Atlético Nacional: campeão da Recopa Sulamericana 2017

Jogadores do Atlético Nacional erguem a taça da Recopa Sulamericana conquistada nesta quarta-feira (10). Créditos: conmebol.com

Em uma partida marcada pela emoção, respeito e irmandade entre brasileiros e colombianos no Estádio Atanásio Girardort, em Medellín, dentro de campo, o Atlético Nacional não tomou conhecimento da Chapecoense e goleou a equipe brasileira por 4 a 1 na noite desta quarta-feira (10) pelo segundo jogo da Recopa Sulamericana e ficou com a taça. Com dois gols de Dayro Moreno e Ibargüen, enquanto Túlio de Melo descontou para os visitantes, os comandados de Reinaldo Rueda fizeram 5 a 3 no placar agregado e ficou com o troféu que estava em jogo entre o atual campeão da Libertadores e o detentor da última edição da Copa Sulamericana.

O primeiro tempo mal começara e o Atlético Nacional já tratou de tirar o zero do placar. Antes de chegar a dois minutos de partida, Dayro Moreno recebeu a bola em profundidade, chutou para o gol e a bola passou por baixo de Artur Moraes, que falhou no lance.

Depois do gol sofrido, a Chape tentou equilibrar as ações no jogo e apostou no contragolpe, mas precisou marcar forte em seu campo, enquanto isso, o Atlético manteve a posse da bola e mais espaço. E a grama molhada atrapalha muito o Verdão do Oeste, pois com a bola rolando mais rápida, aumenta o número de passes errados.

Aos 31 minutos, a equipe da casa cobrou o lateral rápido, Macnelly Torres tocou para Ibargüen que, de dentro da aérea, acertou um belo chute, sem chances de defesa para Artur Moraes, 2 a 0 para o Atlético Nacional. O jogo seguiu até o final da primeira etapa com os colombianos controlando a partida, dominando o meio de campo e investindo pelas laterais. Enquanto isso, a Chapecoense apresentou dificuldades na criação de jogadas e ficou apenas nas tentativas de levantar a bola na área e nos chutes de longa distância, porém, sem sucesso.

Para tentar diminuir o prejuízo, o técnico Vágner Mancini promoveu a entrada de Apodi no lugar de Luiz Antônio na volta do intervalo. Mas, assim como foi no primeiro tempo, o Atlético chegou com perigo logo a um minuto de jogo. Dessa vez, contudo, não conseguiu chegar ao gol. No lance seguinte, a alteração feita na equipe brasileira surtiu efeito. João Pedro invadiu a área, tocou para Arthur Caíke, que estava sozinho na área, ele dominou e chutou fora do alcance de Armani, a redonda tinha endereço certo, mas Henriquez esticou a perna esquerda e tirou embaixo da trave. No rebote, o arqueiro sofreu a falta. Três minutos depois, o mesmo João Pedro avançou pela esquerda e chutou para boa defesa de Armani.

O que não a Chapecoense não jogou na primeira etapa, deixou para a metade do segundo tempo. Contudo, como precisava partir para cima para diminuir o prejuízo, a equipe brasileira ficou exposta aos contra-ataques dos colombianos. E, assim, aos 21 minutos, Ibargüen driblou Apodi pela esquerda e cruzou para Rodríguez que, de cabeça, escorou para Dayro Moreno que, também de cabeça, completou para as redes: 3 a 0.

Com a ampla vantagem, os anfitriões mantiveram o domínio da partida. Aos 33, Elkin Blanco chutou forte da área, Artur Moraes espalmou e, no rebote, o camisa 14 cruzou, mas a zaga da Chape afastou. Dois minutos depois, Bocanegra fez longo lançamento para Ibargüen, que partiu para cima de Douglas Grolli, tentou fintar o defensor, escorreu na hora do chute, mas a bola saiu mascada e encobriu Artur Moraes e aumentar o marcador: 4 a 0.

A Chape reagiu o suficiente para fazer o seu gol de honra. Aos 38, Osman Jr. levantou na área, Túlio de Melo recebeu, girou e finalizou para amenizar o prejuízo do time brasileiro, 4 a 1.

Com a reação tardia da Chape, o Atlético Nacional administrou o resultado e ficou à espera do apito final para poder comemorar o título da Recopa, que veio depois que o árbitro chileno encerrou a partida aos 48 minutos. Fim de jogo no Atanásio Girardot, Atlético Nacional 4, Chapecoense 1.

A Chapecoense entrou em campo com a vantagem de um gol por conta da vitória no jogo de ida. Todavia, com baixas de última hora, campo molhado e a pressão inicial, o time brasileiro viu a vantagem sucumbir com menos de dois minutos de jogo com gol de Dayro Moreno, que contou com contribuição do goleiro Artur Moraes. O Verdão até tentou equilibrar a partida, mas lhe faltava força para chegar ao ataque, embora conseguisse se manter bem posicionado na defesa. Contudo, os colombianos levaram a melhor no mano a mano e souberam aproveitar os espaços e foi dessa maneira que Macnelly Torres recebeu e tocou para Ibargüen na área para fazer 2 a 0. No começo da etapa complementar, a Chapecoense até voltou disposta, com Apodi no lugar de Luiz Antônio, para dar mais força e intensidade e deslocar João Pedro para o ataque. Criou chances, mas as jogadas individuais feitas no mano a mano corroboraram para a derrocada do clube catarinense. Em dois lances desse tipo, o time de casa chegou aos 4 a 0 com facilidade. Enquanto isso, Túlio de Melo, que substituiu Arthur Caike, fez o gol de honra da Chape.

Aliás, essa foi a quinta derrota do campeão catarinense nas últimas seis partidas. Essa sequência ruim é um sinal de alerta para a Chapecoense que, em um calendário atípico, conquistou o estadual, foi eliminado na fase de grupos da Primeira Liga, está com a situação complicada em seu grupo na Libertadores, perdeu o título da Recopa hoje, tem o jogo de volta contra o Cruzeiro pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil – a Raposa venceu o compromisso de ida por 1 a 0 em Belo Horizonte, o Campeonato Brasileiro e a Copa Suruga Bank, no Japão. Aliás, o Verdão do Oeste estreará na competição nacional no próximo sábado (13) fora de casa contra o Corinthians às 19h (horário de Brasília).

A seguir, o resumo da campanha e a ficha técnica da decisão.

Data – Jogo – Local:
04/04/2017 – Chapecoense (BRA) 2×1 Atlético Nacional (COL) – Arena Condá, Chapecó (SC)
10/05/2017 – Atlético Nacional (COL) 4×1 Chapecoense (BRA) – Atanasio Girardot, Medellín

FICHA TÉCNICA: ATLÉTICO NACIONAL (COL) 4×1 CHAPECOENSE (BRA)
Competição/fase: Recopa Sulamericana 2017 – 2º jogo
Local: Estádio Atanasio Gerardot, Medellín, Colômbia
Data: 10 de maio de 2017, quarta-feira, 21h50 (horário de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (Chile)
Assistentes: Marcelo Barraza e Cláudio Rios, ambos do Chile
Cartões Amarelos: Arthur Caike, Reinaldo, Moisés Ribeiro, Andrei Girotto e Nathan (Chapecoense); Ibargüen, Rodríguez e Blanco (Atlético Nacional)
Cartão Vermelho: Andrei Girotto (Chapecoense)
Gols: Dayro Moreno, a 1 min do 1º tempo (1-0); Ibargüen, aos 30 min do 1º tempo (2-0); Dayro Moreno, aos 21 min do 2º tempo (3-0); Ibargüen, aos 34 min do 2º tempo (4-0); e Túlio de Melo, aos 37 min do 2º tempo (4-1)
ATLÉTICO NACIONAL (COL): 25.Armani; 2.Bocanegra, 5.Nájera, 12.Henriquez e 19.Díaz; 8.Arias (8.Nieto), 18.Aldo Rodríguez (14.Blanco), 7.Arley Rodríguez, 11.Ibargüen e 10.Macnelly Torres; 17.Dayro Moreno. Técnico: Reinaldo Rueda
CHAPECOENSE (BRA): 1.Artur Moraes; 2.João Pedro, 3.Douglas Grolli, 4.Nathan e 6.Reinaldo; 8.Andrei Girotto, 5.Moisés Ribeiro, 18.Luiz Antônio (22.Apodi), 19.Osman Jr. e 17.Arthur Caike (10.Túlio de Melo); 9.Welligton Paulista (11.Niltinho). Técnico: Vágner Mancini

Parabéns ao Club Atlético Nacional S.A. pelo título.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s