Exposição “Elifas Andreato, 50 Anos” no Centro Cultural Correios de São Paulo

Adaptação cenográfica do clássico "Ópera do Malandro", de Chico Buarque, no Centro Cultural Correios de São Paulo. Foto: Jorge Almeida
Adaptação cenográfica do clássico “Ópera do Malandro”, de Chico Buarque, no Centro Cultural Correios de São Paulo. Foto: Jorge Almeida

O Centro Cultural Correios de São Paulo está com a exposição “Elifas Andreato, 50 Anos” em cartaz até a próxima terça-feira, 7 de junho, e traz cerca de 100 trabalhos, entre pinturas, áudio e vídeos, que resumem os 50 anos da trajetória de um dos maiores designers brasileiros, Elifas Andreato. São exibidos desde os seus primeiros trabalhos até obras mais recentes, dentre eles antológicas capas de discos, cartazes teatrais, capas de publicações que ilustraram a resistência durante a Ditadura Militar.

O paranaense Elifas Andreato teve a vocação artística descoberta na adolescência e se empenhou em seguir por esse caminho longo, rico e criativo. A mostra exibe trabalhos que fez dele um dos nomes mais respeitados dentre os grandes artistas com quem trabalhou, em especial alguns nomes consagrados da MPB, como Chico Buarque, Adoniram Barbosa, Vinícius de Morais, Tom Jobim, entre outros.

Além das capas de vinil, sua contribuição nas artes gráficas vai longe. Produziu cenários e cartazes de divulgação de peças emblemáticas, e também cartazes que revelaram a sua postura política e luta contra o Regime Militar.

Junto às obras expostas, no espaço expositivo são mostrados também troféus, prêmios e documentos.

O público pode conferir, por exemplo, as aquarelas de capas clássicas como “Adoniram Barbosa” (1980), “Arca de Noé” (1980), de Vinícius de Moraes e Toquinho, entre outros. E também 16 reproduções de capas de periódicos como a Revista Opinião, cartazes de peças como “Mortos Sem Sepultura” (1977), e 20 aquarelas feitas para a série da MPB Compositores (1996-1997) lançadas pela Editora Globo, que eram compostos por retratos para a coleção de Cd’s e revistas, e que trazia nomes como Raul Seixas, Rita Lee, Luiz Gonzaga, Tom Jobim, Cartola, Chico Buarque, Vinícius de Moraes, entre outros, e o making of de “A Verdade Ainda que Tardia” (2015), de Celso Meireles.

E um dos principais destaques é a adaptação cenográfica da capa do disco “Ópera do Malandro” (foto), clássico de Chico Buarque lançado em 1979.

SERVIÇO:
Exposição: Elifas Andreato, 50 Anos
Onde: Centro Cultural Correios de São Paulo – Avenida São João, s/nº – Vale do Anhangabaú – Centro
Quando: até 07/06/2016; de terça a domingo, das 11h às 17h
Quanto: entrada gratuita

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s