Exposição “Coleções em Diálogo: Museu Paulista e Pinacoteca de São Paulo” na Pinacoteca

“Inundação da Várzea do Carmo" (1892), de Benedito Calixto, um dos destaques da exposição. Foto: Jorge Almeida
“Inundação da Várzea do Carmo” (1892), de Benedito Calixto, um dos destaques da exposição. Foto: Jorge Almeida

A Pinacoteca do Estado de São Paulo segue com a exposição “Coleções em Diálogo: Museu Paulista e Pinacoteca de São Paulo” em cartaz até o próximo dia 30 de janeiro, que traz cerca de 50 obras, entre pinturas, desenhos, fotografias e objetos, que remetem à origem comum de ambas as instituições, já que a Pinacoteca nasceu da transferência em 1905 de 20 obras reunidas pelo Estado de São Paulo no Museu Paulista, inaugurado em 1895. A mostra faz parte das comemorações dos 110 anos da Pinacoteca.

A exposição permite ao visitante ver (ou rever) peças importantes do Museu Paulista, popularmente conhecido como Museu do Ipiranga, que atualmente se encontra fechado para visitação devido aos trabalhos de restauro e modernização do edifício-monumento (com previsão de reabertura para 2022 (!)).

Os dois estabelecimentos culturais, de acordo com a curadora-chefe da Pinacoteca, Valéria Picolli, estão “intrinsecamente ligados em sua criação”, porém, ao longo de suas respectivas histórias centenárias, ampliaram as coleções de seus acervos por caminhos diferentes: a Pinacoteca se instituindo como uma importante instituição de arte, enquanto o Museu Paulista como um museu de história.

As obras expostas trazem assinaturas de artistas como Antônio Parreiras, Adrien van Emelen, Henrique Bernadelli, Benedito Calixto, Rodolfo Amoedo, Antônio Ferrigno, Oscar Pereira da Silva, entre outros, que ajudam a compreender essa história comum e seus desdobramentos.

Destaque fica para as pinturas “Inundação da Várzea do Carmo” (foto), de 1892, de Benedito Calixto, a primeira aquisição do governo republicado de São Paulo, e “Ciclo da caça ao índio” (1925), de Henrique Bernardelli, uma das encomendas do então diretor da instituição, Affonso Taunay, para a decoração da escadaria monumental do Museu, e importantes testemunhos da produção artística da virada dos séculos XIX e XX; além de “Panorama de São Paulo, 1870”, elaborada entre as décadas de 1920 e 1940, de Henrique Manzo; e os cinco vasos decorados com ânforas com águas dos rios Javari, Capibaribe, Paraíba, Paraná, Amazonas e Assuí, de Elio de Giusto.

SERVIÇO:
Exposição:
Coleções em Diálogo: Museu Paulista e Pinacoteca de São Paulo
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 02 – Luz
Quando: até 30/01/2017; de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30 (com permanência até às 18h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita para menores de 10 anos, adultos com mais de 60 anos e para o público em geral aos sábados

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s