Raimundos: 15 anos de “Éramos 4”

"Éramos 4": o último registro dos Raimundos que teve a presença de Rodolfo Abrantes
“Éramos 4”: o último registro dos Raimundos que teve a presença de Rodolfo Abrantes

Neste ano que se termina em breve, é comemorado os 15 anos de um álbum que é quase esquecido por todos, o “Éramos 4”, dos Raimundos, lançamento após a saída do vocalista Rodolfo Abrantes, em 2001. O registro traz a participação especial de Marky Ramone na bateria durante um show da banda. Lançado em 15 de setembro de 2001, o play foi gravado pela WEA. O título é uma sátira ao clássico do romance de Maria José Dupré, “Éramos Seis”.

No biênio 1999/2000, os Raimundos viviam o auge de sua popularidade. Haviam lançado o álbum “Raimundos MTV Ao Vivo”, que fora gravado durante a turnê de “Só No Forévis” (1999), disco de estúdio mais bem sucedido da carreira da banda. As músicas tocaram em programas que os fãs mais antigos sequer imaginariam um dia, tipo o “Planeta Xuxa”, por exemplo, além de ter músicas do álbum, especialmente “Mulher de Fases” e “A Mais Pedida”, tocadas em rádios populares.

Tudo ia a favor dos Raimundos, até que no início de 2001, o vocalista Rodolfo se converteu ao protestantismo, a mesma religião da qual sua esposa fazia parte. Assim, aliando a fé e a vontade de se desintoxicar das drogas, o cantor começa a ficar exausto dos Raimundos. E, em junho do mesmo ano, após uma longa conversa entre seus integrantes, o fim dos Raimundos era anunciando.

Mas o término do grupo só durou dois meses, pois os outros integrantes resolveram retomar a banda, dessa vez com Digão nos vocais. E, como havia as obrigações contratuais, tinham de lançar um disco. E a solução encontrada foi incluir a primeira demo gravada pela banda – “Sanidade”, que era cantada por Digão -, além do cover sertanejo “Desculpe, Mas Eu Vou Chorar”, da dupla Leandro & Leonardo, gravado em 1993 e a popular do cancioneiro infantil “Nana Neném”, que fora gravada anteriormente para uma campanha publicitária das sandálias Rider (Grandene), em 1998, além do setlist dos clássicos dos Ramones que foi gravado no show de 15 anos de aniversário da rádio 89 FM, de São Paulo.

A participação de Marky Ramone foi “acidentalmente”. Isso porque os Raimundos (ainda com Rodolfo) foram uma das atrações para o aniversário da 89 FM, que teria o gran finale com o The Ramainz, trio que, além de Marky, tinha outro ramone em sua formação, Dee Dee, e a esposa do baixista, Barbara Zampini. Porém, o “homem dos 1, 2, 3, 4!” dos Ramones ficou doente e não pôde vir ao Brasil. Assim, como Marky já estava por aqui, não deixou os fãs na mão e se juntou aos Raimundos e, juntos, mandaram uma sequência de clássicos ramônicos que, aqui, serviu para preencher o resto do álbum.

O play abre com “Sanidade”, demo criada originalmente em 1992 com os vocais de Digão e que, segundo Carlos Eduardo Miranda, produtor do álbum, disse que à época que foi lançada, segundo os executivos da gravadora, tinha potencial de hit, mas que a banda a relegou ao ostracismo, típica atitude rebelde. A letra contrasta com a crueza de rock “cru” da composição.

A faixa seguinte é um clássico da dupla Leandro & Leonardo: “Desculpe, Mas Eu Vou Chorar”. A versão dos Raimundos foi registrada para o projeto Cult Cover Demo, programa da Rádio Cultura de Brasília, em 1993. Na sequência, a já citada “Nana Neném”, que foi extraída de um comercial da Rider.

Em seguida, Rodolfo anuncia ao microfone no melhor estilo Ramones: “… and Mr. Marky Ramone e Raimundos, ‘Sheena Is a Punk Rocker’: one, two, three, four!”. Daí vem a avalanche de temas ramônicos. Além da citada “Sheena Is A Punk Rocker”, vieram na sequência: “Rockaway Beach”, “Teenage Lobotomy”, “I Wanna Be Well”, “I Don’t Care”, “Rock And Roll High School”, “Needles And Pins” que, segundo Rodolfo, era uma das favoritas “do cara”; “Do You Wanna Dance?”, “Pinhead” e, claro, “Blitzkrieg Bop”, que não poderia faltar.

Entre as músicas, os integrantes dos Raimundos eram pura “rasgação de seda” para com Marky. Natural, pois o baterista fazia parte da principal influência dos brasilienses, ou seja, é o sonho do fã tocando com o ídolo. No final, Marky Ramone agradeceu o público e aos Raimundos. Quem estava nesse show não esquecerá desse curto, mas inesquecível dia.

Durante a turnê do álbum, o ex-guitarrista da banda Peter Perfeito, Marquim, se juntou à banda, onde permanece até hoje.

A seguir, a ficha técnica e o tracklist do álbum.

Álbum: Éramos 4
Intérprete: Raimundos
Lançamento: 15 de setembro de 2001
Gravadora: WEA
Produtor: Carlos Eduardo Miranda

Rodolfo Abrantes: voz (exceto em “Sanidade”)
Digão: guitarra e voz em “Sanidade”
Canisso: baixo
Fred: bateria nas faixas 1, 2 e 3

Marky Ramone: bateria nas faixas de 4 a 13

1. Sanidade (Rodolfo / Digão)
2. Desculpe, Mas Eu Vou Chorar (César Augusto / João Gabriel)
3. Nana Neném (Domínio Público / Adptação: Raimundos)
4. Sheena Is A Punk Rocker (The Ramones)
5. Rockaway Beach (The Ramones)
6. Teenage Lobotomy (The Ramones)
7. I Wanna Be Well (The Ramones)
8. I Don’t Care (The Ramones)
9. Rock ‘N’ Roll High School (The Ramones)
10. Needles & Pins (Nitzche / Bono)
11. Do You Wanna Dance? (Freeman)
12. Pinhead (The Ramones)
13. Blitzkrieg Bop (The Ramones)

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s