E Tite disse “Sim” para a CBF e deixa o Corinthians

Tite será o novo técnico da Seleção Brasileira e terá a missão de "resgatar" o futebol brasileiro
Tite será o novo técnico da Seleção Brasileira e terá a missão de “resgatar” o futebol brasileiro

Depois de muita expectativa que rondou após a queda de Dunga no comando da Seleção Brasileira, Tite é oficialmente o novo treinador do selecionado nacional. O anúncio foi feito hoje à tarde pelo presidente do Corinthians, Roberto de Andrade. O técnico, após uma reunião que durou três horas com representantes da CBF na última terça-feira, aceitou o convite e deixará o Timão.

Na coletiva de imprensa que aconteceu na tarde desta quarta-feira no CT Joaquim Grava, o mandatário corinthiano, irritado, não poupou críticas à CBF que, segundo ele, não agiu com ética e nem procurou o clube. Nervoso, Roberto de Andrade falou também sobre a indefinição do futuro do time sem Tite, desconversou sobre o substituto do agora novo técnico da Seleção Brasileira e disse também coisas do tipo “A Seleção merece o Tite, mas a CBF não”. E, para aumentar ainda a indignação do cartola corinthiano, além de Tite, deixarão o Corinthians Edu Gaspar (gerente de futebol) e os auxiliares Cleber Xavier e Matheus Bacchi (filho de Tite). Com a saída de Edu, Alessandro (capitão nas conquistas da Libertadores e do Mundial da FIFA em 2012) será promovido ao cargo e deixará de ser coordenador das categorias de base.

Roberto de Andrade avisou também que Tite não estará no banco de reservas para o próximo duelo do Corinthians, que será realizado nesta quinta (16) contra o Fluminense na Arena Mané Garrincha, em Brasília. Muitos torcedores poderão ficar frustrados pelo fato de não haver uma despedida para o treinador que mais levantou taças no comando do Corinthians ao longo de seus quase 106 anos de história. O presidente frisou que é questão de conversar para saber se haverá ou não uma despedida de Tite da Fiel.

O treinador terá a missão de reerguer a combalida Seleção Brasileira, que após os vexatórios 7 a 1 sofridos diante da Alemanha na Copa do Mundo de 2014 e as eliminações nas duas últimas edições da Copa América, tem sido alvo de constantes críticas da mídia e do torcedor. E o objetivo principal, certamente, será a Copa do Mundo de 2018, que será realizado na Rússia. Até lá, o Brasil terá apenas as Eliminatórias para disputar, pois a Seleção não irá disputar a Copa das Confederações em 2017. E ficou acertado também que, para os Jogos Olímpicos Rio 2016, o Brasil será comandado por Rogério Micale.

A saída de Tite do Corinthians entristeceu bastante os corinthianos que, em sua maioria, gostaria da permanência do treinador no comando da equipe. As redes sociais foram inundadas de mensagens que pediam a permanência dele no clube. Porém, após a aceitação, os torcedores, em clima de lamentação, ao mesmo tempo, agradeceram e desejaram boa sorte a Tite nesta nova empreitada. Por outro lado, o treinador era unanimidade perante a mídia e a opinião pública (exceto pela maioria dos corinthianos, é claro).

E, com a saída de Tite, o corinthiano tem mais um motivo para mostrar a sua insatisfação com a CBF. Nos últimos 20 anos, ele foi o quarto treinador “roubado” pela entidade do clube. Em 1998, Vanderlei Luxemburgo trocou o Timão pela Seleção (assumiu ambos até o final daquele ano), depois foi Parreira, que assumiu a equipe canarinho em 2003 após encerrar o ano anterior com um vice-campeonato brasileiro e os títulos da Copa do Brasil e do Torneio Rio-São Paulo. E, em anos mais recentes, Mano Menezes, que embarcou para a Seleção em 2010, e deixou o Corinthians na liderança do Campeonato Brasileiro daquele ano e vinha de conquistas recentes como a Copa do Brasil e o Paulistão de 2009 e da Série B em 2008 (os sucessores de Mano, Adílson Batista e, depois, Tite conduziram o time no restante do Brasileirão de 2010 em deixou o Timão em terceiro lugar, o campeão daquele ano foi o Fluminense).

O motivo de idolatria dos torcedores do Corinthians não é para menos. Em suas três passagens pelo clube de Parque São Jorge, foram 378 jogos, com 196 vitórias, 110 empates e 72 derrotas. Números que fazem dele o segundo treinador que mais tempo sentou no banco de reservas do time, perdendo apenas para Oswaldo Brandão, que comandou o Corinthians em 439 partidas. E Tite colecionou seis títulos no Timão: Campeonatos Brasileiros de 2011 e 2015, Campeonato Paulista em 2013, Copa Libertadores da América e Mundial de Clubes da FIFA em 2012 e a Recopa Sulamericana em 2013. Além disso, Tite era o treinador em dois momentos marcantes, tanto negativamente quanto positivamente na história do Corinthians. Em 2011, o Timão fora eliminado na pré-Libertadores para o desconhecido Deportes Tolima, da Colômbia. Todavia, foi com Tite no comando que o clube conquistou a tão cobiçada Libertadores em 2012 e o Mundial de Clubes no final do mesmo ano, que serviu para ser a “cereja do bolo”.

Aos 55 anos, o gaúcho de Caxias do Sul Adenor Leonardo Bacchi, o Tite, comandará a Seleção Brasileira pela primeira vez. Antes da vitoriosa passagem pelo alvinegro paulista, ele foi um ex-volante que atuou em equipes pequenas e de médio porte, tendo destaque no Guarani, onde acumulou três vices-campeonatos: Brasileiro de 1986 e de 1987 e Paulista de 1988. Por conta de uma série de lesões nos joelhos, precisou encerrar a carreira precocemente aos 28 anos.

Após pendurar as chuteiras, Tite fez graduação em Educação Física pela PUC de Campinas e iniciou a sua carreira de treinador passando por clubes de menor expressão do interior gaúcho. Seu primeiro título na nova função foi a segunda divisão do Campeonato Gaúcho em 1993 com o Veranópolis. Anos mais tarde, foi campeão gaúcho em 2000 pelo Caxias, em 2001 pelo Grêmio, que também levou a Copa do Brasil no mesmo ano ao levar a melhor sobre o Corinthians. Em seguida, foi para o São Caetano e montou a base do elenco campeão paulista em 2004. Depois foi para o Corinthians, onde pegou a equipe na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e conseguiu um honroso quinto lugar. Porém, saiu do clube por conta da polêmica parceria do Corinthians com a MSI em que seu representante Kia Joorabchian não acreditava no potencial dele. Tite passou por Atlético Mineiro, Palmeiras e Al Ain, clubes onde não conseguiu o êxito de ser campeão. Todavia, no Internacional, fez um bom trabalho e conquistou a Copa Sulamericana em 2008, o Campeonato Gaúcho e a Copa Suruga Bank em 2009. Do Inter foi para Al-Wahda, dos Emirados Árabes Unidos, e voltou para o Brasil e fez história no Corinthians.

E, assim, por mérito e competência, Tite chegou ao cargo mais cobiçado pelos técnicos do país inteiro (e por que não do mundo?). Ele ficará encarregado de colocar o futebol brasileiro de volta ao seu devido lugar.

Boa sorte, Tite, e que você não seja usado pelas “raposas velhas” que comandam o futebol.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s