Juventus: campeã italiana 2018/2019

A Juventus chegou à incrível marca de oito títulos italianos consecutivos. Créditos: @juventusfc

A Juventus conquistou neste sábado (20) pela oitava vez consecutiva o Campeonato Italiano, o 35º Scudetto dos bianconeros, ao derrotar, de virada, a Fiorentina por 2 a 1, no Allianz Stadium, em Turim, em compromisso válido pela 33ª rodada da Série A 2018/2019. Os gols da partida foram marcados por Milenković para a equipe viola, enquanto Alex Sandro e Pezzella (contra) viraram para os donos da casa.

Em jogo com clima de festa no Allianz Stadium, os torcedores da Vecchia Signora foram surpreendidos logo aos cinco minutos quando Milenković fez o primeiro gol da partida. Depois de cruzamento da esquerda, Chiesa dividiu com a defesa bianconera e sobrou para o camisa 4, sozinho, mandar a redonda para as redes e jogando água no chope dos anfitriões. O gol motivou o time Viola, que não se intimidou com a vantagem e seguiu no ataque. Aos 10, Chiesa puxou o contragolpe e rolou para Mirallas chutar com perigo sobre a meta de Szczesny que, minutos depois, sentiu dores na mão direita após pisão de Rugani no gol da Fiorentina, mas o arqueiro conseguiu dar continuidade na peleja.

Depois do sufoco dos visitantes, a Juve acordou para o jogo e tratou de responder aos 20, com Bernardeschi em jogada individual para chutar rasteiro e tirar tinta da trave. Cinco minutos depois, Simeone chegou a balançar as redes para o clube de Florença, mas estava em impedimento. Então, a Juventus resolveu adiantar a marcação para pressionar a saída de jogo do adversário para, logo, buscar o empate ainda na etapa inicial.

Todavia, a Fiorentina conseguiu segurar a equipe bianconera, que abusou nas jogadas aéreas, e surpreendia no campo de ataque. Aos 33, Chiesa recebeu de Simeone e arriscou da entrada da área e acertou a trave. Quase o segundo gol da Viola. No entanto, a eficiência defensiva da equipe de Vincenzo Montella sucumbiu aos 36 minutos. Em escanteio batido por Pjanić na primeira trave, o lateral-esquerdo brasileiro Alex Sandro deu um peixinho e mandou a bola no cantinho de Lafont e empatou o jogo. A igualdade já seria o suficiente para assegurar o caneco para a Velha Senhora.

Apesar do gol sofrido, a Fiorentina não se entregou e tentou reagir logo. Aos 42, Chiesa dominou na área, atacou e soltou a bomba, mas a redonda explodiu no travessão e, na sobra, Simeone mandou para fora. Foi a segunda bola na trave dos visitantes. Mas, o primeiro tempo terminou com o empate em 1 a 1.

Na volta do intervalo, a Juventus voltou com outra postura, demonstrando mais vontade e disposto a conseguir a virada, que chegou aos sete minutos. Cristiano Ronaldo avançou pela ponta, passou por Milenković, cruzou rasteiro visando Bernardeschi, mas Pezzella tentou impedir que a bola chegasse ao camisa 33 e acabou marcando contra. Virada da Vecchia Signora em Turim: 2 a 1 e o título cada vez mais próximo.

A valente Fiorentina foi em busca da tentativa do empate. Aos 16, Chiesa atacou pelo meio e chutou para Szczesny fazer a defesa. A Juve respondeu em seguida com o seu trio de ataque (CR7, Bernardeschi e Cuadrado), mas a zaga viola aliviou o perigo ao ceder o escanteio. Na sequência, Pjanić acertou um chute potente da entrada da área para Lafont espalmar para o córner.

Após as sequências de substituições dos dois times, o jogo deu uma acalmada, com a Juventus “cozinhando” o galo e a torcida bianconera começando a festa nas arquibancadas para comemorar o octacampeonato que estara cada vez mais próximo.

Entretando, aos 44, Dabo quase acabou com o clima festivo da arena. Aos 44, o camisa 14 ficou cara a cara com Szczesny, porém, o arqueiro polonês salvou a pátria alvinegra ao defender com os pés. Praticamente uma comemoração de um gol dos fãs da Vecchia Signora. No entanto, o jogo seguiu até os 48 minutos, quando o árbitro decretou o fim de jogo em Turim. Juventus 2, Fiorentina 1. A Juve conquista o oitavo Calcio de forma consecutiva e amplia a sua soberania na terra da Bota.

A Juventus parecia ter entrado em campo ainda com dor de cabeça com a eliminação surpreendente em casa para o Ajax na quarta-feira pela UEFA Champions League, pois, logo de cara foi surpreendida com o gol imediato da Fiorentina, aos cinco minutos. E, ao longo da etapa inicial, a Viola foi superior até o gol de empate dos bianconeros, marcado por Alex Sandro. No segundo tempo, a situação mudou, a Juve foi para cima disposta a virar a partida e conseguiu logo aos sete minutos através do gol contra de Pezzella. A equipe de Florença sentiu o golpe enquanto o time de Turim só administrou o resultado para conquistar o ‘scudetto’ com cinco rodadas de antecedência.

O feito da Juventus, os oito títulos italianos consecutivos, é inédito na história da seis principais ligas do futebol europeu (italiano, alemão, português, espanhol, francês e português). Inclusive, se a hegemonia da Juve na Itália, não vai demorar muito para o clube de Turim colocar em sua camisa a quarta stella d’Oro al mérito sportivo (aquela estrela que os clubes italianos ganham a cada dez ‘scudettos’ conquistados). Aliás, coincidentemente, todos os oito ‘scudettos’ ganhos pela Juve foram conquistados desde a inauguração de sua nova casa, em 2011. Contratado para conduzir os bianconeros a conquistar o tão sonhado tricampeonato europeu, Cristiano Ronaldo não conseguiu ajudar a equipe ao topo do futebol continental, mas, desde quando chegou a Turim, o gajo português abocanhou o seu segundo troféu pelo clube italiano (o primeiro havia sido a Supercopa da Itália, em janeiro, contra o Milan).

Com a vitória, a Juventus chegou aos 87 pontos, fazendo 20 a mais em relação ao Napoli, segundo colocado, que só tem mais 18 pontos a disputar e, evidentemente, não tem como mais alcançar a Vecchia Signora, detentora agora de 35 ‘scudettos’. Enquanto a Fiorentina segue na posição intermediária da tabela e com o jejum de dois meses sem vencer.

A próxima partida dos agora octacampeões será diante da Internazionale no próximo sábado (27), no Giuseppe Meazza, em Milão. Enquanto isso, a Fiorentina receberá no Artemio Franchi o Sassuolo na segunda-feira, dia 29 de abril.

A seguir, a classificação do Campeonato Italiano 2018/2019 até o momento, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da partida do título da Juventus.

Posição – Equipe – Pontos:
1. Juventus – 87 pontos (campeão)
2. Napoli – 67
3. Internazionale – 61
4. Milan – 56
5. Roma – 55
6. Torino – 53
7. Atalanta – 53
8. Lazio – 52
9. Sampdoria – 48
10. Cagliari – 40
11. Fiorentina – 40
12. Sassuolo – 38
13. SPAL – 38
14. Parma – 36
15. Genoa – 34
16. Bologna – 34
17. Udinese – 33
18. Empoli – 29
19. Frosinone – 23
20. Chievo – 17

Data – Jogo – Local:
18/08/2018 – Chievo 2×3 Juventus – Marcantonio Bentegoni, Verona
25/08/2018 – Juventus 2×0 Lazio – Allianz Stadium, Turim
1º/09/2018 – Parma 1×2 Juventus – Ennio Tardini, Parma
16/09/2018 – Juventus 2×1 Sassuolo – Allianz Stadium, Turim
23/09/2018 – Frusinone 0x2 Juventus- Benito Stirpe, Frusinone
26/09/2018 – Juventus 2×0 Bologna – Allianz Stadium, Turim
29/09/2018 – Juventus 2×1 Napoli – Allianz Stadium, Turim
06/10/2018 – Udinese 0x2 Juventus – Friuli, Udine
20/10/2018 – Juventus 1×1 Genoa – Allianz Stadium, Turim
27/10/2018 – Empoli 1×2 Juventus – Carlo Castellani, Empoli
03/11/2018 – Juventus 3×1 Cagliari – Allianz Stadiun, Turim
11/11/2018 – Milan 0x2 Juventus – San Siro, Milão
24/11/2018 – Juventus 2×0 SPAL – Allianz Stadium, Turim
1º/12/2018 – Fiorentina 0x3 Juventus – Artemio Franchi, Florença
07/12/2018 – Juventus 1×0 Internazionale – Allianz Stadium, Turim
15/12/2018 – Torino 0x2 Juventus – Olímpico, Turim
22/12/2018 – Juventus 1×0 Roma – Allianz Stadium, Turim
26/12/2018 – Atalanta 2×2 Juventus – Atleti Azzurri d’Itália, Bérgamo
29/12/2018 – Juventus 2×1 Sampdoria – Allianz Stadium, Turim
21/01/2019 – Juventus 3×0 Chievo – Allianz Stadium, Turim
27/01/2019 – Lazio 1×2 Juventus – Olímpico, Roma
02/02/2019 – Juventus 3×3 Parma – Allianz Stadium, Turim
10/02/2019 – Sassuolo 0x3 Juventus – Cittá del Tricolore, Reggio Emilia
15/02/2019 – Juventus 3×0 Frosinone – Allianz Stadium, Turim
24/02/2019 – Bologna 0x1 Juventus – Renato Dall’Ara, Bolonha
03/03/2019 – San Paolo 1×2 Juventus – San Paolo, Nápoles
08/03/2019 – Juventus 4×1 Udinese – Allianz Stadium, Turim
17/03/2019 – Genoa 2×0 Juventus – Luigi Ferraris, Gênova
30/03/2019 – Juventus 1×0 Empoli – Allianz Stadium, Turim
02/04/2019 – Cagliari 0x2 Juventus – Sardegna Arena, Cagliari
06/04/2019 – Juventus 2×1 Milan – Allianz Stadium, Turim
13/04/2019 – SPAL 2×1 Juventus – Paolo Mazza, Ferrara
20/04/2019 – Juventus 2×1 Fiorentina – Allianz Stadium, Turim
27/04/2019* – Internazionale x Juventus – Giuseppe Meazza, Milão
04/05/2019* – Juventus x Torino – Allianz Stadium, Turim
12/05/2019* – Roma x Juventus – Olímpico, Roma
18/05/2019* – Juventus x Atalanta – Allianz Stadium, Turim
25/05/2019* – Sampdoria x Juventus – Luigi Ferraris, Gênova
* Jogos a serem disputados

FICHA TÉCNICA: JUVENTUS 2×1 FIORENTINA
Competição/Fase: Campeonato Italiano 2018/2019 – 33ª rodada
Local: Allianz Stadium, Turim, Itália
Data: 20 de abril de 2019, sábado – 13h (horário de Brasília)
Árbitro: Fabrizio Pasqua
Auxiliares: Luca Mondin e Alessandro Lo Cícero
Cartão Amarelo: Gerson (Fiorentina)
Gols: Milenković, aos 5 min (0-1) e Alex Sandro, aos 36 min do 1º tempo (1-1); Pezzella (contra), aos 7 min do 2º tempo (2-1)
JUVENTUS: 1;Szczesny; 20.João Cancelo, 24.Rugani, 19.Bonucci e 12.Alex Sandro; 5.Pjanić (30.Bentancur), 23.Emre Can e 14.Matuidi; 16.Cuadrado (2.De Sciglio), 33.Bernardeschi (18.Kean) e 7.Cristiano Ronaldo. Técnico: Massimiliano Allegri
FIORENTINA: 1.Lafont; 4.Milenković, 20.Pezzella e 5.Ceccherini; 17.Veretout, 14.Dabo, 24.Bernassi (8.Gerson), 25.Chiesa (29.Muriel) e 16.Hancko; 9.Simeone e 11.Mirallas (26.Edimilson Fernandes). Técnico: Vincenzo Montella

Parabéns ao Juventus Football Club pela conquista.

Por Jorge Almeida

Anúncios

River Plate: campeão da Copa Sulamericana 2014

Jogadores do River Plate com a taça de campeão da Copa Sulamericana. Foto: AFP
Jogadores do River Plate com a taça de campeão da Copa Sulamericana. Foto: AFP

Com gols de Mercado e Pezzella, o River Plate, da Argentina, derrotou o Atlético Nacional, da Colômbia, por 2 a 0 na noite desta quarta-feira (10) no Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires, e conquistou pela primeira vez a Copa Sulamericana, e de forma invicta. Como havia empatado o confronto de ida em 1 a 1, em Medelín, a equipe argentina fez 3 a 1 no placar agregado e levou o título. Assim, os Millonarios quebraram um tabu que já durava 17 anos sem títulos internacionais (o último havia sido a extinta Supercopa da Libertadores de 1997).

A partida começou com o River Plate com mais posse de bola e criando boas oportunidades, mas o Atlético Nacional mostrou-se um time “encardido” e perigoso nos contragolpes. Na etapa inicial, a equipe argentina criou as melhores chances. A primeira dela veio aos 15 minutos com Mora, que foi lançado pela direita, chutou forte e cruzado, mas Armani espalmou. Os anfitriões continuaram a marcar presença no campo de ataque enquanto os visitantes se defendiam. Quinze minutos depois, o River chegou mais uma vez com perigo com Téo Gutierrez. O colombiano invadiu a área pela esquerda, deixou o marcador no chão e bateu no canto esquerdo do arqueiro do Atlético Nacional, que fez bela defesa.

A primeira investida perigosa do clube colombiano aconteceu aos 32 minutos. Ruiz ajeitou da entrada da área, finalizou no canto esquerdo, mas a bola passou perto da trave esquerda da meta dos Millonarios. Depois de equilibrar as ações do jogo, os colombianos chegaram novamente. Aos 39, Berrio passou para Cardona, dentro da área, que chutou para Barovero fazer bela defesa. E, antes do término do primeiro tempo, o River Plate atacou com Gutiérrez, mas parou em Armani.

Nos primeiros minutos do segundo tempo, os Verdolagas até ameaçaram o time da casa, mas a possibilidade de manter a invencibilidade de sete jogos na Argentina sucumbiu aos nove minutos. Escanteio para o River Plate, Pisculichi cobrou o córner e Mercado cabeceou firme no lado esquerdo de Armani que não conseguiu alcançar e levou o Monumental de Núñez à loucura. Quatro minutos mais tarde, praticamente um ‘replay’ do tento inaugural da decisão: Pisculichi cobrou escanteio e Pezzella, também de cabeça, fez 2 a 0.

O segundo tento do River praticamente acabou com as possibilidades de reação do Atlético Nacional, que só se limitou a trocar passes e, praticamente, sem ameaçar a meta defendida por Barovero. Já a equipe argentina recuou, passou a valorizar a posse de bola e ficou à espera de um contragolpe, mas só conseguiu uma finalização perigosa aos 31 com Murillo, que desviou a falta cobrada por Pisculichi. Daí em diante, só bastou aos Millonarios aguardar o apito final do árbitro para comemorar o título inédito (e invicto) e quebrar o tabu de 17 anos sem conquistas internacionais.

Depois de amargurar uma segunda divisão no campeonato nacional de seu País, o River Plate deu a volta por cima e, além do bicampeonato argentino, o clube conquista a Copa Sulamericana com uma campanha impecável. Tecnicamente superior ao oponente desta decisão, o time de Marcelo Gallardo não sofreu muito no confronto contra o Atlético Nacional e confirmou o favoritismo. Depois de testemunharem a soberania das equipes brasileiras nas últimas edições da Libertadores, a conquista do River serviu para coroar o excelente ano do futebol argentino, que viu sua seleção ser vice-campeão da Copa do Mundo e, dias depois, assistiu o San Lorenzo erguer pela primeira vez em sua história a cobiçada Taça Libertadores da América.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da grande final.

Segunda fase:
03/09/2014 – Godoy Cruz (ARG) 0x1 River Plate (ARG) – Estádio Malvinas Argentinas, Mendoza (Argentina)
17/09/2014 – River Plate (ARG) 2×0 Godoy Cruz (ARG) – Estádio Monumental de Núñez, Buenos Aires (Argentina)
Oitavas-de-final:
16/10/2014 – Libertad (PAR) 1×3 River Plate (ARG) – Estádio Dr. Nicolás Leóz, Assunção (Paraguai)
22/10/2014 – River Plate (ARG) 2×0 Libertad (PAR) – Estádio Monumental de Núñez, Buenos Aires (Argentina)
Quartas-de-final:
29/10/2014 – Estudiantes (ARG) 1×3 River Plate (ARG) – Estádio Ciudad de La Plata, La Plata (Argentina)
06/11/2014 – River Plate (ARG) 3×2 Estudiantes (ARG) – Estádio Monumental de Núñez, Buenos Aires (Argentina)
Semifinais:
20/11/2014 – Boca Juniors (ARG) 0x0 River Plate (ARG) – Estádio La Bombonera, Buenos Aires (Argentina)
27/11/2014 – River Plate (ARG) 1×0 Boca Juniors (ARG) – Estádio Monumental de Núñez, Buenos Aires (Argentina)
Finais:
03/12/2014 – Atlético Nacional (COL) 1×1 River Plate (ARG) – Estádio Atanasio Girardot, Medelín (Colômbia)
10/12/2014 – River Plate (ARG) 2×0 Atlético Nacional (COL) – Estádio Monumental de Núñez, Buenos Aires (Argentina)

FICHA TÉCNICA: RIVER PLATE (ARG) 2×0 ATLÉTICO NACIONAL (COL)
Competição/fase: Copa Total Sulamericana 2014 – 2º jogo
Local: Estádio Antonio Vespucio Liberti (Monumental de Núñez), Buenos Aires – Argentina
Data: 10 de dezembro de 2014 – 22h (horário de Brasília)
Árbitro: Darío Ubriaco (Uruguai)
Assistentes: Miguel Nievas e Mauricio Espinosa, ambos do Uruguai
Cartões Amarelos: Mori (River Plate); Berrio e Mejía (Atlético Nacional)
Gols: Mercado, aos 9 min, e Pezzella, aos 13 min do 2º tempo
RIVER PLATE (ARG): 1.Barovero; 25.Mercado, 20.Pezzella, 6.Mori e 21.Vangioni; 23.Ponzio (5.Kranevitter), 8.Sánchez, 16.Rojas e 15.Pisculichi (22.Driussi); 7.More e 19.Téo Gutiérrez (18.Cavenaghi). Técnico: Marcelo Gallardo
ATLÉTICO NACIONAL (COL): 30.Armani; 5.Nájera (3.Murillo), 12.Henriquez e 6.Valencia; 20.Bernal, 13.Mejía, 22.Bocanegra, 19.Díaz (18.Guisao) e 10.Cardona; 17.Melendez (7.Cárdenas) e 14.Ruiz. Técnico: Juan Osorio

Parabéns ao Club Atlético River Plate pela conquista.

Por Jorge Almeida