Analisando “Rivellino”, livro de Maurício Noriega

Capa do livro de Maurício Noriega que conta a vida e a carreira de Roberto Rivellino, um dos maiores jogadores de todos os tempos
Capa do livro de Maurício Noriega que conta a vida e a carreira de Roberto Rivellino, um dos maiores jogadores de todos os tempos

Aproveitando que no último dia 1º de janeiro, um dos maiores gênios do futebol de todos os tempos completou 70 anos de vida, o primeiro post deste blog abordará o livro “Rivellino”, de Maurício Noriega, que, conforme o próprio nome entrega, reporta ao inigualável Roberto Rivellino, o eterno “Reizinho do Parque” ou, se preferir, “Príncipe das Laranjeiras” ou “Patada Atômica”

Lançado pela Editora Contexto em 2015, a obra assinada pelo jornalista dos canais SporTV, traz em cerca de 210 páginas a vida e a carreira de Rivellino, além de diversas fotos de várias fases do ex-jogador e depoimentos de familiares, do próprio Rivellino, de ex-jogadores e companheiros de Riva e de outros monstros do futebol que também são fãs do Reizinho.

A obra fala também sobre o primeiro contato do jovem Rivellino com o futebol, quando jogada pelos campos de várzea da região do Brooklin Paulista, bairro onde cresceu e mantém a sua escolinha de futebol. O ex-jogador também relata como começou a jogar futsal no Clube Atlético Indiano, de como quase foi parar no Palmeiras, seu time de coração na infância, e o que o levou a ir fazer testes (e passar) no Corinthians.

O livro conta de forma objetiva o tempo em que Roberto Rivellino era o protagonista dos jogos de aspirantes do Corinthians até a fatídica final do Campeonato Paulista de 1974 perdida para o arquirrival Palmeiras, aumentando ainda mais o jejum de títulos do Timão que, naquela época, chegava aos 20 anos de “seca” e que o prata da casa foi o “bode expiatório” pela perda do título.

Maurício Noriega relatou também os tempos em que Roberto Rivellino foi o grande nome da “Máquina Tricolor”, apelidado dado ao Fluminense que conquistou o bicampeonato carioca de 1975/1976, além da participação do “Bigode” (um dos apelidos do homenageado) no maior time de todos os tempos, a Seleção Brasileira campeã do mundo de 1970.

Em “Rivellino”, o livro, também é mencionado a passagem do craque pelo futebol árabe e o que ele fez após pendurar as chuteiras, como a sua participação na Seleção Brasileira de Masters, os seus trabalhos como comentarista e de sua escolinha de futebol.

Como já dito, várias personalidades do mundo da bola deram suas aspas referentes a Roberto Rivellino: Pelé, Tostão, Zico, Alex, Neto, Beckenbauer, Platini, o seu grande fã Diego Maradona, entre outros. Inclusive, há duas curiosidades que pouca gente sabe: o jogador que Roberto Rivellino não gosta e o seu maior medo, conforme o relato de um de seus amigos.

O livro de Maurício Noriega é de fácil leitura e não tem muito “lenga-lenga”. É básico e essencial para quem quer conhecer mais sobre um dos que, segundo Pelé, fora um dos cinco maiores jogadores de futebol de todos os tempos.

A seguir, a ficha técnica da obra.

Livro: Rivellino
Autor: Maurício Noriega
Editora: Contexto
Lançamento: 2015
Número de páginas: 208
Preço médio: R$ 30,00

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s