SÓ ATÉ AMANHÃ: Exposição “Roma – A Vida e Os Imperadores” no MASP

O Museu de Arte de São Paulo – MASP – apresenta até amanhã (22) a exposição “Roma – A Vida e Os Imperadores”, que reúne cerca de 300 itens entre mosaicos, joias, cerâmicas, adornos, esculturas, indumentárias, objetos de uso do cotidiano, entre outros. Além de vídeos explicativos sobre o tema.

A mostra integra o evento “Momento Itália 2011-2012” e recorda o nascimento do Império Romano, seu ápice e conquistas, em uma época em que Roma era o centro da “economia mundial” (entre os séculos I e III d.C.). E aborda também, além do poder de seu Império, o cotidiano dos ricos, dos artesãos, dos escravos, dos camponeses.

Em meio aos destaques, podemos mencionar: um retrato colossal de Júlio César, feito em mármore branco, que também é a técnica feita em uma estátua do deus Júpiter; uma groma, que era um instrumento utilizado para a medição dos terrenos; sarcófagos e inscrição funerária de libertos, ambos também feitos em mármore branco, além dos inúmeros anéis, braceletes, moedas e acessórios.

SERVIÇO:
Exposição: Roma – A Vida e Os Imperadores
Onde: MASP – Avenida Paulista, 1578
Quando: até 22/04/2012; às terças, quartas, sextas, sábado e domingo, das 11h às 18h; e, nas quintas, das 11h às 20h
Quanto: R$ 15,00; R$ 7,00 (estudante); entrada gratuita para o público em geral às terças-feiras

Por Jorge Almeida

Exposição “A Casa da Rua Guadelupe” na Estação Pinacoteca

A Estação Pinacoteca apresenta até o próximo dia 31 de dezembro, a exposição “A Casa da Rua Guadelupe” que reúne 73 obras, sendo 30 pinturas, 10 esculturas, um relevo, 12 obras sobre papel e mais de 20 peças de mobiliário, portas, luminárias e objetos de decoração que integram o acervo da Fundação Nemirovsky.

A mostra também homenageia o designer e arquiteto Jorge Zalszupin, amigo do casal que dá nome a Fundação: José e Paulina Nemirovsky.

A exposição conta ainda com painéis compostos por textos e imagens explicativas sobre a residência Nemirovsky; vistas ampliadas da residência e um breve currículo do designer, autor do projeto da casa. Além do documentário “Casa e Coleção” que traz o depoimento da D. Paulina em sua vivenda, em 2004.

SERVIÇO:
Exposição: A Casa de Rua Guadelupe
Onde: Estação Pinacoteca – Largo Gal. Osório, 66
Quando: até 31/12/2012; de terça a domingo, das 10h às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (estudantes e professores da rede privada); entrada gratuita para alunos e professores da rede pública (em excursão escolar); pessoas menores de 10 e maiores de 60 anos, a entrada é gratuita e para o público em geral, o acesso e gratuito aos sábados. O ingresso também dá direito à visitação à Estação Pinacoteca.

Por Jorge Almeida

Os 25 anos de “Uah-Bap-Lu-Bap-Béin-Bum”, de Raul Seixas

Capa do disco que traz o último grande clássico de Raul Seixas: Cowboy Fora da Lei

Neste mês de março, completam-se 25 anos do lançamento do 13º álbum de estúdio da carreira solo de Raul Seixas, o bom “Uah-Bap-Lu-Bap-Lah-Béin-Bum”. Na verdade, era para o álbum ter sido lançado em 1986, ano em que as ocorreram as gravações das músicas, mas devido a problemas de saúde do compositor baiano, ele só foi lançado em março de 1987.

Antes do novo trabalho a vida pessoal e profissional de Raul Seixas estava andando a passos largos para a decadência, consequência do abuso das bebidas e drogas. Tanto que em 1985, o cantor terminou o seu casamento com Kika Seixas e estava sem gravadora. Até que conseguiu um contrato com a gravadora Copacabana em 1986.

Apesar das adversidades enfrentadas por Raul, na época, o álbum fez grande sucesso entre os fãs, o que lhe rendeu um Disco de Ouro e participando dos principais programas da TV na época, como o Fantástico. Neste período, conheceu Lena Coutinho, que se torna a sua quinta e última esposa. E, para dar um “up” em sua carreira, foi nesta época, que as relações com o conterrâneo Marcelo Nova foram estreitadas. O resultado disso foi a participação especial de Raulzito na música “Pouca Estrela, Muita Constelação”, lançada no disco “Duplo Sentido”, do grupo Camisa de Vênus, e, consequentemente, a parceria com Nova rendeu o último trabalho de Raul em vida, o álbum “A Panela do Diabo”, lançado em 1989.

O novo trabalho do Maluco Beleza, mesmo não estando no mesmo patamar de “Novo Aeon” ou “Krig-há, Bandolo!”, traz excelentes canções, como os ‘rockões’: “Quando Acabar o Maluco Sou Eu” e “Paranóia II (Baby Baby Baby)”, a versão em inglês do maior sucesso de Raul: “Gitã”, intitulada “I Am”, a versão em português de um famoso tango argentino: “Cambalache”, gravada originalmente em 1934 por Enrique Santos Discépolo, o maior hit do álbum, a irônica “Cowboy Fora da Lei”, o blues maravilhoso de “Canceriano Sem Lar”, que traduz bem o momento vivido pelo cantor, e “Cantar”, que traz em sua letra títulos de outros sucessos de Raul Seixas.

Para o raulseixista, talvez, este tenha sido o último grande trabalho do ídolo. Para quem quiser se aventurar no universo de Raul Seixas, vale a pena conferir este bom disco.

A seguir, a ficha técnica e o tracklist de “Uah-Bap-Lu-Bap-Béin-Bum“.

Álbum: Uah-Bap-Lu-Bap-Béin-Bum
Intérprete: Raul Seixas
Lançamento: março de 1987
Gravadora: Copacabana (EMI) / WEA (relançamento em CD)
Produtores: Raul Seixas e Ricky Ferreira

Raul Seixas: voz
Ricky Ferreira: guitarra, banjo, steel guitar, piano acústico e teclados
Antenor Soares Gandra Neto: guitarra
Pedro Ivo / Geraldo Vieira / Lídio Benvenuti Jr.: baixo
Albino Cezar Infantozzi / Francisco Di Maria Medori Jr.: bateria

1. Abertura / Quando Acabar o Maluco Sou Eu (Raul Seixas / Lena Coutinho / Cláudio Roberto)
2. Cowboy Fora da Lei (Raul Seixas / Cláudio Roberto)
3. Paranóia II (Baby Baby Baby) (Raul Seixas / Lena Coutinho / Cláudio Roberto)
4. I Am (Gitã) (Raul Seixas / Paulo Coelho; versão em inglês: Raul Seixas)
5. Cambalache (Enrique Discépolo / Versão: Raul Seixas)
6. Loba (Raul Seixas / Lena Coutinho / Cláudio Roberto)
7. Canceriano sem Lar (Clínica Tobias Blues) (Raul Seixas)
8. Gente (Raul Seixas / Cláudio Roberto)
9. Cantar (Raul Seixas / Cláudio Roberto)

Por Jorge Almeida

Os 25 anos do clássico “Sexo!!”, do Ultraje a Rigor

Sexo!!: segundo álbum do Ultraje a Rigor

Depois do estrondoso sucesso de “Nós Vamos Invadir Sua Praia”, o Ultraje a Rigor lançou em março de 1987 o seu segundo trabalho, o excelente “Sexo!!”, que foi produzido por Liminha.

O álbum praticamente é uma continuação do disco anterior, com sacadas e letras inteligentes capitaneadas por Roger Rocha Moreira. A banda teve uma mudança em sua formação em relação a “Nós Vamos Invadir Sua Praia”: o guitarrista Carlinhos, que saiu durante as gravações do disco, dando lugar para Sérgio Serra. O novo trabalho do grupo foi lançado em um show surpresa em um shopping na Avenida Paulista naquele ano.

O disco abre com a clássica “Eu Gosto de Mulher”, cujo título já diz por si só. Há quem diga que a música foi feita a partir de uma declaração infeliz do baixista Maurício sobre os gays. E a canção veio à tona nas eleições presidenciais 2010. Durante o período eleitoral, rolaram boatos que o candidato a Presidente da República, José Serra, teria pedido para que a música fosse proibida de ser executada devido ao verso “mulher para presidente” para não fazer nenhuma associação a sua rival nas urnas, a candidata do PT, Dilma Rousseff. O que foi negado pelo candidato do PSDB e pela banda.

A faixa seguinte, “Dênis, o Que Você Quer Ser Quando Crescer?”, aborda sobre uma pessoa que não sabe o quer da vida. O interlocutor apresenta uma visão paterna do personagem-tema, aliás, o Dênis, só aparece no final da letra da música.

Já em “Terceiro”, que é a terceira faixa, fala de um “esportista” que não se preocupa em ganhar e sim apenas competir. Na sequência, aparece a “balada” “A Festa”, em que o apaixonado protagonista diz ter ensaiado para ter coragem e chegar na amada.

Em “Prisioneiro”, o vocal é feito pelo baixista Maurício Defendi e é uma que tem as letras mais, digamos, “sérias” do Ultraje no disco.

A faixa-título trata de um tabu imposto pela grande mídia, na época, que era falar de abertamente de sexo, se bem que a ditadura contribuiu para isso. Durante uma época, quando a banda tocava essa música ao vivo, na parte do refrão, o público interagia com Roger, enquanto este dizia: “Sexo!”, a plateia respondia “Vai bater punheta!”.

Em seguida, aparece “Pelado”, uma das principais faixas do disco, tanto que fez parte da trilha sonora da novela global “Brega e Chique”.

Depois surge “Ponto de Ônibus”, em que o baixista Mauricio faz a segunda voz. Aliás, o enredo da música não é muito diferente de hoje. Trata da situação em que a sociedade que depende do transporte público enfrenta diariamente à espera do coletivo para ir trabalhar.

A penúltima canção do disco é “Maximillian Sheldon”, que aborda sobre um detetive à la Capitão Nascimento. E também tem Maurício fazendo a segunda voz. O solo de bateria é feito por João Barone, d’Os Paralamas do Sucesso. Curiosamente, o colega de banda de Barone, Herbert Vianna, havia participado na gravação do álbum anterior do Ultraje.

E, para finalizar, “Will Robinson e Seus Robots”, que só não é totalmente instrumental porque sua letra é formada por ter palavras: perigo, cuidado e Will. E o ex-Ultraje, Edgard Scandurra, faz participação especial na música. É dele o solo de guitarra presente nela.

Enfim, “Sexo!!” é um clássico do rock nacional que merece ser ouvido de ponta a ponta. O defeito do álbum? A gravadora WEA não relançou muitas cópias do disco em CD, o que o torna raro.

A seguir, a ficha técnica e o tracklist de “Sexo!!”.

Álbum: Sexo!!
Intérprete: Ultraje a Rigor
Lançamento: março de 1987
Gravadora: WEA
Produtor: Liminha

Roger Rocha Moreira: guitarra base; guitarra solo nas faixas de 1,2 e 3 e voz
Sérgio Serra: guitarra solo no lado B (faixas 6 a 10) e vocais
Maurício Defendi: baixo, guitarra na faixa 7 e vocais
Leôspa: bateria e vocais

Músicos convidados:
Carlo Bartolini (Carlinhos): guitarra solo em “A Festa” e “Prisioneiro
Edgard Scandurra: guitarras base e solo em “Will Robinson e Seus Robots
Liminha: guitarras adicionais, bateria na faixa “A Festa”, baixo em “Pelado” e vocais
João Barone: solo de bateria em “Maximillian Sheldon

1. Eu Gosto de Mulher (Roger Rocha Moreira)
2. Dênis, o Que Você Quer Ser Quando Crescer? (Roger Rocha Moreira)
3. Terceiro (Roger Rocha Moreira)
4. A Festa (Roger Rocha Moreira)
5. Prisioneiro (Maurício Defendi / Roger Rocha Moreira)
6. Sexo!! (Roger Rocha Moreira / Maurício Defendi)
7. Pelado (Roger Rocha Moreira)
8. Ponto de Ônibus (Maurício Defendi / Roger Rocha Moreira)
9. Maximillian Sheldon (Roger Rocha Moreira)
10. Will Robinson e Seus Robots (Edgard Scandurra / Leôspa / Maurício Defendi / Roger Rocha Moreira)

Por Jorge Almeida

Exposição “Ameaçados – Lugares em Risco no Século 21” no Museu da Casa Brasileira

O Museu da Casa Brasileira (MCB) exibe a exposição “Ameaçados – Lugares em Risco no Século 21” que traz 45 imagens inéditas em médios e grandes formados de Érico Hiller, que também escreveu o texto da mostra. A mostra vai até o próximo domingo, 25 de março.

Hiller captou imagens de cinco locais da Terra que passam por mudanças drásticas, consequências das transformações climáticas e da ação do ser humano.

As fotografias mostram o Ártico e o derretimento do gelo na Groenlândia, a cultura das tribos etíopes que poderá ser prejudicada com a construção da hidrelétrica no Vale do Omo, o derretimento das geleiras no Monte Kilimanjaro, a ameaça que gira em torno das Maldivas, o país mais baixo do mundo, que poderá sofrer com as consequências do aumento do nível das águas oceânicas e a nossa Mata Atlântica, pressionada pelo crescimento urbano.

SERVIÇO:
Exposição: Ameaçados – Lugares em Risco no Século 21
Onde: Museu da Casa Brasileira (MCB) – Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2.705
Quando: até 16/10/2011; de terça a domingo, das 10h às 18h
Quanto: R$ 4,00 (R$ 2,00 – estudante); entrada gratuita aos domingos

Por Jorge Almeida

Exposição “MAC em Obras” no MAC – Ibirapuera

O Museu de Arte Contemporânea (MAC) promove até o dia 30 de dezembro de 2012, a exposição “MAC em Obras” em sua unidade Ibirapuera. Ao todo, 19 obras mostram ao público o processo de conservação, recuperação e restauro.

Na exposição em constante mutação o público poderá acompanhar os trabalhos e discussões da equipe do museu e artistas, cientistas, curadores e técnicos em conservação de outras instituições que vão auxiliar na solução para questões específicas de cada trabalho. Poderá, ainda, participar do debate que envolve o trabalho de colecionar, estudar, preservar e exibir a produção artística contemporânea.

Ao invés de manter o processo de restauração a portas fechadas e apresentar ao público uma exposição com as obras já recuperadas, busca ser fiel ao seu espírito público e universitário – voltado para a pesquisa – e considera oportuno expor os trabalhos ainda “em obras”, em processo de recuperação. Assim, o Museu acredita que cumpre seu compromisso com a preservação, o estudo e a exibição dessas obras e, ao mesmo tempo, respeita a excepcionalidade de cada um dos trabalhos de arte que coleciona.

SERVIÇO:
Exposição: MAC em Obras
Onde: Museu de Arte Contemporânea (MAC) – Avenida Pedro Álvares Cabral, s/nº – portão 3 – Parque Ibirapuera
Quando: até 30/12/2012; de terça a domingo, das 10h às 18h
Quanto: entrada franca

Exposição apresenta cartazes ilustrados por Piotr Kunce

O Museu da Imagem e do Som (MIS) promove até o próximo domingo, 25 de março, a exposição “Piotr Kince”, que traz cerca de 80 cartazes do desenhista e artista gráfico polonês (um dos mais renomados designers de cartazes), cujo intuito é manter viva a arte do cartaz.

Em sua produção, Piotr Kince une a essência da criação polonesa tradicional com um toque de humor em cartazes diretos, forte e, ao mesmo tempo, lúdico.

A mostra foi feita em parceria com o Consulado Geral da República da Polônia.

SERVIÇO:
Exposição: Piotr Kunce
Onde: Museu da Imagem e do Som (MIS) – Avenida Europa, 158 – Jardim Europa
Quando: até 25/03/2012; de terça a sábado, das 12h às 21h; domingos e feriados, das 11h às 20h
Quanto: R$ 4,00; R$ 2,00 (meia entrada); menores de cinco anos não pagam