Sevilla: campeão da UEFA Europa League 2015/2016

Jogadores do Sevilla comemoram o título da UEFA Europa League. Foto: Michael Steele/Getty Images
Jogadores do Sevilla comemoram o título da UEFA Europa League. Foto: Michael Steele/Getty Images

Pela quinta vez em sua história, o Sevilla é campeão da UEFA Europa League ao bater, de virada, o Liverpool por 3 a 1 no St. Jakob-Park, na Basileia, Suíça, nesta quarta-feira (18). O destaque da decisão foi o lateral-direito que atuou como meio campista Coke, autor de dois gols. Os ingleses abriram o placar com Sturridge no primeiro tempo, mas os tentos de Gameiro e os dois do já citado Coke, garantiram o caneco para a equipe de Andaluzia, que faturou três vezes consecutiva o torneio.

A final começou muito faltosa, que fez com que os primeiros minutos fossem constantemente interrompidos para a marcação das faltas. Mas, aos dez minutos, a primeira chance foi do Liverpool. A bola foi alçada na área, Sturridge desviou de cabeça e Carriço salvou o Sevilla. No lance seguinte, Clyne, em ataque pela direita, cruzou rasteiro para a intermediária, e Can emendou de primeira para Soria espalmar.

A partida seguiu corrida e movimentada, mas com poucas chances de gol. E o Sevilla insistiu pelas laterais para apostar nos cruzamentos. Aos 19, um lance polêmico. Firmino driblou na área, a redonda bateu no braço de Carriço. Os ingleses pediram pênalti, mas a arbitragem ignorou o lance. Cinco minutos após o lance polêmico, Sturridge recebeu na área e chutou cruzado, mas Soria fechou bem o ângulo e evitou o primeiro gol da decisão.

Aos 29, Lallana conduziu a bola em diagonal até a entrada da área e tocou para Sturridge, que finalizou, mas o goleiro rojiblanco saiu bem da meta. Dois minutos mais tarde, Gameiro quase marcou um golaço. Após a cobrança do escanteio, confusão na área, o camisa 9 arriscou uma bicicleta, mas a bola foi para fora.

Aos 34, Philippe Coutinho passou para Sturridge na entrada da área e o atacante arriscou uma trivela e conseguiu marcar um belo gol ao colocar a esférica na “parede da rede”, tirando do alcance de Soria. Quatro minutos depois, Lovren chegou a balançar as redes, mas Sturridge, que, impedido, se esquivou da bola e, assim, caracterizou o impedimento.

Depois do gol dos Reds, o Sevilla ficou perdido e um pouco nervoso. E o Liverpool, aproveitando da vantagem, adiantou a marcação, dificultou a saída dos Palanganas e conseguiu administrar o resultado nos 45 minutos iniciais.

E a etapa complementar nem começou direito e o Sevilla chegou ao empate. Aos 17 segundos, Mariano fugiu da marcação dupla, com direito a uma caneta no adversário, e tocou para Gameiro, desmarcado, escorar para as redes. Aos três minutos, o camisa 9 Rojiblanco avançou com a bola dominada e foi travado por Touré.

Depois do empate, a equipe de Andaluzia gostou do jogo e partiu em busca da virada. Aos 15, Escudero lançou, N’Zonzi escorou de cabeça para Gameiro que, livre, exigiu a defesa do goleiro. Quatro minutos mais tarde, a virada veio: Vítolo conduziu bela jogada com triagulações, com direito a caneta no marcador, a bola sobrou para Coke, que bateu de bateu da entrada da área no cantinho.

O Liverpool sentiu muito a virada e, praticamente não esboçou uma reação. Ao contrário, sofreu mais um pouco. Aos 24, Banega cobrou falta e Krychowiak cabeceou e a redonda passou na frente do gol e foi embora.

No minuto seguinte, a defesa dos Reds falhou na saída e a bola sobre para Coke, que bateu cruzado. O goleiro Mignolet chegou a tocar, mas não o suficiente para evitar o gol, 3 a 1 para o Sevilla.

O terceiro gol da equipe espanhola praticamente acabou com os comandados de Jürgen Klopp, que, timidamente, tentou uns arremates, como o de Coutinho, aos 34. O brasileiro levou para a perna esquerda e, de fora da área, chutou rente ao travessão do Sevilla. Assim, os 15 minutos finais da decisão (tempo normal e acréscimos), foi só o tempo suficiente para os Sevillistas administrarem o placar e fazer a festa após o apito final do árbitro sueco Jonas Eriksson.

Fim de jogo no St. Jakob-Park, Liverpool 1, Sevilla, de virada, 3. A equipe de Andaluzia conquista a Liga Europa pela quinta vez em sua história, a terceira de forma consecutiva.

Liverpool e Sevilla fizeram um confronto inédito em competições oficiais europeias. Quis o destino que as duas equipes decidissem o torneio em que ambos são uns dos maiores campeões e que, hoje, um deles perderia a primeira final das quais disputaram ao longo da história da UEFA Europa League. A história dos dois clubes, nos últimos anos, até a partida de hoje, em competições no Velho Continente, eram distintas: enquanto o Liverpool chegava a uma decisão continental depois de nove anos (desde a derrota para o Milan na final da UEFA Champions League em 2006/2007), o Sevilla decidira pela terceira vez consecutiva a Liga Europa. Apesar de que a camisa do clube inglês tivesse mais peso e história, os Rojiblancos provaram que, dentro de campo, são os mesmos onze contra onze.  No jogo inteiro, parece que só um lado do campo foi abençoado para balançar as redes. Azar do Liverpool, que foi superior em toda a etapa inicial e só conseguiu fazer um gol. Contudo, na etapa final, o Sevilla foi agraciado por ter balançado as mesmas redes que o adversário balançou no primeiro tempo a menos de um minuto e, mérito para o treinador Unai Emery, que deslocou o lateral Coke para o meio e isso deu mais que certo: o camisa 23 foi o grande nome da final anotando dois tentos. Se o Sevilla não tem feito papel de destaque na Champions, na Liga Europa ele é mais que soberano. Com o título, o Sevilla chegou ao quinto troféu do torneio e domingo ainda poderá dar mais uma volta olímpica, pois decidirá com o Barcelona o título da Copa del Rey no Vicente Calderón, em Madri.

Segunda fase:
18/02/2016 – Sevilla (ESP) 3×0 Molde (NOR) – Estádio Ramón Sánchez Pisjuán, Sevilha, Espanha
25/02/2016 – Molde (NOR) 1×0 Sevilla (ESP) – Aker Stadion, Molde, Noruega
Oitavas-de-final:
10/03/2016 – Basel (SUÍ) 0x0 Sevilla (ESP) – St. Jakob-Park, Basileia, Suíça
17/03/2016 – Sevilla (ESP) 3×0 Basel (SUÍ) – Estádio Ramón Sánchez Pisjuán, Sevilha, Espanha
Quartas-de-final:
07/04/2016 – Athletic de Bilbao (ESP) 1×2 Sevilla (ESP) – San Mamés, Bilbao
14/04/2016 – Sevilla (ESP) (5)1×2(4) Athletic de Bilbao (ESP) – Estádio Ramón Sánchez Pisjuán, Sevilha
Semifinais:
28/04/2016 – Shakhtar Donetsk (UCR) 2×2 Sevilla (ESP) – Arena Lviv, Lviv, Ucrânia
05/05/2016 – Sevilla (ESP) 3×1 Shakhtar Donetsk (UCR) – Estádio Ramón Sánchez Pisjuán, Sevilha
Final:
18/05/2016 – Liverpool (ING) 1×3 Sevilla (ESP) – St.Jakob-Park, Basileia, Suíça

FICHA TÉCNICA: LIVERPOOL (ING) 1×3 SEVILLA (ESP)
Competição/fase: UEFA Europa League 2015/2016 – final (jogo único)
Local: Estádio St. Jakob-Park, Basileia, Suíça
Data: 18 de maio de 2016 – quarta-feira – 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Jonas Eriksson, da Suécia
Assistentes: Mathias Klasenius e Daniel Warnmark, ambos da Suécia
Cartões Amarelos: Lovren, Origi e Clyne (Liverpool); Vitolo e Banega, Rami, Mariano (Sevilla)
Gols: Sturridge, aos 38 min do 1º tempo (1-0); Gameiro, aos 17 segundos do 2º tempo (1-1); Coke, aos 18 e aos 25 min do 2º tempo (1-3)
LIVERPOOL (ING): 22.Mignolet; 2.Clyne, 6.Lovren, 4.Touré (9.Benteke) e 18.Moreno; 7.Milner, 23.Can, 20.Lallana (24.Allen), 10.Philippe Coutinho e 11.Roberto Firmino (27.Origi); 15.Sturridge. Técnico: Jürgen Klopp
SEVILLA (ESP): 31.Soria; 25.Mariano Ferreira, 3.Rami (5.Kolodziejczak), 6.Daniel Carriço e 18.Escudero; 4.Krychowiak, 16.N’Zonzi, 23.Coke, 20.Vítolo e 19.Banega (14.Cristóforo); 9.Gameiro (8.Iborra). Técnico: Unai Emery

Parabéns ao Sevilla Fútbol Club.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s