Motörhead: 20 anos de “Bastards”

"Bastards": um dos dois trabalhos do Motörhead com a lineup Lemmy/Campbell/Würzel/Mikkey Dee
“Bastards”: um dos dois trabalhos do Motörhead com a lineup Lemmy/Campbell/Würzel/Mikkey Dee

O álbum “Bastards”, do Motörhead, completa hoje, 29 de novembro, 20 anos de seu lançamento. O trabalho é o 11º registro de estúdio feito por Lemmy Kilmister e companhia e foi lançado por um pequeno selo germânico (ZYX) após desentendimentos com a gigante Sony. Contudo, o disco teve pouca repercussão, assim como os trabalhos posteriores da década de 1990.

Gravado no A&M Studios e no Prime Time Studios, “Bastards” foi o primeiro registro de estúdio gravado inteiramente com Mikkey Dee na bateria e foi um dos dois trabalhos com a lineup composta por Lemmy Kilmister (voz e baixo), Phil Campbell e Würzel nas guitarras e Mikkey Dee na bateria. O outro álbum gravado com essa formação foi o “Sacrifice”, de 1995. Antes disso, o baterista havia tocado no “’92 Tour EP”, um EP que reúne quatro temas, e na faixa “Hellraiser”, do álbum “March Ör Die” (1992).

Após a saída de Phil “Animal” Taylor, em 1992, por conta de suas advertências e pelo péssimo desempenho em “I Ain’t No Nice Guy”, o Motörhead estava à procura de um baterista para seguir adiante. Então, Lemmy havia conhecido Mikkey Dee dos tempos em que o baterista estava no King Diamond na época em que excursionavam com o Motörhead e fez o convite a Dee, que havia recuado em função de seus compromissos com o King Diamond. Algum tempo depois, Dee estava disponível e se encontrou com a banda para fazer uma experiência em tocar com Lemmy e cia. Depois de gravarem “Hellraiser” e “Hell On Earth” no estúdio, estava formada a nova lineup do Motörhead. O primeiro compromisso de Mikkey Dee com o grupo foi em 30 de agosto de 1992 no Sataroga Performing Arts Center (SPAC), em Nova York. A nova formação, posteriormente, saiu em turnê fazendo shows com Ozzy Osbourne, Skew Siskin e Exodus. Em 27 de novembro, o Motörhead tocou com o Metallica e Guns ‘N’ Roses no Coliseum, em Los Angeles. Depois veio a excursão pela Argentina e pelo Brasil em outubro daquele ano. Em dezembro, realizaram a “Bombers And Eagles Tour” ao lado do Saxon pela Europa.

E após a maratona de shows, o Motörhead foi para os estúdios com Mikkey já totalmente adaptado à banda para gravar “Bastards”. O produtor escolhido foi Howard Benson, que já trabalhou com a banda em outras oportunidades posteriores.

O single do disco foi “Don’t Let Daddy Kiss Me”, que incluiu a canção “Born To Raise Hell”, que também apareceu no álbum e que mais tarde foi regravada com os vocais do rapper Ice-T e de Whitfield Crane (frontman do Ugly Kid Joe) e lançada como single em novembro de 1994. Aliás, essa versão aparece na trilha sonora do filme “Airheads” (no Brasil, “Os Cabeças-de-Vento”).

E após o sucesso comercial obtido com “1916” (1991) e “March Ör Die” (1992), com “Bastards”, o Motörhead voltou às suas raízes, com o seu som alto e rápido. Com os temas variados, como por exemplo, crítica social (“On Your Feet Or On Your Knees”), caos total (“Burner”), guerra (“Death Or Glory” e “I’m The Sword”) e pedofilia (“Don’t Let Daddy Kiss Me”).

A capa do álbum foi assinada por Joe Petagno, artista de longa data que elabora as capas dos álbuns de Motörhead. Em entrevista feita para o DVD “Inferno 30th Anniversary”, ele revelou que o disco originalmente se chamaria “Devils”, que é uma das faixas do álbum, e, por isso, já havia elaborado a capa para refletir este título quando o nome foi alterado. Além disso, Petagno disse que o projeto feito para “Bastards” era uma “resposta a ‘March Ör Die’”, que, segundo ele, é “horrível pra caralho”. Depois de fazer o desenho, ele o enviou para o fã-clube da banda, o Motörheadbangers. Eles gostaram tanto que utilizaram na capa da revista do fã-clube. E quando Lemmy viu, aprovou o resultando e, assim, “Devils” virou “Bastards”.

Vale destacar que, em 2001, o disco foi lançado pela Steamhammer e traz como faixa bônus um cover dos Rolling Stones – “Jumpin’ Jack Flash”.

A seguir, a ficha técnica e o tracklist do play.

Álbum: Bastards
Intérprete: Motörhead
Lançamento: 29 de novembro de 1993
Gravadora: ZYX (1993) / Steamhammer (2001)
Produtor: Howard Benson

Lemmy Kilmister: voz e baixo
Phil “Wizzö” Campbell: guitarras
Würzel: guitarras
Mikkey Dee: bateria

Howard Benson: teclados

1. On Your Feet Or On Your Knees (Kilmister / Campbell / Würzel / Dee)
2. Burner (Kilmister / Campbell / Würzel / Dee)
3. Death Or Glory (Kilmister / Campbell / Würzel / Dee)
4. I’m The Sword (Kilmister / Campbell / Würzel / Dee)
5. Born To Raise Hell (Kilmister)
6. Don’t Let Daddy Kiss Me (Kilmister / Campbell / Würzel / Dee)
7. Bad Woman (Kilmister / Campbell / Würzel / Dee)
8. Liar (Kilmister / Campbell / Würzel / Dee)
9. Lost In The Ozone (Kilmister / Campbell / Würzel / Dee)
10. I’m Your Man (Kilmister / Campbell / Würzel / Dee)
11. We Bring The Shake (Kilmister / Campbell / Würzel / Dee)
12. Devils (Kilmister / Campbell / Würzel / Dee)
Faixa bônus:
13. Jumpin’ Jack Flash (Jagger / Richards)

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s