Atlético de Madrid: campeão da Audi Cup 2017

Jogadores do Atlético de Madrid comemoram o título da Audi Cup. Foto: Ángel Gutiérrez

Depois de empatarem em 1 a 1 no tempo normal, o Atlético de Madrid sagrou-se campeão da Audi Cup 2017 depois de superar o Liverpool na disputa de pênaltis por 5 a 4 nesta quarta-feira (2), no Allianz Arena, em Munique. Os Colchoneros saíram na frente com o albanês Bare no primeiro tempo e os Reds chegaram ao empate através de cobrança de pênalti pelo brasileiro Roberto Firmino, na etapa final. Nos pênaltis, o volante Henderson, do LFC, teve sua cobrança defendida por Moyá. Essa foi a primeira final do torneio amistoso sem ter a presença da equipe anfitrião, o Bayern de Munique.

A partida começou morna, sem chances de gol. A primeira veio aos dez minutos e foi do Liverpool. Mané começou a jogada pelo meio, abriu para Woodburn, que cruzou para Solanke desviar de cabeça e mandar a bola à esquerda de Moyá. Quatro minutos depois, os Reds chegaram novamente. Lallana recebeu na direita e cruzou para Woodburn, que tentou um voleio, mas não pegou bem na bola e mandou para fora sem levar perigo ao goleiro colchonero.

O Atlético de Madrid tentou cadenciar o jogo enquanto o Liverpool seguiu tentando pressionar o adversário. Essa situação permaneceu até os 33 minutos, quando os Colchoneros foram as redes. Vrsaljko recebeu lançamento na direita e cruzou de primeira para a área para Correa finalizar de direita, exigindo um milagre de Ward, a bola tocou no travessão e voltou para o albanês Keidi Bare que, livre, cabeceou para o gol vazio.

Depois do gol, a equipe inglesa buscou o ataque, mas parou na sólida defesa do time de Madrid, que foi para o intervalo com a vitória parcial.

E, como já era de se esperar em um torneio amistoso, na volta para o segundo tempo (e ao longo da etapa final), as duas equipes fizeram várias alterações.

Mas, logo no primeiro minuto, Solanke recebeu cruzamento de Henderson na área, finalizou, mas foi travado por Lucas no momento certo, e mandou a redonda para escanteio. E, como foi no primeiro tempo, as duas equipes caíram de rendimento e Jürgen Klopp e Diego Simeone aproveitaram para fazer as alterações. Aos 17, o Liverpool chegou novamente. Robertson cruzou da esquerda, Gimenez deu um leve desvio na bola e, por pouco, não fez um gol contra. A redonda passou à esquerda do gol de Moyá.

O jogo seguiu chato com as duas equipes sem atacar, enquanto isso, dá-lhe substituições. A situação perdurou até os 29 minutos quando os ingleses tiveram duas oportunidades seguidas. Primeiro, foi com Grujić. Após uma boa trama, Firmino deixou o camisa 16 na área, que mandou por cima da meta. No lance seguinte, Origi dominou na área e finalizou forte e rasteiro, mas a bola foi para fora.

E, seis minutos depois, o mesmo Origi recebeu na área, tentou achar um espaço para chuta quando foi pisado por Gabi dentro da área. Pênalti. Na cobrança, Roberto Firmino bateu com categoria e pôs a bola no canto oposto de Moyá. Empate na Allianz Arena.

Depois de ter ficado praticamente todo o segundo tempo sem atacar, a equipe de Diego Simeone, assim como o Liverpool, teve duas chances seguidas nos minutos finais. Aos 43, depois de uma cobrança de escanteio rasteira, a bola foi desviada por Gabi no primeiro pau e Ward fez uma defesa fantástica. Na sequência, depois de mais um córner, a redonda ficou viva na área dos Reds, Savić arriscou, mas a bola foi por cima.

E, antes de consolidar o empate, o Liverpool ainda criou outra oportunidade. Robertson recebeu na esquerda, avançou e soltou uma bomba cruzada. Moyá não alcançou e a bola passou triscando a trave. Mas o jogo ficou mesmo no empate em 1 a 1 e a Audi Cup foi decidida nos pênaltis.

Nas cobranças, Firmino abriu a série para o Liverpool convertendo a sua, Griezmann empatou, Henderson parou em Moyá, que defendeu a cobrança com o pé, na sequência, todos os batedores das duas equipes converteram seus penais: Torres, Origi, Gabi, Kent, Nico Gaitán, Grujić e coube ao brasileiro Filipe Luís bater o pênalti que deu o título da Audi Cup para o Atlético de Madrid.

Liverpool e Atlético de Madrid fizeram um feito na curta história da Audi Cup: deixaram o anfitrião de fora da decisão. Assim, os Reds entraram em campo com a moral de ter eliminado a equipe da casa, o Bayern de Munique, nas semifinais por acachapantes 3 a 0. Na final, a equipe de Jürgen Klopp tentou pressionar os Colchoneros, mas a retranca bem armada por Diego Simeone não permitiu que os ingleses sobrassem no campo e levassem tanto perigo a Moyá. E, na primeira investida ao ataque, o Atlético chegou ao gol aos 33 minutos da etapa inicial com Keidi Bare. A situação permaneceu semelhante no segundo tempo, e o Liverpool só conseguiu chegar ao empate por conta de um pênalti cometido por Gabi. O brasileiro Roberto Firmino converteu a cobrança com categoria. Nos pênaltis, todos os batedores, exceto Henderson que parou em Moyá, mostraram eficiências nas cobranças, e assim, o Atlético de Madrid repetiu o feito do Barcelona e é a segunda equipe, fora o Bayern de Munique, a conquistar o torneio.

E, na disputa do terceiro lugar, que aconteceu mais cedo no mesmo Allianz Arena, o Bayern de Munique foi derrotado pelo Napoli por 2 a 0.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da final.

Semifinais:
1º/08/2017 – Atlético de Madrid (ESP) 1×1 Napoli (ITA) – Allianz Arena, Munique
Final:
02/08/2017 – Liverpool (ING) (4)1×1(5) Atlético de Madrid (ESP) – Allianz Arena, Munique

FICHA TÉCNICA: LIVERPOOL (4)1×1(5) ATLÉTICO DE MADRID (ESP)
Competição/fase:
Audi Cup 2017 – final (jogo único)
Local: Allianz Arena, Munique, Alemanha
Data: 2 de agosto de 2017, quarta-feira – 15h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Felix Brych (Alemanha)
Cartões Amarelos: Mané, Milner, Gomez e Klavan (Liverpool); Sergi (Atlético de Madrid)
Gols: Bare, aos 33 min do 1º tempo (0-1); e Roberto Firmino (de pênalti), aos 38 min do 2º tempo (1-1)
Pênaltis convertidos: Firmino, Origi, Kent e Grujić (Liverpool); Griezmann, Torres, Gabi, Nico Gaitán e Filipe Luís (Atlético de Madrid)
Pênalti desperdiçado: Henderson (Liverpool)
LIVERPOOL (ING): 52.Ward; 38.Flanagan (Matip), 12.Gomez, 17.Klavan, 7.Milner (9.Firmino); 23.Can (26.Robertson), 20.Lallana (16.Grujić) e 5.Wijnaldum (53.Ejaria);19.Mané (14.Henderson), 58.Woodburn (40.Kent) e 29.Solanke (27.Origi). Técnico: Jürgen Klopp
ATLÉTICO DE MADRID (ESP): 1. Moyá, 16.Vrsaljko (20.Juanfran), 24.Giménez, 19.Lucas Hernandéz (22.Nico Gaitán), 29.Sergi González (14.Gabi); 23.Kranevitter (22.Nico Gaitán), 12.Augusto Fernández (7.Griezmann), 5.Partey (15.Savić) e  27.Keidi (3.Felipe Luis); 11.Correa (9.Fernando Torres) e 17.Vietto (33.Diedhiou). Técnico: Diego Simeone

Parabéns ao Clube Atlético de Madrid pela conquista.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s