Ceará: campeão invicto e inédito da Copa do Nordeste

Zagueiro Charles (camisa 4) comemora com os companheiros um dos gols do Ceará na decisão da "Lampions League". Foto: Christian Alekson / cearasc.com
Zagueiro Charles (camisa 4) comemora com os companheiros um dos gols do Ceará na decisão da “Lampions League”. Foto: Christian Alekson / cearasc.com

O Ceará Sporting Club venceu novamente o Bahia na decisão da Copa do Nordeste 2015 em partida disputada na Arena Castelão, em Fortaleza, na noite desta quarta-feira (29) e conquistou de forma inédita a competição e, de quebra, assegurou a sua vaga para a Copa Sulamericana desse ano. Com dois gols de cabeça marcados por zagueiros – Charles e Gilvan – para o Vovô e Maxi Biancucchi para o Tricolor de Aço, o Ceará fez 3 a 1 no placar agregado e triunfou a competição de forma invicta. Ao todo, foram 12 partidas de invencibilidade.

A decisão começou às 22h15 porque o Bahia teve problema logístico para chegar ao estádio e o seu presidente disse que o time não entraria em campo antes disso.

Precisando reverter o revés do jogo de ida, o Bahia foi pra cima e criou a primeira oportunidade logo aos três minutos com Rômulo, que cobrou falta direta e permitiu a excelente defesa de Luís Carlos. Seis minutos depois, Rômulo cruzou da esquerda, Souza cabeceou, o arqueiro do Vozão defendeu parcialmente e, enquanto a bola estava indo em direção à linha de fundo, Ricardinho afastou o perigo. No lance seguinte, o mesmo Ricardinho levantou da direita para Magno Alves pegar de primeira e Jean fez a defesa em dois tempos. Aos 13, Kieza recebeu passe de Pitoni pela esquerda, fintou o marcador, bateu colocado, mas a esférica caprichosamente passou rente ao poste.

E o camisa 8 do Ceará estava em noite inspirada. Aos 15 minutos, Ricardinho alçou a bola na área e o zagueiro Charles, de cabeça, tirou o zero do placar e aumentou ainda mais a vantagem do Vovô. O tento motivou os anfitriões, que aos 22 quase chegou ao segundo com Wescley, que finalizou por cima do gol de Jean.

A partir de então até o final da etapa inicial, o Ceará tomou conta do jogo e ficou à espera do Bahia para contragolpear.

No segundo tempo, o Ceará continuou melhor e esteve perto do segundo gol aos cinco minutos. Wescley deu assistência para Ricardinho, que mandou na trave. No minuto seguinte, Ricardinho cobrou escanteio pela direita e o zagueiro Gilvan subiu no terceiro andar para testar firme e ampliar ainda mais a vantagem do time da casa. Delírio no Castelão.

Com dois gols de vantagem (e mais um no agregado), o Ceará ditou o ritmo do jogo. Mas o Bahia não estava entregue e chegou com perigo aos 21 com Bruno Paulista em cobrança de falta, mas a redonda saiu pela esquerda da meta de Luís Carlos. Os jogadores do Vozão administraram o resultado e passaram a fazer cera em alguns momentos, chegando a irritar alguns atletas do tricolor baiano. E, mesmo assim, o Ceará esteve perto de fazer o terceiro gol aos 38 com Marcos Aurélio, que recebeu em excelentes condições, mas concluiu rente à trave. Três minutos depois, Tiago Cametá cruzou da direita, Magno Alves cabeceou para excelente defesa do arqueiro tricolor.

E, no final, o esforçado Bahia diminuiu o marcador aos 44. O goleiro Luís Carlos tentou sair jogando e entregou a bola nos pés de Maxi Biancucchi, que o encobriu e descontou para o Tricolor da Boa Terra. Mas já era tarde demais. A fatura já estava liquidada e o torcedor cearense começou a festa ao término da partida.

Depois de perder o primeiro jogo em casa por 1 a 0, o Bahia precisava correr atrás do prejuízo para equilibrar a situação. A equipe de Sérgio Soares até que se esforçou para isso, embora tenha entrado com o ataque “KGB” (Kieza, Gamalho e Biancucchi) incompleto (Léo Gamalho ficou de fora por contusão). Mas, embalado por sua torcida, o Ceará, aos poucos, foi tomando conta do jogo e não demorou muito para sair na frente e ditar o jogo. No segundo tempo, o Bahia foi na vontade, mas sofreu o tiro de misericórdia ao sofrer o segundo gol. No entanto, ainda encontrou forças para fazer o seu gol de honra, mas não foi o suficiente para evitar o vice-campeonato e o bi-vice de seu treinador, Sérgio Soares, que havia perdido a decisão da “Lampions League” de 2014 para o Sport Recife nesse mesmo Castelão no comando do Vozão. E, convenhamos, o título está em boas mãos, pois o Ceará fez uma campanha irretocável e precisava de uma conquista de expressão para fincar de vez o seu nome como uma potência do Nordeste e fazer parte das principais forças da região, que atualmente é composta por Bahia, Vitória, Sport, Náutico e Santa Cruz.

A seguir, o resumo da campanha do campeão e a ficha técnica da grande final.

Primeira fase (Grupo D):
04/02/2015 – Ceará (CE) 1×1 Fortaleza (CE) – Castelão, Fortaleza (CE)
11/02/2015 – Ríver (PI) 1×1 Ceará (CE) – Albertão, Teresina (PI)
19/02/2015 – Ceará (CE) 1×0 Botafogo (PB) – Castelão, Fortaleza (CE)
04/03/2015 – Botafogo (PB) 1×1 Ceará (CE) – Almeidão, João Pessoa (PB)
10/03/2015 – Ceará (CE) 1×0 Ríver (PI) – Presidente Vargas, Fortaleza (CE)
18/03/2015 – Fortaleza (CE) 1×2 Ceará (CE) – Castelão, Fortaleza (CE)
Quartas-de-final:
25/03/2015 – Salgueiro (PE) 0x2 Ceará (CE) – Cornélio de Barros, Salgueiro (PE)
28/03/2015 – Ceará (CE) 2×1 Salgueiro (PE) – Castelão, Fortaleza (CE)
Semifinais:
08/04/2015 – Ceará (CE) 0x0 Vitória (BA) – Castelão, Fortaleza (CE)
11/04/2015 – Vitória (BA) 2×2 Ceará (CE) – Barradão, Salvador (BA)
Finais:
22/04/2015 – Bahia (BA) 0x1 Ceará (CE) – Fonte Nova, Salvador (BA)
29/04/2015 – Ceará (CE) 2×1 Bahia (BA) – Castelão, Fortaleza (CE)

FICHA TÉCNICA: CEARÁ (CE) 2×1 BAHIA (BA)
Competição/fase: Copa do Nordeste 2015 – final (segundo jogo)
Local: Arena Castelão, Fortaleza (CE)
Data: 29/04/2015 – 22h (horário de Brasília)
Público Total: 63.903 torcedores – 63.399 pagantes e 504 não pagantes
Renda Total: R$ 1.807.162,00
Árbitro: Ítalo Medeiros de Azevedo (RN)
Assistentes: Lorival Candido das Flores (RN) e Luís Carlos Camara Bezerra (RN)
Cartões Amarelos: Wescleyy, Uillian Corrêa e Luís Carlos (Ceará); Pitoni e Thiago Real (Bahia)
Gols: Charles, aos 15 min do 1º tempo; Gilvan, aos 6 min do 2ºt para o Ceará; e Maxi Biancucchi, aos 44 min do 2º tempo para o Bahia
CEARÁ (CE): 1.Luís Carlos; 2.Samuel Xavier, 4.Charles, 3.Gilvan (14.Sandro) e 6.Fernandinho; 5.Sandro Manoel, 7.Uillian Correia, 8.Ricardinho e 10.Wescley (17.Marcos Aurélio); 9.Assisinho (13.Tiago Cametá) e 11.Magno Alves. Técnico: Silas
BAHIA (BA): 1.Jean; 2.Tony (21.Tchô), 3.Robson, 4.Titi e 6.Bruno Paulista; 5.Wilson Pittoni (17.Willians Santana), 8.Souza, 11.Tiago Real e 10.Rômulo (19.Zé Roberto); 7.Maxi Biancucchi e 9.Kieza. Técnico: Sérgio Soares

Parabéns ao Ceará Sporting Club pela conquista.

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s