Exposição “Primeiras Impressões” no Museu da Casa Brasileira

Xilogravura ilustrando Mundus novus Augsburgo, 1505. Foto: Jorge Almeida

O Museu da Casa Brasileira realiza até o próximo dia 13 de agosto, domingo, a exposição “Primeiras Impressões”, que exibe ilustrações do livro “Grandes Viagens”, com relatos de Hans Staden, e é baseada também na obra “Oito viagens ao Brasil”, do designer Gustavo Piqueira.

Na abertura de um folheto de 1505, que reproduz Mundus novus, carta que especulava-se ter sido composta pelo navegador Américo Vespúcio, consta a impressão da primeira representação visual conhecida do Brasil. Na ilustração, em xilogravura, tirando as imagens dos bebês de colo, os demais aparecem vestidos como uma saia de penas, traje inexistente em qualquer circunscrição dos habitantes originais da costa brasileira, mas que ficaram caracterizados na iconografia do oriundo da época. Logo, essa imagem foi a primeira de uma longa série de distorções que remataram em instituir a imagem do Brasil em seus primeiros séculos de existência. E é justamente sob este aspecto que a exposição analisa.

A mostra, que introduz o tema da questão da criação da imagem do Brasil por meio de reproduções de gravuras históricas e ampliações em grande formato, é baseada no livro do designer Gustavo Piqueira, “Oito viagens ao Brasil”.

O conteúdo da exposição (e do livro) traz e discute o intricado conflito da indústria, arte e códigos culturais vigorantes que originaram ao surgimento da imagem do Brasil. Uma mistura de romances de cavalaria, tensões religiosas, bestiários medievais, interesses econômicos e, especialmente, parâmetros produtivos da então rudimentar indústria do livro, cuja estabilização aconteceu praticamente junto com a chegada dos europeus à América e preenchia sua prática editorial com costumes que nos dias atuais seriam impossíveis, como rearranjar pessoas em uma ilustração ou repetir a mesma imagem em textos diferentes. O primeiro livro sobre o Brasil, publicado em 1554 intitulado “Duas viagens ao Brasil”, traz o relato do alemão Staden e teve edições diferentes, com ilustrações de elefantes, Jesus crucificado ou turcos otomanos.

Enquadrando o conteúdo da mostra, grandes ampliações do volume três das Grandes Viagens, a coleção de descrições sobre o Novo Mundo publicada pelo belga Theodor de Bry que, ao reler as xilogravuras originais do livro da Hans Staden em animadas e explícitas gravuras em cobre, materializou a imagem do Brasil em seu primeiro século após o desembarque de Cabral.

Gustavo Piqueira criou a caixa “Oito viagens ao Brasil”, que contém oito livros em que cada um apresenta a sua própria combinação entre antigo e contemporâneo, história e ficção e linguagem visual e escrita. Em seu interior, há um livro-objeto com diversas peculiaridades, como uma narrativa com colagens sobre fotografias oficiais de presidentes e imperadores do Brasil; textos originais de Hans Staden ilustrados por fotografias contemporâneas de Ubatuba, entre outras coisas.

SERVIÇO:
Exposição:
Primeiras Impressões
Onde: Museu da Casa Brasileira – Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2705 – Jardim Paulistano
Quando: até 13/08/2017; de terça a domingo, das 10h às 18h
Quanto: R$ 10,00; R$ 5,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de 10 anos, maiores de 60 anos e para o público geral aos sábados, domingos e feriados

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s