Show de Caetano Veloso no Sesc Itaquera (07.06.2015)

 

Depois de uma série de apresentações (assim como toda a turnê) bem sucedidas no Sesc Pompeia, com ingressos esgotados entre os dias 3 e 6 de junho          , o cantor e compositor Caetano Veloso, acompanhado pela banda Cê – composta por Pedro Sá (guitarra), Callado (bateria) e Dias Gomes (baixo) -, se apresentou neste domingo (7) no Sesc Itaquera com “entrada free” para o público.

O espetáculo na unidade foi o último da turnê de seu mais recente trabalho – o elogiadíssimo “Abraçaço”, lançado em 2012. O espetáculo tem a direção e o roteiro assinado pelo próprio artista.

Em aproximadamente 1h40 de apresentação, Caetano e banda tocaram 23 temas (incluindo o bis) dos mais de 40 anos de carreira do cantor, sendo que nove deles foram do último trabalho.

Com a noite surgindo, o show começou, como já é de praxe em se tratando de Sesc, pontualmente às 18h, com a faixa que abre “Abraçaço”: “A Bossa Nova É Foda”, cuja versão ao vivo foi indicada ao Grammy nas categorias Canção do Ano e Melhor Canção Brasileira. Na sequência, o compositor resgatou um clássico de quase 50 anos. Estou me referindo a “Baby”, música que consta no emblemático “Tropicália Ou Panis Et Circensis”, de 1968.

A apresentação seguiu com mais uma sequência de músicas do último disco de Caetano: “Quando O Galo Cantou”, “Um Abraçaço”, com direito a coreografia com os integrantes, e “Parabéns”. Depois vieram as excelentes “Homem”, do disco “” (2006), “Um Comunista” – faixa de “Abraçaço” – e “Triste Bahia”.

E, assim, entre uma música e outra, Caetano Veloso acenava para o público, mandava beijos e era correspondido com a participação efusiva da plateia.

O show seguiu com “Estou Triste”, “Odeio”, “Escapulário”, “Funk Melódico”, “Alguém Cantando”, “Quero Ser Justo” e “Eclipse Oculto”. Conforme pode ser notado, uma sequência que mesclou músicas do trabalho recente e com composições das décadas de 1970 e 1980.

O concerto estava perto do final quando Caetano cantarolou uma sequência de músicas próprias que foram gravadas por outros intérpretes, mas interrompida por um tema do disco novo. Primeiro veio “De Noite na Cama”, gravada por Erasmo Carlos em 1971, depois foi a vez de “O Império da Lei” (de “Abraçaço”), seguida de “Reconvexo”, gravada pela irmã Maria Bethânia no álbum “Memória da Pele” (1989), e “Você Não Entende Nada”, interpretada pela amiga Gal Costa em um compacto lançado em 1971.

Posteriormente, Caetano e banda saem do palco e, ao som de “Caetano, cadê você? Eu vim aqui só pra te ver” que ecoava pelo Sesc, voltaram para o bis, que começou com “Nine Out Of Ten“, música de 1972, acompanhada de “Força Estranha”, gravada por Roberto Carlos em 1978, e, para delírio dos presentes, a inigualável “Sampa” que, para muitos paulistanos, trata-se de um “hino da cidade de São Paulo” e, claro, foi cantada em uníssono pelo público. Finalizando o show, outro hit: “A Luz de Tieta”, que foi bem recebida pela galera, que no final foi conduzida pelo baiano a cantarolar o seu refrão no final.

Depois da apresentação, o público se dispersou do recinto, enquanto muitos saíam de carro, outros corriam para embarcar na concorrida linha de ônibus que leva até o Metrô Itaquera.

Caetano Veloso e banda estão de parabéns pela performance. Músicos bons e um repertório bem caprichado. E esse septuagenário jovial deixa muito “trintão” no chinelo no quesito carisma e presença de palco. Caetano dança, interage, suinga, se exibe, provoca, atiça, tira a camisa, enfim, faz do palco o que bem entender, pois o cara “tem as manhas”. E, pelo material do novo trabalho apresentado aqui, chegou à conclusão que não foi à toa que “Abraçaço” foi eleito pela revista Rolling Stone o melhor álbum nacional de 2012.

A seguir, o setlist da apresentação de Caetano Veloso no Sesc Itaquera e os respectivos álbuns de origem das músicas.

1. A Bossa Nova É Foda (Caetano Veloso) – Abraçaço (2012)
2. Baby (Caetano Veloso) – Tropicália ou Panis Et Circensis (1968)
3. Quando O Galo Cantou (Caetano Veloso) – Abraçaço (2012)
4. Um Abraçaço (Caetano Veloso) – Abraçaço (2012)
5. Parabéns (Caetano Veloso) – Abraçaço (2012)
6. Homem (Caetano Veloso) – (2006)
7. Um Comunista (Caetano Veloso) – Abraçaço (2012)
8. Triste Bahia (Caetano Veloso sobre poema de Gregório de Mattos) – Transa (1972)
9. Estou Triste (Caetano Veloso) – Abraçaço (2012)
10. Odeio (Caetano Veloso) – (2006)
11. Escapulário (Caetano Veloso sobre poema de Oswald de Andrade) – Joia (1975)
12. Funk Melódico (Caetano Veloso) – Abraçaço (2012)
13. Alguém Cantando (Caetano Veloso) – Bicho (1977)
14. Quero Ser Justo (Caetano Veloso) – Abraçaço (2012)
15. Eclipse Oculto (Caetano Veloso) – Uns (1983)
16. De Noite Na Cama (Caetano Veloso) – Carlos, Erasmo (1971), álbum de Erasmo Carlos
17. O Império da Lei (Caetano Veloso) – Abraçaço (2012)
18. Reconvexo (Caetano Veloso) – Memória da Pele (1989), álbum de Maria Bethânia
19. Você Não Entende Nada (Caetano Veloso) – Compacto simples Philips (1971), de Gal Costa
Bis:
20. Nine Out Of Ten (Caetano Veloso) – Transa (1972)
21. Força Estranha (Caetano Veloso) – álbum Roberto Carlos (1978), de Roberto Carlos
22. Sampa (Caetano Veloso) – Muito (Dentro da Estrela Azulada) (1978)
23. A Luz de Tieta (Caetano Veloso) – Trilha sonora do filme “Tieta do Agreste” (1996)

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s