Sport Recife: campeão do Troféu Ariano Suassuna

Jogadores do Sport Recife comemoram a conquista do Troféu Ariano Suassuna. Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco
Jogadores do Sport Recife comemoram a conquista do Troféu Ariano Suassuna. Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

O Sport Recife bateu os bolivianos do The Strongest nos pênaltis por 4 a 2 depois do empate em 1 a 1 no tempo normal e ficou com o Troféu Ariano Suassuna na tarde deste domingo (22) na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata. Os gols saíram no primeiro tempo: Ritchely, aos 10, e Marvin Bejarano, aos 44, igualou para os visitantes. Nas cobranças penais, Matheus Ferraz, Reinaldo Lenis, Paulo Henrique e Marquinhos converteram suas cobranças para o Leão, assim como Marteli e Vargas assinalaram para a equipe aurinegra boliviana. Já Valverde e Chumacero, pelo Strongest, e Henriquez, pelo Sport, desperdiçaram seus tiros penais, parando em Agenor e Vaca, respectivamente, enquanto Chumacero isolou.

O primeiro tempo começou morno, com as duas equipes se estudando. Mas, o rubronegro da Praça da Bandeira começou a mostrar serviço. Aos 9 minutos, Diego Souza driblou dois marcadores e soltou uma bomba para Vaca mandar para escanteio. No lance seguinte, Everton Felipe cruzou na área e o volante deu um leve desvio na bola e abriu o placar. Festa na Arena de Pernambuco, que teve apenas cerca de oito mil torcedores. 1 a 0 Sport.

Depois do gol, o jogo deu uma caída e seguiu alternando o marasmo e intensa movimentação, embora as duas equipes ensaiaram uma melhora. Aos 24, Everton Felipe cruzou, Rogério tentou pegar um voleio e não acerta em cheio a bola, que sobrou para Leandro Pereira, que pegou de primeira e exigiu outra ótima interceptação de Vaca. No contra-ataque, o frágil The Strongest ganhou um presente. Pablo Escobar partia em velocidade para o ataque quando Ronaldo Alves o derrubou e, como era o último homem antes do goleiro Magrão, foi expulso direto. Com um a menos, Leandro Pereira precisou ser “sacrificado” para a entrada de Matheus Ferraz para recompor o sistema defensivo do rubronegro. A estreia do camisa 9 durou apenas 30 minutos por conta da expulsão de Alves.

Com um homem a mais, o The Strongest começou a gostar do jogo e passou a incomodar mais o Leão da Ilha. Aos 38, Magrão salvou o Sport duas vezes seguidas. Raul Castro serviu Pablo Escobar, que ficou cara a cara com o goleiro, que defendeu e, no rebote, Chumacero tentou de voleio e o camisa 1 salvou de novo.

Mas, antes do intervalo, os bolivianos chegaram ao empate. Aos 44, cobrança de escanteio pela esquerda, desvio na primeira trave e Marvin Bejarano pegou de primeira para deixar tudo igual no amistoso que vale taça.

Para o segundo tempo, o Sport voltou todo modificado: Agenor; Raul Prata, Matheus Ferraz, Henríquez e Mansur; Thallyson, Neto Moura e Fábio; Marquinhos e Reinaldo Lenis. Ou seja, a etapa complementar serviu para os contratados, como Marquinhos e Raul Prata, e as revelações da base mostrarem serviços. Com isso, as alterações não foram acompanhadas de inspiração, uma vez que foram raras as chances de gols que, embora chegassem a assustar, não alteraram o placar.

O The Srtongest, por exemplo, perdeu uma oportunidade incrível aos 15 minutos. Após o rebote, Pablo Escobar, sozinho na grande área, errou o alvo.

O Sport levou perigo aos 30 e aos 32 com Mansur e Paulo Henrique, respectivamente, mas suas finalizações foram desviadas pela defesa e por cima.

A entrada de Paulo Henrique incomodou mais os defensores do Tigre de Achumani, uma vez que foi o mais acionado no segundo tempo e quem criou mais oportunidades. Antes do apito final de Pedro Basssols, o camisa 12 teve mais duas chances, mas que não chegaram a assustar tanto o goleiro Vaca. Empate mantido, a partida foi para os pênaltis.

Nas cobranças, Matheus Ferraz abriu a série e acertou a sua; Fernando Marteli empatou para os visitantes; Reinaldo Lenis colocou os anfitriões na frente de novo; Gabriel Valverde parou em Agenor, que caiu no canto direito e pegou o penal; Henriquez desperdiçou a sua cobrança ao ter seu tiro defendido por Vaca; já Chumacero isolou a bola na Arena de Pernambuco ao mandar por cima da trave à lá Roberto Baggio na final da Copa do Mundo de 1994; Paulo Henrique ampliou a vantagem para o Sport; Rodrigo Vargas diminuiu para o The Srtongest; coube a Marquinhos acertar a sua cobrança e sacramentar a vitória para o Sport. Fim das cobranças por pênaltis: Sport 4, The Strongest 2.

O técnico Daniel Paulista queria avaliar a sua equipe para a estreia da temporada 2017. E, para suas pretensões, aproveitou a Taça Ariano Suassuna. Porém, tudo foi por água abaixo aos 26 minutos do primeiro tempo com a expulsão de Ronaldo Alves. Até então, o Leão vencia por 1 a 0 o frágil The Strongest, que, com um jogador a mais, cresceu na partida e chegou ao empate ainda na primeira etapa. No segundo tempo, o jogo foi mais lento e monótono e serviu mais para promover as estreias dos novos contratados e mostrar as revelações da base. Nos pênaltis, os dois goleiros pegaram uma cobrança cada e o Leão levou a melhor pelo aproveitamento de seus batedores. Assim, pela terceira vez consecutiva, o Sport leva a Taça Ariano Suassuna, troféu criado para homenagear o ilustre torcedor do Leão. Nas edições anteriores, o rubronegro derrotou o Nacional (URU) e Argentinos Juniors (ARG).

O próximo jogo do Sport será na quarta-feira (25), quando receberá o Sampaio Corrêa, na Ilha do Retiro, pela primeira rodada da fase de grupos da Copa do Nordeste. A partida está marcada para às 18h45 (horário de Brasília).

A seguir, a ficha técnica do jogo que valeu o Troféu Ariano Suassuna.

FICHA TÉCNICA: SPORT RECIFE (BRA) 1(4)x1(2) THE STRONGEST (BOL)
Competição/fase:
Troféu Ariano Suassuna – jogo único
Data: 22 de janeiro de 2017, domingo, 17h (horário de Brasília)
Local: Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE)
Árbitro: Pedro Bassols (PE)
Assistentes: Fabrício Leite e Marcelino Castro, ambos de Pernambuco
Gols: Ritchely, aos 10 min do 1º tempo (1-0); e Marvin Bejarano, aos 44 min do 1º tempo (1-1)
Pênaltis convertidos: Matheus Ferraz, Reinaldo Lenis, Paulo Henrique e Marquinhos (Sport); Marteli e Vargas (The Strongest)
Pênaltis desperdiçados: Henriquez (Sport); Valverde e Chumacero (The Strongest)
Cartão Amarelo: Ritchely (Sport)
Cartão Vermelho: Ronaldo Alves (Sport)
SPORT RECIFE (BRA): 1.Magrão (19.Agenor); 27.Samuel Xavier (23.Raul Prata), 3.Ronaldo Alves, 4.Durval (2.Henríquez) e 6.Renê (93.Mansur); 29.Ronaldo (44.Thallyson), 21.Rithely (25.Neto Moura) e 87.Diego Souza (30.Fábio) (12.Paulo Henrique); 97.Everton Felipe (7.Reinaldo Lenis), 17.Rogério (11.Marquinhos) e 9.Leandro Pereira (16.Matheus Ferraz). Técnico: Daniel Paulista.
THE STRONGEST (BOL): 19.Daniel Vaca; 8.Diego Bejarano (21.Ramiro Ballivian), 15.Luis Maldonado, 5.Fernando Marteli e 6.Marvin Bejarano; 14.Diego Wayar (4.Gabriel Valverde), Agustin Jara (Oscar Diaz), 3.Alejandro Chumacero e 26.Raul Castro; 23.Matias Alonso (7.Rodrigo Vargas) e 10.Pablo Escobar. Técnico: Cesar Farias.

Parabéns ao Sport Club do Recife pela conquista.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s