Palmeiras: campeão da Copa do Brasil 2015

Zé Roberto ergue o troféu da Copa do Brasil, conquistado pela terceira vez pelo Palmeiras. Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press
Zé Roberto ergue o troféu da Copa do Brasil, conquistado pela terceira vez pelo Palmeiras. Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

O Palmeiras derrotou o Santos na decisão por pênaltis da Copa do Brasil por 4 a 3 após vitória no tempo regulamentar por 2 a 1 em confronto realizado no Allianz Parque na noite desta quarta-feira (02) e, assim, conquistou o seu terceiro título da competição e, evidentemente, assegurou a sua vaga para a Taça Libertadores da América de 2016. Com dois gols de Dudu para o alviverde e de Ricardo Oliveira para o alvinegro, o campeão precisou ser definido nos pênaltis. Com Fernando Prass defendendo um e anotando a quinta cobrança, o Palmeiras superou o Santos por 4 a 3 e ficou com a taça, a primeira conquistada dentro de sua nova arena.

O alviverde vingou-se da perda do título estadual nesta temporada para o mesmo Santos na Vila Belmiro e, de quebra, chegou ao seu 12° título nacional do primeiro escalão (8 Brasileiros – incluindo as duas Taças Brasil e dois Robertões conquistados na década de 1960, 3 Copas do Brasil e uma Copa dos Campeões), o que faz dele o maior campeão nacional.

Como poderia de se esperar, o jogo começou “quente” logo nos primeiros segundos. O Santos deu a saída, o Palmeiras recuperou a posse em seguida e, aos 10 segundos, Arouca tocou, Barrios deu um leve desvio e colocou Gabriel em boas condições de fazer o gol, mas Vanderlei salvou com os pés e desviou a bola para escanteio. O alvinegro praiano respondeu aos sete. Zeca fez grande jogada individual pela esquerda, tocou para Marquinhos Gabriel, que chutou forte, Prass defendeu parcialmente e, no rebote, Victor Ferraz tentou tirar do alcance do arqueiro alviverde e a esférica bateu na trave.

Precisando de pelo menos um gol, o time da casa tentou pressionar mais enquanto os visitantes encontravam dificuldades em manter a bola no campo de ataque. Mas, aos poucos, o Santos foi neutralizando o jogo. A decisão seguiu equilibrada, mas com o Verdão buscava sufocar o Peixe. Aos 27, Robinho cruzou da direita, Barrios desviou levemente de cabeça e o camisa 1 santista executou uma bela defesa.

Com o Palmeiras ditando o ritmo do jogo, o Santos só conseguiu levar perigo aos 41 com uma finalização que passou próximo ao ângulo de Fernando Prass. Mas o time praiano conseguiu manter até o final do primeiro tempo o resultado que, até aquele momento, lhe assegurava o título.

No segundo tempo, o Santos melhorou a marcação e a equipe alviverde encontrou dificuldades em sair com a bola e passou a abusar dos chutões. Mas aos 11 minutos, Lucas Barrios fez a parede e passou para Robinho na área, que tocou para Dudu, em condição legal, para tocar para o gol vazio e abrir o placar no Allianz Parque.

Após o tento inaugural da final, a partida seguiu com o alviverde ligeiramente superior ao rival, mas sem muitas chances de gol. Barrios, lesionado, foi substituído por Cristaldo. Posteriormente, o treinador Marcelo Oliveira colcou Lucas Taylor no lugar de João Pedro. Já Dorival Júnior, sacou Thiago Maia e Gabriel para colocar Paulo Ricardo e Geuvânio.

O Palmeiras anotou o segundo gol aos 39 minutos. Em cobrança de falta ensaiada, Robinho levantou na área, Vitor Hugo desviou de cabeça e Dudu acompanhou a jogada para colocar no fundo das redes santista: 2 a 0 para o Palmeiras.

Mas, o Santos diminuiu no lance seguinte. Após a cobrança de escanteio do lado esquerdo do ataque, Werley desviou de calcanhar e a esférica sobrou para o artilheiro Ricardo Oliveira descontar para o time de Vila Belmiro e levar a disputa para os tiros penais.

E, para infelicidade santista, justamente na edição desse ano o gol fora de casa deixou de ser critério de desempate na final do torneio, caso contrário, mesmo com a derrota por 2 a 1, o título iria para a Vila Belmiro sem a necessidade da disputa por pênaltis.

Contudo, conforme a alteração no regulamento, os “180 minutos” da decisão terminou empatado em 2 a 2 no placar agregado. Ou seja, disputa por pênaltis. O Santos desperdiçou suas duas primeiras cobranças com Marquinhos Gabriel e Gustavo Henrique, enquanto Geuvânio, Lucas Lima e Ricardo Oliveira marcaram. Pelo lado palmeirense, Zé Roberto, Jackson, Cristaldo e Fernando Prass converteram, e Rafael Marques parou em Vanderlei. Final da disputa por pênaltis: Palmeiras 4, Santos 3.

Palmeiras e Santos fizeram a primeira final paulista da história da Copa do Brasil e a primeira a ter o seu campeão definido na disputa por pênaltis. Os dois times fizeram dois jogos extremamente equilibrados, sendo que os mandantes, nas duas partidas, foram um pouco superiores ao oponente. Para o Verdão, a Copa do Brasil passou a ser prioridade a partir do momento em que praticamente abdicou do Campeonato Brasileiro lá na 31ª rodada, uma vez que os outros postulantes a ocupar a última vaga do G4 estavam em situações mais confortáveis. O Leão do Mar, por sua vez, de privilegiado por ter tido a oportunidade de ir à próxima Libertadores via G4 do BR-15 ou com o título da Copa do Brasil, correrá risco de ver os seus rivais – Corinthians, Palmeiras e São Paulo – disputarem a principal competição interclubes do continente pela TV. Coisas do futebol.

E, veja como são as coisas: há quase um ano, o Santos salvara o Palmeiras do rebaixamento no Campeonato Brasileiro ao bater o Vitória fora de casa por 1 a 0, resultado que manteve o rival da final de hoje na elite do futebol brasileiro e, agora, o mesmo adversário praticamente tira-lhe a vaga da Libertadores. Como diria o Kiko, do seriado Chaves: “Que coisa, não?”.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da decisão.

Primeira fase:
04/03/2015 – Vitória da Conquista (BA) 1×4 Palmeiras (SP) – Estádio Lomantão, Vitória da Conquista (BA)
Segunda fase:
29/04/2015 – Sampaio Corrêa (MA) 1×1 Palmeiras (SP) – Estádio Castelão, São Luís (MA)
12/05/2015 – Palmeiras (SP) 5×1 Sampaio Corrêa (MA) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
Terceira fase:
27/05/2015 – Palmeiras (SP) 0x0 ASA de Arapiraca (AL) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
15/07/2015 – Asa de Arapiraca (AL) 0x1 Palmeiras (SP) – Estádio do Café, Londrina (PR)
Oitavas-de-final:
19/08/2015 – Palmeiras (SP) 2×1 Cruzeiro (MG) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
26/08/2015 – Curzeiro (MG) 2×3 Palmeiras (SP) – Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Quartas-de-final:
23/09/2015 – Internacional (RS) 1×1 Palmeiras (SP) – Estádio Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
30/09/2015 – Palmeiras (SP) 3×2 Internacional (RS) – Allianz Parque, São Paulo (SP)
Semifinais:
21/10/2015 – Fluminense (RJ) 2×1 Palmeiras (SP) – Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
28/10/2015 – Palmeiras (SP) (4)2×1(1) Fluminense – Allianz Parque, São Paulo (SP)
Final:
25/11/2015 – Santos (SP) 1×0 Palmeiras (SP) – Vila Belmiro, Santos (SP)
02/12/2015 – Palmeiras (SP) (4)2×1(3) Santos (SP) – Allianz Parque, São Paulo (SP)

FICHA TÉCNICA: PALMEIRAS (SP) (4)2×1(3) SANTOS (SP)
Competição/fase: Copa do Brasil 2015 – final (2º jogo)
Data: 2 de dezembro de 2015 (quarta-feira) – 22h (horário de Brasília)
Local: Estádio Allianz Parque – São Paulo (SP)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Marcelo Carvalho van Gasse (SP)
Cartões Amarelos: Matheus Sales, João Pedro e Dudu (Palmeiras); Gabriel (Santos)
Gols: Dudu, aos 11 e aos 39 min do 2º tempo para o Palmeiras; Ricardo Oliveira, aos 41 min do 2º tempo para o Santos
Pênaltis: Zé Roberto, Jackson, Cristaldo e Fernando Prass – converteram; Rafael Marques – desperdiçou para o Palmeiras; Geuvânio, Lucas Lima e Ricardo Oliveira – converteram; Marquinhos Gabriel e Gustavo Henrique – desperdiçaram para o Santos
PALMEIRAS (SP): 1.Fernando Prass; 22.João Pedro, 26.Jackson, 31.Vítor Hugo e 11.Zé Roberto; 5.Arouca, 36.Matheus Sales (42.Lucas Taylor), 7.Dudu, 33.Gabriel Jesus (19.Rafael Marques) e 27.Robinho; 8.Barrios (9.Cristaldo). Técnico: Marcelo Oliveira
SANTOS (SP): 1.Vanderlei; 4.Victor Ferraz, 14.David Braz (2.Werley), 6.Gustavo Henrique e 37.Zeca; 8.Renato, 29.Thiago Maia (32.Paulo Ricardo), 10.Gabriel (11.Geovânio), 31.Marquinhos Gabriel e 20.Lucas Lima; 9.Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior

Parabéns à Sociedade Esportiva Palmeiras pelo título.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s