Atlético de Madrid: campeão da Audi Cup 2017

Jogadores do Atlético de Madrid comemoram o título da Audi Cup. Foto: Ángel Gutiérrez

Depois de empatarem em 1 a 1 no tempo normal, o Atlético de Madrid sagrou-se campeão da Audi Cup 2017 depois de superar o Liverpool na disputa de pênaltis por 5 a 4 nesta quarta-feira (2), no Allianz Arena, em Munique. Os Colchoneros saíram na frente com o albanês Bare no primeiro tempo e os Reds chegaram ao empate através de cobrança de pênalti pelo brasileiro Roberto Firmino, na etapa final. Nos pênaltis, o volante Henderson, do LFC, teve sua cobrança defendida por Moyá. Essa foi a primeira final do torneio amistoso sem ter a presença da equipe anfitrião, o Bayern de Munique.

A partida começou morna, sem chances de gol. A primeira veio aos dez minutos e foi do Liverpool. Mané começou a jogada pelo meio, abriu para Woodburn, que cruzou para Solanke desviar de cabeça e mandar a bola à esquerda de Moyá. Quatro minutos depois, os Reds chegaram novamente. Lallana recebeu na direita e cruzou para Woodburn, que tentou um voleio, mas não pegou bem na bola e mandou para fora sem levar perigo ao goleiro colchonero.

O Atlético de Madrid tentou cadenciar o jogo enquanto o Liverpool seguiu tentando pressionar o adversário. Essa situação permaneceu até os 33 minutos, quando os Colchoneros foram as redes. Vrsaljko recebeu lançamento na direita e cruzou de primeira para a área para Correa finalizar de direita, exigindo um milagre de Ward, a bola tocou no travessão e voltou para o albanês Keidi Bare que, livre, cabeceou para o gol vazio.

Depois do gol, a equipe inglesa buscou o ataque, mas parou na sólida defesa do time de Madrid, que foi para o intervalo com a vitória parcial.

E, como já era de se esperar em um torneio amistoso, na volta para o segundo tempo (e ao longo da etapa final), as duas equipes fizeram várias alterações.

Mas, logo no primeiro minuto, Solanke recebeu cruzamento de Henderson na área, finalizou, mas foi travado por Lucas no momento certo, e mandou a redonda para escanteio. E, como foi no primeiro tempo, as duas equipes caíram de rendimento e Jürgen Klopp e Diego Simeone aproveitaram para fazer as alterações. Aos 17, o Liverpool chegou novamente. Robertson cruzou da esquerda, Gimenez deu um leve desvio na bola e, por pouco, não fez um gol contra. A redonda passou à esquerda do gol de Moyá.

O jogo seguiu chato com as duas equipes sem atacar, enquanto isso, dá-lhe substituições. A situação perdurou até os 29 minutos quando os ingleses tiveram duas oportunidades seguidas. Primeiro, foi com Grujić. Após uma boa trama, Firmino deixou o camisa 16 na área, que mandou por cima da meta. No lance seguinte, Origi dominou na área e finalizou forte e rasteiro, mas a bola foi para fora.

E, seis minutos depois, o mesmo Origi recebeu na área, tentou achar um espaço para chuta quando foi pisado por Gabi dentro da área. Pênalti. Na cobrança, Roberto Firmino bateu com categoria e pôs a bola no canto oposto de Moyá. Empate na Allianz Arena.

Depois de ter ficado praticamente todo o segundo tempo sem atacar, a equipe de Diego Simeone, assim como o Liverpool, teve duas chances seguidas nos minutos finais. Aos 43, depois de uma cobrança de escanteio rasteira, a bola foi desviada por Gabi no primeiro pau e Ward fez uma defesa fantástica. Na sequência, depois de mais um córner, a redonda ficou viva na área dos Reds, Savić arriscou, mas a bola foi por cima.

E, antes de consolidar o empate, o Liverpool ainda criou outra oportunidade. Robertson recebeu na esquerda, avançou e soltou uma bomba cruzada. Moyá não alcançou e a bola passou triscando a trave. Mas o jogo ficou mesmo no empate em 1 a 1 e a Audi Cup foi decidida nos pênaltis.

Nas cobranças, Firmino abriu a série para o Liverpool convertendo a sua, Griezmann empatou, Henderson parou em Moyá, que defendeu a cobrança com o pé, na sequência, todos os batedores das duas equipes converteram seus penais: Torres, Origi, Gabi, Kent, Nico Gaitán, Grujić e coube ao brasileiro Filipe Luís bater o pênalti que deu o título da Audi Cup para o Atlético de Madrid.

Liverpool e Atlético de Madrid fizeram um feito na curta história da Audi Cup: deixaram o anfitrião de fora da decisão. Assim, os Reds entraram em campo com a moral de ter eliminado a equipe da casa, o Bayern de Munique, nas semifinais por acachapantes 3 a 0. Na final, a equipe de Jürgen Klopp tentou pressionar os Colchoneros, mas a retranca bem armada por Diego Simeone não permitiu que os ingleses sobrassem no campo e levassem tanto perigo a Moyá. E, na primeira investida ao ataque, o Atlético chegou ao gol aos 33 minutos da etapa inicial com Keidi Bare. A situação permaneceu semelhante no segundo tempo, e o Liverpool só conseguiu chegar ao empate por conta de um pênalti cometido por Gabi. O brasileiro Roberto Firmino converteu a cobrança com categoria. Nos pênaltis, todos os batedores, exceto Henderson que parou em Moyá, mostraram eficiências nas cobranças, e assim, o Atlético de Madrid repetiu o feito do Barcelona e é a segunda equipe, fora o Bayern de Munique, a conquistar o torneio.

E, na disputa do terceiro lugar, que aconteceu mais cedo no mesmo Allianz Arena, o Bayern de Munique foi derrotado pelo Napoli por 2 a 0.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da final.

Semifinais:
1º/08/2017 – Atlético de Madrid (ESP) 1×1 Napoli (ITA) – Allianz Arena, Munique
Final:
02/08/2017 – Liverpool (ING) (4)1×1(5) Atlético de Madrid (ESP) – Allianz Arena, Munique

FICHA TÉCNICA: LIVERPOOL (4)1×1(5) ATLÉTICO DE MADRID (ESP)
Competição/fase:
Audi Cup 2017 – final (jogo único)
Local: Allianz Arena, Munique, Alemanha
Data: 2 de agosto de 2017, quarta-feira – 15h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Felix Brych (Alemanha)
Cartões Amarelos: Mané, Milner, Gomez e Klavan (Liverpool); Sergi (Atlético de Madrid)
Gols: Bare, aos 33 min do 1º tempo (0-1); e Roberto Firmino (de pênalti), aos 38 min do 2º tempo (1-1)
Pênaltis convertidos: Firmino, Origi, Kent e Grujić (Liverpool); Griezmann, Torres, Gabi, Nico Gaitán e Filipe Luís (Atlético de Madrid)
Pênalti desperdiçado: Henderson (Liverpool)
LIVERPOOL (ING): 52.Ward; 38.Flanagan (Matip), 12.Gomez, 17.Klavan, 7.Milner (9.Firmino); 23.Can (26.Robertson), 20.Lallana (16.Grujić) e 5.Wijnaldum (53.Ejaria);19.Mané (14.Henderson), 58.Woodburn (40.Kent) e 29.Solanke (27.Origi). Técnico: Jürgen Klopp
ATLÉTICO DE MADRID (ESP): 1. Moyá, 16.Vrsaljko (20.Juanfran), 24.Giménez, 19.Lucas Hernandéz (22.Nico Gaitán), 29.Sergi González (14.Gabi); 23.Kranevitter (22.Nico Gaitán), 12.Augusto Fernández (7.Griezmann), 5.Partey (15.Savić) e  27.Keidi (3.Felipe Luis); 11.Correa (9.Fernando Torres) e 17.Vietto (33.Diedhiou). Técnico: Diego Simeone

Parabéns ao Clube Atlético de Madrid pela conquista.

Por Jorge Almeida

UEFA sorteou os duelos das semifinais da Champions e Liga Europa

Sorteios dos confrontos das semifinais da Champions e Liga Europa fo foram realizados na sede da UEFA. Créditos: Getty Images

Nesta sexta-feira (21), a UEFA realizou em sua sede, em Nyon, na Suíça, os sorteios dos confrontos das semifinais de suas duas principais competições interclubes: UEFA Champions League e UEFA Europa League. As duas competições terão, respectivamente, suas finais realizadas em Cardiff, no País de Gales, e Estocolmo, na Suécia.

Pela principal competição da entidade, as semifinais foram definidas entre Real Madrid x Atlético de Madrid de um lado, e Monaco x Juventus do outro.

Os rivais da capital espanhola se enfrentam em dois duelos em clima de revanche para os Colchoneros. Afinal, os dois fazem uma reedição da final da última temporada, que foi vencida pelos Merengues nos pênaltis. Aliás, na história da competição, o Real Madrid levou a melhor diante do rival em outras três ocasiões: nas semifinais da edição de 1958/59, a final da temporada 2013/14 e eliminou o adversário nas quartas-de-final no biênio 2014/15. Na atual temporada, pela Liga Espanhola, as equipes de Zinedine Zidane e de Diego Simeone se enfrentaram duas vezes, com vitória de 3 a 0 dos comandados do técnico francês e um empate em 1 a 1 no Santiago Bernabéu. Os dois confrontos serão realizados nos dias 2 e 10 de maio, sendo o primeiro na casa do Real e o segundo no Vicente Calderón, logo, ambos em Madri.

A outra semifinal será entre Monaco e Juventus. Na história, os dois clubes se enfrentaram nas semifinais da temporada 1997/98 e nas quartas-de-final de 2014/15 e, em ambas, a Vecchia Signora levou a melhor. Na primeira, a Juve derrotou a equipe do Principado por 4 a 1 na ida e perdeu por 3 a 2 na volta. Mas, na final, os bianconeros foram derrotados pelo Real Madrid por 1 a 0, com gol de Mijatović. E o outro confronto, válido pelas quartas-de-finais, a Juventus se classificou ao vencer o Monaco por 1 a 0 no primeiro jogo (gol de Arturo Vidal, atualmente no Bayern de Munique, cobrando pênalti) e o duelo de volta terminou em 0 a 0. Agora, os confrontos ocorrerão em 3 e 9 de maio, sendo a ida no Stade Louis III, em Mônaco, e a volta no Juventus Stadium.

No sorteio da outra competição da UEFA ficou determinado que Ajax e Lyon farão uma das semifinais enquanto Celta de Vigo e Manchester United medirão forças na outra semi.

Holandeses e franceses já fizeram quatro jogos entre si, mas todos válidos pela fase de grupo da UEFA Champions League. O Ajax venceu os dois jogos feitos na temporada 2002/03 – 2 a 1 em casa e 2 a 0 fora – e, em 2011/12, os dois times empataram em 0 a 0 em dois compromissos. Os embates serão realizados nos dias 3 e 11 de maio.

Enquanto isso, Celta de Vigo e Manchester United nunca se enfrentaram em competições de clubes da UEFA. O desempenho do clube espanhol contra ingleses é de cinco vitórias e quatro derrotas, sendo que perderam os últimos três jogos contra equipes da terra da rainha. Já o desempenho dos Diabos Vermelhos diante de espanhóis, em 47 jogos, é de 12 vitórias, 16 derrotas e 19 empates. O atacante do Celta, Giuseppe Rossi, defendeu as cores do clube do Old Trafford de 2004 a 2007. As duas equipes farão os confrontos que, até então eram inéditos, nos dias 4 e 11 de maio.

A decisão da UEFA Champions League ocorrerá no dia 3 de junho no National Stadium Of Wales, em Cardiff, no País de Gales, enquanto a final da UEFA Europa League, por sua vez, será realizada no Friends Arena, em Estocolmo, na Suécia, no próximo dia 24 de maio.

E que tenhamos excelentes jogos em ambas semifinais.

Por Jorge Almeida

Saíram os semifinalistas da UEFA Champions League

Semifinalistas da UEFA Champions League foram definidos nesta quarta-feira. Créditos: divulgação/uefa.com

Com a realização de dois jogos nesta quarta-feira (19), a UEFA Champions League 2016-2017 têm os seus semifinalistas definidos. Real Madrid, Atlético de Madrid, Juventus e Monaco se classificaram para fase seguinte ao deixarem nas quartas-de-final Bayern de Munique, Leicester City, Barcelona e Borussia Dortmund, respectivamente. O sorteio para a disputa das semifinais será realizado na sexta-feira (21) e os jogos estão previstos para acontecer nos dias 2,3, 9 e 10 de maio.

Atual campeão do torneio, o Real Madrid conseguiu a sua classificação para as semifinais na terça-feira (18) ao derrotar o Bayern de Munique por 4 a 2 no Santiago Bernabéu. Os Merengues, que haviam vencido a equipe da Baviera no confronto de ida por 2 a 1, saíram na frente com Cristiano Ronaldo no primeiro tempo, mas Lewandowski e Sergio Ramos (contra) viraram o jogo para os bávaros e forçou a realização da prorrogação e, antes do término do tempo regulamentar, o Bayern perdeu Arturo Vidal por expulsão. No tempo extra, o Real Madrid deslanchou e fez mais três gols, sendo dois de CR7 e outro de Ansensio. Os alemães reclamaram da arbitragem que expulsou injustamente o meiocampista chileno e, além disso, em um dos três gols do camisa 7 madridista estava completamente impedido, mas ignorado pelo assistente.

O rival local dos Merengues, o Atlético de Madrid, também chegou as semifinais no mesmo dia. Os Colchoneros empataram em 1 a 1 contra o Leicester City no King Power Stadium. A equipe de Diego Simeone havia levado a melhor diante do surpreendente time de Craig Shakespeare na semana passada ao vencer por 1 a 0. Na Inglaterra, os visitantes saíram na frente com Saúl e o empate dos Foxes veio com Verdy. Os anfitriões foram para o abafa, mas o clube de Madri segurou a vantagem e segue na busca do sonho em erguer a “orelhuda” pela primeira vez.

Outro espanhol que entrou em campo em busca das semifinais, dessa vez nesta quarta, foi o Barcelona. Os Blaugranas receberam a Juventus no Camp Nou com a ingrata missão de fazer quatro gols para conseguir a vaga ou, ainda, golear o adversário por três gols de diferença para levar a partida para a prorrogação. Embora tivesse entrado em campo contra a Juve com uma desvantagem menor em relação ao confronto contra o PSG nas quartas-de-final, dessa vez o Barça, em especial o trio MSN, não foi tão efetivo nas finalizações e ficaram no empate sem gols contra a sólida defesa da Vecchia Signora, que vingou-se da derrota sofrida na final da Champions 2014/15 para os catalães.

E no único embate que não envolveu equipes espanholas foi entre Monaco e Borussia Dortmund. A equipe do Principado encarou os aurinegros com a vantagem de ter vencido o primeiro jogo na casa do adversário na ida por 3 a 2. E, ainda no começo da partida, no Estádio Louis II, em Mônaco, o time alvirrubro saiu na frente logo aos três minutos com Mbappé, que ampliou o placar aos 16 com Falcao García. O Borussia, que precisava fazer três gols no segundo tempo para levar a partida para a prorrogação, descontou com Reus no começo da etapa complementar, mas Germain, aos 35 minutos, praticamente selou a classificação do Monaco para as semifinais e, consequentemente, fazendo 6 a 3 no placara agregado.

Dentre os semifinalistas, apenas Real Madrid e Juventus sentiram o gostinho de ganhar a UEFA Champions League, os Merengues por 11 vezes e a Vecchia Signora em duas oportunidades, sendo a última delas na temporada 1995/1996. Já os Colchoneros “bateram na trave” em três ocasiões: 1973/74, 2013/14 e 2015/16, incluindo as duas últimas para o arquirrival Real Madrid. Já a melhor participação do Monaco em uma Champions foi o vice-campeonato na temporada 2003/2004, quando perdeu a finalíssima para o Porto por 3 a 0.

O sorteio dos confrontos será realizado na próxima sexta-feira (21) na sede da UEFA, em Nyon, na Suíça.

Por Jorge Almeida

UEFA definiu os confrontos das quartas-de-final da Champions

Confrontos das quartas-de-final da UEFA Champions League 2016/2017. Créditos: Getty Images

A UEFA realizou em sua sede, em Nyon, na Suíça, nesta sexta-feira (17), os confrontos válidos pelas quartas-de-final da UEFA Champions League 2016/2017. As partidas de ida serão realizadas nos dias 11 e 12 de abril e os jogos de volta acontecerão nos dias 18 e 19 do mesmo mês. Destaque para os confrontos entre Bayern de Munique e Real Madrid, e Juventus versus Barcelona.

O primeiro jogo do confronto entre Atlético de Madrid e Leicester City será realizado no Vicente Calderón, na capital espanhola, no dia 12 de abril. Enquanto a volta acontecerá seis dias depois no King Power Stadium, na Inglaterra. Na história, duas das três campanhas em competições europeias do Leicester foram encerradas em confrontos contra os Colchoneros. O time espanhol derrotou os Foxes na extinta Recopa Europeia de 1961/1962 por 3 a 1, e também levou a melhor em dois confrontos realizados pela Copa da UEFA (vitórias por 2 a 1 em casa e 2 a 0 fora) na temporada 1997/1998. Além disso, o clube espanhol nunca perdeu em casa para uma equipe inglesa – cinco vitórias e cinco empates.

Já Borussiva Dortmund e Mônaco nunca se enfrentaram em uma competição oficial. E esse promete ser um duelo de muitos gols, pelo menos é o que se espera, conforme a postura ofensiva imposta pelos treinadores dos dois times. O compromisso de ida será realizado na Alemanha no dia 11 de abril e a volta será em 19 de abril no Louis II. Na história, os alemães enfrentaram equipes francesas em competições oficiais em 16 ocasiões, com seis vitórias, cinco empates e cinco derrotas. Apenas um revés ocorrera em casa.

Talvez o confronto mais aguardado desta quartas-de-final: Bayern de Munique x Real Madrid. O duelo entre o criador e a criatura. Logo, de um lado, Carlo Ancelotti, campeão europeu com o Real Madrid na temporada 2013/2014, agora treinando os Bávaros, do outro, o seu ex-auxiliar na campanha vitoria dos Merengues há três temporadas, Zinedine Zidane. Além desse duelo particular no banco de reservas, o embate também marcará o encontro de Toni Kroos e Xabi Alonso contra os seus ex-clubes. As duas equipes já se enfrentaram 22 vezes em torneios continentais, sendo 11 triunfos do Bayern, nove do Real Madrid e dois empates. Destaque para as últimas três vitórias do clube espanhol, inclusive os impiedosos 4 a 0 em Munique pela Champions 2013/2014, que foi a maior derrota da equipe da Baviera sofrida em casa nos torneios do Velho Continente. Sinceramente, não há favoritos neste confronto. O jogo de ida será no dia 12 de abril na Allianz Arena, em Munique, enquanto a partida derradeira ocorrerá no dia 18 no Santiago Bernabéu.

E, finalmente, Juventus x Barcelona, que farão uma reedição da final da edição 2014/2015 vencida pelos catalães, em Berlim, por 3 a 1. A Juve faz a primeira partida em casa, no dia 11, e o Barcelona será o anfitrião do compromisso na semana seguinte, em 19 de abril. Este jogo marcará o regresso de Daniel Alves ao Camp Nou, por onde defendeu as cores azul e grená por oito temporadas e conquistou 23 títulos. Motivado pela classificação heroica diante do PSG nas oitavas, o Barcelona tem um leve favoritismo, mas é bom os blaugranas não vacilarem contra a Vecchia Signora, que tem uma defesa mais sólida e, tecnicamente, melhor que a do time francês.

Não custa reforçar: a final, que será em jogo único, acontecerá no próximo dia 3 de junho (sábado) no Millenium Stadium, em Cardiff, no País de Gales.

A seguir, as datas e os locais dos confrontos das quartas-de-final da UEFA Champions League.

Data – Confronto – Local
Ida:
11/04/2017 – Juventus (ITA) x Barcelona (ESP) – Juventus Stadium, Turim
11/04/2017 – Borussia Dortmund (ALE) x Mônaco (FRA) – Signal Iduna Park, Dortmund
12/04/2017 – Bayern de Munique (ALE) x Real Madrid (ESP) – Allianz Arena, Munique
12/04/2017 – Atlético de Madrid (ESP) x Leicester City (ING) – Vicente Calderón, Madri

Volta:
18/04/2017 – Leicester City (ING) x Atlético de Madrid (ESP) – King Power Stadium, Leicester
18/04/2017 – Real Madrid (ESP) x Bayern de Munique (ALE) – Santiago Bernabéu, Madri
19/04/2017 – Mônaco (FRA) x Borussia Dortmund (ALE) – Louis II, Mônaco
19/04/2017 – Barcelona (ESP) x Juventus (ITA) – Camp Nou, Barcelona

Por Jorge Almeida

Definidos os classificados para as quartas-de-final da UEFA Champions League 2016/2017

UEFA definirá os confrontos das quartas-de-final da UEFA Champions League na sexta-feira (15). Créditos: uefa.com

Os oito classificados para as quartas-de-final da UEFA Champions League 2016/2017 foram definidos nesta quarta-feira (15) ao término dos dois últimos confrontos das oitavas-de-final – Mônaco 2×0 Manchester City e Atlético de Madrid 0x0 Bayer Leverkusen. Dessa forma, seguem na competição três clubes espanhóis (Barcelona, Real Madrid e Atlético de Madrid), um inglês (Leicester), dois alemães (Bayern de Munique e Borussia Dortmund), um italiano (Juventus) e um francês (Mônaco). Os confrontos da próxima fase serão definidos em um sorteio que será realizado às 8h (horário de Brasília) na sede da UEFA.

O Bayern de Munique foi na terça-feira (7) passada até Londres pegar o Arsenal com uma enorme vantagem. Depois de ter feito 5 a 1 na Allianz Arena, os bávaros repetiram o mesmo placar no Emirates Stadium, fazendo assim 10 a 2 no placar agregado. Essa foi a quarta vez que os Gunners caem nas oitavas-de-final para os alemães na Champions desde 2005.

Assim como a equipe da Baviera, no mesmo dia, o Real Madrid também avançou e repetiu o placar nos dois confrontos diante do Napoli. Depois de ter vencido o time napolitano em casa por 3 a 1, os Merengues fizeram 6 a 2 no agregado no time italiano e segue firme e forte na busca da 12ª taça da competição.

Outro representante alemão que segue no torneio é o Borussia Dortmund. Após perder o jogo de ida para o Benfica por 1 a 0, no Estádio da Luz, os aurinegros não tomaram conhecimento dos Encarnados e golearam o adversário por 4 a 0 no Signal Iduna Park. A partida foi disputada no dia 8 de março.

Dentre todos os classificados, o Barcelona era o que tinha a maior desvantagem. Depois de levar acachapantes 4 a 0 do Paris Saint-Germain no Parc des Princes, a equipe catalã precisava de um milagre para reverter a situação. Aliás, nunca na história da Liga dos Campeões, um clube conseguira reverter tamanha goleada. Contudo, em uma partida épica, o Barça atropelou o PSG com impiedosos 6 a 1, sendo que os últimos três gols saíram a dez minutos do fim da partida. Lembrando que o Barcelona fez dois gols de pênaltis e os franceses ainda tiveram o zagueiro Marquinhos expulso no segundo tempo.

Ontem (14) foi a vez da Juventus assegurar sua vaga para as quartas-de-final. A Vecchia Signora recebeu o Porto em casa e venceu por 1 a 0. Como derrotara o time português no primeiro jogo por 2 a 0, a Juve conseguiu uma classificação relativamente tranquila.

A grande sensação desta edição da Champions chegou pela primeira vez às quartas-de-final da competição. Atual campeão inglês, o Leicester deixou o Sevilla pelo caminho. Embora tenha perdido para o time de Jorge Sampaoli na ida por 2 a 1, o azarão inglês não se intimidou e derrotou o maior campeão da Liga Europa por 2 a 0 em seu estádio e seguem em busca do sonho.

O Mônaco será o representante francês nas quartas. O clube do principado derrotou o endinheirado Manchester City em casa por 3 a 1. Como havia perdido o jogo de ida no Etihad Stadium por 5 a 3, o time alvirrubro foi beneficiado pelos gols marcados na casa do adversário.

E, finalmente, o Atlético de Madrid segue na busca de sua inédita Champions. Os comandados de Diego Simeone empataram no Vicente Calderón com o Bayer Leverkusen em 0 a 0. Porém, como vencera o compromisso de ida por 4 a 2, os Colchoneros avançaram para a fase seguinte.

Os confrontos das quartas-de-final da competição europeia serão definidos após sorteio que acontecerá na próxima sexta-feira (17), às 9h (horário de Brasília), na sede da UEFA, em Nyon, na Suíça.

As partidas de ida das quartas-de-final serão realizadas nos dias 11 e 12 de abril e os jogos de volta acontecerão nos dias 18 e 19 de abril.

Parabéns aos classificados.

Por Jorge Almeida

Real Madrid: campeão da UEFA Champions League 2015-2016

Jogadores do Real Madrid comemoram o título da Champions. Foto: EFE
Jogadores do Real Madrid comemoram o título da Champions. Foto: EFE

Depois de um empate em 1 a 1 no tempo normal, que persistiu na prorrogação, o Real Madrid levou a melhor na disputa de pênaltis diante do arquirrival Atlético de Madrid por 5 a 3 na final da UEFA Champions League 2015-2016, em partida disputada no Estádio San Siro, em Milão, neste sábado (28). Os Merengues saíram na frente com Sergio Ramos no primeiro tempo e o reserva Carrasco empatou para os Colchoneros na etapa final. Nas disputa por pênaltis, Juanfran desperdiçou a sua cobrança e Cristiano Ronaldo converteu a cobrança que deu ao Real a sua 11ª taça do torneio interclubes mais cobiçado do Velho Continente.

O primeiro tempo começou com o Real Madrid mais disposto a fazer o gol. Tanto que, logo aos cinco minutos, os Merengues tiveram uma excelente oportunidade com Benzema, que aproveitou-se da falta cobrada por Bale e desviou na pequena área, mas Oblak salvou a meta Colchonera com os pés.

A partida seguiu intensa, com muita disputa dos dois lados, com direito a uma entrada mais ríspida de Carvajal em Griezmann, digna de cartão amarelo, que foi prontamente apresentado pelo árbitro.

Aos 15 minutos, o algoz do Atlético da final de 2014 apareceu novamente. Kroos levantou a bola na área pela esquerda, Baile resvalou de cabeça e, Sergio Ramos – em impedimento – tocar para as redes e fazer 1 a 0 para o Real Madrid. O tento do defensor do Real veio como um balde de água fria para a torcida colchonera, que calou-se imediatamente.

O jogo seguiu com o Real Madrid ditando o ritmo de jogo e os Rojiblancos tentando entrar no jogo. Assim, o Atlético melhorou apenas depois dos 30 minutos, quando, minutos depois, teve algumas chances. Primeiro aos 33 com Griezmann, mas Navas defendeu e evitou o empate. Dois minutos depois, o atacante francês pegou de primeira e o arqueiro merengue fez linda defesa, mas o lance foi invalidado porque o atacante estava impedido. E Griezmann finalizou outra vez aos 43, quando veio pelo meio e bateu, mas a bola passou muito perto da trave defendida por Navas.

No início do segundo tempo, o time de Diego Simeone veio com tudo em busca do empate. E, com menos de dois minutos, veio uma grande oportunidade para o Atlético de Madrid. Fernando Torres se enrosca com Pepe dentro da área e o árbitro inglês marcou penalidade máxima. Na cobrança, Griezmann encheu o pé, mas acertou o travessão de Navas.

Apesar do penal desperdiçado, o Atlético não se abateu e, diferentemente da etapa inicial, foi para cima e deixou a partida franca. Dessa forma, os Colchoneros tiveram uma chance aos 8, quando, depois de um cobrança de escanteio, a esférica foi desviada e Savić chutou e mandou pelas redes do lado de fora. Seis minutos depois, Saúl pegou de primeira de dentro da área e quase empatou o jogo.

O Atlético de Madrid estava indo para cima e ficou sujeito aos contragolpes. E, em um deles, aos 24, Modrić lançou Benzema, que partiu livre pela direita, avançou, entrou na área e finalizou em cima de Oblak. Enquanto isso, Cristiano Ronaldo, que estava sumido na partida, levou perigo.O gajo chutou forte, mas o arqueiro defendeu. Em seguida, após jogada de Bale, CR7 chutou em cima de Oblak e, na sequência, o galês fintou o goleiro, bateu cruzado e Koke salvou em cima da linha.

Melhor no jogo, no lance seguinte, o Atlético chegou ao empate. Aos 33, Juanfran recebeu por cima e, de primeira, cruzou a meia altura para Carrasco empatar o jogo. Os Colchoneros foram à loucura.

Os comandados de Simeone, pouco tempo após o empate, quase viraram o placar com Torres. Aos 38, Juanfran cruzou da direita e “El Niño”, desviou levemente, mas para fora. Na sequência, foi a vez de Bale fazer grande jogada pela esquerda e bater cruzado para boa defesa de Oblak.

Na prorrogação, quem levou perigo primeiro foi o Real Madrid. Aos 4, depois a cobrança de escanteio, Cristiano Ronaldo cabeceou e quase põe o Real à frente. O primeiro tempo extra seguiu com os jogadores das duas equipes exautos. Mas, ainda deu tempo de o Atlético criar a sua oportunidade aos 15. Koke cobrou escanteio, a redonda sobrou para Griezmann, que acertou uma bicicleta, mas a bola passou por cima da meta de Navas.

No segundo tempo da prorrogação, o jogo seguiu carregado, com os jogadores das duas equipes desgatados, com todas as substituições feitas, e praticamente se arrastando em campo, os últimos 15 minutos de decisão ficaram marcados pelos atletas caídos no gramado, com dores e mancando. E, assim, os dois times não viam a hora da disputa por pênaltis.

Nas cobranças por pênaltis, prevaleceu a qualidade dos batedores em relação aos goleiros. KeylorNavas e Oblak não defenderam nenhuma cobrança. Contudo, para tristeza dos Rojiblancos, Juanfran acertou a trave. Então, coube a Cristiano Ronaldo converter a cobrança que garantiu o 11º caneco da Champions para o Real Madrid.

A final da UEFA Champions League foi digna de um derby citadino. Real e Atlético fizeram um jogo intenso, equilibrado e nervoso. No primeiro tempo, os Merengues foram ligeiramente superiores e abriram o marcador antes da metade da etapa inicial com Sergio Ramos, o algoz atleticano da mesma competição há duas temporadas. O time alvirrubro, aos poucos, se recuperou do baque e equilibrou as ações. Todavia, foi na etapa complementar, que o Atlético deu canseira nos comandados de Zinedine Zidane. Depois de desperdiçar um pênalti com Griezmann, os Colchoneros não se abateram e foram dispostos a buscar o empate, que veio aos 33 minutos, através de Carrasco, que entrou no lugar de Fernandéz. Com uma postura mais ofensiva, boa parte se deve à entrada do camisa 21, e motivado pela torcida e pelo enérgico treinador, o Atlético de Madrid criou outras oportunidades, e tal postura, permitiu que a partida seguisse franca, já que os Rojiblancos à medida que iam para cima, deixava espaços para os contragolpes do arquirrival, que até estiveram perto do segundo gol. Mas, com o empate sacramentado no tempo normal, a final partiu para uma modorrenta prorrogação, onde em 30 minutos as duas equipes pouco produziram, situação absolutamente normal, uma vez que ambas equipes estavam fisicamente esgotadas. Porém, enquanto Zidane errou nas alterações e “queimou” as trocas muito cedo, e tirou Benzema que fazia um bom jogo, a equipe de Simeone não soube tirar proveito no tempo extra, uma vez que o treinador fez duas das três substituições ao longo da prorrogação, assim, teoricamente, teria “mais gás” para virar o jogo, o que não foi possível. Na disputa por pênaltis, prevaleceu a técnica dos jogadores do Real Madrid, já que nenhum dos goleiros brilharam nos tiros penais. Pelo que produziu no jogo, o Atlético de Madrid merecia levar a sua tão sonhada “orelhuda”, mas, assim como em 2014, ficou “no quase”.

Os Colchoneros não tem o direito de atribuir o erro da arbitragem o insucesso na disputa do título. Se por um lado, houve um erro do trio inglês que não assinalou o impedimento de Sergio Ramos no lance do gol do Real, por outro lado, o juiz Mark Clattenburg errou ao marcar a penalidade no lance envolvendo Pepe e Fernando Torres. Na disputa, o luso-brasileiro se antecipou ao atacante colchonero, que se enroscou e foi ao chão.

Aliás, dois “jogadores-símbolos” das equipes tiveram participações em lances cruciais do jogo. Pelo lado merengue, Sergio Ramos foi “o cara”: fez o gol, assim como em 2014, foi seguro e ainda marcou o seu na disputa por pênaltis. Pelo lado colchonero, Juanfran foi protagonista em três momentos: no gol do Real Madrid, foi ele quem cometeu a falta inútil que originou o tento do rival, o lateral também participou no gol de empate ao cruzar na medida para Carrasco e o camisa 20 foi o único jogador que errou a cobrança nos pênaltis.

Já no setor ofensivo, pelo Atlético, a dupla Griezmann e Torres até se esforçou, mas não foi eficaz. O francês desperdiçou a cobrança no tempo normal e, depois disso, sumiu do jogo, enquanto o seu companheiro de ataque até se esforçava, mas não dava certo. Já no Real Madrid, o trio BBC teve boa atuação, especialmente Bale e Benzema, que criaram boas chances. Já Cristiano Ronaldo teve uma jornada discreta e só ganhou notoriedade por ter sido o responsável pela última cobrança que deu o título à sua equipe.

A seguir, o resumo da campanha e a ficha técnica da final.

Fase de grupos (Grupo A):
15/09/2015 – Real Madrid (ESP) 4×0 Shakhtar Donetsk (UCR) – Santiago Bernabéu, Madri
30/09/2015 – Malmö (SUE) 0x2 Real Madrid (ESP) – Estádio Swedbank, Malmö
21/10/2015 – Paris Saint-Germain (FRA) 0x0 Real Madrid (ESP) – Parc des Princes, Paris
03/11/2015 – Real Madrid (ESP) 1×0 Paris Saint-Germain (FRA) – Santiago Bernabéu, Madri
25/11/2015 – Shakhtar Donetsk (UCR) 3×4 Real Madrid (ESP) – Arena Lviv, Lviv
08/12/2015 – Real Madrid (ESP) 8×0 Malmö (SUE) – Santiago Bernabéu, Madri
Oitavas-de-final:
17/02/2016 – Roma (ITA) 0x2 Real Madrid (ESP) – Estádio Olímpico, Roma
08/03/2016 – Real Madrid (ESP) 2×0 Roma (ITA) – Santiago Bernabéu, Madri
Quartas-de-final:
06/04/2016 – Wolfsburg (ALE) 2×0 Real Madrid (ESP) – Volkswagen Arena, Wolfsburg
12/04/2016 – Real Madrid (ESP) 3×0 Wolfsburg (ALE) – Santiago Bernabéu, Madri
Semifinais:
26/04/2016 – Manchester City (ING) 0x0 Real Madrid (ESP) – Etihad Stadium, Manchester
04/05/2016 – Real Madrid (ESP) 1×0 Manchester City (ING) – Santiago Bernabéu, Madri
Final:
28/05/2016 – Real Madrid (ESP) (5)1×1(3) Atlético de Madrid (ESP) – San Siro, Milão

FICHA TÉCNICA: REAL MADRID (ESP) (5)1×1(3) ATLÉTICO DE MADRID (ESP)
Competição/fase: UEFA Champions League 2015-2016 – final (jogo único)
Local: Estádio San Siro, Milão, Itália
Data: 28 de maio de 2016, sábado – 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Mark Clattenburg (ING)
Auxiliares: Simon Beck (ING) e Jake Collin (ING)
Cartões Amarelos: Carvajal, Navas, Casemiro, Sergio Ramos, Pepe e Danilo (Real Madrid); Fernando Torres e Gabi (Atlético)
Gols: Sergio Ramos, aos 15 min do 1º tempo (1-0); Carrasco, aos 34 min do 2º tempo (1-1)
Pênaltis:
Real Madrid: Lucas Vázquez, Marcelo, Bale, Sergio Ramos e Cristiano Ronaldo – converteram
Atlético de Madrid: Griezmann, Gabi, Saúl Ñíguez (converteram) e Juanfran (errou)
REAL MADRID (ESP): 1.Navas; 15.Carvajal (23.Danilo), 3.Pepe, 4.Ramos e 12.Marcelo; 14.Casemiro, 8.Kroos (22.Isco) e 19.Modrić; 11.Bale, 9.Benzema (18.Lucas Vásquez) e 7.Cristiano Ronaldo. Técnico: Zinedine Zidane
ATLÉTICO DE MADRID (ESP): 13.Oblak; 20.Juanfran, 15.Savić, 2.Godín e 3.Filipe Luís (19.Lucas Hernández); 6.Koke (22.Partey), 14.Gabi, 12.Fernandéz (21.Carrasco) e 17.Saúl Ñíguez; 7.Griezmann e 9.Fernando Torres. Técnico: Diego Simeone

Parabéns ao Real Madrid Club de Fútbol pela conquista.

Por Jorge Almeida

UEFA define confronto das quartas da Champions e Europa League

UEFA realizou os sorteios dos confrontos das quartas-de-final da Champions e Europa League nesta sexta. Créditos: Getty Images
UEFA realizou os sorteios dos confrontos das quartas-de-final da Champions e Europa League nesta sexta. Créditos: Getty Images

Nesta sexta-feira (21), a UEFA realizou os sorteios que definiram os confrontos de suas duas principais competições interclubes. Primeiro, por volta das 9h (horário de Brasília), houve o sorteio dos duelos da UEFA Champions League. Poucos minutos depois, foi a vez do chaveamento das quartas-de-final da UEFA Europa League ser definida.

Pela UEFA Champions League, haverá reedições de confrontos memoráveis em temporadas passadas do certame. Para se ter uma ideia, o mais esperado embate dessa fase será “apenas” a reedição da última final do torneio. Atlético de Madrid e Real Madrid medirão forças em duas partidas que prometem. Os Colchoneros terão a oportunidade de vingar a derrota da última Champions quando perdeu para o rival por 4 a 1 quando o deixou escapar o título inédito ao sofrer o empate nos acréscimos do tempo normal. O primeiro jogo será no Vicente Calderón e o segundo será no Santiago Bernabéu.

Outro confronto que promete será entre Paris Saint-Germain e Barcelona. As duas equipes já se enfrentaram na fase de grupos da atual edição, com uma vitória para cada, e também na temporada 2012-13 quando o time catalão levou a melhor depois de dois empates (os gols fora de casa favoreceram o Barça na ocasião). A partida de ida será em Paris e os franceses não terão o ídolo Ibrahimovic (suspenso), enquanto isso, pelo mesmo motivo, os catalães não terão Daniel Alves e Verratti.

A reedição da final da Champions 1986-87 será revivida nessa quartas-de-final através do embate entre o poderoso Bayern de Munique e Porto. A equipe portuguesa, que levara a melhor na decisão diante da equipe da Baviera há quase 30 anos, fará o primeiro jogo em casa, no Estádio do Dragão, no dia 15 de abril.

E, finalmente, o Mônaco, que é considerada a equipe mais fraca (ou menos forte) dentre as oito medirá forças com a tradicional Juventus. Os dois times já fizeram uma semifinal da competição na temporada 1996-97 e a Velha Senhora levou a melhor ao bater o time do Principado por  4 a 1 em Turim após ter perdido por 3 a 2 na casa do rival.

Os jogos de ida das quartas-de-final da UEFA Champions League acontecerão nos dias 14 e 15 de abril.

Já no sorteio da UEFA Europa League propiciou para que, já nas quartas-de-final, ocorra o que podemos considerar como “final antecipada”: Sevilla x Zenit e Wolfsburg x Napoli.

Atual campeã da competição, o time de Andaluzia terá páreo duro pela frente nos confrontos contra o Zenit, do brasileiro Hulk, líder do campeonato russo. Se vencer o torneio mais uma vez, assim como foi em 2005-06, 2006-07 e 2013-14, o Sevilla será o maior vencedor do torneio e deixará para trás Internazionale, Juventus e Liverpool, equipes detentoras de três troféus do torneio. Enquanto isso, o time russo está na busca do segundo título, uma vez que conquistara a Copa da UEFA de 2007-2008.

O outro confronto interessante será protagonizado entre o Wolfsburg, vice-líder da Bundesliga, contra o perigoso Napoli. O jogo de ida será realizado na Alemanha no dia 16 de abril.

Embora não tenham a mesma notoriedade em relação aos dois duelos citados acima, os ucranianos Dynamo de Kiev e Dnipro prometem complicar a vida dos italianos da Fiorentina e dos belgas do Brugge, respectivamente.

Vale destacar que, por conta da crise política e militar entre Rússia e Ucrânia, o sorteio para os duelos da UEFA Europa Ligue apresentou uma trava: os clubes dos dois países estão impedidos de se enfrentar. Dessa forma, o Zenit não poderia duelar com o Dynamo e nem o Dnipro.

As partidas das quartas-de-final da UEFA Europa League serão disputadas nos dias 16 e 23 de abril. Alías, é bom registrar que a edição desse ano ganhou mais relevância: o campeão garantirá vaga na próxima UEFA Champions League.

Confira como ficaram os duelos das duas competições do Velho Continente.

UEFA Champions League:
– Dia 14/04/2015:
Juventus (ITA) x Monaco (FRA)
Atlético de Madrid (ESP) x Real Madrid (ESP)
– Dia 15/04/2015:
Porto (POR) x Bayern de Munique (ALE)
Paris Saint-Germain (FRA) x Barcelona (ESP)

UEFA Europa League* (todos os jogos serão dia 16/04):
Sevilla (ESP) x Zenit (RUS)
Dnipro (UCR) x Brugge (BEL)
Dynamo Kiev (UCR) x Fiorentina (ITA)
Wolfsburg (ALE) x Napoli (ITA)

* Equipes da direita serão mandantes dos jogos de volta.

Por Jorge Almeida