Barcelona bate Sevilla em jogaço da UEFA Super Cup

Iniesta ergue mais uma taça para o Barcelona em 2015. Foto: Reuters/David Mdzinarishvili
Iniesta ergue mais uma taça para o Barcelona em 2015. Foto: Reuters/David Mdzinarishvili

Em um jogo eletrizante disputado na Geórgia nesta terça-feira (11), o Barcelona levou a melhor sobre o Sevilla ao vencer a equipe de Andaluzia por 5 a 4, com Pedro anotando o gol do título da UEFA Super Cup no segundo tempo da prorrogação, depois de um empate em 4 a 4 no tempo regulamentar. Enquanto Messi, autor de dois tentos, Rafinha, Suárez e o já citado Pedro fizeram os gols da equipe catalã, Banega, Reyes, Gameiro (de pênalti) e Konoplyanka anotaram para o Sevilla. Esse foi o quinto título do Barcelona na história da competição que põe frente a frente os últimos campeões da UEFA Champions League e da UEFA Europa League.

Nos primeiros minutos da decisão denunciava que teríamos um jogão na Geórgia, e foi. Logo aos três minutos, Banega cobrou falta com perfeição e abriu o placar para o Sevilla. O Barcelona deu o troco em seguida e com a mesma moeda. Messi também acertou a sua cobrança e mandou a bola no ângulo de Beto.

Aos poucos, a soberania dos catalães em relação à posse de bola e controle da partida foi sendo imposta. E, aos 16, Messi, mais uma vez em cobrança de falta, anotou o seu segundo gol na decisão e virou o placar para o Barça.

Com a vantagem, o Barcelona mostrou-se disposto a querer liquidar a fatura ainda no primeiro tempo. Aos 30 minutos, Suárez marcou o que seria o terceiro, mas a arbitragem apontou (injustamente) o impedimento do atacante uruguaio.

Atordoado com a virada, o Sevilla parecia perdido em campo e, para complicar a situação, antes do intervalo, o time azul-grená chegou ao terceiro gol aos 44 minutos. Suárez foi lançado, saiu de seu campo de defesa, o que descaracteriza o impedimento, partiu em direção do gol e chutou em cima de Beto. Na sequência do lance, o camisa 9 ficou com a redonda, esperou a chegada dos companheiros e serviu milimetricamente Rafinha (que substituiu Neymar, que não jogou por conta de uma caxumba), que completou para o gol.

Na etapa final, o Barcelona parecia que faria aqueles placares elásticos costumeiros no Campeonato Espanhol. Aos 7 minutos, a equipe de Andaluzia errou na saída de bola, Busquets serviu Suárez, que chutou entre as pernas de Beto para fazer 4 a 1 para o Barça.

Na base da raça, o Sevilla esboçou uma reação incrível no jogo. Primeiro foi com Reyes aos 12, que aproveitou o cruzamento da esquerda de Vítolo, a zaga catalã não cortou e o camisa 10 completou para as redes. Os Rojiblancos passaram a pressionar o Barcelona e, aos 27 minutos Mathieu derrubou Vítolo na área. Pênalti. Gameiro cobrou, fez o terceiro tento do Sevilla e botou a equipe de vez no certame.

Os comandados de Luis Henrique estavam administrando a vantagem e foram surpreendidos aos 36 minutos. Em jogada de estreantes, Immobile cruzou e Konoplyanka completou para o gol e empatou a peleja: 4 a 4. O inacreditável aconteceu.

Depois de apresentar dois tempos distintos, o Sevilla foi heroico e conseguiu levar o jogo que estava perdido para a prorrogação. No primeiro tempo da etapa extra, não houve lances que arrancassem um “uh!” do torcedor, pois, as duas equipes pareciam exaustas.

Veio o segundo tempo da prorrogação. E com ele as fortes emoções que não aconteceram no primeiro. E, aos 10 minutos, o predestinado Pedro (que substituiu Mascherano) fez o gol do título. Messi cobrou falta, acertou na barreira, pegou o rebote, Beto espalmou e o camisa 7 aproveitou o rebote do arqueiro para fazer o quinto gol do Barcelona.

O Sevilla não se entregou e teve duas oportunidades de empatar o jogo ainda na prorrogação. Primeiro com Coke, aos 12, que desviou de cabeça uma bola alçada na área, o goleiro Ter Stegen estava batido no lance. Depois, aos 15, cruzamento para Rami que, sozinho, de joelho, colocou a esférica para fora. Essa, literalmente, foi a bola do jogo. Assim, depois de 120 minutos e nove gols, o Barcelona sagrou-se campeão da UEFA Super Cup pela quinta vez na história e conquista o quarto título no ano. Ainda tem a Supercopa da Espanha e o Mundial de Clubes pela frente em 2015.

O Barcelona, mesmo desfalcado de Neymar, era o franco favorito no confronto diante do Sevilla. Apesar do gol inesperado dos andaluzes aos 3 minutos, a virada dos catalães era questão de tempo. E ela veio ainda na etapa inicial, que terminou 3 a 1. No segundo tempo, o Barça ampliou a vantagem ainda no começo. Quando poderíamos imaginar que tudo estava definido a favor de Messia, Suárez e cia., o Sevilla surpreendeu e buscou o empate. Na prorrogação, estava nítido que os dois times sentiram a intensidade que foi o tempo regulamentar. Mas o Barcelona tinha Messi, que mesmo sem acertar a cobrança de falta no lance derradeiro, insistiu ao pegar o rebote e o predestinado Pedro fez o gol do título. A equipe de Unai Emery pode ter perdido, mas caiu de pé diante de uma dos times mais poderosos do mundo ao encará-lo de igual para igual. Parabéns aos dois clubes pelo espetáculo protagonizado e feliz foi quem esteve no estádio na Geórgia e testemunhou a um dos jogos mais bem disputados dos últimos anos.

A seguir, a ficha técnica da decisão.

FICHA TÉCNICA: BARCELONA (ESP) 5×4 SEVILLA (ESP)
Competição/fase: UEFA Super Cup 2015 – final (jogo único)
Local: Estádio Boris Paichadze, Tbilisi, Geórgia
Data: 11 de agosto de 2015 – 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: William Collum (Escócia)
Assistentes: Damien McGraith (Irlanda) e Francis Connor (Escócia)
Cartões Amarelos: Daniel Alves, Mathieu, Busquets e Pedro (Barcelona); Coke, Krychowiack, Krohn-Dehli, Banega e Immobile (Sevilla)
Gols: Banega, aos 3 min; Messi, aos 7 e aos 16 min; e Rafinha, aos 44 min do 1º tempo; Suárez, aos 7 min; Reyes, aos 12 min; Gameiro (de pênalti), aos 27 min; e Konoplyanka, aos 36 min do 2º tempo; Pedro, aos 10 min do 2º tempo da prorrogação
BARCELONA (ESP): 1.Ter Stegen; 6.Daniel Alves, 3.Piqué, 14.Mascherano (7.Pedro) e 24.Mathieu; 5.Busquets, 4.Rakitic e 8.Iniesta (20.Sergi Roberto); 12.Rafinha (15.Bartra), 10. Messi e 9.Suárez. Técnico: Luis Henrique
SEVILLA (ESP): 13.Beto; 23.Coke, 3.Rami, 4.Krychowiak e 2.Trémoulinas; 8.Krohn-Dehli, 19.Banega, 10.Reyes (22.Konoplyanka), 20.Vítolo e 8.Iborra (25.Mariano); 9.Gameiro (11.Immobile). Técnico: Unai Emery

Parabéns ao Barcelona pela conquista.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s