance para o Monaco. O Paris Saint-Germain respondeu aos 42 com Mbappé, que chutou fraco e sem ânguo para a defesa de Benaglio. E, antes do fim do primeiro tempo, aos 44, o Monaco ainda teve uma boa chance com Gelson Martins, que pegou a sobra na área e obrigou Areola espalmar por cima do gol. Mas a etapa inicial terminou com vitória parcial dos donos da casa por 2 a 0.

Na volta para o segundo tempo, as duas equipes vieram alteradas: pelo PSG Kurzawa deu lugar a Neymar e Carlos Vinícius substituiu o apagado Falcao García. Bastante aplaudido pela torcida, Neymar se esforçou e tentou algumas jogadas, mas o sistema defensivo do Monaco mostrou-se eficiente nos primeiros minutos da etapa complementar.

No entanto, o Paris Saint-Germain fez uma verdadeira blitz. Aos sete, Mbappé avançou pela esquerda, entrou na área e mandou na trave e, na sobra, Daniel Alves tabelou com Dagba e bateu para fora. No minuto seguinte, Diaby marcou após passe de Neymar, mas estava em impedimento. Até que, aos 11, Verratti deu excelente passe para Dani Alves e o lateral brasileiro só rolou para o camisa 7 completar para as redes e fazer o hat-trick: 3 a 0.

Apesar dos três gols sofridos, o Monaco não se abateu e tentou amenizar o prejuízo. Aos 17, Golovín arriscou da entrada da área, mas mandou para longe do gol. Dois minutos depois, a bola ficou “viva” na área do PSG, Carlos Vinícius não conseguiu a finalização e Marquinhos se deu bem no lance. Em outra jogada, aos 24, Golovín, completamente livre na área, desviou de cabeça depois de cruzamento da esquerda. O PSG respondeu no minuto seguinte, Diaby tentou acionar Neymar, mas exagerou na força do passe e o brasileiro, apesar de tentar saltar, não alcançou.

E, justamente no “jogo do título”, o PSG voltou a ter em campo o seu principal trio de ataque: Mbappé, Neymar e Cavani, que voltou a jogar depois de se recuperar de lesão. Mas, aos 35, foi o alvirrubro do Principado que fez o seu gol de honra. Marquinhos bateu cabeça com Kehrer e a bola acabou sobrando para Golovín e o russo não perdoou e fez o tento. A equipe da Cidade-Luz até chegou a marcar o quarto gol aos 40 minutos, mas a arbitragem marcou o impedimento. Daí, a partida seguiu até os 49 minutos com a equipe da casa fazendo a festa. Fim de jogo no Pac des Princes: PSG 3, Monaco 1. O Paris Saint-Germain conquista o Campeonato Francês pela oitava vez.

Depois de tropeçar nos últimos três jogos quando precisaria de apenas dois pontinhos para ser campeão, finalmente, o Paris Saint-Germain conseguiu o objetivo. E isso porque o título já veio antes mesmo de o clube de Paris entrar em campo contra o Monaco. Mas, para não decepcionar seus torcedores mais uma vez, a equipe de Thomas Tuchel entrou em campo em ritmo de treino e em uma tarde inspiradíssima de Mbappé, que anotou três gols no jogo e se isolou ainda mais na artilharia do campeonato ,com 30 gols. O jogo também marcou as voltas de Neymar e Cavani, que ficaram de fora durante boa parte da competição por conta de lesão. Apesar de ter finalizado mais a gol, o poderio ofensivo do Monaco não chegou a incomodar o sistema defensivo do PSG, mas ainda assim, o clube do Principado chegou a descontar com Golovín.

Com a vitória, o PSG chegou aos 84 pontos e, caso vença os cinco jogos restantes, chegará a incrível marca de 99 pontos, o que lhe poderá render a melhor marca da história da Ligue 1. Além disso, o Paris Saint-Germain ainda terá a final da Copa da França, no próximo sábado (27), contra o Rennes.

A seguir, o resumo da campanha, a classificação geral do campeonato* e a ficha técnica do “jogo do título” do campeão.

Data – Jogo – Local:
12/08/2018 – Paris Saint-Germain 3×0 Caen – Parc des Princes, Paris
18/08/2018 – Guingamp 1×3 Paris Saint-Germain – Stade du Roudourou, Guingamp
25/08/2018 – Paris Saint-Germain 3×1 Angers – Parc des Princes, Paris
1º/09/2018 – Nimes Olympique 2×4 Paris Saint-Germain – Stade des Costiêres, Nimes
14/09/2018 – Paris Saint-Germain 4×0 Saint-Etienne – Parc des Princes, Paris
22/09/2018 – Rennes 1×3 Paris Saint-Germain – State de La Route de Lorient, Rennes
26/09/2018 – Paris Saint-Germain 4×1 Reims – Parc des Princes, Paris
29/09/2018 – Nice 0x3 Paris Saint-Germain – Allianz Riviera, Nice
07/10/2018 – Paris Saint-Germain 5×0 Lyon – Parc des Princes, Paris
20/10/2018 – Paris Saint-Germain 5×0 Amiens – Parc des Princes, Paris
28/10/2018 – Olympique de Marseille 0x2 Paris Saint-Germain – Velódrome, Marselha
02/11/2018 – Paris Saint-Germain 2×1 Lille – Parc dos Princes, Paris
11/11/2018 – Monaco 0x4 Paris Saint-Germain – Louis II, Mônaco
24/11/2018 – Paris Saint-Germain 1×0 Toulouse – Parc des Princes, Paris
02/12/2018 – Bourdeaux 2×2 Paris Saint-Germain – Matmut Atlantique, Bordéus
05/12/2018 – Strasbourg 1×1 Paris Saint-Germain – Stade de La Mainau, Estrasburgo
20/02/2018 – Paris Saint-Germain 5×1 Montpellier – Parc des Princes, Paris
12/03/2019 – Dijon 0x4 Paris Saint-Germain – Stade Gaston-Gérard, Dijon
22/12/2018 – Paris Saint-Germain 1×0 Nantes – Parc des Princes, Paris
12/01/2019 – Amiens 0x3 Paris Saint-Germain – Stade de La Licorne, Amiens
19/01/2019 – Paris Saint-Germain 9×0 Guingamp – Parc des Princes, Paris
27/01/2019 – Paris Saint-Germain 4×1 Rennes – Parc des Princes, Paris
03/02/2019 – Lyon 2×1 Paris Saint-Germain – Parc Olympique Lyonnais, Décines-Charpieu
09/02/2019 – Paris Saint-Germain 1×0 Bordeaux – Parc des Princes, Paris
17/02/2019 – Saint-Étienne 0x1 Paris Saint-Germain – Geoffroy Guichard, Saint-Étienne
23/02/2019 – Paris Saint-Germain 3×0 Nimes – Parc des Princes, Paris
02/03/2019 – Caen 1×2 Paris Saint-Germain – Stade Michel D’Ornand, Caen
17/04/2019** – Nantes 3×2 Paris Saint-Germain – Stade de La Beaujoire, Nantes
17/03/2019 – Paris Saint-Germain 3×1 Olympique de Marseille – Parc des Princes, Paris
31/03/2019 – Toulouse 0x1 Paris Saint-Germain – Stade Municipal de Toulouse, Toulouse
07/04/2019 – Paris Saint-Germain 2×2 Strasbourg – Parc des Princes, Paris
14/04/2019 – Lille 5×1 Paris Saint-Germain – Stade Pierre-Mauroy, Villeneuve
20/04/2019 – Paris Saint-Germain 3×1 Monaco – Parc des Princes, Paris
28/04/2019 – Montpellier x Paris Saint-Germain – Stade de La Mosson, Montpellier***
04/05/2019 – Paris Saint-Germain x Nice – Parc des Princes, Paris***
11/05/2019 – Angers x Paris Saint-Germain – Jean-Bouin Stadium, Angers***
18/05/2019 – Paris Saint-Germain x Dijon – Paris Saint-Germain, Paris***
25/05/2019 – Reims x Paris Saint-Germain – Stade Auguste-Delaune II, Reims***
** Partida adiada
*** Partidas a serem disputadas

Pos. – Equipe – Pontos:
1. Paris Saint-Germain – 81 pontos (campeão)
2. Lille – 65
3. Saint-Étienne – 57
4. Lyon – 57
5. Olympique de Marseille – 54
6. Montpellier – 51
7. Reims – 48
8. Nice – 48
9. Nímes – 46
10. Strasbourg – 44
11. Rennes – 43
12. Angers – 41
13. Nantes – 40
14. Bordeaux – 38
15. Toulouse – 36
16. Monaco – 32
17. Amiens – 32
18. Dijon – 28
19. Caen = 26
20. Guingamp – 24
* Até a 33ª rodada

FICHA TÉCNICA: PARIS SAINT-GERMAIN 3×1 MONACO
Competição/Fase: Campeonato Francês 2018/2019 – 33ª rodada
Local: Parc des Princes, Paris, França
Data: 21 de abril de 2019, domingo – 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Benoit Bastiem
Cartão Amarelo: Glik (Monaco)
Gols: Mbappé, aos 15 min (1-0), aos 38 min do 1º tempo (2-0) e aos 11 min do 2º tempo (3-0); e Golovín, aos 35 min do 2º tempo (3-1)
PARIS SAINT-GERMAIN: 16.Aréola; 4.Kehrer, 5.Marquinhos e 3.Kimpembé; 8.Paredes (9.Cavani), 6.Verratti (23.Draxler), 31.Dagba, 20.Kurzawa (10.Neymar), 13.Dani Alves e 27.Diaby; 7.Mbappé. Técnico: Thomas Tuchel
MONACO: 1.Subašić (Benaglio); 39.Henrichs, 25.Glik, 32.Badiashile e 2.Ballo; 15.Silva, 5.Jemerson, 29.Gelson Martins, 7.Rony Lopes e 17.Goloviín. 9.Falcao García. Técnico: Leonardo Jardim

Parabéns ao Paris Saint-Germain Football Club pela conquista.

Por Jorge Almeida

Encerrada a fase de grupos da UEFA Champions League 2018/2019

16 equipes seguem na disputa da competição interclubes mais cobiçada do mundo. Foto: Reprodução/Twitter

Com a realização de dezesseis partidas disputadas neste meio de semana (terça e quarta-feira) válidas pela sexta-rodada da UEFA Europa League 2018/2019, a competição teve os seus 16 classificados para as oitavas-de-final e os oito clubes que irão disputar a segunda fase da UEFA Europa League na sequência da temporada. O sorteio dos confrontos das oitavas-de-final será realizado na próxima segunda-feira (17).

A última rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões teve início nesta terça-feira (11), com a realização de oito jogos que definiram os grupos A, B, C e D. Pelo grupo A, Borussia Dortmund e Atlético de Madrid entraram em campo já classificados, mas as duas equipes brigaram para confirmar a liderança da chave. No Louis II, em Monaco, os aurinegros venceram a equipe do Principado por 2 a 0 com dois gols do português Rafael Guerreiro e chegou aos 13 pontos. Na outra partida, no Estádio Jan Breydel, em Bruges, na Bélgica, o Atlético de Madrid não passou de um empate sem gols com os anfitriões. O resultado deixou o clube de Madri com os mesmos 13 pontos, empatando com o Dortmund na liderança, porém, por conta do critério de desempate, o time alemão foi superior ao derrotar o Atleti por 4 a 0 no confronto direto. Enquanto isso, os Blauw-Zwart terminaram com seis pontos e, por ter ficado em terceiro lugar, irá disputar a Liga Europa.

Pelo grupo B, Internazionale e Tottenham entraram em campo pela segunda vaga – a primeira já estava assegurada para o Barcelona, que ficou com o primeiro lugar, com 14 pontos. Pela circunstância, o clube de Milão tinha tudo a seu favor para ficar com a vaga: jogava em casa contra o já eliminado PSV enquanto os Spurs tinham a “ingrata missão” de pegar o Barça fora de casa. Todavia, no Giuseppe Meazza, Lozano abriu o placar para os camponeses neerlandeses no primeiro tempo, mas Icardi igualou o placar, que deixou os nerazzurri com oito pontos, em terceiro. Já no Camp Nou, o líder e classificadíssimo Barcelona começou com pinta de que iria “atropelar” o Tottenham, mesmo com alguns titulares sendo poupado. Logo aos seis minutos, Dembelé fez 1 a 0 para os blaugranas, mas os Spurs foram se encontrando ao longo da partida equilibrou as ações e conseguiu o empate com o brasileiro Lucas, que saiu do banco de reservas e fez o gol “salvador” aos 39 do segundo tempo. O resultado deixou o clube inglês com a mesma pontuação da Inter, mas seguiram adiante na Champions devido aos critérios de desempate. A Liga Europa serviu como prêmio de consolação para os interistas.

No disputado grupo C, Liverpool e Napoli fizeram o duelo para definir quem se juntaria ao classificado PSG para a próxima fase. E, no Anfield Road, o egípcio Salah fez o gol da vitória dos Reds no primeiro tempo, mas quem ajudou a equipe inglesa foi o goleiro brasileiro Alisson, que fez uma defesa primordial aos 46 minutos do segundo tempo que praticamente garantiu o segundo lugar. Com a vitória, o Liverpool foi aos nove pontos, a mesma da equipe de Nápoles, mas devido ao número de gols marcados (9 a 7), os Reds seguem no torneio, enquanto os napolitanos disputarão a Liga Europa. Na outra partida da chave, o Paris Saint-Germain não tomou conhecimento do Estrela Vermelha e goleou o clube sérvio por 4 a 1 fora de casa. Com um golaço de Neymar e também com tentos anotados por Cavani, Marquinhos e Mbappé para o clude parisiense, enquanto Gobeljić descontou para os mandantes, o PSG terminou a fase de grupos com 11 pontos.

O Porto segue com uma campanha incrível, o que lhe rendeu o status de “campeão” do grupo D, com notáveis 16 pontos. Em uma partida de cinco gols, os Dragões abriram 2 a 0 com gols do ex-corinthiano Felipe e Marega, cobrando pênalti, enquanto Feghouli, também no tiro penal, descontou para os leões ainda no primeiro tempo. Todavia, Sérgio Oliveira aumentou a vantagem portista e Derdiyok descontou para os turcos. No final, no Türk Telecom Arena, vitória do Porto por 3 a 2. Mesmo com a derrota, o Galatasaray manteve os quatro pontos e seguirá na Liga Europa, graças à vitória do Schalke 04 sobre o Lokomotiv Moscou na Arena Aufschalke, em Gelsenkirchen, com o gol da vitória sendo anotado nos acréscimos por Schöpf. O triunfo deixou os azuis-reais na segunda posição do grupo com 11 pontos.

Nesta quarta-feira (12), mais oito partidas ajudaram a definir a situação dos grupos E, F, G e H. Pelo grupo E, Bayern de Munique e Ajax mediram forças para saber quem ficaria no primeiro lugar, uma vez que ambos já entraram em campo classificados. Na Allianz Arena, os dois times fizeram um jogaço, com muitos gols e equilíbrio. O clube da Baviera saiu na frente com Lewandowski, mas com dois gols do sérvio Tadić, os holandeses viraram, mas o polonês empatou novamente, enquanto Coman colocou o time alemão na frente aos 45 do segundo tempo e, no último lance do jogo, Süle marcou contra e deu números finais à partida: 3 a 3. O resultado deixou os bávaros com 14 pontos seguidos dos Godenzonen com 12. No outro embate do grupo, no Estádio da Luz, o Benfica derrotou o AEK Atenas nos minutos finais, com gol de falta de Grimaldo, aos 43 da etapa final. O resultado deixou os Encarnados com sete pontos, em terceiro, e vaga para a Liga Europa. Já os atenienses terminaram com a pior campanha dentre os 32 participantes da fase de grupos: com nenhum ponto ganho, dois gols marcados e saldo negativo de onze gols.

No grupo F, o Manchester City consolidou a sua liderança e fez 13 pontos ao derrotar o Hoffenheim no Etihad Stadium. Os gols dos Citizen, que virou o placar, foram anotados por Sané, enquanto os alemães abriram o placar com o croata Kramarić. O segundo lugar do grupo foi ocupado pelo Lyon, que foi até a Ucrânia medir forças com o Shakhtar Donetsk, e saiu com um empate de lá e chegou aos oito pontos. Os donos da casa saíram na frente com Júnior Moraes e estavam perto da classificação até os 19 do segundo tempo quando Fekir recebeu de Depay e acertou o ângulo esquerdo e marcou um golaço. A igualdade foi fundamental para os franceses, enquanto os ucranianos, que foram seis pontos, asseguraram a Liga Europa.

Atual tricampeão do certame, o Real Madrid ficou com o primeiro lugar do grupo G, com 12 pontos, seguido da Roma, que terminou com nove. Mas os classificados foram surpreendentemente derrotados pelos eliminados Viktoria Plzeň e CSKA Moscou. No Santiago Bernabéu, com um time bastante modificado, os Merengues foram surpreendidos pelos russos e perderam por 3 a 0 (gols de Chalov, Schennikov e Sigurdsson). No entanto, apesar do feito, os Armelets não conseguiram a classificação para a UEFA Europa League devido ao triunfo do Viktoria Plzeň em casa diante da Roma por 2 a 1. Os gols da partida saíram no segundo tempo: Kovařík abriu para os tchecos, Ünder empatou para os romanistas, mas Tomáš Chorý fez o tento da vitória do Vik. Com isso, o Plzeň e o CSKA terminaram a rodada empatados com sete pontos, mas a equipe da República Tcheca irá disputar a Liga Europa por ter ficado à frente dos russos no critério de desempate (confronto direto).

Assim como no grupo G, os classificados do H perderam na rodada derradeira da fase dessa fase. A Juventus, que ficou no topo da chave com 12 pontos, foi superada fora de casa pelo Young Boys por 2 a 1. O protagonista foi o atacante francês Hoarau, que fez os dois gols pelo time suíço, enquanto Dybala descontou para a Juve com um golaço. Cristiano Ronaldo ainda acertou o travessão. Apesar da vitória, o Young Boys, que chegou aos quatro pontos, ficou em último lugar do grupo. E, pelo mesmo placar, o Valencia saiu vitorioso contra o Manchester United no Mestala. Soler e Young (contra) fizeram para o time espanhol, enquanto Rashford, nos momentos finais do jogo, descontou para os Reds Devils. O resultado fez com que os comandados de José Mourinho deixassem a liderança escapar e, com dez pontos, o United vai para o pote 2 no sorteio para os jogos das oitavas-de-final da UEFA Champions League. Já o Valencia, tentará a conquista continental via Europa League.

Com o encerramento da fase de grupos, 16 equipes seguem no sonho em busca da orelhuda. Os confrontos pelas oitavas-de-final acontecerão entre fevereiro e março. Antes disso, a UEFA realizará os sorteios dos confrontos na próxima segunda-feira (17). Os clubes serão divididos em dois potes: no pote 1 ficarão os campeões de cada grupo e o pote 2 os vices. Conforme regulamento, para essa parte do torneio, as equipes que se enfrentaram na fase de grupos não poderão se encontrar novamente, e também não será permitido o embate entre entidades do mesmo país.

A Inglaterra é o país com o maior número de representantes: 4 (Tottenham, Liverpool, Manchester United e Manchester City), seguido de Alemanha (Borussia Dortmund, Schalke 04 e Bayern de Munique) e Espanha (Barcelona, Real Madrid e Atlético de Madrid), com três. E, dos 16 classificados, nove já sentiram o gosto de ter erguido o troféu interclubes mais cobiçado do mundo (Real Madrid, Barcelona, Borussia Dortmund, Liverpool, Porto, Bayern de Munique, Ajax, Juventus e Manchester United).

Com isso, estão classificados para as oitavas-de-final as seguintes equipes: Borussia Dortmund, Barcelona, Paris Saint-Germain, Porto, Bayern de Munique, Manchester City, Real Madrid e Juventus (pote 1); enquanto Atlético de Madrid, Tottenham, Liverpool, Schalke 04, Ajax, Lyon, Roma e Manchester United estarão no pote 2. Para a UEFA Europa League se classificaram: Club Brugge, Internazionale de Milão, Napoli, Galatasaray, Benfica, Shakhtar Donetsk, Roma e Valencia.

A seguir, os resultados da sexta rodada da fase de grupos e a classificação final dessa etapa da competição.

Grupo A:
1. Borussia Dortmund (ALE) – 13 pontos
2. Atlético de Madrid (ESP) – 13
3. Club Brugge (BÉL) – 6
4. Monaco (FRA) – 1

Grupo B:
1. Barcelona (ESP) – 14
2. Tottenham (ING) – 8
3. Internazionale (ITÁ) – 8
4. PSV Eindhoven (HOL) – 2

Grupo C:
1. Paris Saint-Germain (FRA) – 11
2. Liverpool (ING) – 9
3. Napoli (ITÁ) – 9
4. Estrela Vermelha (SÉR) – 4

Grupo D:
1. Porto (POR) – 16
2. Schalke 04 (ALE) – 11
3. Galatasaray (TUR) – 4
4. Lokomotiv Moscou (RÚS) – 3

Grupo E:
1. Bayern de Munique (ALE) – 14
2. Ajax (HOL) – 12
3. Benfica (POR) – 7
4. AEK Atenas (GRÉ) – 0

Grupo F:
1. Manchester City (ING) – 13
2. Lyon (FRA) – 8
3. Shakhtar Donetsk (UCR) – 6
4. Hoffenheim (ALE) – 3

Grupo G:
1. Real Madrid (ESP) – 12
2. Roma (ITÁ) – 9
3. Viktoria Plzeň (REP) – 7
4. CSKA Moscou (RÚS) – 7

Grupo H:
1. Juventus (ITÁ) – 12
2. Manchester United (ING) – 10
3. Valencia (ESP) – 8
4. Young Boys (SUÍ) – 4

Data – Jogo – Local;
11/12/2018 – Monaco (FRA) 0x2 Bourssia Dortmund (ALE) – Louis II, Mônaco (MON)
11/12/2018 – Club Brugge (BÉL) 0x0 Atlético de Madrid (ESP) – Jan Breydel, Bruges (BÉL)
11/12/2018 – Internazionale (ITÁ) 1×1 PSV Eindhoven – Giuseppe Meazza, Milão (ITÁ)
11/12/2018 – Barcelona (ESP) 1×1 Tottenham (ING) – Camp Nou, Barcelona (ESP)
11/12/2018 – Liverpool (ING) 1×0 Napoli (ITÁ) – Anfield Road, Liverpool (ING)
11/12/2018 – Estrela Vermelha (SÉR) 1×4 Paris Saint-Germain – Rajko Mitić, Belgrado (SÉR)
11/12/2018 – Schalke 04 (ALE) 1×0 Lokomotiv Moscou – Aufschalke Arena, Gelsenkirchen (ALE)
11/12/2018 – Galatasaray (TUR) 2×3 Porto (POR) – Türk Telekom Arena, Istambul (TUR)
12/12/2018 – Ajax (HOL) 3×3 Bayern de Munique (ALE) – Amsterdam Arena, Amsterdam (HOL)
12/12/2018 – Benfica (POR) 1×0 AEK Atenas (GRÉ) – Estádio da Luz, Lisboa (POR)
12/12/2018 – Shakhtar Donetsk (UCR) 1×1 Lyon (FRA) – Metalist Stadion, Carcóvia (UCR)
12/12/2018 – Manchester City (ING) 2×1 Hoffenheim (ALE) – Etihad Stadium, Manchester (ING)
12/12/2018 – Real Madrid (ESP) 0x3 CSKA Moscou (RÚS) – Santiago Bernabéu, Madri (ESP)
12/12/2018 – Viktoria Plzeň (REP) 2×1 Roma (ITÁ) – Doosan Arena, Plzeň (REP)
12/12/2018 – Valencia (ESP) 2×1 Manchester United (ING) – Mestalla, Valência (ESP)
12/12/2018 – Young Boys (SUÍ) 2×1 Juventus (ITÁ) – Stade de Suisse, Berna (SUÍ)

Parabéns aos classificados.

Por Jorge Almeida

Paris Saint-Germain: campeão da Supercopa da França 2018

Jogadores do PSG comemoram o título da Supercopa da França, na China. Créditos: @PSG_Inside

No primeiro jogo oficial da temporada 2018/2019 do futebol francês, o Paris Saint-Germain goleou o Monaco por 4 a 0 na partida que valia o título da Supercopa da França, o Trophée des Champions. A decisão ocorreu neste sábado (4) no Shenzhen Universiade Sports Centre, em Shenzhen, na China. Os gols do confronto foram marcados por Di María, autor de dois tentos, Nkunku e Weah. Com a conquista, o PSG ergue o seu oitavo troféu do torneio, sendo o sexto de forma seguida.

A primeira oportunidade do jogo veio do PSG. Aos 5, Di María chegou bem depois de jogada com Verratti e Rabiot, e o camisa 11 tentou com o pé esquerdo e a bola saiu ao lado do gol. O Monaco tentou aos 12. Tielemans recebeu da esquerda, entrou na área livre, finalizou para fora. A equipe parisiense deu o troco em seguida, aos 14. Di María recebeu, girou e bateu no canto, mas o goleiro Benaglio fez grande defesa.

O jogo seguiu equilibrado com as duas equipes alternando bons momentos. Aos 22, depois boa troca de passes no campo ofensivo, Pelé recebeu na entrada da área e bateu sobre o gol de Buffon. O time da capital francesa respondeu dois minutos depois. Dagba avançou pela direita em direação à area e, quando chegou perto de Benaglio, Jemerson travou o chute.

Até que, aos 31, Rabiot foi derrubado perto da área. Falta perigosa. Na cobrança, Di Mária mandou no canto esquerdo de Benaglio, que pulou, mas não alcançou. O PSG larga na frente na decisão da Supercopa.

O clube alvirrubro tentou reagir imediatamente com o revés sofrido. Rony Lopes recebeu, aos 34, cruzamento da direita, se antecipou à defesa do Paris e finalizou com perigo, tirando tinta da trave de Buffon.

Depois do gol marcado, o PSG demonstrou mais tranquilidade e permitiu a equipe do Principado ficar com a bola, mas sempre visando o contragolpe. Aos 39, Nsonki recebeu na esquerda e cruzou rasteiro para Nkunku colocar o pé na redonda e aumentar a vantagem do Paris: 2 a 0.

Mesmo com o placar favorável, o Paris Saint-Germain continuou na pressão. Aos 41, Rabiot fez grande jogada e lançou na área, mas o arqueiro do Monaco chegou bem para fazer a interceptação. Na sequência, Di María foi lançado sozinho na área e Benaglio fez uma defesa excepcional, porém, a arbitragem marcara impedimento do argentino corretamente. E o primeiro tempo terminou com vitória parcial do PSG por 2 a 0.

Precisando reverter a situação de sua equipe, o técnico português Leonardo Jardim promoveu duas alterações no intervalo: entraram Diop e Baldé nos lugares de Pelé e Grandsir, respectivamente.  Nos momentos iniciais da etapa complementar, a estretégia do comandante parecia que daria certo. No primeiro minuto, o Monaco voltou com perigo e Jovetić finalizou da entrada da área para grande defesa de Buffon. Mas a reação do Monaco parou por aí. Pois, a seguir, o domínio foi todo do PSG.

Aos 7, Di María tentou de fora da área e Benaglio saltou no canto esquerdo para fazer boa defesa. Nos minutos seguintes, as duas equipes caíram de produção. Até que, aos 21, Nsoki recebeu na ponta esquerda, passou por Raggi, entrou na área e rolou para Weah completar para o fundo das redes. Foi o terceiro tento do Paris Saint-Germain, que deita e rola na China.

E a pressão seguiu. Aos 24 Di María soltou a bomba e o bomBenaglio fez outra boa defesa. No lance seguinte, aos 25, Verratti passou como quis pela defesa do Monaco e rolou para Nkunku, que deu uma pancada e parou no poste esquerdo do camisa 16 do Monaco.

Depois do apavoro, o PSG segurou o freio e ficou só a administrar o resultado. Com o placar (e o título) nas mãos, o técnico alemão Thomas Tuchel colocou Bernede e Neymar em campo. Aliás, o brasileiro voltou a fazer uma partida pelos les rouge-et-bleu depois de quase seis meses após ter se lesionado em um jogo contra o Olympique de Marseille.

Em seu retorno à equipe parisiense, Neymar voltou timidamente, embora tenha tentado fazer algumas jogadas individuais. Enquanto isso, o PSG só administrou o resultado. E mais: antes do término da partida, o inspirado Di María teve tempo de fazer o seu segundo gol na decisão. Aos 46 minutos, o Paris Saint-Germain ainda encontrou fôlego para sair em contra-ataque, puxado por Rabiot, que mandou para Di María receber na área, deslocar de Benaglio, e decretar a goleada e o jogo. Final de partida no Shenzhen Universiade Sports Centre: Paris Saint-Germain 4, Monaco 0. Com o resultado, o time vermelho e azul conquista o seu oitavo título da Supercopa da França, sendo o sexto de forma consecutiva, e ainda se iguala ao Lyon, como os maiores vencedores da competição.

Depois de sofrer nas mãos do rival na temporada passada, com a perda do título francês, da edição passada da Supercopa da França e uma goleada impiedosa por 7 a 1, o Monaco tinha uma excelente oportunidade de conseguir uma revanche diante do Paris Saint-Germain com a decisão deste ano do Trophée des Champions, uma vez que o PSG veio para o jogo desfalcado de alguns de seus principais jogadores – Cavani, Mbappé, Dani Alves, por exemplo, e outros que entraram no decorrer do jogo, como Neymar e Marquinhos. Nos 30 minutos iniciais, o time alvirrubro conseguiu fazer um jogo equilibrado com o rival da capital, criando boas chances. Mas, um golaço de falta de Di María, aos 33 minutos do primeiro tempo, mudou o andamento da partida. Depois do gol sofrido, o Monaco ainda criou uma chance com Rony Lopes, mas foi pouco. Em seguida, ainda na etapa inicial, viu Nkunku marcar o segundo dos parisienses. O treinador Leonardo Jardim até tentou corrigir a equipe na volta para o segundo tempo promovendo duas alterações, mas os comandados de Thomas Tuchel estavam a dominar todas as ações da partida e não permitiram quaisquer chances de reação do clube do Principado. E manteve o ritmo do primeiro tempo e ainda conseguiu mais dois gols. Primeiro com Weah, filho do lendário liberiano George Weah – ídolo dos dois times e melhor jogador do mundo de 1995 -, que fez o seu primeiro gol como profissional. E Di María consolidou a goleada nos acréscimos. Então, o tão esperado “troco” do Monaco do PSG não veio dessa vez e, por outro lado, os “caminhões de dinheiro” do Paris Saint-Germain fazem com que sua soberania na terra dos atuais campeões mundiais perdure. Então, para os torcedores do PSG só falta uma conquista para consolidar o clube dentre os gigantes da Europa: a tão sonhada UEFA Champions League, façanha que apenas o Olympique de Marseille conseguiu no futebol francês até hoje.
Considerado como um dos principais reforços no futebol francês, essa foi a primeira conquista de “Il capitano” Gianluigi Buffon no Paris Saint-Germain e o 24º título como profissional. Se Gigi conseguir ajudar o PSG a ganhar a Champions, rapaz…, isso sim será histórico, para ambos.

A seguir, a ficha técnica da decisão.

FICHA TÉCNICA: PARIS SAINT-GERMAIN 4×0 MONACO
Competição/Fase: Supercopa da França (Trophée des Champions) 2018 – final (jogo único)
Local: Shenzhen Universiade Sports Centre, Shenzhen, China
Data: 4 de agosto de 2018, sábado – 9h (horário de Brasília)
Árbitro: Ruddy Buquet (FRA)
Assistentes: Guillaume Debart (FRA) e Julien Pacelli (FRA)
Cartões Amarelos: Aholou (Monaco)
Gols: Di María, aos 33 min do 1º tempo (1-0) e aos 47 min do 2º tempo (4-0); Nkunku, aos 40 min do 1º tempo (2-0); e Weah, aos 23 min do 2º tempo (3-0)
PARIS SAINT-GERMAIN: 30.Buffon; 34.Dagba, 2.Thiago Silva (33.Bernede), 37.Rimane e 36.N’Soki; 19.Diarra (5.Marquinhos), 6.Verratti (10.Neymar) e 25.Rabiot; 24.Nkunku, 11.Di María e 21.Weah. Técnico: Thomas Tuchel
MONACO: 16.Benaglio; 5.Jemerson, 21.Serrano, 24.Raggi e 25.Glik; 4;Aholou, 8.Tielemans, 28.Pelé (36.Diop) e 29.Grandsir (14.Baldé); 10.Jovetić e 20 Rony Lopes (22.Mboula). Técnico: Leonardo Jardim

Parabéns ao Paris Saint-Germain pelo título.

Por Jorge Almeida

Paris Saint-Germain: campeão da Copa da Liga Francesa 2017/2018

Jogadores do PSG comemoram o título da Copa da Liga Francesa. Foto: Reuters

Em final de jogo único disputado no Nouveau Stade de Bordeaux, em Bordeaux, na França, neste sábado (31), pela Copa da Liga Francesa 2017/2018, o Paris Saint-Germain goleou o Monaco por 3 a 0, com dois gols de Cavani e um de Di María, e conquistou o torneio pela oitava vez em sua história, sendo o quinto consecutivo, e manteve a sua hegemonia do certame. Além desse torneio, o PSG ainda poderá erguer duas taças em seu país nesta temporada: o Campeonato Francês, onde lidera com folga, e a Copa da França, em que é semifinalista.

Com os melhores elencos do futebol francês, PSG e Monaco mantiveram o favoritismo e chegaram à decisão da Copa da Liga Francesa. Mas, ao rolar a bola, a equipe parisiense fez prevalecer a sua soberania na competição e, logo aos quatro minutos, já armara para o time do Principado. Mbappé fez jogada individual pelo meio, passou por Glik e foi derrubado. O árbitro Clément Turpin marcou pênalti, porém, recorreu ao VAR e, depois de três minutos, apontou para a marca da cal. Pênalti confirmado. Na cobrança, Cavani não bateu bem, Subašić chegou até tocar na bola, mas não conseguiu pegar o tiro do uruguaio. Paris Saint-Germain inaugura o placar na decisão.

Os Les Rouge-et-Bleu mantiveram o controle do jogo e, apesar da vantagem parcial, ditaram o ritmo, chegando a incríveis 72% de posse de bola. E, em menos de 15 minutos do tento inaugural, praticamente sacramentou o título ao anotar o segundo gol. Aos 21 minutos, Mbappé partiu em contra-ataque e deu um excelente passe às costas da defesa do Monaco para Di María, que apareceu sozinho na ponta esquerda, entrou na área e bateu rasteiro sem chances para o goleiro: 2 a 0.

Os Parisienses passaram a tocar a bola à espera do momento certo para dar o bote, mas o clube alvirrubro, finalmente, entrou no jogo e passou a ameaçar o time da capital francesa. Aos 34, o brasileiro naturalizado português Rony Lopes recebeu um passe açurado de João Moutinho e ficou cara-a-cara com Trapp, o camisa 20 tentou cobrir o arqueiro alemão e a bola caprichosamente tirou tinta da trave. Que chance desperdiçada pelo Monaco.

Na sequência, foi a vez de Cavani perder um gol feito. Daniel Alves cruzou para Mbappé, que dominou, viu o camisa 9 melhor colocado na pequena área e rolou, mas o uruguaio foi atrapalhado pelo ex-atleticano Jemerson e mandou para fora.

O Monaco chegou ao gol aos 37 minutos com Falcao García, mas após ser avisado pelo árbitro de vídeo, juiz anulou o gol e confirmou que o colombiano estava em impedimento. Mas o time de Leonardo Jardim tentou mais uma vez aos 41 com Lemar, que chutou para Trapp espalmar para escanteio.

E, antes do intervalo, aos 44, o PSG ainda teve outra oportunidade. Berchiche foi ao fundo pela esquerda e rolou para trás para Draxler bater de primeira e Subašić defender com os pés e evitar uma goleada ainda no primeiro tempo.

Na volta do intervalo, Leonardo Jardim tirou o meia Tielemans e colocou o atacante Jovetić para tentar amenizar o prejuízo. Mas quem esteve mais perto do gol foi o PSG, Jemerson vacilou, foi desarmado, a bola sobrou para Drexler, que acionou Cavani, que cruzou rasteiro para Di María que estava pronto para finalizar, mas Sidibé fez o desvio salvador e impediu o segundo gol do camisa 11 no jogo.

O Monaco adiantou a marcação e dificultou a saída de bola do PSG, que passou a tentar explorar os contragolpes através de Mbappé. Aos 10, Draxler tabelou com Pastore, substituto de Di María, passou por dois marcadores e chutou forte, mas Falcao García desviou para escanteio. O Monaco deu o troco em seguida. Rony Lopes driblou Berchiche da direita para a esquerda e bateu de chapa e mandou a redonda no travessão e saiu. Contudo, a partida seguiu “lá e cá” e, aos 14, foi a vez do Paris atacar. Thiago Silva deu passe em profundidade para Mbappé, o camisa 29 entrou na área, chutou cruzado e bola cruzou toda a pequena área sem ninguém para completar para as redes.

Depois de momentos intensos protagonizados pelas equipes, a partida deu uma queda de andamento e o PSG passou a tocar a bola e a administrar o jogo com segurança. Aos 29, Cavani até balançou as redes, mas estava impedido. Aos 35, o time do Monaco pediu toque de mão de Cavani dentro da área após bola cruzada, mas o árbitro mandou o jogo seguir.

E aos 40 minutos, a confirmação do título. Mbappé fez boa jogada e tocou para Cavani, que ao dominar e ajeitar tirou de Jemerson e, caindo, conseguiu finalizar e marcar o seu segundo gol na decisão. Daí foi só esperar o término do jogo para o PSG comemorar o oitavo título da Copa da Liga Francesa, sendo o quinto de forma consecutiva.

As duas equipes fizeram um jogão em Bordeaux, com chances de gol para cada lado e o PSG sendo mais eficiente, além de ter criado mais. O VAR entrou em ação duas vezes e, acertadamente, confirmou o pênalti marcado para os parisienses e o impedimento de Falcao no que seria o gol do Monaco. Contudo, a partida ficou paralisada ao todo cerca de cinco minutos por conta das decisões envolvendo o árbitro de vídeo nos dois lances. No segundo tempo, a equipe do Principado até tentou, mas o adversário estava melhor no jogo e mostrou porque é disparado a melhor equipe da França. E sem contar que o PSG jogou desfalcado de Neymar, o jogador mais caro do clube.

Agora as atenções dos dois clubes estarão voltadas para o Campeonato Francês, uma vez que ambos estão fora dos torneios europeus (o Olympique de Marseille é o único francês que segue em busca de um título continental via Liga Europa). O próximo jogo do Monaco será na próxima quarta-feira (4) contra o Rennes pela 31ª rodada, enquanto isso, o Paris Saint-Germain, que jogou a mesma rodada antecipadamente no último dia 14, entrará em campo na próxima sexta-feira (6) diante do Saint-Étienne. Aliás, o PSG, que lidera o campeonato nacional com 83 pontos poderá confirmar o título francês justamente diante do Monaco em jogo válido pela 33ª rodada, que será disputada no dia 15 de abril no Parc des Princes, em Paris. Se vencer os dois próximos jogos, a equipe parisiense será campeã com cinco rodadas de antecedência, uma vez que o time vermelho e branco é o atual vice-líder, com 66 pontos, e, em caso de derrota, não poderá alcançar o time de Neymar, Cavani e cia., e sem contar que ainda tem a Copa da França, torneio do qual o PSG é semifinalista e tentará a vaga na decisão contra o Caen no dia 18 de abril, logo, há uma possibilidade de uma Tríplice Coroa para o clube parisiense.

E uma atenção especial para Daniel Alves, lateral-direito do PSG: com o título da Copa da Liga Francesa, o brasileiro conquista o 36º troféu no futebol profissional (37 se contar o Mundial Sub-20 de 2003) e é o futebolista mais vitorioso da atualidade e, em 2018, ele pode aumentar esse número para 40, pois ainda tem o Campeonato Francês, a Copa da França, o Troféu dos Campeões e aquela que é mais cobiçada de todas: a Copa do Mundo, esta pela Seleção Brasileira, claro.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão.

Oitavas-de-final:
13/12/2017 – Strasbourg 2×4 Paris Saint-Germain – Stade de la Meinau, Strasbourg
Quartas-de-final:
10/01/2018 – Amiens 0x2 Paris Saint-Germain – Stade de la Licorne, Amiens
Semifinal:
30/01/2018 – Rennes 2×3 Paris Saint-Germain – Roazhon Park, Rennes
Final:
31/03/2018 – Paris Saint-Germain 3×0 Monaco – Nouveau Stade de Bordeaux, Bordeaux

FICHA TÉCNICA: PARIS SAINT-GERMAIN 3×0 MONACO
Competição/Fase: Copa da Liga Francesa 2017-2018 – final (jogo único)
Local: Nouveau Stade de Bordeaux, Bordeaux, França
Data: 31 de março de 2018, sábado – 16h05 (horário de Brasília)
Árbitro: Clément Turpin
Assistentes: Nicolas Danos e Cyril Gringore
Cartões Amarelos: Glik, Falcao García e Raggi (Monaco)
Gols: Cavani, de pênalti, aos 8 min do 1º tempo (1-0) e aos 40 min do 2º tempo (3-0); e Di María, aos 21 min do 1º tempo (2-0)
PARIS SAINT-GERMAIN: 1.Trapp; 32.Dani Alves, 2.Thiago Silva, 3.Kimpembe e 17.Berchiche; 25.Rabiot, 6.Verratti (18.Lo Celso) e 23.Draxler (19.Diarra); 29.Mbappé, 11.Di María (27.Pastore) e 9.Cavani. Técnico: Unai Emery
MONACO: 1.Subašić; 19.Sidibé, 25.Glik, 5.Jemerson e 24.Raggi; 2.Fabinho, 17.Tielemans (10.Jovetić), 20.Rony Lopes (15.Diakhaby), 27.Lemar e 8.João Moutinho (7.Ghezzal); 9.Falcao García. Técnico: Leonardo Jardim

Parabéns ao Paris Saint-Germain Football Club pelo título.

Por Jorge Almeida

Fim da fase de grupos da UEFA Champions League 2017/2018

Apenas 16 equipes seguem na luta na maior competição interclubes do mundo

Com a realização da última rodada dos grupos E, F, G e H disputada nesta quarta-feira (6), chegou ao fim a fase de grupos da UEFA Champions League 2017/2018. Na terça-feira, foram realizados oito partidas que ajudaram a definir os representantes dos grupos A, B, C e D. Conforme prevê o regulamento, os duelos das oitavas-de-final serão determinados através de sorteio que acontecerá na próxima segunda-feira (11) na sede da UEFA, em Nyon, na Suíça. Os terceiros colocados de cada grupo irão disputar a segunda fase da UEFA Europa League da atual temporada.

No grupo A, o Manchester United consolidou o favoritismo e terminou na liderança com 15 pontos. Os Reds Devils derrotaram os russos do CSKA por 2 a 1 nesta terça-feira (5). No outro jogo do grupo, o Benfica, mais uma vez, perdeu. Dessa vez o revés foi para o Basel no Estádio da Luz por 2 a 0. Com isso, os Encarnados terminaram com a pior campanha da fase de grupos, com nenhum ponto em seis partidas disputadas. O Basel seguirá junto com o United na competição. Enquanto isso, o CSKA vai para a Liga Europa.

Pelo grupo B, o PSG perdeu os 100% de aproveitamento ao ser derrotado no Allianz Arena, em Munique, para o Bayern por 3 a 1 na terça-feira (5). O resultado deixou as duas equipes na liderança do grupo, com 15 pontos cada, mas com o time francês no primeiro lugar devido ao maior saldo de gols. Enquanto isso, o Celtic foi surpreendido em casa pelo Anderlecht ao ser superado pelo placar de 1 a 0. A equipe belga fez os seus primeiros três pontos no torneio. Contudo, embora o clube escocês tenha os mesmos três pontos, ele terminou em terceiro lugar no grupo B e tentará a sorte na segunda competição de clubes mais importante do Velho Continente.

O equilibrado grupo C foi encerrado também na terça-feira (5). Com 11 pontos, Roma e Chelsea estarão nas oitavas-de-final da UEFA Champions League. Os Blues empataram em 1 a 1 com o Atlético de Madrid no Stamford Bridge. Já a Roma derrotou o já eliminado Qarabağ, do Azerbaijão, por 1 a 0. A vitória romanista foi o suficiente para os giallorosso ficarem no primeiro lugar do grupo. Os Colchoneros voltarão a disputar a Liga Europa.

O Barcelona, apesar de não ter os 100% de aproveitamento, manteve a invencibilidade e confirmou o seu favoritismo ao derrotar o Sporting no Camp Nou por 2 a 0 e confirmar o primeiro lugar do grupo D, com 14 pontos. O segundo lugar ficou com a Juventus, que foi até a Grécia para derrotar o Olympiacos por 2 a 0 e a Vecchia Signora foi aos 11 pontos. Com 7 pontos, o Sporting, terceiro colocado, disputará a outra competição europeia.

Hoje, foi a vez do grupo E ter a sua situação definida. Assim como o Barça, o também pentacampeão da Europa Liverpool, mantém a invencibilidade no torneio e, com 12 pontos, foi o campeão do grupo. Na última rodada, o time inglês não teve dó e mandou impiedosos 7 a 0 para cima do Spartak Moscou no Anfield Road. Apesar da goleada, o time russo ficou em terceiro lugar, com 6 pontos, e vai para a Liga Europa. O outro representante do grupo E na Champions será o Sevilla, que empatou em 1 a 1 com o já eliminado Maribor, no Stadion Ljudski vrt, na Eslovênia, e chegou aos nove pontos.

Com campanha semelhante ao seu arquirrival, com cinco vitórias e uma derrota, o Manchester City foi derrotado pelo Shakhtar Donetsk por 2 a 1 nesta quarta-feira (6), mas, apesar da derrota, a equipe de Pep Guardiola ficou com o primeiro lugar do grupo F com 15 pontos, seguido justamente pelo time ucraniano, que foi aos 12 pontos. Na outra partida do grupo, o Feyenoord levou a melhor diante do Napoli em casa por 2 a 1, porém, os italianos, com 6 pontos, ficaram em terceiro.

No grupo G, o surpreendente Beşiktaş, da Turquia, ficou com o primeiro lugar com 14 pontos e também mantém a invencibilidade. A equipe turca foi até a Red Bull Arena, em Leipzig, para vencer o RB Leipzig por 2 a 1. O resultado favoreceu o Porto, que deu um chocolate de 5 a 2 no Monaco, no Estádio do Dragão e foi a dez pontos. Dependendo de uma possível combinação de resultados, os dragões poderiam ter ficado em terceiro, mas o time português fez a sua parte e só dependeu de si para avançar.

E, pelo grupo H, o Tottenham fez mais uma vítima em Wembley. Os Spurs golearam o APOEL por 3 a 0 e foi aos 16 pontos e, até aqui, é o dono da melhor campanha do certame (cinco vitórias e um empate). E o Real Madrid, cotado como o grande favorito para ser o campeão do grupo, ficou com o segundo lugar, com 13 pontos. Mas os Merengues não tiveram a sua classificação ameaçada porque o Borussia Dortmund só fez míseros dois pontos em seis partidas. Aliás, o confronto entre os dois, disputado nesta quarta-feira, no Santiago Bernabéu, em Madri, terminou com a vitória do Real por 3 a 2. E, apesar da pontuação baixa, o Borussia vai para a Liga Europa por ter um saldo melhor (ou menos pior?) que o APOEL.

O sorteio para os confrontos das oitavas-de-final é bem simples. Para essa fase, não poderá ter confrontos de clubes do mesmo país e nem do mesmo grupo, o que limita bastante as possibilidades de confrontos. O Real Madrid, por exemplo, que ficou em segundo no grupo H, só não poderá pegar o Barcelona (por ser do mesmo país) e nem o Tottenham (do mesmo grupo). Já as chances de confrontos do Chelsea, vice-campeão do grupo C, são mais limitadas: os Blues necessariamente enfrentarão o Paris Saint-Germain, o Beşiktaş ou o Barcelona, uma vez que a Roma foi do mesmo grupo e os outros times, assim como o Chelsea, são ingleses.

Portanto, para o pote 1 estão garantidos os nomes de Manchester United, Paris Saint-Germain, Roma, Barcelona, Liverpool, Manchester City, Beşiktaş e Tottenham. E o pote terá os segundo colocados de cada grupo: Basel, Bayern de Munique, Chelsea, Juventus, Sevilla, Shakhtar Donetsk, Porto e Real Madrid.

E se classificaram para a UEFA Europa League: CSKA Moscou, Celtic, Atlético de Madrid, Sporting, Spartak Moscou, RB Leipzig, Napoli e Borussia Dortmund.

Aliás, a Inglaterra é o país que tem mais representantes a partir de agora na UEFA Champions League: 5 (Manchester United, Manchester City, Liverpool, Tottenham e Chelsea); a Espanha tem três (Barcelona, Real Madrid e Sevilla); a Itália tem dois (Roma e Juventus); e com um representante estão Portugal (Porto), Ucrânia (Shakhtar Donetsk), Turquia (Beşiktaş), França (Paris Saint-Germain), Alemanha (Bayern de Munique) e Suíça (Basel).

A seguir, os resultados da última rodada e a classificação final da fase de grupos.

Data – Jogo – Local:
05/12/2017 – Manchester United (ING) 2×1 CSKA Moscou (RÚS) – Old Trafford, Manchester
05/12/2017 – Benfica (POR) 0x2 Basel (SUÍ) – Estádio da Luz, Lisboa
05/12/2017 – Bayern de Munique (ALE) 3×1 Paris Saint-Germain (FRA) – Allianz Arena, Munique
05/12/2017 – Celtic (ESC) 0x1 Anderlecht (BÉL) – Celtic Park, Glasgow
05/12/2017 – Chelsea (ING) 1×1 Atlético de Madrid (ESP) – Stamford Bridge, Londres
05/12/2017 – Roma (ITÁ) 1×0 Qarabağ (AZE) – Estádio Olímpico, Roma
05/12/2017 – Barcelona (ESP) 2×0 Sporting (POR) – Camp Nou, Barcelona
05/12/2017 – Olympiacos (GRÉ) 0x2 Juventus (ITÁ) – Estádio Karaiskákis, Pireu
06/12/2017 – Maribor (ESL) 1×1 Sevilla (ESP) – Stadion Ljudski vrt, Maribor
06/12/2017 – Liverpool (ING) 7×0 Spartak Moscou (RÚS) – Anfield Road, Liverpool
06/12/2017 – Feyenoord (HOL) 2×1 Napoli (ITÁ) – Estádio De Kuip, Roterdã
06/12/2017 – Shakhtar Donetsk (UCR) 2×1 Manchester City (ING) – Estádio Metalist, Carcóvia
06/12/2017 – RB Leipzig (ALE) 1×2 Beşiktaş (TUR) – Red Bull Arena, Leipzig
06/12/2017 – Porto (POR) 5×2 Monaco (FRA) – Estádio do Dragão, Porto
06/12/2017 – Real Madrid (ESP) 3×2 Borussia Dortmund (ALE) – Estádio Santiago Bernabéu, Madri
06/12/2017 – Tottenham (ING) 3×0 APOEL (CHI) – Estádio de Wembley, Londres

Classificação:
Grupo A:
1. Manchester United (ING) – 15 pontos
2. Basel (SUÍ) – 12
3. CSKA Moscou – 9
4. Benfica (POR) – 0

Grupo B:
1. Paris Saint-Germain (FRA) – 15 pontos
2. Bayern de Munique (ALE) – 15
3. Celtic (ESC) – 3
4. Anderlecht (BÉL) – 3

Grupo C:
1. Roma (ITÁ) – 11 pontos
2. Chelsea (ING) – 11
3. Atlético de Madrid (ESP) – 7
4. Qarabağ (AZE) – 2

Grupo D:
1. Barcelona (ESP) – 14 pontos
2. Juventus (ITÁ) – 11
3. Sporting (POR) – 7
4. Olympiakos – 1

Grupo E:
1. Liverpool (ING) – 12 pontos
2. Sevilla (ESP) – 9
3. Spartak Moscou (RÚS) – 6
4. Maribor (ESL) – 3

Grupo F:
1. Manchester City (ING) – 15 pontos
2. Shakhtar Donetsk (UCR) – 12
3. Napoli (ITÁ) – 6
4. Feyenoord (HOL) – 3

Grupo G:
1. Beşiktaş (TUR) – 14 pontos
2. Porto (POR) – 10
3. RB Leipzig (ALE) – 7
4. Monaco (FRA) – 2

Grupo H:
1. Tottenham (ING) – 16 pontos
2. Real Madrid (ESP) – 13
3. Borussia Dortmund (ALE) – 2
4. APOEL (CHI) – 2

Parabéns a todos os classificados.

Por Jorge Almeida

Paris Saint-Germain: campeão da Supercopa da França 2017

O Paris Saint-Germain conquistou a sua sétima Supercopa da França, sendo a quinta consecutiva

De virada, o Paris Saint-Germain derrotou o Monaco por 2 a 1 neste sábado (29) e conquistou a Supercopa da França 2017, no Grand Stade de Tânger, em Tânger, no Marrocos. Os gols da partida foram marcados por Sidibé para a equipe do Principado, enquanto o estreante Daniel Alves e Rabiot fizeram os tentos para o PSG. O clube parisiense conquistou a competição pela sétima vez em sua história, sendo a quinta de forma consecutiva.

Com menos de um minuto de jogo, o Monaco deu a primeira finalização ao gol. Verratti vacilou e Lemar pegou de primeira para mandar por cima do travessão. Aos 4, a equipe alvirrubra chegou até a balançar as redes. Lemar tocou para Mbappé, que bateu no canto de Areola, mas o camisa 10 estavam em impedimento.

O PSG respondeu no lance seguinte. Kurzawa tocou de calcanhar para Rabiot, que cruzou da esquerda para Dani Alves chutar de primeira no meio da área, Subašić defendeu parcialmente, soltou, se recuperou antes da chegada de Cavani e deu um tapa para escanteio.

O time parisiense aproveitou que o fato de ter mais entrosamento do que o rival, que está se reconstruindo e tentou impor seu jogo, mas a partida ficou truncada porque a bola não chegou para Cavani tentar finalizar. Aos 14, o Paris Saint-Germain avançou em um contragolpe, Kurzawa partiu em velocidade pela esquerda e tocou na área para o atacante uruguaio, mas o ex-atleticano Jemerson chegou bem na travada e mandou para escanteio. O Monaco deu o troco no minuto seguinte com Falcao García, que tentou o passe para Mbappé, que avançava livre, mas Verratti cortou e a redonda sobrou para o camisa 9, mas ele pegou de primeira e mandou para longe do gol.

O atual campeão da Copa da França manteve a posse da bola, mas encontrava dificuldades de penetrar na defesa do campeão francês, que tentava encaixar um contra-ataque, o que aconteceu com eficiência aos 29 minutos. Tielemans deu um belo lançamento para Sidibé, que apareceu nas costas da defesa parisiense e deu um leve toque por cobertura na saída de Areola para fazer 1 a 0 para a equipe do Principado.

Depois do gol sofrido, o PSG tentou reagir logo e foi para cima. Primeiro tentou com Cavani através de uma cobrança de falta aos 36, mas a bola foi por cima. Assim, ficou sujeito a tomar os contragolpes do Monaco, que até tentou, mas Sidibé foi flagrado em impedimento após passe de Mbappé, aos 38. Quatro minutos depois, Dani Alves cobrou falta para a área, o goleiro Subašić se enrolou com Glik, a bola quase sobrou para Marquinhos, mas a redonda bateu no peito do camisa 5 e ficou com o arqueiro do Monaco. Dessa forma, a primeira etapa terminou com vitória parcial da equipe do Principado.

Assim como foi na etapa inicial, o Monaco tentou o gol logo no primeiro minuto. Sidibé cruzou da direita, Falcao García apareceu livre na área, mas cabeceou por cima da meta de Areola. Pouco tempo depois, os parisienses chegaram ao empate através do estreante Daniel Alves. Em cobrança de falta de longe, o brasileiro chutou forte, Subašić não conseguiu alcançar a bola e o placar ficou igualado no Grand Stade de Tanger.

O empate motivou o PSG, que partiu para cima e, pouco tempo depois, em um contra-ataque só não fez o segundo gol com Cavani porque o uruguaio foi derrubado por Glik perto da área. Na cobrança da falta, Daniel Alves acertou a barreira.

O Monaco tentou se recuperar do baque e passou a pressionar a saída de bola do rival. Em uma jogada dessa, aos 11, recuperou a bola no ataque, Sidibé cruzou da direita, Thiago Motta cortou, porém, Tielemans, na sobra, mandou de primeira da entrada da área para fora.

Depois da chance da equipe de Leonardo Jardim, o PSG foi para cima e criou três oportunidades seguidas e chegou à virada. Aos 15, Daniel Alves faz o cruzamento da direita, Rabiot se adianta à marcação de Glik, cabeceia, mas manda para fora. Na sequência, Pastore deu uma caneta e tocou para Daniel Alves na direita, o camisa 32 fez um levantamento muito fechado e quase surpreendeu Subašić, que deu um tapa para escanteio. Mas, aos 18, Meunier acionou Daniel Alves na linha de fundo, que fez o cruzamento para Rabiot livre na área para cabecear firme e virar o jogo para o clube da capital francesa, 2 a 1.

Mesmo com a vantagem, o PSG ainda tentou partir para cima do Monaco, que ficou esperando para contra-atacar. Aos 31, os rouge-et-bleus estiveram perto do terceiro, Meunier cruzou na medida para Cavani, mas o polonês Glik fez o corte de cabeça primordial e evitou o terceiro tento do Paris Saint-Germain.

Quatro minutos depois, Lemar cobrou escanteio, Carrillo, que substituiu o apagado Mbappé, cabeceou no canto, Areola fez grande defesa, no rebote, Saint-Maximin (substituto de Sidibé) tentou a finalização, mas foi travado no momento certo por Thiago Silva, que mandou a esférica para escanteio. Os rouge-et-blanc insistiram para buscar o empate. Aos 42, Lemar cruzou rasteiro, Marquinhos cortou, a bola voltou para o camisa 27, que dessa vez tentou pelo alto, mas Falcao García cabeceou para fora.

O Paris Saint-Germain seguiu a administrar o jogo e, aos 47, quase deu o tiro de misericórdia com Nkunku, que entrou no lugar de Verratti, que recebeu na esquerda, cortou a marcação para tentar um chute colocado, mas a redonda passou raspando. Foi a última finalização do jogo, que terminou com vitória do Paris Saint-Germain, de virada, por 2 a 1.

Pela segunda vez na história, a Supercopa da França foi decidida no Marrocos. A primeira aconteceu em 2011, quando o Olympique de Marseille bateu o Lille por incríveis 5 a 4. E nessa atual edição, um confronto inédito: o campeão francês Monaco contra o campeão da Copa da França, o PSG. O time de Paris entrou com um ligeiro favoritismo por conta de ter um melhor entrosamento que o adversário, que perdeu peças importantes do time base que levou o campeonato nacional na temporada passada. Além disso, o técnico Unai Emery tinha a seu favor um triunfo chamado Dani Alves, que fez um belo gol em sua estreia na equipe da Cidade-luz. No entanto, não foi uma tarefa fácil. O Monaco tinha uma proposta bem definida de jogo: contra-ataque. Isso deu certo no primeiro tempo, quando a equipe do Principado de Mônaco fez 1 a 0 com Sidibé. Mas o empate dos parisienses no começo da etapa final foi motivador para a busca da virada, que veio através de Rabiot, após cruzamento perfeito de Daniel Alves, que atuou em uma nova função, praticamente um ponta direita. Dessa maneira, a temporada 2017-2018 do futebol francês começou bem para o PSG, que ainda poderá ter um grande reforço para as disputas das competições que virão pela frente: Neymar.

Com o título, o Paris Saint-Germain conquistou a sua sétima Supercopa da França, a quinta de forma consecutiva, e fica apenas a um troféu do Lyon, o maior vencedor do torneio, com oito taças.

A seguir, a ficha técnica da final.

FICHA TÉCNICA: MONACO 1×2 PARIS SAINT-GERMAIN
Competição/fase: Supercopa da França 2017 – final (jogo único)
Local: Grand Stade de Tanger, Tânger, Marrocos
Data: 29 de julho de 2017, sábado – 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Noureddine el Jaafari (Marrocos)
Auxiliares: Hicham Ait Abbou e Lahcen Azgadu, ambos do Marrocos
Cartões Amarelos: Sidibé, Glik e Fabinho (Monaco); Verratti (Paris SG)
Gols: Sidibé, aos 30 min do 1º tempo (1-0); Dani Alves, aos 6 min do 2º tempo (1-1); e Rabiot, aos 18 min do 2º tempo (1-2)
MONACO: 1.Subašić; 38.Traoré, 25.Glik, 5.Jemerson e 4.Kongolo (20.Rony Lopes); 17.Tielemans, 2.Fabinho, 19.Sidibé (12.Saint-Maximin) e 27.Lemar; 9.Falcao García e 10.Mbappé (11.Carrillo). Técnico: Leonardo Jardim
PARIS SAINT-GERMAIN: 16.Areola; 12.Meunier, 5.Marquinhos, 2.Thiago Silva e 20.Kurzawa; 8.Thiago Motta (14.Matuidi), 6.Verratti (24.Nkunku) e 25.Rabiot; 32.Dani Alves, 10.Pastore (15.Gonzalo Guedes) e 9.Cavani. Técnico: Unai Emery

Parabéns ao Paris Saint-Germain Football Club.

Por Jorge Almeida