Motörhead: 30 anos de “Rock ‘N’ Roll”, o álbum

“Rock ‘N’ Roll”: o álbum que marca a volta de Phil “Philthy Animal” Taylor ao Motörhead

Já que estamos às vésperas da data que seria o 72º aniversário do saudoso Lemmy Kilmister, então, vamos falar de Motörhead, mais precisamente dos 30 anos do álbum “Rock ‘N’ Roll”, o oitavo trabalho de estúdio da banda, que saiu em 5 de setembro de 1987, e foi o último lançamento com a GWR, devido a questões legais que atrapalharam o grupo com mais uma gravadora. Gravado ao longo de 1987 no Master Rock Studios e no Redwood Studios, em Londres, o material foi produzido pela banda em conjunto com Guy Bidmead. Esse foi o último disco gravado pelo grupo antes de Kilmister se mudar da Grã-Bretanha para Los Angeles.

Em 1987, Lemmy Kilmister fez uma “pontinha” no filme “Eat The Rich”, do comediante Peter Richardson, como “Spider”, e que trazia o elenco de The Comic Strip. Para a película, a banda compôs a faixa homônima e, em sua trilha sonora, trazia faixas de “Orgasmatron” e o single do álbum solo de “Würzel, “Bess”. Ao longo do processo, Peter Gil foi demitido da banda e Phil “Philthy Animal” Taylor voltou para o grupo. Lemmy encontrou Taylor que, na época, estava tocando com Frankie Miller e o ex-guitarrista do Thin Lizzy, Brian “Robbo” Robertson, e confessou ao amigo que queria voltar. E o líder do Motörhead não titubeou em trazer o baterista de volta, pois ele estava tendo problemas com Gil.

O estúdio Redwood, em Londres, um dos quais fora utilizado pela banda durante a gravação do disco tinha como um dos proprietários Michael Palin. O engenheiro de som que ajudou a banda havia atuado em todos os trabalhos do Monty Python, grupo humorístico que Palin fez parte, e apresentou ao grupo várias faixas que nunca foram gravadas pelos Pythons. Palin foi convidado a descer para fazer uma recitação para o álbum. E ele apareceu vestido com um uniforme de jogador de críquete da década de 1940: um suéter com gola “V” e com o cabelo penteado para um lado. Lemmy se recordou de Palin adentrando no estúdio e perguntando: “Olá, que tipo de coisa faremos agora, então?”, e respondeu-lhe, “Bem, você sabe em The Meaning of Life, tinha esse discurso que começava com “Oh, Senhor -“. Ao que Palin respondeu “Ah! Me dê uma catedral”, e começou a gravar o seu discurso (“Oh, Lord, look down upon these people from Motörhead“). Aliás, esse falso discurso de Palin, intitulado como “Blessing”, em algumas versões aparece como faixa 5 do lado A (nas versões em vinil e K7) ou como faixa oculta inserida no final de “Stone Deaf In The USA” ou no início de “The Wolf”, sendo que nessas versões não aparece creditado no encarte. Porém, há edições do álbum que o discurso aparece como faixa 5 e, consequentemente, deixa o CD com 10 em vez de nove faixas.

Aliás, o imbróglio entre o Motörhead e a GWR começou em 1988. Em dois de julho daquele ano, a banda fez parte do line-up do Giants of Rock Festival, em Hämeenlinna, na Finlândia. As faixas foram lançadas como “No Sleep At All”, em 15 de outubro de 1988. O single do disco planejado pela banda era “Traitor” no lado A, mas, em vez disso foi escolhido “Ace Of Spades”. Ao perceber a mudança feita pela gravadora, os caras se recusaram que fosse permitido o lançamento desse single nas lojas, foi retirado das prateleiras e disponibilizado apenas na turnê “No Sleep At All” e pelo fã-clube Motörheadbangers. Isso durou entre o biênio 1989-1990 e um processo judicial com a GWR se seguiu, que só foi solucionado em meados de 1990.

Sobre “Rock ‘N’ Roll”, no documentário “Motörhead: The Guts And The Glory” (2003), o guitarrista Phil Campbell disse que, embora não seja um ótimo álbum, havia coisas que ele gostava. Já Lemmy, em depoimento na autobiografia “White Line Fever” (2002), escrita em co-autoria com Janiss Garza, comentou que o play tinha “algumas músicas fantásticas”, como “Dogs”, “Boogeyman” e “Traitor”, que tocaram “durante anos”, mas que, no geral, ele simplesmente parecia não funcionar.

Mas, apesar de estar no rol de clássicos do Motörhead, como um “Ace Of Spades” ou “Overkill“, o registro contém 35 minutos do mais puro rock ‘n’ roll, executado da forma visceral e fazendo jus ao nome do álbum. A começar com a faixa-título, que abre o play: pedrada na orelha. Assim como a que encerra o disco, “Boogeyman“. Mas os principais destaques ficam por conta das citadas “Stone Deaf In The USA” e “Dogs” e a “canção de amor”, mas que não é balada, “All For You“, com seu riff de guitarra cativante, “Eat The Rich”, que ganhou um videoclipe, que teve partes do filme de Robertson inserida, e a narração de Michael Palin em “Blessing“. Em “Boogeyman“, os três solos de guitarra foram executados pelo trio Würzel, Campbell e Lemmy (sim, o próprio). No álbum, Würzel e Campbell fizeram revezamentos nas partes de guitarra solo, de base e no slide guitar.

Em 1996, “Rock ‘N’ Roll” foi relançado pela Castle Communications com duas faixas bônus; “Cradle To The Grave” e a longa “Just ‘Cos You’ve Got The Power“, ambas faziam parte do lado B do single de “Eat The Rich”. Dez anos depois, o disco foi relançado também pela Sanctuary Records, que trazia um CD bônus, que começava justamente com essas duas faixas. O restante do material é acrescido de uma apresentação que o Motörhead fez no Monster Of Rock de 1986 em Castle Donington. Na época, Peter Gil ainda estava na bateria e o grupo divulgava a turnê de “Orgasmatron”. Sempre bom reforçar que, alguns clássicos da banda nessa apresentação, como “Ace Of Spades” e “Bite The Bullet”, gravadas originalmente com um guitarrista, ali, ganhou mais velocidade, pois eram executadas por dois guitarristas.

Essa versão da Sanctuary apresenta um encarte magnânimo aos fãs por conter diversas fotos que exibem o espírito “motörheadbanger” da época, além de imagens de pôsteres e de reprodução de produtos de memorabilia, como backstage passes, resenhas, capas de single, setlists, etc, e o texto assinado por Malcolm Dome. E foi o último da série de relançamento lançados pela Sanctuary.

E, apesar da aparição de Lemmy Kilmister em um filme de comédia que tem o mesmo nome de um single e de uma faixa do álbum do Motörhead – “Eat The Rich” -, “Rock ‘N’ Roll” não foi um sucesso comercial, assim como os dois últimos trabalhos do grupo, pois alcançou apenas a modesta 34ª posição nas paradas do Reino Unido, teve a pior performance de todos os principais trabalhos da banda. Apesar de a Grã-Bretanha ter “perdido o interesse” no grupo, os fãs norte-americanos se demonstraram mais dispostos em ir aos shows e comprar os álbuns do grupo, o que renovou a esperança comercial do Motörhead nos Estados Unidos que, talvez, tenha motivado a mudança de Lemmy Kilmister para Los Angeles.

Apesar de, na época, ser composto por um quarteto de respeito, o Motörhead passou por uns perrengues no final dos anos 1980, pois ficaram sem lançar nenhum material novo até 1991, quando saiu o álbum “1916”.

Porém, embora não tenha sido um sucesso de crítica e de vendas, “Rock ‘N’ Roll” é sim um grande disco de rock. Apesar de ter sido menos inspirado, ainda é superior a muitos álbuns de bandas do mainstream.

A seguir, a ficha técnica e o tracklist (versão da Sanctuary) da obra.

Álbum: Rock ‘N’ Roll
Intérprete: Motörhead
Lançamento: 5 de setembro de 1987
Gravadora/Distribuidora: GWR / Castle (relançamento de 1996) / Sanctuary (relançamento de 2006)
Produtores: Motörhead e Guy Bidmead

Lemmy Kilmister: baixo, voz e guitarra solo em “Boogeyman
Phil “Wizzö” Campbell: guitarra e slide guitar em “Eat The Rich
Würzel: guitarra e slide guitar em “Stone Deaf In The USA
Phil “Philthy Animal” Taylor: bateria

Peter Gil: bateria (faixas de 3 a 15 do CD 2)
Michael Palin: narração em “Blessing

CD 1:
1. Rock ‘N’ Roll (Kilmister / Burston / Campbell / Taylor)
2. Eat The Rich (Kilmister / Burston / Campbell / Taylor)
3. Blackheart (Kilmister / Burston / Campbell / Taylor)
4. Stone Deaf In The USA (Kilmister / Burston / Campbell / Taylor)
5. Blessing (Palin) – não creditado em algumas edições
6. The Wolf (Kilmister / Burston / Campbell / Taylor)
7. Traitor (Kilmister / Burston / Campbell / Taylor)
8. Dogs (Kilmister / Burston / Campbell / Taylor)
9. All For You (Kilmister / Burston / Campbell / Taylor)
10. Boogeyman (Kilmister / Burston / Campbell / Taylor)

CD 2:
1. Cradle To The Grave (Kilmister / Burston / Campbell / Taylor)
2. Just ‘Cos You Got The Power (Kilmister / Burston / Campbell / Taylor)
3. Iron Fist (Kilmister / Clarke / Taylor)
4. Stay Clean (Kilmister / Clarke / Taylor)
5. Nothing Up My Sleeve (Kilmister / Burston / Campbell / Gil)
6. Metropolis (Kilmister / Clarke / Taylor)
7. Doctor Rock (Kilmister / Burston / Campbell / Gil)
8. Killed By Death (Kilmister / Burston / Campbell / Gil)
9. Ace Of Spades (Kilmister / Clarke / Taylor)
10. Steal Your Face (Kilmister / Burston / Campbell / Gil)
11. Bite The Bullet (Kilmister / Clarke / Taylor)
12. Built For Speed (Kilmister / Burston / Campbell / Gil)
13. Orgasmatron (Kilmister / Burston / Campbell / Gil)
14. No Class (Kilmister / Clarke / Taylor)
15. Motörhead (Kilmister)

Por Jorge Almeida