Fruto Proibido: 40 anos do melhor disco de Rita Lee (e do Tutti-Frutti)

"Fruto Proibido" (1975): considerado o melhor trabalho da carreira de Rita Lee
“Fruto Proibido” (1975): considerado o melhor trabalho da carreira de Rita Lee

Já que estamos em julho de 2015, então, que tal relembrarmos de um clássico do rock nacional que completou 40 anos de seu lançamento no mês que acabou de terminar? Me refiro ao inigualável “Fruto Proibido”, o segundo álbum da parceria entre Rita Lee e a banda Tutti-Frutti. Lançado em junho de 1975, o disco tem a produção assinada por Andy Mills, que trabalhou com Alice Cooper.

Gravado nos estúdios Eldorado em abril de 1975, o disco se destaca pelo Hard Rock setentista com pitadas de Blues, soul, pop e MPB e um trabalho primordial de Luís Carlini, que fez os arranjos juntamente com Rita Lee. Foi nesse trabalho que Paulo Coelho foi letrista fora da parceria de Raul Seixas. O mago é o co-autor de três faixas do material.

Depois da saída dos Mutantes, Rita Lee até tentou montar uma dupla com Lúcia Turnbull, As Cilibrinas do Éden, mas não deu continuidade. Então, resolveu investir em uma banda de rock. Assim, em 1973, ela se uniu a Luís Carlini, Lee Marcucci, Emilson Colantonio (logo substituído por Franklin Paolillo) e, posteriormente, o tecladista Paulo Maurício e, juntos, formaram o Tutti-Frutti. Nessa empreitada, conseguiram assinar um contrato com a Phillips, que exigiu que o disco de estreia da banda fosse assinado como “Rita Lee & Tutti-Frutti”. Assim, em 1974, foi lançado o único trabalho deles com a Phillips, o álbum “Atrás do Porto Tem Uma Cidade”, que traz “Menino Bonito”, cujo single fez um amplo sucesso nacional.

No ano seguinte, Rita e a banda trocaram de gravadora e acertaram com a Som Livre. Com o novo selo, foi lançado “Fruto Proibido”, que até hoje é considerado a obra-prima de Rita Lee e que vendeu mais de 200 mil cópias na época e que coroou a cantora como a “rainha do rock nacional”.

O álbum traz nove faixas que, juntas, totalizam cerca de 38 minutos de puro rock. A abertura fica por conta de “Dançar Pra Não Dançar”, um rockão que se inicia com solo de piano e uma guita predominadora. Em seguida, a balada hard e clássica de “Agora Só Falta Você”, considerada um “hino feminista” e que acompanhou Rita Lee por toda a carreira. Impossível não que tenha gente no Brasil que não conheça essa música!. O terceiro tema é “Cartão Postal”, um Blues feito em parceria com Paulo Coelho. Embora não tenha tanto peso, é uma excelente música. A quarta faixa do disco é a que dá nome ao disco: um rock básico com direito a gaita. E o play chega a sua metade com “Esse Tal de Roque Enrow”, que representa o espírito do rock na versão desesperada de uma mãe. Outro sucesso que também foi co-escrita com Paulo Coelho.

O lado B da versão vinil de “Fruto Proibido” inicia-se com a “progressiva” “O Toque”, essa é a terceira que traz a assinatura de Paulo Coelho. Posteriormente, o disco segue com “Pirataria”, em que o trabalho do teclado é muito bem executado e uma ótima participação do saudoso Manito na flauta à la Jethro Tull. Na reta final, dois petardos: “Luz Del Fuego”, que começa com um ótimo riff e traz um grandioso solo.  E, finalmente, “Ovelha Negra”, que não poderia encerrar o álbum de melhor forma. Uma balada atemporal, um clássico eterno. A música fala de uma experiência de vida pessoal comum, como a saída da casa dos pais. Mas o ponto alto fica por conta do solo hipnótico de Carlini, que insistiu ao produtor Andy Mills para incluí-lo no final da faixa.

Como é de conhecimento de todos, Rita Lee é uma genuína “hitmaker” (especialmente em temas para novelas), e, mesmo com tantas excelentes composições feitas ao longo de seus mais de 40 anos de carreira, a “nata” de seu auge criativo está aqui em “Fruto Proibido”, que é considerado constantemente um dos melhores álbuns da história do rock (e da música como um todo) brasileiro. Discaço. Pode conferir sem medo.

A seguir, a ficha técnica e o tracklist do play.

Álbum: Fruto Proibido
Intérprete: Rita Lee & Fruto Proibido
Lançamento: junho de 1975
Gravadora: Som Livre
Produtor: Andy Mills

Rita Lee: voz, violão e sintetizador
Luís Carlini: guitarras, slide, violão, gaita e backing vocal
Lee Marcucci: baixo e cowbell
Franklin Paolillo: bateria e percussão

Guilherme Bueno: piano e clarinete
Rubens Nardo e Gilberto Nardo: backing vocal
Manito: sax em “Esse Tal de Roque Enrow”, flauta em “Pirataria” e órgão Hammond em “O Toque

1. Dançar Pra Não Dançar (Rita Lee)
2. Agora Só Falta Você (Luís Carlini / Rita Lee)
3. Cartão Postal (Paulo Coelho / Rita Lee)
4. Fruto Proibido (Rita Lee)
5. Esse Tal de Roque Enrow (Paulo Coelho / Rita Lee)
6. O Toque (Paulo Coelho / Rita Lee)
7. Pirataria (Lee Marcucci / Rita Lee)
8. Luz Del Fuego (Rita Lee)
9. Ovelha Negra (Rita Lee)

Por Jorge Almeida

Anúncios

Um comentário sobre “Fruto Proibido: 40 anos do melhor disco de Rita Lee (e do Tutti-Frutti)

  1. Eu estava aqui me perguntando, como passei toda a minha vida sem conhecer este disco. Muitas das faixas são bem conhecidas, eu pelo menos conhecia até então apenas versões cover ou ‘ao vivo’ pela própria Rita de boa parte das faixas excetuando algumas. Mas o que mais me impressionou é o quanto a versão de estúdio como um todo é muito superior a qualquer outra versão que eu conhecesse dos clássicos ‘Agora só falta você’, ‘Fruto proibido’, ‘Ovelha Negra’ pra ficar no mais óbvio. E nada como ouvir o álbum inteiro e perceber como todas as faixas foram criteriosamente escolhidas na sequência certa.

    Ótima resenha! De fato, talvez o melhor disco de rock brasileiro da história.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s