Luverdense: campeão da Copa Verde 2017

Os jogadores do Luverdense erguem a taça da inédita Copa Verde. Créditos: Fernando Torres/Paysandu

O Luverdense empatou em 1 a 1 com o Paysandu no Mangueirão, em Belém, na noite desta terça-feira (16) e é o mais novo campeão da Copa Verde. Como havia vencido o jogo de ida, em Lucas do Rio Verde (MT), por 3 a 1, o LEC fez 4 a 2 no placar agregado e ficou com a taça. Os gols da partida foram marcados por Leandro Carvalho para o time da casa no primeiro tempo e por Rafael Silva, cobrando pênalti, na etapa final. Essa foi a primeira conquista do Verdão do Oeste fora da esfera estadual em 13 anos de existência, e de forma invicta.

Com o apoio da torcida, o Paysandu começou o jogo disposto a reverter a (boa) vantagem do Luverdense. Assim, logo, aos três minutos, após cobrança de falta pela direita, em jogada ensaiada, Diogo Oliveira cruzou rasteiro, a zaga do LEC afastou mal e Leandro Carvalho emendou de primeira e colocou no canto de Diogo Silva e colocar o bicolor paraense na frente.

Depois do gol sofrido, o Verdão do Norte tentou se encontrar em campo para não deixar a vantagem que, aquele momento, mesmo com a derrota parcial, lhe era favorável. No entanto, a equipe da casa sempre levava perigo pelas jogadas rápidas nas laterais. Embora precisasse fazer mais um gol, o time paraense apostou em contra-ataques na etapa inicial. Assim, o LEC passou a ter mais o controle da bola e de criar mais algumas oportunidades, mas parava em Emerson e na falta de capricho nas finalizações.

Aos 29 minutos, Ayrton passou pela marcação, avançou pela direita e cruzou na área, mas a bola passou por Bérgson e saiu pela linha de fundo. Quatro minutos depois, o Luverdense chegou com Douglas Baggio. Em jogada pela esquerda, Macena cruzou rasteiro e o camisa 7, da altura da meia-lua, pegou de primeira e  mandou para longe. No minuto seguinte, o clube matogrossense, em um contragolpe fulminante, Rafael Silva recebeu pela esquerda e finalizou forte para Emerson fazer a defesa. Aos 36, Marcos Aurélio avançou e chutou da entrada da área para o camisa 1 bicolor fazer a defesa no meio do gol. Dessa forma, com vitória parcial do Paysandu, o título estava a caminho de Lucas do Rio Verde.

Na volta do intervalo, o goleiro Emerson sentiu uma lesão na coxa e foi substituído por Marcão. E, assim como foi no primeiro tempo, a etapa final começou com o Papão pressionando e, a um minuto, Alfredo disparou em velocidade pela esquerda, entrou na área e chutou cruzado para Diego Silva segurar a bola.

Aos 7, Rodrigo Andrade saiu driblando na defesa e foi desarmado e Marcos Aurélio puxou contra-ataque e foi derrubado na meia-lua. Falta perigosa. Na cobrança, o próprio Marcos Aurélio chutou forte no canto e a redonda acertou a trave direita e, na sobra, Erik não dominou a bola. O Paysandu trocou passes no campo de ataque, aos 12, até que Ayrton, lançado na área e sem ângulo, tentou bater no canto e a bola saiu pela linha de fundo.

E, aos 19, o Paysandu quase fez o gol que lhe daria o bicampeonato. Ayrton cobrou falta pela direita, Wesley desviou no primeiro pau, Wikerson e Diogo não alcançaram na segunda trave e a bola saiu. Nos oito minutos seguintes, as duas equipes caíram de rendimento e o jogo ficou “feio”, com muitos passes errados. Até que, aos 27, o camisa 10 do LEC pegou a sobra da entrada da área e a esférica passou rente à trave e saiu pela linha de fundo.

A partida seguia monótona até que, aos 31 minutos, o lance capital da decisão. Marcão derrubou Rodrigo Fumaça (substituto de Raphael Macena) na área. O árbitro Rodrigo Batista Raposo marcou pênalti. Na cobrança, Rafael Silva bateu colocado no canto direito, Marcão acertou o lado, mas não alcançou. É o empate do Verdão do Norte.

E, depois do gol sofrido, o Paysandu foi para o abafa, mas o Luverdense conseguiu se segurar e se fechar na defensa, enquanto isso, o Papão tentou furar a bem postada defesa do LEC. E a última oportunidade dos anfitriões veio aos 46. A bola foi alçada na área, Diogo Silva não alcançou e Gilvan desviou para fora. Fim de jogo no Mangueirão: Paysandu 1, Luverdense 1. Dessa forma, o LEC é o mais novo campeão da Copa Verde.

Em um genuíno clima de decisão no Mangueirão, o Paysandu, como já era de se esperar, partiu para cima do Luverdense para diminuir a vantagem do rival e, logo aos três minutos, conseguiu abrir o placar com Leandro Carvalho. Início fulminante para o bicolor, que pressionou os visitantes nos 20 minutos iniciais, até que a equipe de Lucas do Rio Verde conseguiu sair para o jogo e equilibrar o jogo e, inclusive, conseguiu criar algumas oportunidades, sendo apenas uma que, de fato, levou perigo à meta do Papão. A vitória parcial no primeiro tempo, no entanto, não era suficiente para o Paysandu, que precisava de mais um gol para levar o bicampeonato do torneio. Os primeiros minutos do segundo tempo foram semelhantes aos da etapa inicial, com o time da casa pressionando, mas o LEC voltou com mais determinação e, aos 9, acertou a trave. E, depois de uma oportunidade desperdiçada pelo Papão aos 19, o jogo ficou nervoso e as duas equipes mostravam mais disposição do que técnica e, com isso, o número erros de passe aumentou. Depois os minutos de péssimo futebol, o Luverdense melhorou na partida e chegou ao empate. Aos 31, Rodrigo Fumaça foi derrubado na área e sofreu a penalidade máxima. Rafael Silva cobrou e empatou a peleja. O Paysandu foi para cima nos momentos finais, mas não obteve forças o suficiente para conseguir os dois gols que poderiam levar a decisão para os pênaltis.

Com o título, conquistado de forma invicta, o Luverdense, com apenas 13 anos de existência e três estaduais no currículo, ergueu o primeiro título fora do âmbito estadual para o Mato Grosso e, em 2018, terá o direito assegurado de disputar a Copa do Brasil a partir das oitavas-de-final. Enquanto isso, o trabalho de Marcelo Chamusca está sendo contestado pelo torcedor bicolor, uma vez que o Paysandu, além dessa perda, embora tenha conquistado o Campeonato Paraense, fora eliminado recentemente pelo Santos na Copa do Brasil.

O troféu do Luverdense faz do Mato Grosso o Estado mais vencedor da Copa Verde, com duas conquistas (o outro campeão é o Cuiabá, em 2015). Já o Pará se manteve presente nas quatro finais do torneio, com um título (com Paysandu em 2016) e três vices – Paysandu em 2014 e 2017 e Remo, em 2015.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da final.

Data – Jogo – Local:
Primeira Fase:
04/03/2017 – Ceilândia (DF) 0x1 Luverdense (MT) – Maria Abadia, Ceilândia (DF)
19/03/2017 – Luverdense (MT) 3×1 Ceilândia (DF) – Passos das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
Segunda fase:
29/03/2017 – Luverdense (MT) 5×0 Rio Branco (ES) – Passos das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
1º/04/2017 – Rio Branco (ES) 2×2 Luverdense (MT) – Kléber Andrade, Cariacica (ES)
Semifinais:
15/04/2017 – Rondoniense (RO) 1×2 Luverdense (MT) – Arena da Floresta, Rio Branco (AC)
20/04/2017 – Luverdense (MT) 3×1 Rondoniense (RO) – Passo das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
Final:
04/05/2017 – Luverdense (MT) 3×1 Paysandu (PA) – Arena Pantanal, Cuiabá (MT)
16/05/2017 – Paysandu (PA) 1×1 Luverdense (MT) – Mangueirão, Belém (PA)

FICHA TÉCNICA: PAYSANDU (PA) 1×1 LUVERDENSE (MT)
Competição/fase: Copa Verde 2017 – final (2º jogo)
Local: Estádio Mangueirão, Belém (PA)
Data: 16 de maio de 2017, terça-feira – 20h (horário de Brasília)
Público total: 28.553 torcedores
Renda: R$ 668.225,00
Público pagante: 26.653 pessoas
Público não pagante: 1.900 pessoas
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Assistentes: Daniel Henrique da Silva Andrade e Ciro Chaban Junqueira, ambos do DF
Cartões Amarelos: Daniel Sobralense, Leandro Carvalho e Wesley (Paysandu); Diogo Silva, Ricardo, Erik e Rodrigo Fumaça (Luverdense)
Gols: Leandro Carvalho, aos 3 min do 1º tempo (1-0); Rafael Silva (pênalti), aos 33 min do 2º tempo (1-1)
PAYSANDU (PA): 1.Emerson (12.Marcão); 2.Ayrton, 26.Perema, 4.Gilvan e 6.Willian Simões (20.Daniel Sobralense); 32.Rodrigo Andrade, 15.Wesley e 10.Diogo Oliveira; 36.Leandro Carvalho, 30.Bérgson (21.Will) e 28.Alfredo. Técnico: Marcelo Chamusca
LUVERDENSE (MT): 1.Diogo Silva; 2.Aderlan, 3.Pierre, 4.Dalton (13.Negrete) e 6.Paulinho; 5.Erik, 10.Marcos Aurélio (Alaor Júnior) e 8.Ricardo; 7.Douglas Baggio e 9.Raphael Macena (Rodrigo Fumaça). Técnico: Júnior Rocha

Parabéns ao Luverdense Esporte Clube pela conquista.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Santa Cruz: campeão da Taça Asa Branca

O elenco do Santa Cruz posa para a foto de campeão da Taça Asa Branca. Créditos: Santa Cruz FC
O elenco do Santa Cruz posa para a foto de campeão da Taça Asa Branca. Créditos: Santa Cruz FC

Com o gol do meia Léo Costa, o Santa Cruz derrotou o Paysandu por 1 a 0 no Estádio do Arruda, em Recife, e faturou a Taça Asa Branca neste sábado (21). O título, de caráter amistoso, pôs frente a frente os campeões da Copa do Nordeste e o vencedor da Copa Verde de 2016.

Como já era de se esperar, o primeiro tempo foi encarado em ritmo de pré-temporada, uma vez que o amistoso que valia taça, foi o primeiro jogo das duas equipes em 2017 e, devido a isso, Santa Cruz e Paysandu não empolgaram muito a torcida ao longo dos 45 minutos iniciais.

Embora a partida não tenha apresentado grandes lances de efeito, as duas equipes até criaram algumas oportunidades. Logo aos dois minutos, Léo Costa recebeu de fora da área e soltou a bomba para boa defesa de Emerson.

O Paysandu chegou perto aos 23, Bergson cruzou e Leandro Cearense tentou a conclusão, mas não pegou firme na bola. Aos 34, o Santa chegou pela esquerda. A bola foi alçada na área, a zaga do Papão tirou para a região da meia-lua, de onde Léo Costa dominou e soltou uma bomba de pé esquerdo para marcar um belo gol. Sem chances de defesa para Emerson e colocar a Coral na frente.

Três minutos depois, o Paysandu chegou perto do empate com Diego Oliveira, que chutou forte de dentro da área e a redonda passou à direita da meta de Julio César. No final do primeiro tempo, o bicolor paraense teve duas excelentes chances de empatar. Aos 45, Diego Oliveira, da meia-lua, arriscou e Julio César fez grande defesa e mandou a bola para escanteio. Na sequencia do lance, Leandro Cearense cabeceou, mas a esférica pegou na trave esquerda do arqueiro tricolor.

Na etapa completar, o cansaço prevaleceu e a partida praticamente ficou só nas alterações feitas pelos times. Afinal, não havia número limite de substituições. Mas ainda teve uns bons lances, como a cobrança de falta de Thiago Primão aos 8 minutos que tirou aquele “uh!” do torcedor presente no “Mundão do Arruda”. A equipe paraense reagiu cinco minutos depois. Diogo Oliveira arrancou, achou Bergson na ponta direita, que puxou para a perna esquerda e bateu forte, mas a bola foi para fora. Mas o jogo terminou com a magra vitória da Cobra Coral por 1 a 0.

A partida entre Santa Cruz e Paysandu não foi tecnicamente um bom jogo. Mas há justificativa para o baixo técnico apresentado pelas equipes: ambas estão em pré-temporada e o amistoso que valia a taça serviu também para mostrar os novos reforços para seus torcedores. Pelo lado do Santa, por exemplo, Vitor foi o único que fazia parte do time titular rebaixado no Campeonato Brasileiro de 2016. Enquanto isso, pelo lado do Papão da Curuzu, o técnico Marcelo Chamusca fez todas as substituições, inclusive envolvendo os cinco estreantes: Ayrton, Wesley, William Simões, Bergson e Diogo Oliveira. Além deles, entraram no decorrer da etapa final: Andrelino, Daniel Sobralense, Juninho, Samuel e Alfredo. Ao todo, o treinador efetuou oito substituições e apenas o goleiro Marcão não entrou em campo.

A partir da próxima quarta-feira, às 18h45, o Santa Cruz fará a sua estreia oficial na temporada, quando irá até Campina Grande, onde enfrenta o Campinense pela primeira rodada da Copa do Nordeste. Enquanto isso, o Paysandu só entrará em campo no próximo domingo (28) diante do Castanhal na estreia do Campeonato Paraense.

Essa foi a segunda edição da Taça Asa Branca. Em 2016, o troféu foi decidido entre Ceará e Flamengo, que terminou com a vitória do Vovô, que bateu o rubronegro na decisão por pênaltis por 4 a 3 após empate em 3 a 3 no tempo normal.

A seguir, a ficha técnica da partida.

FICHA TÉCNICA: SANTA CRUZ (PE) 1×0 PAYSANDU (PA)
Competição/fase: Taça Asa Branca – jogo único
Local: Estádio do Arruda, Recife (PE)
Data: 21 de janeiro de 2017, sábado – 18h15 (horário de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (PE)
Gol: Léo Costa, aos 34 min do 1º tempo (1-0)
Cartão Amarelo: David (Santa Cruz)
SANTA CRUZ (PE): 1.Julio César; 2.Vítor, 3.Jaime (13.Anderson Salles), 4.Bruno Silva e 6.Eduardo; 5.Elicarlos, 8.David (17.Wellington Cézar) e 10.Léo Costa (19.Marcílio); 11.Thiago Primão (11.Williams Luz), 7.Éverton Santos (20.Thomas) e 23.André Luís (18.William Barbio). Técnico: Vinícius Eutrópio
PAYSANDU (PA): 1.Emerson; 2.Ayrton (29.Juninho), 3.Fernando Lombardi, 4.Gilvan (14.Pablo) e 6.Willian Simões (27.Andrelino); 8.Augusto Recife (5.Ricardo Capanema), 15.Wesley, 18.Jhonnatan (22.Samuel) e 10.Diogo Oliveira (20.Daniel Sobralense); 9.Leandro Cearense (28.Alfredo) e 30.Bergson (36.Leandro Carvalho). Técnico: Marcelo Chamusca

Parabéns ao Santa Cruz Futebol Clube pelo título.

Por Jorge Almeida

Copa do Brasil terá clássicos locais e repetecos de decisões nas oitavas

Copa do Brasil: das 16 equipes que restaram, 10 já conquistaram a competição. Foto: Rafael Ribeiro/CBF
Copa do Brasil: das 16 equipes que restaram, 10 já conquistaram a competição. Foto: Rafael Ribeiro/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou nesta terça-feira (4) em sua sede o sorteio dos confrontos para as oitavas-de-final da Copa do Brasil 2015. A partir dessa fase, o torneio conta com a presença dos representantes brasileiros que disputaram a Libertadores – Cruzeiro, Atlético Mineiro, São Paulo, Corinthians e Internacional. As definições dos mandantes e das datas dos confrontos foram decididos no mesmo dia. Dentre os duelos, destaques para os clássicos estaduais entre Flamengo x Vasco; Corinthians x Santos, além do confronto entre os ex-Palestras: Palmeiras x Cruzeiro. As partidas dessa fase acontecerão nos dias 19 e 20 de agosto (os de ida) e 26 e 27 do mesmo mês, os da volta, evidentemente.

No pote 1, estavam os times que participaram da Copa Libertadores da América de 2015 mais o Fluminense (melhor classificado no Brasileirão 2014 que não disputou a competição sulamericana), além dos dois melhores times no ranking da CBF (Flamengo e Grêmio) que se classificaram da terceira fase. No pote 2, ficaram os outros oito times que classificaram da terceira fase. Para os jogos das oitavas, o sorteio determina os confrontos dos times do pote 1 contra o pote 2 e quais times decidirão o confronto em casa.

Antes do início do sorteio, o diretor de Competições da entidade, Manoel Flores, anunciou duas novidades para a atual edição do certame: os confrontos das quartas-de-final também serão definidos por sorteio e o gol fora de casa não será adotado no critério de desempate na decisão.

De acordo com o sorteio, Santos e Corinthians farão o clássico paulista das oitavas-de-final da Copa do Brasil. O duelo de alvinegros promete. O time da Vila Belmiro vai em busca da revanche pela eliminação da Libertadores 2012 diante do rival que, por sua vez, quer descontar a goleada sofrida pelo clube praiano no ano passado pelo Campeonato Paulista. O mando do primeiro jogo é do Santos, que não descarta a possibilidade de atuar no Pacaembu. Possivelmente, o Timão não abrirá mão de sua arena, em Itaquera, para o confronto decisivo.

Outro clássico estadual que acontecerá nessa fase da Copa do Brasil será realizado entre Flamengo e Vasco, que já decidiram a edição 2006 da competição – vencida pelo rubronegro. Mandante do primeiro jogo, a equipe da Gávea espera ter a mesma sorte que tivera na finalíssima disputada há nove anos. Já os cruzmaltinos, apesar de estarem em uma situação complicada na tabela do Brasileirão, acreditam que poderão repetir o desempenho que tiveram no “Clássico dos Milhões” realizado pela nona rodada do campeonato nacional.

Palmeiras e Cruzeiro fazem o “clássico dos Palestras”. As duas equipes já decidiram a mesma Copa do Brasil duas ocasiões (1996 e 1998) com um título para cada lado. A Raposa, que não está na mesma situação em relação ao ano passado quando liderava o Brasileiro a passos largos, está se reestruturando após um primeiro semestre desastroso para as suas pretensões terá páreo duro pela frente diante do alviverde que, apesar do tropeço da última rodada, está em formação e tem a seu favor uma pessoa que conhece como ninguém o time Celeste: o técnico Marcelo Oliveira, bicampeão brasileiro pelo Cruzeiro. O Palmeiras será o mandante do compromisso de ida, que, possivelmente, será realizado em sua nova arena.

O confronto entre Coritiba e Grêmio é o duelo dos opostos. Enquanto o Coxa luta para fugir do rebaixamento, o Tricolor dos Pampas, por sua vez, está em ascensão. Se histórico na competição fosse levado em conta no embate, o Grêmio levaria ampla vantagem, pois é detentor de quatro títulos enquanto o time paranaense acumula dois vice-campeonatos (2011 e 2012). O primeiro jogo, provavelmente, será realizado na Arena do Grêmio, na capital gaúcha.

São Paulo e Ceará será o único confronto das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2015 que não terá uma equipe que tenha conquistado o torneio. No entanto, as duas equipes já “bateram na trave” ao amargarem um vice-campeonato: o Tricolor perdeu a decisão de 2000 para o Cruzeiro e o Vozão foi superado pelo Grêmio em 1994. Pela camisa e pelo momento que ambas equipes vivem na temporada, o São Paulo, mandante do jogo de ida, é o amplo favorito no duelo. Mas o Ceará tem a seu favor a história das “zebras” que sempre apareceu ao longo dos 26 anos da competição e, talvez, por fazer a segunda partida em casa, um bom resultado no Morumbi poderá fazer o time acreditar que é possível.

Atual campeão da competição, o Atlético Mineiro enfrentará o Figueirense. Líder do Campeonato Brasileiro no momento, o Galo vem forte no torneio e, apesar de deixar claro que o foco é conquistar o bicampeonato brasileiro, os comandados de Levir Culpi não descarta a possibilidade de abocanhar a Copa do Brasil também e, de quebra, repetir o feito do arquirrival Cruzeiro em 2003 quando esse faturou o torneio, mais o Brasileirão e o Campeonato Mineiro. Por outro lado, o Figueira vem como “franco atirador” e quer surpreender para, quem sabe, fazer o mesmo em 2007: chegar à decisão. O primeiro jogo terá mando do Atlético, logo, a possibilidade de ser no Independência é grande.

Campeão da Copa do Brasil de 2007, o Fluminense terá pela frente nessas oitavas-de-final o Paysandu. Terceiro colocado do BR-15, o Tricolor das Laranjeiras quer reviver os bons tempos e aposta na dupla Fred e Ronaldinho Gaúcho para chegar à Libertadores, seja via Brasileirão ou Copa do Brasil. Enquanto isso, o Papão espera surpreender o Brasil novamente como fizera em 2003 quando bateu o Boca Juniors em plena La Bombonera. Mas, os tempos são outros, e o Fluminense, que fará o primeiro duelo em casa, é o amplo favorito.

E, finalmente, Internacional e Ituano. O Colorado, que não conquista um título nacional há mais de 20 anos, encara a equipe de Itu, que entrou na competição credenciada pelo título paulista do ano passado. Considerado favorito para o duelo, O Inter será o mandante do primeiro jogo. O Galo acredita que pode surpreender o tricampeão brasileiro e crê também no histórico de zebras que a Copa do Brasil proporciona a cada ano.

Um fato que chamou atenção no evento realizado na sede da CBF foi quando uma das modelos que fazia o sorteio soltou a bolinha no momento em que seria definido o adversário do Flamengo. Segundo relatos, a moça pegou a bolinha, levou um susto ao ouvir um grito “cuidado, hein!” de um dos jornalistas que acompanhava o evento. Assim, ela teria se assustado e colocado a esfera no pote e pegou outra bolinha depois. O fato gerou controvérsias nas redes sociais.

Com os duelos determinados, as oito equipes que seguirem na competição participarão de um novo sorteio para definir o alinhamento do torneio até a decisão.

A seguir, como ficaram os jogos de ida e volta da Copa do Brasil, os mandantes estão do lado esquerdo.

Jogos de ida – dias 19 ou 20 de agosto:
Santos (SP) x Corinthians (SP)
Flamengo (RJ) x Vasco (RJ)
Palmeiras (SP) x Cruzeiro (MG)
Grêmio (RS) x Coritiba (PR)
São Paulo (SP) x Ceará (CE)
Atlético (MG) x Figueirense (SC)
Fluminense (RJ) X Paysandu (PA)
Internacional (RS) x Ituano (SP)

Jogos de volta – dias 26 ou 27 de agosto:
Corinthians (SP) x Santos (SP)
Vasco (RJ) x Flamengo (RJ)
Cruzeiro (MG) x Palmeiras (SP)
Coritiba (PR) x Grêmio (RS)
Ceará (CE) x São Paulo (SP)
Figueirense (SC) x Atlético (MG)
Paysandu (PA) x Fluminense (RJ)
Ituano (SP) x Internacional (RS)

É esperar para ver.

Por Jorge Almeida

Macaé: campeão brasileiro da Série C de 2014

Macaé Esporte FC: campeão brasileiro da Série C de 2014
Macaé Esporte FC: campeão brasileiro da Série C de 2014

Em uma final bastante movimentada, o Macaé empatou em 3 a 3 com o Paysandu no Mangueirão, em Belém, na segunda e decisiva partida do Campeonato Brasileiro da Série C 2014. Com gols de Zé Antônio, Ruan e Rômulo para os anfitriões e dois de João Carlos e outro de Diego, a equipe fluminense conquista pela primeira vez uma competição em nível nacional e, depois de 15 anos, leva um título da Série C para o Estado do Rio de Janeiro (o último havia sido o Fluminense em 1999).

Com 30 minutos de atraso em virtude de problemas logísticos encontrados pelo Macaé em direção ao Mangueirão, a partida começou com o Paysandu, embalado por sua torcida, criando a primeira oportunidade com Reniê, que cabeceou com perigo após cobrança de escanteio de Airton, aos cinco minutos. O clube alvianil praiano do RJ respondeu aos dez com Douglas Assis, que subiu mais alto e mandou com perigo à esquerda da meta de Paulo Rafael.

O Paysandu fez prevalecer a condição de mandante e chegou ao primeiro gol ainda aos 16 minutos. Airton cruzou da esquerda na medida para o capitão Zé Antônio cabecear sem dar chance de defesa para Milton Rafael.

Apesar do gol sofrido, o Macaé não se abateu, continuou a fazer o seu jogo e, aos poucos, foi se ajustando e ameaçando o Papão. Aos 35, Diego cobrou falta no limite da pequena área e acertou o travessão. E, com paciência, a equipe fluminense chegou ao empate no final da etapa inicial com João Carlos. Aos 43, Diego bateu escanteio na entrada da pequena área e o camisa 9 testou firme para empatar a decisão.

A igualdade motivou o Leão fluminense. No minuto seguinte, Juba recebeu belo lançamento pela direita de Reniê, tocou para o meio na saída do goleiro, mas ninguém chegou para concluir e a zaga afastou o perigo. O Paysandu contra-atacou em seguida. Yago Pikachu fez grande jogada individual pela direita e chutou da entrada da área e exibiu grande defesa de Milton Rafael.

Para o segundo tempo, o técnico Mazola Junior tirou o apagado Lenine e colocou Rômulo e, assim, passando a atuar em 4-3-3. A princípio, a troca surtiu efeito, pois, aos seis minutos, Ruan recebeu de Bruno Veiga e finalizou forte da entrada da área no canto esquerdo da meta de Milton Rafael.

E o time norte-fluminense não se abateu e manteve a calma e a posse de bola. O técnico Josué Teixeira sacou o pendurado Tiago Pedra para colocar Bruno Santos, que foi deslocado para a lateral-esquerda e puxou Diego para o meio. A estratégia funcionou. Aos 13, Bruno Santos, em sua primeira jogada, recebeu pela esquerda, cruzou rasteiro para João Carlos se antecipar ao zagueiro e dar um “totozinho” suficiente para tirar do alcance do goleiro e empatar novamente.

Mas o bicolor paraense voltou à frente do placar nove minutos depois. Yago Pikachu avançou pela direita e cruzou rasteiro para o meio da área para Rômulo, de letra, completar para as redes e colocar o Papão de volta com a vantagem.

Porém, menos de dez minutos, o valente Macaé buscou o empate. Diego tabelou com João Carlos, recebeu na área, chutou forte e a esférica passou por baixo das pernas de Paulo Rafael.

Depois do terceiro empate na partida, o Paysandu tentou ir atrás do gol do título na base da raça e do coração. Mas foi o Macaé quem levou perigo. Aos 39, Diego cobrou falta e, assim como na etapa inicial, mandou a redonda no travessão. E ainda teve o capitão Gedeil tentar matar o jogo ao arriscar encobrir Paulo Rafael, mas mandou pra fora. E, assim, heroicamente, o Macaé Esporte Futebol Clube levou o inédito título da Série C.

Paysandu e Macaé fizeram um jogo bastante movimentado e bem equilibrado. Enquanto o bicolor paraense teve o apoio da torcida a seu favor e chegou aos três gols, o Leão norte-fluminense foi atrás e, melhor postado em campo, arrancou o empate. Destaque para as substituições feitas pelo treinador Josué Teixeira. O treinador substituiu Tiago Pedra por Bruno Santos e mandou o camisa 13 para a lateral-esquerda e deslocou Diego para o meio. A troca de posicionamento dos dois jogadores se mostrou eficiente. Pois o segundo gol do clube do Rio de Janeiro saiu em jogada de Bruno Santos pela esquerda e o terceiro tento foi anotado por Diego, que estava no posicionamento determinado pelo técnico. Além disso, vale destacar a bela partida feita por João Carlos (autor de três gols nos dois jogos da final do campeonato) e o próprio Diego que, além do gol, fez o cruzamento no primeiro gol e acertou a trave duas vezes. A valentia do Macaé merece destaque porque o clube buscou a classificação desde às quartas-de-final sempre fora de casa: Fortaleza (no Castelão), CRB (no Rei Pelé) e o Paysandu (na final, em Belém).

Além do campeão Macaé e do vice Paysandu, garantiram também vaga para a Série B em 2015 o Mogi Mirim e o CRB. Enquanto isso, Treze (PB), CRAC (GO), São Caetano (SP) e Duque de Caxias (RJ) foram rebaixados para a Série D. E a artilharia da Série C ficou com Ytalo, do Guaratinguetá, com 12 gols.

A seguir, o resumo da campanha e a ficha técnica da decisão.

1ª Fase (Grupo B):
27/04/2014 – Tupi (MG) 1×1 Macaé – Mário Helênio, Juiz de Fora (MG)
03/05/2014 – Macaé (RJ) 1×0 São Caetano (SP) – Cláudio Moacyr, Macaé (RJ)
11/05/2014 – Guarani (SP) 1×0 Macaé (RJ) – Décio Vitta, Americana (SP)
17/05/2014 – Madureira (RJ) 0x1 Macaé (RJ) – Aniceto Moscoso, Rio de Janeiro (RJ)
24/05/2014 – Macaé (RJ) 2×2 Juventude (RS) – Cláudio Moacyr, Macaé (RJ)
31/05/2014 – Guaratinguetá (SP) 4×1 Macaé (RJ) – Dario Leite, Guaratinguetá (SP)
19/07/2014 – Macaé (RJ) 1×0 Duque de Caxias (RJ) – Cláudio Moacyr, Macaé (RJ)
26/07/2014 – Macaé (RJ) 2×1 Mogi Mirim (SP) – Cláudio Moacyr (RJ)
03/08/2014 – Caxias (RS) 1×0 Macaé (RJ) – Centenário, Caxias do Sul (RS)
09/08/2014 – Macaé (RJ) 0x2 Tupi (MG) – Cláudio Moacyr, Macaé (RJ)
17/08/2014 – São Caetano (SP) 0x0 Macaé (RJ) – Anacleto Campanella, São Caetano do Sul (SP)
23/08/2014 – Macaé (RJ) 1×0 Guarani (SP) – Cláudio Moacyr, Macaé (RJ)
30/08/2014 – Macaé (RJ) 1×2 Madureira (RJ) – Cláudio Moacyr, Macaé (RJ)
06/09/2014 – Juventude (RS) 0x0 Macaé (RJ) – Alfredo Jaconi, Caxias do Sul
13/09/2014 – Macaé (RJ) 1×1 Guaratinguetá (SP) – Cláudio Moacyr, Macaé (RJ)
20/09/2014 – Duque de Caxias (RJ) 1×2 Macaé (RJ) – Los Larios, Duque de Caxias (RJ)
29/09/2014 – Mogi Mirim (SP) 1×0 Macaé (RJ) – Romildo Ferreira, Mogi Mirim (SP)
04/10/2014 – Macaé (RJ) 1×0 Caxias (RS) – Cláudio Moacyr, Macaé (RJ)
Quartas-de-final:
18/10/2014 – Macaé (RJ) 0x0 Fortaleza (CE) – Cláudio Moacyr, Macaé (RJ)
25/10/2014 – Fortaleza (CE) 1×1 Macaé (RJ) – Castelão, Fortaleza (CE)
Semifinais:
02/11/2014 – Macaé (RJ) 4×0 CRB (AL) – Cláudio Moacyr, Macaé (RJ)
08/11/2014 – CRB (AL) 0x0 Macaé (RJ) – Rei Pelé, Maceió (AL)
Finais:
15/11/2014 – Macaé (RJ) 1×1 Paysandu (PA) – Cláudio Moacyr, Macaé (RJ)
22/11/2014 – Paysandu (PA) 3×3 Macaé (RJ) – Olímpico do Pará, Belém (PA)

FICHA TÉCNICA: PAYSANDU (PA) 3×3 MACAÉ (RJ)
Competição/fase: Campeonato Brasileiro da Série C 2014 – final (segundo jogo)
Data: 22 de novembro de 2014 – 17h (horário de Brasília)
Local: Estádio Olímpico do Pará (Mangueirão) – Belém (PA)
Árbitro: Manoel Nunes Lopo Garrido (BA)
Assistentes: Luiz Carlos Silva Teixeira (BA) e Lincoln Ribeiro Taques (MT)
Cartões Amarelos: Ricardo Capanema e Augusto Recife (Paysandu); Tiago Pedra, Marquinho, Gedeil e Milton Rafael (Macaé)
Gols: Zé Antônio, aos 16 min do 1º tempo, Ruan, aos 6 min do 2º tempo e Rômulo, aos 22 min do 2º tempo para o Paysandu; João Carlos, aos 43 min do 1º tempo e aos 13 min do 2º tempo, e  para o Macaé
PAYSANDU (PA): 112.Paulo Rafael; 102.Yago Pikachu, 103.Renié (116.Jeferson Maranhense), 104.Fernando Lombardi e 106.Airton; 105.Augusto Recife, 107.Ricardo Capanema (114.Djalma), 108.Zé Antônio e 110.Lenine (117.Rômulo); 111.Bruno Veiga e 109.Ruan. Técnico: Mazola Júnior
MACAÉ (RJ): 1.Milton Rafael; 2.Dos Santos, 3.Douglas Assis, 4.Filipe Machado e 6.Diego; 5.Gedeil, 8.Lucas, 7.Juba e 10.Marquinho (14.Leandro Cardoso); 9.João Carlos (15.Laerte) e 11.Tiago Pedra (13.Bruno Santos). Técnico: Josué Teixeira

Parabéns ao Macaé Esporte Futebol Clube.

Por Jorge Almeida

Mogi Mirim, Paysandu, Macaé e CRB-AL passam de fase e disputarão Série B em 2015

Campeonato Brasileiro Série C 2014: campeão sairá até o final de novembro. Crédito da imagem: divulgação/CBF
Campeonato Brasileiro Série C 2014: campeão sairá até o final de novembro. Crédito da imagem: divulgação/CBF

Com o término da partida de volta entre CRB e Madureira disputada na noite deste sábado (25), no Estádio Rei Pelé, em Maceió, pela fase de quartas-de-final, o Campeonato Brasileiro da Série C 2014 já tem os seus semifinalistas definidos, além dos quatro terem se classificado para a Série B do ano que vem. A equipe alagoana se juntará a Mogi Mirim (SP), Paysandu (PA) e Macaé (RJ).

O primeiro semifinalista saiu na sexta-feira (24). Trata-se do Mogi Mirim, time do pentacampeão Rivaldo. O Sapão volta a disputar a Segundona depois de dez anos. A equipe paulista empatou em 0 a 0 com o Salgueiro em casa na partida de volta. Como havia vencido o jogo de ida por 1 a 0, o Mogi Mirim assegurou a vaga para a fase seguinte.

O segundo classificado é o Paysandu, que bateu o Tupi (MG) em Juiz de Fora pelo placar mínimo. Como havia derrotado a equipe mineira em Belém por 2 a 1, o Papão precisava apenas de um empate para voltar à Série B. Uma derrota por 1 a 0 garantiria o Tupi, que pressionou o clube bicolor, que conseguiu segurar heroicamente o empate e, de quebra, buscou o gol da classificação nos acréscimos com um belo tento anotado por Ruan, que recebeu em profundidade e tocou por cima do goleiro.

Quem se deu bem também foi o Macaé, que pela primeira vez em sua história, vai disputar a Série B do Campeonato Brasileiro. A equipe fluminense tinha toda uma atmosfera desfavorável: empatou o primeiro jogo em casa em 0 a 0, pegaria “apenas” o dono da melhor campanha da primeira fase – o Fortaleza – e ainda teria de encarar uma Arena Castelão lotada. Após uma festa muito bonita protagonizada pelos torcedores do Leão cearense, com direito a um imenso mosaico, o Macaé entrou disposto a segurar a pressão dos anfitriões e partir para o contra-ataque. No entanto, o Fortaleza demonstrou nervosismo porque o primeiro gol não saía. E isso facilitou o trabalho da equipe alvianil que chegou ao gol nos acréscimos do primeiro tempo através de Juba, que aproveitou a falha do goleiro Ricardo e completou para as redes. No segundo tempo, o Tricolor cearense foi para o “tudo ou nada” e, depois de muita insistência, chegou ao empate aos 36. Robert acertou a trave e na sobra Waldison girou em cima do zagueiro e empatou a peleja. A equipe da casa ainda acertou duas bolas na trave no tempo adicional, mas não teve jeito, mais uma vez o Fortaleza ficou “no quase”.

E o último a garantir o acesso à Série B foi o CRB, que bateu o Madureira por 2 a 0 no Estádio Rei Pelé. Mesmo podendo perder por 1 a 0 em virtude da vitória adquirida no jogo de ida no campo do rival por 2 a 1, a equipe regatina foi além e derrotou o Tricolor Suburbano com certa facilidade. Cada gol saiu em um tempo. De todos os classificados, o alvirrubro alagoano era o que possuía a situação mais cômoda.

Com os classificados definidos, a semifinal da Série C terá os seguintes confrontos: Macaé (RJ) x CRB (AL) e Paysandu (PA) x Mogi Mirim (SP).

Parabéns aos mais novos integrantes do Campeonato Brasileiro da Série B.

Por Jorge Almeida