Exposição homenageia Henrique Oswald no Museu Afro Brasil

"Casarão Vermelho": uma das pinturas de Henrique Oswald no Museu Afro Brasil. Foto: Jorge Almeida
“Casarão Vermelho”: uma das pinturas de Henrique Oswald no Museu Afro Brasil. Foto: Jorge Almeida

O artista carioca Henrique Oswald (1918-1965) é o homenageado pelo Museu Afro Brasil por meio da mostra “Um Gravador, Um Desenhista, Um Pintor: Uma Obra em Transmutação”, em cartaz até o próximo dia 10 de maio*, que é constituída por aproximadamente 60 obras em meio a desenhos, gravuras e pinturas, que integram os acervos particulares da família do artista e do curador Emanoel Araujo. A exposição desponta as múltiplas facetas de Oswald cujo falecimento completa 50 anos em 2015.

O início da formação artística de Henrique se dá ao pai, Carlos Oswald, a quem substitui, em 1947, na cadeira de gravura no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro. Cinco anos mais tarde, foi aluno de André Lhote (1885-1962), pintor francês. Viveu na Europa entre 1955 e 1959 e, nesse período, estudou gravura no ateliê de Johnny Friedlaender (1912-1992). E, quando regressou ao Brasil, em 1959, fixou residência em Salvador, onde tornou-se professor da Escola de Belas Artes da Universidade da Bahia.

O curador Emanoel Araújo atesta que Henrique Oswald teve forte influência nos artistas locais na época em que ele frequentou as aulas de gravuras ministradas por Oswald.

A obra de Henrique Oswald é extensa: quadros abstratos, murais religiosos, pinturas (óleo sobre madeira, óleo sobre tela, óleo sobre duratex) e seus desenhos também representam parte significativa no conjunto da sua obra.

Henrique era filho de Carlos Oswald (1882-1971), pintor e introdutor da gravura pura no Brasil; e neto do pianista e compositor Henrique Oswald (1852-1931) de quem herdou o nome.

E, em meio aos destaques, estão: “Músicos” (1949/1954), “Cristo Morto” (1960), ambos óleo sobre tela; “Petrópolis” (1954), gravura – água-tinta, água forte e ponta seca; e “Casarão Vermelho” (foto), feita entre 1963 e 1965, em óleo sobre duratex.

SERVIÇO:
Exposição: Um Gravador, Um Desenhista, Um Pintor: Uma Obra em Transmutação
Onde: Museu Afro Brasil – Avenida Pedro Álvares Cabral, s/nº – Portão 10 – Parque Ibirapuera
Quando: até 10/05/2014*; de terça a domingo, das 10h às 17h (com permanência até às 18h); na última quinta-feira do mês, o horário é estendido para às 21h
Quanto: R$ 6,00; R$ 3,00 (meia-entrada); entrada gratuita às quintas-feiras e sábados

* Sujeita a alteração

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s