Atlético Nacional: campeão da Copa Libertadores 2016

Jogadores do Atlético Nacional erguem a Copa Libertadores diante de sua torcida. Créditos: AFP
Jogadores do Atlético Nacional erguem a Copa Libertadores diante de sua torcida. Créditos: AFP

O Atlético Nacional, da Colômbia, derrotou na noite desta quarta-feira (27) o Independiente del Valle, do Equador, por 1 a 0 na segunda e decisiva partida da Copa Libertadores 2016 no Estádio Atanasio Giradort, em Medelín. Com gol de Borja, aos 9 minutos do primeiro tempo, a equipe alviverde conquistou o seu segundo título da competição e fez uma campanha irretocável: 14 jogos com dez vitórias, três empates e apenas uma derrota.

A decisão começou com os donos da casa partindo para cima. Logo, a menos de um minuto de jogo, Borja desperdiçou a primeira oportunidade do jogo ao receber em profundidade e, na cara do gol, mandou por cima. Todavia, menos de dez minutos, o camisa 23 se redimiu. Aos 9 minutos, a bola foi içada na área do Independiente del Valle Mena não cortou, a redonda bateu na trave e sobrou nos pés do carrasco sãopaulino das semifinais, que dessa vez não perdoou, e estufou as redes para tirar o zero do placar.

Com a vantagem, os verdolagas ditaram o ritmo do jogo e, embalados pelo apoio enlouquecido da torcida, desperdiçaram diversas oportunidades de ampliar o marcador, principalmente depois dos 30 minutos da primeira etapa, em especial com Borja e Macnelly Torres. Boa parte disso pode ser creditado ao goleiro Azcona. O Del Valle esboçou uma reação, e quase chegou ao empate aos 34 minutos com José Angulo. Sornoza tocou para ele, que estava livre na grande área, mas mandou por cima a finalização.

Apesar da apatia dos Rayados del Valle, no primeiro tempo, o time de Pablo Repetto quase empatou a peleja no primeiro minuto da etapa complementar. Uchuari, que entrou no lugar de Sornoza, dominou na área, chapelou Bocanegra, ficou no chão com a chegada de Henríquez que, de carrinho, bloqueou o chute. Na sobra, a arbitragem marcou impedimento. Contudo, a árbitro não marcou a penalidade existente no lance.

Depois do susto protagonizado pelos visitantes, o Atlético Nacional voltou a se impor e esteve perto do segundo gol aos sete minutos. Moreno recebeu na área, cortou Caicedo e, de cara com o goleiro, preferiu tocar para Berrío, que dominou e, ao tentar finalizar de esquerda, mandou pela linha de fundo. Aos 16, foi a vez de Borja errar a sua finalização. Ao ganhar no corpo de Mina, o camisa 23 bateu cruzado e mandou para fora.

Os colombianos criaram, pelo menos, três oportunidades seguidas com Moreno, Guerra, que foi travado por Caicedo, e Borja. Tudo isso em quatro minutos: dos 26 aos 30.

O Independiente del Valle não incomodou mais o Atlético Nacional, que trocou passes e ficou com a posse da bola até o final do jogo. Nem os quatro minutos de acréscimos dados pelo árbitro Nestor Pitana serviram para os equatorianos pressionarem os donos da casa para buscar o empate, pois foram amplamente dominados pelos colombianos. Fim de jogo, Atlético Nacional 1, Independiente del Valle 0. Assim, a América amanheceu verde e branca.

Atlético Nacional e Independiente del Valle fizeram uma final histórica. Afinal, essa foi a primeira decisão de Libertadores em 25 anos a não ter presença de times brasileiros ou argentinos. Além disso, a equipe de Medelín fez a melhor campanha, em termos de pontuação, da história do torneio: 33 pontos, ultrapassando os 32 pontos da vitoriosa campanha do Boca Juniors em 2003. Na fase de grupo, foram cinco vitórias e um empate. No mata-mata, foram cinco vitórias, um empate e apenas um revés (para o Rosario Central na Argentina por 1 a 0). Além disso, o Atlético Nacional fez a cirúrgica contratação de Borja, que estava no modesto Cortoluá e foi oferecido a diversos clubes, entre eles o São Paulo. Mas ele optou em fechar com o time alviverde. E, em apenas quatro partidas, anotou cinco gols: quatro nas semifinais diante do Tricolor Paulista e o gol do título. E o Independiente del Valle também está de parabéns. Mesmo que, aos trancos e barrancos, chegou à final por méritos e conseguiu um feito incrível: deixou pelo caminho “nada-mais-nada-menos” que os dois gigantes da Argentina: River Plate e Boca Juniors. Então, essa decisão não foi por acaso. No final, prevaleceu a melhor campanha.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da final.

Segunda fase – fase de grupos (Grupo 4):
23/02/2016 – Huracán (ARG) 0x2 Atlético Nacional (COL) – Tomás Adolfo Ducó, Buenos Aires, Argentina
1º/03/2016 – Atlético Nacional (COL) 3×0 Sporting Cristal (PER) – Atanasio Girardot, Medellín, Colômbia
08/03/2016 – Atlético Nacional (COL) 2×0 Peñarol (URU) – Atanasio Girardot, Medellín, Colômbia
15/03/2016 – Peñarol (URU) 0x4 Atlético Nacional (COL) – Centenário, Montevidéu, Uruguai
12/04/2016 – Sporting Cristal (PER) 0x1 Atlético Nacional (COL) – Estádio Nacional, Lima, Peru
19/04/2016 – Atlético Nacional (COL) 0x0 Huracán (ARG) – Atanasio Girardot, Medellín
Oitavas-de-final:
26/04/2016 – Huracán (ARG) 0x0 Atlético Nacional (COL) – Tomás Adolfo Ducó, Buenos Aires, Argentina
03/05/2016 – Atlético Nacional (COL) 4×2 Huracán (ARG) – Atanasio Girardot, Medellín, Colômbia
Quartas-de-final:
12/05/2016 – Rosario Central (ARG) 1×0 Atlético Nacional (COL) – Gigante de Arryito, Rosário, Argentina
19/05/2016 – Atlético Nacional (COL) 3×1 Rosario Central (ARG) – Atanasio Girardot, Medellín, Colômbia
Semifinais:
06/07/2016 – São Paulo (BRA) 0x2 Atlético Nacional (COL) – Morumbi, São Paulo, Brasil
13/07/2016 – Atlético Nacional (COL) 2×1 São Paulo (BRA) – Atanasio Girardot, Medellín, Colômbia
Final:
20/07/2016 – Independiente del Valle (EQU) 1×1 Atlético Nacional – Olímpico Atahualpa, Quito, Equador
27/07/2016 – Atlético Nacional (COL) 1×0 Independiente del Valle (COL) – Atanasio Girardot, Medellín

FICHA TÉCNICA: ATLÉTICO NACIONAL (COL) 1×0 INDEPENDIENTE DEL VALLE (EQU)
Competição/fase: Copa Libertadores da América 2016 – final (segundo jogo)
Data: 27 de julho de 2016 – quarta-feira – 21h45 (horário de Brasília)
Local: Estádio Atanasio Girardot, Medellín, Colômbia
Árbitro: Néstor Pitana (Argentina)
Cartões Amarelos: Guerra e Borja (Atlético Nacional); Rizotto, Sornoza e Caicedo (Independiente del Valle)
Gol: Borja, aos 9 min do 1º tempo
ATLÉTICO NACIONAL (COL): 25.Armani; 2.Bocanegra, 26.Sánchez, 12.Henríquez e 19.Díaz; 18.Guerra (8.Arias), 13.Mejía, 28.Berrío, 29.Moreno (11.Ibargüen) e 29.Macnelly Berrío; 23.Borja (4.Rescaldani). Técnico: Reinaldo Rueda Rivera
INDEPENDIENTE DEL VALLE (EQU): 1.Azcona; 20.Nuñez, 3.Meza, 4.Caicedo e 23.Tellechea (25.Castillo); 15.Rizotto, 18.Orejuela, 17.Angulo (16.González), 11.Cabezas e 10.Sornoza (7.Uchuari); 19.José Angulo. Técnico: Pablo Repetto

Parabéns ao Club Atlético Nacional S.A. pelo título.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s