Exposição “A Pé Também É Transporte” no Metrô Sé

Paineis com fotos e textos que enaltecem a importância de andar a pé na Estação Sé do Metrô. Foto: Jorge Almeida

A mostra “A Pé Também É Transporte” está em cartaz na Estação Sé do Metrô até o próximo dia 31 de março e apresenta fotos e textos que abordam a importância de um “meio de transporte” primordial para a nossa saúde, os nossos próprios pés.

De acordo com a mais recente pesquisa origem-destino do Metrô-SP, cerca de 33% dos deslocamentos diários feitos pela população da região metropolitana de São Paulo feito feitos exclusivamente a pé. Esse número é ainda maior se considerar o modo a pé juntamente com o transporte público coletivo (ônibus, trem ou metrô), 60%.

Dessa forma, o Instituto Corrida Amiga, através da exposição que reúne fotos de Hugo Peroni e textos do próprio instituto visa mostrar e promover o mais inclusivo meio de transporte: os nossos pés.

O olhar contundente e artístico do fotógrafo sobre São Paulo e seus caminhantes convidam o usuário do Metrô a praticar esse universo do transporte ativo com o intuito de quebrar protótipos e mitos, ressaltar a eficácia do deslocamento a pé e especialmente e exaltar todas as suas vantagens, desde a melhoria na qualidade de vida com a inclusão da atividade física, especialmente a caminhada e a corrida, em nossas rotinas, até a cogitação de deixarmos os carros em casa e, consequentemente, economizar dinheiro, otimizando tempo e reduzindo as emissões de gases poluentes.

O material também aprecia a multimodalidade, o uso de dois ou mais meios de transporte nas conduções das pessoas, com destaque no transporte público coletivo, no qual a caminhada se combina com metrô, ônibus ou trem.

Sendo assim, a exposição mostra a seriedade essencial do estilo a pé nesta metrópole e, logo, a precisão de valorizá-lo e afirmar sempre que “A Pé Também É Transporte!”.

SERVIÇO:
Exposição: A Pé Também É Transporte
Onde: Estação Sé do Metrô (Linhas 1-Azul e 3-Vermelha) – Praça da Sé, s/n
Quando: até 31/03/2018; de domingo a sexta-feira, das 4h40 à 0h29; sábados, das 4h40 à 1h
Quanto: R$ 4,00 (valor integral do Metrô-SP)

Por Jorge Almeida

Anúncios

Exposição “Mulheres e Seus Infinitos” no Metrô Sé

“Mulher em Carne”, obra de Carol Mota em exibição na Estação Sé do Metrô. Foto: Jorge Almeida

A mostra “Mulheres e Seus Infinitos” seguem em cartaz até o final do mês, 31 de março, em exibição na Estação Sé do Metrô. A mostra contém 12 obras da artista plástica Carol Mota.

A artista cria em variados suportes obras de arte que nos desperta para a superioridade da mulher.

A mostra é uma crônica da delicadeza do sexo feminino e a força que ela transporta intimamente, de forma arguciosa e totalmente artística.

Entre os destaques estão as técnicas mistas “Mulher em Brigitte”, “Mulher em Carne” (foto) e “Mulher em Duas”.
Evidentemente que a exposição faz parte das comemorações do Dia Internacional da Mulher, celebrado no último dia 8 de março.

SERVIÇO:
Exposição: Mulheres e Seus Infinitos
Onde: Estação Sé do Metrô (Linhas 1-Azul e 3-Vermelha) – Praça da Sé, s/n
Quando: até 31/03/2018; de domingo a sexta-feira, das 4h40 à 0h29; sábados, das 4h40 à 1h
Quanto: R$ 4,00 (valor integral do Metrô-SP)

Por Jorge Almeida

Exposição “Minha Vista SP” no Metrô Sé

A mostra “Minha Vista SP” está em cartaz até o próximo dia 31 de janeiro na Estação Sé do Metrô e exibe onze registros da fotógrafa Christiane Rodrigues de Lima, que mostram a cidade e seus inúmeros arranha-céus.

Conhecida por ser uma cidade intensa, caótica e, ao mesmo tempo, acolhedora, São Paulo é múltipla, que tem um pouco de tudo e de todos. Ou seja, é um mundo dentro de uma metrópole. Cada pessoa, morador ou turista, mira e convive com a urbe ao seu modo e convive da sua beleza e do caos que permite espaço para todas as maneiras de expressão.

A concepção de Christiane procurar apresentar a metrópole de uma forma não muito convencional. Na rotina insana do cotidiano, o paulistano não tem noção do quão grande São Paulo é e, apesar da aparência cinzenta, contém beleza, alegria e poesia nessa amada “selva de concreto”.

As imagens foram captadas em 2015 e apresentam uma nova maneira de enxergar a cidade, com seus arranha-céus e uma grande quantidade variada de formas arquitetônica e de detalhes que costumeiramente não são notados em função da pressa e da correria de seus habitantes.

A fotógrafa registros locais como a Avenida São João, o Mosteiro São Bento, o Museu Catavento e o Parque Dom Pedro II, por exemplo.

SERVIÇO:
Exposição: Minha Vista SP
Onde: Estação Sé do Metrô (Linhas 1-Azul e 3-Vermelha) – Praça da Sé, s/n
Quando: até 31/01/2018; de domingo a sexta-feira, das 4h40 à 0h29; sábados, das 4h40 à 1h
Quanto: R$ 4,00 (valor integral do Metrô-SP)

Por Jorge Almeida

Exposição “São Paulo, a Estação do Carnaval” no Metrô Sé

A Estação Sé do Metrô está com a exposição “São Paulo, a Estação do Carnaval” em cartaz até o próximo dia 31 de janeiro, e traz cerca de 30 fotografias de Eduardo Schwartzberg que abordam a Folia de Momo, com painéis fotográficos com diversas personalidades que fazem parte do cotidiano dos sambistas.

A mostra é um tributo ao trabalho de gente que faz todo sacrifício em prol do crescimento do samba paulistano, além de ser um complemento ao aniversário da cidade de São Paulo que, em 2018, chega aos seus 464 anos.

O usuário do Metrô poderá conferir os mais esplêndidos momentos originários dos desfiles das escolas de sambas e blocos carnavalescos da cidade de São Paulo.

Personalidades como “Tia Gleusi, Thobias da Vai-Vai e Joana Barros”, “Marko Antônio Silva – Eterno Presidente da Tom Maior”, “Camisa Silva – 10 Anos Rainha de Bateria da Vai-Vai” e “Gigi Gaviões”, por exemplo, podem ser vistos, assim como um antigo registro do “Corso de Carnaval – Avenida Paulista – 1930”.

A exposição é complementada por duas ilustrações – “Alerquim” e “Pierrot” – de Eloir Jr.

SERVIÇO:
Exposição: São Paulo, a Estação do Carnaval
Onde: Estação Sé do Metrô (Linhas 1-Azul e 3-Vermelha) – Praça da Sé, s/n
Quando: até 31/01/2018; de domingo a sexta-feira, das 4h40 à 0h29; sábados, das 4h40 à 1h
Quanto: R$ 4,00 (valor integral do Metrô-SP)

Por Jorge Almeida

Exposição “Juntos Pintando” na Estação Sé do Metrô

A youtuber Nah Cardoso retratada no projeto do artista plástico Sérgio Astral. Foto: Jorge Almeida

A Estação Sé do Metrô realiza até o próximo dia 31 de agosto a mostra “Juntos Pintando” que traz cerca de 20 obras do artista plástico Sérgio Astral voltado à inclusão social.

O projeto tem como objetivo trabalhar com crianças e jovens entre 6 e 15 anos, permitindo que eles descubram através da arte um mundo inexplorado por eles e que tem um grande destaque nas redes sociais como a plataforma Youtube.

Durante um período, Astral lecionou aulas de artes na periferia de São Paulo na ONG Jardim Unidos Num Trabalho de Obras Sociais (JUNTOS), e contou com o empenho dos alunos e dessa forma veio o conceito de pintar alguns dos ilustres youtubers.

O artista enaltece que cada obra contou a participação de “várias mãos” e que só tratou de orientar os alunos e dar os últimos retoques e, como o resultado disso, manteve característicos os traços da Pop Art e suas cores vibrantes e vivas.

Entre os youtubers retratados, por exemplo, estão “Nah Cardoso” (foto), Vish Tube e Isaac do Vine, entre outros.

SERVIÇO:
Exposição: Juntos Pintando
Onde: Estação Sé do Metrô (Linhas 1-Azul e 3-Vermelha) – Praça da Sé, s/nº – Centro
Quando: até 31/08/2017; de domingo a sexta-feira, das 4h40 à 0h29; sábados, das 4h40 à 1h
Quanto: R$ 3,80 (valor da tarifa integral do Metrô-SP)

Por Jorge Almeida

Exposição “A Cidade no Buraco da Agulha” no Metrô Sé

Alguns modelos de pinholes em exibição na Estação Sé do Metrô. Foto: Jorge Almeida

A Estação Sé do Metrô está com a exposição “A Cidade no Buraco da Agulha”, que reúne cerca de 30 registros de Lelo Néspoli, em que o fotógrafo registra diferentes locais de São Paulo captadas por câmeras do tipo pinhole (buraco da agulha), de diversos formatos. A mostra fica em cartaz até o dia 31 de agosto de 2017.

Considerado um dos procedimentos mais antigos de gravar imagens, a arte de fotografar com pinhole é, costumeiramente, idealizada com câmeras artesanais elaboradas com caixas ou latas, de formas e tamanhos variados, feito de forma simples. Essa câmera pinhole, literalmente, é o “buraco da agulha”.

Em alguns registros, é possível perceber o desenvolvimento na resolução das imagens ao se utilizar filmes nas câmeras no lugar de papel fotográfico: os filmes mais sensibilizados pela luz do que o papel fotográfico. Já o desenvolvimento de filmes infravermelhos tolerou obterem-se imagens pinhole diferentes das obtidas no papel e nos filmes comuns.

O autor das imagens, o professor de Física Lelo Néspoli, que trabalha desde 2005 com pinhole, registrou locais como o Anhangabaú, a Estação da Luz, o Museu Paulista (do Ipiranga) com esse material.

SERVIÇO:
Exposição:
A Cidade no Buraco da Agulha
Onde: Estação Sé do Metrô (Linhas 1-Azul e 3-Vermelha) – Praça da Sé, s/nº – Centro
Quando: até 31/08/2017; de domingo a sexta-feira, das 4h40 à 0h29; sábados, das 4h40 à 1h
Quanto: R$ 3,80 (valor da tarifa integral do Metrô-SP)

Por Jorge Almeida

Exposição “Nós” no Metrô Sé

“Copeira – Cape Town – África do Sul” (2015), registro de Paulo Fridman em exposição no Metrô Sé. Créditos: divulgação

Os usuários do Metrô de São Paulo poderão conferir a exposição “Nós” até o próximo dia 31 de maio, quarta-feira, na Estação Sé. Com 15 imagens de Paulo Fridman, a mostra traz fotografias de trabalhadores do mundo afora.

Andando pelo mundo afora, inclusive pelo Brasil adentro, Paulo Fridman registrou diversas categorias de trabalhadores em seus lugares de onde tiram o seu “pão nosso de cada”, em planos quase abertos, onde são vistas as formas plásticas do ambiente, público e/ou provado, de cada um deles.

O fotógrafo demonstra intensa desenvoltura com quem está sendo retratado, visando neles a imagem e a palavra. Assim, ele mostra todos parados diante de sua lente, observando, como se pudéssemos ler as mentes dos fotografados questionando-o: “Quem é você? Por que me retratas?”.

As imagens mostram, em ter as panelas de barro e guardas de trânsito, a recicladora e o amolador de facas, enfim, pessoas das mais variadas fisionomias, traços e nacionalidades, desde paraenses, como o da foto acima, registrada em 2015, que é de uma copeira de Cape Town, África do Sul.

Além dele, destaques para “Laércio Santos da Silva, vendedor de CD’s, do Mercado Ver-o-Peso, de Belém (PA)”, “Cuidador de Camelo, Rajastão, Índia” (2008), e “Prostituta, Bangkok” (2013).

SERVIÇO:
Exposição:
Nós
Onde: Estação Sé do Metrô (Linha 1-Azul / Linha 3-Vermelha) – Praça da Sé, s/nº – Centro
Quando: até 31/05/2017; de domingo a sexta-feira, das 4h40 à 0h29; sábados, das 4h40 à 1h
Quanto: R$ 3,80 (valor da tarifa integral do Metrô-SP)

Por Jorge Almeida