Ozzy Osbourne: 25 anos de “No Rest For The Wicked”

"No Rest For The Wicked": álbum marca a estreia de Zakk Wylde na banda de Ozzy Osbourne
“No Rest For The Wicked”: álbum marca a estreia de Zakk Wylde na banda de Ozzy Osbourne

O quinto trabalho de studio da carreira solo de Ozzy Osbourne – o disco “No Rest For The Wicked” – faz 25 anos de seu lançamento neste mês de outubro. Produzido por Keith Olsen e Roy Thomas Baker, o álbum marca a estreia do guitarrista Zakk Wylde no lugar de Jake E. Lee.

Dois anos antes do lançamento do play, ou seja, em 1986, a banda de Ozzy sofreu duas alterações em sua line-up. Saíram Tommy Aldridge (atualmente no Whitesnake) e Bob Daisley para entrarem Randy Castillo (morto em março de 2002) e Phil Soussan, respectivamente. Assim, nesse hiato de quase dois anos, Ozzy Osbourne trocou a banda inteira. Vale lembrar que o tecladista de “The Ultimate Sin” (1986) foi Mike Moran, enquanto Jon Sinclair tocou o instrumento em “No Rest For The Wicked”.

No ano seguinte, em 1987, o ex-vocalista do Black Sabbath não lançou nenhum trabalho de estúdio inédito pelo fato de que a mãe de Rhandy Rhoads entrou em contato com Ozzy Osbourne para reunir seus arquivos e enviá-las a Max Norman (produtor dos três primeiros trabalhos de Ozzy), que transformou o material em um tributo ao finado guitarrista intitulado “Tribute”. Assim, a progenitora de Rhoads atendeu as centenas de cartas dos fãs interessados em material inédito do músico.

Mesmo com críticas desfavoráveis, Ozzy e sua banda continuavam em alta junto aos fãs. Porém, os constantes desentendimentos entre Jake E. Lee e o vocalista por causa ao péssimo comportamento do Príncipe das Trevas, que estava cada vez mais tomado pelo uso abusivo de drogas e álcool, fez com que o guitarrista saísse e fosse substituído pelo novato e desconhecido Zakk Wylde, então, com 21 anos, que tocava em bares da região de New Jersey. Com seu estilo e talento, Zakk foi levado por Ozzy Osbourne para gravar o disco. Daí, em diante, o cara virou um dos mais relevantes ‘guitar-heroes’ do rock e também se tornou o músico  que ficou mais tempo na banda do vocalista (de 1988 a 2008).

O álbum traz excelentes canções como: “Crazy Babies”, “Fire In The Sky”, “Breaking All The Rules”, “Bloodbath In Paradise” – que é sobre a chacina promovida pelo psicopata Charles Manson na casa da atriz Sharon Tate em 1969 -, “Tattooed Dancer”, que, como diria um famoso ex-jogador de futebol, tem uma “baita de uma performance” de Randy Castillo, e “Miracle Man”, faixa que abre o álbum, e que é pautada no pastor evangélico Jimmy Swaggart que pregava em seu programa de TV que Ozzy tinha feito pacto com o diabo, mas foi flagrado em um motel com “genitoras que trabalham em casa de tolerância vendendo seu corpo”. No videoclipe, o Madman critica a hipocrisia do pastor, além de ser uma tiração de sarro tremenda com Swaggart.

Logo quando o álbum foi finalizado, Bob Daisley saiu e em seu lugar entrou um velho conhecido de Ozzy Osbourne: o seu companheiro de Black Sabbath – Geezer Butler – que, inclusive, aparece no clipe de “Miracle Man” e, consequentemente, participou da turnê e da gravação do EP “Just Say Ozzy” (1990).

O play teve dois relançamentos remasterizados: um em 22 de agosto de 1995 e o outro em 25 de junho de 2002, que teve a produção de Bruce Dickinson (sim, o próprio) e foi acrescido de duas faixas bônus.

Apesar de não ser considerado “O” trabalho de Ozzy Osbourne, “No Rest For The Wicked” é um tremendo disco, pois tem peso e marca o estilo de Zakk Wylde de tocar, além de ser o trabalho favorito do líder do Black Label Society dentre os quais participou junto com Ozzy Osbourne.

Abaixo, a ficha técnica e o tracklist do álbum.

Álbum: No Rest For The Wicked
Intérprete: Ozzy Osbourne
Lançamento: outubro de 1988
Gravadora: Epic / CBS
Produtores: Keith Olsen e Roy Thomas Baker; Bruce Dickinson (relançamento de 2002)

Ozzy Osbourne: voz
Zakk Wylde: guitarra
Bob Daisley: baixo
Randy Castillo: bateria
John Sinclair: teclados

1. Miracle Man (Osbourne / Wylde / Daisley)
2. Devil’s Daughter (Holy War) (Osbourne)
3. Crazy Babies (Osbourne / Wylde / Dasley / Castillo)
4. Breaking All The Rules (Osbourne / Wylde / Daisley / Castillo / Sinclair)
5. Bloodbath In Paradise (Osbourne / Wylde / Daisley / Castillo / Sinclair)
6. Fire In The Sky (Osbourne / Wylde / Dasley / Castillo / Sinclair)
7. Tattooed Dancer (Osbourne / Wylde / Daisley)
8. Demon Alcohol (Osbourne / Wylde / Dasley)
9. Hero (Osbourne / Wylde / Dasley / Castillo / Sinclair)
Faixas bônus:
10. The Liar (Osbourne / Wylde / Dasley / Sinclair)
11. Miracle Man (live) (Osbourne / Wylde / Daisley)

Por Jorge Almeida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s