CBF sorteia os confrontos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018

Copa do Brasil 2018: CBF sorteou os confrontos das oitavas-de-final. Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

* Atualizado às 20h de 26/04.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) realizou na manhã desta sexta-feira (20), o sorteio que definiu os duelos das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018. Um dia após a definição das duas últimas vagas da quarta fase, a entidade promoveu o evento que determinou quem os cinco classificados da fase anterior pegará na sequência do torneio.

Com as presenças do tetracampeão mundial Zinho e de Melina Torres no sorteio, o método dos confrontos foi simples: as oito equipes que disputam (ou disputaram no caso da Chapecoense) a Libertadores 2018 estavam nas bolinhas do pote 1, enquanto os cinco clubes classificados da quarta fase da Copa do Brasil, além de América Mineiro (campeão do Brasileiro da Série B de 2017), Luverdense (campeão da Copa Verde 2017) e Bahia (campeão da Copa do Nordeste 2017) estavam no pote 2.

Primeiro, foi sorteado as seguintes equipes do pote 1 com a seguinte ordem: Chapecoense, Cruzeiro, Vasco, Grêmio, Corinthians, Palmeiras, Flamengo e Santos. Esses clubes enfrentarão respectivamente Atlético Mineiro, Atlético Paranaense, Bahia, Goiás, Vitória, América Mineiro, Ponte Preta e Luverdense.

As partidas serão disputadas nas seguintes datas: 25 de abril, dias 2, 9, 16 e 23 de maio. No caso, os clubes do pote 1 serão os mandantes dos jogos de volta.

No mesmo dia, porém, à tarde, a CBF definiu as datas de alguns dos duelos.

Na primeira data disponível para os jogos das oitavas-de-final, duas partidas: Goiás e Grêmio, no Serra Dourada, e Vitória e Corinthians, no Barradão. Os dois embates estão previstos para às 19h30 do dia 25 de abril. Porém, as datas das partidas de volta ainda não foram definidas pela CBF. Na semana seguinte, no dia 2 de maio, Ponte Preta e Flamengo medirão forças no Moisés Lucarelli, e Atlético Mineiro receberá a Chapecoense no Independência. Enquanto isso, Cruzeiro x Atlético Paranaense, Bahia x Vasco, Santos x Luverdense vão medir forças nos dias 9 e 16 de maio. Apenas América Mineiro e Palmeiras seguem com datas indefinidas para se enfrentarem.

Curiosamente, nos oitos confrontos, há o embate entre um clube que já ganhou a competição e o outro que busca a conquista inédita.

Nos próximos dias, a CBF confirmará as datas e os horários que ainda estão pendentes.

A seguir a relação dos confrontos e as datas das oitavas-de-final da Copa do Brasil 2018.

*Data – Horário – Jogo – Local:
25/04 – 19h30 – Goiás (GO) 0x2 Grêmio (RS) – Serra Dourada, Goiânia (GO)
25/04 – 19h30 – Vitória (BA) 0x0 Corinthians (SP) – Barradão, Salvador (BA)
02/05 – 19h30 – Atlético (MG) x Chapecoense (SC) – Independência, Belo Horizonte (MG)
02/05 – 19h30 – Ponte Preta (SP) x Flamengo (RJ) – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
09/05 – 19h30 – América (MG) x Palmeiras (SP) – Independência, Belo Horizonte (MG)
09/05 – 19h30 – Grêmio (RS) x Goiás (GO) – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
09/05 – 21h45 – Bahia (BA) x Vasco (RJ) – Fonte Nova, Salvador (BA)
10/05 – 19h30 – Corinthians (SP) x Vitória (BA) – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
10/05 – 19h30 – Flamengo (RJ) x Ponte Preta (SP) – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
10/05 – 21h45 – Santos (SP) x Luverdense (MT) – Vila Belmiro, Santos (SP)
16/05 – 19h30 – Chapecoense (SC) x Atlético (MG) – Arena Condá, Chapecó (SC)
16/05 – 19h30 – Vasco (RJ) x Bahia (BA) – São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
16/05 – 21h45 – Atlético (PR) x Cruzeiro (MG) – Arena da Baixada, Curitiba (PR)
17/05 – 19h15 – Luverdense (MT) x Santos (SP) – Passo das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
23/05 – 21h45 – Palmeiras (SP) x América (MG) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
16/07 – 20h – Cruzeiro (MG) x Atlético (PR) – Mineirão, Belo Horizonte (MG)
* Atualizado às 20h de 26/04/2018

Por Jorge Almeida

Anúncios

Luverdense: campeão da Copa Verde 2017

Os jogadores do Luverdense erguem a taça da inédita Copa Verde. Créditos: Fernando Torres/Paysandu

O Luverdense empatou em 1 a 1 com o Paysandu no Mangueirão, em Belém, na noite desta terça-feira (16) e é o mais novo campeão da Copa Verde. Como havia vencido o jogo de ida, em Lucas do Rio Verde (MT), por 3 a 1, o LEC fez 4 a 2 no placar agregado e ficou com a taça. Os gols da partida foram marcados por Leandro Carvalho para o time da casa no primeiro tempo e por Rafael Silva, cobrando pênalti, na etapa final. Essa foi a primeira conquista do Verdão do Oeste fora da esfera estadual em 13 anos de existência, e de forma invicta.

Com o apoio da torcida, o Paysandu começou o jogo disposto a reverter a (boa) vantagem do Luverdense. Assim, logo, aos três minutos, após cobrança de falta pela direita, em jogada ensaiada, Diogo Oliveira cruzou rasteiro, a zaga do LEC afastou mal e Leandro Carvalho emendou de primeira e colocou no canto de Diogo Silva e colocar o bicolor paraense na frente.

Depois do gol sofrido, o Verdão do Norte tentou se encontrar em campo para não deixar a vantagem que, aquele momento, mesmo com a derrota parcial, lhe era favorável. No entanto, a equipe da casa sempre levava perigo pelas jogadas rápidas nas laterais. Embora precisasse fazer mais um gol, o time paraense apostou em contra-ataques na etapa inicial. Assim, o LEC passou a ter mais o controle da bola e de criar mais algumas oportunidades, mas parava em Emerson e na falta de capricho nas finalizações.

Aos 29 minutos, Ayrton passou pela marcação, avançou pela direita e cruzou na área, mas a bola passou por Bérgson e saiu pela linha de fundo. Quatro minutos depois, o Luverdense chegou com Douglas Baggio. Em jogada pela esquerda, Macena cruzou rasteiro e o camisa 7, da altura da meia-lua, pegou de primeira e  mandou para longe. No minuto seguinte, o clube matogrossense, em um contragolpe fulminante, Rafael Silva recebeu pela esquerda e finalizou forte para Emerson fazer a defesa. Aos 36, Marcos Aurélio avançou e chutou da entrada da área para o camisa 1 bicolor fazer a defesa no meio do gol. Dessa forma, com vitória parcial do Paysandu, o título estava a caminho de Lucas do Rio Verde.

Na volta do intervalo, o goleiro Emerson sentiu uma lesão na coxa e foi substituído por Marcão. E, assim como foi no primeiro tempo, a etapa final começou com o Papão pressionando e, a um minuto, Alfredo disparou em velocidade pela esquerda, entrou na área e chutou cruzado para Diego Silva segurar a bola.

Aos 7, Rodrigo Andrade saiu driblando na defesa e foi desarmado e Marcos Aurélio puxou contra-ataque e foi derrubado na meia-lua. Falta perigosa. Na cobrança, o próprio Marcos Aurélio chutou forte no canto e a redonda acertou a trave direita e, na sobra, Erik não dominou a bola. O Paysandu trocou passes no campo de ataque, aos 12, até que Ayrton, lançado na área e sem ângulo, tentou bater no canto e a bola saiu pela linha de fundo.

E, aos 19, o Paysandu quase fez o gol que lhe daria o bicampeonato. Ayrton cobrou falta pela direita, Wesley desviou no primeiro pau, Wikerson e Diogo não alcançaram na segunda trave e a bola saiu. Nos oito minutos seguintes, as duas equipes caíram de rendimento e o jogo ficou “feio”, com muitos passes errados. Até que, aos 27, o camisa 10 do LEC pegou a sobra da entrada da área e a esférica passou rente à trave e saiu pela linha de fundo.

A partida seguia monótona até que, aos 31 minutos, o lance capital da decisão. Marcão derrubou Rodrigo Fumaça (substituto de Raphael Macena) na área. O árbitro Rodrigo Batista Raposo marcou pênalti. Na cobrança, Rafael Silva bateu colocado no canto direito, Marcão acertou o lado, mas não alcançou. É o empate do Verdão do Norte.

E, depois do gol sofrido, o Paysandu foi para o abafa, mas o Luverdense conseguiu se segurar e se fechar na defensa, enquanto isso, o Papão tentou furar a bem postada defesa do LEC. E a última oportunidade dos anfitriões veio aos 46. A bola foi alçada na área, Diogo Silva não alcançou e Gilvan desviou para fora. Fim de jogo no Mangueirão: Paysandu 1, Luverdense 1. Dessa forma, o LEC é o mais novo campeão da Copa Verde.

Em um genuíno clima de decisão no Mangueirão, o Paysandu, como já era de se esperar, partiu para cima do Luverdense para diminuir a vantagem do rival e, logo aos três minutos, conseguiu abrir o placar com Leandro Carvalho. Início fulminante para o bicolor, que pressionou os visitantes nos 20 minutos iniciais, até que a equipe de Lucas do Rio Verde conseguiu sair para o jogo e equilibrar o jogo e, inclusive, conseguiu criar algumas oportunidades, sendo apenas uma que, de fato, levou perigo à meta do Papão. A vitória parcial no primeiro tempo, no entanto, não era suficiente para o Paysandu, que precisava de mais um gol para levar o bicampeonato do torneio. Os primeiros minutos do segundo tempo foram semelhantes aos da etapa inicial, com o time da casa pressionando, mas o LEC voltou com mais determinação e, aos 9, acertou a trave. E, depois de uma oportunidade desperdiçada pelo Papão aos 19, o jogo ficou nervoso e as duas equipes mostravam mais disposição do que técnica e, com isso, o número erros de passe aumentou. Depois os minutos de péssimo futebol, o Luverdense melhorou na partida e chegou ao empate. Aos 31, Rodrigo Fumaça foi derrubado na área e sofreu a penalidade máxima. Rafael Silva cobrou e empatou a peleja. O Paysandu foi para cima nos momentos finais, mas não obteve forças o suficiente para conseguir os dois gols que poderiam levar a decisão para os pênaltis.

Com o título, conquistado de forma invicta, o Luverdense, com apenas 13 anos de existência e três estaduais no currículo, ergueu o primeiro título fora do âmbito estadual para o Mato Grosso e, em 2018, terá o direito assegurado de disputar a Copa do Brasil a partir das oitavas-de-final. Enquanto isso, o trabalho de Marcelo Chamusca está sendo contestado pelo torcedor bicolor, uma vez que o Paysandu, além dessa perda, embora tenha conquistado o Campeonato Paraense, fora eliminado recentemente pelo Santos na Copa do Brasil.

O troféu do Luverdense faz do Mato Grosso o Estado mais vencedor da Copa Verde, com duas conquistas (o outro campeão é o Cuiabá, em 2015). Já o Pará se manteve presente nas quatro finais do torneio, com um título (com Paysandu em 2016) e três vices – Paysandu em 2014 e 2017 e Remo, em 2015.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da final.

Data – Jogo – Local:
Primeira Fase:
04/03/2017 – Ceilândia (DF) 0x1 Luverdense (MT) – Maria Abadia, Ceilândia (DF)
19/03/2017 – Luverdense (MT) 3×1 Ceilândia (DF) – Passos das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
Segunda fase:
29/03/2017 – Luverdense (MT) 5×0 Rio Branco (ES) – Passos das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
1º/04/2017 – Rio Branco (ES) 2×2 Luverdense (MT) – Kléber Andrade, Cariacica (ES)
Semifinais:
15/04/2017 – Rondoniense (RO) 1×2 Luverdense (MT) – Arena da Floresta, Rio Branco (AC)
20/04/2017 – Luverdense (MT) 3×1 Rondoniense (RO) – Passo das Emas, Lucas do Rio Verde (MT)
Final:
04/05/2017 – Luverdense (MT) 3×1 Paysandu (PA) – Arena Pantanal, Cuiabá (MT)
16/05/2017 – Paysandu (PA) 1×1 Luverdense (MT) – Mangueirão, Belém (PA)

FICHA TÉCNICA: PAYSANDU (PA) 1×1 LUVERDENSE (MT)
Competição/fase: Copa Verde 2017 – final (2º jogo)
Local: Estádio Mangueirão, Belém (PA)
Data: 16 de maio de 2017, terça-feira – 20h (horário de Brasília)
Público total: 28.553 torcedores
Renda: R$ 668.225,00
Público pagante: 26.653 pessoas
Público não pagante: 1.900 pessoas
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Assistentes: Daniel Henrique da Silva Andrade e Ciro Chaban Junqueira, ambos do DF
Cartões Amarelos: Daniel Sobralense, Leandro Carvalho e Wesley (Paysandu); Diogo Silva, Ricardo, Erik e Rodrigo Fumaça (Luverdense)
Gols: Leandro Carvalho, aos 3 min do 1º tempo (1-0); Rafael Silva (pênalti), aos 33 min do 2º tempo (1-1)
PAYSANDU (PA): 1.Emerson (12.Marcão); 2.Ayrton, 26.Perema, 4.Gilvan e 6.Willian Simões (20.Daniel Sobralense); 32.Rodrigo Andrade, 15.Wesley e 10.Diogo Oliveira; 36.Leandro Carvalho, 30.Bérgson (21.Will) e 28.Alfredo. Técnico: Marcelo Chamusca
LUVERDENSE (MT): 1.Diogo Silva; 2.Aderlan, 3.Pierre, 4.Dalton (13.Negrete) e 6.Paulinho; 5.Erik, 10.Marcos Aurélio (Alaor Júnior) e 8.Ricardo; 7.Douglas Baggio e 9.Raphael Macena (Rodrigo Fumaça). Técnico: Júnior Rocha

Parabéns ao Luverdense Esporte Clube pela conquista.

Por Jorge Almeida