Bahia: campeão da Copa do Nordeste 2017

Edigar Junio comemora o gol que deu o título ao Bahia. Créditos: Divulgação/ECB/Felipe Oliveira

Depois de 15 anos, o Bahia volta a ser campeão da Copa do Nordeste. O Tricolor de Aço pôs fim ao tabu de uma década e meia sem títulos da principal competição regional do país ao bater o Sport Recife por 1 a 0 na noite desta quarta-feira (24) pela segunda e decisiva partida do certame. O autor do gol do título foi Edigar Junio. Como havia empatado o primeiro duelo na quarta passada em 1 a 1, a equipe de Guto Ferreira fez 2 a 1 no placar agregado e conquistou a sua terceira Lampions League da história.

Os anfitriões chegaram com perigo logo aos 4 minutos. Edigar Junio recebeu na área, disputou com a defesa, saiu da área pela direita, foi ao fundo e cruzou para o meio da área para Régis, com liberdade, cabecear por cima do gol de Magrão. E o Tricolor de Aço continuou a pressionar o Sport, e não demorou muito para tirar o zero do placar. Aos 12 minutos, Edigar Junio recebeu passe de Armero, girou, fintou Durval e, com categoria, deu um leve toque na saída de Magrão. Um belo gol.

O Leão da Ilha tentou dar o troco no minuto seguinte com Rogério que, ao receber no meio, dominou, deixou a redonda quicar e para pegar firme e mandar para fora.

O time recifense tentou se recuperar do prejuízo e quase teve outro maior aos 18. Régis recebeu lançamento, não conseguiu dominar, mas contou com a falha de Matheus Ferraz para ficar com a sobra, porém, o camisa 20 tricolor, com a canhota, mandou para as redes, mas do lado de fora.

O Sport ainda tentava se encontrar em campo, contudo, o time de Guto Ferreira estava melhor no jogo e, aos 30, chegou a acertar a bola na trave. Allione levantou na área e, depois do desvio, Edigar Junior, no segundo pau, cabeceou e acertou a trave de Magrão. E, dois minutos depois, a situação do já complicado Sport piorou de vez. Rogério simulou falta dentro da área e a arbitragem deu o segundo amarelo e, consequentemente, o vermelho e o expulsou.

Com um a menos, o rubronegro do Recife não deu sinais de qualquer indício de reação e, com isso, só restou segurar o resultado até o intervalo para o pressionado Ney Franco mudar o time.

Na volta do intervalo, o Sport voltou com Marquinhos no lugar de Raul Prata. E, aos três minutos, Eduardo fez jogada pela linha de fundo, cruzou rasteiro para Edigar Junio, que chutou prensado por conta da marcação e a bola ficou com Magrão, que foi protagonista em outro lance aos dez minutos. Jean deu um chutão e a redonda sobrou para Régis que, já na área do Sport, pegou de primeira e o camisa 1 espalmou para escanteio. Dois minutos depois, o Bahia chegou mais uma vez na área do Leão. Allione tentou tocar por baixo para o meio da área, foi travado, ficou com a sobra, tocou para a pequena área para Zé Rafael, que chutou, Magrão fez uma defesaça e Marquinhos desviou para escanteio antes da chegada de um jogador do time baiano. Aos 15, Armero fez boa jogada pela esquerda e tocou na área para Edigar Junior, que foi travado na hora do chute e conseguiu um escanteio.

Com a vantagem de ter um homem a mais, os comandados de Guto Ferreira continuaram a pressionar o time de Ney Franco e, aos 21, em um contra-ataque Allione deu excelente passe para Zé Rafael, que avançou com liberdade e, da entrada da área, finalizou para ótima defesa do goleiro do Sport. Pouco tempo depois, aos 25, o Bahia foi com muito perigo ao gol, mas Matheus Ferraz salvou praticamente em cima da linha e impediu o segundo tento dos soteropolitanos. No lance seguinte, o Sport chegou com perigo pela primeira vez no segundo tempo. Everton Felipe tabelou com André em pela direita, chutou ao alvo, mas Jean defendeu com tranquilidade.

Essa chance do Sport deixou claro que o Bahia diminuiu o ímpeto ofensivo e, consequentemente, começou a permitir algumas investidas do Leão para poder apostar nos contra-ataques, que até vieram, mas que não souberam tirar proveito. Como um lance ocorrido já aos 44 minutos em que o Bahia partiu no contragolpe e, mais uma vez, Magrão salvou a pele do Sport de levar o segundo jogo e sepultar de vez as chances de levar a disputa para os pênaltis. Aliás, vale registrar que os ânimos ficaram exaltados no banco de reservas do time pernambucano que teve dois jogadores – Ronaldo e Lenis – expulsos.

O Bahia optou em começar o jogo com um ataque leve, de jogadores rápidos e que se movimentam bastante e isso surtiu efeito ainda no começo do jogo quando Edigar Junio, em lance “à lá Romário”, fintou Durval com a bola “presa” no pé e deu um leve toque por cima de Magrão. O Sport até tentou um esquema com três zagueiros, mas os atacantes do tricolor baiano levaram vantagem na maioria das disputas e, além disso, o clube de Recife não conseguiu criar absolutamente nada nos primeiros 45 minutos e, para complicar de vez, perdeu Rogério, que foi expulso justamente pelo árbitro Francisco Carlos do Nascimento. Na etapa final, o Bahia pressionou até a metade do segundo tempo, mas não conseguiu ampliar a vantagem por conta das boas intervenções de Magrão. O Leão da Ilha só levou perigo à meta de Jean somente aos 26 minutos da etapa final. Embora tivesse ganhado mais terreno para atacar, mas isso foi possível porque o Bahia ficou à espera para contragolpear. A ideia até deu certo, todavia, o poder ofensivo do tricolor não estava com os pés calibrados e não conseguiram superar o goleiro rubronegro. E, dessa forma, o Bahia venceu o Sport pelo placar mínimo e pôs fim ao tabu de títulos da Lampions League que já perdurava por 15 anos.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da final.

Fase de grupos (Grupo B):
26/01/2017 – Fortaleza (CE) 0x0 Bahia (BA) – Castelão, Fortaleza (CE)
04/02/2017 – Bahia (BA) 2×0 Moto Club (MA) – Pituaçu, Salvador (BA)
12/02/2017 – Altos (PI) 0x0 Bahia (BA) – Lindolfo Monteiro, Teresina (PI)
02/03/2017 – Bahia (BA) 3×0 Altos (PI) – Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
12/03/2017 – Moto Club (MA) 0x4 Bahia (BA) – Castelão, São Luís (MA)
22/03/2017 – Bahia (BA) 2×0 Fortaleza (CE) – Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
Quartas-de-final:
20/03/2017 – Sergipe (SE) 0x4 Bahia (BA) – Batistão, Aracaju
02/04/2017 – Bahia (BA) 3×0 Sergipe (SE) – Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
Semifinais:
27/04/2017 – Vitória (BA) 2×1 Bahia (BA) – Barradão, Salvador (BA)
30/04/2017 – Bahia (BA) 2×0 Vitória (BA) – Arena Fonte Nova, Salvador
Final:
17/05/2017 – Sport (PE) 1×1 Bahia (BA) – Ilha do Retiro, Recife (PE)
24/05/2017 – Bahia (BA) 1×0 Sport (PE) – Arena Fonte Nova, Salvador (BA)

FICHA TÉCNICA: BAHIA (BA) 1×0 SPORT (PE)
Competição/fase:
Copa do Nordeste 2017 – final (segundo jogo)
Local: Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
Data: 24 de maio de 2017, quarta-feira – 21h50 (horário de Brasília)
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)
Auxiliares: Esdras Mariano de Lima Albuquerque e Rondinelle dos Santos Tavares, ambos de Alagoas
Cartões Amarelos: Régis, Edson, Renê Junior, Allione, Thiago, Matheus Sales e Zé Rafael (Bahia); Rogério (2), Ronaldo, Leandro Pereira, Marquinhos e Mina (Sport)
Cartões Vermelhos: Rogério, Ronaldo e Lenis (Sport)
Gol: Edigar Junio, aos 12 min do 1º tempo (1-0)
BAHIA (BA): 1.Jean; 22.Eduardo, 3.Tiago, 28.Lucas Fonseca e 7.Armero; 23.Renê Júnior (5.Juninho), 19.Edson, 20.Régis (13.Matheus Sales) e Zé Rafael  (21.Gustavo); 11.Edigar Junio e 8.Allione. Técnico: Guto Ferreira
SPORT (PE): 1.Magrão; 13.Matheus Ferraz, 2.Henríquez e 4.Durval; 23.Raul Prata (11.Marquinhos),  36.Fabrício (97.Everton Felipe), 29.Ronaldo (9.Leandro Pereira), 87.Diego Souza e 6.Mena; 90.André. Técnico: Ney Franco

Parabéns ao Esporte Clube Bahia pelo título.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s