Boca Juniors: campeão da Copa Argentina 2014-2015

Lodeiro comemora o gol marcado após a cobrança de pênalti no início do 2º tempo da final da Copa Argentina. Foto: EFE
Lodeiro comemora o gol marcado após a cobrança de pênalti no início do 2º tempo da final da Copa Argentina. Foto: EFE

Três dias depois de conquistar o Campeonato Argentino, o Club Atlético Boca Juniors ergueu mais uma taça nesta quarta-feira (4). O time xeneize derrotou o Rosário Central por 2 a 0 com gols de Lodeiro (de pênalti) e Chávez, ambos marcados no segundo tempo, na decisão da Copa Argentina, realizada no Estádio Mario Kempes, em Córboda, diante de um público de mais de 40 mil expectadores. Esse foi o terceiro título da competição conquistado pela equipe de La Bombonera, enquanto isso, o clube de Rosário segue com o jejum de títulos que já dura 20 anos (o último foi a extinta Copa Conmebol de 1995). A decisão foi marcada pela arbitragem polêmico do trio Diego Ceballos (árbitro), Ernesto Uziga e Marcelo Aumente (assistentes). Apesar da derrota, o Rosário Central garantiu a vaga para a Taça Libertadores da América de 2016 como vice-campeão do torneio, uma vez que o Boca Juniors pleiteou a vaga pelo campeonato argentino.

O primeiro tempo foi bastante pegado e com muito equilíbrio entre as duas equipes. O Rosário Central soube neutralizar o Boca Juniors, que pressionava nos minutos iniciais. Aliás, por conta da forte marcação de ambos os lados, a etapa inicial praticamente não teve uma chance clara de gol.

Inclusive, na única vez que a rede balançou nos primeiros 45 minutos da decisão, o lance foi (justamente) invalidado. Aos 37, Cervi cobrou falta da direita, Ruben cabeceou para as redes. Porém, o assistente flagrou impedimento de Larrondo que, mesmo que não tenha tocado na bola, participou da jogada, o que caracteriza o fora de jogo do camisa 7 dos Canalhas, que estava poucos centímetros à frente do último jogador xeneize.

E o que faltou de emoção – e polêmica – no primeiro tempo, sobrou no segundo. Aos sete minutos, Ferrari (que entrou no lugar de Villagra no intervalo) derrubou Peruzzi fora da área, o jogador do Boca caiu dentro e o árbitro, equivocadamente, marcou pênalti para o time da capital argentina. O ex-corinthiano Lodeiro bateu no canto direito de García e inaugurou o marcador em Córdoba, 1 a 0 para o Boca.

A equipe da província de Santa Fé tratou de correr atrás do prejuízo. Quatro minutos depois de ter sofrido o gol, o Rosário foi para cima: aos 11, Montoya arriscou de longe, mas a bola passou ao lado da meta de Orion. No minuto seguinte, a redonda foi alçada na área, Ruben cabeceou para boa defesa do arqueiro xeneize, que mandou para escanteio.

O Boca Juniors ficou resguardado na defesa em busca de encaixar um contragolpe, que veio aos 21 através de uma roubada de bola de Lodeiro. O camisa 14 aproveitou da patinada de Musto, foi em direção ao gol e finalizou rasteiro para García espalmar para escanteio.

O Rosario se lançou para o ataque, ficando exposto aos contragolpes boquistas, e, em diversas ocasiões, os seus jogadores se jogaram na área com a expectativa de que o juiz desse a famosa “compensação”. No entanto, os Canallas não foram eficientes nesse quesito.

Aos 44 minutos veio o tiro de misericórdia: Meli cruzou rasteiro pela direita, o goleiro não alcançou e Chávez tocou para o gol vazio. E, mais uma vez, a arbitragem interferiu no lance: o mesmo assistente que acertou o lance do primeiro tempo envolvendo o ataque do Rosário, não enxergou a posição irregular do camisa 25 xeneize, que estava nitidamente adiantado.

Com 2 a 0 a favor, o Boca Juniors consolidou o seu terceiro título da Copa Argentina. E, evidentemente, os jogadores do Rosário Central perderam a cabeça com a atuação do trio de arbitragem. Primeiro foi o técnico Eduardo Coudet, que reclamou muito na anulação do gol de sua equipe e foi expulso pelo árbitro; depois foi a vez de Pínola receber o cartão vermelho após o segundo gol do Boca depois de ter cometido falta; e, após o encerramento da partida, os jogadores do Rosário Central e comissão técnica partiram para cima do trio de arbitragem, que foi protegido pela polícia.

Primeiramente, os organizadores da Copa Argentina estão de parabéns pela organização da final: jogo único, campo neutro, o que não impediu que o Estádio Mario Kempes ficasse cheio. E, em segundo, os dois times que fizeram por merecer ao chegar à final do certame. A decisão prometia ser equilibrada do começo ao fim. O Rosário Central até que estava a conseguir fazer sua parte, neutralizou o atual campeão argentino, mas, infelizmente, a arbitragem conseguiu estragar tudo ao interferir diretamente no resultado final da partida: primeiro foi com o pênalti marcado para o Boca Juniors, que não existiu, uma vez que o jogador xeneize foi puxado e derrubado fora da área, e o mesmo assistente, que marcou acertadamente o impedimento do Rosário Central no primeiro tempo, não auxiliou o árbitro e informá-lo que não houve a penalidade; e, no segundo tento da equipe auri-anil, Chavez estava descaradamente impedido e o mesmo assistente não marcou a infração. Vexatória a atuação do trio de arbitragem.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da final.

32-avos-de-final:
27/05/2015 – Boca Juniors 2×0 Huracán Las Heras – Estádio San Juan del Bicentenario, San Juan
16-avos-de-final:
29/07/2015 – Banfield 0x3 Boca Juniors – Estádio Antonio Romero, Formosa
Oitavas-de-final:
19/08/2015 – Guaraní Antonio Franco 0x4 Boca Juniors – Estádio San Juan del Bicentenario, San Juan
Quartas-de-final:
23/09/2015 – Defensa y Justicia 1×2 Boca Juniors – Estádio Mario Kempes, Córdoba
Semifinal:
23/10/2015 – Lanús 0x2 Boca Juniors – Estádio San Juan del Bicentenario, San Juan
Final:
04/11/2015 – Rosário Central 0x2 Boca Juniors – Estádio Mario Kempes, Córdoba

FICHA TÉCNICA: ROSÁRIO CENTRAL 0x2 BOCA JUNIORS
Competição/fase: Copa Argentina 2014-2015 (final – jogo único)
Local: Estádio Mario Alberto Kempes, Córdoba, Argentina
Data: 4 de novembro de 2015 – 22h10 (horário de Brasília); 21h10 (horário local)
Árbitro: Diego Ceballos (Argentina)
Assistentes: Ernesto Uziga e Marcelo Aumente, ambos da Argentina
Cartões Amarelos: Pérez e Meli (Boca Juniors); Larrondo, Musto, Salazar e Pinola (Rosario Central)
Cartão Vermelho: Pinola (Rosário Central)
Gols: Lodeiro (de pênalti), aos 9 min; e Chavez, aos 44 min do 2º tempo
ROSÁRIO CENTRAL: 12.García; 29.Salazar (23.Dominguez), 2.Donatti, 25.Pinola e 33.Villagra (4.Ferrari); 5.Musto, 16.Montoya (22.Niell), 11.Fernández e 10.Cervi; 7.Larrondo e 9.Ruben. Técnico: Eduardo Coudet
BOCA JUNIORS: 1.Orion; 4.Peruzzi, 6.Tobio, 2.Díaz e 3.Monzón; 17.Meli, 21.Erbes, 8.Pérez (30.Bentancur) e 14.Lodeiro (13.Rolin); 10.Tevez e 27.Calleri (25.Chavez). Técnico: Rodolfo Arruabarrena

Parabéns ao Club Atlético Boca Juniors pela conquista.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s