Exposição de livros de Eduardo Galeno no Memorial da América Latina

Caricatura de Eduardo Galeano, escritor uruguaio que morreu no último dia 13 de abril e homenageado no Memorial da América Latina. Foto: Jorge Almeida
Caricatura de Eduardo Galeano, escritor uruguaio que morreu no último dia 13 de abril e homenageado no Memorial da América Latina. Foto: Jorge Almeida

O Memorial da América Latina apresenta até o próximo dia 30 de maio a exposição de livros de Eduardo Galeno para homenagear o escritor e jornalista uruguaio morto no último dia 13 de abril, aos 74 anos.

Deslumbrado pela América Latina, Galeano foi pano de fundo recursivo no seu esforço de dar voz, numa maneira que flerta com a prosa poética, aos esquecidos pela História oficial.

Com uma vasta obra e um dos intelectuais latino-americanos mais lidos no mundo, Eduardo Galeano participou da vida intelectual do Memorial, desde 1989, ano de fundação do projeto arquitetado por Oscar Niemeyer. O escritor deu palestras, foi membro do Conselho Editorial, além de ter escrito na revista Nossa América.

Então, como forma de homenageá-lo, a Biblioteca Latino-Americana expõe em uma vitrine 29 obras do autor, em português e espanhol, selecionadas de seu acervo, além de cinco caricaturas. Entre os livros expostos, por exemplo, estão o clássico “As Veias Abertas da América Latina” (1971) – que Barack Obama recebeu de presente de Hugo Chávez na 5ª Cúpula das Américas em 2009 – e “Futebol ao Sol e à Sombra” (1995).

SERVIÇO:
Exposição de livros de Eduardo Galeano
Onde: Saguão da Biblioteca Latino-Americana do Memorial – Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda
Quando: até 30/05/2015; de segunda a sexta, das 9h às 18h; sábados, das 9h às 15h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

Anúncios

Exposição “Manual de Voo” no Sesc Ipiranga

"Manual de Voo", obra de Sidney Philocreon instalada na parede em arco do Sesc Ipiranga. Foto: Jorge Almeida
Visão parcial de “Manual de Voo”, obra de Sidney Philocreon, instalada na parede em arco do Sesc Ipiranga. Foto: Jorge Almeida

O Sesc Ipiranga realiza até o dia 31 de maio de 2015 a exposição “Manual de Voo”, que traz uma obra de Sidney Philocreon que, através de desenhos, fotografias, construções de objetos e instalações, consiste em um exercício de desenho e assemblage de objetos, um conceito fabular onde a mão do artista afere um aspecto de transformação em uma matéria.

Um conjunto de pássaros com a feição de pedra, após uma manipulação ficcional retorna à aparência original, como se assim retrocedesse o poder de cantar e voar. O conjunto de desenhos trabalha, como metáfora, a realidade da manipulação artística como forma de conferir potencialidade inspiradora a matéria. Um sinal simples, contudo, bastante emblemático.

A parede preenchida como um campo de operação para esta ficção, possui pontos onde a peça com o pássaro fixo sobre uma pedra e com aspecto petrificado, aguardam pelo encontro com a mágica que vai lhe devolver liberdade. Parede em Arco.

SERVIÇO:
Exposição: Manual de Voo
Onde: Sesc Ipiranga – Rua Bom Pastor, 822 – Ipiranga
Quando: até 31/05/2015; de terça a sexta, das 7h30 às 21h30; sábados, das 10h às 21h30; domingos e feriados, das 10h às 18h30
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

Exposição “Transformações – Arte Urbana e Cidadania” no Conjunto Nacional

"Papagaio", escultura criada em papel maché construída em ateliê do Grajaú. Foto: Jorge Almeida
“Papagaio”, escultura criada em papel maché construída em ateliê do Grajaú. Foto: Jorge Almeida

A mostra “Transformações – Arte Urbana e Cidadania” está em cartaz até o próximo dia 30 de maio no Espaço Cultural do Conjunto Nacional e apresenta registros fotográficos de ações já realizadas e de obras e intervenções de artistas que mudaram a paisagem do Grajaú, bairro situado na Zona Sul da capital paulista.

O projeto que dá o nome à mostra estimula a arte, o empreendedorismo social, a revitalização dos espaços públicos e a geração de renda no Grajaú. Com esse propósito, artistas brasileiros conhecidos pelo mundo afora fazem parte do grupo que tem transformado os muros da região em telas para verdadeiras obras de arte

O projeto propicia aos moradores do Grajaú oficinas artísticas com o enfoco em gerar renda, o que gera incentivo ao empreendedorismo.

Além das fotografias, a exposição também tem um vídeo que registra as obras ao ar livre e também esculturas construídas no ateliê da comunidade sob orientação da direção de arte.

Um dos destaques da mostra é a instalação gráfica elaborada por artistas convidados e jovens da região. Mas merecem atenção algumas esculturas, como “Papagaio” (foto) e “Sapo Multicolor”, ambos feitos com papel maché aplicados em materiais de descarte coletados pelos funcionários da Atento, que apoia o projeto.

Entre os artistas participantes do projeto estão nomes como Titi Freak, Kaká Martins, Jerry Batista, Zezão e outros mais.

SERVIÇO:
Exposição: Transformações – Arte Urbana e Cidadania
Onde: Espaço Cultural do Conjunto Nacional – Avenida Paulista, 2073
Quando: até 30/05/2015; de segunda a sábado, das 7h às 22h; domingos e feriados, das 10h às 22h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

Exposição “Do Objeto Para o Mundo – Coleção Inhotim” no Itaú Cultural

"Red", o imenso cubo vermelho suspenso de Tsuruco Yamazaki, no Itaú Cultural. Foto: Jorge Almeida
“Red”, o imenso cubo vermelho suspenso de Tsuruco Yamazaki, no Itaú Cultural. Foto: Jorge Almeida

O Itaú Cultural promove até o próximo dia 31 de maio a exposição “Do Objeto Para o Mundo – Coleção Inhotim”, que traz cerca de 50 obras de 29 artistas produzidas entre 1950 e as primeiras décadas dos anos 2000.

A mostra é o primeiro grande projeto do instituto Inhotim realizado fora de Brumadinho, por conta da parceria que o Banco Itaú e o Itaú Cultural tem com o instituto mineiro.

As obras exibidas no primeiro andar do espaço estão subdivididas em salas que analisam quatro momentos de formação da arte contemporânea no Brasil: a produção dos anos 1960, o neoconcretismo brasileiro, o grupo japonês de vanguarda Gutai e as práticas de acionismo e de performance dos anos 1970. Além de obras e documentos históricos.

Enquanto isso, nos dois andares de sub-solo, são mostrados trabalhos elaborados em diversos tipos de mídias e suportes, em pode-se observar as relações entre som e imagem e ilusão e percepção.

Em meio aos destaques estão “Fuegos de Artifício” (2002), obra composta por pregos de aço e luminárias de escritório, de Jorge Macchi; o portfólio “Gutai Photographs 1956-57”, do japonês Kiyoji Otsuji, um dos mais importantes nomes da vanguarda japonesa no pós-guerra; e o imenso cubo vermelho suspenso a poucos centímetros do chão intitulado simplesmente de “Red” (foto), do japonês Tsuruco Yamazaki, considerado um dos precursores da arte abstrata japonesa.

SERVIÇO:
Exposição: Do Objeto Para o Mundo – Coleção Inhotim
Onde: Itaú Cultural – Avenida Paulista, 149 – Paraíso
Quando: até 31/05/2015; de terça a sexta, das 9h às 20h; sábado, domingo e feriado, das 11h às 20h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

Juventus: campeã da Coppa Itália 2014/2015

Jogadores da Juventus comemoram a conquista da Copa da Itália no Estádio Olímpico de Roma. Foto: Andreas Solaro / AFP
Jogadores da Juventus comemoram a conquista da Copa da Itália no Estádio Olímpico de Roma. Foto: Andreas Solaro / AFP

A Juventus almejou o segundo dos três objetivos da temporada 2014/2015 ao bater a Lazio por 2 a 1, de virada, na final da Coppa Itália, no Estádio Olímpico de Roma nesta quarta-feira (20). Com gols de Chiellini (Radu fez primeiro o tento do time da capital) e Matri, já na prorrogação, os bianconeros levaram o título do torneio pela décima vez e quebrou um tabu de 20 anos sem levar o caneco do certame. Campeã italiana, agora, campeã da Coppa Itália, a Velha Senhora busca ainda o terceiro título dessa temporada: a Liga dos Campeões da UEFA, que disputará no dia 6 de junho contra o Barcelona em Munique.

A etapa inicial mal começara e a Lazio tratou de tirar o zero do placar logo aos três minutos. Cataldi cobrou falta, o lateral Radu subiu mais que todo mundo e cabeceou para colocar a equipe da capital na frente do marcador.

Mas a resposta da Juve veio pouco tempo depois. Aos 10, Pirlo levantou a bola na área em cobrança de falta, Evra escorou de cabeça e Chiellini, quase caindo, completou para o gol.

Depois dos gols, o jogo caiu de ritmo, com as duas equipes marcando forte, enquanto a equipe biancazzurri tentava furar o bloqueio da Vecchia Signora, o time de Turim sofria para conseguir contra-atacar, pois a Lazio marcava a saída de bola. Dessa forma, a partida seguiu arrastada e, em certos momentos, com muitos passes errados.

A marcação era o principal destaque da decisão, tanto é que a primeira oportunidade de gol, após os tentos nos minutos iniciais, só veio acontecer aos 31 minutos. Pogba errou na matada no peito e ajeitou a redonda para Parolo, que chutou forte, passando muito perto da meta defendida por Storari.

No segundo tempo, o panorama foi praticamente o mesmo do primeiro após os dez minutos: marcação forte, falta de criatividade na armação de jogadas, passes errados e faltas. Nas alterações, os técnicos não ousaram, fizeram substituições, digamos, burocráticas. No caso da primeira troca que a Lazio fez – Radu por Maurício -, foi por motivo de lesão do lateral romeno. Assim, o técnico Stefano Pioli mudou o esquema tático do 4-3-3 para 3-5-2. A única investida que teve na etapa final aconteceu aos 38 minutos com Djordjevic, que substituiu o apagado Klose. O camisa 9 recebeu um bom lançamento de Parolo, mas Storari saiu bem do gol, o atacante chutou fraco e o goleiro defendeu. E, dessa forma, o tempo normal terminou em um insosso 1 a 1.

O que faltou de emoção no tempo regulamentar, sobrou na prorrogação. Logo aos três minutos do tempo extra, Djordjevic arriscou da intermediária e viu a bola bater nas duas traves e a defesa afastar o perigo. E o castigo veio três minutos depois: Pirlo lançou Matri (substituto de Llorente), que dividiu com a defesa biancoceleste, Tevez pegou a sobra, foi travado e o insistente camisa 32 bateu rasteiro e o goleiro Berisha chegou a tocar na esférica, mas não conseguiu evitar o gol. Virada bianconera no Estádio Olímpico.

Com a vantagem no placar, a Juventus se segurou para tentar o contragolpe, mas a Lazio não teve forças suficientes para empatar a peleja no segundo tempo da prorrogação e viu o sonho do título sucumbir ao apito final do árbitro Daniele Orsato.

Juventus e Lazio fizeram um jogo intenso, de poucas oportunidades de gol, uma vez que os sistemas defensivos e de marcação de ambas as equipes prevaleceram. Quando os dois gols saíram até os dez minutos, poderíamos imaginar que seria um jogo corrido, com as duas equipes criando e finalizando mais a gol. No entanto, a prorrogação começou eletrizante, com a Lazio mandando uma bola nas duas traves, mas a Juventus foi recompensada pelo gol de Matri e só para consolidar cada vez mais na terra da bota. Além de ser a única equipe a ter as três estrelas douradas na camisa (por causa dos 30 títulos italianos), a Velha Senhora poderá também contar com uma estrela prateada em virtude da 10ª. conquista da Coppa Itália, e ainda pode ser coroada com o título da UEFA Champions League. Embora o campeão da Coppa Itália tenha direito de disputar a Liga Europa, tanto Juventus quanto Lazio já têm presenças garantidas na próxima UEFA Champions League via campeonato italiano. Portanto, a vaga para a segunda competição mais importante da Europa ficará para o sexto colocado do Campeonato Italiano que, por enquanto, é do Genoa, mas que Sampdoria, Internazionale e, com chances remotas, Torino estão de olho.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da grande final.

Oitavas-de-final:
15/01/2015 – Juventus 6×1 Hellas Verona – Juventus Stadium, Turim
Quartas-de-final:
28/01/2015 – Parma 0x1 Juvntus – Ennio Tardini, Parma
Semifinais:
05/03/2015 – Juventus 1×2 Fiorentina – Juventus Stadium, Turim
07/04/2015 – Fiorentina 0x3 Juventus – Artemio Franchi, Florença
Final:
20/05/2015 – Juventus 2×1 Lazio – Estádio Olímpico, Roma

FICHA TÉCNICA: JUVENTUS 2×1 LAZIO
Competição/fase: Coppa Itália 2014/2015 – final (jogo único)
Local: Estádio Olímpico, Roma
Data: 20 de maio de 2015 – 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Daniele Orsato
Auxiliares: Renato Faverani e Andrea Stefani
Gols: Radu, aos 3 min do 1º tempo (Lazio); Chiellini, aos 10 min do 1º tempo; e Matri, aos 6 min do 1º tempo da prorrogação
Cartões Amarelos: Evra, Bonucci e Matri (Juventus); Parolo e Candreva (Lazio)
JUVENTUS: 30.Storari; 15.Barzagli, 19.Bonucci, e 3.Chiellini; 26.Lichtsteiner (20.Padoin), 21.Pirlo, 23.Vidal, 6.Pogba (37.Pereyra) e 33.Evra; 14.Llorente (32.Matri) e 10.Tevez. Técnico: Massimiliano Allegri
LAZIO: 1.Berisha; 8.Basta, 19.Gentiletti, 3.De Vrij (14.Kaita Baldé) e 26.Radu (33.Maurício); 16.Parolo, 32.Cataldi, 19.Lulić e 87.Candreva; 11.Klose (9.Djordjevic) e 7.Felipe Anderson. Técnico: Stefano Pioli

Parabéns à Juventus Football Club pela conquista.

Por Jorge Almeida

Exposição “Século XX – Acervo MAB” no MAB-FAAP

O Museu de Arte Brasileira da FAAP (MAB-FAAP) realiza até o próximo domingo, 24 de maio, a exposição “Século XX – Acervo MAB”, que apresenta 110 obras, entre pinturas, esculturas e gravuras, que vão desde o Modernismo até produções feitas nas duas últimas décadas.

Algumas obras expostas representam os artistas que participaram da Semana de Arte Moderna de 1922, como os modernistas Anita Malfatti, Oswald Goeldi e Victor Brecheret e de outros que aderiram o movimento mais tarde, como Cândido Portinari.

Os trabalhos, datados a partir de 1915, ainda destacam as experiências com a figuração na década de 1940, a abstração geométrica e informal dos anos 1950 – que apresenta obras de gente como Aldo Bonadei, Rubens Gerchman, Almir Mavignier, entre outros – e também por uma nova geração de artistas, como são os casos de Luiz Hermano, Gilberto Vançan, Sandra Cinto, entre outros.

Entre os destaques estão “O Calvário” (1923/1924), de Victor Brecheret; “Subindo” (1962), do grego Nicolas Vlavianos; e as pinturas “Mulher Na Mesa” (1978), de Rubens Gerchman; e “Posto Petrobrás” (1977), de João Calixto.

SERVIÇO:
Exposição: Século XX – Acervo MAB
Onde: Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Álvares Penteado (MAB-FAAP) – Rua Alagoas, 903 – Higienópolis
Quando: até 24/05/2015; de terça a sexta-feira, das 10h às 20h; sábados e domingos, das 13h às 17h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

Barcelona: campeão espanhol 2014/2015

Jogadores do Barcelona comemorando o título no Vicente Calderón. Foto: Gonzalo Arroyo Moreno / Getty Images
Jogadores do Barcelona comemorando o título no Vicente Calderón. Foto: Gonzalo Arroyo Moreno / Getty Images

Depois de ver o Atlético de Madrid levar o título espanhol na temporada passada ao empatar em casa por 1 a 1, o Barcelona deu o troco nos Colchoneros e conquistou neste domingo (17) no Vicente Calderón, em Madri, o campeonato espanhol 2014/2015. Com gol de Messi no segundo tempo, o Barça derrotou o Atlético por 1 a 0 em confronto válido pela 37ª rodada da competição nacional e sagrou-se campeão com uma rodada de antecedência – para evitar o título do time catalão, a equipe de Luis Henrique teria de perder e o Real Madrid ganhar o jogo dele (contra o Espanyol) para deixar a definição do dono da taça da Liga na última rodada.

O Atlético de Madrid não queria decepcionar o seu torcedor e permitir que o rival fizesse a festa em sua casa e precisava vencer para buscar a terceira vaga para a próxima Champions League. Então, a equipe de Diego Simeone tratou de criar a primeira oportunidade aos 8 minutos do primeiro tempo. Koke cobrou escanteio pela esquerda, Giménez desviou no primeiro pau, mas Bravo se esticou para espalmar.

No entanto, apesar de jogar sem Suárez, o Barcelona manteve o seu padrão com Neymar, Pedro e Messi comandando o ataque catalão. E, após o bom começo dos anfitriões, os visitantes passaram a gostar do jogo e respondeu aos 12 com Messi. Daniel Alves cruzou da direita e o camisa 10 cabeceou fraco e Oblak defendeu sem dificuldades.

O Barça passou a controlar a posse de bola e era vaiado pela torcida local, mas voltou a levar perigo com 32 novamente com Messi que, mesmo sem ângulo, acertou o travessão em cobrança de falta. Antes do intervalo, aos 44, o Barcelona chegou mais uma vez com Daniel Alves, que chutou bem, mas Oblak se esticou para salvar a meta do time de Madri.

Na etapa final, os Colchoneros voltaram a assustar com Fernando Torres. O camisa 19 entrou na área, chutou forte para importante defesa de Bravo.

Enquanto a partia seguia, o Real Madrid vencia o Espanyol por 2 a 1 e estava a adiar a decisão do campeonato para a última rodada. Contudo, aos 19 minutos, Messi tabelou com Pedro dentro da área e tocou com categoria no canto de Oblak para tirar o zero do placar.

Com a vantagem, o Barcelona estava a garantir o campeonato. E passou a valorizar ainda mais a posse de bola e levando perigo nos contragolpes. Em um deles aos 25, Messi arrancou pelo campo adversário e serviu Neymar, mas o brasileiro isolou. Pouco tempo depois, foi a vez de Pedro fazer grande jogada e chutar com perigo. Se fosse gol, seria um golaço.

Apesar de derrota, o Atlético não se entregou e correu atrás do empate, que quase chegou aos 42. Siqueira carregou pela esquerda, finalizou da entrada da área, mas a redonda passou rente à trave. Mas os blaugranos têm Messi, que resolveu incomodar Oblak mais uma vez. Em cobrança de falta da entrada da área, o argentino chutou e o arqueiro colchonero espalmou.

No final, os jogadores das duas equipes, especialmente Neymar, Messi, Godín e Siqueira, se estranharam e bateram boca, o que resultou em cartão amarelo para todos, exceto para o zagueiro uruguaio, que tomara cartão ainda no primeiro tempo.

Apesar de os Merengues terem feito a sua parte ao golear o Espanyol por 4 a 1, não teve jeito, o Barcelona assegurou a vitória e conquistou o título com uma rodada de antecedência. E ainda pode encerrar a temporada 2014/2015 com mais dois troféus: os da Copa do Rei e da UEFA Champions League, já que é finalista das duas competições.

Mesmo com a definição do campeão, o Campeonato Espanhol termina no próximo final de semana, e ainda precisa definir quem ficará com a quarta (e última vaga) para a UEFA Champions League, os dois representantes espanhóis da UEFA Europa League 2015/2016 e quem fará companhia ao Córdona na segunda divisão espanhola. Assim, o Valencia encara o Almería fora de casa. Se vencer (ou empatar desde que o Sevilla não vença seu jogo contra o Málaga), os Los Che garantirá à vaga para a principal competição europeia. Já o Almería precisa da vitória e depender de derrotas de La Coruña, Eibar e Granada para permanecer na elite. Para classificar-se para a Champions, além de secar o Valencia, o Sevilla pode conseguir a vaga via UEFA Europa League, uma vez que, além de ser o atual campeão, é um dos semifinalistas. Na parte de baixo da tabela, os ameaçados La Coruña e Granada, ambos com 34 pontos, dependem apenas de si para não cair. Porém, as duas equipes têm duas “pedreiras”: Barcelona e Atlético de Madrid, respectivamente. Enquanto o Eibar, com 32 pontos, receberá em casa o já rebaixado o Córdoba e precisa vencer e torcer por tropeços de La Coruña, Granada e Almería, que, como já foi dito acima, medirá forças contra o Valencia e tem a situação semelhante com a do Eibar: 32 pontos e, atualmente, ocupam a zona de rebaixamento.

A seguir, um resumo da campanha do campeão e a ficha técnica do jogo do título.

Data – Jogo – Local:
24/08/2014 – Barcelona 3×0 Elche – Camp Nou
31/08/2014 – Villarreal 0x1 Barcelona – El Madrigal
13/09/2014 – Barcelona 2×0 Athletic Bilbao – Camp Nou
21/09/2014 – Levante 0x5 Barcelona – Cidade de Valencia
24/09/2014 – Málaga 0x0 Barcelona – La Rosadela
27/09/2014 – Barcelona 6×0 Granada – Camp Nou
04/10/2014 – Rayo Vallecano 0x2 Barcelona – Estádio de Vallecas
18/10/2014 – Barcelona 3×0 Eibar – Camp Nou
25/10/2014 – Real Madrid 3×1 Barcelona – Santiago Bernabéu
1º/11/2014 – Barcelona 0x1 Celta de Vigo – Camp Nou
08/11/2014 – Almería 1×2 Barcelona – Mediterráneo
22/11/2014 – Barcelona 5×1 Sevilla – Camp Nou
30/11/2014 – Valencia 0x1 Barcelona – Mestalla
07/12/2014 – Barcelona 5×1 Espanyol – Camp Nou
13/12/2014 – Getafe 0x0 Barcelona – Coliseum Alfonso Péres
20/12/2014 – Barcelona 5×0 Córdoba – Camp Nou
04/01/2015 – Real Sociedad 1×0 Barcelona – Anoeta
11/01/2015 – Barcelona 3×1 Atlético de Madrid – Camp Nou
18/01/2015 – Deportivo La Coruña 0x4 Barcelona – Municipal do Riazor
24/01/2015 – Elche 0x6 Barcelona – Martínez Valero
1º/02/2015 – Barcelona 3×2 Villarreal – Camp Nou
08/02/2015 – Athletic de Bilbao 2×5 Barcelona
15/02/2015 – Barcelona 5×0 Levante – Camp Nou
21/02/2015 – Barcelona 0x1 Málaga – Camp Nou
28/02/2015 – Granada 1×3 Barcelona – Nuevo Los Cármenes
08/03/2015 – Barcelona 6×1 Rayo Vallecano – Camp Nou
14/03/2015 – Eibar 0x2 Barcelona – Municipal de Ipurua
22/03/2015 – Barcelona 2×1 Real Madrid – Camp Nou
05/04/2015 – Celta de Vigo 0x1 Barcelona – Municipal de Balídos
08/04/2015 – Barcelona 4×0 Almería – Camp Nou
11/04/2015 – Sevilla 2×2 Barcelona – Ramón Sánchez Pizjuán
18/04/2015 – Barcelona 2×0 Valencia – Camp Nou
25/04/2015 – Espanyol 0x2 Barcelona – Cornellá-prat
28/04/2015 – Barcelona 6×0 Getafe – Camp Nou
02/05/2015 – Córdoba 0x8 Barcelona – Nuevo Arcángel
09/05/2015 – Barcelona 2×0 Real Sociedad – Camp Nou
17/05/2015 – Atlético de Madrid 0x1 Barcelona – Vicente Calderón
24/05/2015 – Barcelona x Deportivo La Coruña – Camp Nou*
* Jogo a ser realizado.

FICHA TÉCNICA: ATLÉTICO DE MADRID 0x1 BARCELONA
Competição/fase: Campeonato Espanhol 2014/2015 (37ª rodada)
Local: Estádio Vicente Calderón, Madri
Data: 17 de maio de 2015 – 14h (horário de Brasília)
Árbitro: Alberto Undiano Mallenco
Cartões Amarelos: Godín, Koke, Giménez, Gabi e Siqueira (Atlético de Madrid); Pedro, Neymar e Messi
Gol: Messi, aos 19 minutos do segundo tempo
ATLÉTICO DE MADRID: 13.Oblak; 24.Giménez, 20.Juanfran, 2.Godín e 3.Siqueira; 10.Arda Turan (9.Mandžukić), 14.Gabi, 4.Suárez (8.García) e 6.Koke; 19.Torres (17.Saúl) e 7.Griezmann. Técnico: Diego Simeone
BARCELONA: 13.Bravo; 22.Daniel Alves, 3.Piqué, 18.Jordi Alba (24.Mathieu) e 4.Rakitić (12.Rafinha); 8.Iniesta (6.Xavi), 14.Mascherano e 5.Busquets; 11.Neymar, 10.Messi e 7.Pedro. Técnico: Luis Henrique

Parabéns ao Futbol Club Barcelona pela conquista.

Por Jorge Almeida