Exposição “Vlavianos: Trajetória” na Estação Pinacoteca

“A Grande Vassoura” (1992-1994), uma das esculturas de Nicolas Vlavianos em exibição na Estação Pinacoteca. Foto: Jorge Almeida

A Estação Pinacoteca apresenta até a próxima segunda-feira, 26 de junho, a mostra “Vlavianos: Trajetória”, que faz uma retrospectiva de um dos principais nomes da escultura brasileira, Nicolas Vlavianos, grego radicado em São Paulo desde 1961. A exposição reúne cerca de 150 obras, entre desenhos e esculturas, acompanhadas de projetos que corroboram o pensamento plástico que orienta a expressão artística desde a década de 1960 até os dias de hoje.

A curadora chefe do museu, Valeria Piccoli, explica que “a singularidade da obra de Vlavianos no contexto da produção escultórica nacional tem sido notada pela crítica desde o início de sua trajetória, na década de 1960. Transitando sempre entre o rigor geométrico e a forma orgânica, o artista traz de sua origem grega e de seu período de aprendizado em Paris uma profunda reflexão sobre a tradição da escultura e o legado moderno. Além disso, permanece como uma importante referência para as novas gerações em função de sua atuação como professor”.

A mostra não tem como intuito mostrar cada fase da carreira do artista de forma cronológica, mas sim privilegiar os dois aspectos que pontuam sua produção: os desenvolvimentos de seu empenho pela forma industrial e o seu comprometimento em produzir materialidade a meios tão impalpáveis quanto o mar e as nuvens.

A produção escultórica de Vlavianos constituem elementos derivados da mitologia grega, do culto à máquina e ao progresso, bem como da representação de elementos da natureza. As reproduções encontradas na mostra foram feitas mais livremente e também se constituem como raciocínios sobre a forma e o espaço.

Trabalhados com dobras, rebites, soldas e parafusos, o ferro e o aço das obras do artista dão forma a engrenagens, homens-máquina e objetos que sugerem utensílios de uso doméstico, assim como a plantas, árvores e mandalas.

Destaques para “A Grande Vassoura” (foto), obra feita em latão e aço inox soldado e polido entre 1992 e 1994; e “Mandala” (2000), obra composta de ferro forjado e parafusos.

Além das esculturas, a exposição é complementada por cerca de 30 itens entre catálogos, convites, cartas e textos, e também um audiovisual que exibe obras do artista em espaços públicos, como “Nuvem sobre a Cidade” (1978), que está exposta na Praça da Sé, em São Paulo.

SERVIÇO:
Exposição:
Vlavianos: Trajetória
Onde: Estação Pinacoteca – Largo General Osório, 66 – Centro
Quando: até 26/06/2017; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h)
Quanto: entrada gratuita temporariamente

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s