Corinthians: campeão brasileiro de 2015

Corinthians: campeão brasileiro com três rodadas de antecedência
Corinthians: campeão brasileiro com três rodadas de antecedência

O Corinthians é oficialmente e matematicamente o campeão brasileiro de 2015. O Timão empatou em 1 a 1 com o Vasco da Gama, em São Januário, na noite desta quinta-feira (19), na partida válida pela 35ª rodada do Brasileirão. Os gols da peleja saíram apenas no segundo tempo: Julio César abriu o marcador para os anfitriões e Vágner Love fez o gol de empate dos visitantes. O resultado, alinhado à vitória do São Paulo por 4 a 2 diante do Atlético Mineiro no Morumbi, permitiu que o time de Parque São Jorge conquistasse o título brasileiro com três rodadas de antecedência, uma vez que a diferença de pontos entre os dois principais postulantes ao caneco ficou em 12 pontos (77 a 65) sendo que, a partir de então, só restam nove em disputa. Essa é a sexta conquista do campeonato nacional pelo alvinegro, que, anteriormente, abocanhou as edições de 1990, 1998, 1999, 2005 e 2011.

Nos dez dias que separaram a vitória corinthiana diante do Coritiba e o duelo de ontem, o confronto entre Vasco e Corinthians foi encarado com uma final, mas com as duas equipes com objetivos bem distintos: enquanto o Timão queria consolidar o título antecipado, os cruzmaltinos precisavam desesperadamente da vitória para continuar firme na luta contra o rebaixamento. Muito se falou em clima de guerra por parte de alguns vascaínos e imprensa e torcida cravavam o Corinthians como o “campeão virtual” e que o título sairia, no mais tardar, no jogo contra o São Paulo. Uma vez que só uma tragédia tiraria o troféu do Parque São Jorge. Para perder o campeonato, o Corinthians precisaria deixar de marcar dois pontos em 12 que estavam em disputa e, ainda, o Atlético precisaria ganhar todas as quatro partidas restantes.

O primeiro tempo foi equilibrado e nervoso. Os corinthianos estavam ansiosos pela possibilidade em sair de São Januário com o grito de “é campeão!”, enquanto os vascaínos encaravam o duelo como uma questão de “vida ou morte”. Apesar de contar com os selecionáveis Cássio, Gil, Elias e Renato Augusto no time titular, o Corinthians deu espaço para a equipe cruzmaltina jogar. Assim, as primeiras chances de gol foram do Vasco. Aos 15, Cássio salvou com a perna um chute de Rafael Silva. Depois foi a vez de Riascos chutar fraco e permitir a fácil defesa do arqueiro corinthiano. As chances do Timão foram criadas no final da etapa inicial com Renato Augusto e Elias finalizando para fora, e Jadson tentou em cobrança de falta, mas Martín Silva deu leve desvio para escanteio.

No segundo tempo, a tensão tomou conta do jogo, especialmente por conta dos gols que começaram a sair na partida disputada no Morumbi. O Corinthians levou perigo com Rodriguinho, que aproveitou o corte parcial da zaga vascaína. Antes desse lance, o Vasco perdeu Rodrigo que foi expulso ao entrar com o pé erguido em cima de Malcom.

Mesmo com um a menos, o time da Colina, aos 26, tirou o zero do placar. Julio César trocou passes com Nenê e recebeu na frente para fazer 1 a 0. Enquanto isso, o Atlético estava à frente do placar. Com o resultado adverso, Tite colocou em campo o talismã Lucca no lugar de Elias. A mudança surtiu efeito, pois o camisa 30 perdeu duas oportunidades de cabeça. Aos 38 minutos, Vágner Love acionou Edílson pela direita, o lateral cruzou de três dedos na segunda trave, Lucca ajeitou de cabeça para o meio da pequena área e o camisa 99 cabeceou para empatar o jogo: 1 a 1.

Como a partida entre São Paulo e Atlético começou com alguns minutos de antecedência, o banco de reserva do Corinthians começou a comemorar a conquista faltando cerca de oito minutos para o fim do jogo. Isso porque viram que o Tricolor Paulista vencera o Galo, de virada, por 4 a 2. Então, foi só esperar o apito final de Anderson Daronco para começar a festa do hexa.

O Corinthians iniciou o Campeonato Brasileiro 2015 como uma incógnita. Depois de ter sido eliminado da Libertadores e do Campeonato Paulista, o time ainda tinha problemas relacionados a atraso de salários e ainda perdeu jogadores importantes como Guerrero, Emerson Sheik, Fábio Santos e Petros. Com todas essas intempéries, muitos apostaram que a equipe de Tite ficaria no meio da tabela, por uma vaga no G4 ou, ainda, para não cair. No entanto, o treinador, que tem os jogadores na mão, trabalhou e moldou o time e, a cada rodada, o Corinthians acreditou que a liderança, a vaga para a Libertadores e o título seria possível. E, na 18ª rodada, o Timão alcançou a liderança e não largou mais.

Na virada de turno, vieram as insinuações de que o alvinegro fora beneficiado pela arbitragem e isso, de acordo com o técnico Levir Culpi, “manchou o campeonato”, e muita gente embarcou nessa. Acusações falsas e infundadas, pois, como é de conhecimento de todo torcedor, a arbitragem no Brasil é péssima para todos desde quando Charles Miller introduziu o futebol nas terras tupiniquins no final do século XIX. Aliás, o comandante atleticano desmereceu o trabalho do colega Tite com afirmações do tipo. Os números da campanha corinthiana traduzem por si só: melhor ataque, melhor defesa, melhor saldo, a equipe que mais venceu fora e em casa, a que menos perdeu (três derrotas fora e apenas uma em sua arena), a mais disciplinada. Além disso, foi o clube que mais cedeu jogadores para a Seleção Brasileira nos dois últimos jogos das Eliminatórias: quatro, e ainda tem aquele que é apontado com o melhor jogador do campeonato: Renato Augusto.

Particularmente, acredito que o título do Corinthians começou a se concretizar na 31ª rodada, disputada em 18 de outubro. Até ali, a diferença de pontos entre o Timão e o Galo eram de apenas cinco pontos. No entanto, os paulistas golearam o Atlético Paranaense por 4 a 1 fora de casa e foi esse mesmo resultado que os mineiros sucumbiram diante do Sport Recife na Ilha do Retiro, e aí a diferença aumentou para oito pontos e foi mantida até a 33ª rodada quando as duas equipes se enfrentaram no Independência. Essa partida foi encarada pelos mineiros como uma “final antecipada”. Mas o Corinthians conseguiu segurar a equipe de Levir Culpi no primeiro tempo e na etapa final não tomou conhecimento do adversário: 3 a 0. Ali, o sonho do bicampeonato atleticano praticamente sucumbiu. Assim, a conquista do Brasileirão para o Corinthians era uma questão de tempo: se não fosse na 34ª rodada, poderia ser na seguinte ou ainda na 36ª. Com uma diferença considerável de pontos, o Galo praticamente jogou a toalha após a derrota em casa para o, agora, campeão.

Mas, como o campeonato ainda não acabou, o Corinthians fará o “jogo da entrega da taça” contra o São Paulo no próximo domingo na Arena Corinthians. O técnico Tite já afirmou que o capitão no Majestoso será o volante Ralf. Possivelmente, os jogadores que serviram o selecionado nacional nesta semana não enfrentarão o Tricolor.

O Corinthians mereceu o título por méritos e, assim, afirmo que o troféu está em boas mãos. Justo.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da partida que rendeu o título brasileiro ao Corinthians.

10/05/2015 – Cruzeiro 0x1 Corinthians – Arena Pantanal, Cuiabá (MT)
16/05/2015 – Corinthians 1×0 Chapecoense – Fonte Luminosa, Araraquara (SP)
24/05/2015 – Fluminense 0x0 Corinthians – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
31/05/2015 – Corinthians 0x2 Palmeiras – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
03/06/2015 – Grêmio 3×1 Corinthians – Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
06/06/2015 – Joinville 0x1 Corinthians – Arena Joinville, Joinville (SC)
13/06/2015 – Corinthians 2×1 Internacional – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
20/06/2015 – Santos 1×0 Corinthians – Vila Belmiro, Santos (SP)
27/06/2015 – Corinthians 2×1 Figueirense – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
02/07/2015 – Corinthians 2×0 Ponte Preta – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
05/07/2015 – Goiás 0x0 Corinthians – Serra Dourada, Goiânia (GO)
09/07/2015 – Corinthians 2×0 Atlético (PR) – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
12/07/2015 – Flamengo 0x3 Corinthians – Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
18/07/2015 – Corinthians 1×0 Atlético (MG) – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
26/07/2015 – Coritiba 1×1 Corinthians, Couto Pereira, Curitiba (PR)
29/07/2015 – Corinthians 3×0 Vasco da Gama – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
09/08/2015 – São Paulo 1×1 Corinthians – Morumbi, São Paulo (SP)
12/08/2015 – Corinthians 4×3 Sport Recife – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
16/08/2015 – Avaí 1×2 Corinthians – Ressacada, Florianópolis (SC)
23/08/2015 – Corinthians 3×0 Cruzeiro – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
30/08/2015 – Chapecoense 1×3 Corinthians – Arena Condá, Chapecó (SC)
02/09/2015 – Corinthians 2×0 Fluminense – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
06/09/2015 – Palmeiras 3×3 Corinthians – Allianz Parque, São Paulo (SP)
09/09/2015 – Corinthians 1×1 Grêmio – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
13/09/2015 – Corinthians 3×0 Joinville – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
16/09/2015 – Internacional 2×1 Corinthians – Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
20/09/2015 – Corinthians 2×0 Santos – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
27/09/2015 – Figueirense 1×3 Corinthians – Orlando Scarpelli, Florianópolis (SC)
04/10/2015 – Ponte Preta 2×2 Corinthians – Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
15/10/2015 – Corinthians 3×0 Goiás – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
18/10/2015 – Atlético (PR) 1×4 Corinthians – Arena da Baixada, Curitiba (PR)
24/10/2015 – Corinthians 1×0 Flamengo – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
1º/11/2015 – Atlético (MG) 0x3 Corinthians – Independência, Belo Horizonte (MG)
07/11/2015 – Corinthians 2×1 Coritiba – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
19/11/2015 – Vasco da Gama 1×1 Corinthians – São Januário, Rio de Janeiro
22/11/2015* – Corinthians x São Paulo – Arena Corinthians, São Paulo (SP)
29/11/2015* – Sport Recife x Corinthians – Arena Pernambuco, São Lourenço da Mata (PE)
06/12/2015* – Corinthians x Avaí – Arena Corinthians, São Paulo (SP)

FICHA TÉCNICA: VASCO DA GAMA 1×1 CORINTHIANS
Competição/fase: Campeonato Brasileiro 2015 – Série A / 35ª rodada
Local: Estádio de São Januário – Rio de Janeiro (RJ)
Data: 19 de novembro de 2015 – 22h (horário de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (BA) e Fabiano da Silva Ramires (ES)
Cartões Amarelos: Rodrigo e Diguinho (Vasco); Jadson, Edílson e Lucca (Corinthians)
Cartão Vermelho: Rodrigo (Vasco)
Gols: Julio César, aos 26 min do 2º tempo; e Vágner Love, aos 36 min do 2º tempo
VASCO DA GAMA: 1.Martín Silva; 2.Madson, 3.Luan, 4.Rodrigo e 6.Julio Cesar; 8.Serginho, 5.Diguinho (14.Rafael Vaz), 7.Andrezinho e 10.Nenê; 9.Rafael Silva (22.Jorge Henrique) e 11.Riascos (17.Éder Luís). Técnico: Jorginho
CORINTHIANS: 12.Cássio; 33.Edílson, 28.Felipe, 4.Gil e 13.Guilherme Arana; 5.Ralf (25.Bruno Henrique), 7.Elias (30.Lucca), 8.Renato Augusto (26.Rodriguinho), 10.Jadson e 21.Malcom; 99.Vágner Love. Técnico: Tite

Parabéns ao Sport Club Corinthians Paulista pela conquista.

* Jogos a serem realizados

Por Jorge Almeida

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s