Show de Zé Ramalho no Tom Brasil (17.10.2015)

Zé Ramalho e a banda Z no palco do Tom Brasil. Foto: Jorge Almeida
Zé Ramalho e a banda Z no palco do Tom Brasil. Foto: Jorge Almeida

O cantor e compositor Zé Ramalho e a banda Z fizeram mais uma apresentação na capital paulista na noite deste sábado (17) no Tom Brasil (ex-HSBC Brasil). Em cerca de uma hora e meia o músico paraibano alegrou os cerca de 4.000 presentes na casa de espetáculo.

Pontualmente, às 22h10, as luzes se apagaram e as cortinas do palco do Tom Brasil se abriram, o público foi ao delírio ao avistar Zé Ramalho (voz e violão/guitarra acústica) e a banda Z, composta por Chico Guedes (contrabaixo), Edu Constant (bateria), Dodô de Moraes (teclados), Toti Cavalcanti (sopros) e Zé Gomes (percussão).

O show começou com um tema do autointitulado álbum de Zé Ramalho, de 1978: a clássica “Dança das Borboletas”, feita em parceria com Alceu Valença, seguida de “Galope Rasante” e “Kryptônia”, essas duas hits dos anos 1980. Posteriormente vieram dois covers (em português) “bala”: “Tá Tudo Mudando” (versão de “Things Have Changed”, de Bob Dylan) emendado por “Entre Serpente e a Estrela”, que levou o público ao delírio, especialmente a mulherada.

A partir daí foi uma sequência de clássicos de Zé Ramalho, especialmente do início dos anos 1980. Começou com “Taxi Lunar”, “A Terceira Lâmina” (a minha favorita), “Banquete dos Signos” e “Eternas Ondas”.

Posteriormente, veio uma trinca de temas de seu trabalho de estreia em carreira solo, de 1978: “Avôhai”, “Vila do Sossego”, com direito ao coro do público como o “ooo…” e o hino “Chão de Giz”, um dos pontos altos da apresentação. Depois, mais canções de seus dois álbuns lançados em 1980: “Garoto de Aluguel (Táxi Boy)”, a atualíssima “Admirável Gado Novo”, com sua letra que refere o povo brasileiro como um gado marcado, ou seja, manipulado pelo governo e mídia, mas que não perde a sua alegria.

Após tocar esse clássico da MPB, Zé Ramalho anuncia que era chegado o momento especial do show em que ele homenageia o eterno Raul Seixas, e, juntamente com sua banda mandam dois clássicos raulseixistas: “Gita” e “Medo da Chuva”, músicas que, curiosamente, assim como a carreira de Zé Ramalho, completaram 40 anos no ano passado.

E o show chega aos seus momentos finais. Primeiro vem com o forró de “Frevo Mulher”, que fez o público, que estava acomodado em mesas e cadeiras, a se levantar e dançar pela pista. E, após apresentar os integrantes da banda Z, Zé Ramalho se retira do palco e a plateia já o esperava para o bis.

Na volta para o bis, Zé Ramalho cantou “Sinônimos”, música gravada em 2004 por Chitãozinho e Xororó em que ele fez participação especial. E, claro, não poderia faltar uma homenagem ao mestre Gonzagão que aqui foi lembrado com “A Vida do Viajante”.

A apresentação de Zé Ramalho fez valer o ingresso. O cantor e sua banda mostraram um bom entrosamento e os arranjos para alguns temas ficaram bem legais, especialmente para “Frevo Mulher”. Infelizmente, o repertório para um cantor da importância de Zé Ramalho parece ser curto: 90 minutos de show é pouco para um cantor do gabarito dele. É uma pena que músicas como “A Peleja do Diabo com o Dono do Céu”, “Orquídea Negra”, “Mistérios da Meia-Noite”, “Cidadão” e “Beira-Mar” terem ficado de fora do set.

E, só para finalizar: o timbre da voz grave de Zé Ramalho continua impecável.

A seguir, o setlist do show de Zé Ramalho e banda Z em São Paulo.

1. Dança das Borboletas (Zé Ramalho / Alceu Valença)
2. Galope Rasante (Zé Ramalho)
3. Kryptônia (Zé Ramalho)
4. Tá Tudo Mudando (Things Have Changed) (Bob Dylan / Versão: Gabriel Moura / Maurício Baía)
5. Entre a Serpente e a Estrela (Amarillo By Morning) (Fraser / Stafford / Versão: Aldir Blanc)
6. Táxi Lunar (Zé Ramalho / Geraldo Azevedo / Alceu Valença)
7. A Terceira Lâmina (Zé Ramalho)
8. Banquete dos Signos (Zé Ramalho)
9. Eternas Ondas (Zé Ramalho)
10. Avôhai (Zé Ramalho)
11. Vila do Sossego (Zé Ramalho)
12. Chão de Giz (Zé Ramalho)
13. Garoto de Aluguel (Táxi Boy) (Zé Ramalho)
14. Admirável Gado Novo (Zé Ramalho)
15. Gita / Medo da Chuva (Raul Seixas / Paulo Coelho)
16. Frevo Mulher (Zé Ramalho)
Bis:
17. Sinônimos (César Augusto / Paulo Sérgio / Cláudio Naam)
18. Vida de Viajante (Hervé Clodovil / Luiz Gonzaga)

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s