Ozzy Osbourne: 30 anos de “Bark At The Moon”

"Bark At The Moon": clássico de Ozzy Osbourne que tem 100% das músicas compostas apenas pelo Madman
“Bark At The Moon”: clássico de Ozzy Osbourne que tem 100% das músicas compostas apenas pelo Madman

O terceiro álbum de estúdio da carreira solo de Ozzy Osbourne, “Bark At The Moon”, faz nesta sexta-feira, 30 anos de seu lançamento. O disco é o primeiro trabalho de inéditas feito pelo Madman sem o seu parceiro, o guitarrista Rhandy Rhoads, morto no ano anterior.

Então, para substituir Rhoads, veio o ex-guitarrista do Teaser e Mickey Ratt Jake E. Lee. A parceria entre ele e Ozzy resultou em “Bark At The Moon”, que foi gravado com Bob Daisley (baixo), Tommy Aldridge (bateria) e o atual Deep Purple Don Airey nos teclados.

Mesmo com as críticas favoráveis ao álbum, o vocalista seguiu nos modismos da época, como as suas constantes aparições na MTV e uma turnê com o Mötley Crüe, ficando para trás todo o lado classicismo das composições de Randy Rhoads.

Outro acontecimento que marcou “Bark At The Moon” foi acerca das autorias das composições, cujos créditos são assinados apenas por Ozzy Osbourne, o que faz do disco ser o único 100% escrito apenas pelo ex-vocalista do Black Sabbath. Contudo, o próprio Ozzy afirmou anos mais tarde, como pode ser visto no encarte do álbum “The Ozzman Cometh” (1997) que a faixa-título foi co-escrita com Jake E. Lee. Enquanto o baixista Bob Daisley, que produziu o play junto com Ozzy e Max Norman, garante que ele e Jake foram os responsáveis pelas músicas, além dele – Bob Daisley – afirmar que também escreveu a maior parte das letras do disco. Até o Lee Kerslake, baterista dos primeiros trabalhos solo de Ozzy e que tocou com Daisley no Uriah Heep e que não participou das gravações de “Bark At The Moon”, entrou na parada ao afirmar que Sharon Osbourne, esposa e empresária do Madman, contratou Daisley para escrever as letras para o álbum de Ozzy pagando-lhe entre 50 e 60 mil dólares.

A faixa-título entrou no rol de clássicos da carreira solo de Ozzy. O videoclipe de “Bark At The Moon”, o primeiro a ser feito pelo vocalista, foi parcialmente filmado em um sanatório nas proximidades de Londres.

Fora dos estúdios e dos palcos, Ozzy enfrentava problemas judiciais. Como o fato de os pais de um jovem de 19 anos apontarem Ozzy Osbourne como responsável pelo suicídio do filho em virtude da música “Suicide Solution”. O vocalista foi absolvido das acusações. Além disso, o tema foi escrito em virtude da morte de Bon Scott, vocalista do AC/DC, por hipotermia, depois de dormir embriagado em seu carro em uma noite de inverno. A letra da música alerta sobre os males que o consumo excessivos de bebidas alcoólicas podem provocar.

Bark At The Moon” foi o único registro de estúdio que o atual baterista do Whitesnake, Tommy Aldridge, gravou com Ozzy. Uma vez que o músico era constantemente acionado para assumir as baquetas durante as turnês dos discos do Príncipe das Trevas.

O álbum alcançou a 19ª colocação nas paradas da Billboard e, em menos de três meses, rendeu o Disco de Ouro a Ozzy Osbourne e, até o momento, suas vendas ultrapassaram a casa das três milhões de cópias, o que lhe rendeu o Disco de Platina triplo. Contudo, a faixa-título e a “So Tired” foram lançadas como singles, que tiveram resultados modestos.

A sequência das músicas da versão europeia do álbum difere da norte-americana. Enquanto os europeus têm a presença de “Spiders In The Night”, em contrapartida, “Slow Down” não consta em seu tracklist. Além disso, algumas prensagens feitas no Velho Continente creditou a faixa “Forever” como “Centre Of Eternity”.

Em 1995, o álbum foi remasterizado, lançado pela primeira vez em CD e teve a faixa “Spiders In The Night” no tracklist da edição japonesa, totalizando assim nove temas. Enquanto no relançamento feito em 2002, foram acrescidas mais duas faixas. A já citada acima, que foi nomeada apenas como “Spiders” e “One Up ‘B’ The Side”.

E foi durante tour desse lançamento que Ozzy Osbourne tocou pela primeira vez no Brasil, em 1985, na primeira edição do Rock In Rio. E disse ainda que veio ao Brasil na esperança de ver “a Garota de Ipanema em cada esquina, mas não vi nenhuma. Havia só um monte de crianças pobres correndo pelo lugar como ratos. As pessoas eram ou absurdamente ricas ou viviam nas ruas, parecia não haver nada no meio”, conforme o próprio relatou em seu livro “I’m Ozzy”. Aliás, mesmo passados 28 anos desse episódio, a situação não mudou muito, não é?

Mas certamente, “Bark At The Moon” é considerado um dos melhores trabalhos do mestre Madman. Vale a pena ouvi-lo até o último volume.

A seguir, a ficha técnica e o tracklist do play.
Álbum: Bark At The Moon
Intérprete: Ozzy Osbourne
Lançamento: 15 de novembro de 1983
Produtores: Ozzy Osbourne, Bob Daisley e Max Norman
Gravadora: Epic / CBS (EUA)

Ozzy Osbourne: voz
Jake E. Lee: guitarra
Bob Daisley: baixo
Tommy Aldridge: bateria
Don Airey: teclados

1. Bark At The Moon (Osbourne)
2. You’re No Different (Osbourne)
3. Now You See It (Now You Don’t) (Osbourne)
4. Rock ‘N’ Roll Rebel (Osbourne)
5. Centre Of Eternity / Forever (Osbourne)
6. So Tired (Osbourne)
7. Slow Down (Osbourne)
8. Waiting For Darkness (Osbourne)
Faixas bônus:
9. Spiders (Osbourne)
10. One Up The ‘B’ Side (Osbourne)

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s