Rush: 40 anos de “Fly By Night”

"Fly By Night": álbum que marca a estreia de Neil Peart no Rush
“Fly By Night”: álbum que marca a estreia de Neil Peart no Rush

Hoje, 15 de fevereiro, um dos álbuns mais conhecidos do Rush (e também da história do rock) completa 40 anos de lançamento. Trata-se do clássico “Fly By Night”, o segundo trabalho do grupo canadense e que marca a estreia de Neil Peart na bateria. Produzido pela banda em conjunto com Terry Brown, o álbum foi gravado entre dezembro de 1974 e janeiro de 1975 no Toronto Sound Studios, em Toronto, Canadá, e foi o primeiro a ser lançado por uma grande gravadora, a Mercury Records.

Depois de lançarem o bom ‘debut’ no ano anterior, o Rush precisou trocar de baterista, pois John Rutsey saiu em virtude de problemas de saúde, mais precisamente diabetes, aliado ao seu desgosto em fazer turnês. Recrutado oficialmente em julho de 1974, Neil Peart não foi apenas um “mero” baterista no Rush. Com ele na banda, mudou-se o processo criativo na música do trio. Com o pouco interesse em escrever por parte de Geddy Lee, o baterista passou a ser, a partir de então, o principal letrista da banda, enquanto o baixista e o guitarrista Alex Lifeson passaram a focar os aspectos instrumentais das músicas do Rush. Com Peart, o baterista favorito de nove em cada dez aspirantes a baterista, na criação das letras, a temática das canções da banda mudaram radicalmente em virtude do fascínio de Neil por fantasia e ficção científica. Isso também mexeu com a musicalidade do trio: eles deixavam um pouco de lado o Hard Rock Blues à lá Led Zeppelin e assumiram, embora não tão afinco como nos trabalhos posteriores, a veia progressiva.

O play abre com a incrível “Anthem”, com riffs rápidos e certeiros, além da agressividade de Neil Peart na bateria. Um ‘hardão’ de primeira. Em seguida, sem deixar o nível cair, surge “Best I Can”, outro Hard Rock nitidamente influenciado por Led Zeppelin. O terceiro tema é “Beneath, Between And Behind”, grande música que comprova a qualidade de compositor de mão cheia que é Peart. A letra aborda acontecimentos da Idade Média.

E “Fly By Night” chega a sua metade com a épica “By-Tor And The Snow Dog”, a primeira mini história em uma música do grupo: repleta de arranjos complexos e formatos, a música fala da briga de dois cachorros (!). Isso mesmo, cachorros. Dois cães – que dão nome à canção – de um roadie da banda se gladiaram e a imaginação perspicaz Neil Peart viu ali um belo enredo. A faixa é dividida em quatro peças: “At The Tobes Of Hades”, “Across The Styx”, “Of The Battle” e “Epilogue”.

Em seguida vem a faixa que dá título ao álbum. “Fly By Night” (a música) foi um sucesso comercial e é, até hoje, uma das mais pedidas e aclamadas nos shows do Rush. Aqui, o riff e o solo de Alex Lifeson são os destaques. O sexto tema é a ‘esquecida’ “Making Memories”, com sua bela letra e levada country agregada por Lifeson. A penúltima música do disco é a ótima balada “Rivendell”, inspirada no clássico livro de J.R.R. Tolkien – “O Senhor dos Anéis”. E o álbum é finalizado com a bela “In The End”, outra balada e pesada, uma das únicas faixas que não foi composta por Peart.

Apesar de não ser considerado como o melhor álbum, nem o mais criativo ou inspirado do Rush (isso não significa que seja ruim, que fique claro), “Fly By Night” foi primordial para a carreira dessa incrível banda canadense. Mas, particularmente, para esse que vos escreve, foi o primeiro disco do Rush que me cativou, simplesmente por sua incrível capa. Assinada por Eraldo Carugati (o mesmo sujeito que trabalhou nos álbuns solos lançados pelos integrantes do Kiss em 1978), a capa do “disco da coruja” foi o suficiente para que me convencer que “Fly By Night” é um “baita disco”. Vale a pena a aquisição.

Abaixo, a ficha técnica e o tracklist do disco.

Álbum: Fly By Night
Intérprete: Rush
Lançamento: 15 de fevereiro de 1975
Gravadora: Anthem Records (Canadá) / Mercury Records
Produtores: Rush e Terry Brown

Geddy Lee: baixo, violão e voz
Alex Lifeson: guitarra, violão de seis e doze cordas
Neil Peart: bateria e percussão

1. Anthem (Peart)
2. Best I Can (Lee)
3. Beneath, Between And Behind (Peart / Lifeson)
4. By-Tor And The Snow Dog (Peart)
I: At The Tobes Of Hades
II: Across The Styx
III: Of The Battle
IV: Epilogue
5. Fly By Night (Peart / Lee)
6. Making Memories (Peart)
7. Rivendell (Peart / Lee)
8. In The End (Lee / Lifeson)

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s