SÓ ATÉ SEXTA: Exposição “O Mundo Como Ele Não É” no Espaço Cultural Citi

"Empire", uma acrílica sobre tela de Ivan Pinheiro Machado. Foto: Jorge Almeida
“Empire”, uma acrílica sobre tela de Ivan Pinheiro Machado. Foto: Jorge Almeida

O Espaço Cultural Citi realiza até a próxima sexta-feira, 6 de junho, a exposição “Ivan Pinheiro Machado: O Mundo Como Ele Não É”, que apresenta um conjunto de 28 telas de Ivan Pinheiro Machado, em que o artista reproduz cenas do cotidiano da cidade de Nova Iorque.

Ao basear-se em fotografias da capital cultural do mundo, Machado procura uma estética realista através dos pormenores da megalópole.

Em um primeiro momento, ao nos deparar com as obras, pensamos que estamos a lidar com trabalhos de fotografia documental, mas que, na verdade, trata-se de pinturas que, de acordo com Jacob Klintowitz, pode ser “chamado de pop art ou hiper-realismo”.

Entre os pontos de N.Y.C. ilustrados por Ivan Pinheiro Machado, por exemplo, estão a Velha Chinatown, a Victoria’s Secret e o Empire States Building (foto), imponente arranha-céu de 102 andares.

SERVIÇO:
Exposição: Ivan Pinheiro Machado: O Mundo Como Ele Não É
Onde: Espaço Cultural Citi – Avenida Paulista, 1111
Quando: até 06/06/2014; de segunda a sexta, das 9h às 19h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

SÓ ATÉ SEXTA: Exposição reúne obras de Inos Corradin no Espaço Cultural Citi

Algumas esculturas de Inos Corradin em exposição no Espaço Cultural Citi. Foto: Jorge Almeida
Algumas esculturas de Inos Corradin em exposição no Espaço Cultural Citi. Foto: Jorge Almeida

A mostra “Inos Corradin: No Percurso da Arte, o Artista na Estrada” está em cartaz até a próxima sexta-feira, 21 de março, no Espaço Cultural Citi e reúne cerca de 30 obras, entre esculturas e série de pinturas recentes, do artista Inos Corradin.

Para Jacob Klintowitz, “a produção de Inos Corradin é esfuziante e certamente ele é um exemplar raro do artista que cria por prazer”. Essa é uma perfeita definição que o curador fez para o trabalho do artista de 85 anos.

A proposta das obras do artista se detém nos casarios e vilas, nas paisagens, o espaço aéreo e o céu como personagens, além da iconografia centrada na figura humana.

Entre os destaques estão as esculturas “Saxofonista”, “Equilíbrio”, “Equilibrista com Cartola” e “Arlequim com Bola”.

SERVIÇO:
Exposição: Inos Corradin: No Percurso da Arte, o Artista na Estrada
Onde: Espaço Cultural Citi – Avenida Paulista, 1111 – Cerqueira César
Quando: até 21/03/2014; de segunda a sexta, das 9h às 19h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

Exposição “Braz Dias e Astrid Salles: O Flautista Azul e Os Estandartes” no Espaço Cultural Citi

"Refazendo o Percurso" (2013), técnica mista sobre tecido, de Astrid Salles. Foto: Jorge Almeida
“Refazendo o Percurso” (2013), técnica mista sobre tecido, de Astrid Salles. Foto: Jorge Almeida

O Espaço Cultural Citi apresenta até o próximo dia 3 de janeiro a mostra “Braz Dias e Astrid Salles: O Flautista Azul e Os Estandartes”, que exibe cerca de 30 obras dos dois artistas, entre pinturas, estandartes e recortes em MDF.

A exposição de estandartes significa comemoração e alegria, segundo Astrid Salles: “a proposta dos estandartes é trazer a dança da terra. O estandarte é uma peça leve, maleável, para ser levada dançando ao som de atabaques”, afirma.

Os dois artistas já realizaram mostras pelo Brasil e pela Europa e, agora, o público paulistano poderá ver a união das pinturas de Braz Dias e os festejos dos estandartes de Astrid Salles no espaço.

Entre as principais atrações da mostra estão “Última Saída” (2003), uma acrílica sobre tela de Braz Dias, e “Refazendo o Percurso” (foto), de Astrid Salles.

SERVIÇO:
Exposição: Braz Dias e Astrid Salles: O Flautista Azul e Os Estandartes
Onde: Espaço Cultural Citi – Avenida Paulista, 1111 – Cerqueira Cesar
Quando: até 03/01/2014; de segunda a sexta, das 9h às 19h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

Exposição “Quando a Aparência é a Natureza Íntima das Coisas” no Espaço Cultural Citi

A obra "Serra Negra", de Guyer Salles no Espaço Cultural Citi. Foto: Jorge Almeida
A obra “Serra Negra”, de Guyer Salles, no Espaço Cultural Citi. Foto: Jorge Almeida

Os paulistanos têm até o próximo dia 2 de agosto para visitar a mostra “Quando a Aparência é a Natureza Íntima das Coisas”, que reúne 25 obras do artista Guyer Salles.

Por meio de suas aquarelas, pinturas e gravuras, Salles aborda assuntos costumeiros do cotidiano em sua produção.

Ou seja, nos trabalhos do artista vemos coisas simples como paisagens, peixes na água, vasos de flores, “natureza-morta”, animais repousando, enfim, coisas corriqueiras.

Em meio aos destaques estão a aquarela “2 Nishiki-goys” (2010); “Vaca no Pasto” (1984) – Não! Não é a famosa “Vaca comendo no pasto” do seriado Chaves -; e a gravura em metal “Serra Negra” (1997).

SERVIÇO:
Exposição: Quando a Aparência é a Natureza Íntima das Coisas
Onde: Espaço Cultural Citi – Avenida Paulista, 1111
Quando: até 02/08/2013; de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

Exposição “Manu Maltez – O Fragmento e o Paradoxo” no Espaço Cultural Citi

O Espaço Cultural Citi realiza até o próximo dia 24 de maio a exposição “Manu Maltez – O Fragmento e o Paradoxo”, que reúne cerca de 30 obras, em diversas técnicas, gravuras sobre metal, um painel, além de sete livros, duas fotos e dois CD’s com a participação do artista.

Manu Maltez faz gravura, toca contrabaixo, compõe, ilustra poemas e outras “cositas más” e isso, de acordo com Jacob Klintowitz, que faz a curadoria da mostra, “explica porque a sua imagem pessoal é um pouco difusa”.

E, ainda segundo o curador, o desenho de Maltez é “feito de densidades diferentes, gestual e preciso ao mesmo tempo, muitas vezes ele lembra os esboços e estudos de mestres renascentistas”.

Particularmente, me chamou atenção um nanquim sobre papel intitulado “Cavalo” e o autorretrato (foto).

SERVIÇO:
Exposição: Manu Maltez – O Fragmento e o Paradoxo
Onde: Espaço Cultural Citi – Avenida Paulista, 1.111 – Cerqueira César
Quando: até 24/05/2013; de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h; sábado, domingo e feriados, das 10h às 17h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

Exposição “Isabelle Tuchband e a Narrativa Primordial” no Espaço Cultural Citi

Dois dos quatro vasos expostos na mostra de Isabelle Tuchband. Foto: Jorge Almeida
Dois dos quatro vasos de cerâmica expostos na mostra de Isabelle Tuchband. Foto: Jorge Almeida

O Espaço Cultural Citi promove até o próximo dia 15 de março a exposição “Isabelle Tuchband e a Narrativa Primordial” que apresenta 30 obras entre pinturas e cerâmica.

De acordo com o curador Jacob Klintowitz, a obra de Tuchband tem um jeito pessoal e um método em produzir incessantemente. A pesquisa de cores e formas e o risco em diversos suportes, constitui o que ele diz ser “Método Tuchband de inventar”. E que, “em Isabelle Tuchband a sua atividade é impregnada de transbordamento, gestos e cores que beiram o delírio”.

Entre os destaques da mostra estão “Orson Welles” (1998), uma acrílica sobre Eucatex; “Deusa da Fortuna”, de 2012, uma acrílica sobre fotografia; e uma colagem sobre tela intitulada “Shaila” (2012).

Além disso, há uma foto da artista captada em seu ateliê na entrada do espaço positivo. O fotógrafo Cláudio Wakahara assina o registro.

SERVIÇO:
Exposição: Isabelle Tuchband e a Narrativa Primordial
Onde: Espaço Cultural Citi – Avenida Paulista, 1111 – Cerqueira César
Quando: até 15/03/2013; de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

Exposição “Quando a Palheta é a Alma do Artista” no Espaço Cultural Citi

Algumas esculturas da série "Totem Emblemático", de César Romero. Foto: Jorge Almeida
Algumas esculturas da série “Totem Emblemático”, de César Romero. Foto: Jorge Almeida

O Espaço Cultural Citi realiza até o próximo dia 4 de janeiro a exposição “Quando a Palheta é a Alma do Artista”, que reúne 27 obras do artista César Romero, cujas características em suas pinturas são a fluidez e a continuidade.

São 17 pinturas da série “Faixa Emblemática” e dez esculturas em médias dimensões intituladas “Totem Emblemático”.

As esculturas foram apresentadas pelo artista pela primeira vez em São Paulo e são constituídas por blocos de madeira maciça e texturizações no corpo da escultura em papel amassado.

César Romero tem como característica notória em sua produção a capacidade de incrementar elementos da religiosidade e criatividade popular, e transformá-los em partitura pictórica erudita.

SERVIÇO:
Exposição: Quando a Palheta é a Alma do Artista
Onde: Espaço Cultural Citi – Avenida Paulista, 1111 – Cerqueira César
Quando: até 04/01/2013; de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida