Exposição “Vitrines e Fachadas – Dois Ensaios Paulistanos” no Instituto Moreira Salles

A Ferrovia Santos-Jundiaí captada pelas lentes de Dulce Soares. Crédito: divulgação
A Ferrovia Santos-Jundiaí captada pelas lentes de Dulce Soares. Crédito: divulgação

A exposição “Vitrines e Fachadas – Dois Ensaios Paulistanos” está em cartaz no Instituto Moreira Salles até o próximo domingo, 20 de novembro, e apresenta cerca de 150 fotografias de duas séries da fotógrafa Dulce Soares, realizadas no final da década de 1970 na cidade de São Paulo, uma delas dedicada ao tradicional bairro da Barra Funda e a outra na Rua São Caetano, popularmente conhecida pelos paulistanos como “rua das noivas”.

Nos primeiros anos da década de 1970, a paisagem urbana paulistana estava se transformando com as obras de infraestrutura e a alta especulação imobiliária. Na época, o conceito de patrimônio histórico do Brasil foi ampliado e passou a incluir em seu contexto conjunto de elementos urbanos. Assim, novos órgãos de preservação nas esferas estadual e municipal foram criados. Em 1976, a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo criou a Comissão de Fotografia e Artes Aplicados.

E foi nesse contexto que o trabalho da fotógrafa carioca Dulce Soares foi desenvolvido. A encargo da Comissão que, em 1977, a fotógrafa ficou incumbida em documentar através de suas lentes o bairro da Barra Funda, como parte do projeto de documentação da cidade.

Nessa atividade, Dulce colocou em prática uma metodologia de fotografar baseado na repetição e na alternância. Ao enfatizar elementos tipológicos na paisagem, a fotógrafa propõe compará-los, destaca suas peculiaridades e os apresenta como parte de um contexto.

E foi com essa metodologia de trabalho que, um ano após concluir as fotografias da Barra Funda, Dulce viu a grande concentração no comércio de vestido de noiva na região central de São Paulo. O método foi usado no ensaio Vestido de Noiva para registrar as vitrines e os interiores, assim como as mulheres, manequins, ateliês de costura e provadores, além de documentar o sistema de produção dos vestidos de noiva, simultaneamente em que propôs uma reflexão sobre a relação entre a mulher e o seu sonho do casamento.

Entre os destaques da mostra estão as imagens das Fábricas Matarazzo e da Ferrovia Santos-Jundiaí (foto) e, claro, os vestidos de noiva da Rua São Caetano.

Dessa forma, as duas séries, reeditados e exibidos juntos pela primeira vez na mostra, fazem parte da exposição de despedida do espaço do Instituto Moreira Salles em Higienópolis. A previsão é de que o novo espaço do IMS será inaugurado em julho de 2017 na Avenida Paulista.

SERVIÇO:
Exposição:
Vitrines e Fachadas – Dois Ensaios Paulistanos
Onde: Instituto Moreira Salles (IMS) – Rua Piauí, 844 (1º andar) – Higienópolis
Quando: até 20/11/2016; de terça a sexta-feira, das 13h às 19h; sábados e domingos, das 13h às 18h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s